Amor e Sexo - Por que homens chegam ao orgasmo mais rápido que mulheres (na maioria das vezes) - Notícias
(1) 2 3 4 ... 55 »
Amor e Sexo : Por que homens chegam ao orgasmo mais rápido que mulheres (na maioria das vezes)
Enviado por alexandre em 25/12/2016 13:06:03

Não existe um tempo “certo” para chegar ao orgasmo e, entre os casais, a variação pode ser grande e diversificada. Mas não há qualquer dúvida de que, na imensa maioria dos casos, os homens atingem o clímax mais rápido do que as mulheres. E os motivos para isso envolvem questões físicas e emocionais.

Por que os homens gozam mais rápido que as mulheres?

Além das estimulações físicas, a excitação que inicia no cérebro contribui muito para o orgasmo. Homens normalmente já garantem estimulação sexual mais facilmente e são menos sensíveis a “freios” emocionais que poderiam atrasar o clímax. Com a mulher ocorre o oposto: exigem maior tempo para entrarem no clima e perdem mais facilmente a excitação.

Do ponto de vista físico, a própria anatomia dos órgãos genitais permite que os homens “saiam na frente”. Uma vez excitados, o intenso contato do pênis já facilita e agiliza o orgasmo, enquanto que para as mulheres o clitóris, maior responsável pelo prazer, é mais complexo e difícil de ser estimulado. Por isso as preliminares são tão importantes para elas, já que a área nem sempre é alcançada somente com a penetração.

Mas se por um lado os homens gozam mais rápido, por outro eles podem “invejar” a capacidade que as mulheres têm de alcançar orgasmos múltiplos, algo impossível para eles. Além disso, os rapazes precisaram de um tempo maior entre uma transa e outra, já que demoram mais para se recompor.

Após a ejaculação, o sangue deixa de circular pelo interior do pênis, que precisará relaxar e ficar flácido depois da ereção máxima. Os tecidos do membro, então, demoram um pouco para se recuperar, tempo que varia de homem para homem, até que possam promover uma nova ereção.

Site Vix

Amor e Sexo : Fazer sexo oral em uma mulher faz bem à saúde, diz estudo
Enviado por alexandre em 23/12/2016 00:49:06


Que fazer sexo oral é muito bom, tanto para dar quanto quanto receber, todo mundo sabe. Mas você tinha ideia que o ato feito em uma mulher, além de satisfaze-la, pode fazer muito bem a sua saúde?

Foi pensando nos benefícios que o sexo oral em mulheres pode trazer que um grupo de pesquisadores da State University of New York , nos Estados Unidos, realizou um estudo monitorando os hábitos sexuais de um pouco mais de 150 casais.

Foram selecionados para o teste diferentes pares, héteros e lésbicos, onde ambos foram dividos em grupos distintos, cada um com uma missão diferente. O primeiro grupo, deveria praticar sexo oral com mais intensidade na mulher, já o segundo grupo, deveria praticar o ato de forma limitada.

O resultado

Analisando todos os resultados dos dois grupos, os pesquisadores concluíram que houve diferença nos níveis de estresse, ansiedade, qualidade de sono e de intimidade de cada casal. Nesse momento você já deve ter imaginado qual deles teve melhoras na saúde. Claro, aqueles casais em que ocorria sexo oral na mulher com intensidade, mais frequência, foram os que obtiveram os melhores resultados.

Esse fato ocorre porque na relação há a liberação de dois tipos de hormônios, ocitonina e DHEA, que agem contra algumas doenças graves, como o câncer, e outras relacionadas a problemas do coração. Mas não para por aí. As propriedades sedativas da ocitocina podem relaxar e ainda melhorar a qualidade do sono.

Sexo oral em homens também tem suas vantagens extras

Saiba que o caso contrário também pode trazer muitos benefícios. Recentemente outra pesquisa relevou que o sexo oral em homens pode trazer algumas vantagens para a saúde. Nesse mesmo estudo, foi apontado ainda que ingerir o sêmen ajuda a combater a depressão, melhorar o sistema imunológico, ganhar mais energia, entre outras coisas.

Deles / iG

Amor e Sexo : Quantos parceiros sexuais você já teve? Ciência define 'número ideal'
Enviado por alexandre em 21/12/2016 00:31:30

Quantos parceiros sexuais você já teve? Ciência define 'número ideal'

De acordo com pesquisa da Malásia, o número de parceiros sexuais que uma pessoa já teve interfere no interesse de outros por ela. Saiba como

Quando você conhece um homem, possível pretendente, e tem um interesse romântico, você se pergunta com quantas pessoas ele já fez sexo? Seja homem ou mulher, é inevitável pensar nisso. E de acordo com a ciência existe uma resposta ideal para quando te perguntam quantos parceiros sexuais você já teve.


Quem deu essa resposta foi um novo estudo, publicado no "The Journal of Sex Research", uma revista científica temática sobre sexo. De acordo com a pesquisa, o número de parceiros com quem você já se relacionou sexualmente pode fazer o outro se interessar mais ou menos por você.
O estudo liderado por Steve Stewart-Willians, pesquisador em psicologia do campus da Malásia da Universidade de Nottingham, entrevistou 188 pessoas sobre qual seria seu interesse em se relacionar com alguém hipotético, com base no número de pessoas com quem ela já se relacionou.

O resultado?

As pessoas se interessaram mais por quem já tinha se relacionado com duas ou três pessoas sexualmente. Com mais ou menos parceiros o interesse sexual caía drasticamente.

As pessoas que ainda não tinham se relacionado com ninguém sexualmente, não foram atraentes para os participantes do estudo. Segundo os pesquisadores isso ratifica uma teoria de que você tende a se interessar por alguém, se outra pessoa já se interessou previamente.

Apesar de o número ideal ser entre dois e três parceiros, a média dos relacionamentos anteriores era muito maior. As média de ex-parceiros das mulheres era de seis, e dos homens, oito. Ou seja, as tanto homes quanto mulheres exigem que os pretendentes tenham menos relações do que eles de fato tiveram.

O que pode ter influenciado os baixos números obtidos foi a amostra do estudo: todos tinham menos de 25 anos de idade, com a média de 21 anos.

Intuitivamente os indivíduos também concluíam que quem já tinha se relacionado com mais gente, também não era um bom parceiro. Para os pesquisadores os motivos para a falta de interesse podem ser: uma bagagem grande ex-namorados ou ex-namoradas, risco de tramsissão de DSTs e também o fato de alguém que teve muitos parceiros talvez não esteja interessado em um relacionamento sério.

Mas na realidade, nada disso importa. Se alguém se desinteressar por você por conta do número de parceiros sexuais que você já teve, provavelmente ele é que não era interessante.

Delas / iG

Amor e Sexo : O que caras com 'minipênis' gostariam que você soubesse
Enviado por alexandre em 26/11/2016 02:13:11


O que caras com 'minipênis' gostariam que você soubesse



1. Ele funciona normalmente

A maioria dos minipênis funciona normalmente. Não existem problemas com ereção, ejaculação ou até para ir ao banheiro. O maior problema apresentado por homens com essa característica é psicológico e está relacionado à ansiedade. Ele pode ser pequeno, mas está pronto para entrar em ação!

2. É difícil de “avisar” as mulheres com antecedência

Homens com minipênis ficam em uma saia justa quando o assunto é falar para as mulheres sobre o tamanho da sua zona P. Você pode até se sentir enganada se tiver investido tempo em um cara só para descobrir que ele tem um minipênis no último segundo, mas eles têm motivos para não revelar esta característica. Eles dizem que dar essa informação antes é uma situação delicada, porque as mulheres tendem a reagir mal. Algumas se sentem insultadas por serem avisadas, porque isso mostra que ele acredita que eles vão transar no futuro. Outras também se sentem mal, porque parece que o cara pensa que ela é fútil. E também tem a possibilidade de perder a parceira antes de descobrirem a química sexual entre vocês.

3. Não minta sobre como você se sente sobre o assunto

Entre quatro paredes, muitos caras que têm minipênis experienciaram mulheres que, com toda a boa vontade do mundo, dizem para eles que o tamanho de sua zona P é normal ou que ela é grande. Homens com minipênis sabem que têm pênis pequenos e muitos ficam frustrados quando uma mulher tenta inflar seu ego ou tamanho. Eles sentem como se elas tivessem com dó, o que reforça a ideia de que há algo de errado com eles — mesmo que este seja o oposto da intenção.

4. Usar o tamanho do pênis como um xingamento é horrível

Dizer que um homem tem um pênis pequeno porque ele fez um comentário machista é triste para homens com minipênis. O motivo? Isso infere que misóginos são desrespeitosos com as mulheres porque eles têm pênis pequenos. Este tipo de comentário sugere que a sociedade relaciona o tamanho da zona P com os valores de uma pessoa como ser humano.

pequeno.png

5. Procedimentos de aumento de pênis são um mito

A realidade é que ninguém nunca aumentou o tamanho do pênis para um tamanho significativo sem algumas desvantagens. A cirurgia para aumentar a zona P é perigosa, dolorosa, cara e nos casos raros em que é bem-sucedida, pode diminuir as sensações sexuais e o prazer no sexo.

Muitas pessoas dizem que homens com minipênis podem fazer a cirurgia se o tamanho for realmente um problema, mas isso é algo muito simplista. Em termos de comprimento, o maior aumento que você conseguiria está entre 1 ou 2 centímetros, o que não faz muita diferença.

6. Alguns homens com minipênis gostam da “humilhação” do tamanho e é quase como um fetiche

Não existe uma explicação psicológica, mas é quase como se o cérebro dissesse “você vai sofrer muita pressão mental, então vamos fazer isso sair da melhor maneira possível”.

7. O sexo ainda pode ser bom

Muitos homens com minipênis têm problemas sexuais, seja porque as pessoas reagem mal ou falam mal de seu tamanho, ou porque eles ainda não tiveram experiências suficientes para melhorar sua performance. Se o cara realmente se importa com a parceira, e ela tiver uma mente aberta, ele vai achar maneiras de fazê-la feliz sexualmente. Lembra da história da mulher que teve o melhor sexo da sua vida com um cara d eminipênis?

Fonte: Cosmopolitan EUA


O que os homens mais detestam em cada posição sexual



1. Papai-mamãe

Se existe algo ruim para se falar sobre o sexo papai-mamãe, e que é muito comum. É chato da mesma forma que pão e manteiga é chato. Claro que você pode comer um pão com manteiga delicioso em um restaurante, mas deve vir antes do prato principal. O outro problema é que deixa toda a parte chata para o cara. Volte no cenário do pão com manteiga, mas adicione câimbras no bumbum.

2. Cowgirl

Existem muitos positivos nesta posição, mas tem um contrapeso que deixa tudo ruim. É a posição mais fácil para se quebrar o pênis. Se ele escapar e as coisas estiverem muito rápidas e você acabar sentando muito forte em cima dele, não é um bom sinal. Podem ir direto para a emergência.

3. Sexo no chuveiro

Você está de pé, é molhado e escorregadio. O cara provavelmente está com os pés apoiados em algum lugar para equilíbrio. Pense um pouco sobre isso: muitas pessoas se machucam no banheiro todos os anos, e tudo o que elas estão fazendo é realmente tomar banho. Fazer sexo no chuveiro é convidar o ceifador no banheiro.

4. De ladinho

Dependendo do quanto tempo vocês estão nela, o braço dele pode dormir. Não é uma posição ruim, mas é também não é ideal para muitos caras. E também é muito difícil de ter uma visão privilegiada dos seus seios.

5. Cowgirl reversa

É a mesma coisa da cowgirl, mas também tem o fator de que as mulheres podem ficar receosas que estejamos olhando para seus ânus e pedirem para trocar de posição.

6. Sentados

É bem romântico até algum de vocês darem uma joelhada na cara do outro. Qualquer posição que pareça que vocês estão em um ringue de luta não é a melhor opção. Outra coisa: se ele não estiver encostado em uma parede, provavelmente vai se cansar muito rápido.

7. 69

É uma posição sexual muito íntima. Para algumas pessoas, isso já é problema suficiente. Para outras, a ideia de colocar o próprio peso em cima de alguém ou vice-versa que é.

Fonte: Cosmopolitan EUA


10 respostas sobre lubrificantes íntimos para turbinar o prazer



Os lubrificantes íntimos podem ajudar o casal a ter mais intimidade e tornar a relação sexual muito mais prazerosa e confortável. Para acabar com as dúvidas sobre o assunto, selecionamos dez das principais perguntas sobre o produto e as fizemos à psicóloga e sexóloga do site de encontros C-date, Carla Cecarello. Vem ver a opinião da especialista e confira algumas de suas dicas!

1 – Quando é necessário usar lubrificante?

Os lubrificantes sem hormônios, à base de água, devem ser utilizados quando a mulher não tem muita lubrificação natural ou está lidando com questões como diabetes, colesterol ou menopausa, que podem alterar esse fator. Existem casos em que a mulher não tem lubrificação porque a relação é muito pobre, sem preliminares, então, muitas usam para auxiliar nesse sentido. O produto também é utilizado no sexo anal, já que o ânus não tem lubrificação natural. Aquelas versões com hormônio, por sua vez, são usadas para fazer reposição em mulheres no período da menopausa.

2 – Quais os riscos do sexo com pouca lubrificação?

Quando a vagina está sem lubrificação e recebe a penetração do pênis, ele tem que forçar a entrada, já que não acontece um deslizamento. Então, algumas mulheres podem sofrer com assaduras, fissuras, cortes e machucados. Por isso, para que haja esse deslizamento e exista a sensação de prazer esperada pela mulher, a lubrificação é essencial.

3 – Quais as principais vantagens dos lubrificantes à base de água em relação aos de silicone, óleo e petróleo?

Para a prática de sexo anal e vaginal, são recomendados lubrificantes à base de água. Hoje, existem alguns produtos que contêm substâncias fitoterápicas e estão sendo vendidos, principalmente em sex shop, para sexo anal. Elas auxiliam na melhor cicatrização, já que o ânus fica dilatado, à medida que é feita essa penetração. Então, o lubrificante se torna importante para a penetração, hidratação e cicatrização da região.

prazer.png

4 – O uso de lubrificantes à base de óleo ou silicone pode prejudicar a eficácia do preservativo de látex?

Apesar de não acontecer necessariamente em toda relação, isso pode, sim, ocorrer e ser prejudicial. Dessa forma, o mais indicado é o uso de lubrificantes à base de água.

5 – Existe alguma contraindicação no que diz respeito aos lubrificantes? Eles podem, por exemplo, dar alergia?

Sim, especialmente os que não são à base de água. Se já existem lubrificantes à base de água, por que usar os outros, que são tão agressivos ao organismo? Não tem necessidade.

6 – O uso de lubrificantes com anestésicos pode ser prejudicial?

Lubrificante com anestésico? Nem pensar! Ninguém vai sentir nada durante a relação e isso é muito prejudicial, porque a pessoa perde a noção da intensidade das coisas. Então, podem rolar penetrações muito agressivas, justamente porque ninguém estará sentindo direito. Se a pessoa tem algum problema durante a prática sexual, ela precisa verificar o que realmente está acontecendo, mesmo porque não é normal sentir dor durante o ato.

7 – Quais as principais diferenças entre o lubrificante e o gel sensual?

O lubrificante, como a palavra já diz, serve para lubrificar a região e, portanto, provocar o deslizamento do pênis, de uma maneira mais confortável para ambos. No caso do gel sensual, ele é utilizado para erotizar a situação como um todo, não para lubrificar. Além disso, o gel pode ser utilizado no corpo inteiro e não só na região genital.

prazer 2.png

8 – Quais as diferenças entres os produtos comestíveis e beijáveis?

Nenhuma! Na verdade, não se pode colocar nas embalagens desses produtos que eles são comestíveis, por causa de sindicatos e conselhos. Se fossem colocados como comestíveis, entrariam na parte alimentícia da vigilância sanitária. Classificados como beijáveis, eles ficam mais ligados a essa parte cosmética e dermatológica.

9 – De que maneira o uso de lubrificantes e géis pode aumentar a intimidade entre o casal?

Eles podem melhorar a intimidade porque, com isso, o casal pode passar o produto um no outro, aumentando a sensação do toque. Eles podem sensualizar com massagens e buscar o estímulo do parceiro. Isso aumenta o grau de intimidade, já que o par passa a conversar mais, brincar e, às vezes, falar palavras mais picantes. Além disso, também cria certa cumplicidade, já que ambos passam a entender a necessidade do outro.

10 – Quando o lubrificante pode ser usado além do sexo, no dia a dia da mulher?

Não acho que deve ser utilizado no dia a dia, porque pode tornar a região íntima muito úmida e abafada, o que também pode aumentar o risco de desenvolvimento de fungos e candidíase.

Fonte: Mdemulher





Os 25 erros clássicos que os homens cometem na cama


O homem que nunca cometeu uma gafe no sexo que atire a primeira pedra. Por muitas vezes afoitos e com vontade DEMAIS de fazer tudo certo na hora da transa, alguns homens dão escorregadas fenomenais na tentativa de fazer do sexo uma cena de pornô.

Mas não devemos culpá-los, meninas! Afinal, nós também ficamos nervosas às vezes, não é? Cabe a nós, mulheres dizermos a eles no que estão errando e principalmente: deixar claro o que eles devem evitar fazer na cama ou no relacionamento.

Veja abaixo alguns dos 25 erros clássicos que os homens tem que evitar a qualquer custo na cama. Divirta-se:

1. Querer tirar o sutiã da mulher com uma mão só e demorar 3 minutos para conseguir;

2. Manter distância quando estamos de TPM – quando na verdade umazinha tem o poder de nos deixar calminhas, calminhas;

3. Apertar nossos seios como se fossem buzinas;

4. Pular o sexo oral e já querer ir direto pros finalmentes;

5. Deixar gorgonzola acumulada e fingir que está tudo bem;

6. Falar coisas fofinhas na hora do sexo;

7. Ficar falando de 5 em 5 minutos: “Goza, minha delícinha, goza pra eu ver“, sendo que a grande culpada pela demora é a incompetência dele;

8. Gozar antes da mulher e não fazer nada a respeito;

9. Chupar como se lambesse uma tigela de leite.

10. Rir ou brochar dos barulhos de ar acumulado dentro da mulher por causa da penetração – qualquer homem que já transou mais de 3 vezes na vida, sabe que isso é normal.

11. Querer fazer práticas mais “arriscadas”, sem pedir autorização (Ex clássico – deep throat);

12. Fazer aqueles barulhos de cachorro rosnando quando está transando – se não sabe gemer, me come em silêncio.

13. Pular preliminares;

14. Pedir para chupar as bolas dele, mesmo que ela nem consiga vê-las de tanto pêlo.

15. Confundir carinho e cuidado com compromisso – não é porque gostamos de carinho depois do sexo que queremos casar com vocês;

16. Ignorar instruções e ainda por cima falar: “Deixa comigo que eu sei o que tô fazendo”

17. Comê-la como uma puta e depois continuar tratando ela como se não tivesse valor;

18. Trocar o nome;

19. Deixar chupões em qualquer parte visível do corpo – e obrigá-la a ter que se preocupar em escondê-lo pelos próximos 10 dias;

20. Parar ou diminuir a velocidade quando a mulher está subindo pelas parede querendo mais;

21. Tirar toda a roupa e esquecer as meias – não tem cena mais brochante do quem alguém pelado, só de meias;

22. Broxar quando for colocar a camisinha – se você tem esse problema, treine em casa até conseguir superar esse trauma;

23. Entrar pela porta dos fundos e dizer que foi “sem querer”;

24. Achar que sabe mais do que ela gosta do que ela mesma;

25. Errar o clitóris e ainda achar que está arrasando na performance;

Amor e Sexo : TOP 3 impressionantes efeitos da masturbação em homens e mulheres
Enviado por alexandre em 13/11/2016 12:30:00

TOP 3 impressionantes efeitos da masturbação em homens e mulheres


Poucos falam sobre masturbação, porém muitos a praticam

Apesar de ser tabu em muitas partes do mundo, a história nos diz que a masturbação sempre aconteceu e não vai desaparecer tão cedo. O efeito mais óbvio da masturbação é sentir-se bem, mas poucos sabem que essa atividade pode ter muitas outras consequência, boas e más.



Alívio de estresse e dor



Masturbar-se, como qualquer atividade sexual, libera endorfinas – produtos químicos em nosso corpo que promovem uma sensação de felicidade e podem aliviar o estresse, segundo relatos da revista canadense Best Health Mag.



“Tanto em homens quanto em mulheres, a masturbação proporciona diminuição de estresse, tempo para comungar consigo mesmo (fazer um balanço do estado e das necessidades emocionais), e para alguns até a possibilidade de uma maior autoconsciência ou percepção”, afirmou Dr. Jordan Tishler, médico de Harvard que se concentra na sexualidade humana. Além disso, os efeitos calmantes da masturbação também podem ajudá-lo a dormir melhor e reduzir a dor associada à menstruação ou relações sexuais na pós-menopausa.



“Ela provoca mais fluxo sanguíneo para a região pélvica, o que agiliza o período menstrual e diminui a dor”, disse a Dr. Sandra LaMorgese, PhD, especialista em intimidade sexual e autora do livro “Switch: Time for a Change”. (“Troca: tempo para uma mudança”, em tradução livre) “Para mulheres pós-menopáusicas, um estreitamento da vagina pode fazer com que exames pélvicos e relações sexuais sejam dolorosos, mas a masturbação, com um lubrificante à base de água, aumenta o fluxo sanguíneo para os órgãos sexuais”.



Prevenção de doenças



Acredite ou não, pode realmente haver alguns benefícios positivos para a saúde associados com a masturbação, tanto para homens quanto para mulheres. Por exemplo, de acordo com LaMoregese, a masturbação poderia ajudar a prevenir o câncer de próstata, pois permite que os homens se livrem das toxinas que naturalmente se acumulam em seu trato urogenital.



“Os homens que ejaculam mais de cinco vezes por semana diminuem estes níveis de toxina e, assim, possivelmente diminuem o risco de câncer de próstata em um terço”, escreveu LaMoregese. Além disso, LaMorgese explicou que a masturbação também poderia ajudar a combater infecções do trato urinário em mulheres.



Possível vício?



Infelizmente, nem todos os efeitos colaterais da masturbação são bons. Por exemplo, Dee Wagner, conselheira profissional licenciada e terapeuta de dança certificada, disse que, em alguns casos, a masturbação pode servir como uma maneira crônica de evitar a intimidade com os outros, o que tende a causar ansiedade.



Além disso, a masturbação estimula uma resposta de recompensa no cérebro, e assim como com qualquer atividade gratificante, é possível ficar viciado na química de um orgasmo. Isso não é só ruim para sua saúde mental, mas o vício em orgasmos pode exigir que o indivíduo precise de estimulação cada vez mais intensa para obter os mesmos resultados, o que pode levar a danos corporais, explicou Dee.



Fonte: Medical Daily / Jornal Ciência


Como algumas mulheres conseguem ter orgasmos só com a ação do pensamento


As mulheres examinadas conseguiram apresentar o resultado de diferentes maneiras

Mulheres que se queixam de dificuldade em atingir o orgasmo provavelmente já conhecem dicas e estímulos, posições e respirações que podem facilitar o prazer durante o sexo. Alguns estudos, porém, indicam que talvez as mulheres possam experimentar o clímax através do trabalho com outro órgão, bem mais complexo: o cérebro.



Em entrevista ao site do jornal Daily Mail, o médico Barry Komisaruk afirma que algumas mulheres são capazes de atingirem o orgasmo somente com a ação do pensamento.



Testes de ressonância magnética conduzidos pelo especialista mostraram que áreas do cérebro relacionadas o prazer sexual também eram acionadas com técnicas mentais e visualizações, sem nenhum contato físico.



Orgasmo com a força do pensamento



As mulheres examinadas conseguiram apresentar o resultado de diferentes maneiras. Algumas usaram uma combinação de exercícios de respiração e fantasia, enquanto outras apostavam apenas na combinação de imaginação com exercícios de assoalho pélvico, diz Komisaruk.



O pesquisador conta que estudos do gênero são importantes porque, embora o orgasmo seja "intensamente agradável", entender todo o processo de forma mais ampla ajuda a perceber que ele é muito mais do que apenas prazer físico e emocional.


O orgasmo feminino é um fenômeno que tem sido relacionado a uma melhora em frequências cardíacas, redução da sensibilidade à dor, aumento do fluxo sanguíneo para o cérebro e nos sentimentos de alegria, felicidade e amor.



Compreender o que acontece em nossos cérebros durante o clímax, segundo o cientista, ajuda no processo de desenvolvimento de melhores antidepressivos e melhores medicamentos para a dor, bem como nos estudos para aumentar a satisfação sexual dos casais.



Fonte: Vix.com

(1) 2 3 4 ... 55 »