Amor e Sexo - Como usar o gelo para elevar a temperatura no sexo - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 58 »
Amor e Sexo : Como usar o gelo para elevar a temperatura no sexo
Enviado por alexandre em 01/06/2017 18:50:00


6 práticas sexuais que podem quebrar o pênis do gato; fique atenta



1. Você por cima

A forma mais comum de fraturar o pênis é durante o sexo com penetração e na posição na qual a mulher está por cima. Segundo o urologista Laurence Levine contou a Cosmopolitan americana, o movimento do pênis é o motivo pelo qual o acidente é mais comum, já que na tentativa de voltar, o pênis possa acabar “errando a entrada” e dobrando. “Quando as mulheres estão por cima, elas controlam o movimento e não conseguem parar quando o pênis sofre algum tipo de lesão no momento”, explicou.

2. Cowgirl reversa

Não é surpresa que outra posição na qual a mulher está por cima possa causar riscos para o homem, ainda mais uma na qual o movimento se torna mais complicado. Esta posição coloca o pênis em um ângulo muito arriscado e também adiciona muita pressão ao movimento, o que aumenta as chances de algo sair bem errado.

3. Sexo anal

“A penetração anal pode adicionar muita pressão ao pênis, ainda mais se a pessoa sendo penetrada não está confortável com a situação”, explicou o urologista. Portanto, essa é mais uma razão pela qual vocês precisam investir no aquecimento antes do sexo anal.

4. Masturbação muito intensa

Sim, os boys podem quebrar seus próprios pênis se eles estiverem se masturbando de forma muito intensa e em um ângulo errado. Entretanto, geralmente estes acidentes não acontecem quando eles estão tranquilos em seus quartos, mas em situações nas quais eles não deveriam estar se masturbando. A mesma regra se aplica se você estiver dando prazer ao gato com as suas mãos. Portanto, cuidado!

5. Dobrar o pênis

Sabe quando rola aquela ereção indesejada? A melhor coisa é o cara não tentar escondê-la ao apertar o pênis com muita força. Isso pode acabar levando-o para o hospital!

6. “Jelqing”

Se você não sabe o que é jelqing, a gente explica para você! É uma técnica para aumentar o tamanho do pênis, na qual os homens apertam suas zonas P na base para aumentar a circulação de sangue. Não há nenhum estudo que comprove que a prática vá deixar o pênis maior permanentemente, mas ele pode dar uma leve aumentada momentânea e, de quebra, também causar uma fratura. Será que vale arriscar?

Fonte: COSMOPOLITAN EUA


Confira cinco boas razões para deixar o sexo fora da água



Facto: os rigores do inverno ficaram para trás. Facto: já se sente no ar que a combinação explosiva de pele à mostra com um calor de ananases influencia diretamente o aumento do desejo sexual.

Facto: este mesmo calor e esta mesma luxúria podem, por momentos, fazer supor que seria boa ideia levar o sexo para dentro de uma piscina, um jacuzzi, o mar, num cenário idílico de corpos molhados em fundo azul. E por isso lhe dizemos desde já que é melhor pensar duas vezes antes de mergulhar de cabeça no fetiche.

«Ainda que nos custe a convencermo-nos disso, a água é um péssimo lubrificante», adiantou ao El Mundo o ginecologista espanhol Cubillo Rodríguez. «Em vez de facilitar a penetração, só complica.»

Claro que nos sentimos mais sexy no verão, com uma disponibilidade diferente para tentar contextos ousados, confirma a psicóloga e sexóloga Ana Carvalheira. «Baixamos os níveis de controlo do nosso comportamento com estímulos novos, o que leva a que nos deixemos ir mais facilmente.» Contudo, diz, quebrar a rotina não significa correr riscos desnecessários.

Caso continue a sentir-se aventureiro depois do rol de motivos que lhe apresentamos a seguir, experimente trocar a fantasia da piscina por uma outra que envolva toalhas numa duna branca, à sombra de coqueiros (de preferência num local deserto e sem areia nos calções, ou acabará a braços com outro tipo de problemas). Se ainda assim insistir em meter água no cenário, tente o duche: tem na mesma a sua dose de romantismo, mas com menos riscos associados.

1. FRICÇÃO
A última chamada de atenção, mas não menos importante, prende-se com o facto de a lubrificação deficiente dentro de água acentuar a fricção durante o ato sexual, aumentando as probabilidades de o preservativo se romper, com todos os riscos daí decorrentes. No caso das piscinas coloca-se ainda a hipótese de alguém poder escorregar e magoar-se a sério, pelo que na dúvida calce uns chinelos (arrisca-se menos ao ridículo do que se lhe fugirem os pés em plena performance).

2. PRESERVATIVO
O improviso e querer curtir ao máximo o momento não servem como desculpas para não se usar preservativo – o que, convenhamos, é difícil, sobretudo se a água for fria e interferir com o desempenho masculino. Independentemente de o casal decidir ir em frente com o sexo na água ou em terra, é sempre melhor tratar desta parte cá fora.

3. LUBRIFICAÇÃO
A água elimina quase por completo a lubrificação natural do nosso organismo, pelo que aquilo que devia deslizar tende a parecer borracha, aumentando o risco de lesões. Para quê insistir quando há tanto por onde dar largas ao desejo?

4. INFEÇÕES
Ainda na sequência dos desinfetantes na água (ou da falta deles), uma pesquisa levada a cabo pela Universidade de Alberta, no Canadá, concluiu que uma piscina média costuma conter cerca de dez litros de urina de banhistas que não quiseram interromper a diversão para irem à casa de banho. Se as outras razões não chegam para o convencer…

5. QUÍMICOS
Água do mar turva é um contentor de bactérias que se introduzem na vagina com o ato sexual, tanto quanto o são as piscinas sem as devidas quantidades de cloro (e quem somos nós para avaliar se os níveis de desinfetante estão, ou não, no ponto?). Também o cloro em excesso é propício ao aparecimento de fungos na zona genital durante o sexo, potenciados pela humidade e pelos fatos de banho sintéticos e apertados. Irritações, inflamações e vaginoses bacterianas são sempre uma potencial ameaça a evitar.

Fonte: Notícias Magazine


Como usar o gelo para elevar a temperatura no sexo



Embora possa parecer um pouco estranho ou assustador, é realmente muito fácil colocar o gelo na hora do sexo com seu parceiro ou parceira; isso sem contar que não é necessário gastar dinheiro com sex toys, né? Esse detalhe vai tornar as preliminares muito mais divertidas e ousadas, apresentando os dois a novas sensações.

Como funciona?
Simplificando, é uma técnica usada frequentemente (mas não exclusivamente) em BDSM, assim como as preliminares com chantilly que usam a mudança de temperatura para estimular a pele e provocar uma reação sensual. Vale até combinar com uma venda ou algemas, tá?

Por que é tão bom?
O objetivo principal do jogo da temperatura é provocar a excitação usando a percepção da pele. A estimulação através do calor ou do frio dá ao corpo um misto de sensações que, durante as preliminares, é convertido na excitação. Ou seja, tudo de bom! O fato de ser imprevisível é o ponto principal.

Quais são as possibilidades?
Como já dissemos, é interessante combinar o quente e o frio. Portanto, não basta limitar-se a cubos de gelo, sorvete ou morangos e creme da geladeira – líquidos quentes, como cera derretida (certifique-se de usar velas próprias para esse tipo de uso), chocolate derretido, xarope de chocolate ou óleo comestível podem ser adicionados à mistura para tornar a transa mais agradável.

O que você precisa?
Objetos de vidro ou metal, que retém a temperatura, são instrumentos chave para fazer as brincadeiras ficarem mais divertidas.

Como fazer isso?
Você pode colocar um cubo de gelo na boca e esperar ele derreter na sua língua e lábios, assim as preliminares terão um estimulo a mais. Se o seu parceiro tem um pênis, brincar com as mãos pode ser muito divertido. Você pode segurar um pacote de gelo em uma mão e deixar o outro à temperatura do corpo. Ao mudar de mãos durante a masturbação, ele vai sentir uma grande variedade de sensações.

Fonte: Com informações de Cosmopolitan

Amor e Sexo : Confira as 10 fantasias mais idealizadas durante a masturbação
Enviado por alexandre em 21/04/2017 13:07:26


Confira as 10 fantasias mais idealizadas durante a masturbação


Segundo Paulo Nobuo desejos, fetiches e preferências sexuais são bastante íntimos e variáveis e raramente são tão explícitos quanto no momento da masturbação, já que a prática solitária não sofre julgamentos ou precisa ser explicada. Algumas fantasias, porém, costumam aparecer de forma comum entre homens e mulheres heterossexuais durante a masturbação. Conheça as principais:

Fantasias comuns entre homens na masturbação

1. Recordações de momentos excitantes e transas com parceiras do passado, com algumas alterações mais picantes, são fantasias comuns entre os homens na masturbação.

2. É comum ainda os homens fantasiarem sexo casual com mulheres com quem encontram no dia a dia, como vizinha, colegas de trabalho, aluna da academia, etc.

3. Transas em lugares públicos ou proibidos também fazem parte do imaginário masculino durante a masturbação.

4. Sexo com duas ou mais mulheres ao mesmo tempo é outra fantasia clássica entre os rapazes no prazer solitário.

5. Apesar de nem sempre admitirem ou colocarem em prática, muitos homens fantasiam na masturbação um sexo mais ousado, com fetiches sadomasoquistas, variando os papéis de dominador e submisso.

Fantasias comuns entre mulheres na masturbação

1. Na prática, nem sempre as mulheres se sentem confortáveis com o papel de submissão, mas, durante a masturbação, podem ficar excitadas com fantasias em que são dominadas pelo parceiro. Algumas também gostam de se imaginar no papel dominador, mesmo que não pratiquem isso na vida real.

2. As mulheres ainda costumam lembrar de momentos eróticos vividos com o parceiro atual ou anteriores, geralmente focando em um aspecto da transa que foi especialmente excitante para elas - como uma posição ou um diálogo quente.

3. Elas gostam de fantasiar com um cenário em que são extremamente desejadas por mais de um homem.

4. Também faz parte da fantasia feminina sexo com estranhos ou com pessoas do convívio com quem têm pouca intimidade: um colega de trabalho ou de academia, por exemplo. mesmo com um chefe, funcionário, colega da academia, etc., também fazem parte das fantasias comuns entre as mulheres na masturbação.

5. É comum, ainda, as mulheres não imaginarem nenhum cenário específico neste momento e apenas focarem a atenção no toque e as sensações do próprio corpo.

Fonte: Com informações de Bolsa de Mulher


Conheça a forma ideal para estimular o clitóris e aumente o prazer

Alguma vez você provavelmente já deve ter se perguntado o que fazer para melhor estimular o corpo feminino.

É claro que a mulher vai muito além de um único órgão. Estimular a mulher em todas as suas possibilidades é o indicado.

O clitóris é a parte mais sensível da mulher. Por este motivo ele não deve ser tocado com força, nem com a mão seca.

O melhor é sempre ter alguma lubrificação sobre ele, para que algo sobre ele seja deslizado.

Essa lubrificação pode ser a própria lubrificação feminina gerada pelo prazer que a mulher está sentindo ao já ser estimulada em outras partes do corpo, ou pode ser um gel lubrificante comprado em qualquer farmácia, sex shop, ou loja de produtos voltados ao mundo do sexo. O que não é indicado são estímulos secos.

Detalhe: se for comprar um lubrificante, compre sempre os que são a base de água, e evite outros compostos. A base de água é saudável e não causa lesões nos genitais.

Não tente estimular o clitóris com o pênis

A melhor maneira de estimular o clitóris é não usar somente o pênis.

Se você quiser estimular o clitóris de uma ótima maneira é preciso usar a mão e os lábios.

Se você usar somente o pênis, como ensinaram aos homens através dos filmes pornôs, ficará muito aquém do que a mulher pode sentir.

Pênis em ereção tocado diretamente no clitóris, em geral, não é gerador dos melhores estímulos para as mulheres.

Faça movimentos agradáveis

O clitóris pede movimentos leves e úmidos, ou seja, a sensação de prazer na mulher virá através de movimentos não agressivos.

Este prazer é percebido pelos receptores sensíveis ao toque, ao movimento e a temperatura que existem no corpo inteiro, mas que tem no clitóris uma intensa concentração deles.

As posições sexuais

Em raríssimas posições durante a penetração se consegue estimulação do clitóris. Praticamente em nenhuma das centenas de posturas praticadas se toca o clitóris como deveria ser tocado, como explico alguns segredos no meu livro sobre Orgasmos Femininos.

O melhor estímulo do clitóris não ocorre durante a penetração.

Uma das poucas posições durante a penetração que estimula o clitóris é quando a mulher se posiciona por cima do corpo masculino, como se cavalgasse sobre o seu.

Esta posição, se a mulher estiver sendo penetrada e inclinar levemente o corpo dela pra frente, aproximando um pouco mais de um ângulo de 45º, em geral facilita o toque no clitóris.

Mas mesmo assim, nesta posição, a mulher ainda estará tocando o clitóris dela de forma limitada, porque o toque do clitóris será na base da sua barriga bem próximo do pênis, em uma área que você tem um osso ali (identificado como baixo ventre) onde normalmente iniciam os seus pelos pubianos (pentelhos) e esta parte nem sempre está úmida e nem é tão quente quando a boca por exemplo.

A boca é imbatível no estímulo do clitóris

Sem dúvida nenhuma a boca é o melhor estímulo que se pode proporcionar ao clitóris.

A grande maioria das mulheres prefere receber uma estimulação neste órgão exatamente com a boca.

Então, você pode usar o que quiser, mas a boca, é ainda a preferência nacional para as mulheres. A boca é quente, úmida e excitante para a grande maioria delas.

E sabe o que as mulheres gostam?

Que quando for estimular o clitóris, que não vá direto com a boca em cima dele.

Mais ou menos assim, olha só: quando for estimular um clitóris, depois da mulher já estar permitindo o toque, de você perceber que ela já está aberta para este prazer, para este estímulo, e os corpos já estão excitados, comece a passar a sua boca e os seus lábios nas coxas, na parte interna das coxas, sem pressa.

Assim que tirar a calcinha não bote a boca já direto no clitóris, mulheres adoram uma expectativa, mais do que a objetividade que homens tem nesta hora.

Voltando a falar do estímulo, passando a sua boca vá subindo, chegue na virilha, bem próximo da vagina, mas quando estiver bem perto, pule o toque direto na vagina e evite neste momento já tocar o clitóris.

Deixe ela esperando o toque que vai vir, que a qualquer momento pode acontecer. Isto estimula as mulheres, este vai-não-vai.

Então quando passar perto, deixe ela sentir a sua respiração e a temperatura da sua boca próxima da vagina, dos grandes lábios, mas passe perto, bem perto, e pule esta área.

Vá para o outro lado, para a outra virilha. Beijo levemente, morda levemente, lamba este lado também.

Passe perto mas não toque

Chegue na cintura, passe por ali, de estímulo onde quiser nesta área definitivamente feminina, passe se quiser perto do umbigo e depois volte para próximo do clitóris.

Quando chegar perto do clitóris, rodeie, passe a língua e os lábios em volta dele como se fosse circular com a sua língua todos os lados do clitóris, em volta dele.

Tão perto que neste momento já estará estimulando o clitóris, sem ela ter se dado conta de que você chegava ali, mas não toque nele como se fosse a última oportunidade da vida.

Chegando no clitóris, pode toca-lo bem de leve.

Deixe a mulher entrar no seu jogo, não entre no jogo dela. Você só precisa dar o estímulo, deixe ela ir aumentando a excitação.

Se você der o estímulo certo a excitação vai subir.

Na primeira vez que chegar com a boca nessa área lembre, passe perto, tão perto que ela irá querer mais.

Detalhe: se no meio do caminho, estando excitada, a mulher quiser toque mais forte, pode ficar tranquilo que ela irá sinalizar.

Vai trazer a sua cabeça para perto dela, vai se posicionar de um jeito diferente, vai tentar puxar você para o toque mais forte naquela hora, no entanto, somente se ela quiser.

Se não, faça toques leves e decididos, próximo mas não já diretos no foco, são os campeões no estímulo. Aproveite.

O que você precisa saber e nunca esquecer

A insistência em penetrar o pênis mantém o clitóris longe do prazer possível de ser alcançado com ele. Para melhor estimula-lo vá além do contato genital, use outras partes do seu corpo, use a boca e as mãos, muito mais que o pênis.

Sempre que for ao sexo, lembre de que clitóris existe, e elas adoram um bom estímulo recebido.

Fonte: Sexo sem dúvidas

Amor e Sexo : Confira 3 coisas para você não fazer depois do sexo
Enviado por alexandre em 02/03/2017 00:33:41

Confira 3 coisas para você não fazer depois do sexo

Você pode ter tido a sua melhor relação sexual, com orgasmos e muito prazer, mas algumas atitudes depois disso tudo podem trazer problemas

Quem não gosta daquela sensação de bem-estar, depois de ter tido uma transa maravilhosa com o parceiro? Vocês fizeram tudo o que tinham direito e estãos prestes a dormir. Entretanto, depois desse momento de prazer, algumas coisas que parecem simples podem te trazer muitos problemas.

Como explica a ginecologista Leslie E. F. Page ao site da revista "Women's Health", depois do sexo o corpo apresenta certas reações que fazem com que aumente o risco problemas e doenças. "Durante a relação, os tecidos da vagina foram lubrificados, ficaram inchados e sofreram fricção. Isso tudo muda a maneira como o corpo reage em relação ao ambiente. Há um grande risco de contrair alguma infecção", diz a especialista. E as coisas que você fizer neste instante podem influenciar diretamente neste cenário.

Diante disso, veja dicas do que evitar logo após o sexo para manter a saúde em dia:

Não se esqueça do xixi

Quando xixi encosta na vagina, bactérias podem ser empurradas para sua bexiga. "Isso pode resultar em uma infecções da bexiga pós-coito," diz o obstetra Robert Lã. A sugestão dele é que você espere uma hora depois do sexo para urinar.

O médico ainda lembra que durante a relação sexual, há o inchaço e podem ocorrer pequenas lesões, deixando a pele da vulva da mulher mais sensível e propensa a infecções. Portanto, depois do xixi, outra coisa que pode ser feita é limpar da frente para trás, para evitar a propagação matéria fecal a partir do seu ânus para a zona V.

Sem excessos na hora da higiene íntima

Algumas mulheres podem sentir vontade de tomar um banho e lavar com sabão a região íntima depois do coito, mas isso é realmente desnecessário. A pele pode reagir de maneira diferente a produtos de limpeza no pós-sexo e o uso de sabão pode levar a irritação vaginal e secura", diz Lã.

Leslie também explica que a "vagina é um órgão de auto-limpeza, que precisa ser tratada muito, muito gentilmente". Ela sugere a seguinte comparação: "Se você não coloca em sua boca, não deve colocar na sua vagina".

Se você quiser tomar um banho depois da relação, use apenas água para enxaguar a região íntima.

Não durma de lingerie sexy

"Depois do sexo, sua pele tende a ficar quente e úmida, graças à transpiração, às secreções vaginais e ao sêmen", comenta Leslie. Por isso, neste momento ela precisa "respirar". Pensando nisso, você pode até usar uma lingerie de algodão, mas nem pense em vestir qualquer peça ou coisas de nylon, rayon ou poliéster na região íntima. "A vagina gosta de ar para respirar", diz Lã.

Delas / iG

Amor e Sexo : No Brasil, homens fazem mais sexo oral que mulheres
Enviado por alexandre em 20/02/2017 00:58:10

No Brasil, homens fazem mais sexo oral que mulheres


Diversas pesquisas são realizadas pelo mundo sobre uma prática comum: o sexo oral. Entre as descobertas mais recentes sobre o tema, tem aumentado o número de pessoas que pratica sexo oral. Porém, alguns estudos estrangeiros mostram uma desigualdade de gênero: os homens fazem menos e recebem mais do que as mulheres. Na última versão disponível da Natsal (Pesquisa Nacional de Atitudes Sexuais e Estilos de Vida), com dados de 2012 de mais de 15 mil britânicos entre 16 e 74 anos, a disparidade aumenta conforme a faixa etária. Entre 33 e 44 anos, 80% dos homens dizem receber sexo oral contra 75% das mulheres. Na idade de 45 a 54, a parcela masculina que desfruta da prática é de 71% em comparação a 63% das entrevistadas do sexo feminino. E apenas 35% das mulheres de 55 a 64 anos ganham o estímulo contra 52% dos homens na mesma faixa etária. A diferença na reciprocidade não se restringe aos mais velhos. Em uma pesquisa com 900 estudantes universitários canadenses, realizada em 2013 e publicada este ano no Jornal Canadense de Sexualidade Humana, mais mulheres (59%) reportaram ter feito sexo oral do que os homens (52%). Além disso, mais do dobro de garotas (26%) do que rapazes (10%) disseram que realizaram a prática no parceiro, mas não receberam o agrado de volta. Segundo Jessica Wood, uma das autoras do estudo e pós-doutoranda na Universidade de Guelph, no Canadá, uma das explicações para essa desigualdade pode estar na ideia dos papéis sexuais. Tradicionalmente, as mulheres sempre foram vistas como passivas e submissas, enquanto os homens ocupavam o lugar de dominantes. “Apesar desses conceitos terem mudado ao longo dos anos, ainda há evidência de que esses papéis sexuais influenciam nossas ideias sobre quem tem direito a dar e receber prazer”, explica.

Amor e Sexo : 6 tópicos para um diálogo sobre sexo que todo casal deve ter
Enviado por alexandre em 06/02/2017 02:04:01


6 tópicos para um diálogo sobre sexo que todo casal deve ter


Não é preciso falar que qualquer mulher adora transar com o seu parceiro, mas ainda existem alguns tópicos que poucas mulheres são claras a respeito, por terem vergonha de se abrir e ter uma conversa sobre sexo com o seu parceiro.

Ter uma conversa sobre sexo com franqueza e sinceridade faz com que o casal tenha dez vezes mais chances de ter um relacionamento feliz do que os que aqueles que ignoram o assunto.

A comunicação entre o casal faz toda a diferença, dando mais força e longevidade ao relacionamento, e falar sobre a intimidade sexual está no topo da lista do que deve ser conversado.

Veja agora as 6 questões que devem ser abordadas numa conversa sobre sexo para que possa fazer com que as coisas fiquem mais interessantes entre vocês.

1. Limites

Ao menos que você queira acabar em uma situação no estilo de “o que você está fazendo?”, é muito importante vocês discutirem os limites de cada um.

Da mesma maneira que é fantástico e vocês mais do que devem experimentar coisas novas juntos na hora do sexo, é importante vocês conversarem sobre isso para que a nova experiência não se torne um grande fracasso.

Deixe claro se você está disposta e se sente confortável com o que ele quer fazer antes dele tentar e você acabar não gostando, criando assim uma situaçao horrível na hora H.

Tendo uma conversa sobre sexo, ambos conseguirão falar sobre os seus limites, desejos e vontades. O pior que pode acontecer é que as suas fantasias continuem apenas como fantasias, e na melhor das hipóteses, vocês terão uma nova experiência sexual.

2. Raízes

Muitas pessoas são educadas de maneira que passam a ver o sexo como algo obscuro, ruim, ou até mesmo como um pecado ou tabu. Outras podem vê-lo de uma maneira mais “forte”, gostar de coisas mais ousadas e que não são consideradas “normais” pela maior parte da sociedade.

Por isso, se um dos dois tende a ver o sexo de uma dessas maneiras, o seu parceiro ou parceira pode não aceitar, e nesta hora não há nada mais importante do que uma boa conversa sobre sexo para cada um expor as suas necessidades e desejos.

Como se trata de pessoas que cresceram, criaram suas raízes desta maneira, pode ser que ele ou ela precise de um terapeuta sexual, ou se não, muita leitura sobre o assunto para poder ir abrindo a mente e ir tentando mudar os seus conceitos.

3. Segurança

Não importa se ambos têm mais de um parceiro sexual ou não, nesta hora é muito importante ter uma conversa sobre sexo seguro, pois como um resfriado o vírus pode passar de pessoa para pessoa, no sexo também, por isso é muito importante falar sobre isso com naturalidade antes da primeira transa.

Além da segurança quanto às DSTs (doenças sexualmente transmissíveis), também fale a respeito dos métodos contraceptivos, seja sincera a respeito dos métodos que usa ou quer usar.

Em apenas uma transa você pode pegar alguma DST ou engravidar, por isso é muito importante conversar sobre este assunto.

4. Disfunção

Algumas pessoas sofrem com algumas disfunções sexuais, por isso é muito importante falar sobre isso.

Muitos homens têm problema em tocar neste assunto. Se eles não conseguem ficar com o pênis ereto, ou seja, brocham na hora H, com certeza irão se sentir péssimos, mas se a mulher conversa com ele com jeitinho sobre isso, poderá ser resolvido da maneira mais tranquila e assim que relaxados tentarem outra vez.

Porém, nem só os homens sofrem com disfunções sexuais; as mulheres também.
Algumas por exemplo têm problema de secura, ou seja, não ficam com a vagina lubrificada rapidamente, por isso é importante falar com ele a respeito deste assunto.

Não precisa ser uma conversa pesada, chata ou séria demais, ela pode falar “eu demoro um pouquinho para ficar molhadinha, mas é só a gente brincar mais nas preliminares que o problema se resolve!”

5. Exclusividade

Não assuma que vocês não precisam fazer um claro acordo verbal, ou simplesmente acreditar que ele não sai com mais ninguém; você corre um grande risco de estar mentindo para si mesma.

Muitas vezes a mulher prefere acreditar na exclusividade do seu parceiro, pois tem medo de falar sobre isso e o cara não concordar.

Embora para algumas pessoas falar sobre isso possa parecer algo relacionado a ciúmes, isso deve ser tratado como algo de extrema importância e sinceridade, para que assim possam se cuidar na hora de ter relações sexuais.

6. Feedback

O seu parceiro não tem o poder de ler a sua mente, por isso é muito importante falar do que você gosta e não gosta na hora do sexo.

Fale para ele o que você gostou que ele fez, dê um feedback, assim da próxima vez pode ter certeza que ele irá se dedicar a fazer mais e melhor aquilo que você gostou.

Dê sinais durante o sexo do que está gostando, eles adoram esses sinais não verbais, faça com jeitinho e de maneira extremamente excitante. Você não precisa ser uma general na cama, com jeitinho tudo pode ser dito.

Se você tiver uma conversa sobre sexo com o seu parceiro falando sobre esses 6 tópicos, com certeza o relacionamento de vocês irá melhorar e será muito mais saudável.

Fonte: Irresistível

Verdadeiro ou falso? Saiba tudo sobre o orgasmo feminino



Quantas mulheres você já soube que tiveram orgasmo? Pergunte às suas amigas, quantas delas podem dizer com certeza que já experimentaram a sensação? Muitas delas podem ficar em dúvida e, as que ficarem em dúvida foi porque nunca sentiram realmente, pois fala-se muito que quem já teve de verdade tem certeza disso, sabe o que é o orgasmo sem pensar duas vezes.

A melhor forma de descobrir realmente se uma mulher teve orgasmo em sua vida é perguntar sobre o que sentiu no momento. Se você começar a tentar comparar a sensação com alguma outra coisa como andar de montanha russa, saltar de paraquedas ou qualquer outra atividade esportiva que traga adrenalina, o caso é pior do que se imaginava. O orgasmo dificilmente pode ser comparado com isso, pois é uma sensação única de frisson e bem estar que faz com que a mulher saia do corpo por alguns segundos e volte à consciência logo depois, se sentindo extasiada.

Dificuldade em ter orgasmo

Porém, não é preciso se envergonhar se você não sabe o que é o orgasmo por nunca ter sentido um, isso não significa que a culpa é sua necessariamente ou do seu parceiro, pois estudos já identificaram através de pesquisas que a mulher sente muita dificuldade em chegar lá.

Diferente dos homens, a mulher é muito mais sensível e suscetível ao ambiente, ou seja, vários fatores podem influenciar e fazer com que ela tenha ou não orgasmo e não simplesmente o estímulo sexual como ocorre com os homens.

Para os homens é tudo mais simples, basta manter um estímulo frequente e movimentos repetitivos na região do pênis para que ele ejacule e tenha orgasmo, já a mulher não. Para a mulher existem alguns detalhes importantes como ter confiança em seu parceiro, estar satisfeita com seu próprio corpo, estar relaxada sem preocupações exteriores e ter conhecimento sobre seu próprio corpo e as áreas que mais a deixam excitada.

Muitas mulheres podem ter realmente um distúrbio sexual, que é o caso daquelas que não sentem prazer sexual. A falta de desejo pode existir em alguns casos e uma mulher só saberá disso se for diagnosticada após uma consulta ao ginecologista.

Alguns outros fatores como o tabagismo, menstruação, álcool, dependência química, uso de tranquilizantes e anticoncepcionais de baixa dosagem, doenças como diabetes, endometrioses, miomas e doenças vasculares, além da menopausa, podem fazer com que a mulher perca o desejo sexual.

Obviamente, as causas podem ter origem psicológica também como quando uma mulher sofreu algum abuso na infância, foi estuprada na fase adulta ou tem alguns tabus devido à religião ou outros fatores. Assim, isso pode criar barreiras e impedir a liberdade sexual e, consequentemente, a chegada ao orgasmo.

Vamos conhecer abaixo alguns mitos e verdades para você entender exatamente o que é o orgasmo e se inteirar mais sobre este assunto.

1. A culpa é sempre do parceiro

FALSO!

Na maioria das vezes cada pessoa é responsável pelo seu próprio orgasmo. Claro que alguma exceções existem e o homem pode ser realmente péssimo em estimular a mulher e ser egoísta na cama, mas a mulher precisa saber que partes mais a excitam e passar a informação ao parceiro.

Nenhum homem pode adivinhar isso, talvez na sorte ele possa acabar descobrindo, mas ter conhecimento do seu próprio corpo ajuda (e isso aliás é possível através da masturbação) e é essencial para que você chegue lá. Lembre-se de estar bem relaxada também, alivie todas as tensões e entregue-se por completo, sem medo de ser feliz.

2. O orgasmo é muito intenso

FALSO!

A ideia de que o orgasmo tem que ser uma sensação intensa como se estivesse saindo do chão, vendo estrelas, fazendo uma viagem astral, sentindo uma euforia inexplicável e tudo mais, não passa de mito. As sensações do orgasmo podem variar de pessoa para pessoa e em algumas mulheres não é tão intenso, mas sempre causa uma sensação plena de satisfação e certa inconsciência por alguns segundos.

Quando sentir uma situação crescente de excitação que chega ao clímax, você vai entender o que é o orgasmo. Alguns fatores que diferenciam os orgasmos nas mulheres são as emoções, sentimentos, lembrança de orgasmos anteriores, tempo, ambiente e parceria sexual.

3. Existe uma receita para o orgasmo

FALSO!

Como mencionado acima, a sensação sobre o que é o orgasmo é diferente para cada mulher. Portanto, a busca pelo orgasmo também é, por isso não existe uma receita de bolo para chegar lá. Cada mulher é um ser único, subjetivo e a fórmula que funciona para uma mulher pode não funcionar para outra.

Cada uma deve descobrir a chave do sucesso para seu próprio orgasmo e guardar isso para si mesma, pois os seus gostos sexuais nunca serão iguais de suas amigas. A única forma de descobrir é praticando muito e de formas diferentes.

4. O tempo de orgasmo é igual para homem e mulher

FALSO!

O processo de orgasmo da mulher é bem mais lento e vai crescendo gradualmente. A mulher tem a diferença anatômica de precisar estar bem lubrificada para ser penetrada sem dor ou desconforto, já o homem, assim que estiver ereto, já está pronto para a prática e para gozar. Porém, em certos momentos o orgasmo da mulher pode ser rápido, se ela estiver realizando alguma fantasia, por exemplo. Isso varia de acordo com a situação e emoções, mas o orgasmo do homem costuma ser mais rápido.

5. Preliminares longas causam orgasmos mais intensos

FALSO!

Como mencionado acima, a mulher pode ter orgasmos logo no início da atividade sexual apenas se estiver muito excitada e estimulada mentalmente. Se já houver um tesão prévio e um estímulo mental muito forte relacionado a fantasias, a mulher pode ter orgasmos sem muito esforço. Aliás, existem mulheres que têm orgasmos sem contato nenhum, apenas com a força do pensamento.

6. Toda mulher pode ter orgasmo

VERDADEIRO!

Exceto aquelas que sofrem distúrbios que comprometem a resposta sexual, mas toda mulher tem a capacidade e todos os aparatos biológicos necessários para ter um orgasmo. Nenhuma mulher nasce sabendo o que é o orgasmo ou com esse dom/privilégio de ter orgasmo. Todas podem ter, a diferença é que umas conseguem descobrir como mais facilmente e outras podem levar uma vida inteira.

7. Mulheres também ejaculam

HÁ CONTROVÉRSIAS!

Algumas experiências comprovaram que algumas mulheres podem ejacular um líquido quando estão muito excitadas. Por algum tempo achava-se que era urina, mas o líquido é branco, diferente da coloração do xixi. Alguns vídeos mostram o acontecimento, inclusive vídeos pornô, mas existe uma polêmica sobre esse assunto, pois algumas cenas são muito forçadas e acredita-se que isso é “produzido” apenas para filmagens pornográficas.

Porém, sabe-se que a mulher produz um líquido lubrificante, mas isso geralmente é liberado ao longo da relação sexual e não de uma única vez em um jato.

8. Orgasmos múltiplos existem

VERDADEIRO!

Ter orgasmos múltiplos é um fato possível, isso depende da estimulação e do grau de excitação da mulher. Algumas mulheres podem ter predisposição para orgasmos múltiplos e isso não quer dizer que é melhor do que um único orgasmo. Na verdade, um único orgasmo pode ser mais intenso, enquanto que vários podem ser mais curtos e menos intensos, porém mais prolongado. São sensações distintas e ambas prazerosas.

9. Não existe orgasmo sem envolvimento afetivo

FALSO!

O orgasmo pode acontecer até mesmo com um completo desconhecido. Muitas pessoas não conseguem separar sexo de amor, mas isso é possível sim. A excitação sexual pode estar atrelada a um relacionamento afetivo ou não. Independente disso, a mulher pode chegar lá se estiver com muito tesão, seja com um parceiro de anos ou uma aventura sexual com um desconhecido. Tudo depende da sintonia sexual e o grau de excitação de ambos durante a atividade.

10. Orgasmo vaginal e clitoriano são iguais

VERDADEIRO!

O orgasmo é um só, independente do estímulo, que pode ser vaginal, clitoriano ou anal. Enfim, não interessa o estímulo, a sensação do orgasmo é a mesma. Algumas mulheres podem precisar de estímulo clitoriano para gozar, enquanto outras o fazem apenas com a penetração, não interessa o estímulo, a sensação ao final será exatamente igual, assim como a sensação de bem estar.

Fonte: Irresistível


Sexo a três: Saiba como fazer sem comprometer a relação



Algumas mulheres se perguntam o que fazer para apimentar a relação quando cai na rotina e a transa se torna apenas uma ação obrigatória e robótica entre o casal. Quando isso ocorre e você já tentou de tudo que lhe veio à cabeça como acessórios sexuais, vídeos eróticos e mesmo assim não tem surtido efeito, uma boa ideia pode ser inovar ainda mais e realizar um sexo a três.

Com certeza você já pensou sobre isso em uma das suas fantasias sexuais e obviamente seu parceiro também, ou vocês já viram filmes com cenas que sugeriam isso ou explicitamente mostravam o ato. O sexo a três é uma prática que vem ganhando fama atualmente e muitos casais têm aderido para dar um upgrade na relação sexual.

Saiba como fazer a prática sem comprometer o relacionamento!

Decisão conjunta

Nem sempre o sexo a três é feito para sair da rotina, às vezes é curiosidade ou um prazer latente do casal. Só que fique clara a palavra casal! O desejo deve ser algo de ambos e não de uma única pessoa. Não surpreenda seu parceiro com uma terceira pessoa, seja homem ou mulher, sem ter certeza sobre o que ele pensa sobre isso ou sem conversar com ele antes. Assistir em um filme e achar excitante é uma coisa, praticar, de fato, é outra.

O mesmo para você: não faça apenas para satisfazer seu parceiro se não sente vontade de experimentar. Ambos devem conversar e, independente de quem partir a ideia, decidir em conjunto.

Deixe o tabu de lado

Para fazer um ménage à trois é preciso se despir de preconceitos. Não seja puritana, optar por fazer isso mostra o seu lado safada. Sexo a três e conservadorismo simplesmente não combinam. Não se pode ter nojo da terceira pessoa, tem que deixá-la confortável para que também participe.

Se a escolha for por um segundo homem, você deve deixar que ele abuse do seu corpo junto do seu namorado/esposo e, se eles quiserem, também podem ter experiências homossexuais entre si. O mesmo para a mulher, não apenas o seu parceiro irá se relacionar com ela, mas você também pode ter relações sexuais com outra mulher. Quando todos participam, a “brincadeira” é muito mais completa e prazerosa.

Ciúmes x Sexo a três

Duas coisas que não combinam é o sexo a três com ciúmes. A terceira pessoa envolvida obviamente irá ter relações com seu parceiro e não se pode ter ciúmes, pois a partir do momento em que você aceitou, não dá pra voltar atrás e fazer uma cena e um dramalhão em plena atividade sexual.

Se você for ciumenta, neurótica, é melhor nem tentar, pois poderá ficar magoada e com mil pensamentos na cabeça depois. Deve haver confiança mútua entre o casal e saber que aquilo é coisa de momento, puramente corporal, sem o envolvimento de sentimentos, apenas uma satisfação sexual momentânea.

Sexo a três comedido

Uma forma de experimentar sem já se jogar com tudo na prática é ir aos poucos. Inicialmente, o casal pode convidar uma terceira pessoa apenas para observar vocês dois e se masturbar enquanto assiste, depois ir avançando para um dos dois do casal participar com a outra pessoa enquanto o outro assiste, até chegar ao momento em que os três participam e trocam de parceiros entre si.

Autoconfiança e segurança é tudo

Uma das preocupações mais comuns é o medo do parceiro sentir mais prazer com a terceira pessoa do que com você ou de dar mais atenção a ela do que com você na cama, porque tudo que é novo é mais excitante, não é mesmo? Porém, isso nem sempre acontece, é preciso que você confie no seu taco e jogue-se de cabeça nisso. Dê muito prazer ao seu parceiro na cama, assim ele se satisfará muito com você e a terceira pessoa será apenas um algo a mais no jogo de prazer.

Se preferir, converse com ele sobre essa leve insegurança para que ele esteja mais atento no dia e não a deixe de lado, pois isso é o pior trauma que pode ser gerado em uma mulher. Frases como “eu não sou suficiente”, “ele gosta de fazer sexo mais com outras do que comigo” não devem passar pela sua cabeça, caso contrário, isso irá gerar brigas e até término.

Escolher a terceira pessoa

Uma dúvida bastante frequente é sobre quem será a terceira pessoa. Decidir por uma pessoa conhecida ou desconhecida deve ser uma escolha entre o casal, por isso deve-se entrar em um consenso. Existem prós e contras. Escolher uma amiga ou amigo pode ser bacana porque já há intimidade e assim mais liberdade no sexo a três, mas isso pode levar a um afastamento após o sexo e crises de ciúme por “motivos bobos”.

Contratar uma prostituta, que é uma pessoa desconhecida, pode até funcionar, mas pode gerar desconforto, uma vez que a prostituta é acostumada a dar prazer, e não receber, e neste caso não haveria trocas de beijos – que é parte importante no sexo.

Uma terceira opção seria buscar por uma terceira pessoa na internet,, em sites específicos que queira o mesmo que vocês mas que não seja profissional do sexo, assim poderá haver uma participação completa de todas as partes, sem gerar constrangimentos no futuro.

Fonte: Irresistível
Tópicos

Comprometer,Relao,Sexo,Três

« 1 (2) 3 4 5 ... 58 »