Política - DESCASO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 419 »
Política : DESCASO
Enviado por alexandre em 21/09/2014 12:40:08


Prédio da Polícia Militar de Ouro Preto ameaça desabar
Construído há mais de 35 anos, o prédio que abriga o destacamento da Polícia Militar de Ouro Preto do Oeste, está com sua estrutura comprometida e ameaça desabar. A precariedade só não é mais acentuada graças ao trabalho voluntária dos policiais militares que através de ajuda de pessoas da sociedade estão sempre dando o famoso “jeitinho brasileiro”, para ter pelo menos um local digno de trabalhar e atender o cidadão que procura a unidade militar.

O prédio que foi construído ainda quando o município de Ouro Preto do Oeste era um Distrito de Ji-Paraná, nunca passou por uma reforma completa em sua estrutura física, sempre com reformas paliativas. A última destas “gambiarras” foi feita há mais de 05 (cinco) anos quando foi executada uma maquiagem na estrutura do prédio que apresenta no seu teto rachaduras e infiltrações colocando em risco a segurança dos policiais militares e das pessoas que visitam o quartel.

Quartel da Polícia Militar de Ouro Preto no inicio dos anos oitenta

A reportagem apurou que tem alguns projetos para reforma e ampliação do prédio, mas os mesmos não saíram do papel ou foram apenas discursos demagogos dos políticos. O certo é que o local é insalubre e coloca em risco a vida de quem trabalhar ou visita e esta preocupação aumenta com a chegada do período do inverno amazônico quando o teto pode desabar. Por força da disciplina militar o comandante da unidade policial tenente – PM Bruno Costa não quis falar sobre o assunto, preferindo enaltecer o trabalho de seus comandados.

Alexandre Araujo

Política : BAIXARIA
Enviado por alexandre em 21/09/2014 11:48:59


Confúcio chama Expedito de cachaceiro e advogado toma as dores e diz que governador era amante da ex-secretaria de Educação

Da reportagem do Tudorondonia

Este sábado foi de total baixaria na campanha eleitoral para o Governo do Estado. Empacado nos 28% das intenções de voto e com uma rejeição de 33%, a maior da corrida eleitoral segundo a última pesquisa Ibope, o governador Confúcio Moura (PMDB), candidato à reeleição, partiu para o ataque e chamou o candidato tucano Expedito Junior de “cachaceiro” e “jogador de baralho”.

Expedito, que lidera a disputa com 35% das intenções de voto conforme a pesquisa Ibope, não respondeu às ofensas.
No entanto, o advogado Breno Mendes, que não faz parte da banca advocatícia de Expedito na campanha eleitoral ,mas vem se notabilizando por uma sistemática oposição pessoal ao governador, postou no Facebook uma grave denúncia contra o chefe do Poder Executivo estadual, acusando-o de ser ou ter sido amante da ex- secretária estadual de Educação e de custear “a lua de mel com diárias pagas pelo estado”.

Breno Mendes, que é advogado, afirma ter filmagens e fotografias que comprovariam sua grave denúncia no Facebook.
A reportagem do Tudorondonia tentou entrar em contato com a assessoria de Confúcio para ouvir a versão do candidato, mas não conseguiu.
Já a assessoria de Expedito Junior informou que não comentaria o caso.

DADOS DA PESQUISA IBOPE CITADA NA REPORTAGEM

Período de campo: a pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 15 de setembro de 2014.
Tamanho da amostra: foram entrevistados 812 eleitores.
Margem de erro: a margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%.
Solicitante: pesquisa contratada pela RÁDIO TV DO AMAZONAS LTDA.
Registro: registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia sob registro RO-00032/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00655/2014.
Data de Publicação:17/09/2014

Política : ELEIÇÕES 2014
Enviado por alexandre em 19/09/2014 23:58:56


"Vamos escrever uma nova história de Rondônia", diz, Moreira Mendes

Os moradores da cidade de Nova Brasilândia d’Oeste receberam com festa, na noite da última quinta-feira, 18, a militância e as lideranças políticas da Coligação Frente Muda Rondônia para um grande comício em praça pública. 

 

O candidato ao Senado da República, Moreira Mendes, foi ovacionado pelo público ao dizer que quando eleito, vai usar seu mandato para cuidar mais e melhor de Rondônia. 

 

“Eu quero ser o senador do povo, dos sem teto, dos sem emprego. Vou defender os interesses dos mais fracos, menos favorecidos, dos pequenos produtores rurais. Meu único trabalho vai ser atuar a favor do povo de Rondônia. São poucas pessoas que possuem credibilidade em Brasília. Eu, graças a Deus, tenho. Fruto do meu trabalho, esforço e determinação”, enfatizou.

 

Moreira Mendes afirmou que conhece os caminhos e vai usar sua influência e credibilidade para atrair investidores e movimentar a economia local, gerando emprego e renda aos cidadãos, fomentando os pequenos e grandes negócios.

 

“Eu quero abrir caminhos para o meu Estado. Vou levar o novo governador eleito pela nossa coligação nas Federações das Indústrias de São Paulo, do Rio de Janeiro, do Paraná. Tudo isso para trazer investidores aqui para Rondônia. Esse será meu trabalho em Brasília”, afirmou Moreira Mendes.

 

O candidato retomou as afirmações feitas ao seu eleitorado de que não vai usar o seu mandato em beneficio próprio, defendendo interesses familiares ou de empresas pessoais. 

 

“Eu não tenho mais ambição pessoal. Sou uma pessoa de bem com a vida. Sou bem casado, tenho três filhos e cinco netos e já estou aposentado. Meu único trabalho é o de continuar trabalhando pela população. Eu não tenho empresas para tomar conta. Acreditem na minha disposição para trabalhar, pois, juntos, vamos escrever uma nova história para Rondônia”, destacou. 

 

Moreira Mendes está no segundo mandato na Câmara dos Deputados e destinou mais de R$ 52 milhões para várias cidades do Estado, durante os últimos quatro anos, assegurando investimentos na melhoria da infraestrutura, educação e saúde. 

 

O candidato ao senado foi reconhecido pela revista Veja, como o 16º parlamentar mais atuante no Congresso. É destaque na sua atuação política,a destinação de quase 60% das suas emendas para o homem do campo, por entender que o investimento no produtor rural beneficia a todos,  estimula e influencia no progresso social e econômico. 

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

 

Exibindo IMG_1063.JPG
Exibindo IMG_1060.JPG

Política : O PAÍS DOS RICOS
Enviado por alexandre em 19/09/2014 09:08:31


No Brasil de Lula e Dilma, os ricos ficaram mais ricos

Está engavetado no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) um estudo inédito que mostra uma realidade bem diferente da que vem sendo pregada pelo PT na campanha eleitoral de Dilma Rousseff. O documento, ao qual o site de VEJA teve acesso, mostra que a concentração de renda aumentou no Brasil entre 2006 e 2012. Dados do Imposto de Renda dos brasileiros coletados por pesquisadores do Instituto mostram que os 5% mais ricos do país detinham, em 2012, 44% da renda. Em 2006, esse porcentual era de 40%. Os brasileiros que fazem parte da seleta parcela do 1% mais rico também viram sua fatia aumentar: passou de 22,5% da renda em 2006 para 25% em 2012. O mesmo ocorreu para o porcentual de 0,1% da população mais rica, que se apropriava de 9% da renda total do país em 2006 e, em 2012, de 11%. Os dados referentes a 2012 correspondem aos mais recentes apurados pela Receita Federal.

Os dados sobre o Imposto de Renda levados em conta pelos pesquisadores do Ipea não são públicos. Por isso, tais números não são usados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para medir a desigualdade no país. O Instituto usa o Índice de Gini, que mede a distribuição de renda com base nos dados de rendimento por domicílios. O problema é que, como tal informação é fornecida pela própria população aos recenseadores, não é considerada a mais precisa, já que os próprios cidadãos podem subestimar ou superestimar a renda. Os dados do Imposto de Renda são mais completos porque, além de serem oficiais, mostram posse de bens e rendimentos isentos ou não tributáveis, como doações, investimentos em poupança e outras aplicações cuja tributação ocorre direto na fonte. O levantamento seria mais completo ainda se usasse dados da declaração de renda de pessoa jurídica, já que muitos brasileiros — sobretudo os mais ricos — declaram seus rendimentos como tal, e não como pessoa física. 

Leia também: 

A principal conclusão do estudo é que a concentração de renda entre a parcela mais endinheirada, segundo os dados tributários, é muito superior àquela verificada nos dados revelados pelos brasileiros ao recenseadores do IBGE, sem que haja qualquer tendência de queda. Entre 2006 e 2008, por exemplo, ano em que as políticas de transferência do governo eram alardeadas por Lula, houve o maior aumento de concentração de renda na fatia de 1% mais ricos. O mesmo salto ocorreu entre 2010 e 2011. O estudo mostra ainda que a desigualdade entre os mais ricos é maior nos dados tributários do que no levantamento domiciliar. Outra conclusão do estudo é que o estrato dos mais ricos é "blindado", ou seja, a desigualdade entre eles e o restante da população não se estreita. "Se essa elite se mantém estável no tempo", diz o estudo, "a maior parte da mudança na desigualdade deve ocorrer entre os estratos que estão mais na base e no centro da distribuição." Esses segmentos da base e do centro não foram objeto do estudo. 

Índice de Gini — Entre 2011 e 2012, último período apurado pelo IBGE, a redução da desigualdade havia desacelerado e ficou próxima da estagnação. O Índice de Gini ficou em 0,526, ante 0,527 em 2011. Já entre 2003 e 2010, o mesmo indicador mostrou um grande recuo, passando de 0,581 para 0,533. Quanto mais próximo de zero e mais distante de 1, menor a desigualdade. O indicador é divulgado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), cuja versão mais atual, referente a 2013, será publicada nesta quinta-feira. O site de VEJA apurou que os dados do Imposto de Renda aos quais o Ipea teve acesso também foram avaliados pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República.

Os dados do Ipea são significativos porque contrastam com a retórica de antagonismo à elite e aos bancos exibida pelo PT durante a propaganda eleitoral. Num Brasil onde os ricos ficaram mais ricos, o discurso do partido mostra-se artificial. Há cerca de duas semanas, ao ver sua candidatura ameaçada pela ex-senadora Marina Silva (PSB), que havia disparado nas pesquisas de intenção de voto, a presidente Dilma Rousseff vem lançando mão de ataques à rival. Sua estratégia preferida tem sido dizer que, se Marina ganhar, dará independência ao Banco Central — o que, na cartilha petista, significa entregar o país a banqueiros que, segundo imagens exibidas na TV, tirarão não só os empregos dos brasileiros, como também a comida de suas mesas. Procurados pela reportagem, a SAE e o Ipea não retornaram o pedido de entrevista. 

Ana Clara Costa
Veja
Editado por Folha Política

Política : RESPONSABILIDADE
Enviado por alexandre em 16/09/2014 22:27:47


Expedito comemora Ibope e diz que responsabilidade aumenta
“Quero agradecer imensamente aos eleitores rondonienses pela aceitação das
propostas que temos apresentado para governar Rondônia e dizer que isso
somente aumenta nossa responsabilidade. Mais que tudo, devo reiterar que
não tenho o direito de errar e não errar nem decepcionar nossos
eleitores”. Assim reagiu o candidato ao governo pela coligação Muda
Rondônia, Expedito Junior, ao receber tomar conhecimento dos números da
última pesquisa do Ibope que o coloca na liderança da corrida eleitoral no
primeiro e segundo turno das eleições, situando como virtual próximo
governador, no segundo turno, com uma vantagem superior a 10 pontos
percentuais no segundo turno.

O candidato tucano aproveitou para convocar os apoiadores de sua campanha
que continuem o ritmo da campanha “de forma vibrante, mas principalmente
com muita humildade. Vamos seguir com os pés no chão sem tripudiar nenhum
concorrente. Só quero reafirmar minha disposição em fazer o melhor
trabalho que os rondonienses já viram na condução do nosso Estado”.

A nova pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (16), mostrou o
candidato Expedito Júnior (PSDB) com 35% das intenções de voto, o atual
governador e candidato à reeleição Confúcio Moura (PMDB) com 28% das
intenções de voto e em seguida Jaqueline Cassol (PR) com 12% das
intenções. Brancos ou nulos somam 8% e 10% se declararam indecisos.

Segundo turno

Na simulação do Ibope para o segundo turno entre Expedito Júnior e
Confúcio Moura, o tucano venceria a eleição com uma folga de 13 pontos
percentuais, numa placar de 43% a 30% para Confúcio Moura. Brancos e nulos
comam 15% e não sabe ou não respondeu 12%.

O Ibope realizou a pesquisa de 13 a 15 de setembro e ouviu 812 eleitores.
A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para
menos.  O nível de confiança utilizado é de 95%, o que significa dizer que
há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento
eleitoral, considerando a margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO) sob o
protocolo Nº RO-00032/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob
protocolo Nº BR-00655/2014.

Rejeição

A pesquisa avaliou ainda o índice de rejeição de cada um dos candidatos,
isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum,
podendo citar mais de um nome. Os resultados são os seguintes: Confúcio
Moura (PMDB) – 33%; Jaqueline Cassol (PR) – 18%; Padre Ton (PT) – 22%;
Expedito Júnior (PSDB) – 16%; Pimenta de Rondônia (PSOL) – 15%. Poderia
votar em todos – 3% e não sabe ou não respondeu – 11%.

ASCOM

(1) 2 3 4 ... 419 »