Política - LADEIRA ABAIXO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 638 »
Política : LADEIRA ABAIXO
Enviado por alexandre em 24/06/2017 17:17:11


Datafolha: gestão de Michel Temer cai a 7%

Folha de S. Paulo – Thais Bilenky

O governo Michel Temer (PMDB) é considerado ótimo ou bom por apenas 7% da população, a menor marca registrada pelo Datafolha em 28 anos. Somente José Sarney (PMDB) ficou abaixo desse patamar, com 5% em setembro de 1989, em meio à crise da hiperinflação.

Desde que veio a público a delação da JBS, que jogou o presidente no centro da crise política nacional, a impopularidade do peemedebista aumentou. Hoje sua gestão é considerada ruim ou péssima por 69% do eleitorado e regular por 23%.

Na comparação, em setembro de 1989, Sarney chegou a 68% de ruim ou péssimo e 24% de regular.

O novo levantamento do Datafolha, feito entre quarta-feira (21) e esta sexta-feira (23), com 2.771 entrevistados, mostra Temer com a avaliação em queda.

Dois meses atrás, a sua taxa de ruim e péssimo estava em 61% e a de ótimo ou bom, em 9%. Aqueles que o consideraram regular somavam 28% no final de abril.

Não souberam responder como avaliam hoje o governo Temer 2% dos entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais e para menos. A nota do presidente caiu de 3 para 2,7.

A situação de Temer é pior que a de Dilma Rousseff (PT) às vésperas de ela sofrer impeachment. Em abril de 2016, a petista tinha 13% de aprovação e 63% de reprovação.

JOESLEY

Temer foi gravado secretamente em março deste ano pelo empresário Joesley Batista, da JBS, em uma conversa tarde da noite fora da agenda no Palácio do Jaburu em que ambos trataram da relação com o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso.

O áudio foi entregue como prova na delação do empresário e deverá subsidiar três denúncias contra Temer elaboradas pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva, obstrução de justiça e organização criminosa. As peças ainda não foram apresentadas ao STF (Supremo Tribunal Federal) e, quando o forem, deverão ser remetidas à Câmara dos Deputados. Ao envolver o Congresso, a situação de Temer se torna ainda mais frágil.

Ele é acusado por Janot de ter dado o seu aval para que Joesley comprasse o silêncio de Cunha e de seu operador Lucio Funaro, que estão presos e ameaçam delatar.

MULHERES E JOVENS

A reprovação de Temer está em patamar comparável ao de Dilma em agosto de 2015, quando a petista atingiu 71% de ruim ou péssimo.

No histórico do instituto, além de Sarney, apenas Fernando Collor (PTC) obteve índices tão negativos quando Dilma e Temer ao alcançar 68% de ruim e péssimo, em setembro de 1992, ao sofrer impeachment.

O cenário fica mais desfavorável para o presidente Temer entre as mulheres, os jovens e os mais pobres, em comparação com a média da população.

Sua taxa de ruim e péssimo chega a 73% entre o eleitorado feminino, a 74% entre os eleitores de 25 a 34 anos e a 71% para aqueles cuja renda familiar mensal é de até dois salários mínimos.

No Nordeste, a reprovação a Temer fica acima da média, 77%, e no Sul, abaixo: 61%

Entre os entrevistados com ensino fundamental completo, a reprovação de Temer fica em 64% e sobe para 71% entre aqueles que concluíram o ensino médio e 70% entre os com superior completo.

Um grupo que lhe concede alguma trégua é a do eleitorado de renda média familiar superior a dez salários mínimos. Nessa parcela da população, seu governo é considerado bom ou ótimo por 15%, regular por 30% e ruim ou péssimo por 55%.

A análise por renda da avaliação de Temer coincide com a de sua agenda econômica, da qual os mais ricos são menos críticos que a média da população, em especial no que se refere à proposta de reforma da Previdência.


Governo: 480 mil em comida e flores para gabinete



Folha de S. Paulo - Mônica Bergamo

O governo irá às compras para abastecer o gabinete de Michel Temer de alimentos e de flores. Duas licitações abertas há alguns dias preveem, juntas, gastos de quase R$ 480 mil.

No pregão de registro de preços de comida, a Presidência estima gastar R$ 137 mil em itens como café, chá, leite, achocolatado, geleias, biscoitos doces e salgados, refrigerantes e sucos integrais. O edital lista, por exemplo, o fornecimento de 5 kg de figo seco (R$ 329 no total), 5.000 barrinhas de cereal (R$ 3.500 no total) e 39 mil garrafas de 1,5 l de água (R$ 50.310 no total).

Já as "flores nobres, tropicais e de campo" serão usadas em eventos com a presença do presidente, de ministros e de autoridades estrangeiras, além de arranjos no gabinete pessoal, nas residências oficiais e nas representações regionais. Serão 1.173 arranjos, de flores como orquídeas, rosas e lírios.

O valor total da contratação, de R$ 341 mil, inclui também serviços de manutenção das plantas. A Presidência vai orçar ainda 32 coroas fúnebres, para o caso de "falecimentos de autoridades".

Política : OURO PRETO
Enviado por alexandre em 24/06/2017 01:55:32


Emenda de Marcelino Tenório garante aquisição de micro-ônibus para transporte de pacientes de Ouro Preto
Será entregue nos próximos dias o novo micro-ônibus para transporte de pacientes de Ouro Preto do Oeste, que precisam de tratamento em outras cidades. O veículo foi adquirido graças a emenda parlamentar de R$ 280 mil, encaminhada pelo deputado estadual Marcelino Tenório (PRP), após solicitações do prefeito do município Vagno Gonçalves Barros (PSDC) e Câmara dos Vereadores. O recurso financeiro para a aquisição do micro-ônibus é via convênio com a Secretária Estadual de Saúde (SESAU). Durante o ato de entrega do documento comprovando tal propositura que ocorreu no gabinete do prefeito Vagno Gonçalves, o deputado Marcelino Tenório se fez acompanhado dos vereadores: J. Rabelo (presidente da Câmara – PTB), Serginho Castilho (PRP), Antonio Celso Coelho (PRP), Jeferson Silva (PMDB), Delisio Fernandes (PSB) e Ivone Vicentin (PMDB) o que mostra o prestigio do parlamentar junto as suas bases.

Para o deputado Marcelino Tenório, a aquisição do veículo é mais uma conquista da população, e a prova de que a união entre o executivo e legislativo estadual e municipal é fundamental para desenvolvimento do Estado e bem-estar do povo. “Investimentos em saúde, educação, segurança e infraestrutura. Isso é resultado da união”, afirmou Marcelino que vem alocando emendas parlamentares em atendimentos aos anseios dos ouro-pretenses que residem nas zonas: urbana e rural mostrando que a atuação do parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado - ALE/RO é sempre em prol da população.

As emendas pelo Deputado Marcelino Tenório compreendem um amplo projeto de acessibilidade para garantir meios de transporte às pessoas que precisam de atendimentos médicos em outros municípios.

Assessoria

Política : COMPLICADO
Enviado por alexandre em 23/06/2017 15:06:36



Deputado questiona Dalagnol por palestras de ‘combate a corrupção’

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) usou sua conta no Twitter para questionar as palestras feitas por juízes e membros do Ministério Público a título de “combater a corrupção”. Segundo o parlamentar “na visão do MPF [Ministério Público Federal], empresas que contrataram Lula para palestras são suspeitas!”, mas “normal são empresas investigadas e suspeitas, por diversos tipos de crimes, contratar juízes e procuradores para falar em seus eventos”, escreveu.

Pimenta ressalta, ainda, que por esta visão “normal são juízes e procuradores não revelarem valor das ‘palestras’ em empresas suspeitas, por conta de ‘termos de confidencialidade”.

“E ainda nos tiram para imbecis, dizendo que parte do dinheiro são doados para APAEs e Hospitais Filantrópicos. Demagogia com $ ilícito”, postou.

Críticas feitas pelo parlamentar vem na esteira da revelação de que o procurador responsável pelos inquéritos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato, Deltan Dallagnol, cobra cerca de R$ 40 mil por palestra, conforme anunciado por uma empresa de promoção de eventos. Ele, porém, nega que tenha dado autorização para que empresas comercializassem suas palestras.

Questionado sobre o assunto, Dallagnol disse que a maior parte das palestras de que participa é gratuita, e quando existe algum tipo de pagamento uma parte do dinheiro é remetido para entidades beneficentes e para a constituição de um fundo de combate à corrupção.

Em ocasiões anteriores, Dallagnol disse que as palestras feitas pelo ex-presidente eram uma forma de justificar propinas que teriam sido pagas a Lula por empresas investigadas pela Lava Jato, o que é negado por Lula.

Fonte: Brasil 247

Política : LADOS OPOSTOS
Enviado por alexandre em 21/06/2017 21:07:07


Planalto vê Janot como maior adversário de Temer
Governo considera o procurador-geral seu principal adversário
Deputados terão de optar entre apoiar denúncia do PGR, que está de saída, ou Temer, que ainda tem 18 meses pela frente

O Planalto trabalha com a certeza de que o principal adversário do presidente Michel Temer não está no Congresso e sim na Procuradoria-Geral da República, e atende pelo nome de Rodrigo Janot. Nas articulações contra a aceitação da denúncia da PGR contra Temer, governistas alegam que a Câmara terá de optar entre dar força ao PGR em fim de mandato ou ao presidente com 18 meses à frente. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O governo conta com a solidariedade de grande parte de parlamentares que são alvos de casos chefiados pelo procurador-geral. A determinação de Janot impressiona e assusta assessores de Michel Temer. Todos apostam que ele até poderia ser candidato a presidente. Rodrigo Janot já descartou qualquer candidatura, inclusive para governador de Minas, como chegou a ser especulado no ano passado.

DIÁRIO DO PODER

Política : BURROCRACIA
Enviado por alexandre em 21/06/2017 21:04:11


CCJ da Câmara aprova inclusão de todos os pré-candidatos em pesquisas
Obrigatoriedade é para todas as pesquisas durante o ano eleitoral

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou proposta que obriga institutos de pesquisa a incluírem os nomes de todos os pré-candidatos nos levantamentos feitos em ano eleitoral para os cargos de prefeito, governador e presidente. Pelo texto, devem ser divulgadas as intenções de votos recebidas por todos os pré-candidatos, por mais insignificante que seja. Para o cumprimento da medida, os partidos devem comunicar os nomes dos pré-candidatos até o final da primeira quinzena do mês de janeiro.

Relator deputado Marcos Rogério
Relator na CCJ, o deputado Marcos Rogério (DEM-RO) considerou importante a inclusão dos nomes de todos os pré-candidatos, mas defendeu a exclusão do trecho que permite aos próprios pré-candidatos fazerem as indicações, caso os partidos não o façam. “Não nos parece razoável que, se os partidos não indicarem seus pré-candidatos, aqueles com tempo de filiação que os habilite a disputar a eleição possam fazê-lo”, disse.

A proposta prevê ainda que será multado entre R$ 5 mil e R$ 35 mil o instituto que não respeitar as exigências previstas, caso o projeto se torne lei. Pela legislação em vigor, as convenções para escolha das candidaturas são feitas entre 10 e 30 de junho do ano eleitoral.

DIÁRIO DO PODER

(1) 2 3 4 ... 638 »