Brasil - CIRCO POLÍTICO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 257 »
Brasil : CIRCO POLÍTICO
Enviado por alexandre em 12/09/2014 01:13:23


Financial Times diz que horário eleitoral brasileiro é um circo onde todos mentem

Segundo o FT, Tiririca é motivo para chorar
Imagem: Reprodução
O horário eleitoral começou no dia 19 de agosto, mas continua rendendo bons assuntos, desta vez no jornal britânico Financial Times. O colunista Joe Leahy destacou que, ao mudar de canal enquanto esperava assistir a uma novela, encontrou Tiririca, comediante brasileiro que é mais uma vez o destaque nos programas eleitorais. 

"Você está cansado da política. Então vote em mim", dizia uma das frases sem sentido de Tiririca, ressalta. Ele passou de palhaço a político na última eleição com o discurso de que era algo assim. "Você sabe o que se faz em Brasília? Nem eu. Vote em mim e você vai descobrir". Com esse discurso, ele ganhou um número recorde de votos.

Leia também: 

Tiririca foi a expressão maior da insatisfação com a bagunça generalizada com a classe política, que se expressou mais nitidamente com as manifestações de junho do ano passado. Leahy destaca mais críticas ao programa eleitoral, que é dividido de acordo com a ponderação com a representatividade dos partidos políticos. 

"O resultado é um circo político, como todos, desde a presidente Dilma até o membro mais humilde do Congresso para conseguir colocar as suas propostas em um tempo tão curto [...]. Este é o oposto do 'reality show'. Aqui a verdade é a primeira vítima, substituída por fantasia e ficção. Há o candidato presidencial Levy Fidelix, com o seu bigode e a sua careca parecendo um Asterix envelhecido. [...] Há o pastor Everaldo, o candidato presidencial que abarca o crescimento da comunidade evangélica no Brasil", 

Depois, Leahy destaca que Dilma Rousseff "domina o show" por causa da forte presença de seu partido no Congresso. Ela diz em seu programa que não há recessão, apesar do IBGE ter reforçado isso no final do mês passado. O colunista ressalta a fala de Dilma de que a prova de que a economia está indo bem é que o mercado de ações subiu, deixando de mencionar que isto está acontecendo porque os investidores acham que Dilma irá sair do poder.

Enquanto isso, um dos seus principais rivais, Aécio Neves, faz "anúncios surreais" que caracteriza o serviço de saúde em Minas Gerais, quando ele era governador. "O serviço seria de causar inveja a muitos milionários. Uma mulher pobre é apanhada por um motorista particular no interior e levada a um hospital público da cidade", afirma. 

Marina Silva, que está na dianteira da corrida presidencial, falou em seu programa que vai reivindicar em seu programa eleitoral aumento dos gastos na saúde de 7% para 10% da receita, ao mesmo tempo em que reconforta o mercado ao dizer que vai controlar o déficit orçamentário.

Já Paulo Maluf, ex-governador e ex-prefeito de São Paulo, também apareceu mesmo após ter sido condenado sobre corrupção, mas ainda incentiva as pessoas a votar no seu partido. 

Porém, Tiririca é o mais descarado, afirma o colunista, citando os diversos programas eleitorais que ele fez. "O triste é que os brasileiros provavelmente vão optar por ele novamente para mostrar o seu descontentamento com a política. 

"O que eles podem não entender é que o partido de Tiririca pode usar os votos para trazer outros candidatos. O sistema de representação proporcional no Brasil significa que um voto para um candidato significa um voto para o partido no estado. Para os brasileiros, tais paradoxos sustentar um circo político que muitos deles desprezam. Na sua opinião, o País está queimando com os problemas da educação deficiente, saúde, transporte público e falta de segurança. Tiririca pode fazer as pessoas rirem, mas para aqueles que entendem o sistema político, ele é apenas mais um motivo para chorar", conclui.

Lara Rizério
Infomoney
Editado por Folha Política

Brasil : TUDO PODE
Enviado por alexandre em 11/09/2014 18:50:37


TCU diz que Dilma maquia o Bolsa Compra de Votos Oficial

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) divulgado nesta quarta-feira , 10/9, aponta que os indicadores relativos ao Bolsa Família divulgados pelo governo podem estar distorcidos. De acordo com as análises do tribunal, a distorção ocorre porque os valores para definir a linha de pobreza no Brasil estão desatualizados. Atualmente, as linhas da extrema pobreza e da pobreza definidas pelo governo, são de R$ 77 e R$ 154 per capita. O documento afirma que esses valores deveriam aumentar para R$ 100,00 e R$ 200,00, respectivamente por causa da inflação. Por meio de nota, o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome defendeu o programa e os dados divulgados pelo governo sobre a pobreza no país. Para o MDS, o relatório do TCU “parte de premissas erradas para chegar a conclusões equivocadas sobre o programa Bolsa Família”. Sobre a quantia que termina as linhas de pobreza, o ministério argumentou que “o valor de R$ 70 equivalia em junho de 2011 a US$ 1,25 por dia e foi atualizado para R$ 77, por intermédio do Decreto nº 8.232, em 2014, o que é compatível com o parâmetro internacional para classificar a extrema pobreza”.

Brasil : CRIMINALIDADE
Enviado por alexandre em 08/09/2014 15:50:41


Comandante da PM/RO apresenta plano para reduzir a criminalidade
Porto Velho, Rondônia: A Polícia Militar de Rondônia tem pronto um plano de ações para reduzir a criminalidade no Estado. O anúncio foi feito pelo comandante geral da instituição, coronel PM Fernando Luiz Brum Prettz, durante entrevista ao programa A Hora do Povo, do radialista Maurício Calixto, na Rádio Rondônia FM, em Porto Velho. Segundo ele, há projetos em andamento que buscam atingir esta meta e que a participação da sociedade é fundamental.

Segundo o comandante geral da PM, após quatro meses no cargo, período em que realizou um diagnóstico da situação da Polícia Militar no Estado, a segurança pública, conforme o preceito constitucional envolve o poder público, mas também, a sociedade e este é o caminho a ser trilhado a partir de agora.

O coronel Prettz citou como exemplo o projeto “Vizinho Solidário”, implantando no conjunto residencial Santo Antônio, em Porto Velho, onde as famílias estavam sofrendo com a presença constante de vândalos e usuários de drogas na praça do bairro. A solução veio através da mobilização dos moradores, que se comprometeram em contribuir observando o que ocorre nas redondezas e informar aos policiais. Além do monitoramento regular no local, a Polícia Militar disponibilizou um oficial da corporação para acompanhar os trabalhos.

Vizinho
O Projeto “Vizinho Solidário” deve ser seguido de outros, que também envolvem a participação da sociedade, como o Repas – Rede de Apoio e Prevenção de Segurança Pública, que mobiliza profissionais que trabalham rotineiramente nas ruas e podem observar situações atípicas que podem ajudar a polícia. Os carteiros, agentes de saúde, taxistas e mototaxistas serão chamados a participarem como voluntários e prestarão importante contribuição ao trabalho preventivo.

Ao analisar o índice de violência que afeta a sociedade, o coronel Prettz disse que parte do problema está relacionado ao enfraquecimento da família e o consequente avanço das drogas, cujo reflexo se espalha em prejuízo de todos. Por isto, segundo ele, é necessário que a sociedade se envolva para que a violência seja contida.

O coronel Prettz afirmou ainda, na entrevista, que trabalha no planejamento da Polícia Militar para os próximos 15 anos. Ele lembrou que o efetivo da instituição é o mesmo de 16 anos atrás e que a readequação está em andamento. No início do próximo ano, 240 policiais iniciam o curso de formação, pois já passaram pela fase de seleção através de concurso. Ele pediu ao governo do Estado que outros 240 sejam concursados logo em seguida.

Nos últimos anos, a Polícia Militar de Rondônia teve baixa de 700 policiais, que se aposentaram, foram transpostos para os quadros da União, migraram para outras profissões ou morreram.

Guarda
Nos próximos dias, o comandante da PM, conforme revelou, vai tratar, em audiência com o prefeito de Porto velho, Mauro Nazif, que implante a Guarda Municipal para reforçar o mecanismo de segurança pública. Em resposta ao questionamento feito por um ouvinte do programa, ele disse que outra iniciativa prevista é a instalação da Patrulha Maria da Penha, que dará atendimento nos casos de violência contra a mulher.


Fonte: Rondonoticias

Brasil : VERGONHA
Enviado por alexandre em 05/09/2014 08:50:48


Valores gastos com a campanha eleitoral no Brasil um absurdo

Atualmente, o financiamento das campanhas eleitorais é misto, ou seja, é feito com dinheiro público (através do Fundo Partidário) e, também, através de “doações” de empresas e pessoas físicas.

O grande problema é a quantidade de dinheiro envolvida nessas doações é tão grande, mas tão grande, que nada faz sentido.
Matemática bizarra

Levando-se em conta apenas o salário bruto de deputados, senadores e presidente, que ganham cerca de R$26.723,13 por mês, cada um desses indivíduos, ao longo de 4 anos, custa aos cofres públicos mais de 1,3 bilhões de reais!

De acordo com levantamento feito pela revista Congresso em Foco (junto ao banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral), os quase 25 mil candidatos que disputam um mandato este ano (2014) esperam arrecadar e gastar, juntos, até R$ 71.000.000.000,00 (para quem se perdeu com tantos zeros, isto significa setenta e um bilhões de reais), ou cerca de 2,8 milhões de reais por candidato, ou quase 120 milhões reais por vaga.

- Pois é… utilizar esta quantidade de dinheiro apenas para eleger a porra de um político, não faz o menor sentido!
É muito dinheiro

Isto é dinheiro suficiente para bancar quase três Copas do Mundo, considerando-se os valores divulgados em balanço pelo governo federal, em maio. Ou sustentar durante seis anos as 14 milhões de famílias (ou 50 milhões de pessoas) que sobrevivem com recursos do programa Bolsa Família. Ou ainda, bancar o salário de todos os marajás do congresso por quase 1 século!

Lembrando para o Orçamento de 2014 estão previstos os seguintes investimentos: Saúde (R$ 82,6 bilhões), Educação (R$ 42,3 bilhões), Desenvolvimento Social (R$ 31,7 bilhões) e Ciência, Tecnologia e Inovação (R$ 6,9 bilhões). Portanto, poderíamos praticamente duplicar os investimentos na área de Saúde, ou ainda, multiplicar por 10 (dez) os investimentos destinados a Ciência, Tecnologia e Inovação, e tudo isso utilizando-se um dinheiro que serve apenas para promover políticos!

Gastos dos Candidatos a Presidência

Só os 11 (onze) candidatos a presidência, devem gastar juntos quase 1 bilhão de reais!

Apenas Dilma, Aécio e Marina vão gastar nestas eleições 4 vezes mais que seus adversários!

Confira, na tabela a seguir, o limite dos gastos declarados de cada candidato à presidência.

Fonte: TSE

Gastos dos Candidatos o Senado

Já os 178 candidatos a vaga de senador, pretendem gastar um pouco mais do que 1 bilhão de reais!

Confira a seguir o custo das campanhas a senado separadas por estado:

Fonte: TSE

“Investimento”

O que leva uma empresa a financiar a campanha de um deputado, senador ou presidente? Será que financiar campanhas eleitorais é lucrativo? Quão lucrativo seria isso?

De acordo com um artigo elaborado pelo Instituto Kellog (em 2011), “as empreiteiras podem esperar um grande aumento nos seus contratos públicos — pelo menos 8,5 vezes o valor das suas contribuições — quando fazem doações a um candidato a deputado federal do Partido dos Trabalhadores (PT) e esse candidato vence a eleição“. Este “investimento” retorna na forma de contratos com o governo ou financiamentos via BNDES (“talvez só o tráfico de drogas consiga competir com esta taxa de lucro“).

- Assim fica fácil, né?! Investimento com 850% de retorno garantido

Mas quem realmente ganha dinheiro com esse grande balção de negócios que são as eleições brasileiras?!
As quatro irmãs

Em um excelente artigo da Agência Pública, mostra-se a estreita relação familiar entre as maiores empresas de construção civil do Brasil, as chamadas “quatro irmãs” – Odebrecht, OAS,Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez – as quais também atuam em diversas outras atividades, que variam desde o agronegócio à moda, passando pela petroquímica, indústria de armamento, telefonia e operação de concessões diversas.

Além do controle familiar, outro traço comum entre elas é o fato de serem grandes financiadoras de campanhas. Entre as eleições de 2002 e 2012, juntas, as quatro empresas investiram mais de R$ 479 milhões em diversos comitês partidários e candidaturas pelo Brasil, e foram amplamente beneficiadas com recursos públicos, através de contratos com o Estado e de financiamentos do BNDES.
A ponta do iceberg

A Copa do Mundo, onde tivemos um festival de estádios e construções superfaturadas, foi só a ponta do iceberg. Pois o rombo que esses políticos e empresas estão deixando no Brasil é muito maior!

- Enquanto for permitido que empresas financiem campanhas eleitorais, continuaremos neste país de merda, onde quem realmente manda, são aqueles que financiam as eleições.
Luz no fim do tunel

De acordo com matéria do Congresso em Foco, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) questionou no Supremo Tribunal Federal (STF) a legalidade do financiamento eleitoral por empresas. O julgamento foi suspenso em abril, com placar de seis a um pela derrubada das contribuições das pessoas jurídicas. Caso os ministros confirmem o posicionamento adotado até agora, esta poderá ser a última eleição com doação do empresariado.

- Mas, sinceramente, do STF eu nunca espero nada de bom

Abraços,
Otário Anonymous

Brasil : CORRUPÇÃO
Enviado por alexandre em 04/09/2014 17:19:00


No Brasil sem corrupção a maquina pública para de tão inepta que é

A corrupção tem um aspecto moral e outro, diga-se, prático. Não creio que se possa sustentar algum argumento que empreste moralidade ao ato corrupto. Do ponto de vista prático, contudo, há quem explique sua eficácia e necessidade. Não falta quem considere, por exemplo, que a corrupção é tão alastrada e entranhada que o indivíduo, diante dela, ou cede, ou é massacrado, simplesmente. Tome-se um empresário que precisa de determinada certidão em prazo certo. Bem, ou paga por ela, ou não a recebe. Se não a obtém, sua empresa sofre consequências financeiras e legais. Que fazer? Dar um solitário grito heroico em face de uma causa perdida? Não é sensato pedir heroísmo a um indivíduo isoladamente. Os custos para lutar contra o sistema estabelecido são impeditivos. Há mesmo argumentos articulados com bastante razoabilidade, sustentando que, no Brasil, se não houvesse corrupção, a máquina pública simplesmente pararia, de tão inepta, preguiçosa e viciada que é. Para quem pensa assim, entre o Brasil parado e a propina, esta seria o mal menor. A corrução acontece em muitos países, em diversos graus e de diversas formas. O problema é que nas classificações internacionais, nós somos destaque. A meu ver, esse fenômeno não é só uma questão da administração pública, mas é, antes, um acontecimento social geral, decorrente da falta de consistência cidadã. Não somos republicanos, simplesmente. No nosso país, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência é acionado com trotes telefônicos. Seja, muitas pessoas chamam o Samu apenas para se divertir. Temos milhões de domicílios de gente honesta furtando sinal de TV por assinatura. Sonegamos imposto como raramente alguma outra nação o faz. Não somos muito honestos nem muito legais. Nem solidários nós somos: pouquíssimos se declaram doadores de órgãos.
Léo Rosa - Jus Brasil

(1) 2 3 4 ... 257 »