(1) 2 3 4 ... 49 »
Coluna Você Sabia? : O que explica declínio dos apps de namoro?
Enviado por alexandre em 21/05/2024 16:21:29

Hazal diz que está solteira há quatro anos e desde então procura ativamente um parceiro.

Para Hazal Sirin, uma mulher de 34 anos de Istambul, na Turquia, marcar "dates" amorosos é como andar de montanha-russa."Você começa com grandes expectativas e entusiasmo, e depois vem a decepção", diz ela. "É a mesma história para todos."Hazal diz que está solteira há quatro anos e desde então procura ativamente um parceiro.

 

Mas, segundo ela, seus esforços para construir um relacionamento não foram correspondidos —uma frustração, diz ela, que é compartilhada por amigos e amigas que enfrentam experiências parecidas.Hazal diz que muitas pessoas deixam de demonstrar interesse ou cuidado pelo parceiro ou parceira, mesmo depois de alguns encontros.Ela diz que sofreu "ghosting" em diversas ocasiões, o que ela acredita ser um sinal de falta de consideração ou empatia.

 

"Ghosting" é um termo usado para descrever a prática de encerrar repentinamente toda comunicação e evitar contato com outra pessoa sem qualquer aviso ou explicação.Desencantada com suas experiências de namoro, Hazal diz estar convencida de que existem poucas pessoas que estão realmente comprometidas em buscar um relacionamento verdadeiro.A decepção com "dates" na vida moderna é um tema polêmico nas conversas do dia a dia, seja na vida real ou nas redes sociais.

 

Veja também 

 

Maior morcego das Américas é fotografado em caverna do Amapá

 

Vergonha? 67% dos homens que usam app de paquera não vão para um date

De acordo com uma pesquisa de 2019 realizada pelo Pew Research Center, quase metade dos americanos com mais de 18 anos sente que ir a "dates" se tornou mais difícil na última década.As razões citadas para isso incluem o uso crescente de tecnologia e plataformas de namoro, riscos físicos e emocionais, a ideia de o namoro se tornar mais impessoal, a natureza casual do namoro hoje e a mudança nas expectativas sociais, na moral ou nos papéis de gênero.

 

Os resultados da pesquisa sugerem que a maioria das pessoas está insatisfeita com suas vidas amorosas e têm dificuldade em encontrar parceiros.
Declínio dos apps de namoroOs aplicativos de namoro —que tentam facilitar que pessoas se conheçam— também parecem ter perdido o charme inicial.Por exemplo, os downloads anuais do Tinder caíram mais de um terço em relação ao pico de 2014.

 

Outro aplicativo de namoro popular, o Bumble, afirma que seus usuários estão interessados em namoro com pouca pressão."Um em cada três usuários do Bumble nos EUA diz que está 'namorando lentamente' e indo em menos 'dates' para priorizar sua saúde mental quando se trata de namoro", afirma o Bumble.

 

O lado sombrio dos aplicativos de relacionamento - BBC News Brasil

 

Estudos também indicam que os jovens estão sentindo uma espécie de cansaço emocional com aplicativos de namoro.Mais de 90% dos indivíduos da Geração Z –pessoas nascidas entre 1997 e 2012— se sentem frustrados com aplicativos de namoro, de acordo com a agência de pesquisa Savanta."O momento estranho em que nos encontramos é que os aplicativos estão em declínio, pelo menos culturalmente, mas ainda não surgiu um substituto", diz Kathryn Lindsay, escritora de tendências da internet e cultura.

 

Ela argumenta que encontros sociais e conexões físicas também não ajudam a Geração Z.Lindsay sugere que a pandemia exacerbou ainda mais este problema, já que muitos jovens da Geração Z não tiveram oportunidades para desenvolver habilidades sociais através de interações pessoais.
Solução dos influenciadoresCom cada vez mais pessoas frustradas com o namoro, as plataformas de mídia social estão ficando mais cheias de dicas e truques sobre relacionamentos.Os influenciadores muitas vezes afirmam ter soluções rápidas para encontrar o amor, com manchetes como "12 regras de namoro que mudaram minha vida" ou "Três segredos para se destacar em um 'date'".

 

O lado negativo de aplicativos de relacionamento | COMUNIDADE HACKATHON  BRASIL

 

Alguns parecem promover valores de relacionamento conservadores e sugerir papéis ou comportamentos de gênero - como os homens que pagam a conta no primeiro encontro ou as mulheres que seguem os estereótipos femininos tradicionais.Por exemplo, Stephan Labossiere, um coach de relacionamento com 1,5 milhão de seguidores no YouTube, cria vídeos com manchetes como "Nove erros horríveis no namoro que desanimam os homens" ou "O único conselho sobre namoro para mulheres que você realmente precisa".A criadora de conteúdo de Londres, Tam Kaur, fala sobre "padrões de namoro de alto valor e como obter tratamento de princesa" em seu vídeo intitulado "Como namorar com sucesso para mulheres".

 

A influenciadora Casiah West que tem quase meio milhão de seguidores no TikTok sugere que "se você quer que alguém fique obcecado por você, basta mostrar desinteresse".Já a escritora Kathryn Lindsay observa que existem outros criadores de conteúdo que defendem abordagens de namoro mais progressistas e igualitárias - mas que os algoritmos das redes sociais muitas vezes conduzem os indivíduos por caminhos mais batidos, reforçando as normas tradicionais.Ela diz que influenciadores e criadores de conteúdo muitas vezes capitalizam em cima de sentimentos de solidão ou desespero.

 

Pesquisa analisa a segurança de apps de encontros em 2021 | TI INSIDE Online

 Fotos: Reprodução

 

"Se você é um criador de conteúdo em busca de cliques fáceis, então você finge que tem uma solução, já que as pessoas estão desesperadas ou sem esperança", diz ela.Hazal Sirin diz que frequentemente encontra vídeos nas redes sociais dando conselhos sobre namoro."É uma tendência comum, as pessoas discutem conselhos sobre namoro enquanto se maquiam", diz ela. "Alguns deles são uma porcaria, mas outros são úteis."Ela também acredita que existem algumas regras universais a serem seguidas quando se trata de namoro.

 

"Você não deve revelar muito sobre si mesmo e empregar algumas táticas ao se comunicar com os homens", ela acredita.


'Jornada de autoconhecimento'Existe uma solução rápida para encontrar o verdadeiro amor? "Infelizmente, não", diz a psicoterapeuta e autora Kaytee Gillis."Eu gostaria que houvesse algum algoritmo perfeito para o amor. Acho que as pessoas querem sentir que existe, porque isso lhes dá esperança."Como namorar é estressante, argumenta Gillis, as pessoas navegam pelas dicas online para evitar sentimentos de desconforto.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatAppCanal e Telegram

 

Mas ela diz que o namoro deveria ser, na verdade, uma jornada de autodescoberta sobre quem você é e quem você deseja como parceiro.As pessoas deveriam procurar o relacionamento que desejam ter e não o relacionamento que a sociedade lhes diz para ter, diz ela."Relacionamentos não são uma fórmula matemática que você precisa decifrar e resolver", afirma a conselheira matrimonial e psicóloga Shivani Misri Sadhoo.

 

"Não existem atalhos para um bom relacionamento. É preciso trabalhar", diz ela, enfatizando a importância de uma comunicação clara e de intenções genuínas.A psicoterapeuta Kaytee Gillis concorda. Para evitar a frustração em torno do namoro, é preciso ser autêntico, diz ela. "Permaneça fiel a quem você é", ela aconselha.
 

Fonte: Folha de São Paulo

LEIA MAIS

Coluna Você Sabia? : Vergonha? 67% dos homens que usam app de paquera não vão para um date
Enviado por alexandre em 20/05/2024 14:36:01

Segundo a pesquisa, a maioria dos homens que usam o Tinder parecem não se comprometer em ir ao primeiro encontro com a paquera; entenda

Muitas mulheres que usam Tinder têm passado por uma experiência curiosa — e desanimadora. De acordo com uma pesquisa recente, 67% dos homens cadastrados no aplicativo não vão para um date e parecem não se comprometer em ir ao primeiro encontro com a paquera.

 

O levantamento envolveu 2.600 usuários e mostrou que, embora seja comum conhecer outras pessoas, a maioria dos usuários do sexo masculino não passa do bate-papo virtual para um encontro presencial.

 

Veja também 

 

Por que no Brasil falamos 'meia' no lugar de 'seis'?

 

De onde vêm as sementes para plantar frutas sem sementes?

 

Do total de entrevistados, 63% explicaram que perdem o interesse com muita facilidadeJá 39% dos homens disseram não ter boas habilidades de comunicação para uma conversa cara a cara. A pesquisa também revelou que a média de idade no Tinder é de homens abaixo de 30 anos, o que pode explicar a falta de maturidade emocional para lidar com uma conversa pessoalmente.

 


 

De acordo com a CEO do Tinder, Mandy Ginsberg, o aplicativo não tem interesse em atrair homens mais maduros e experientes. Isso pode justificar a alta porcentagem dos usuários que não vão para um date.

 

Fonte: Portal iG

 

LEIA MAIS

Coluna Você Sabia? : PARASSONIA: O que acontece dentro do cérebro de um sonâmbulo?
Enviado por alexandre em 16/05/2024 15:42:49

Esse comportamento pode ter sinais simples, como se sentar na cama ou mais elaborados, como gritar de medo

Quando falamos em sonâmbulos, sempre imaginamos as pessoas andando de olhos fechados na calada da noite pela casa. Alguns com olhos abertos e braços estirados para frente. Porém, a realidade é bem diferente. Os cientistas do sono referem-se a esse comportamento anormal do sono como "parassonia", que pode incluir comportamentos simples, como se sentar na cama e parecer confuso, mas também comportamentos mais elaborados, como sair da cama e se movimentar ou gritar com uma expressão facial de medo.

 

Embora as parassonias sejam mais comuns entre crianças, cerca de 3% dos adultos ainda apresentam sintomas regularmente. “Os indivíduos afetados podem machucar a si mesmos ou a outras pessoas durante os episódios e, mais tarde, podem sentir-se profundamente envergonhados pelo que fizeram”, explica Francesca Siclari, chefe do laboratório de sonhos do Instituto Holandês de Neurociências.

 

Siclari e sua equipe conduziram este estudo para entender melhor o que ocorre no cérebro durante as parassonias. "Acreditava-se comumente que os sonhos ocorriam apenas em um estágio do sono: o sono REM. Agora sabemos que os sonhos também podem acontecer em outras fases. Aqueles que apresentam parassonias durante o sono não REM às vezes relatam ter experiências semelhantes a sonhos e às vezes parecem completamente inconscientes (ou seja, no piloto automático)”, explica.

 

Veja também

 

Mulheres lésbicas têm mais orgasmos que as heterossexuais; agora, a ciência quer saber por quê

 

Entenda como o sexo pode se encaixar no estilo de vida vegano

Os cientistas investigaram as experiências e os padrões de atividade cerebral de pacientes com parassonia no sono não REM. Para isso, eles precisaram adormecer o paciente, para ele vivenciar um episódio de algo e ter sua atividade cerebral registrada enquanto se movimenta.

 

A equipe de Siclari pode provocar um episódio de parassonia em laboratório, mas são necessárias duas gravações consecutivas. Na primeira gravação o paciente dorme normalmente. Segue-se uma noite em que o paciente fica acordado e só pode dormir na manhã seguinte.

 

Tribuna do Sertão - Compromisso com a verdade

 

Durante esta gravação, o paciente é exposto a um som alto ao entrar na fase de sono profundo. Em alguns casos, isso resulta em um episódio de parassonia. Após o episódio, pergunta-se ao paciente o que estava passando pela sua cabeça.

 

Como resultado, em 56% dos episódios, os pacientes relataram que estavam sonhando durante o episódio. "Muitas vezes tratava-se de um infortúnio ou perigo iminente. Alguns relataram que pensavam que o teto iria cair. Um paciente pensou que tinha perdido o bebê e estava vasculhando os lençóis e levantou-se na cama para tentar salvar joaninhas de deslizar pela parede e morrer", explica a cientista.

 

O que acontece no cérebro de um sonâmbulo? Cientistas explicam | CNN Brasil

 

Segundo ela, em 19% dos casos, os pacientes não estavam experimentando nada e simplesmente acordaram fazendo coisas, quase como se estivessem em transe. Outra pequena parcela relatou que havia vivenciado algo, mas não conseguia lembrar o que era.


"O que determina se o paciente ficará completamente inconsciente ou se, em vez disso, sonhará, parece depender do estado em que o paciente se encontra naquele momento. Se ativarmos o cérebro enquanto eles provavelmente já estão sonhando, eles parecem ser capazes de 'fazer algo' da ativação, enquanto quando seu cérebro está amplamente 'inativado', comportamentos simples parecem ocorrer sem experiência”, diz.

 

O sonambulismo pode ter surgido como um mecanismo de defesa - Mega Curioso

Fotos: Reprodução

 

A cientista diz que os pacientes não mencionam o som alto que iniciou o episódio de parassonia, mas sim algum outro tipo de perigo iminente. “Quanto mais alto aumentarmos o volume do som, maior será a chance de provocarmos um episódio”, afirma.

 

PRÓMIXOS PASSOS


A pesquisadora agora quer realizar novos estudos de acompanhamento em grande escala. E quer realizar uma nova pesquisa em pessoas durante o sono REM. “Ao medir a atividade cerebral como neste estudo, esperamos compreender melhor quais sistemas neurais estão envolvidos em diferentes tipos de parassonias”, diz Siclari.

 

Embora ainda haja muita pesquisa a ser feita, a pesquisadora está confiante de que seu trabalho pode fornecer informações valiosas.

 


 

"Nosso trabalho pode contribuir para intervenções medicamentosas mais específicas no futuro. As parassonias são frequentemente tratadas com medicamentos para dormir inespecíficos, que nem sempre são eficazes e podem ter efeitos colaterais negativos. Se pudermos deduzir qual sistema neural está funcionando de forma anormal, nós eventualmente, tentar desenvolver tratamentos mais específicos”, diz. 

 

Fonte: O Globo

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRI

Coluna Você Sabia? : Por que pacientes terminais com demência têm melhora antes de morrer?
Enviado por alexandre em 15/05/2024 13:45:24

Dizem que há mistérios que a ciência é incapaz de explicar, e quando refletimos sobre os muitos casos relatados de aparente recuperação súbita de pacientes pouco antes da morte, temos um exemplo que chama muito a atenção.

 

Isso porque, dentre as pessoas que apresentam demência, há episódios relatados em hospitais que são comparados a esse fenômeno súbito: pouco antes de morrer, apesar de todas as restrições que a condição neurológica impõe na memória e no raciocínio, o paciente volta a se lembrar de muitos fatos e pessoas que conheceu em diferentes momentos da vida.

 

Nos diálogos travados, a lucidez do enfermo se apresenta vívida, com conversas sobre fatos ocorridos muitos anos atrás. O que intriga é que mesmo nos cenários em que a comunicação também é prejudicada pelo agravamento da demência, a limitação parece desaparecer completamente. Casos como estes são relatados há mais de 200 anos.

 

Veja também

 

Mulheres lésbicas têm mais orgasmos que as heterossexuais; agora, a ciência quer saber por quê

 

Entenda como o sexo pode se encaixar no estilo de vida vegano

 

LUCIDEZ TERMINAL E SEUS EFEITOS

 

(Fonte: Getty Images / Reprodução)

 

Naturalmente, essa mudança acaba sendo encarada como um sinal de regresso da doença mental. No entanto, muitos casos são precedidos pela morte súbita do paciente, contrariando as expectativas dos familiares da pessoa hospitalizada, e até mesmo dos médicos, caracterizando a chamada lucidez terminal.

 

Inclusive, pacientes com doença de Alzheimer, esquizofrenia e tumores cerebrais também aparecem relatados em artigos que abordam esse tipo de episódio. Isso alimenta muitas dúvidas sobre a natureza dos processos neurológicos que ocorrem nesse último estágio da vida, que pode se estender ao longo de horas ou dias.

 

Um artigo de pesquisa, publicado na Alzheimer's & Dementia, destaca outro ponto importante: há ocorrência de episódios lúcidos que não sinalizam a morte iminente. Mas, em geral, esse retorno da memória e da lucidez é tido como um fenômeno temporário e que não reverte a condição apresentada pelo paciente.

 

CASOS DOCUMENTADOS LEVANTAM QUESTIONAMENTOS

 

(Fonte: Getty Images / Reprodução)

Fotos:Reprodução

 

Fato é que ainda não se sabe exatamente o que está por trás da ocorrência da lucidez terminal, já que, se por um lado há situações que parecem trazer algumas memórias à tona, como a fala de um parente querido, há casos que se manifestam sem a presença de qualquer incentivo para tal.

 

Ao menos por ora, o entendimento é que esses episódios de lucidez podem não apenas se apresentar de formas variadas, mas também serem resultantes de reações químicas pouco conhecidas do nosso organismo. Importante destacar que o retorno da memória diz respeito a um evento bastante impactante, tanto para o paciente, quanto para as pessoas próximas a ele.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatAppCanal e Telegram

 

E isso constantemente leva pesquisadores a observarem como o fator ético exerce bastante peso na condução de investigações mais abrangentes, limitando a realização delas. De certa forma, é o que justifica a existência desse campo de estudo tão complexo, capaz de levantar tantos questionamentos pertinentes, e que, ao mesmo tempo, é tão pouco explorado.

 

Fonte:Mega Curioso
 

LEIA MAIS

Coluna Você Sabia? : Truque impede que o gelo derreta e vire água
Enviado por alexandre em 10/05/2024 11:16:49

Copo de drink com gelo

Para garantir que a cerveja do churrasco permaneça bem gelada, é frequente as pessoas adquirirem sacos de gelo e inseri-los no isopor. No entanto, em função da temperatura, em apenas algumas horas todo o gelo pode derreter, exigindo a repetição do processo, caso contrário, a bebida acabará ficando quente.

 

Uma boa notícia é que há um truque para manter a bebida gelada por mais tempo no isopor ou cooler. A proposta é converter o recipiente em um pykrete, um material inventado por Geoffrey Pyke durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Conforme a receita original, a mistura de serragem, algodão e água pode criar um material robusto e mais vantajoso que o concreto. Naquela época, esse método foi utilizado para construir navios e porta-aviões mais resistentes para a Marinha britânica. Hoje em dia, essa técnica impede que o gelo derreta rapidamente e mantém as bebidas de uma festa geladas por mais tempo.

 

Veja também

 

Dá sorte ou é premonição? Saiba o que significa sonhar com assalto

 

Os dentes devem ser escovados antes ou depois de comer o café da manhã?

 

Essa receita é ótima para manter comidas e bebidas geladas por mais tempo em um isopor ou cooler, ideal para festas e eventos ao ar livre, como na praia.

 

Você vai precisar de:

 

Algodão


Água


Um recipiente (pode ser até um pote de sorvete)

 

Aqui está o passo a passo:

 

Coloque bastante algodão no fundo do recipiente, espalhando-o bem. Cubra o algodão com água. Tampe bem o recipiente para evitar contaminação. Se não tiver tampa, use papel-filme para cobrir. Leve ao congelador e deixe endurecer completamente.

 

Assim que estiver pronto, o seu pykrete caseiro estará pronto para ser usado. Basta colocá-lo dentro do isopor, bolsa térmica ou cooler para manter o gelo sólido por mais tempo.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp e Telegram

 

Uma dica importante: não coloque o pykrete diretamente na bebida por causa do algodão. Seguindo esses passos, será um sucesso garantido!

 

Fonte: Diário Online

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

(1) 2 3 4 ... 49 »
Publicidade Notícia