Brasil - A CORRUPÇÃO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 254 »
Brasil : A CORRUPÇÃO
Enviado por alexandre em 23/07/2014 15:49:38


Educação, Saúde e Segurança são vitimas da corrupção no Brasil

A Operação Caixa de Pandora é uma ação da Polícia Federal brasileira deflagrada em 27 de novembro de 2009,com o apoio do informante Durval Barbosa e que alcançou grande repercussão no noticiário nacional no final de 2009, devido às graves acusações, documentadas amplamente por vídeos, que lançou sobre um bom número de políticos influentes do Distrito Federal, inclusive o então governador José Roberto Arruda.

A repercussão do caso criou o assim chamado Mensalão do DEM, nome um tanto enganoso, já que os envolvidos não são necessariamente membros do partido político brasileiro "Democratas".

Entre julho e agosto de 2009, Durval Barbosa Rodrigues relatou a Promotores de Justiça do NCOC - Núcleo de Combate as Organizações Criminosas do Ministério Público do Distrito Federal detalhes do esquema de corrupção existente no Distrito Federal. Os Promotores do NCOC aferiram a validades da informações e, em seguida, relataram o ocorrido a Procuradoria-Geral da República. Em seus depoimentos, Durval Barbosa acusou tanto políticos como donos de empresas.

Os citados estão sendo investigados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo que até o momento ninguém foi indiciado e os elementos ainda não foram considerados conclusivos pela Justiça.

Eleja Quem Sempre Combateu a Corrupção !!

Via facebook 
Agente Federal Alysson Azevedo

Brasil : EXEMPLO DE VIDA
Enviado por alexandre em 23/07/2014 15:46:21


De lixeiro a médico: Brasiliense se forma em medicina

DE LIXEIRO A MÉDICO: BRASILIENSE VENCE POBREZA E SE FORMA EM MEDICINA

Cícero Pereira Batista, de 33 anos, é um ex-catador de lixo que conseguiu o diploma de médico graças à sua obstinação, como ele mesmo diz.

Cícero cresceu em Brasília, em uma região com altos índices de violência, ao lado de mais 20 irmãos. Sua mãe acabou se tornando alcoólatra, e seu irmão mais velho passou a usar e traficar drogas.

Mas, apesar de todas as dificuldades, Cícero começou a catar lixo para comer e ajudar a alimentar seus 20 irmãos. Várias vezes ele encontrou alimentos estragados, iogurte vencido e outros restos de comida, mas tudo era usado para que ele conseguisse sobreviver.


Cícero Pereira Batista era um catador que tomou gosto pela leitura graças a livros encontrados no lixo. Depois de muita batalha ele se formou no curso de medicina.

Mas em meio a todas as coisas jogadas, Cícero encontrou a saída para uma vida melhor. Ele começou a pegar livros e vinis para ler e escutar músicas. Percebendo a aptidão e gosto pela leitura, sua irmão resolveu o matricular em uma escola pública, onde conseguiu com ajuda de amigos e professores, chegar ao ensino técnico, fazendo curso de enfermagem, onde passou em segundo lugar na seleção feita pelo Cespe, banca que integra a UnB (Universidade de Brasília).

Após concluir o curso, ele acabou sendo aprovado no concurso da Secretaria de Saúde para Técnico em Enfermagem e começou a trabalhar em um hospital público. Apesar disso, ele não quis parar de estudar e acabou prestando vestibular para Medicina em uma faculdade particular. O salário que recebia no trabalho era usado para pagar as mensalidades de seu curso.

Mas como sua rotina estava muito difícil, Cícero resolveu fazer o Enem e conseguiu bolsa de estudos, passando a cursar medicina no Gama (DF), onde inicialmente enfrentou preconceito racial.

Mas seu otimismo e jeito de levar a vida acabou o fazendo superar tudo, e ele, no último dia 6 de junho, se tornou médico. Agora ele quer se especializar em psiquiatria ou pediatria, além de tentar dar uma vida melhor para sua mãe.

Além de tudo, Cícero ainda pensa em fazer Direito. Assista a um vídeo gravado em um programa de TV local:



Fonte: Hypeness

Brasil : MULHERES
Enviado por alexandre em 20/07/2014 10:33:24


Partidos tem que cumprir 30% de participação das mulheres

O partido ou coligação terá impugnado o seu demonstrativo de regularidade de atos partidários (DRAP) pelo Ministério Público Federal (MPF) caso não respeitar a cota por sexo, estabelecida pela Lei das Eleições (Lei nº 9.5054/97). A Justiça Eleitoral deve impedir qualquer chapa de um partido ou coligação que concorrer aos cargos preenchidos pelo sistema proporcional em disputa nas Eleições Gerais de 2014, que desrespeitarem a cota de 30% de participação de mulheres, deve seguir entendimento do MPF. 

Será a primeira vez que a inobservância dos percentuais poderá ter como punição ao seu descumprimento, a "queda da chapa", ou seja, a exclusão da corrida eleitoral de todos os componentes do grupo. A legislação eleitoral já previa os percentuais por sexo desde 1997. No entanto, até as eleições gerais de 2010 adotou-se o entendimento de que a regra não era uma imposição legal.

De acordo com o representante do MPF, André de Carvalho, as Procuradorias Regionais Eleitorais e a Procuradoria Geral Eleitoral defenderão a aplicação da lei, que, segundo seu entendimento, faz parte das chamadas ações afirmativas eleitorais.

Como o deferimento do DRAP é requisito para a aprovação das candidaturas pela Justiça Eleitoral, se a impugnação do MPF levar ao seu indeferimento, todos os candidatos que pretendam concorrer a cargos pelo sistema proporcional não terão como obter o registro.

A determinação que assegura a participação mínima e máxima de participantes de um determinado sexo está no parágrafo 3º do artigo 10 da Lei das Eleições e, segundo o dispositivo, "cada partido ou coligação preencherá o mínimo de 30% (trinta por cento) e o máximo de 70% (setenta por cento) para candidaturas de cada sexo".

ASCOM

Brasil : JUDÔ
Enviado por alexandre em 17/07/2014 23:33:14


Projeto social visa levar o judô aos jovens de Ouro Preto do Oeste
O projeto Judô na Faixa tem a finalidade de integrar crianças, a partir dos cinco anos, cujas famílias possuem baixa renda, ao judô. O Judô na Faixa possui foco na melhoria do entretenimento saudável para a comunidade Ouro-pretense, através de atividades físicas e de acompanhamento escolar e familiar dos alunos.

O projeto também investe no desenvolvimento das habilidades e das capacidades específicas do aluno, preparando-o para uma convivência harmônica em seu ambiente social, estimulando ainda o seu interesse pela competição sadia.
Os objetivos propostos pelo Judô na Faixa é contribuir para a formação de crianças e jovens, garantindo-lhes uma oportunidade de vivenciar atividades que contribuem para o seu desenvolvimento bio-psico-social.

Funcionamento
Para atingirmos os objetivos do projeto, vamos investir aulas aos sábados das 08:00 as 10:00 para crianças de ambos os sexos. Dessa forma focaremos em:
• Socialização;
• Educação;
• Disciplina;
• Filosofia;
• Formação Pessoal;
• Saúde;
• Lazer;
• Esporte;
• Desenvolvimento Corporal, e
• Responsabilidade.
História do Esporte
O judô foi criado pelo japonês Jigoro Kano, que era pequeno e fraco, e, começou a praticar Ju-Jitsu aos 18 anos. Depois de algum tempo, observou que suas técnicas poderiam ter um valor educativo. Seu objetivo era transformar aquela tradicional arte-marcial num esporte que pudesse trazer benefícios para o homem.
Criou então um método próprio, a que chamou de judô, eliminando os golpes que poderiam provocar lesões. Com esta adequação educacional o judô foi transformado em disciplina de educação física nas escolas. Em 1882, o professor Jigoro Kano fundou o Instituto Kodokan, marcando também o nascimento do judô.
O judô é destinado à formação e preparação integral do homem através das atividades físicas de luta corporal e do aperfeiçoamento moral. A palavra judô significa "caminho suave".
Local
As aulas serão ministradas, na Academia Jr. Sports, na rua Aloisio Ferreira, 0329, Bairro União em Ouro Preto do Oeste - RO
Professor responsável
Marino Schotten Junior – FAIXA PRETA 3ª DAN
Documentos Necessários Para Inscrição:

• Cópia da Certidão de Nascimento ou RG
• Cópia do comprovante de residência
• Duas fotos 3x4
• A criança deve comparecer com o responsável no dia da matrícula
Início das Aulas
02 de agosto de 2014
Total de Vagas
50

ASCOM

Brasil : FIQUE POR DENTRO
Enviado por alexandre em 16/07/2014 08:21:50


Entendendo a Lei da Ficha Limpa

O pleito de 2014 marcará a primeira aplicação da Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135/2010) em eleições gerais. Sancionada em 4 de junho de 2010, a regra contou com o apoio de 1,3 milhão de assinaturas para sua aprovação pelo Congresso Nacional e prevê 14 hipóteses de inelegibilidade. A punição prevista na Lei é de oito anos de afastamento das urnas como candidato.

Para Marcus Vinicius Furtado Coêlho, presidente do Conselho Federal da OAB, trata-se de uma vitória da cidadania. “Quem ganha com esta decisão é o povo brasileiro. A OAB tem trabalhado no sentido de tornar os pleitos mais democráticos. Queremos uma reforma política baseada no voto transparente em dois turnos, no financiamento democrático das campanhas e na liberdade de expressão. Este último ponto, inclusive, tem nossa atenção especial na Campanha por Eleições Limpas na Internet, sem ataques grosseiros, rasteiros, mas sim com discussões proveitosas e respeitosas. Não temos intuito de tutelar a liberdade, mas sim de conscientizar”, lembrou.

Relembre

A Lei da Ficha Limpa entrou em vigor no dia 7 de junho de 2010. Em agosto de 2010, o TSE decidiu que a Lei seria aplicável às eleições gerais daquele ano. Porém, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que a legislação não poderia ser imediatamente adotada, pois desrespeitaria o princípio constitucional da anualidade eleitoral, que dispõe que “a lei que alterar o processo eleitoral não poderá ser aplicada à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”.

O julgamento durou dois anos e, em fevereiro de 2012, a Lei da Ficha Limpa foi considerada constitucional pelo STF. E, naquele ano, impediu que pelo menos 868 candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores a se candidatassem. Dos 7.781 processos sobre registros de candidatura que chegaram ao TSE sobre as eleições de 2012, 3.366 recursos tratavam da Lei da Ficha Limpa, o que corresponde a 43% do total.

A inelegibilidade alcança os que forem condenados pelos seguintes crimes: contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; contra o meio ambiente e a saúde pública; eleitorais para os quais a lei determine a pena de prisão; de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda do cargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; de redução à condição análoga à de escravo; contra a vida e a dignidade sexual; e delitos praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando.

A Lei da Ficha Limpa também torna inelegíveis os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure improbidade administrativa. Estão na mesma condição aqueles detentores de cargos públicos que beneficiarem a si ou a terceiros pelo abuso do poder econômico ou político.

ASCOM

(1) 2 3 4 ... 254 »