Amor e Sexo - Sexo- DICAS PARA FALAR DE SEXO COM AS CRIANÇAS - Notícias
« 1 ... 52 53 54 (55) 56 57 58 59 »
Amor e Sexo : Sexo- DICAS PARA FALAR DE SEXO COM AS CRIANÇAS
Enviado por alexandre em 24/04/2014 08:49:45

Sexo- DICAS PARA FALAR DE SEXO COM AS CRIANÇAS


 Sexo- DICAS PARA FALAR DE SEXO COM AS CRIANÇAS
Por mais que o acesso à informação esteja muito maior nos dias de hoje, muitos pais têm dificuldades na hora de falar sobre sexo com as crianças. Muitos fazem questão de serem os principais responsáveis por instruir seus filhos sobre assuntos ligados à sexualidade.

A partir dos cinco anos a criança começa a famosa fase dos "porquês". Perguntas como se beija (e querem se beijar na boca), como se faz um bebê ou por onde eles entram na mulher ou, ainda, por onde eles nascem, são perguntas que devem ser elucidadas. 

É nesta fase que, na opinião de Breno Resostolatto, professor de Psicologia da Faculdade Santa Marcelina - FASM, é essencial que os pais expliquem o que se passa, sem pressa e sem a exigência de informar tudo para o filho, deixando claro que essas coisas pertencem ao mundo dos adultos e farão parte da vida do filho no futuro.
"Evite explicações mirabolantes e fantasiosas. Use a linguagem infantil e lúdica, que ilustre o nascimento e a gravidez, a importância do filho para os pais e enfatize o amor da família pela criança, para que ela se sinta acolhida", orienta. A alusão à sementinha que sai do pênis do pai e entre na vagina da mãe pode ser usada sem problemas.

É importante também os pais falarem o nome correto dos órgãos do corpo humano. Breno alerta que apelidar os genitais reforça o papel machista e até mesmo de agressividade. "Basta fazer uma comparação entre termos como ‘pau’ e ‘pererequinha’. Além de agressivo, denota que ‘pau’ é mais forte que ‘pererequinha’ e, subliminarmente, a informação que fica é: homens são mais fortes que as mulheres."
A criança, à medida que cresce, vai descobrindo e reconhecendo o próprio corpo. Neste momento começam as curiosidades sobre o corpo dos adultos. Ao pedirem para tomar banho com os pais os pequenos passam a conhecer mais quem é a mãe e o pai e os têm como espelho.

E este pode ser um bom momento para uma conversa sobre as diferenças entre o homem e a mulher, uma vez que esta criança percebe que o pai tem um pênis e a mãe, não. E mais uma vez o psicólogo ressalta: a diferença deve ser explicada sem criar estereótipos ou enaltecer um sexo ou outro, evitando, assim, sustentar os preconceitos e o machismo. As diferenças entre os meninos e meninas são fisiológicas, mas todo o resto deve ser respeitado.

É natural as crianças se tocarem e manipularem os órgão genitais. É um momento importante para conhecerem o corpo e descobrirem sensações agradáveis. Mas para os pais estas atitudes causam constrangimento e potencializam a resistência de uma conversa. "Frases como ‘tira a mão daí que machuca’, ‘isso é sujo’, ‘isso é feio’ ou ‘é pecado’ em nada educam e podem trazer dificuldades sexuais no futuro. Esse moralismo só reprime a criança e pode distorcer o sexo como algo pecaminoso ou perversivo", diz Breno.

Por isso, os pais não devem oprimir ou proibir o comportamento. O aconselhável é dizer que, apesar de prazeroso, o ato não pode ser feito na frente dos outros, mas em momentos apropriados, como na hora do banho. O psicólogo lembra que também não há mal algum nas brincadeiras que ajudam a reconhecer o corpo do outro, como brincar de médico, desde que as crianças envolvidas tenham a mesma idade. O problema é a participação de crianças com mais idade, pois a malícia é outra.

Para os pais que têm dificuldade em iniciar uma conversa sobre sexo com as crianças, os livros ilustrados podem dar um bom suporte, assim como boas pesquisas na internet e filmes educativos. E cuide para que elas não acessem sites pornográficos ou fiquem expostos em chats de bate-papo. "As crianças precisam aprender desde pequenas a conhecer e respeitar seus corpos, e terem clareza de que ninguém tem o direito de manipulá-las, machucá-las ou forçá-las a qualquer comportamento sexual", finaliza Breno Resostolatto.

Poderá também gostar de:

Amor e Sexo : Sexo- PERVERSÕES SEXUAIS
Enviado por alexandre em 24/04/2014 08:48:48

Sexo- PERVERSÕES SEXUAIS


Para Freud, a necessidade sexual do homem e do animal é de cunho biológico e é tão forte que pode ser comparada à necessidade básica da alimentação. Entretanto, algumas pessoas estabelecem formas particulares e até mesmo doentias de satisfação dessa necessidade. E tais formas podem estar inseridas na categoria das perversões sexuais. Logo abaixo, uma lista das principais perversões catalogadas em artigos psiquiátricos e algumas explicações pertinentes há este assunto:
O fetichismo: Este tipo de perversão que consiste em exteriorizar a paixão não em relação a uma pessoa, mas a uma parte dela ou a um objeto de seu uso.
O exibicionismo: É o desejo incontrolável de expor, na presença do sexo feminino, os órgãos sexuais; normalmente se masturbam na presença de outro. E a mulher, encontra certo prazer sádico em usar roupas minúsculas.
O exibicionista Verbal: É o que faz propaganda ou alarde sobre o tamanho do seu órgão genital e assim por diante.
A necrofilia: É a compulsão de ter relações sexuais com cadáveres devido a uma atração irresistível você pode não acreditar mas existem este tipo de pessoa, principalmente com mulheres recentemente sepultadas, não importando a idade. Não conseguem resistir a tão asqueroso impulso.
O masoquismo: Anomalia caracterizada pelo desejo de ser maltratado como prévia condição de gratificação sexual. A flagelação estimulante pode ser infligida por si mesmo ou pelo parceiro, levando-nos ao orgasmo. Portanto, a dor constitui a única condição de satisfação sexual.Eles gostam de apanhar para sentir-se realizados.
O sadismo: É a prática que consiste em maltratar até mesmo, podendo agredir-se fisicamente e até a companheira ou companheiro, com requintes, às vezes de muita perversidade. Somente assim o sádico encontra á compensação sexual.
O sadomasoquismo: É a tendência para o sadismo e o masoquismo ao mesmo tempo.
O infantilismo: É a preferência incontrolável para a prática sexual com parceiros de muito menos idade, mais jovens e até crianças.
A ninfomania: É a paixão intensa, de caráter mórbido. A mulher não se satisfaz sexualmente com um só parceiro. Chega até a sangrar os órgãos genitais, e não encontra o prazer satisfatório final.
O nascisismo: É o prazer com a admiração do próprio corpo ou imagem. O impulso sexual não se transfere para outras pessoas.
A pedofilia: É a atração sexual que o adulto tem por crianças. Deseja ter relações sexuais, e as violenta impiedosamente, às vezes até assassinando-as o que acontece na maioria dos casos.
A pedolatria: É o indivíduo que só encontra estímulo na concentração de seus impulsos sexuais em pés femininos, quando são anatomicamente atrativos.
O onanismo (Masturbação): É a atitude da pessoa friccionar o seu membro sexual, a fim de alcançar determinada satisfação. Não somente o homem pode ser vítima da masturbação ou do onanismo, como também a mulher pode intentar nesta prática. Traz desgaste mental e físico, pela canalização excessiva de suas energias. Debilita mental, incapacidade de racionar  com clareza, vergonha após o ato. A dependência condena o indivíduo a ter dificuldades com se completar com um parceiro ou parceira.
O voyeurismo: Também chamado mixoscopia, refere-se àquele que sente prazer em observar, às escondidas, um ato sexual.
A hipoxifilia: Esta palavra significa literalmente “atração por teor reduzido de oxigênio”. Esse tipo de perversão consiste em tentar intensificar o estímulo sexual pela privação de oxigênio, seja através da utilização de um saco plástico amarrado sobre a cabeça ou de alguma técnica de estrangulamento.
A coprofilia: Também chamada coprolagnia, identifica a excitação erótica motivada pelo cheiro ou contato com excrementos.
A urofilia: Também chamada urolagnia, é a variante da coprofilia em relação à urina.

A zoofilia: 
Também conhecida como bestialismo, é o sexo feito com animais que são vários, cães, gatos cavalos e muitos outros, que em alguns casos são até treinados para isso.
A clismafilia: Refere-se à excitação erótica provocada pela injeção de alguma substância no reto.
Os estudos psiquiátricos sobre o comportamento dos pervertidos sexuais são unânimes em afirmar que os pacientes, sem exceção, insistem que não veem nenhum motivo para escândalo em relação à sua maneira de ser. Na visão deles, suas preferências eróticas são superiores à sexualidade trivial das pessoas comuns e não veêm mal nenhum no que fazem. 
Ju Tavares

Amor e Sexo : GPS do prazer masculino: um mapa para o corpo deles
Enviado por alexandre em 20/04/2014 22:39:08

Há quem diga que para eles só o pênis importa. Bobagem! Os homens também gostam de preliminares em outras áreas do corpo. Desde que bem estimuladas, as zonas erógenas promovem mais prazer durante a transa.

“Tudo começa pelas carícias. Os sentidos são as portas de comunicação com o mundo externo”, diz o urologista, sexólogo e terapeuta sexual Celzo Marzano. Para Daniela Cardoso, personal sexy trainer da Marcot Boutique, as carícias aumentam a sensibilidade do corpo.

E de acordo com Débora Pádua, fisioterapeuta uroginecológica da Clínica José Bento de Souza, criar boas memórias sensoriais é uma ótima estratégia de sedução.

Confira abaixo quais são os pontos certeiros para dar mais prazer a ele.

1.jpg2.jpg

Fonte: Com informações do IG Sexo

Publicado Por: Nataniel Lima

Amor e Sexo : Sexo lento: mais prazer antes, durante e depois da cama
Enviado por alexandre em 20/04/2014 22:37:56

Perceber o lado sensorial do sexo leva a apreciar o outro de forma completa", afirma o terapeuta sexual Amaury Mendes Júnior, do Rio de Janeiro. "E, quando as coisas caminham lentamente, o orgasmo tende a ser mais explosivo", diz Logan Levkoff, sexóloga pela Universidade de Nova York, nos EUA. Confira dicas para prolongar o ato ? e ter muito mais prazer.

Antes
· Atice a imaginação dele enviando-lhe um SMS sexy
"Você não imagina a vontade que estou de encontrá-lo mais tarde" ou "Não posso esperar para tirar sua roupa em casa". De acordo com o sexólogo americano Ian Kerner, o ato de escrever estimula a imaginação de uma forma que outros meios de comunicação sensorial não conseguem. "A combinação das palavras de quem escreve e a interpretação de quem as lê é, na verdade, uma forma de sexo. Além disso, expressar o que você está planejando fazer naquela noite a ajudará a mantê-la no pensamento dele durante todo o dia."

· Mais tempo para a sua preparação
A mulher necessita de um tempo quatro vezes maior que o homem para ficar excitada. Comece seus preparativos com antecedência, de modo a desligar a amígdala, a parte do cérebro que controla o medo e a ansiedade. Uma hora antes do encontro, tire um tempo para si e prepare um banho para acalmar a mente e despertar suas terminações nervosas ? a temperatura quente da água traz sangue para a superfície da pele, fazendo com que todo o corpo fique mais sensível ao toque. Prepare também uma seleção de suas músicas favoritas. Um estudo do Instituto de Pesquisa em Neurociência da Universidade de Nova York descobriu que ouvir músicas familiares reduz a ansiedade e a pressão arterial.

Durante
· Comece com toques sensíveis
Faça uma série de movimentos destinados a aumentar a confiança e a excitação, sem tocar nos genitais do parceiro. "O objetivo é relaxar e criar intimidade", diz a psicóloga e terapeuta sexual Arlete Goldman. Uma sugestão é vocês se despirem e, por cerca de 10 minutos, se revezarem entre dar e receber carinhos, sem estimular os órgãos genitais. Concentre-se nas suas sensações. Passe as mãos pelo cabelo dele. Lentamente, debruce-se sobre ele, beije seu corpo e concentre-se em torno da virilha. Quando for a vez de ele tocá-la, peça para ele lamber a parte interna de suas coxas, massagear suas costas e pés e beijar seu pescoço.

· Um ambiente sensual para intensificar o desejo
Use velas, incenso e óleos. "Essa expectativa leva a um prazer às vezes até maior que o próprio orgasmo", afirma a terapeuta Jussara Hadadd, do Rio de Janeiro, instrutora de pompoarismo e autora do site umanovamulher.com.br.

· As preliminares são uma parte importante
Se perceber que estão indo rápido demais, faça uma paradinha estratégica. Sussurre suas fantasias sexuais no ouvido dele, conduza a mão dele por seu corpo e explore o dele. Outra opção é partir para o sexo oral até vocês chegarem novamente perto do clímax e então começar de novo.

· Pronta para a relação?
Escolha uma posição que permita vocês se olharem nos olhos, como papai e mamãe ou você por cima dele. "As posições que oferecem uma visão completa dos corpos nus conduzem à excitação mais rapidamente, enquanto as que favorecem a troca de olhares aumentam a intimidade e levam à excitação de forma gradual", diz Logan Levko.

Depois
· O pós-sexo é tão importante quanto as preliminares
Permaneça deitada (ou por cima dele) por alguns minutos enquanto ele está dentro de você. Concentre-se na pulsação de seus batimentos cardíacos e sua respiração. Sinta o suor dos corpos. "Estar conectado fisicamente irá manter o sentimento entre vocês em alta", diz a terapeuta sexual Arlete Goldman. "Leve a mão de seu parceiro até sua vulva para que ele a segure delicadamente e, simbolicamente, segure seu orgasmo. Isso proporciona uma sensação muito gostosa, parecendo que o prazer não vai terminar", sugere Jussara Hadadd.

· Por fim, tente falar um pouco
"Conversar sobre aquele momento íntimo pode ser uma maneira maravilhosa de vocês ficarem ligados e prolongarem a experiênciaFazer perguntas específicas ? como "Gostou quando eu fiz o X para você?" ou "Seu corpo está formigando também?" ? ajuda a prolongar o momento e permite que sua mente viaje nas sensações.

· Se você quer uma nova rodada sexual, provoque o parceiro
"Ao deixar que ele saiba que você o deseja outra vez, não só vai alimentar seu ego como fazê-lo se excitar rapidinho", diz o sexólogo Ian Kerner. "Uma ideia que costuma ser infalível é a mulher se acariciar e se masturbar diante do parceiro. A sugestão fica clara e é quase impossível ele resistir", completa Jussara Hadadd.

Fonte: Com informações da Revista Nova

Publicado Por: Fábio Carvalho

Amor e Sexo : Desempenho: Pilates melhora o sexo e ajuda a ter orgasmo
Enviado por alexandre em 20/04/2014 22:36:34

Você já deve ter ouvido falar sobre os enormes benefícios do pilates para a saúde. A atividade com bola promove fortalecimento e alongamento corporal, além de queimar calorias e emagrecer. Mas você sabia que ele também pode ser um grande aliado quando o assunto é sexo?

Como ter mais prazer
Tudo isso acontece graças fortalecimento do períneo, uma quase desconhecida, mas muito importante parte do corpo. O pilates age aumentando o potencial dessa área, que, entre outras funções, torna mais fácil atingir o ápice do prazer, já que aumenta as contrações da vagina durante o orgasmo. Mais do que isso: ele incha com a excitação feminina, aumenta a irrigação sanguínea e se torna mais sensível, virando uma importante zona erógena.

Segundo a professora Sandra Tofoli, da Cia do Corpo, além do trabalho direto com o assoalho pélvico (períneo), o esporte melhora a condição física global, gerando a possibilidade de novas posições ou posições mais ousadas na hora do prazer.

Fonte: Com informações do Bolsa de Mulher

Publicado Por: Fábio Carvalho

« 1 ... 52 53 54 (55) 56 57 58 59 »