Política - INCOMODANDO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 775 »
Política : INCOMODANDO
Enviado por alexandre em 18/09/2018 08:05:35

 
Movimentação de Mourão irrita aliados de Bolsonaro


Vice na chapa, general sugeriu que fala do candidato sobre urnas eletrônicas fosse relevada

Igor Gielow - Folha de S.Paulo

A frase acentuou o desconforto no entorno de Bolsonaro, que segue internado em São Paulo para recuperar-se do ataque a faca que sofreu no dia 6, com a movimentação de Mourão. Para buscar desanuviar o clima, o general marcou uma visita discreta ao presidenciável no fim da tarde desta segunda no hospital Albert Einstein, onde ele está internado em São Paulo.

Sua fala ocorreu após uma palestra na sede paulistana do Secovi, o sindicato do mercado imobiliário. A entidade havia promovido debate com outros presidenciáveis, mas neste caso a agenda era exclusiva de Mourão. Sua assessoria a marcou, assim como evento em associação bancária que ocorreu na sequência e palestra na Associação Comercial prevista para esta terça (18).

Mourão também descartou a ideia de ilegitimidade do pleito insinuada por Bolsonaro no vídeo divulgado no domingo (16). Ele afirmou que "quem vencer, venceu", ressaltando que "tenho pena do Brasil se o PT vencer", negando a hipótese de contestar uma eventual derrota.

Na avaliação de pessoas próximas da família de Bolsonaro, o protagonismo do general causa ruído e foi uma das motivações para a fala nas redes de 20 minutos do deputado. Mourão já havia irritado os filhos e aliados do presidenciável ao sugerir que poderia substituir o deputado em agendas públicas e debates —seu partido, o PRTB, chegou a consultar o Tribunal Superior Eleitoral sobre a possibilidade.

Mourão minimizou divergências. "O candidato é Jair Bolsonaro, eu sou só seu apêndice", afirmou, dizendo que a participação em debates será uma decisão do presidenciável que, aliás, precisa ser chancelada pelos adversários para ocorrer.

Ao mesmo tempo, afirmou que não seria um vice decorativo. "Terei outras funções", disse, citando coordenação de projetos e comunicação com a sociedade. Nesse sentido, disse que não se chateia com críticas da mídia, mas, a exemplo do pregado pelo PT, defende que "temos de ter outros meios de comunicação para buscar a ponta da linha".

Nos trechos mais políticos de sua palestra, Mourão disse que não há motivos para temer que "o Brasil vá virar a Venezuela" porque os militares brasileiros não o permitiriam. Sem voltar a defender intervenção militar ou "autogolpe" presidencial em caso de anarquia, como já fez de forma polêmica recentemente, ele discorreu sobre a história do país vizinho.

Descreveu a aproximação de elementos comunistas com os militares venezuelanos, "o que gerou o Hugo Chávez". "O Brasil jamais virará uma Venezuela porque nossas Forças Armadas jamais serão cooptadas por um projeto autoritário dessa natureza", afirmou, sem obviamente mencionar a ditadura vigente no Brasil de 1964 a 1985.

Mourão relativizou sua fama de antidemocrático, reforçada pela sugestão da confecção de uma Constituição sem representantes eleitos. "Seria como nos Estados Unidos. Nossa Constituição é terrível, ela abriga de alfinete e foguete. É a mãe de todas as reformas, teremos de lidar com isso", afirmou.

"Me tacharam de antidemocrático. Como disse a uma amiga jornalista, se eu não fosse democrata estaria limpando a arma no quartel", disse. Defendeu "democracia e liberdade" e a necessidade de negociar com o Congresso. "Isso não é ditadura, nem império."

Afirmou ser necessário conscientizar Legislativo e Judiciário da necessidade de colaborar com esforço fiscal. Ali, a negociação terá de ser pela "teoria do Jack, o estripador, vamos por partes".

Aplaudido em diversos momentos, Mourão disse defender que o presidente ganhe bem, mas não tenha nenhuma despesa custeada. Afirmou ser contra levar "cem come-dormes no avião presidencial, fazer escala em Paris para tomar aquele vinho que o cidadão que está em Curitiba [o ex-presidente Lula] gostava"

Política : NO HOSPITAL
Enviado por alexandre em 17/09/2018 09:01:43

Bolsonaro chora e polemiza com o PT

...diz que PT quer fraudar eleição

Deputado fez pronunciamento ao vivo em sua página no Facebook neste domingo (16)

Folha de S.Paulo

Quando o filho, Eduardo Bolsonaro, girou a câmera e a posicionou para que Jair Bolsonaro (PSL) pudesse falar ao vivo de seu leito no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, o Facebook registrava pouco mais de 80 mil pessoas assistindo, neste domingo (16), ao pronunciamento do presidenciável, vítima de uma facada em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro.

Em segundos, o número foi se multiplicando, com picos de mais de 250 mil espectadores ao longo de 20 minutos de transmissão ao vivo.

Falando pausadamente e chorando em alguns momentos, Bolsonaro agradeceu os médicos, à família e, sobretudo, tratou do processo eleitoral.

Sugeriu a possibilidade de fraude nos resultados das urnas como parte de um plano para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) possa deixar a prisão, onde está desde abril.

"O que está em jogo no momento é o futuro de todos vocês. Até o futuro de você que apoia o PT —você é um ser humano também", afirmou o presidenciável, que então começou a tratar do que chamou como o "jogo de poder" e o "domínio de uma nação".

"Você aceitaria passivamente, bovinamente, ir para a cadeia? Você não tentaria uma fuga? Bem, se você não tentou fugir, com tudo ao teu lado, é obviamente porque você tem um plano B. Qual é o plano B desse presidiário? Desse homem pobre, lá atrás, que roubou todas as nossas esperanças? Não consigo pensar em outra coisa a não ser o plano B se materializar numa fraude", disse.

Minutos depois, Bolsonaro afirmou que Fernando Haddad, o candidato do PT, se eleito, "assina no mesmo minuto da posse o indulto do Lula", a quem o adversário nomearia para assumir a Casa Civil. O capitão reformado passou, então, a fazer uma ampla defesa do voto impresso, cuja obrigatoriedade foi rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal, para evitar fraudes nos resultados das eleições.

Não é a primeira vez que o presidenciável do PSL coloca o processo eleitoral sob suspeição. "As eleições, de qualquer forma, estão sob suspeição", disse em julho, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

Na transmissão, o presidenciável também mostrou descrença no resultado das pesquisas eleitorais.

"Pinta nova pesquisa do Datafolha, pelo amor de Deus. O dono do Datafolha discutindo a sua pesquisa na Globonews, a narrativa agora é que eu perderei para qualquer um no segundo turno", afirmou o candidato, que voltou a dizer que a possibilidade de "fraude no segundo turno, talvez até no primeiro, é concreta".

"Se essas fraudes fizessem presidente, nessa tese minha, acabou a democracia", disse.

Dirigindo-se à imprensa ("ninguém mais do que eu tem consideração para com vocês"), que costuma criticar e dizer que publica mentiras a seu respeito, Bolsonaro recomendou a leitura de documentos partidários do PT que tratam de propostas para o controle social da mídia.

"O PT não esconde o que faz mais. Por favor, leiam dois documentos apenas: o primeiro, o caderno de tese do PT de 2015. Depois, o outro documento, a análise da conjuntura de 2016", afirmou.

"Se vocês lerem com atenção esses documentos, entre outras barbaridades, vocês vão ver lá claramente escrito que o PT vai buscar, sim, o controle social da mídia. Vocês vão perder a liberdade. Sei que nem todos têm hoje em dia, quem tem alguma vai perder completamente."

Segundo informou em suas redes sociais, o candidato foi autorizado pelos médicos a fazer o pronunciamento ao vivo.

Bolsonaro está hospitalizado no Hospital Albert Einstein desde 7 de setembro. No mesmo dia, seguinte à facada, ele apareceu falando um vídeo gravado no hospital, divulgado pelo senador Magno Malta (PR-ES), um de seus aliados mais próximos, que então o visitou.

Desta vez, chorou ao relembrar o ataque e a cirurgia de emergência a que foi submetido ainda em Juiz de Fora.

O candidato deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neste domingo (16) e se recupera bem, segundo boletins divulgados pelo Einstein. Ele foi submetido a uma segunda cirurgia na última quarta-feira (12).

O filho Carlos Bolsonaro publicou, mais cedo, um vídeo em que ele aparece caminhando, com apoio, pelos corredores do hospital.

No Facebook, Bolsonaro disse que espera receber alta e voltar para casa em uma semana, "se Deus quiser".

Caso suas previsões se concretizem, afirmou que passará a fazer transmissões ao vivo todas as noites, durante o horário eleitoral.

"Dá para nós, juntos, salvarmos o Brasil. Nós não podemos continuar flertando com a Venezuela. Olha o que está acontecendo com aquele povo, aquele povo é vítima do regime apoiado pelo PT, pelo PC do B e pelo PSOL", afirmou.

Política : FÉ E FORÇA
Enviado por alexandre em 16/09/2018 00:14:53

Bolsonaro em foto no hospital: “Deus no comando”

Candidato faz fisioterapia e segue com quadro clínico estável

O Globo

O candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, publicou uma foto sua no hospital em sua conta do Twitter. "Deus no comando", escreveu ele na tarde deste sábado. Bolsonaro conseguiu realizar, sem maiores problemas, os exercícios de fisioterapia programados para este sábado, segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein.

De acordo com o documento assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo (cirurgião), Leandro Echenique (clínico e cardiologista) e Miguel Cendoroglo (diretor superintendente do Hospital Albert Einstein), o quadro clínico de Bolsonaro segue estável e sem intercorrências.

“Continua em jejum oral, recebendo por via endovenosa todos os nutrientes necessários para sua recuperação. Não apresenta febre ou outros sinais de infecção e realizou os exercícios de fisioterapia com boa tolerabilidade”, afirmaram os médicos no boletim divulgado no início da noite deste sábado.

Bolsonaro quer conquistar o Nordeste pela internet



Bolsonaro quer "bombar" Nordeste em postagens nas redes

Com 26,6% dos eleitores, região registra o pior desempenho do candidato do PSL nas pesquisas.

Talita Fernandes – Folha de S.Paulo

Única região a ficar de fora da agenda de campanha de Jair Bolsonaro (PSL), o Nordeste deve ter uma atenção especial a partir de agora nas postagens feitas pela equipe do candidato nas redes sociais. Bolsonaro, que está impossibilitado de fazer campanha após ter sido esfaqueado, usou sua conta do Twitter para afirmar a importância da região, mencionando seu potencial produtivo.

"Estivemos em Israel e vimos de perto o que eles não tem [sic] e o que eles são, mesmo no meio do deserto. O Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar empregos e prosperar, principalmente quando falamos em agricultura e energia limpa. É onde pretendemos avançar!"

O Nordeste tem 26,63% dos eleitores do Brasil e, antes de Bolsonaro sofrer um atentado, cinco de seus estados estavam no mapa de agendas do candidato.

Uma primeira viagem teria início na última terça (11) e incluiria Pernambuco, Alagoas e Bahia.

A outra visita ficaria para a última semana de campanha antes do primeiro turno e abarcaria o Ceará e a Paraíba.

Paulo Negão, o sogro do Ceará

Bolsonaro queria visitar a cidade de Crateús, no Ceará, que é a terra natal de seu sogro, conhecido como "Paulo Negão". Com essa agenda, ele pretendia dar sequência a uma narrativa na qual tenta desconstruir sua imagem de racista.

Já na Paraíba ele faria campanha ao lado de Julian Lemos, que é vice-presidente do PSL e disputa uma vaga na Câmara dos Deputados.

Com a impossibilidade de viajar, restará agora dedicar ao eleitor nordestino vídeos e postagens.

O candidato vai defender a conclusão de obras importantes para a região, como a transposição do Rio São Francisco e o aumento na perfuração de poços para garantir água potável, especialmente no semiárido.

Bolsonaro deve enfatizar também a programas sociais, como o Bolsa Família e a geração de empregos, além do discurso de segurança pública, já que vários estados do Nordeste enfrentam crises de insegurança.

Apesar da ausência do presidenciável nas ações de campanha, ele apresentou leve oscilação para cima na região. De acordo com pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira (14), ele passou de 14% de intenções de voto para 17%. Nas demais regiões, o capitão reformado possui uma liderança expressiva com 36% das intenções no Centro-Oeste, 33% no Sul, 29% no Norte e 28 no Sudeste.

Por outro lado, é no Nordeste que Bolsonaro ainda apresenta maior rejeição dos eleitores, de 51%, índice que se manteve estável nas duas últimas pesquisas, embora a rejeição dele em todo o país tenha oscilado de 43% para 44%.

Política : NA LUTA SEMPRE
Enviado por alexandre em 14/09/2018 10:07:36

Campanha de Bolsonaro redefine estratégia até eleição

Equipe vai usar vídeos previamente gravados antes do ataque em Juiz de Fora

Jussara Soares e Tiago Amorim – O Globo

Os desdobramentos de duas cirurgias a que o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi submetido depois de ter sido ferido à faca quando fazia campanha, semana passada, em Juiz de Fora, levaram o comando de sua candidatura a redefinir, mais uma vez, a estratégia política até a eleição. Embora apresente evolução clínica e nenhum sinal de infecção, Bolsonaro voltou para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após procedimento de desobstrução intestinal.

Diante do quadro, familiares e aliados avaliam que o candidato ficará impossibilitado de atuar diretamente na campanha, e não poderá até mesmo gravar vídeos, justamente uma das iniciativas que serviriam para abastecer os canais de comunicação do candidato. Para manter a candidatura em evidência, uma das alternativas é que dirigentes se dividam em compromissos da campanha. Também reforçarão, nas plataformas digitais, o discurso de que Bolsonaro terá condições de retomar as atividades num eventual segundo turno. Além disso, a campanha pretende utilizar vídeos previamente gravados antes da hospitalização. Nas imagens, Bolsonaro apresentará propostas e rebaterá críticas de adversários.

De acordo com um interlocutor do partido, existe material inédito para ser usado até as eleições. Antes da realização do segunda cirurgia, uma gravação estava prevista para domingo, ainda no leito do hospital. Com a alteração de seu quadro de saúde, a captação de imagens não deve se realizar.

Nesta quinta-feira, um dos filhos do candidato, Flávio Bolsonaro, em entrevista à rádio 97,1 FM, do Rio de Janeiro, fez um desabafo sobre a situação clínica do pai, e disse que a orientação médica é a de que ele evite falar.

- Ele não está conseguindo nem falar direito, então não pode ir para a internet para fazer transmissão ao vivo, conversar com todo mundo. A orientação médica é que nem fale, porque quando fala acumula gases e pode ocasionar mais dor ainda - explicou o filho.


Política : AVE DE RAPINA
Enviado por alexandre em 14/09/2018 00:09:17

Zé Dirceu articula aliança PT-MDB para apoiar Haddad no segundo turno
PT e MDB negociam secretamente uma aliança com vistas ao segundo turno da disputa presidencial. Pelo PT, a iniciativa foi José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil de Lula, logo após ser solto por ordem da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal. As conversas iniciais foram com políticos nordestinos do MDB. Oficialmente, eles alegam a necessidade de “garantir a governabilidade” de um eventual governo Haddad (PT). Mas a razão primordial é outra: enfrentar a Lava Jato e reverter prisões. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Não está claro como o eventual governo do PT sufocaria a Lava Jato ou neutralizaria sentenças. Mas os interlocutores só pensam nisso.Viabiliza o entendimento o desejo de soltar Lula e outros petistas e, do lado do MDB, evitar que Temer e outros figurões acabem presos.

As conversas de Zé Dirceu com o Planalto e o MDB eram mantidas sob o mais absoluto sigilo, enquanto “costurassem” o apoio interno. Articuladores políticos do Planalto afirmam que há ambiente propício no MDB, onde é perceptível o apoio a Haddad no segundo turno.

(1) 2 3 4 ... 775 »