Filho de deputada é matriculado no Colégio Militar sem processo seletivo - Regionais - Notícias
Regionais : Filho de deputada é matriculado no Colégio Militar sem processo seletivo
Enviado por alexandre em 10/09/2019 14:22:00

A deputada federal Carla Zambelli diz estar protegendo o filho de possíveis ameaças

 

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) foi autorizada a matricular o filho no sexto ano do fundamental do Colégio Militar de Brasília (CMB). A criança conseguiu ingressar na instituição sem participar do processo seletivo.
O documento que permitiu a matrícula da criança na escola foi publicado no Boletim de Acesso Restrito do Exército, em 30 de agosto. O material diz ainda que casos especiais podem ser analisados pelo próprio comandante do Exército, mas não faz menção ao ingresso de alunos na unidade.
No requerimento, Zambelli pede a vaga do filho ao considerar que ela fora transferida para um novo gabinete na capital federal. A deputada agora ocupa o antigo gabinete do presidente Jair Bolsonaro.
O Regulamento dos Colégios Militares, artigo 92 da portaria do Comandante do Exército nº 042, de 6 de fevereiro de 2008, foi utilizado como amparo para a aprovação do pedido de matrícula, apesar de se tratar de um documento genérico que não traz pontos específicos relacionados ao benefício.
Nas redes sociais, a deputada federal afirmou ter pedido a matrícula do filho, pois ele estaria sofrendo ameaças “pelo simples fato de ter uma mãe que enfrenta o crime organizado, e a pedofilia”. Ainda no post, Carla Zambelli publicou parte do ofício sobre o posicionamento do Exército quanto à solicitação.
“Atendendo à sua solicitação formulada por meio de mensagem eletrônica, de 1º de setembro de 2019, sobre vaga no Colégio Militar, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o artigo 92 do Regulamento dos Colégios Militares (R-69) faculta ao Comandante do Exército apreciar casos considerados especiais, ouvido o Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), o que inclui matrículas em caráter excepcional, conforme justificativa apresentada por eventual interessado. O fato de a decisão ter sido publicada em Boletim de Acesso Restrito teve por finalidade preservar informações de cunho particular do solicitante”.

Página de impressăo amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo