Mais Notícias - PT só com chances em duas capitais - Notícias
« 1 ... 3 4 5 (6) 7 8 9 ... 10135 »
Mais Notícias : PT só com chances em duas capitais
Enviado por alexandre em 24/08/2016 08:30:33

PT só com chances em duas capitais

Em 17 capitais que o Ibope realizou a primeira pesquisa de intenção de voto, o PT só aparece com chances de ganhar ou disputar um segundo turno no Recife, com o ex-prefeito João Paulo, e em Porto Alegre, com Raul Pont. Em São Paulo, principal colégio eleitoral do País, o prefeito petista Fernando Haddad está longe de sonhar com a reeleição. Ali, quem lidera é o deputado Celso Russomano (PRB), seguido por Marta Suplicy (PMDB). No Rio, segundo maior colégio eleitoral, quem está na dianteira é o Pastor Crivella, também do PRB.

Em Belo Horizonte, o PT não tem nem candidato. O preferido é o tucano João Leite. No Nordeste, com exceção do Recife, o PT sumiu. Em Salvador, lembrado por 68% dos eleitores ouvidos pelo Ibope, o prefeito ACM Neto, do DEM, só perde se houver uma hecatombe. Em Fortaleza, capital do Estado do Ceará, governador pelo petista Camilo Santana, quem aparece na frente é o pedetista Alberto Cláudio, o Capitão, do PR, vem em segundo e a petista Luizianne Lins é a última colocada.

Em Maceió, o candidato do PT, Paulão, aparece com apenas 3%. A briga está polarizada entre o prefeito Rui Palmeira (PSDB) e o peemedebista Cícero Almeida, enquanto em Natal o prefeito Carlos Eduardo (PDT) se apresenta na liderança com 36%, estando o candidato do PT, Fernando Mineiro, com apenas 4%. Já em Teresina, capital de um Estado também governado por um petista, Wellington Dias, quem está à frente das pesquisas é o prefeito Firmino Filho, do PSDB, candidato à reeleição.

Em João Pessoa, o prefeito Luciano Cartaxo, que lidera com folga, poderia ser outra exceção do PT, mas deixou o partido no meio mandato desapontado com os escândalos federais. No Sul, em Florianópolis a prefeita Ângela Amin, do PP, tem amplas chances de garantir mais um mandato, sem que o PT tenha apresentado sequer um nome para entrar na disputa. No Norte, o PT também está em frangalhos em Manaus, cujo favorito é o prefeito Arthur Virgílio, e em Porto Velho quem lidera é o trabalhista Léo Moraes.

Surpreendentemente, na cidade onde Lula vive em uma luxuosa cobertura, o caminho para o candidato do PT chegar ao Paço Municipal se mostra um dos mais difíceis até o momento. Maior cidade da região, São Bernardo é administrada pelo ex-ministro de Lula, Luiz Marinho, que encerra em 2016 o segundo mandato na cidade e tenta agora eleger seu sucessor, o secretário de Serviços Urbanos, Tarcísio Secoli.

O fraco desempenho dos candidatos do PT nas capitais está relacionado aos escândalos no Governo Dilma, herdados da era Lula, sendo o maior a operação Lava Jato. Diante disso, conforme o Ibope já identificou, 2016 tem tudo para ser o ano mais difícil da história da sigla em embates eleitorais. Tanto porque sua imagem foi profundamente desgastada pelas investigações, como pela crise econômica que levou o governo Dilma a uma aprovação nanica, perto de 10%.

TETO DE GASTOS – Em conversa com o presidente da comissão especial da PEC do Teto de Gastos na Câmara, Danilo Forte (PSB-CE), o presidente em exercício Michel Temer pediu prioridade na tramitação do texto. Segundo o deputado, essa é uma medida considerada fundamental pelo Governo, que quer a conclusão da tramitação até o fim do ano. Temer pediu para que fosse mantido o formato original da proposta. A expectativa, segundo o deputado, é que depois das eleições municipais, a proposta seja aprovada na Câmara e até o fim do ano pelo Senado.

Briga com PSDB radicalizou– A volta do deputado André de Paula, presidente estadual do PSD, à Câmara dos Deputados, tem a ver com a decisão do PSDB de bater fofo no acordo para apoiar a reeleição do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB). O sétimo suplente, atualmente no exercício do mandato, é o ex-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho, de DNA tucano. O Governo avaliou que o PSDB fez uma opção de candidatura própria no Recife para atrapalhar a reeleição de Geraldo e tem que ser tratado como adversário.



Só líderes na tribuna– Os senadores tucanos defenderam que apenas os líderes partidários discursem na sessão do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A decisão foi tomada, ontem, após reunião com ministros da articulação política do Governo Michel Temer. A ideia é encurtar a conclusão do julgamento, que começará amanhã. Aliados de Dilma Rousseff, no entanto, buscam estender ao máximo a sessão, na esperança de reverter alguns votos. O Palácio do Planalto prevê, pelo menos, 60 votos favoráveis ao impeachment.

Acompanhamento de pesquisas–Assim como nas eleições de 2014 e 2012, neste ano será possível acompanhar a divulgação de pesquisas eleitorais do Ibope Inteligência pelo smartphone e tablet. Isso porque a empresa lançou, ontem, uma nova versão do aplicativo que apresenta os resultados das pesquisas de intenção de voto. Com um visual totalmente remodelado e novas ferramentas em relação à eleição passada, o Ibope Eleições torna mais simples e prático o acesso às pesquisas eleitorais da empresa. A novidade, desta vez, é que as informações serão disponibilizadas no momento em que forem divulgadas pelos clientes.

À caça dos indecisos– Na semana em que o plenário do Senado iniciará o julgamento final da presidente afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment, o presidente em exercício, Michel Temer, tem dedicado sua agenda à intensificação do corpo a corpo com os senadores. Em dois dias, a agenda oficial de Temer incluiu reuniões com nove parlamentares que votarão no julgamento de Dilma. Na manhã de ontem, por exemplo, o presidente em exercício recebeu, no Palácio do Planalto, os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), João Alberto Sousa (PMDB-MA) e Roberto Rocha (PSB-MA).

CURTAS

NEGATIVA– O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que não houve vazamento de informações do Ministério Público Federal sobre termos da negociação para um acordo de delação premiada entre o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, e o MP. Reportagem da revista "Veja" aponta uma suposta citação ao ministro Dias Toffoli, que teria sido mencionado pelo presidente da OAS, Léo Pinheiro, nas negociações com procuradores do Ministério Público de uma eventual delação premiada do empreiteiro.

OBRIGADO, GENTE! – De coração, agradeço todas as mensagens carinhosas e emocionantes que recebi ao longo do dia de ontem pela passagem do meu aniversário. Partiram de leitores do blog, ouvintes do programa Frente a Frente e de uma legião de anônimos que acompanha o meu trabalho. Confesso que isso é extremamente gratificante. É o combustível que necessitamos para continuar na luta incessante por notícias.

Perguntar não ofende: Qual vai ser o placar da cassação do impeachment: 59, 60 ou 61 votos?

Regionais : Comissão de Segurança Pública ouve comandante de batalhão de Vilhena
Enviado por alexandre em 23/08/2016 20:14:59


Comissão de Segurança Pública ouve comandante de batalhão de Vilhena

Coronel falou sobre o caso dos policiais militares que foram despromovidos

A Comissão de Segurança Pública (CSP) da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Jesuíno Boabaid (PMN), esteve reunida na manhã desta terça-feira (23) para tratar do processo de denúncia de Elias Júlio da Silva Filho, Darci Alves e Rozária Rodrigues de Morais, referente ao curso de sargento PM, no qual participaram, foram promovidos e após alguns meses, veio ordem para despromoção.

Também participaram da reunião os deputados Dr. Neidson (PMN) e Lazinho da Fetagro (PT). Dos convidados para depoimento, somente o comandante do 3º Batalhão de Vilhena, coronel Rildo José Flores, compareceu.

O deputado Jesuíno iniciou questionando ao comandante sobre o caso dos soldados da Polícia Militar que participaram do curso de sargento, foram promovidos, chegaram a desempenhar a função, mas que foram posteriormente surpreendidos com a despromoção.

O coronel Rildo confirmou conhecer o caso e que teria recebido e-mail da diretoria de pessoal da PM informando da despromoção dos três policiais militares. Disse que a legislação dos policiais e praças só trata das promoções e que em momento algum prevê a despromoção, sendo esta atípica, tendo conhecimento de apenas um caso na corporação e que ocorreu por ordem judicial, não por questões administrativas.

O comandante frisou que no Estatuto dos Policiais Militares, no artigo 84, § 4º, prevê que o policial que for promovido indevidamente permanecerá na graduação e será contado como o mais moderno dentre os que estão aguardando promoção por antiguidade.

Complementou afirmando que seis ou sete fizeram o concurso sob liminar e que o coronel Nilton Kisner fez a promoção com autonomia da administração pública, que pode rever seus atos quando for necessário.

O deputado Jesuíno disse que, quando houve a promoção de forma administrativa, também ocorreu o reconhecimento tácito por parte da administração e eles desistiram da demanda judicial. “Se for provado que houve mudança no parecer jurídico, quem fez esta alteração responderá por improbidade administrativa e até por crime militar, pois isso pode ter levado o Estado ao erro”, assegurou.

Ao final, ficou deliberada a convocação para o dia 30, às 8h30, no Plenário da Assembleia Legislativa, sob pena de não comparecimento de responderem por crime de responsabilidade, do procurador do Estado que atua no processo, do subcomandante da Polícia Militar, coronel Clayrton Pereira da Silva, do coronel Nilton Gonçalves Kisner, que está já na reserva remunerada, e do coronel Alexandre Luiz de Freitas Almeida.

DECOM ALE/RO

Regionais : Expedito Netto pede apoio de Kassab aos candidatos de Rondônia
Enviado por alexandre em 23/08/2016 20:13:30


Expedito Netto pede apoio de Kassab aos candidatos de Rondônia

Na oportunidade, o parlamentar solicitou a liberação de rádios e TVs para o estado.

O Deputado Federal Expedito Netto (PSD/RO) esteve nesta terça-feira (22) com o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), para solicitar apoio político aos seus candidatos dos municípios de Rondônia e tratar sobre as concessões de rádios e TVs do estado.

Na ocasião, o parlamentar cobrou a inclusão da Associação de Radiodifusão Comunitária de Nova Califórnia no Plano Nacional de Outorga* 2017/2019 e solicitou mais agilidade na análise de renovação de outorgas de Rádio e TV para o estado de Rondônia. “O ministro se comprometeu em atender esta demanda, pois as rádios, principalmente nos distritos, são os principais veículos de comunicação. Nova Califórnia precisa deste meio para divulgar sua cultura, seus eventos e tradições”, enfatizou Expedito.

Sempre empenhado em trabalhar pelos munícipios do estado, Expedito Netto visitou, na última semana, 20 municípios para conversar com a população e falar com seus líderes políticos sobre a importância de realizarem uma campanha limpa e em prol das reais carências do povo.

“Para administrar um município é necessário estar próximo da população, sentir as reais necessidades de cada local e trabalharmos cada aspecto. O apoio do ministro vem no momento certo para fortalecermos nossas bases no estado e promovermos o crescimento do partido em nosso estado”, declarou deputado.

*Plano Nacional de Outorgas (PNO’s) - São documentos que apresentam para a sociedade todas as localidades que serão contempladas com a oportunidade de novas outorgas em cada um dos serviços de Radiofusão. Ele foi criado com intuito de dar mais transparência à sociedade sobre os processos e procedimentos necessários para que as localidades sejam contempladas com oportunidades de novas outorgas.

ASCOM

Regionais : Presidente do PHS compra carro com dinheiro do fundo partidário, acusa revista
Enviado por alexandre em 23/08/2016 17:53:15


Presidente do PHS compra carro com dinheiro do fundo partidário, acusa revista


Por Redação Bocão News | Fotos: Reprodução

A situação não anda nada mal para o presidente nacional do PHS, Eduardo Machado. De acordo com informações da coluna Expresso da revista Época, o dirigente partidário usou o dinheiro do fundo do partido para comprar uma luxuosa caminhonete Ford Ranger no valor de R$ 170 mil. Não sendo o bastante, torrou o dinheiro em uma concessionária que pertence ao seu tio.

À revista o dirigente largou: “Pagamos preço de mercado. Teve até desconto”.

Apesar de ser emplacada em Brasília, a caminhonete Ford Ranger foi multada duas vezes na região metropolitana de Goiânia. Machado é secretário de Estado em Goiás.

Brasil : PORTO VELHO
Enviado por alexandre em 23/08/2016 17:41:24


Seca do Madeira traz prejuízos a empresários do ramo de embarcações

Rondônia Dinâmica percorreu a zona portuária de Porto Velho buscando a versão dos empreendedores em relação à diminuição dos níveis do Rio Madeira. Um deles foi enfático ao responsabilizar a operação das usinas


As margens secas do Rio Madeira / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

Texto.: Rondônia Dinâmica
Informações e fotos por.: Gregory Rodriguez, repórter itinerante

Porto Velho, RO – A Capital de Rondônia, apesar de relegada ao esquecimento pelo poder público, com todo seu patrimônio histórico-cultural negligenciado pelas mais diversas autoridades, ainda tem na natureza o maior presente que poderia ser concedido à sua população tão carente de atrativos: o Rio Madeira, com suas funções primordiais e a beleza rústica imponente.

Mas o Madeira, com ou sem influencias externas, costuma apresentar comportamento violento, desencadeando consequências devastadoras, a exemplo da cheia de 2014 que inundou Porto Velho e outras regiões deixando inúmeras pessoas sem moradia.


A solitária travessia em águas rasas / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

Agora, o problema é o inverso: a seca. E esse desequilíbrio afeta igualmente a sociedade. Turisticamente, com o aumento do tempo na travessia entre capitais, como da cidade das Três Caixas D’Água à Manaus; na recreação, com os perigos impostos à navegação com a baixíssima quantidade de água e até no escoamento e chegada de produtos pela via fluvial.

Tudo isso pesa no cotidiano do rondoniense.


Pescadores avaliam seu itinerário / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

Uma classe específica, a de empresários do ramo de embarcações, tem sido afetada no âmago da subsistência. Andrews Souza, proprietário de um barco de passeios turísticos e recreativos, que acumula a função de frete, informou ao Rondônia Dinâmica que seu sustento está prejudicado.

Souza foi enfático ao atribuir responsabilidade à operação das usinas instaladas no Rio Madeira, uma vez que, de acordo com ele, na mesma época em anos anteriores o nível estaria bem maior, propiciando a navegação adequada longe de prejuízos.


Andrews Souza culpa operação das usinas pela seca / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

“O período vazante do Rio Madeira começou mais cedo. Esse impacto veio por conta das barragens das usinas. Para a gente [a seca] é prejudicial. Os canais ficam restritos e aí as pessoas jogam na mídia que aqui [rio] é perigoso, principalmente para viajar à noite, que a visibilidade fica mais difícil”, disse.

Em seguida, o empresário enfatizou que, para quem trabalha no setor, há prejuízos incontáveis porque as pessoas ficam com medo de fretar o barco em decorrência dos riscos e perigos destacados na imprensa. Na visão do empreendedor, é impossível trabalhar nessa situação. Ele garantiu que nesta época do ano o Rio Madeira deveria estar mais cheio.

“Através do impacto das usinas a seca foi bem maior este ano”, acusou.


Embarcação turística e recreativa está parada / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

Redução de 50% na procura dos serviços; barco está encostado

Andrews Souza revelou que a diminuição na procura pelos seus serviços chega a 50%, comparando com os mesmos períodos nos últimos anos.

“Reduziu pela metade a procura pelos serviços. Nesta época a gente era bem mais procurado. O barco está parado praticamente há quase um mês. A seca influencia a [falta de] procura. Estou sendo bem prejudicado”, asseverou.

Já sobre os perigos na navegação, apontou:

“Na realidade, não estou mentindo. Está perigoso sim. A gente viaja quando aparece um frete. A gente viaja à noite, mas fica com medo. A gente vai devagar. A gente vai com atenção. Toda semana um colega fica encalhado. Semana passada mesmo me pediram ajuda para desencalhar um barco. Não tive como ajudar, infelizmente. São três pontos críticos nesta época: aqui no Tamanduá, próximo à região do Belmont, Curicatas e Papagaio, tudo dentro de Rondônia”, finalizou.


A culpa é do garimpo, diz dono de barco pesqueiro

Braz Queiroz, dono da embarcação ‘Rei da Vitória’, cargueiro que transporta peixe até Manaus, disse que o tempo de navegação passou de 84 para 120 horas. Ou seja, a travessia que levava em média três dias e meio agora chega a perdurar cinco dias completos.

Diferentemente de Andrews Souza, Queiroz responsabiliza a prática do garimpo indiscriminado no Rio Madeira, indicando erosão à margem do leito.




“O consumidor reclama bastante como se a responsabilidade fosse nossa. Estamos demorando a entregar a carga e corremos o risco de perder nossos contratos”, reclamou o proprietário do pesqueiro que tem o Carrefour como maior expoente entre os clientes no Amazonas.

Apontando para o barranco, Queiroz salientou:

“A terra cobre o barranco. Para onde vai essa terra? Pô..., será que essa gente não sabe fazer outra coisa [a não ser garimpar]? Meu transporte reduziu em quase 20%. O barco tem capacidade para carregar de quarenta e cinco a cinquenta toneladas por viagem, mas precisei diminuir a carga para trinta. Caso contrário a embarcação pesa muito e acaba encalhando. O comprador está nos esperando e o consumo lá é rápido. Chegamos na terça ao destino da entrega, quinta-feira já não há mais peixe”, alegou.


A visão panorâmica de um rio ressacado / Foto: Gregory Rodriguez (Rondônia Dinâmica)

Abaixo, a Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH), que pertence ao Governo do Estado, apresenta a versão administrativa para a questão respondendo às dúvidas mais corriqueiras acerca do tema.


1) O Rio Madeira apresenta este ano um dos menores níveis de água, com o aparecimento de bancos de areia, que prejudicam a navegação. Qual foi o menor nível registrado em 2016? E o menor desde o início do cômputo?

R: Os índices dos níveis do rio Madeira que são registrados diariamente pela SOPH há muitos anos. Em 2016 o menor índice registrado até o momento ocorreu no dia 16 de agosto com 2,24m. Hoje a medida é de 2,93m. Houve um repiquete. O menor registro da série ocorreu em 2005 com 1,63m (10/09/2005).

2) O baixo nível da água reduziu o tempo de viagem e o volume de cargas entre Porto Velho e Manaus e o porto de Itacoatiara?

R: Sim. Em condições navegáveis o trecho Porto Velho-Manaus é feito em três dias. O caminho inverso é de cinco dias. Na época da vazante o trecho Porto Velho- Manaus passa para cinco dias, enquanto que o inverso pode levar até sete dias.

O que acontece é que as empresas, sabendo das condições da região, já fazem o planejamento para escoamento de grãos e esse período coincide com o período da entressafra. Esse planejamento consiste em reduzir a quantidade de carga levada em cada viagem. Por exemplo, uma balsa tem condições de levar até 2 mil toneladas de grãos, na época da seca, essa capacidade é reduzida pela metade e cada balsa leva mil toneladas. As balsas menores, com capacidade para transportar 800 toneladas, são reduzidas pela metade e transportam apenas 400 toneladas.

Um rebocador leva de 16 a 20 balsas em comboio. Atualmente, esses barcos já dispõem de equipamentos com altíssima tecnologia (sonar e carta batimétrica on-line) e os navegadores conseguem identificar banco de areia ou pedral com antecedência, evitando acidentes. Para transpor a limitação natural de um banco de areia, por exemplo, eles desfazem o comboio antes, passam com uma balsa de cada vez e remontam o comboio posteriormente, permitindo prosseguir com a viagem.

É válido ressaltar que neste período de baixa do rio, a Capitania dos Portos é quem tem jurisdição para definir a permissibilidade da navegação, pois o rio Madeira é federal. Neste momento, está proibida a navegação noturna. Cabe à Marinha também a fiscalização.

3) Quais são os principais produtos (e respectivas quantidades) transportados pela hidrovia do Madeira? Houve redução na quantidade de carga transportadas? Em que percentual?

R: Principais produtos que são enviados: Soja e Milho, recentemente o Porto Público retomou a movimentação de madeira em container. Principal produto recebido: fertilizante.

Mas também saem/chegam as cargas denominadas cargas gerais: açúcar, café, óleo, arroz e etc.

A redução que acontece na movimentação portuária nesta época do ano já é esperada/planejada.

4) A cheia de 2014 provocou uma movimentação grande de sedimentos no rio Madeira. Este fenômeno afetou a navegabilidade do rio? A atuação de centenas de garimpeiros que atuam ilegalmente ao longo do rio também afefa a navegação?

R: O regime portuário de Porto Velho é composto por 16 portos, sendo um o porto público e outro o IP4 que é aquele do Cai n’água, sob a responsabilidade da prefeitura. Os demais são TUP’s – Terminais de Uso Privado. Na época da cheia de 2014, todos ficaram submersos, exceto o Porto Público que teve condições de atender toda a demanda, evitando assim o desabastecimento. A navegabilidade não é influenciada pela cheia, na verdade, facilita, evitando qualquer tipo de acidente com bancos de areia.

Contudo, neste período acontece a descida dos troncos, que podem causar acidentes. Um grupo de trabalho foi montado para encontrar uma solução para o problema. Compõem esse grupo: SOPH, Antaq, Sedam, Fenavega, Ibama e a Frente Parlamentar de Defesa dos Portos e hidrovias.

A atuação dos garimpeiros traz risco à navegação, pois além de assorear o rio Madeira e contaminar o leito com mercúrio, elas ficam estacionadas no meio do rio até mesmo no período noturno, ou passam muito perto de balsas que transportam derivados de petróleo.

5) Proprietários de transportadoras reclamam da demora nos trabalhos de dragagem no rio Madeira, uma dificuldade que já se tornou corriqueira nos últimos anos. A falta da dragagem prejudica a navegação? Quando foi feita a última dragagem? Quando será feita a próxima?

R: Em 2013 foi feita uma licitação para dragagem do rio, contudo, a empresa vencedora da licitação iniciou a operação em Setembro, quando o rio já tem calado suficiente para navegabilidade, além de retirar o sedimento do fundo do rio num local e despejar dentro do próprio leito em um local mais abaixo. Denúncias foram feitas naquela época e o processo foi suspenso. Em 2016 foi realizada nova licitação e a empresa está na fase de certificação da documentação. Este contrato é de cinco anos. A dragagem do rio é competência do Dnit. E a expectativa é que em 2017 a empresa já possa atuar e evitar tais transtornos com a seca do rio.

6) Serviços de meteorologia indicam que a estiagem ainda vai prevalecer pelos próximos dois meses. Uma redução maior do nível do rio poderá comprometer a navegação e o transporte de cargas no Madeira? A Soph tem registros de situações semelhantes a que está ocorrendo neste ano em anos anteriores? Existe o perigo de desabastecimento de produtos tanto para Porto Velho como para Manaus?

R: Sim, há registros. Com relação ao comprometimento da navegação e o desabastecimento de produtos pode acontecer se o rio ficar abaixo de 1,90m, uma vez que até 2,0m é possível navegar com cautela. O calado ideal é de pelo menos 4,50m.

Para evitar acidentes e encalhes nos bancos de areia, as empresas reduzem a capacidade das balsas, como informado anteriormente.

O desabastecimento pode ocorrer em Porto Velho com a falta do combustível que vem de Manaus, elevando o preço do produto, pois o frete também sobe. E Manaus poderia ficar sem abastecimento de frios, hortifrúti e carnes que são levados daqui para lá.


« 1 ... 3 4 5 (6) 7 8 9 ... 10135 »