(1) 2 3 4 ... 10 »
Coluna Vida Saudável : O tempero de cozinha que pode ser a chave para preservar a memória na velhice; saiba qual
Enviado por alexandre em 26/02/2024 09:36:36

Ele é seguro e eficaz no tratamento de doenças degenerativas ligeiras a moderadas

A perda de memória é um sintoma associado ao envelhecimento, caracterizado por um esquecimento incomum , onde a pessoa afetada tem dificuldade em lembrar eventos recentes ou acessar memórias passadas. Essa deficiência pode interferir nas atividades diárias e piorar com o tempo.


Embora alguns alimentos possam prejudicar a função cerebral, como os alimentos ultraprocessados, outros apresentam propriedades benéficas para a capacidade cognitiva. Entre eles estão o salmão (rico em ômega 3) e as frutas vermelhas (ricas em flavonoides e antioxidantes essenciais).


No entanto, a cozinha espanhola oferece-nos um ingrediente excepcional para proteger o cérebro do envelhecimento: o açafrão. Esta especiaria, comumente utilizada em pratos como paellas, ensopados e sopas, demonstrou ao longo dos anos ter propriedades medicinais.

 

Veja também

 

Conheça o nutriente popular que pode mudar a saúde do seu intestino

Conheça nutriente que trata sintomas de endometriose e envelhecimento


Um estudo publicado no Journal of Clinical Pharmacy and Therapeutics investigou os efeitos do extrato de açafrão em pacientes com doença de Alzheimer leve a moderada. Durante 16 semanas, foram administradas duas doses diárias de 15 miligramas de extrato de açafrão com estigmas de flor de açafrão e melaço, anteriormente utilizado como remédio natural para melancolia e depressão.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram


Os resultados mostraram uma melhoria significativa na função cognitiva em comparação com o placebo. Os investigadores concluíram que, pelo menos a curto prazo, o açafrão é seguro e eficaz no tratamento de doenças degenerativas ligeiras a moderadas que causam perda de memória.

 

Fonte: O Globo

LEIA MAIS

Coluna Vida Saudável : A excitação sexual funciona igual no cérebro de homens e de mulheres
Enviado por alexandre em 14/02/2024 11:31:37

Estudo de instituto da Alemanha indicou, ainda, que conceito não se altera de acordo com orientação sexual

Nada que uma pessoa adulta não saiba de sua própria vivência: a excitação sexual é uma experiência deliciosa que pode conduzir (ou não) ao ato sexual e ao orgasmo . Geralmente começa com estímulos sensoriais (visuais ou táteis, os mais comuns) que produzem uma onda crescente de prazer.

 

Acompanham reações corporais de entumescimento dos órgãos sexuais por vasodilatação, e outras como arrepios, movimentos variados, sudorese... O crescimento da excitação pode ao final levar à consumação do ato sexual e a um clímax de grande prazer .

 

Reza a lenda urbana – e alguns artigos científicos de resultados conflitantes – que homens apresentam excitação sexual mais forte que mulheres . Se isso é verdade, a atividade cerebral deveria apresentar diferenças determinadas pelo sexo biológico das pessoas. Se não for correto, possíveis diferenças devem ser interpretadas como resultado das diferentes normas culturais e morais que as civilizações humanas criam.

 

Veja também 

 

Quer prevenir a impotência? Estudo sugere forma simples - e agradável - de fazer isso. SAIBA QUAL

 

Sexo seguro: confira 4 dicas para se proteger no carnaval

 

Este vídeo mostra como os casais se beijam pelo mundo | Exame

Foto: Reprodução

 

Já vou adiantando: a ativação cerebral é exatamente a mesma em homens e mulheres. E mais: não muda com a orientação sexual. A conclusão foi tirada por uma metanálise realizada por pesquisadores do Instituto Max Planck, na Alemanha. Metanálise é uma técnica poderosa que reúne dados de vários artigos científicos e os avalia em conjunto, com ferramentas estatísticas especiais.

 

Disso resulta que o volume de dados torna-se grande, e portanto estatisticamente robusto. O estudo do grupo alemão reuniu assim quase 2 mil pessoas de ambos os sexos e distintas orientações sexuais (homo, hétero e trans). A excitação era produzida por estímulos eróticos visuais – figuras e vídeos – com aquisição simultânea de neuroimagem funcional por ressonância magnética.

 

Os pesquisadores puderam assim avaliar quais regiões eram ativadas durante o início e o transcurso da excitação sexual. Primeiro, é claro, as regiões do córtex cerebral visual: o que estou vendo? Depois as regiões encarregadas do foco atencional: ôpa, parece interessante! Meio que ao mesmo tempo as regiões de processamento emocional e do sistema de recompensa: é gostoso! é prazeroso! E na sequência, as regiões de controle corporal: intumescência genital, arrepio, taquicardia...

 

A constatação que fizeram foi que a sequência e arquitetura das redes neurais envolvidas é exatamente a mesma em homens e mulheres. Sem diferença. Também a orientação sexual dos participantes não mostrou diferenças na ativação cerebral.

 

Conclui-se que o funcionamento cerebral foi selecionado gradualmente pela evolução para garantir o sucesso reprodutivo da espécie humana, envolvendo igualmente os dois sexos biológicos. A orientação sexual da preferência de cada um – não se sabe se determinada.

 

biologicamente, culturalmente, ou ambos – não modifica o padrão. O que a cultura nos trouxe a mais, em relação aos animais, é que a excitação sexual, como fonte de enorme prazer, pode ser descolada da reprodução.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram

 

O fogo da excitação sexual, portanto, incendeia o cérebro de igual modo em homens e mulheres, sem diferença. As diferenças porventura existentes são fruto da diversidade cultural humana. A infraestrutura cerebral disponível é a mesma para todos: o uso é de livre escolha. 

 

Fonte: O Globo

LEIA MAIS

Coluna Vida Saudável : CARNAVAL: CALOR EXIGE CUIDADOS COM A HIDRATAÇÃO
Enviado por alexandre em 13/02/2024 10:33:35

Consumo de água durante a folia dos blocos de rua é fundamental para prevenir a desidratação e outros problemas de saúde

O ano de 2023 foi o mais quente da história do planeta, segundo dados da Organização Meteorológica Mundial (OMM). No Brasil, a média das temperaturas ficou em 24,92?°C, sendo 0,69?°C acima da média histórica de 1991/2020, que é de 24,23?°C.

 

Os dados reforçam a necessidade do hábito de beber água regularmente, especialmente no verão, em que os dias são mais quentes e o organismo perde líquidos e sais minerais com mais facilidade. Foliões também precisam ficar atentos para não desidratar na maratona de blocos de Carnaval.

 

“Apesar do nosso corpo ser composto por 70% de água, a hidratação é fundamental para recuperar os líquidos perdidos através do suor, da urina e da respiração”, explica a biomédica Valéria Avanzi, doutora em Medicina Interna pela UFPR e membro do Conselho Regional de Biomedicina do Paraná 6ª Região (CRBM6).

 

Veja também

 

Sem bloco: 72% do público liberal prefere ficar em casa no Carnaval

 

Beijo forçado também pode ser considerado estupro; entenda

Outra recomendação da especialista é tomar água em pequenas quantidades ao longo do dia, mesmo sem estar com sede. “A sensação de sede acontece quando o organismo já está em processo de desidratação e isso deve ser evitado”, pontua.

 

QUANTIDADE IDEAL DE ÁGUA

 


Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS) a quantidade ideal para o consumo diário de água é de 2,5 litros para um homem de 70 kg e 2,2 litros para uma mulher de 58 kg. Crianças e idosos são mais suscetíveis à desidratação e insolação. Por isso, o cuidado com esse público deve ser redobrado, especialmente no verão.

 

Confira as dicas para manter a saúde e o pique durante a folia de Carnaval  - Portal IN - Pompeu Vasconcelos - Balada IN

 

Segundo o Ministério da Saúde, os idosos precisam ter ainda mais atenção com a hidratação. Pessoas com mais de 60 anos sofrem uma diminuição do número e da sensibilidade de receptores corporais que controlam a sede. Sem perceber, eles sentem menos vontade de beber água. Mas o corpo continua necessitando de uma boa quantidade de líquidos para que todo o organismo funcione bem.

 

BENEFÍCIOS DE UMA BOA HIDRATAÇÃO


De acordo com a biomédica Valéria Avanzi, quando o corpo está hidratado, o volume de sangue aumenta e melhora a circulação. Beber água ao longo do dia evita que o organismo retenha sódio e cause inchaços.

 

Cuidados com o corpo durante o carnaval: 10 dicas - Mundo Educação

 

“A água ajuda a dar força aos músculos, auxilia na limpeza dos pulmões e para que os rins fiquem saudáveis. Também deixa a pele bonita, contribui para o bom humor e o raciocínio eficiente e a ingestão de água está relacionada com uma melhora no desempenho de atividades intelectuais”, observa Valéria Avanzi.

 

SINAIS DE DESIDRATAÇÃO


Além da quantidade diária recomendada pela OMS, em dias muito quentes é preciso ficar atento aos possíveis sintomas de desidratação. Boca seca, pele mais ressecada, sensação de fraqueza, fadiga ou tontura indicam que é necessário consumir mais água e de maneira fracionada ao longo do dia.

 

Conheça os 7 sinais de desidratação e se cuide no Carnaval

Fotos: Reprodução

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram 

 

Quem pratica esportes deve se hidratar antes, durante e depois do exercício. “Pessoas com enfermidades pré-existentes — como diabetes, problemas cardíacos, doenças renais e respiratórias crônicas, além de distúrbios metabólicos e doenças neurológicas — necessitam ainda mais atenção em dias muito quentes, porque a falta de água pode afetar seu bem-estar físico e mental”, finaliza. 

 

Fonte: Alto Astral

LEIA MAIS

Coluna Vida Saudável : Saiba como o tempo de digestão do alimento favorece o emagrecimento
Enviado por alexandre em 12/01/2024 10:12:00

O tempo de digestão de cada grupo alimentar está relacionado com a sensação de saciedade. Entenda

Ao longo da vida, provavelmente, você já deve ter sentido a famosa má digestão. Diversas causas podem estar relacionadas a essa condição, entretanto, algumas vezes, ela ocorre pelo excesso nas refeições.


O nosso organismo leva um tempo significativo para fazer a digestão completa dos alimentos. Existem alguns, inclusive, que chegam a levar 72 horas para serem digeridos por completo. Ou seja, a depender do que você come, a digestão desse alimento pode levar até três dias para ser feita.

 

Entretanto, esses dados de tempo são estimados de acordo com uma média, já que o período exato varia conforme o corpo e o metabolismo do indivíduo. Problemas relacionados à digestão, inclusive, podem impactar a velocidade com que o corpo processa nutrientes.

 

Veja também 

 

QUANTAS CALORIAS DÁ PARA QUEIMAR DURANTE O SEXO? DESCUBRA

 

O 1º domingo do ano é o melhor dia para dar match em apps. Entenda

 

Dentro de cada grupo alimentar, os carboidratos são aqueles que costumam ser digeridos mais rapidamente, levando, em média, cerca de duas horas. Os cereais levam de 60 a 80 minutos; o mel, de 60 a 90 minutos; o chocolate, até 120 minutos; e o suco de frutas, de 15 a 30 minutos.


As proteínas levam de duas a quatro horas. Os ovos, de 120 a 180 minutos; queijos, como minas frescal, levam até 90 minutos; iogurtes, 120 minutos; queijos rígidos são digeridos em até 300 minutos; carne bovina leva 180 minutos enquanto a carne de porco chega a levar 300 minutos; peixes (truta, salmão, sardinhas), de 50 a 80 minutos.

 

Dessa forma, fica mais fácil entender porque alguns alimentos oferecem mais saciedade em relação a outros. Enquanto carboidratos serão digeridos de forma mais rápida, as proteínas, por sua vez, tomarão mais tempo, tendendo a te manter saciado por mais tempo.

 

Para emagrecer, buscar alimentos mais complexos, ou seja, que levam mais tempo de digestão, como gorduras saudáveis, fibras e proteínas, irá colaborar justamente pela saciedade prolongada que esses nutrientes fornecem. Por outro lado, carboidratos simples, ricos em açúcares e pobres em nutrientes, tendem a ser digeridos mais rápido, proporcionando a sensação de fome em seguida.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram

 

Entretanto, os alimentos de rápida digestibilidade não têm que ser interpretados apenas como ruins. Eles também cumprem uma função especial seja para uma refeição pré-treino, em que você precisa de uma digestão mais rápida, ou até para aquele período pós-operatório que o trato gastrointestinal se encontra mais sensível. Por isso que, para esses momentos, alimentos como frutas, granola, sucos e vegetais são recomendados. 

 

Fonte: Metrópoles

LEIA MAIS

Coluna Vida Saudável : Comer mais cedo reduz risco de doença cardiovascular, diz estudo
Enviado por alexandre em 03/01/2024 10:47:12

Um novo estudo feito pelo Instituto Nacional de Pesquisa de Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente da França coletou indícios de que pessoas que fazem as refeições mais cedo ao longo do dia correm menos risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

 

Para obter esses dados, os investigadores analisaram informações de 103.389 pessoas, sendo 79% delas mulheres com idade média de 42 anos. O objetivo era encontrar padrões entre os horários de ingestão de comida e esse tipo de doença.

 

Conduzido em parceria com a Sorbonne, os resultados do estudo mostram que o risco de doenças cardiovasculares cresce 6% a cada hora de atraso para a ingestão da primeira refeição no dia.

 

Veja também

 

Clima pode determinar se pessoas falam alto ou baixo

 

Supercomputador que simula cérebro humano será ligado em 2024. CONFIRA

 

SAÚDE CARDIOVASCULAR E COMER CEDO

 

(Fonte: GettyImages)

 

De acordo com os pesquisadores, pessoas que ingerem sua primeira refeição às 9 horas da manhã tem 6% mais chance de desenvolver uma doença cardíaca do que aquelas que comem primeiro às 8 horas da manhã.

 

Em relação à última refeição do dia, o problema é ainda mais grave: pessoas que comem depois das 21 horas no comparativo com quem come antes das 20 horas tem 28% de risco aumentado de desenvolver esse tipo de doença.

 

Segundo a pesquisa, a duração do jejum noturno também tem influência na redução dos riscos. Segundo os cientistas, quem adota um intervalo maior entre a última refeição de um dia e a primeira de outro tende a ter menos doenças cardiovasculares.

 

Sendo assim, o ideal para qualquer indivíduo que pretende melhorar os índices de saúde seria realizar tanto a primeira quanto a última refeição mais cedo.

 

Em 2019, cerca de 7,9% de um total de 18,6 milhões de mortes por doenças cardiovasculares estiveram associadas à dieta, segundo o estudo Global Burden of Disease. Naquele ano, essa foi a principal causa de morte do mundo.

 

INFLUÊNCIA DO HORÁRIO DAS REFEIÇÕES

 

(Fonte: GettyImages)

Fotos:Reprodução

 

Que uma boa alimentação tem reflexos positivos na saúde humana, não é mistério para ninguém. Contudo, cientistas estão descobrindo que o horário em que as refeições são realizadas também podem ter uma influência significativa na nossa qualidade de vida. Principalmente, consumir a maior quantidade de calorias no começo do dia tende a ser o mais recomendável.

 

Esse padrão de alimentação se alinha ao nosso ritmo circadiano, que dita como o nosso corpo deve se comportar dentro das 24 horas de um dia. O processo realizado pelo nosso relógio biológico rege muitos aspectos da nossa saúde, como flutuações hormonais diárias, temperatura do corpo e até mesmo ciclo de sono.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram

 

Por conta da maneira como esse mecanismo funciona, nossos corpos estão mais preparados para digerir e metabolizar alimentos no início do dia. À medida que o tempo passa, o metabolismo se torna menos eficiente e ficamos mais devagar. Sendo assim, pular uma refeição tão essencial como o café da manhã não parece ser uma boa ideia, uma vez que só estará atrapalhando o ciclo natural do seu organismo.

 

Fonte:MegaCurioso

LEIA MAIS

(1) 2 3 4 ... 10 »
Publicidade Notícia