Política - CRITICA BRANDA - Notícias
(1) 2 3 4 ... 1310 »
Política : CRITICA BRANDA
Enviado por alexandre em 27/05/2022 00:15:40

Moro critica morte em viatura da PRF e diz que foi exceção

Nesta quinta-feira (26), o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, criticou a ação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que resultou na morte de um homem em Sergipe. Moro, no entanto, disse acreditar que o caso foi uma exceção e que conheceu de perto o trabalho da corporação.

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, veio a óbito por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda. Ele foi imobilizado por agentes da PRF e posto dentro do porta-malas de uma viatura com gás. O caso ocorreu na quarta-feira (25) na BR-101, no município de Umbaúba, litoral de Sergipe.

Leia também1 Moro avisa que é pré-candidato ao Senado por São Paulo
2 MPF dá 48h para polícia explicar morte em viatura da PRF no SE
3 PRF afasta agentes envolvidos em morte de homem em Sergipe
4 Jair Bolsonaro comenta sobre homem morto em viatura da PRF
5 "Bolsonaro copia o nazismo", diz Renan Calheiros ao falar sobre morto em viatura da PRF

Em nota divulgada nesta quinta, a PRF disse que “está comprometida com a apuração inequívoca das circunstâncias relativas à ocorrência no estado, colaborando com as autoridades responsáveis pela investigação”.

Para o ex-ministro, a violência policial é rara e os culpados devem ser punidos.

– Lamentável ação em Sergipe de 2 policiais da PRF. Mas que não se tome exceção como regra. Conheci de perto a PRF quando Ministro. São profissionais valorosos e a violência policial é rara. Que tudo seja apurado e os culpados, punidos. Meus sentimentos à família do sr. Genivaldo – afirmou.

Política : PERDEU A LINHA
Enviado por alexandre em 27/05/2022 00:10:33

Ciro chama parte dos eleitores de Bolsonaro de nazistas

Ao ser questionado sobre o amplo apoio popular ao presidente Jair Bolsonaro (PL), o pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), taxou parte dos eleitores do atual chefe do Executivo como “nazistas e fascistas”. De acordo com ele, a outra parcela vota no presidente não porque se identifica com ele, mas porque teme o retorno do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder.

– O Brasil tem 10%, 12%, 15%, de eleitores que se identificam com Bolsonaro. São nazistas mesmo, fascistas. São anticiência, são homofóbicos. Acreditam na terra plana, exploram a religiosidade popular, exploram os temas da moral popular – disparou o presidenciável durante entrevista à rádio CBN.

Leia também1 Fux diz que "PM deve satisfações" ao STF sobre operação no Rio
2 Bolsonaro: Joe Biden congelou relação dos EUA com Brasil
3 Torcedores brasileiros sofrem racismo em jogo na Argentina
4 Bolsonaro aponta que pode vetar projeto que define teto do ICMS
5 TSE aprova 2 federações: PSDB com Cidadania, e Rede com PSOL

Ele ainda falou do eleitorado de Tarcísio, que é pré-candidato ao governo de São Paulo.

– Isso são 10%, 12%, o que explica por que o Tarcísio, um cara do Rio de Janeiro, chega aqui em São Paulo e, só porque é candidato do Bolsonaro, já está rivalizando com os primeiros – prosseguiu.

O pedetista também se colocou como resposta para a parte dos eleitores de Bolsonaro que não quer Lula de vota ao Planalto.

– Quase um terço do eleitorado do Bolsonaro diz que vai votar no Bolsonaro porque não quer o Lula e o PT de volta, apesar de estar muito frustrado, decepcionado e tal. Eu me animo de que eu possa ser a resposta para essas pessoas não se obrigarem a votar [neles], porque tenho chance, realmente, de apresentar um projeto para o Brasil – assinalou.

Política : ESGOTANDO!
Enviado por alexandre em 27/05/2022 00:08:24

Estamos esgotando tudo dentro das 4 linhas da Constituição, diz Bolsonaro

Em conversa com jornalistas nesta quinta-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) e fez um alerta para um esgotamento de “tudo dentro das quatro linhas da Constituição”. Para Bolsonaro, Moraes é “totalmente parcial”.

– Estamos esgotando tudo dentro das quatro linhas da Constituição. Você tem alguma dúvida de que há abuso de autoridade para comigo? – indagou.

Leia também1 Bolsonaro sobre pedido de Biden: "Vou para resolver assuntos"
2 Jair Bolsonaro comenta sobre homem morto em viatura da PRF
3 Guedes: Se reeleito, Bolsonaro fará reformas e privatizações
4 Bolsonaro autoriza convocação de aprovados para PF e PRF
5 Zoe e Adrilles rebatem Noblat sobre ação no RJ: "PM tem que morrer também?"

Bolsonaro então perguntou se Moraes queria “uma ruptura”.

– Quando a gente pensa que vai resolver, complica a situação. O que quer o senhor Alexandre de Moraes? Ele quer o confronto? Uma ruptura? Por que ele ataca tanto a democracia? – questionou.

Ao final, o presidente disse que não chegou a disparar nenhum ataque.

– Totalmente parcial. Não tenho dúvida disso. Os próprios atos dele bem demonstram. Você não vê um ataque meu – apontou.

Bolsonaro reservou um espaço em sua agenda na manhã desta quinta para gravar imagens para sua campanha à reeleição.

Política : FALA MUITO!
Enviado por alexandre em 25/05/2022 09:13:14

Barroso pode ter impeachment por fala sobre às Forças Armadas

Senador Luis Carlos Heinze apresentou um pedido de investigação contra o ministro por "crime de responsabilidade"


Senador Luis Carlos Heinze
Senador Luis Carlos Heinze Foto: Agência Senado/Jane de Araújo

Nesta terça-feira (24), o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) apresentou um pedido de impeachment do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), por declarações sobre as Forças Armadas. O parlamentar protocolou o requerimento ao Senado pedindo uma investigação por um “crime de responsabilidade” por parte do ministro.

A fala de Barroso ocorreu no dia 24 de abril, durante um evento evento virtual promovido pela universidade alemã Hertie School, de Berlim. Na ocasião, o ministro disse que havia um movimento político com intenção de usar as Forças Armadas para atacar o processo eleitoral no país.

Leia também1 Bolsonaro recorre ao STF para plenário julgar ação de Moraes
2 STF: PGR quer arquivar 2 ações da esquerda contra Bolsonaro
3 Ricardo Lewandowski é cotado para ministro da Justiça de Lula
4 Lula sobre Moro réu: "Que tenha direito de defesa que eu não tive"
5 "O presidente deu a ordem por uma live", diz Ramos, destituído

– É preciso ter atenção a esse retrocesso cucaracha de voltar à tradição latino-americana de colocar o Exército envolvido com política. É uma péssima mistura para a democracia e uma péssima mistura para as Forças Armadas – apontou.

Para Heinze, no entanto, a fala de Barroso “sem apresentar provas, caracteriza comportamento incompatível com a honra, dignidade e decoro do cargo que ocupa”. O senador apontou ainda que a “conduta do magistrado pode ser considerada atividade político-partidária, caracterizada como crime de responsabilidade previsto no art. 39 da lei 1079/50”.

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: STF/Nelson Jr

Política : DESISTIU
Enviado por alexandre em 25/05/2022 09:10:40

Tiririca não disputará a eleição por perder o nº para Eduardo Bolsonaro
Nesta terça-feira (24), o deputado federal Tiririca (PL-SP) voltou a lamentar o fato de ter perdido seu número para o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e afirmou que não irá concorrer à reeleição. Em entrevista ao portal G1, ele disse que se sentiu “traído e desgostoso” com o Partido Liberal (PL) por causa da decisão.

Tiririca foi eleito em 2010 utilizando o número 2222 e, desde então, mantém a numeração nas eleições. Já Eduardo Bolsonaro se filiou ao PL neste ano, seguindo seu pai, o presidente Jair Bolsonaro. Este ano, no entanto, a sigla decidiu que Eduardo é quem ficará com o número.

Leia também1 Antonia conta detalhes de 1ª entrevista com Bolsonaro
2 Bolsonaro sanciona Lei Henry Borel, que protege menores
3 Bolsonaro recebe enviado de Joe Biden por Cúpula das Américas
4 Bolsonaro recorre ao STF para plenário julgar ação de Moraes
5 Cunha votará em Bolsonaro: "Representa o que enfrento"

Ao comentar a medida, Tiririca disse que foi “uma covardia”.

– Foi uma covardia o que fizeram. Estou muito chateado e me sinto desrespeitado. Já decidi que não sairei candidato neste ano – revelou.

O deputado ainda afirmou que o PL não o procurou para dar uma justificativa para a troca.

– Achei um gesto desrespeitoso. Por três anos seguidos o número foi meu e conquistei votações expressivas, elegendo vários membros do partido junto comigo. Fiquei sabendo por terceiros que o número foi dado ao filho do Bolsonaro, e eles até agora não me procuraram para dar uma justificativa – apontou.

Campanha de Tiririca Foto: Reprodução/Propaganda Eleitoral na TV

(1) 2 3 4 ... 1310 »