Mais Notícias - Políticos: o mesmo jogo para a impunidade de sempre - Notícias
« 1 ... 3 4 5 (6) 7 8 9 ... 11779 »
Mais Notícias : Políticos: o mesmo jogo para a impunidade de sempre
Enviado por alexandre em 18/08/2017 08:05:05

Políticos: o mesmo jogo para a impunidade de sempre

Postado por Magno Martins

Andrei Meireles - Blog Os Divergentes

O que mais exaspera na nossa política é a sua obviedade. Sempre que flagrados, nos mais variados malfeitos, seus protagonistas culpam o palco, o enredo e até o público. Menos seus próprios personagens.

Daí se sentirem a vontade para passar a perna nos eleitores e até surrupiarem os cofres públicos, sem nenhuma culpa. Atribuem todo e qualquer deslize ao funil de um jogo político defeituoso como se também fossem vítimas dele.

Nos palanques, nas entrevistas, e até nos exclusivos Cafezinhos de deputados e senadores, todos criticam o modo de se eleger e de fazer política no Brasil. O que se ouve da esquerda, centro, direita, de demagogos de todos os matizes, é uma rara unanimidade de diagnóstico: o que está aí, faliu.

São unânimes até na mesma receita para essa enfermidade, a de sempre, a reforma política.

Há tempos o país assiste a essa conversa fiada. Salvo exceções, deputados e senadores e outras lideranças políticas só fingem querer mudanças.

O que está aí, e faliu, serve ao mesmo tempo para elege-los, enriquece-los, e protege-los das censuras e das punições legais.

Só topam trocar por outra proteção igual.

O resto é jogo de cena.

Mais Notícias : Resistências a distritão e R$ 3,6 bi são boa notícia
Enviado por alexandre em 18/08/2017 08:04:22

Resistências a distritão e R$ 3,6 bi são boa notícia

Postado por Magno Martins

Congresso tenta votar reforma que pode piorar o que já está ruim

Blog do Kennedy

A repercussão negativa perante a opinião pública impediu ontem a aprovação da reforma política pela Câmara. Deputados estão preocupados com o desgaste de criar o distritão e um novo fundo de financiamento eleitoral no valor de R$ 3,6 bilhões.

Ontem, com 430 deputados presentes, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sentiu-se inseguro para colocar a reforma em votação. São necessários 308 votos em dois turnos de votação. Com quórum de 430, a oposição tinha chance de barrar a reforma política.

A ideia era aprovar o relatório de Vicente Candido (PT-SP) como ele saiu da comissão especial e deixar que os pontos polêmicos fossem objeto de destaques de voto em separado na semana que vem. Se tivesse colocado o relatório em votação ontem e perdido, Maia jogaria fora o trabalho da comissão especial da Câmara.

A repercussão negativa do novo fundo eleitoral e o crescimento de resistências ao distritão são um sinal positivo, porque essa reforma, se aprovada, vai piorar o que já está ruim. Por ora, houve apenas atraso.

Na Câmara, surgiu a ideia de criar o semidistritão, permitindo que o voto de legenda seja usado no cálculo para eleger deputados. Essa ideia tem mais chance de prosperar do que o distritão puro, porque pode atrair parte dos parlamentares que está reticente em relação à mudança do sistema eleitoral de deputados federais, estaduais e vereadores.

O distritão acaba com os partidos. Ele reforça o atual caciquismo, porque as direções teriam o controle da verba e do número de candidatos. O voto na legenda é importante, porque permite ao eleitor fazer uma opção mais ideológica. A maioria dos nossos partidos não passa de máquina eleitoral, mas alguns poucos têm uma identidade política e uma coerência ideológica mínima. Seria importante manter o voto na legenda.

Aliás, o melhor seria não votar distritão nem semidistritão. Neste momento, faria mais sentido aprovar o fim das coligações proporcionais, que acabaria com o efeito carona que um deputado bem votado dá a candidatos de outros partidos. Ainda permaneceria o chamado efeito Tiririca para candidatos dos mesmo partido. Também faria sentido votar uma cláusula de barreira, uma regra que ajudaria a diminuir o número de partidos.

Mas, infelizmente, o distritão nem o semidistritão estão mortos. Haverá daqui até a semana que vem uma articulação para emplacar um ou outro.

Em relação ao financiamento, não deveria ser criado um novo fundo. Os políticos deveriam se contentar com a regra de financiamento privado de pessoas físicas que foi usada nas eleições municipais do ano passado. Mas a criação do fundão é quase consenso na Câmara. Só há dúvida em relação a fixar o valor de R$ 3,6 bilhões, que equivaleria a 0,5% das receitas correntes líquidas da União.


O custo da campanha



Carlos Brickmann

Imaginemos que o caro leitor queira se candidatar a deputado por Minas. É honesto, competente, mas não famoso, como Tiririca; e não tem um reduto próprio, como o sindicalista Paulinho da Força. Terá de fazer campanha em 853 municípios, montar uma frota (cada carro com quatro funcionários, dois motoristas e dois pregadores de cartazes, em dois turnos), pagando pneus, combustível, seguro, consertos, alimentação e hospedagem de toda a equipe.

Terá de imprimir cartazes anunciando a candidatura.

Precisará de cabos eleitorais, sempre pagos.

Pense no custo. O voto distrital reduziria os gastos. Claro que o desenho dos distritos vai gerar chiadeira. Quem foi eleito pelo atual sistema não quer outro que possa lhe causar problemas.

Mas ou muda o sistema ou cada candidato dependerá de doadores incapazes de decepcioná-lo – e bem capazes de cobrar por isso.

Mais Notícias : Juiz manda prender executivo solto por Gilmar Mendes
Enviado por alexandre em 18/08/2017 08:03:07

Juiz manda prender executivo solto por Gilmar Mendes


Folha de S.Paulo

O juiz Marcelo Bretas determinou a expedição de novo mandado de prisão preventiva contra o ex-presidente da Fetranspor Lélis Teixeira, para quem o ministro Gilmar Mendes havia concedido um habeas corpus há pouco.

A decisão do magistrado de primeira instância foi motivada por uma dúvida suscitada pela supervisora da 7ª Vara Federal Criminal em relação à decisão de Bretas, que determinou buscas e apreensões em endereço ligados ao ex-deputado Rodrigo Bethlem.

No despacho, datado do dia 7 de agosto, o magistrado determinou a "manutenção da prisão preventiva de Lélis Teixeira", em razão das mensagens trocadas com Bethlem sobre supostos conluios na atual administração municipal, de Marcelo Crivella (PRB).

Nesta quinta-feira (17), a supervisora afirmou ter ficado em dúvida "se é necessária a expedição de novo mandado de prisão". Em nova decisão, Bretas determinou a emissão do novo documento, "tendo em vista que se trata de novos fundamentos, desta feita relacionados à Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro".

Tanto a dúvida, como a decisão, foram protocoladas no sistema da Justiça Federal do Rio após a divulgação do habeas corpus concedido por Gilmar Mendes.

Mais Notícias : Bolsonaro leva ovada durante visita a SP
Enviado por alexandre em 18/08/2017 08:02:23

Bolsonaro leva ovada durante visita a SP

Postado por Magno Martins

Deputado prestou queixa em uma delegacia da cidade paulista

Jornal do Brasil

Na tarde desta quinta-feira (17), durante uma visita ao município de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) foi hostilizado e atingido por uma ovada de uma manifestante.

Em um vídeo que circula nas redes sociais é possível ver o momento em que o deputado está caminhando pelas ruas do Centro da cidade.

O momento da agressão aconteceu quando Bolsonaro posava para fotografias com apoiadores. Nessa hora, a manifestante tocou no ombro dele e estourou um ovo contra o peito do político, proferindo críticas à sua postura política.

Após a ovada, a mulher foi detida e Bolsonaro deixou o local rumo à uma delegacia registrar o boletim de ocorrência.

Mais Notícias : Justiça cancela entrega de título honoris causa a Lula
Enviado por alexandre em 18/08/2017 08:01:16

Justiça cancela entrega de título honoris causa a Lula

Postado por Magno Martins

Correio Brasiliense

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Nordeste nem começou e já tem a primeira pedra no caminho do petista. A Justiça Federal deferiu a liminar cancelando a entrega do título de doutor honoris causa ao ex-presidente concedido pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), criada na gestão do petista, em 2005. A cerimônia para homenagear o petista estava marcada para ocorrer amanhã, no município de Cruz das Almas, e é um dos roteiros do tour do petista pela região.

A determinação, do juiz Evandro Reimão dos Reis, da 10.ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária da Bahia, estipula a suspensão do evento para esta "ou outra qualquer data". "A solenidade encontra-se marcada para o dia 18/08/2017 e sua realização frustra a prestação jurisdicional, porquanto, acaso procedente a pretensão, não será possível retroceder no tempo para desconstituir a solenidade", diz o magistrado.

O recurso foi apresentado pelo vereador soteropolitano Alexandre Aleluia (DEM). Ainda de acordo com o juiz, o ofício será encaminhado para a Polícia Federal, "para que (a PF) esteja presente na data e local anunciados da entrega da honraria e, em caso de descumprimento desta decisão, adote as medidas cabíveis"

O Instituto Lula e a universidade por enquanto não vão se pronunciar sobre a decisão.

Militantes anti-Lula presos com arma em Salvador




17/08/2017- Bahia- A VIAGEM DO EX-PRESIDENTE PELO NORDESTE- Lula chega a Bahia Foto: Ricardo Stuckert ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Folha de S.Paulo – Catia Seabra e João Pedro Pitombo

Cinco militantes anti-Lula foram detidos pela Polícia Militar da Bahia na noite desta quinta-feira (17) após um deles sacar uma arma durante chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Salvador.

Adjalbas Pereira (que se identificou para a Folha como sendo policial) foi detido, segundo o major responsável pela segurança do ato. E será submetido a exame para confirmar se havia atirado para o alto no momento em que a van de Lula passava diante da calçada onde os cinco carregavam faixas em favor de intervenção militar no Brasil.

Lula chegou a Salvador às 16h30. E pegou metrô para chegar à Arena Fonte Nova. No trem, viajou na cabine.

No meio do caminho, um grupo exibia faixas contra o ex-presidente. Policiais cercaram os manifestantes para que não houvesse confronto com apoiadores de Lula.

Segundo os policiais, um deles sacou a arma. Pereira e Marcelo Vasconcelos (que se identificou como blogueiro) já haviam discutido com petistas horas antes, dentro da estação onde Lula era aguardado.

Diante da Arena Fonte , um manifestante de apelido Jarrão também foi detido sob acusação de porte de armas.

Ele e cerca de 30 manifestantes anti-Lula faziam um protesto em frente ao estádio. Diante de um boneco gigante do "pixuleko", um repetia em um carro de som que todos de vermelho eram vagabundos.

O boneco foi destruído até a dentadas.

« 1 ... 3 4 5 (6) 7 8 9 ... 11779 »