Resenha Política - RESENHA POLÍTICA - Notícias
(1) 2 3 4 ... 57 »
Resenha Política : RESENHA POLÍTICA
Enviado por alexandre em 11/09/2018 23:39:23

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



PESQUISA – Toda divulgação de pesquisa de opinião que mensura o desempenho dos candidatos é um suplício para quem verifica que seu candidato não está bem avaliado. A primeira reação é desqualificar os percentuais e o instituto, embora todos, literalmente todos raivosos, não dispenseM a leitura dos números e a torcida para que na pesquisa seguinte o candidato em que se engaja na campanha reaja positivamente. Quando sobe, a pesquisa está certa. Quando patina, é manipulada. O problema é que pesquisa não muda em nada a opinião do eleitor e reflete apenas a realidade daquele momento em que são colhidos os dados. Mas o suplício é geral.



ACHISMO – Campanha eleitoral não tem espaço para improvisações nem achismos. Hoje as candidaturas de ponta monitoram o humor do eleitor para redirecionar os programas eleitorais e as respectivas peças publicitárias. Todo candidato que possui os dados corretos do que está ocorrendo na campanha erra menos. Numa eleição atípica e desapaixonada (exceto a dos engajados) pela maioria dos eleitores, a vitória fica mais perto de quem erra menos. O eleitor não é bobo e na hora de escolher sabe distinguir entre os concorrentes quem está pronto para governar. Bobo é quem acha de forma contrária.



DESCONEXÃO – Meses atrás em que as principais manchetes dos noticiários eram tomadas pelas notícias policiais que ruíram as principais estruturas partidárias do país e desvendaram os malfeitos das lideranças dos partidos, havia uma lógica teórica em intuir que o eleitor iria fazer uma varredura no Congresso Nacional com a eleição de pessoas diferentes das velhas raposas regionais. Os números divulgados nacionalmente têm surpreendido os analistas e indicam o retorno dos caciques ou dos próprios filhos com um Congresso Nacional tão conservador e desconexo com os anseios populares quanto o atual.



OUTSIDER - Nos governos estaduais também não há muitas novidades e as disputas estão circunscritas em nomes conhecidos dos eleitores. Não surgiu um outsider, a exemplo das eleições municipais, que despertasse o interesse do eleitor incrédulo. Como todos falam as mesmas coisas, o eleitor observa desconfiado, tende a evitar escolher uma aventura e termina se rendendo ao velho discurso.



FACADA – Mesmo com o ambiente beligerante que invadiu as mídias sociais a partir da polarização entre os partidários de Jair Bolsonaro (PSL) e os petistas, numa democracia plena todos deveriam por obrigação repudiar atos de violência como o que culminou com a facada no candidato do PSL. Depois do reprovável episódio esperava-se que os ânimos arrefecessem, mas o que testemunhamos é um clima de tensão e provocação mútuas. Bolsonaro, mesmo moribundo num leito hospitalar, divulga uma foto com pantomimas indicando sacar uma arma. É uma conduta igualmente reprovável.



SURPRESA – A candidata da Rede Sustentabilidade Marina Silva foi ultrapassada pelo candidato do PDT Ciro Gomes, segundo pesquisa divulgada anteontem pelo DATAFOLHA. Alguns analistas políticos ficaram surpresos, mas verificando as duas últimas campanhas nacionais em que a candidata da Rede chegou a liderar as pesquisas não há nenhuma surpresa já que Marina larga bem e perde fôlego na medida que os demais candidatos vão sendo conhecidos. A forma de fragilidade com que os marqueteiros expõem a candidata tem sido um erro que a cada quatro anos voltam a cometer.



REGISTRO – Era previsível que o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia negasse o registro da candidatura de Acir Gurgacz (PDT) ao Governo de Rondônia. O que não era previsível era o tribunal retirar imediatamente toda a propaganda do candidato já que houve recurso contra a decisão e o instrumento manejado pela defesa do pedetista tem força de efeito suspensivo. Este caráter instrumental dos efeitos foi a razão pela qual a decisão não foi unânime, visto que a jurisprudência majoritária no Tribunal Superior Eleitoral é nesse sentido. A decisão de afastar o candidato da TV e Rádio é um prejuízo enorme à campanha, mas as consequências da decisão somente a próxima pesquisa estadual será capaz de mensurar.


PRECEDENTE - Uma decisão proferida pelo Tribunal Superior Eleitoral, nesta terça-feira (11), num caso análogo ao de Acir Gurgacz, onde uma candidata a deputada estadual que teve o registro impugnado pelo corte rondoniense retornou à campanha, abriu o precedente para que o pedetista consiga o mesmo tratamento e mantenha seguindo a campanha naturalmente até que o mérito do processo seja definitivamente julgado. O precedente é o gás que Acir precisava para conter o ímpeto dos palacianos que sonhavam com a substituição imediata.



MANTRA – Há um mantra repetido desde as convenções por palacianos e militantes do PSB para substituir Acir Gurgacz por Daniel Pereira ou Jesualdo Pires. Um mantra que tende a aumenta até o dia 17, data fatal para substituições de candidatos. O fogo amigo tem causado tanto estrago quanto a decisão do TRE. Dizem que o pedetista não anda de bom humor com os dois neossocialista e tem reagido com rispidez ao mantra.

Resenha Política : RESENHA POLÍTICA
Enviado por alexandre em 05/09/2018 00:58:01



Resenha política

Robson Oliveira



IBOPE – Nas próximas horas o Ibope deverá divulgar a primeira pesquisa de intenção de voto sem o nome do ex-presidente Lula entre os candidatos a presidente, depois que o Tribunal Superior Eleitoral cassou todas as possibilidades da candidatura do petista.




SUBSTITUIÇÃO - Embora o PT mantenha Lula em seus programas destinados aos candidatos, é consenso entre os petistas que está chegando a hora do PT e PCdoB formalizarem o nome de Fernando Haddad em substituição a Lula. O prazo final é dia 11 (data em que as torres gêmeas foram abatidas), conforme decisão do TSE.




TÁTICA – Enquanto não anuncia a mudança de candidato, o PT vai usar o quanto puder a imagem do ex-presidente como vítima de uma armação, enquanto os adversários patinam nas próprias pernas. Esta primeira pesquisa é muito aguardada para verificarmos para onde vão os eleitores de Lula. Embora seja cedo para uma avaliação mais acertada já que a tática petista em vitimizar Lula tem dado certo.




FORÇA – Há seis meses ninguém acreditaria que o PT chegaria nas eleições nacionais com a força que ostenta em cada pesquisa divulgada. Em três estados (Ceará, Piauí e Bahia), por exemplo, caminha para resolver as eleições no primeiro turno. Em outros três estados está coligado e coloca em primeiro lugar o candidato a governador (Maranhão, Alagoas e Acre). Pelos números apurados até agora dificilmente deixe de estar no segundo turno das eleições presidenciais. Mesmo os mais beligerantes sabem a força que o petismo emergiu das sombras. E não é bom negócio subestimar.




SENADO – Todos os prognósticos anteriores feitos pelos observadores políticos em Brasília (basta uma rápida pesquisa no Google) indicavam que a bancada petista no Senado iria sucumbir nas urnas. Não é o que as pesquisas estão indicando pelo país afora. É cedo para algum partido cantar vitória, visto que política muda que nem nuvem, mas é fato incontroverso que o PT elegerá uma bancada senatorial bem maior do que esperava. Assim como na Câmara Federal. Esta é uma campanha atípica que está provocando muito debate entre os cientistas políticos que, invariavelmente, erram mais do que acertam em seus prognósticos.


IMPUGNADOS - O Tribunal Regional Eleitoral começa a julgar os registros dos candidatos com pedido de impugnações. Alguns vão conseguir escapar, mas a situação do deputado federal Nilton Capixaba (PTB) é uma das mais complicadas. Além da impugnação, é possível que a qualquer momento o parlamentar tenha que iniciar o cumprimento da pena de condenação imposta pelo STF, visto que seus embargos já foram denegados. Capixaba insiste na candidatura, embora todos saibam antecipadamente que não se sustenta pela lei da ficha limpa.



TORCIDAS - Quanto a candidatura a governador de Acir Gurgacz (PDT), também suscitada, mesmo que na hipótese de que seja impugnada, deverá permanecer na campanha, bastando que interponha os recursos devidos já que possuem efeitos suspensivos. Ao contrário do que falam por ai, não precisará buscar uma liminar para continuar pedindo votos. A torcida para que ele desista é enorme nas imediações do Palácio Rio Madeira. O calendário eleitoral é muito curto e eventuais substituições tem data de validade. Para desespero das "danielitas".

Resenha Política : RESENHA POLÍTICA
Enviado por alexandre em 29/08/2018 21:30:10



RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



BARULHO – Os correligionários do candidato a presidente pelo nanico PSL, Jair Bolsonaro, estão preparando muito barulho na capital, nesta sexta-feira, para recepcionar o presidenciável em sua primeira e rápida passagem por Rondônia. Bolsonaro lidera as pesquisas no estado, segundo pesquisa do Ibope recentemente divulgada pelos principais órgãos da comunicação rondoniense, com Lula em seu encalço. Nas mídias sociais os seguidores dos dois candidatos travam uma guerra digital fratricida com impropérios para todos os lados.



DEBATE – Quem aguardava esperança de que os debates fossem o principal meio para que o eleitor escolhesse entres os concorrentes o mais bem preparado, já percebeu que a depender dos debates a anulação do voto é que tende a subir nas pesquisas. Os primeiros debates entre os candidatos a presidente nas televisões foram um fracasso de proposta e desempenho.



DEBATE I – Em Rondônia três emissoras decidiram promover o confronto de propostas entre os candidatos a governador. No Sistema Meridional de TV – retransmissora do SBT – o primeiro confronto está marcado para dia 18, às 22 horas. O problema é que este é o único debate onde todos os nove candidatos participam e pela hora marcada tende a entrar pela madrugada e derrubar a audiência, além da pulverização dos confrontos.



DEBATE II – No Sistema Imagem de Comunicação – retransmissora da Record – o debate está marcado para o dia 28 setembro, às 17h30. Embora a emissora tenha promovido os mais movimentados das últimas campanhas, em horário nobre, o confronto deste ano entre os candidatos a governador será em um horário pouco comum para o formato do programa, além de concorrer com o final de expediente e o famoso happy hour, das sextas-feiras. A direção da SIC tentou negociar um horário melhor, mas com a grade nacional fechada, não logrou êxito.



DEBATE III – A TV Rondônia, retransmissora da poderosa Globo, reúne os cinco candidatos mais bem posicionados na pesquisa do Ibope – pesquisa contratada pela emissora – para o debate no dia 2 de outubro, próximo do primeiro turno. Portanto, passa a ser o principal debate a ser observado nestas eleições porque entre a sua realização e o dia do primeiro turno, dia 7 de outubro, teremos cinco dias para que os concorrentes repercutam seus desempenhos nas mídias sociais.

REDE TV – A filiada da Rede TV em Rondônia, emissora de propriedade da família Gurgacz, não fará este ano debates. Os candidatos foram convidados para uma sabatina com jornalistas da rede. A decisão decorre da falta de espaço na grade nacional para debates no primeiro turno. Na eventualidade de um segundo turno, é possível que haja o confronto. Ainda assim dependerá de uma decisão da matriz.



ENCONTRO – Nesta última terça-feira, na capital, todos os nove candidatos ao Governo estiveram reunidos no auditório da seccional de Rondônia, onde assinaram um compromisso pela ética e contra o uso do caixa dois. Na oportunidade, pelas regras da seccional, os candidatos tiveram cinco minutos para apresentar as principais propostas dos seus planos de governo. Nem todos, porém, entenderam as regras e fugiram da concepção do evento. Apenas dois, dos nove concorrentes, registraram quais as principais metas governamentais para os próximos quatro anos. A depender desse encontro, o eleitor não alimente muita esperança para decidir o voto tão somente pelas propostas de governo.



PROGRAMAS – Começam nesta sexta-feira, dia 31, os programas gratuitos de rádio e TV destinados aos candidatos apresentarem as respectivas propostas. Os comitês finalizam os primeiros, mas a principal ferramenta desta campanha na tentativa de angariar o voto não é mais a TV. Os entendidos em marketing político apontam as mídias sociais como as ferramentas mais poderosas destas eleições, seja no aspecto informativo, seja no uso criminoso das Fake News.



DIGITAIS – Embora os nove candidatos a governador tenham assinado o protocolo de compromisso na OAB-RO por eleições limpas e éticas, nem todos estão cumprindo aquilo que assumiram. Digitais de Fake News foram identificadas pela assessoria jurídica da candidatura de Expedito Junior (PSDB – DEM – PSD e Patriota), com informações falsas de pessoas ligadas ao comitê eleitoral de um concorrente. Com ação própria ajuizada, em poucos dias saberemos de quem são as tais digitais.



TRIBUNAL – As expectativas agora estão sobre o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia que deverá julgar nos próximos dias os pedidos de registros e impugnações dos candidatos. O caso mais emblemático é o do candidato a governador Acir Gurgacz (PDT) que teve o pedido de indeferimento requerido pelo Ministério Público Eleitoral.



EXPECTATIVA - Há também muita expectativa no julgamento das impugnações entre os defensores da substituição de Acir Gurgacz (PDT) pelo governador Daniel Pereira (PSB). Não é segredo para ninguém que o atual chefe da Casa Civil articula em surdina essa substituição e segura o governador para que não participe de nenhuma solenidade pública que possa ser empecilho para que ele (Daniel) substitua Acir, numa eventual derrota do pedetista no TRE. A torcida palaciana pelo revés de Gurgacz é enorme, o que preocupa os neossocialistas é o que o tempo não para...
...

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 21/08/2018 23:51:41

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA



FENÔMENO – Mesmo os mais exaltados e ferrenhos inimigos do Partido dos Trabalhadores não podem negar que o resultado da primeira pesquisa nacional do Ibope revela Lula como um fenômeno eleitoral. Mesmo preso, a maioria dos eleitores pesquisados vota no ex-presidente. Embora este instituto tenha usado nas eleições passadas a margem de erro de três por cento, inovou nesta pesquisa ao aumentar para cinco. Quem tem intimidade com pesquisa sabe que esta mudança pode ter sido para evitar anunciar que Lula ganharia no primeiro turno. Um dedução fácil já que outros institutos apuraram números que indicam nessa direção. Lula é um fenômeno eleitoral. Queiram ou não seus desafetos.



MICO – A grande preocupação dos partidários de Bolsonaro é que o candidato do PSL é ruim de debate e não fala nada com nada. Cresceu antes da campanha por afiar a língua contra o petismo e criticar as chamadas minorias. O discurso de intolerância do ex-militar não é muito diferente dos candidatos de direita que disputaram recentemente as eleições em muitos países europeus e que arregimentaram muitas pessoas, mas quando as eleições começaram pra valer perderam. Bolsonaro repete o mesmo modelo europeu da intolerância sem apresentar uma proposta nova para melhorar a vida das pessoas. Lula também não apresenta nada de novo, aliás, preso não tem como apresentar nada, mas mostra força política devido aos projetos sociais que implementou em seu governo, enquanto seus adversários viram mico e não falam nada que seja assimilado pelo eleitor incauto.



CORRUPÇÃO – Quem apostou que o tema da corrupção fosse a principal pauta propulsora destas eleições e se preparou para um discurso monocórdico sem propor algo que melhore as vida das pessoas começa a perceber que errou, embora o tema cujas entranhas políticas foram exposta ao país seja necessário debater. A disparada de Lula – político que mais foi exposto pela mídia nacional - nas pesquisas e o número alto de parlamentares que devem retornar ao Congresso Nacional comprovam que o eleitor na hora de votar leva em conta as suas próprias ponderações sobre realidade do que as avaliações dos chamados formadores de opinião. Afinal, informação hoje todos têm na palma das mãos (smartphone) e mensuram o que querem, o que ninguém pode alegar é desconhecimento da realidade.



EXPECTATIVA – Já não causa tanto furor como antigamente o resultado das pesquisas do Ibope em Rondônia devido aos constantes erros por estas bandas, a exemplo do que ocorreu nas eleições municipais quando colocaram Dr. Hildon na rabeira. Porém, todos os comitês eleitorais torcem para que seus candidatos estejam bem postados nesta pesquisa devido à exposição em horário nobre pela Rede Globo. Hoje, com a profissionalização das campanhas, todos os candidatos monitoram o eleitor com as própria pesquisas e sabem para onde o vento empurra a biruta. Contudo, o Ibope ainda provoca expectativa. Nas próximas horas a TV RO divulga os primeiros números oficiais dos candidatos a governador e senador.



DEBATE – O Sistema Meridional de TV (SBT) e a TV RO já marcaram os seus debates entre os candidatos ao Governo de Rondônia neste primeiro turno. O primeiro será dia 18 setembro, às 22 horas, com todos os noves candidatos. O segundo, da TV RO, será dia 2 de outubro, 21 horas, com os cinco primeiros candidatos mais bem postados nas pesquisas do Ibope. Os demais candidatos serão compensados com espaço nos telejornais da vênus platinada rondoniense.



FICHAS SUJAS – Os candidatos que tiveram requeridos os respectivos pedidos de impugnações deverão começar a ser julgados na próxima semana, pelo Tribunal Regional de Rondônia. Há inúmeros candidatos que não passam na malha da lei da Ficha Limpa, mas entre eles, há muitos que terão seus registros deferidos. Mesmo aparecendo em listas com condenações.



CASSAÇÃO - As atenções relativas às cassações dos registros estão voltadas para o julgamento do candidato a governador pelo PDT, Acir Gurgacz. É possível que a corte mantenha a impugnação, visto que o senador sofreu uma condenação criminal no STF. Contudo, ele permanece na campanha sem a necessidade de uma liminar, bastando, para tanto, a interposição de um simples recurso eleitoral já que a impugnação não possui caráter executório imediato. Na hipótese de não obter registro perante o TSE seu nome sequer constará nas urnas.



IMPUGNAÇÃO – Carlos Magno, candidato a senador pelo PP, também teve seu pedido de registro contestado pelo Ministério Público Eleitoral. Consta contra o ex-deputado federal e estadual uma condenação em que foi denunciado por envolvimento num suposto esquema da Assembléia Legislativa - famosa operação de combate à gafanhotagem na folha de pagamento do poder. Apesar de vários deputados estaduais da época terem sido condenados e estarem pagando pena pelos mesmos delitos que Carlos Magno, é possível que o pepista escape por filigramas processuais já que um HC interposto pela defesa teria extinguido a punibilidade. Uma tese que a defesa espera que seja acatada pelo TRE.



GIGANTES – A disputa pelas duas vagas ao Senado em Rondônia será uma guerra de titãs. O quadro indica que as vagas serão definidas até o último dia das eleições, visto que não há neste momento um nome que tenha se deslocado em relação aos concorrentes.

Resenha Política : Resenha Políitca
Enviado por alexandre em 15/08/2018 20:06:25



RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA





EFEITO COLATERAL – Caiu como uma bomba no Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores a intervenção feita pelo Diretório Nacional na convenção que aprovou uma coligação com o PDT, PSB e PP, e rifou a candidatura a senadora de Fátima Cleide. Com a intervenção, Fátima retoma a candidatura e obriga os companheiros desafetos do PT a romperem com a candidatura a governador de Acir Gurgacz para apoiar a de Pimenta de Rondônia (PSOL). Os efeitos colaterais desta bomba também foram sentidos pelos candidatos a deputados federais do PSB, PDT e PP, visto que muda o cenário traçado por eles (dirigentes partidários) em eleger três deputados federais nesta coligação.



REAÇÃO – Embora Fátima Cleide seja uma das mais longevas filiadas ao Partido dos Trabalhadores, com uma militância impecável, os companheiros da agremiação, liderados pelo ex-padre Ton e o ex-prefeito da capital Roberto Sobrinho, foram implacáveis na reação a sua (Fátima) pretensão em recuperar o mandato senatorial, dizendo com todas as letras que as chances de vitória são mínimas, ancorados supostamente em pesquisas internas de monitoramento das eleições. Uma reação, para quem trabalha em campanha eleitoral, avexada e precipitada, haja vista que a campanha em si sequer começou.



UMBIGO – A direção petista de Rondônia, ligada umbilicalmente ao ex-padre Ton e ao deputado estadual Lazinho da Fetagro, avalia que a coligação com os candidatos proporcionais do PSOL não tem futuro eleitoral porque os nomes que compõem a nominata não conseguem alcançar o coeficiente eleitoral para deputado federal nem estadual, razão pela qual preteriram a postulação ao Senado Federal de Fátima Cleide para privilegiar os candidatos proporcionais, entre eles, o ex-padre Ton e o deputado Lazinho da Fetagro. Nesta hora, todos fazem as contas pensando tão somente nos próprios umbigos.



AUTOFAGIA – Quem conhece as entranhas petistas sabe que está armada uma guerra interna sem precedentes. Quando um petista abre a caixa de maldades contra outro é pior que inimigos históricos. O partido em Rondônia entrou num processo de autodestruição com reflexos que podem levar todas as candidaturas a naufragarem, inclusive a de Fátima Cleide. Mas, verdade seja dita, o ex-padre, quando optou em descartar a postulação senatorial da companheira, o fez pensando somente nele. Agora não pode reclamar da autofagia.



TRINCA – Com a decisão de ontem do Supremo Tribunal Federal em rejeitar os embargos de declaração na ação penal que condenou o deputado federal Nilton Capixaba (PTB), a chance de registrar a candidatura à reeleição é zero, apesar da nota que emitiu à imprensa em sentido contrário. Na formação do TSE com a ministra Rosa Weber e os ministros Edson Fachin e Luís Barroso as chances de os candidatos fisgados na lei da ficha limpa registrarem as respectivas candidaturas são igualmente zero. Essa trinca de ministros em geral é suficiente para causar alvoroço a qualquer candidato com condenação em colegiado. Em particular a Nilton Capixaba.



DÚVIDAS – Mesmo negando publicamente que não retira a candidatura para dar o lugar a outro nome, Acir Gurgacz termina sendo prejudicado por alguns companheiros de coligação, em particular do PSB, que insinuam diariamente em surdina que Jesualdo Pires aguarda a vez para substituir o pedetista. Ao alimentar a substituição, os partidários da candidatura a governador de Jesualdo também provocam estragos na campanha senatorial do ex-prefeito, visto que confundem o eleitor. Quem tem duas candidaturas simultâneas não tem nenhuma, diz o adágio.



MILAGRE – Só um milagre judicial para salvar a pretensa candidatura a presidente de Lula, embora lidere todas as pesquisas divulgadas nacionalmente até o momento. A lei da ficha limpa é aplicada a todos os jurisdicionados –inclusive aqueles que podem refazer suas sentenças – e nada indica que o Tribunal Superior Eleitoral vá mudar o entendimento para acatar o pedido de registro da candidatura a presidente de Lula. Ademais, milagre não acontece toda hora, embora em Brasília todos os fenômenos sejam possíveis.



FORÇA – Com ou sem Lula, o PT tem uma militância nacional enorme e capaz de alavancar qualquer nome que a legenda coloque em substituição ao ex-presidente preso em Curitiba. O mais ferrenho inimigo do petista sabe o quanto o partido tem força para levar seu candidato ao segundo turno das eleições presidenciais. Resta saber quem terá força, entre os demais concorrentes, para ir com ele a disputa final.



TV – No próximo dia 31 os programas de TV e Rádio dos candidatos entram no ar. Uma oportunidade para que o eleitor saiba o que eles têm a dizer e a oferecer como propostas. Esta é a campanha mais rápida da história do país, onde os espaços das mídias sociais bem aproveitados vão dar o tom das campanhas.



JULGAMENTO – Está marcado para sexta-feira no Tribunal de Justiça do Estado o julgamento da ação criminal movida pelo prefeito Hildon Chaves (PSBD) contra o deputado estadual Hermínio Coelho (PCdoB). Ao receber a denúncia o relator indeferiu os pedidos requeridos pelo denunciado o que não é um bom sinal para quem adora destruir reputações.

(1) 2 3 4 ... 57 »