Saúde Bem Estar - Aspirina a cada 3 dias evita enfarte, com risco menor - Notícias
(1) 2 3 4 5 »
Saúde Bem Estar : Aspirina a cada 3 dias evita enfarte, com risco menor
Enviado por alexandre em 25/08/2016 16:53:45

Tomar aspirina para evitar problemas como enfarte e AVC sem ter complicações gastrointestinais é um desafio para pacientes que fazem uso do medicamento. Mas um estudo de pesquisadores brasileiros conseguiu encontrar uma alternativa: ao trocar a dose diária do remédio pela administração a cada três dias, os efeitos benéficos foram alcançados sem afetar outras partes do organismo.

"Medimos uma substância produzida no estômago chamada prostaglandina, que é um protetor gástrico. Quando o paciente toma todos os dias, ocorre uma redução de 50% dessa substância. Ao tomar de três em três dias, não ocorre a diminuição e se mantém a eficácia da aspirina", diz o coordenador da pesquisa, Gilberto De Nucci, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM-Unicamp) e do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). A pesquisa recebeu apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp) e da Biolab Farmacêutica.



O ácido acetilsalicílico (AAS) já é um antigo conhecido dos especialistas da área de saúde por sua capacidade de "afinar o sangue", como é chamado popularmente o seu potencial de evitar que as plaquetas se agrupem e obstruam os vasos sanguíneos. "A aspirina inibe a atuação das plaquetas, que estão entre os responsáveis pela coagulação do sangue. Ela atua como um antiagregante", explica Marcus Vinícius Bolívar Malachias, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia.



O estudo foi feito com 28 pacientes saudáveis e publicado no periódico The Journal of Clinical Pharmacology. O artigo recebeu o destaque de "escolha do editor".



Para os pacientes, o maior benefício de evitar as complicações gástricas é que elas costumam ser silenciosas. "A aspirina causa irritação gástrica que não necessariamente tem sintomas e o paciente pode ser surpreendido, mesmo com doses baixas, por hemorragia gástrica. Apesar do uso de protetores gástricos", afirma De Nucci.



Orientação

Malachias diz que mais pesquisas devem ser feitas até que a recomendação de doses a cada três dias chegue aos consultórios. "A pesquisa é de uma inteligência imensa e grande originalidade. O ideal é que o modelo seja replicado na vida real, mas é importante que sejam realizados mais testes. A maioria da população deve continuar tomando (o remédio) todos os dias. Há um longo caminho, mas abre a perspectiva para os intolerantes à aspirina diária." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Saúde Bem Estar : Conheça hoje os benefícios do chá vermelho
Enviado por alexandre em 09/08/2016 14:06:18

O chá vermelho é uma bebida tradicional feita com as folhas de um arbusto da África do Sul. É consumido de forma similar ao chá preto e contém inúmeros antioxidantes. Comparado com o chá preto ou chá verde, o chá vermelho não tem cafeína, é pobre em taninos e em ácido oxálico. Os taninos são compostos naturais encontrados no chá preto e verde. Eles podem interferir com a absorção de certos nutrientes como o ferro. O consumo excessivo de ácido oxálico pode aumentar o risco de pedras nos rins.



O chá vermelho é rico em antioxidantes como a aspalatina e a quercetina. No entanto, eles nem sempre são absorvidos e usados inteiramente pelo corpo. Esse chá pode ser benéfico para a pressão arterial. Ele pode também diminuir o LDL e aumentar o HDL em pessoas com risco de doença cardíaca. Certos antioxidantes no chá vermelho são anticancerígenos e previnem o crescimento tumoral, no entanto, não existem estudos em humanos.



Estudos em animais sugerem que antioxidantes específicos podem ajudar a equilibrar o açúcar no sangue e melhorar a resistência à insulina. No entanto, estudos em humanos são necessários. Não existem atualmente evidências que comprovem que o chá vermelho melhore a saúde óssea, digestão, sono, alergias, dor de cabeça ou cólica. O chá vermelho é geralmente seguro para consumo e seus efeitos colaterais são extremamente raros.



Referência



https://authoritynutrition.com/rooibos-tea-benefits/

Saúde Bem Estar : Maior consumo de água antes das refeições ajuda na perda de peso, comprova estudo
Enviado por alexandre em 06/05/2016 22:26:27

Maior consumo de água antes das refeições ajuda na perda de peso, comprova estudo

A água pode ser um grande aliado na perda de peso, de acordo com um estudo publicado na última terça-feira (3), no periódico médico Obesidade. Muitos especialistas já indicavam a ingestão de água antes das refeições, mas não havia provas científicas dos efeitos provocados pelo hábito. Até agora. Os pesquisadores reuniram pessoas com sobrepeso, algumas delas obesas, e as dividiram em dois grupos. Todos os voluntários passaram 12 semanas se alimentando com uma dieta de baixa caloria. No entanto, apenas um dos grupos foi orientado a beber mais água. Antes de cada uma das três principais refeições do dia, esse grupo deveria ingerir 500 ml de água. Após a conclusão do período, todos os participantes perderam entre 5 kg e 8 kg, mas aqueles que beberam mais água tiveram uma perda, em média, de 2 kg a mais. Os cientistas explicaram que o maior consumo de água leva a uma menor ingestão do alimento.

Saúde Bem Estar : NO DIA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL, A BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE SÃO PAULO LISTA OS 8 MITOS E VERDADES SOBRE A DOENÇA
Enviado por alexandre em 26/04/2016 19:34:37

NO DIA DA HIPERTENSÃO ARTERIAL, A BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE SÃO PAULO LISTA OS 8 MITOS E VERDADES SOBRE A DOENÇA
Essa é uma doença silenciosa que dificilmente apresenta sintomas e, por isso, gera preocupação.



De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão, mais da metade dos idosos tem pressão alta, 30% da população em geral e 5% das crianças. Essa é uma doença silenciosa que dificilmente apresenta sintomas e, por isso, gera preocupação. Se não tratada, a hipertensão pode provocar derrames cerebrais, doenças do coração, como infarto, insuficiência cardíaca e angina (dor no peito), insuficiência renal ou paralisação dos rins e alterações na visão que podem levar à cegueira. Tendo em vista o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26 de abril, que chama atenção para a importância da prevenção e de dar continuidade ao tratamento, o cirurgião cardiovascular da Beneficência Portuguesa de São Paulo Marcelo Sobral selecionou alguns mitos e verdades sobre a doença. Confira:

1. Se eu não sinto sintomas de hipertensão, não tenho a doença? Mito!

A maioria dos hipertensos não apresenta sinais referentes à doença, ou seja, esse problema pode ser assintomático. Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, dor na nuca, enjoos, tonturas e falta de ar e aparecem, na maior parte das vezes, quando a doença já causou danos ao nosso corpo.

2. O Sal eleva a pressão arterial? Verdade!

O consumo em excesso do sal pode causar retenção de líquido, inchaço e aumento da pressão arterial. É recomendado a ingestão máxima de 3 gramas de sal/dia. Uma dica importante é substituir a opção refinada por temperos ou até sal rosa ou integral que além de possuírem diferentes minerais ainda reduzem a pressão arterial.

3. A boa alimentação auxilia no controle da pressão alta? Verdade!

O sobrepeso e a obesidade podem acelerar em até 10 anos o surgimento da pressão alta, já que exige do coração um maior esforço. O consumo em excesso de gordura saturada e o baixo consumo de alimentos saudáveis como frutas e verduras contribuem para o aparecimento da hipertensão.

4. O estresse não tem qualquer ligação com pressão alta. Mito!

O estresse, reação natural do nosso organismo, causa a elevação da pressão do nosso coração. Por isso, o estresse está extremamente ligado ao aparecimento da hipertensão. É importante manter uma rotina tranquila.

5. A hipertensão é predominante em mulheres. Verdade!

A prevalência da pressão alta aumenta com a idade, cerca de 60 a 70% da população acima de 70 anos é hipertensa. As mulheres apresentam incidência maior de pressão alta em relação aos homens e essa relação se mantem após os 50 anos (menopausa). Em relação à etnia, além de ser mais comum em indivíduos afros descendentes, especialmente em mulheres, a pressão alta é mais grave e apresenta maior taxa de mortalidade.

6. Hipertensão arterial sempre é hereditária. Mito!

Nem sempre. A hipertensão arterial é classificada em primária, que corresponde a 90% da população de doentes e trata-se de uma síndrome que depende de fatores genéticos e ambientais (consumo excessivo de sal e álcool, obesidade, sedentarismo e o estresse). No caso da secundária, doenças das artérias renais, glandulares e endurecimento de paredes de grandes artérias causam o aumento pressórico.

7. Com a pressão controlada, o paciente pode interromper a medicação. Mito!

Mesmo com a pressão sob controle, não é permitido parar com a medicação, uma vez que a pressão só está controlada devido aos medicamentos. Exceção à hipertensão secundária ou relacionada ao estilo de vida, por exemplo, sedentarismo e obesidade, já que com a mudança de hábito, a pressão alta pode desaparecer.

8. Exercícios físicos auxiliam no combate à hipertensão arterial. Verdade!

A prática esportiva ajuda a romper o ciclo do sedentarismo e promove melhoras no condicionamento físico.

Saúde Bem Estar : Gordura localizada: tire 7 dúvidas comuns ao tentar queimá-la
Enviado por alexandre em 03/09/2015 17:38:31

Gordura localizada: tire 7 dúvidas comuns ao tentar queimá-la

 

Que pessoa nunca se incomodou com um pneuzinho de gordura que nunca vai embora? A gordura localizada é um problema comum não só nas mulheres. "E também tem sido uma reclamação dos homens também, principalmente a gordura na parte inferior no abdômen", considera a endocrinologista Rosana Bento Radominski, membro da Comissão Temporária de Endocrinologia do Exercício e Esporte (CTEEE) da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Primeiro é preciso compreender o mecanismo do acúmulo de gordura. Ela é considerada pelo corpo uma energia de reserva, portanto quanto mais calorias consumimos, mais gordura estocamos. "O organismo é programado para armazenar energia nas células de gordura e este acúmulo delas gera o aumento de volume. O resultado final é a gordura localizada em locais específicos do corpo", explica o cirurgião plástico André Eyler. Portanto, equilibrar o consumo e gasto de calorias é a principal medida para conseguir chegar ao emagrecimento e a queima dessa gordura. No caso, ter uma dieta equilibrada e praticar exercícios influenciam diretamente nisso: quanto mais alimentos saudáveis você ingere e quanto mais atividade física você pratica, melhor o seu balanço energético. Mas é claro que existem técnicas que ajudam a acelerar esse processo, mas nem todas são tudo isso que dizem por aí. Veja a seguir as principais dúvidas sobre quem está tentando perder a gordura localizada:

Gordura localizada da barriga é mais difícil de eliminar do que as outras?

Depende! "A eliminação da gordura se realiza de forma globalizada no corpo, sendo mais notória nas áreas que possuem menos quantidade e mais difícil de eliminar nas zonas onde o acúmulo de gordura e maior", explica o cirurgião plástico Eduardo Sucupira, diretor da Clínica Essendi, no Rio de Janeiro, e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC). Portanto, o que conta no final das contas é onde você tem maior tendência a acumular suas gordurinhas: enquanto algumas pessoas concentram tecido adiposo na barriga, costas e lateral do abdômen, outras tendem a estoca-lo nas coxas, quadris, glúteos e cintura. Em geral, isso é definido pela genética.

Gordura localizada por tendência genética nunca será eliminada?

Não é porque a gordura localizada mais concentrada demora mais para ser eliminada, que esse processo é impossível. Dieta balanceada e exercícios físicos são indicados nesses casos, mas é preciso persistência! "Em casos específicos, pode haver necessidade de lipoaspiração para completar o tratamento", considera a endocrinologista Rosana Bento Radominski, membro da Comissão Temporária de Endocrinologia do Exercício e Esporte (CTEEE) da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Mas o ideal é que isso seja feito quando o paciente não apresenta mais sobrepeso, de acordo com a especialista.

Os exercícios aeróbicos devem ser localizados?

Exercícios localizados não ajudam na queima de gordura daquele local específico, e sim do corpo como um todo. "Os exercícios aeróbicos queimam gordura à medida que ela é uma fonte de energia que pode ser solicitada pelo organismo durante os exercícios corretamente feitos em repetição e tempo", conta o dermatologista Murilo Drummond, professor titular do Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Isso já foi demonstrado inclusive em estudos com tenistas, que apesar de exercitarem muito mais um dos braços em seu esporte, normalmente não apresentam diferença na concentração de gordura entre eles. Para perder gordura corporal, o ideal é fazer exercícios aeróbicos: "de preferência aqueles que conseguimos executar por períodos de tempo mais longos, em intensidade baixa a moderada", explica o educador físico André de Carvalho, de São Paulo. Portanto, o ideal é fazer atividades como caminhada, natação e ciclismo por pelo menos 40 minutos, em uma intensidade que você consiga conversar sem perder a respiração.

Termogênicos auxiliam na perda da gordura localizada?

Os alimentos termogênicos até ajudam na perda de gordura localizada, mas não podem ser considerados os protagonistas nessa batalha. "A ação termogênica aumenta o gasto calórico do organismo durante a digestão e o processo metabólico", explica a nutricionista Karina Valentim, da PB Consultoria em Nutrição, em São Paulo. No entanto, esse aumento não é extremamente significativo, a ponto de favorecer sozinho o equilíbrio das calorias consumidas e gastas, é preciso ter hábitos alimentares saudáveis, consumindo menos carboidratos simples e gorduras. Mas alimentos com a pimenta podem ajudar na perda da gordura localizada por outros motivos: "esses alimentos liberam catecolaminas, responsáveis pela diminuição do apetite", descreve a nutricionista. Dessa forma, é possível reduzir as calorias ingeridas no dia, reduzindo o acúmulo de gordura.

Só usar cremes com efeito criogênico reduz a gordura localizada?

Cremes com efeito criogênico normalmente levam cânfora ou mentol, produtos que causam refrescância e atuam na circulação do local, melhoram a drenagem dos vasos linfáticos, o que contribui para que a gordura circule melhor pelo corpo para ser utilizada como energia. No entanto, é preciso que o corpo entre em processo de lipólise (quebra de gordura), o que o creme não fará sozinho. "Os cremes podem ser aplicados como auxiliares, mas sua ação principal é a vasodilatação e a melhora da qualidade da pele, dificilmente o princípio ativo conseguirá penetrar na camada gordurosa e agir eficazmente", explica a dermatologista Bhertha Tamura, mestre e doutora em Dermatologia pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). Portanto, o ideal é aliar esse tipo de tratamento com exercícios físicos e alimentação balanceada.

Usar aparelhos caseiros de estimulação elétrica ajuda?

Infelizmente não existe feitiçaria quando o assunto é acúmulo de gordura. "A eletroestimulação funciona estimulando a fibra muscular e não no tecido adiposo, por tanto não ajudam a eliminar a gordura localizada", explica o cirurgião plástico Sucupira. Portanto, eles na verdade reduzem a flacidez, ao proporcionarem uma maior firmeza dos músculos e pele, mas não diminuem medidas.

(1) 2 3 4 5 »