Resenha Política - RESENHA POLÍTICA - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 57 »
Resenha Política : RESENHA POLÍTICA
Enviado por alexandre em 29/08/2018 21:30:10



RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



BARULHO – Os correligionários do candidato a presidente pelo nanico PSL, Jair Bolsonaro, estão preparando muito barulho na capital, nesta sexta-feira, para recepcionar o presidenciável em sua primeira e rápida passagem por Rondônia. Bolsonaro lidera as pesquisas no estado, segundo pesquisa do Ibope recentemente divulgada pelos principais órgãos da comunicação rondoniense, com Lula em seu encalço. Nas mídias sociais os seguidores dos dois candidatos travam uma guerra digital fratricida com impropérios para todos os lados.



DEBATE – Quem aguardava esperança de que os debates fossem o principal meio para que o eleitor escolhesse entres os concorrentes o mais bem preparado, já percebeu que a depender dos debates a anulação do voto é que tende a subir nas pesquisas. Os primeiros debates entre os candidatos a presidente nas televisões foram um fracasso de proposta e desempenho.



DEBATE I – Em Rondônia três emissoras decidiram promover o confronto de propostas entre os candidatos a governador. No Sistema Meridional de TV – retransmissora do SBT – o primeiro confronto está marcado para dia 18, às 22 horas. O problema é que este é o único debate onde todos os nove candidatos participam e pela hora marcada tende a entrar pela madrugada e derrubar a audiência, além da pulverização dos confrontos.



DEBATE II – No Sistema Imagem de Comunicação – retransmissora da Record – o debate está marcado para o dia 28 setembro, às 17h30. Embora a emissora tenha promovido os mais movimentados das últimas campanhas, em horário nobre, o confronto deste ano entre os candidatos a governador será em um horário pouco comum para o formato do programa, além de concorrer com o final de expediente e o famoso happy hour, das sextas-feiras. A direção da SIC tentou negociar um horário melhor, mas com a grade nacional fechada, não logrou êxito.



DEBATE III – A TV Rondônia, retransmissora da poderosa Globo, reúne os cinco candidatos mais bem posicionados na pesquisa do Ibope – pesquisa contratada pela emissora – para o debate no dia 2 de outubro, próximo do primeiro turno. Portanto, passa a ser o principal debate a ser observado nestas eleições porque entre a sua realização e o dia do primeiro turno, dia 7 de outubro, teremos cinco dias para que os concorrentes repercutam seus desempenhos nas mídias sociais.

REDE TV – A filiada da Rede TV em Rondônia, emissora de propriedade da família Gurgacz, não fará este ano debates. Os candidatos foram convidados para uma sabatina com jornalistas da rede. A decisão decorre da falta de espaço na grade nacional para debates no primeiro turno. Na eventualidade de um segundo turno, é possível que haja o confronto. Ainda assim dependerá de uma decisão da matriz.



ENCONTRO – Nesta última terça-feira, na capital, todos os nove candidatos ao Governo estiveram reunidos no auditório da seccional de Rondônia, onde assinaram um compromisso pela ética e contra o uso do caixa dois. Na oportunidade, pelas regras da seccional, os candidatos tiveram cinco minutos para apresentar as principais propostas dos seus planos de governo. Nem todos, porém, entenderam as regras e fugiram da concepção do evento. Apenas dois, dos nove concorrentes, registraram quais as principais metas governamentais para os próximos quatro anos. A depender desse encontro, o eleitor não alimente muita esperança para decidir o voto tão somente pelas propostas de governo.



PROGRAMAS – Começam nesta sexta-feira, dia 31, os programas gratuitos de rádio e TV destinados aos candidatos apresentarem as respectivas propostas. Os comitês finalizam os primeiros, mas a principal ferramenta desta campanha na tentativa de angariar o voto não é mais a TV. Os entendidos em marketing político apontam as mídias sociais como as ferramentas mais poderosas destas eleições, seja no aspecto informativo, seja no uso criminoso das Fake News.



DIGITAIS – Embora os nove candidatos a governador tenham assinado o protocolo de compromisso na OAB-RO por eleições limpas e éticas, nem todos estão cumprindo aquilo que assumiram. Digitais de Fake News foram identificadas pela assessoria jurídica da candidatura de Expedito Junior (PSDB – DEM – PSD e Patriota), com informações falsas de pessoas ligadas ao comitê eleitoral de um concorrente. Com ação própria ajuizada, em poucos dias saberemos de quem são as tais digitais.



TRIBUNAL – As expectativas agora estão sobre o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia que deverá julgar nos próximos dias os pedidos de registros e impugnações dos candidatos. O caso mais emblemático é o do candidato a governador Acir Gurgacz (PDT) que teve o pedido de indeferimento requerido pelo Ministério Público Eleitoral.



EXPECTATIVA - Há também muita expectativa no julgamento das impugnações entre os defensores da substituição de Acir Gurgacz (PDT) pelo governador Daniel Pereira (PSB). Não é segredo para ninguém que o atual chefe da Casa Civil articula em surdina essa substituição e segura o governador para que não participe de nenhuma solenidade pública que possa ser empecilho para que ele (Daniel) substitua Acir, numa eventual derrota do pedetista no TRE. A torcida palaciana pelo revés de Gurgacz é enorme, o que preocupa os neossocialistas é o que o tempo não para...
...

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 21/08/2018 23:51:41

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



FENÔMENO – Mesmo os mais exaltados e ferrenhos inimigos do Partido dos Trabalhadores não podem negar que o resultado da primeira pesquisa nacional do Ibope revela Lula como um fenômeno eleitoral. Mesmo preso, a maioria dos eleitores pesquisados vota no ex-presidente. Embora este instituto tenha usado nas eleições passadas a margem de erro de três por cento, inovou nesta pesquisa ao aumentar para cinco. Quem tem intimidade com pesquisa sabe que esta mudança pode ter sido para evitar anunciar que Lula ganharia no primeiro turno. Um dedução fácil já que outros institutos apuraram números que indicam nessa direção. Lula é um fenômeno eleitoral. Queiram ou não seus desafetos.



MICO – A grande preocupação dos partidários de Bolsonaro é que o candidato do PSL é ruim de debate e não fala nada com nada. Cresceu antes da campanha por afiar a língua contra o petismo e criticar as chamadas minorias. O discurso de intolerância do ex-militar não é muito diferente dos candidatos de direita que disputaram recentemente as eleições em muitos países europeus e que arregimentaram muitas pessoas, mas quando as eleições começaram pra valer perderam. Bolsonaro repete o mesmo modelo europeu da intolerância sem apresentar uma proposta nova para melhorar a vida das pessoas. Lula também não apresenta nada de novo, aliás, preso não tem como apresentar nada, mas mostra força política devido aos projetos sociais que implementou em seu governo, enquanto seus adversários viram mico e não falam nada que seja assimilado pelo eleitor incauto.



CORRUPÇÃO – Quem apostou que o tema da corrupção fosse a principal pauta propulsora destas eleições e se preparou para um discurso monocórdico sem propor algo que melhore as vida das pessoas começa a perceber que errou, embora o tema cujas entranhas políticas foram exposta ao país seja necessário debater. A disparada de Lula – político que mais foi exposto pela mídia nacional - nas pesquisas e o número alto de parlamentares que devem retornar ao Congresso Nacional comprovam que o eleitor na hora de votar leva em conta as suas próprias ponderações sobre realidade do que as avaliações dos chamados formadores de opinião. Afinal, informação hoje todos têm na palma das mãos (smartphone) e mensuram o que querem, o que ninguém pode alegar é desconhecimento da realidade.



EXPECTATIVA – Já não causa tanto furor como antigamente o resultado das pesquisas do Ibope em Rondônia devido aos constantes erros por estas bandas, a exemplo do que ocorreu nas eleições municipais quando colocaram Dr. Hildon na rabeira. Porém, todos os comitês eleitorais torcem para que seus candidatos estejam bem postados nesta pesquisa devido à exposição em horário nobre pela Rede Globo. Hoje, com a profissionalização das campanhas, todos os candidatos monitoram o eleitor com as própria pesquisas e sabem para onde o vento empurra a biruta. Contudo, o Ibope ainda provoca expectativa. Nas próximas horas a TV RO divulga os primeiros números oficiais dos candidatos a governador e senador.



DEBATE – O Sistema Meridional de TV (SBT) e a TV RO já marcaram os seus debates entre os candidatos ao Governo de Rondônia neste primeiro turno. O primeiro será dia 18 setembro, às 22 horas, com todos os noves candidatos. O segundo, da TV RO, será dia 2 de outubro, 21 horas, com os cinco primeiros candidatos mais bem postados nas pesquisas do Ibope. Os demais candidatos serão compensados com espaço nos telejornais da vênus platinada rondoniense.



FICHAS SUJAS – Os candidatos que tiveram requeridos os respectivos pedidos de impugnações deverão começar a ser julgados na próxima semana, pelo Tribunal Regional de Rondônia. Há inúmeros candidatos que não passam na malha da lei da Ficha Limpa, mas entre eles, há muitos que terão seus registros deferidos. Mesmo aparecendo em listas com condenações.



CASSAÇÃO - As atenções relativas às cassações dos registros estão voltadas para o julgamento do candidato a governador pelo PDT, Acir Gurgacz. É possível que a corte mantenha a impugnação, visto que o senador sofreu uma condenação criminal no STF. Contudo, ele permanece na campanha sem a necessidade de uma liminar, bastando, para tanto, a interposição de um simples recurso eleitoral já que a impugnação não possui caráter executório imediato. Na hipótese de não obter registro perante o TSE seu nome sequer constará nas urnas.



IMPUGNAÇÃO – Carlos Magno, candidato a senador pelo PP, também teve seu pedido de registro contestado pelo Ministério Público Eleitoral. Consta contra o ex-deputado federal e estadual uma condenação em que foi denunciado por envolvimento num suposto esquema da Assembléia Legislativa - famosa operação de combate à gafanhotagem na folha de pagamento do poder. Apesar de vários deputados estaduais da época terem sido condenados e estarem pagando pena pelos mesmos delitos que Carlos Magno, é possível que o pepista escape por filigramas processuais já que um HC interposto pela defesa teria extinguido a punibilidade. Uma tese que a defesa espera que seja acatada pelo TRE.



GIGANTES – A disputa pelas duas vagas ao Senado em Rondônia será uma guerra de titãs. O quadro indica que as vagas serão definidas até o último dia das eleições, visto que não há neste momento um nome que tenha se deslocado em relação aos concorrentes.

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 15/08/2018 20:06:25



RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA





EFEITO COLATERAL – Caiu como uma bomba no Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores a intervenção feita pelo Diretório Nacional na convenção que aprovou uma coligação com o PDT, PSB e PP, e rifou a candidatura a senadora de Fátima Cleide. Com a intervenção, Fátima retoma a candidatura e obriga os companheiros desafetos do PT a romperem com a candidatura a governador de Acir Gurgacz para apoiar a de Pimenta de Rondônia (PSOL). Os efeitos colaterais desta bomba também foram sentidos pelos candidatos a deputados federais do PSB, PDT e PP, visto que muda o cenário traçado por eles (dirigentes partidários) em eleger três deputados federais nesta coligação.



REAÇÃO – Embora Fátima Cleide seja uma das mais longevas filiadas ao Partido dos Trabalhadores, com uma militância impecável, os companheiros da agremiação, liderados pelo ex-padre Ton e o ex-prefeito da capital Roberto Sobrinho, foram implacáveis na reação a sua (Fátima) pretensão em recuperar o mandato senatorial, dizendo com todas as letras que as chances de vitória são mínimas, ancorados supostamente em pesquisas internas de monitoramento das eleições. Uma reação, para quem trabalha em campanha eleitoral, avexada e precipitada, haja vista que a campanha em si sequer começou.



UMBIGO – A direção petista de Rondônia, ligada umbilicalmente ao ex-padre Ton e ao deputado estadual Lazinho da Fetagro, avalia que a coligação com os candidatos proporcionais do PSOL não tem futuro eleitoral porque os nomes que compõem a nominata não conseguem alcançar o coeficiente eleitoral para deputado federal nem estadual, razão pela qual preteriram a postulação ao Senado Federal de Fátima Cleide para privilegiar os candidatos proporcionais, entre eles, o ex-padre Ton e o deputado Lazinho da Fetagro. Nesta hora, todos fazem as contas pensando tão somente nos próprios umbigos.



AUTOFAGIA – Quem conhece as entranhas petistas sabe que está armada uma guerra interna sem precedentes. Quando um petista abre a caixa de maldades contra outro é pior que inimigos históricos. O partido em Rondônia entrou num processo de autodestruição com reflexos que podem levar todas as candidaturas a naufragarem, inclusive a de Fátima Cleide. Mas, verdade seja dita, o ex-padre, quando optou em descartar a postulação senatorial da companheira, o fez pensando somente nele. Agora não pode reclamar da autofagia.



TRINCA – Com a decisão de ontem do Supremo Tribunal Federal em rejeitar os embargos de declaração na ação penal que condenou o deputado federal Nilton Capixaba (PTB), a chance de registrar a candidatura à reeleição é zero, apesar da nota que emitiu à imprensa em sentido contrário. Na formação do TSE com a ministra Rosa Weber e os ministros Edson Fachin e Luís Barroso as chances de os candidatos fisgados na lei da ficha limpa registrarem as respectivas candidaturas são igualmente zero. Essa trinca de ministros em geral é suficiente para causar alvoroço a qualquer candidato com condenação em colegiado. Em particular a Nilton Capixaba.



DÚVIDAS – Mesmo negando publicamente que não retira a candidatura para dar o lugar a outro nome, Acir Gurgacz termina sendo prejudicado por alguns companheiros de coligação, em particular do PSB, que insinuam diariamente em surdina que Jesualdo Pires aguarda a vez para substituir o pedetista. Ao alimentar a substituição, os partidários da candidatura a governador de Jesualdo também provocam estragos na campanha senatorial do ex-prefeito, visto que confundem o eleitor. Quem tem duas candidaturas simultâneas não tem nenhuma, diz o adágio.



MILAGRE – Só um milagre judicial para salvar a pretensa candidatura a presidente de Lula, embora lidere todas as pesquisas divulgadas nacionalmente até o momento. A lei da ficha limpa é aplicada a todos os jurisdicionados –inclusive aqueles que podem refazer suas sentenças – e nada indica que o Tribunal Superior Eleitoral vá mudar o entendimento para acatar o pedido de registro da candidatura a presidente de Lula. Ademais, milagre não acontece toda hora, embora em Brasília todos os fenômenos sejam possíveis.



FORÇA – Com ou sem Lula, o PT tem uma militância nacional enorme e capaz de alavancar qualquer nome que a legenda coloque em substituição ao ex-presidente preso em Curitiba. O mais ferrenho inimigo do petista sabe o quanto o partido tem força para levar seu candidato ao segundo turno das eleições presidenciais. Resta saber quem terá força, entre os demais concorrentes, para ir com ele a disputa final.



TV – No próximo dia 31 os programas de TV e Rádio dos candidatos entram no ar. Uma oportunidade para que o eleitor saiba o que eles têm a dizer e a oferecer como propostas. Esta é a campanha mais rápida da história do país, onde os espaços das mídias sociais bem aproveitados vão dar o tom das campanhas.



JULGAMENTO – Está marcado para sexta-feira no Tribunal de Justiça do Estado o julgamento da ação criminal movida pelo prefeito Hildon Chaves (PSBD) contra o deputado estadual Hermínio Coelho (PCdoB). Ao receber a denúncia o relator indeferiu os pedidos requeridos pelo denunciado o que não é um bom sinal para quem adora destruir reputações.

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 07/08/2018 23:48:17

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



AUTOFAGIA – Embora todos os partidos que monitoram as eleições soubessem que a ex-senadora petista Fátima Cleide era uma candidata competitiva, foi uma surpresa agradabilíssima para os candidatos ao Senado que tiveram seus nomes aprovados nas respectivas convenções que a direção do Partido dos Trabalhadores de Rondônia tenha rifado Fátima para privilegiar a candidatura a deputado federal de Padre Ton e aprovar uma coligação com os partidos que apoiam a candidatura ao governo de Acir Gurgacz, entre eles o PP de Ivo K-Sol. A rasteira dada pela direção estadual do PT na ex-senadora provocou uma confusão dos diabos e tem tudo para terminar na justiça.



ACUSAÇÕES – Padre Ton foi ontem a uma rádio da capital para passar pito na ex-senadora e fazer ilações de falsidade ideológica (sem apontar concretamente quem), quando informou que duas atas da convenção foram enviadas ao Tribunal Regional Eleitoral em nome do PT, e uma delas com assinaturas falsificadas. A acusação é gravíssima e merece ser investigada, mas é grave também as manobras internas da direção visando impedir que Fátima Cleide seja candidata para que o partido apoie os candidatos ao senado lançados pela coligação PDT, PP e PSB, Carlos Magno e Jesualdo Pires. Fátima nunca foi uma unanimidade, inclusive dentro do PT, mas é uma referência do Partido com uma história de militância impecável. Não é cristã nova. Embora o padre queira agora excomungá-la da legenda.



GOLPE – Nem os petistas rondonienses sabem como esta briga vai terminar já que há informações preliminares de que a ex-senadora tenha em seu favor a simpatia da direção nacional do PT com força para impor uma intervenção na direção regional e mudar a decisão da convenção que rifou a candidatura de Fátima Cleide ao Senado Federal. Usuários históricos da palavra golpe, os petistas ligados à ex-senadora garantem que o padre e seu discípulos querem dar uma rasteira em Fátima Cleide. Aliás, sobre golpe em candidaturas próprias para atender a interesses da tecnocracia dirigente os petistas são imbatíveis.



DIVIDIDOS – Nestas eleições estaduais há um fato que tem preponderado em relação às eleições anteriores. Vários partidos vão às urnas divididos. Além do PT, Ivo K-SOL, mandatário da capitania pepista, avisou aos comandados que não colocou óbices à coligação com o PDT de Acir Gurgacz, mas não pretende aparecer em público ao lado do desafeto. No MDB, partido que realizou uma convenção a base do pugilato, os grupos dos principais caciques ainda não superaram os sopapos e vão às eleições em clima de beligerância.



FAKE – Em geral é uma eleição complicada para todos os candidatos, em particular devido às fake news (notícias falsas) nas mídias socais que se espalham feito fogo em capim seco. Não é à toa que a Justiça Eleitoral promete ser inexorável contra quem for fisgado produzindo material considerado fake e, pela movimentação eletrônica da justiça, as primeiras denúncias chegaram às cortes. Os grupos de WhatsApp vão ser monitorados e deverão sair deles as principais denúncias, visto que os comitês estão orientando seus apoiadores e que pertencem aos mais variados grupos que repassem ao jurídico dos comitês eleitorais os compartilhamentos vedados por lei. Indenização por dano moral vai alcançar muito fake.



FESTA – A convenção conjunta do PSDB, DEM e PSD foi uma festa bem organizada com a participação de um público enorme. A surpresa foi a confirmação do vereador da capital Maurício Carvalho, irmão da deputada federal Mariana Carvalho, como vice-governador na chapa liderada por Expedito Junior. O Podemos, liderado pelo deputado estadual Léo Moraes, hoje uma liderança muito forte na capital, fez também uma bela festa para aprovar as nominatas de deputado federal e estadual. Por necessidade aritmética o partido decidiu se coligar com o MDB para viabilizar uma eventual eleição do seu principal líder à Câmara Federal. Léo chegou a ser sondado para ser vice em várias coligações em razão da liderança que conquistou, especialmente junto aos jovens eleitores.



VAGA – Com o vereador Maurício de Carvalho (PSDB) fora da disputa à Assembleia Legislativa os candidatos à vaga com domicílio eleitoral na capital vão poder contar em tese com uma (vaga) que teoricamente o edil iria conquistar. Outro candidato que tem o caminho pavimentado para retornar ao parlamento estadual é o tucano Laerte Gomes (PSDB), internamente é quem colhe parte do espólio eleitoral do correligionário igualmente tucano.

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 25/07/2018 00:23:32

Governador Daniel Pereira (PSB)

MEMES - Embora o governador Daniel Pereira (PSB) declare reiteradamente e publicamente que não é candidato à reeleição e que apoia a pré-candidatura de Acir Gurgacz (PDT), sindicalistas, simpatizantes e auxiliares da administração estadual estão travando uma guerra de guerrilha nas mídias sociais para desgastar o pré-candidato pedetista na esperança de que desista e seja substituído por um nome do PSB: seja Daniel Pereira, seja Jesualdo Pires. Os memes que esses setores espalham terminam ajudando os adversários à medida que o tempo passa e a possibilidade da substituição fica mais distante.

RESERVA – Daniel também declarou que poderá rever a decisão de não disputar a reeleição na hipótese de Acir não conseguir o registro da candidatura devido à condenação que recentemente sofreu no Supremo Tribunal Federal. O tempo tem conspirado contra o governador e o 'time' em substituir Acir está passando. Ao perceberem esse 'time', neossocialistas decidiram inflar o nome de Jesualdo Pires como o favorito ao posto numa eventualidade. Satisfeito na condição de reserva ao cargo governamental, o ex-prefeito de Ji-Paraná, mesmo anunciando a postulação ao Senado Federal, torce para que seja ele o substituto de Acir. A postura assumida por Pires é um estimulante ao fogo amigo.

CONVENÇÃO – Todas as atenções estarão voltadas para a convenção do MDB que acontece no próximo sábado, a partir das nove horas, na sede do Diretório Regional do partido, na capital. Ao invés da comilança servida aos convencionais e organizada pela agremiação na convenção realizada em 2014, que homologou a candidatura à reeleição ao governo de Confúcio Moura, esta convenção de 2018 tende a servir em seu menu principal a cabeça do ex-governador. Razão pela qual a candidatura a governador que deveria ser o principal atrativo do regabofe virou uma simples sobremesa.

BIRUTA – As idas e voltas dos pepebistas têm provocado mais desgaste aos pedetistas do que as incertezas envolvendo o registro da candidatura que o partido promete homologar. Enquanto Carlos Magno aos prantos faz juras de amor aos correligionários de Acir Gurgacz, o mandatário real do PP, Ivo Ksol, desce a lenha. A direção da legenda malufista parece biruta de aeroporto que muda de lugar à medida que os ventos sopram em sentido contrário. Até o dia 5, final do prazo para as convenções, essa birutice vai render muito o que falar. É tempo necessário para a candidatura senatorial de Carlos Magno explodir no ar.

IPERON – Não são boas as expectativas futuras para os pensionistas do Instituto de Previdência de Rondônia. Um estudo técnico bem elaborado pelos técnicos do Tribunal de Contas do Estado concluiu que provavelmente em menos de cinco anos o instituto estará com o caixa no vermelho para honrar com a pensão de quem trabalhou uma vida inteira no crescimento estadual. A má gestão, investimentos perdulários, sonegação e o envelhecimento dos quadros de funcionários da ativa são responsáveis pelo futuro incerto. Mas o principal problema reside na falta de uma política governamental correta que evite o estrangulamento do órgão.

EVENTO – O TCE organizará um encontro entre os candidatos a governador no próximo dia 3, às nove horas, para que seja tornada pública a real situação do estado. A iniciativa do presidente Edilson Silva, que é inovadora, tem como finalidade dar transparência do quadro estadual e subsidiar todos os candidatos com os dados concretos da economia, arrecadação, endividamento e governança da máquina estadual. Além de fornecer elementos sem manipulações para os planos de governo nas áreas de saúde, educação, segurança, meio ambiente, entre outras. Ao tornar públicas as entranhas do governo, o TCE também educa a população a escolher entre as propostas em disputa qual delas reflete a realidade e quais apontam saídas concretas para os gargalos existentes.

EVENTO II – Junto com o TCE, o Tribunal Regional Eleitoral vai participar do evento de forma preventiva, esclarecendo aos candidatos as vedações da legislação em relação à campanha eleitoral. E requererá a cada presente o apoio para combater as 'fake news' que, aliás, já infestam as redes sociais nesse período pré-eleitoral. A iniciativa é vanguardista uma vez que os órgãos de controle rompem o clausuro que sempre estiveram para colaborar na transparência das eleições e colocar à disposição dos eleitores subsídios realísticos que possam cotejar com as propostas dos candidatos na hora de votar. O presidente do TCE, com este gesto, também traz à luz o resultado de um trabalho técnico criterioso do seu corpo funcional que nem sempre é conhecido pelo contribuinte e mostra que não é uma corte de faz de contas. Bem diferente de outrora.

EFEITO ORLOFF – Verificando o que publicou Confúcio Moura em seu inesquecível BLOG (03/02/2011), nos primeiros dias de governo, ao queixar-se da dívida deixada, escreveu: “Infelizmente recebi despesas para pagar e sem o dinheiro em caixa. Os dados estão na Secretaria da Fazenda à disposição de quem quiser conhecer. O maior débito está na Saúde, cerca de 66 milhões de reais. Saldo deixado na conta da saúde de apenas 2 milhões. Dívida global passa de 170 milhões. Vejam que é muito dinheiro. Recurso global deixado em conta em torno de 22 milhões de reais, para todas as secretarias. Os senhores podem ver o tamanho do déficit. Claro que as dívidas processadas e fundadas terão que ser pagas. As outras que não tiverem processos formais concluídos deverão ser auditadas e depois julgadas. Mas todos os processos deverão ser remetidos ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público para conhecimento, porque não tenho condições de assumir pra mim imensa responsabilidade”. Ao entregar o governo a Daniel Pereira, vice-governador, a fama de administrador austero de Confúcio Moura, durou apenas dois meses depois para que a população rondoniense tomou conhecimento de que o tesouro estadual está com a tulha quase vazia. Semelhante a situação deixada pelo antecessor. O TCE promete esquadrinhar o déficit atual e revelar aos pretensos candidatos a sucessão estadual para que depois não justifiquem que não sabiam do tamanho do problema a ser herdado em 2019.

REBOTALHO – Apesar de reconhecer que o explosivo Jair Bolsonaro aparece momentaneamente em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto divulgadas na mídia nacional, quem acompanha os bastidores das eleições pode intuir que esses percentuais não se sustentarão quando o jogo começar para valer. Os motivos são fartos, mas fiquemos em três deles: o primeiro reside na falta de uma estrutura partidária consistente que dê lastro ao candidato ao visitar os estados; segundo, igualmente importante, o ex-militar alcançou o estrelato político sendo a antítese do lulismo, mas não terá como manter o mesmo discurso de ódio numa campanha eleitoral sem Lula e sem um programa de governo com o mínimo – em se tratando de Bolsonaro não é possível exigir algo inteligente – de lógica administrativa. Terceiro, nos debates será prenda fácil já que recorre a explicações pueris para perguntas que exigem do candidato profundidade e intelecto aguçado. É um candidato do rebotalho, embora seus seguidores, intolerantes tanto quanto ele, vão demonizar este cabeça chata. Espero sobreviver aos tiros (risos).

« 1 (2) 3 4 5 ... 57 »