Painel Político - Polêmica sobre o peixe de RO não foi por acaso, supermercado foi multado em R$ 162 mil por vender pescado sem origem - Notícias
(1) 2 3 4 ... 187 »
Painel Político : Polêmica sobre o peixe de RO não foi por acaso, supermercado foi multado em R$ 162 mil por vender pescado sem origem
Enviado por alexandre em 15/05/2019 20:19:55

Supermercado comprou e vendeu mais de 7 toneladas de peixe de fornecedor que não apresentou documentação exigida. Saiba tudo sobre o caso

Olha essa

Desde a semana passada que circula nos sites de Rondônia notícia sobre a qualidade do pescado vendido no Estado. O caso repercutiu a um ponto, que a Associação dos Criadores de Peixes de Rondônia emitiu nota em defesa da piscicultura, dizendo “serem infundadas” as denúncias que surgiram e as qualificou como “ilações” que  “não passam de uma tentativa desesperada e uma tática comercial perversa para desvalorizar uma cadeia produtiva que está em franco desenvolvimento, chegando a movimentar cerca de R$ 500 milhões de reais em 2018”.

Pois bem

Ocorre que não foram “ilações”. PAINEL POLÍTICO teve acesso a relatório de uma fiscalização ocorrida em 28 de fevereiro deste ano no Super Atacado Centro Norte Comércio de Alimentos, que foi multado em R$ 162 mil após uma ação fiscalizatória nacional denominada “Operação Catena”. Foi detectado pelos fiscais que um dos fornecedores do Centro Norte não tinha documentação exigida, entre elas o Registro Geral de Atividade Pesqueira. A multa foi referente a comercialização de 7.715kg de peixe sem comprovante de origem ou autorização dos órgãos competentes, tendo como circunstâncias agravantes o ‘período de defeso à fauna”, “mediante fraude o abuso de confiança”, “obtenção de vantagem pecuniária”. Os produtos não foram apreendidos porque já haviam sido vendidos.

A multa aplicada

Tinha como prazo o dia 20 de março e o auto de infração foi encaminhado ao Ministério Público do Estado para que decidisse pela abertura ou não de processo criminal contra a empresa e o fornecedor. O que parecia ser uma “mera ilação” se tornou um caso concreto e pelo jeito a Associação dos Criadores, que nota afirmou que ” as etapas da produção são acompanhadas pelos órgãos de fiscalização do Governo do Estado, garantindo a qualidade desta proteína”, não é tão verdadeira. Intoxicação alimentar é coisa séria e um caso dessa natureza pode render uma ação judicial onde quem perde sempre é quem ficou doente. Os órgãos de fiscalização precisam sim agir com determinação.

Só para fechar

Supondo que uma pessoa seja intoxicada porque comeu um peixe esquisito vendido por um supermercado. A pessoa vai processar o comércio, que por sua vez vai empurrar a culpa para o fornecedor, que por sua vez vai dizer que “sente muito”, mas ele não tem como pagar. Portanto, se um supermercado, que conhece a legislação, sabe quais são os documentos e cuidados necessários, mesmo assim compra e revende produtos de origem duvidosa, a culpa é de quem? O auto de infração é da Diretoria de Proteção Ambiental do IBAMA número 9224706 e o processo é o 02024.000933/2019-72. É um caso de saúde pública.

Novo desembargador

Na última segunda-feira, 13, o Pleno do Tribunal de Justiça confirmou José Antônio Robles como desembargador, na vaga que havia sido aberta com a aposentadoria de Péricles Moreira Chagas. Diante do resultado, aguarda-se a publicação do acórdão (decisão colegiada) por imposição legal (art. 79, §3º, do Regimento Interno) para nomeação pelo presidente do TJRO, assim como ser designada a posse formal, por merecimento do magistrado mais votado. José Antonio Robles é formado em Direito pela Faculdade de Araçatuba, tem especialização em Direito Penal pela Universidade Federal de Rondônia e MBA em Poder Judiciário pela Escola de Direito do Rio de Janeiro, da Fundação Getúlio Vargas. O magistrado ingressou na carreira em 1992, sétima turma, ao ser aprovado no VII concurso público para magistratura do Estado de Rondônia, obtendo a 5ª colocação.

Frase do dia…

“A maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”. De Norte a Sul estudantes foram às ruas protestar contra os cortes na educação. E cá entre nós, não me pareceu uma coisa de ‘minorias”. Há, a frase é de Jair Bolsonaro, que parece não ter muita noção do que acontece no país que ele diz governar. Pelo menos 156 cidades nos 26 estados do país e no Distrito Federal registraram protestos contra o contingenciamento de verbas para a educação, entre elas Porto Velho e Guajará-Mirim. Em Belo Horizonte foram 250 mil manifestantes.

E no Rio de Janeiro

A quebra de sigilo bancário atingiu nada menos que 55 pessoas ligadas ao senador Flávio Bolsonaro.

Ir de bicicleta ao trabalho pode reduzir a mortalidade relacionada com a obesidade

Os obesos que ativamente vão e voltam do trabalho, particularmente aqueles que o fazem de bicicleta, podem conseguir reduzir seu risco de mortalidade por todas as causas e de eventos cardiovasculares em comparação com os que vão para o trabalho de carro, dizem pesquisadores britânicos em trabalhos apresentados na 26th European Conference on Obesity . Edward Toke-Bjolgerud, aluno do quinto ano de medicina na Glasgow University e colegas analisaram dados de mais de 160.000 participantes no UK Biobank que iam para o trabalho de carro, a pé ou de bicicleta. Em comparação às pessoas de peso normal que iam para o trabalho de bicicleta ou andando, os obesos que iam trabalhar de carro tiveram risco 32% maior de morte por qualquer causa e aumento de 59% do risco de eventos cardiovasculares. O aumento do risco de mortalidade por todas as causas não existia mais quando foram avaliados os trabalhadores obesos que iam para o trabalho andando ou de bicicleta, embora ainda tivesse um aumento de 82% do risco de eventos cardiovasculares.

Painel Político : Uso indiscriminado de Roundup em lavouras e quintais de RO podem incidir sobre aumento de casos de câncer
Enviado por alexandre em 14/05/2019 22:14:15

Bayer foi novamente condenada por doenças causadas pelo produto Roundup. Dessa vez a sentença é de R$ 2 bilhões, uma das maiores da história. E o produto está na sua mesa todos os dias

Uma ação

Nesta semana a gigante alemã Bayer sofreu um pesado revés em função de ter comprado a Monsanto, produtora de um dos mais famosos herbicidas do mundo, o Roundup. A empresa foi condenada a pagar U$ 2 bilhões a um casal americano que teria desenvolvido câncer pelo uso de Roundup no jardim de sua casa por 30 anos. A empresa também foi condenada a pagar o tratamento médico de ambos, algo em torno de U$ 55 milhões. A empresa vai recorrer, e dificilmente o casal receberá o dinheiro, tendo em vista que eles tem 74 e 76 anos respectivamente. Mas, essa ação chama a atenção para um problema que afeta diretamente grande parcela da população de Rondônia, o uso indiscriminado do Roundup, cuja base é o glifosato, um composto controverso. Em março a Bayer já havia sido condenada em outra ação. Falei sobre o caso e vou fazer novo alerta. Segue o fio que eu explico melhor.

Roundup Ready

O Roundup é um dos herbicidas mais usados no mundo. O glifosato é utilizado em mais de 750 produtos como agrotóxico e há indícios comprovados de que o glifosato do produto Roundup tenha efeitos nocivos sobre a saúde humana, como o aumento da incidência de certos tipos de câncer e alterações do feto por via placentária, gerando microcefalia. Além disso pode causar danos aos sistemas cardiovascular, gastrointestinal, renal, nervoso e respiratório. Também é uma substância bacteriogênica que impede a reprodução da flora intestinal. A substância também estimula o surgimento do autismo. Isso tudo na sua mesa todos os dias, no café, almoço e jantar.

Tem que controlar

Rondônia faz parte das chamadas ‘fronteiras da soja’ e com ela vem o aumento no uso de agrotóxicos. Na região sul do Estado, chegam pacientes com relatos de ânsia de vômito, coceira na pele, falta de ar e tonturas, sintomas que estão se tornando cada vez mais comuns entre a população que vive próximo a regiões produtoras. Não por acaso aumentou absurdamente a quantidade de diagnósticos de câncer em Rondônia, chegando ao ponto do Hospital do Câncer de Barretos construir um gigantesco anexo chamado “Hospital do Amor da Amazônia”, ou alguém acha que câncer é “transmitido por carapanã”?

Essa fiscalização

Cabe ao governo e ao legislativo. Passou da hora da Assembleia requisitar dados e estudos sobre o uso de defensivos agrícolas no Estado, fazer um acompanhamento das estatísticas, porque tudo isso gera uma conta paga por todos nós. Enquanto meia dúzia fica milionária ganhando dinheiro plantando soja, milhares ficam doentes sem nenhuma idéia dos motivos. E não se engane. Enquanto nos EUA o governo se preocupa com esses números, no Brasil existe uma forte corrente para que “libere geral” o uso de agrotóxicos nas lavouras, e não apenas da soja. Vale lembrar que o glifosato é usado até para limpar quintais, “joga veneno que acaba com esse mato, mana”. E pelo jeito está acabando também com milhares de vidas.

Terceiro lugar

E já que o assunto é agricultura, de acordo com o Levantamento da Safra de Grãos 2018/19, a colheita de algodão em Rondônia está estimada em 6,4 mil toneladas de algodão em pluma, cultivados em 4.500 hectares. Neste cenário, Rondônia se posiciona como o terceiro maior produtor da cultura na região Norte do Brasil, atrás apenas de Roraima e Tocantins, com 10,5 e 7,1 toneladas, respectivamente.  O volume rondoniense representa 26,7% do total produzido na região que chega a um total de 24 mil toneladas.

Paladino, não

No julgamento que concedeu a liberdade a Michel Temer na tarde desta terça-feira, o ministro do Superior Tribunal de Justiça Nefi Cordeiro mandou um duro recado à magistratura. Sem citar nomes afirmou, “não se pode prender por desejos sociais de justiça instantânea. Juiz não enfrenta crimes, não é agente de segurança pública, não é controlador da moralidade nem dos destinos da nação. Deve conduzir o processo pela lei e pela Constituição. Somente ao final do processo, reconhecer a culpa ou declarar absolvição. Não é símbolo de combate à criminalidade.” Entendeu Bretas?

Crianças menores de cinco anos devem ter menos tempo de tela e mais atividades físicas, diz OMS

Crianças menores de cinco anos de idade devem ser fisicamente ativas e ter uma boa qualidade de sono, bem como passar o mínimo de tempo possível restritas em carrinhos ou cadeirinhas de bebê ou sentadas diante de telas, de modo a poderem crescer saudáveis, dizem as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). A nova orientação publicada em 24 de abril, foi também apresentada no fim de semana de 27 e 28 de abril na European Conference on Obesity (ECO) 2019. Contudo, essa orientação gerou críticas de especialistas que questionam a qualidade das evidências utilizadas para fundamentar as recomendações, bem como a viabilidade e as vantagens de limitar o tempo de tela. A OMS convocou um grupo de especialistas para revisar a literatura disponível sobre o impacto do sono inadequado, do tempo de tela e do sedentarismo nas crianças, bem como as vantagens do aumento do grau de atividade. A seguir, o grupo elaborou uma série de recomendações para lactentes, crianças entre um e dois anos de idade e crianças entre três e quatro anos de idade, enfatizando a atividade física e a boa qualidade do sono. Além disso, os especialistas reforçaram a importância de as crianças não passarem mais de uma hora por dia em carrinhos ou cadeirinhas de bebê, e recomendaram que elas fiquem o mínimo de tempo possível na frente de alguma tela. A Dr. Fiona Bull, Ph.D., gerente do programa de vigilância e prevenção de doenças não transmissíveis para a população, acrescentou que o aumento da atividade, a redução do tempo de sedentarismo e o fato de assegurar uma boa qualidade de sono irá melhorar a saúde física e mental e o bem-estar. Além disso, essas mudanças vão “ajudar a prevenir a obesidade infantil e as doenças associadas mais tarde na vida”.

Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 09/05/2019 23:36:46

Ex-governador quer acabar com concursos e estabilidade no serviço público, de quebra ainda ganhou imunidade; já o ex-deputado segue fazendo o que sempre fez, impostando a voz…

Apenas um surto explica

As eleições de 2018 foram uma grande trapalhada em vários sentidos, porém, entre erros e acertos dois nomes chamam a atenção e muitos se questionam, “de onde vieram esses votos”? Me refiro as eleições de Marcos Rogério e Confúcio Moura ao Senado. Ambos já possuíam carreira política considerada, mas daí a serem premiados com cargos na mais alta casa legislativa do país, em uma eleição que ficou marcada pelo desejo de mudança, nos faz até questionar se de fato existe alguma chance das urnas eletrônicas terem surtado. Não dá para achar uma explicação muito lógica. Segue o fio que eu explico.

Confúcio Moura

Destruiu o Estado de Rondônia em seus oitos desastrosos anos de governo. Derreteu a malha viária do Estado, teve denúncias de corrupção em todas as esferas de seu governo, inclusive contra ele mesmo, que passou cerca de 10 horas na superintendência da PF após ter sido levado coercitivamente para ‘prestar esclarecimentos’. Traiu seus companheiros de partido ao lançar-se candidato ao senado e largou o cargo em meio a uma das maiores greves da educação, e mesmo assim teve inacreditáveis 230.361 votos que garantiram sua vaga. Tudo bem que os eleitores do ‘capitão’ se atrapalharam na hora de votar no ‘candidato do 17’, mas mesmo assim, Confúcio deveria ter tido, se muito, 60 mil votos.

Fim da estabilidade

O ex-governador, e agora senador, está trabalhando duro no Senado para acabar com uma “praga” (segundo ele)  que destrói o Brasil, a estabilidade no serviço público e com os concursos. Ele sempre defendeu isso abertamente, só que agora está na linha de frente para acabar com os direitos dos servidores públicos. Ninguém poderá foi ‘enganado’. Em 2018 publiquei uma postagem feita por ele em seu blog. E agora ele voltou ao ataque, em nova postagem.

E Marcos Rogério?

Foi relator do processo de cassação de Eduardo Cunha, que já era um morto-vivo. Com a voz sempre empostada, o deputado se vendeu como ‘novidade’ e conseguiu se eleger senador com incríveis 324.939 votos. Como senador, Marcos Rogério não agrega. Por enquanto tem falado sobre o óbvio. Pelo jeito, serão oito longos anos….

Assinou

O presidente da ALE, Laerte Gomes assinou nesta quinta-feira a convocação de aprovados em concurso público da Assembleia. Foi o primeiro certame em 30 anos. As provas do concurso foram aplicadas em agosto de 2018 em todo o Estado de Rondônia para mais de 35 mil inscritos. Foram ofertadas 106 vagas para os cargos de Assistente Legislativo, Analista Legislativo e Consultor Legislativo.

Perdendo a paciência

O vereador Aleks Palitot, que costuma ser uma pessoa paciente, subiu o tom de voz contra o staff do prefeito Hildon Chaves (PSDB) que não consegue resolver o transporte escolar de centenas de alunos da zona rural de Porto Velho, que desde o ano passado estão sendo prejudicados e não conseguem ir para a escola. Os pais já fizeram pelo menos três grandes protestos, com direito a bloqueio de rodovia contra a ineficiência do alcaide. Realmente vereador, o que faz essa legião de comissionados que não consegue sequer licitar um contrato de transporte…

Lampejo de racionalidade

Em dias como esta quinta-feira a gente renova a esperança que um dia o Brasil deixe de ser um hospício e voltemos à normalidade. O Congresso retirou de Sérgio Moro o COAF, que deve ficar onde está, no Ministério da Economia, e não nas mãos dos paladinos. Também está revisando o decreto das armas, de Jair Bolsonaro que deverá encolher.

Solenemente ignorado

Sérgio Moro ficou muito irritado com o decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro. O assunto não foi debatido em nenhum momento com o ministério da Justiça. O decreto ampliou o porte de armas, a compra de munições e liberou a importação de armas.  Para o ministro, vários pontos do texto são inconstitucionais. Moro não queria sequer ir à cerimônia de assinatura do decreto, informou a repórter do R7 Mariana Londres . Durante a assinatura, enquanto deputados e senadores da base aliada e da “bancada da bala” posavam ao lado de Bolsonaro fazendo “arminha com as mãos” e cumprimentando o presidente, Moro permaneceu sentado e aplaudiu, discretamente.

Aliás

Sérgio Moro está encolhendo e se não arranjar uma vaga no Supremo rápido, vai ter que arranjar uma vaga em Harvard, porque se como juiz ele era, digamos, ‘criativo’, como político é um fiasco. Sem o peso da caneta da magistratura federal, ele está vendo que na vida real precisa ter jogo de cintura, fazer concessões e ser flexível. Nesse quesito, ele está perdendo feio. Outro que também deve pular fora e não demora é Paulo Guedes, cuja missão é apenas uma, constituir o sistema de capitalização, que vai encher os cofres do sistema bancário privado e depois o ‘posto Ipiranga’ deve se voltar para seus negócios. À conferir.

Dependentes de smartphone demostram tendência de prejuízo no processo decisório

Pessoas com dependência de smartphones têm dificuldade de tomar decisões, assim como ocorre na dependência química e comportamental, aponta o estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) publicado em fevereiro no periódico Frontiers in psychiatry.  O prejuízo se assemelha ao observado, por exemplo, em jogadores patológicos e compradores compulsivos. O Dr. Frederico Duarte Garcia, psiquiatra da UFMG, falou sobre o trabalho. O Dr. Frederico contou que em 2017 a sua equipe validou a versão brasileira do Smartphone Addicition Inventory (SPAI-BR) em uma amostra de 415 universitários entre 18 e 25 anos de idade. A ferramenta, segundo ele, se mostrou adequada para rastrear a dependência de smartphone na população analisada. Entre as principais características desse quadro estão interrupção ou redução das atividades sociais, ocupacionais e recreativas para se dedicar ao uso do aparelho celular; preocupação constante com a possibilidade de ficar sem o aparelho; e aumento da frequência e intensidade de uso. A pessoa tem dificuldade de controlar o uso do smartphone e apresenta sintomas disfóricos quando fica sem utilizar o aparelho. Atualmente, a dependência de smartphone não faz parte da 5ª edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5, sigla do inglês, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 5th Edition), mas, segundo o Dr. Frederico, muito provavelmente será incluída na próxima edição.

Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 07/05/2019 22:52:06

Em Cacoal, mais um crime de pistolagem é cometido em plena luz do dia; procurador da Câmara, alvo de operação da PF é executado

Pistolagem

Na tarde desta terça-feira o procurador da Câmara de Cacoal, Sidnei Sotele foi executado no jardim em frente à Câmara de Vereadores do município. Um crime que se soma a longa lista de mortos por pistoleiros em Rondônia e certamente deverá ser mais um daqueles casos inconclusivos, como foram os assassinatos em Alto Paraíso e tantos outros. Rondônia é um dos estados onde mais ocorrem esse tipo de crime.

Enrolado

Sidnei Sotele foi um dos alvos da Operação Feudo, ocorrida em abril último que investigou um milionário esquema de desvios de dinheiro a partir de fraude em processo licitatório envolvendo recursos direcionados à obra de saneamento básico no município de Ministro Andreazza/RO. Segundo acusação da Polícia Federal, responsável pelas investigações, houve um direcionamento para as obras, que estão em andamento em Andreazza, com 65% delas já concluídas, ao custo de R$ 18 milhões. A PF afirma porém, que desse valor, R$ 3 milhões teriam sido de “prejuízos causados”.

Em que pese

Essas operações da Polícia Federal serem sempre cercadas de muito barulho e às vezes pouca consistência, há que se levar em consideração a execução do advogado nesta terça-feira. Pode ser que não tenha relação, mas esse tipo de assassinato costuma ter duas motivações, dinheiro ou mulher. Vamos aguardar o desenrolar das investigações.

Notícias de Brasília

O deputado federal Léo Moraes esteve reunido com o ministro da Infra-Estrutura, Tarcísio Gomes e conseguiu o compromisso de que o governo federal vai licitar, em 2020, a privatização da BR 364. O parlamentar afirmou que esse é apenas o primeiro passo de muitos, mas o mais importante será a fiscalização do modelo a ser implementado para que não ocorra o mesmo que o “leilão/assalto legalizado que ocorreu com a nossa energia elétrica”. Léo também acrescentou que a BR 319, que liga Porto Velho a Manaus deve começar a ser asfaltada em breve, faltam apenas alguns pequenos ajustes.

Enquanto isso

O DNIT anunciou em seu perfil no Twitter que as obras na BR 163, que liga o Mato Grosso a Miritituba, no Pará, já foram iniciadas e até o fim deste ano Jair Bolsonaro estará inaugurando o percurso. Para quem não sabe ou não lembra, essa rodovia é a que atrapalhou a BR 364 e vem reduzindo o fluxo de soja do Mato Grosso para Rondônia.

E nesta terça-feira

Um estudo da consultoria Tendências revelou que três fatores farão com que a região Norte será única região do país a se recuperar da crise este ano, em função de três fatores, no Pará, houve a maturação de projetos de mineração, o que ajuda a dinamizar a região; a retomada da Zona Franca de Manaus; e o avanço da fronteira agrícola, a agropecuária dá sinais de força. Ao fim deste ano, economia da região estará 0,6% maior do que em 2014, último ano em que o Brasil cresceu.

Grave este nome

TWO Flex

Beber com moderação não exerce nenhum efeito protetor no risco de AVC

A pressão arterial e o risco de acidente vascular cerebral (AVC) aumentam proporcionalmente ao consumo de álcool, revelam os resultados de um grande estudo prospectivo populacional. Em conclusões que contradizem algumas pesquisas anteriores sugerindo que o consumo moderado de bebidas alcoólicas pode proteger contra o acidente vascular cerebral, um estudo inovador, que comparou a análise epidemiológica convencional a análises genéticas, mostra este não é o caso. Este estudo foi feito com mais de 500.000 pessoas na China e mostrou que o álcool foi responsável por aproximadamente 8% dos casos de acidente vascular cerebral isquêmico e 16% dos casos de hemorragia cerebral nos homens. “Não existem efeitos protetores decorrentes da ingestão moderada de bebidas alcoólicas contra o acidente vascular cerebral. Até mesmo o consumo moderado de álcool aumenta as chances de AVC. Os achados em relação ao infarto agudo do miocárdio (IAM) foram menos definidos, de modo que pretendemos obter mais evidências”, disse o coautor do estudo Dr. Zhengming Chen, Ph.D. e médico do Nuffield Department of Public Health, University of Oxford no Reino Unido, disse em um comunicado à imprensa. O estudo foi publicado on-line em 04 de abril no periódico Lancet.

Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 06/05/2019 22:44:19

Fazenda Três Capelas virou palco de ação judicial com direito a medidas restritivas; propriedade era de ex-senador e sua falecida esposa, Maria Helena

Abrindo

No dia 11 de julho de 2018 morria em Ariquemes o ex-senador Rubens Moreira Mendes, cuja história se confunde com a de Rondônia, Estado que ele ajudou a desbravar e a construir. Pecuarista, defensor dos produtores rurais e com fortes ligações com o setor produtivo no Brasil, Moreira era proprietário do Hotel Fazenda 3 Capelas, uma área de 1.000 hectares há pouco mais de 50km de Porto Velho. Falar sobre a fazenda fazia Moreira brilhar os olhos. Era seu ‘xodó’ há praticamente cinco décadas. E lá era onde Moreira Mendes fixou residência, quando sua primeira esposa, Maria Helena Moreira Erse, faleceu em 2010. Algum tempo depois, Moreira se uniria à advogada Maria Cristina Dallagnol. Ele então se dividia entre a Três Capelas e Ariquemes, onde também tinha uma casa.

Depois do luto

Com o falecimento de Moreira, Maria Cristina rompeu os laços que mantinha até então, com os filhos do ex-senador, Ricardo, Guilherme e Rodrigo. Ricardo estava morando em uma casa anexa a residência principal da Três Capelas há pelo menos três anos, e eis que no início deste ano, foi surpreendido com a visita de um oficial de justiça determinando que ele deixasse sua casa, pois havia uma “medida restritiva” contra ele, movida pela advogada Maria Cristina. A mesma registrou uma ocorrência alegando que os filhos do ex-senador teriam removido seus bens para um lugar que não se sabe” e isso seria ‘violência doméstica’. Com isso, ele deveria deixar a casa, vez que a advogada seguiu usando a sede da fazenda como moradia, quando vai a Porto Velho.

Os irmãos

Já haviam feito um entendimento entre eles que, todos os bens de Moreira Mendes, referentes à Ariquemes, ficaria para a advogada. Roupas e objetos pessoais da advogada não foram “removidos para um lugar que não se sabe”. Tudo foi encaixotado, dobrado e deixado na sala para que ela pegasse quando quisesse e o procedimento foi filmado e acompanhado por funcionários da fazenda. Guilherme é sócio-gerente do hotel fazenda, e já conseguiu autorização judicial para entrar no local e gerir o negócio. Nos próximos dias o Tribunal de Justiça deve julgar a medida protetiva impetrada pela advogada, que foi baseada na lei Maria da Penha. Os filhos de Moreira argumentam que Maria Cristina falseou a verdade para obtenção da medida, concedida em Candeias do Jamari.

Esse caso

Nem deveria estar sendo debatido em âmbito judicial. Até os bagres do Madeira sabem que a Três Capelas sempre foi de Moreira Mendes e consequemente de seus filhos. É um patrimônio familiar, construído junto com sua finada esposa Maria Helena. O bom senso, aquele que faz falta vez em quando, deveria prevalecer em um caso dessa natureza por parte de quem quer que seja ao integrar uma família que já tem uma história tão longa. Esse, ao que tudo indica, é apenas o primeiro capítulo de um caso que vai render dissabores a todos os envolvidos, o que é lamentável. Moreira era um homem prático, que não fazia rodeios sobre quaisquer temas. Eu pessoalmente o entrevistei dezenas de vezes, e ele nunca fugia a nenhum tema. Mas dois assuntos faziam ele falar com empolgação, a fazenda Três Capelas e a relação que tinha com seus três filhos. Por vezes tumultuada, mas sempre com afeto.

Deu ruim

O ex-presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho foi condenado nesta segunda-feira pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Rondônia a 14 anos e 7 meses de prisão por crimes de peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro em uma ação penal movida pelo Ministério Público. Após a publicação do Acórdão (que deve acontecer nos próximos dias), a defesa deve ingressar com embargos de declaração, o que não costuma alterar a pena. Advogados ouvidos por PAINEL POLÍTICO afirmam que até agosto deste ano Maurão deve começar o cumprimento da sentença.

Já são cinco

Os ex-presidentes da Assembleia Legislativa de Rondônia que foram condenados pelo TJRO. Marcos Donadon, Carlão de Oliveira, Natanael Silva, Valter Araújo e agora Maurão.

Bizarrice

Ver Wilson Witzel em um helicóptero anunciando que vai participar de operação contra bandidagem em Angra dos Reis é a coisa mais estapafúrdia que você vai ver um governador fazendo nos últimos tempos. É surreal. Ainda mais louco é perceber que um bando de gente acha isso normal e que ninguém coloca um freio no louco.

Pesquisadores da Unicamp desenvolvem método inédito para diagnosticar Alzheimer

Entre os principais aspectos que envolvem o Alzheimer, doença degenerativa que afeta áreas do cérebro e provoca perda de memória, o diagnóstico precoce segue como um dos maiores desafios da área médica. Pensando nisso, pesquisadores da Unicamp desenvolveram um método inédito para identificar os primeiros sinais da patologia. A tecnologia foi desenvolvida pelo Instituto de Computação da universidade, em parceria com o Instituto Nacional de Saúde, dos Estados Unidos. A técnica, que analisa ressonâncias magnéticas baseadas em mais de 20 mil imagens de cérebros (saudáveis e doentes), cria um sistema de inteligência artificial, onde um computador é capaz de apontar quais áreas do cérebro estão em fase inicial de Alzheimer. “Nossa ideia é fazer uma ferramenta que auxilia o diagnóstico. Vamos gerar os dados para o médico tomar uma informação mais detalhada, embasada, precisa e mais rápida”, explica o pesquisidor Guilherme Folego. Ele afirma que os médicos só conseguem ter certeza da manifestação do Alzheimer quando a doença está em estágio avançado, e que o sistema convencional utilizado para apontar a probabilidade da doença demora, atualmente, de 15 a 20 horas. “Nosso sistema, por outro lado, demora de 10 a 15 minutos, então é bem expressivo. Você consegue ajudar o médico a fazer um diagnóstico mais preciso e eficiente”.O próximo passo da pesquisa, segundo os pesquisadores, é encontrar parcerias para que a nova ferramenta seja utilizada por meio de software, ou seja, funcione através de um programa de computador que possa ser instalado nos consultórios médicos e laboratórios.

(1) 2 3 4 ... 187 »