Brasil - FALHOU - Notícias
(1) 2 3 4 ... 504 »
Brasil : FALHOU
Enviado por alexandre em 18/06/2019 23:21:28

Indiano morre ao mergulhar acorrentado no Ganges em número de mágica

Um dia após desaparecer nas águas do Rio Ganges, o corpo do mágico indiano Chanchal Lahiri foi achado pela polícia. O ilusionista indiano havia mergulhado no último domingo (16) totalmente acorrentado para provar que conseguia sair rapidamente.


Conhecido pelo nome nome artístico "Jadugar Mandrake" (o mago Mandrake), Chanchal Lahiri saltou acorrentado de uma grua no rio diante de parentes, policiais e uma multidão que acompanhava o número.


Como o homem de 40 anos não apareceu depois do tempo esperado, as autoridades iniciaram os trabalhos de busca, mas só foram encontrar o corpo no dia seguinte. Antes de começar a apresentação, Lahiri explicou que havia conseguido realizar essa mesma façanha numa versão mais difícil há 21 anos no mesmo lugar.


"Eu estava acorrentado dentro de uma caixa de vidro e fui lançado na água da ponte Howrah. Demorei apenas 29 segundos para sair", disse à AFP o mago Mandrake antes da apresentação deste domingo, reconhecendo em seguida que esta seria mais difícil.


"Se conseguir me liberar, será mágico. Se não conseguir, será trágico", afirmou. Em 2013, Lahiri tentou repetir o némero da fuga da caixa de vidro, mas o público começou a insultá-lo quando foi possível ver uma saída no acessório.


Folha PE

Brasil : POR DENTRO
Enviado por alexandre em 18/06/2019 23:15:02

Conheça os sintomas do diabetes e saiba como se prevenir

O Brasil é o quarto país com maior número de diabéticos do mundo, de acordo com a estimativa do International Diabetes Federation (IDF), atrás apenas dos Estados Unidos, da Índia e da China. Dados do Ministério da Saúde mostram que 12,5 milhões de brasileiros vivem com a doença.


Existem dois tipos mais comuns de diabetes, que é causado pela falha na produção de insulina – hormônio produzido pelo pâncreas, levando à hiperglicemia, aumento do nível de glicose no sangue.  O tipo 1 é uma doença autoimune, comumente diagnosticada na infância ou na adolescência. Já o tipo 2 pode ser causado por tendência genética, estilo de vida inadequado como má alimentação e sedentarismo, além de ganho excessivo de peso.

 

“A diabetes geralmente é uma doença silenciosa, mas em casos mais avançados é possível observar sede excessiva, aumento da fome e da vontade de urinar, perda de peso, visão turva, cansaço nas pernas e hálito desagradável”, alerta a médica endocrinologista Cristina Farah.


Quando não controlada, a diabetes pode desencadear diversas complicações, como perda da visão a até mesmo alterações vasculares que podem resultar em amputação, principalmente dos membros inferiores. Pessoas diabéticas também são mais propensas a sofrer ataques cardíacos e derrames.


“Para não desenvolver a doença, é importante evitar a todo custo o ganho excessivo de peso e não ser sedentário. Quanto a tendência genética, não temos como interferir, no entanto, se não houver muitos erros comportamentais, como má alimentação e sedentarismo, o risco de desenvolver diabetes diminui consideravelmente”, pondera Cristina.


Confira cinco dicas para prevenir diabetes tipo 2:


1. Se alimente bem


Adote um cardápio mais saudável, eliminando a gordura da dieta como carne de porco, creme de leite, manteiga ou o uso de óleo de soja para o preparo das refeições. Invista no consumo de mais fibras e reduza calorias, apostando em frutas, legumes e verduras.


2. Faça atividade física


Pratique exercícios físicos. Uma caminhada de 40 minutos quatro vezes por semana, por exemplo, já ajuda a prevenir a doença.


3. Controle seu peso


O excesso de peso está comprovadamente ligado ao risco de desenvolver a doença. Por isso, consumir alimentos saudáveis diariamente e praticar exercícios físicos com regularidade são recomendações essenciais.


4. Evite bebidas açucaradas e alcoólicas


O consumo elevado de álcool também aumenta o risco de desenvolver a doença, já que a substância pode provocar pancreatite crônica ao reduzir a sensibilidade à insulina. A ingestão em excesso de refrigerantes, sucos ou energéticos também pode elevar o risco de ter diabetes tipo 2.


5. Faça exames regulares


Faça análises regularmente sobre o nível de glicose no sangue, especialmente se você faz parte dos grupos de maior risco: obesos, sedentários e pessoas com histórico familiar da doença.

 

Leia Já



Nove sinais que indicam que você precisa beber mais água
Conheça os principais sinais para evitar um caso sério de desidratação.

Créditos: DR

 

Mais da metade do corpo humano é composto por água e necessitamos dela para viver. Por isso mesmo, o organismo dá alguns sinais importantes para além da sede que sentimos ao passar muito tempo sem ingerir água.


Veja nove sinais infalíveis para saber se seu corpo necessita de mais água (antes de sofrer de um caso sério de desidratação):


1. Boca e lábios secos


Quando está desidratado, há uma diminuição da produção de saliva e é isso que dá a sensação de boca seca. Atenção que essa pode ser também a causa de mau hálito.


2. Sente-se constantemente cansado


Como defesa contra a desidratação, o organismo diminui a irrigação de sangue para órgãos não vitais. Ou seja, os músculos podem começar a operar mais lentamente, fazendo com que se sinta cansado e sonolento.


3. Xixi mais escuro


A cor ideal da urina é de um amarelo bem claro ou transparente. Se o seu xixi estiver amarelo escuro ou laranja, é um sinal certeiro de que a sua urina está mais concentrada e nada saudável.


4. Dor de cabeça


A razão para aquela dor de cabeça incômoda no meio do dia pode ser justamente a falta de água. Especialistas acreditam que, com o baixo nível da substância, haja uma diminuição do sangue no cérebro e assim menos oxigênio na região.


5. Não produz lágrimas o suficiente


Assim como a saliva, as lágrimas podem ser um sinal de que os níveis de água no organismo estão baixos.


6. Pele seca


Melhor que qualquer creme, a água é um ótimo hidratante. Assim que o corpo está com níveis baixos de água, a pele sente e aparenta de imediato os efeitos.


7. Espasmos musculares


Espasmos podem ser comuns em quem não costuma beber muita água. Quando o músculo está sendo muito utilizado e os fluidos estão baixos, alguns movimentos involuntários podem ocorrer. 


8. Cãibras


Vários elementos podem causar cãibras, e uma delas é desidratação e falta de sódio no corpo.


9. Sensação constante de fome (mesmo após comer)


A sensação de sede e fome vem da mesma região do cérebro, então este pode facilmente confundir as duas sensações. Ou seja, pode achar que está com fome mas, na verdade, pode precisar apenas de beber água.

 

Notícias ao Minuto

Brasil : MILENAR
Enviado por alexandre em 18/06/2019 23:07:35

Cannabis era usada para lidar com luto há 2,5 mil anos


Análise de queimadores de incenso mostra que povos que viveram em montanha chinesa recorriam à erva em rituais funerários.

Imagem: Silvino/Arte DP

 

A cannabis foi cultivada como semente de óleo e fibra durante milênios, no leste da Ásia. No entanto, pouco se sabe sobre as origens do uso dessa planta pelas suas propriedades psicoativas e medicinais. Um estudo publicado por cientistas alemães na última edição da revista Science Advances revela que essa prática surgiu há 2,5 mil anos. 


Os autores da investigação encontraram compostos psicoativos preservados em queimadores de incenso funerário na região do Cemitério Jirzankal, no leste de Pamir, na China. Eles ressaltam que as descobertas mostram que o grupo que viveu no local possivelmente selecionava plantas com níveis mais altos de THC — o princípio responsável pelos efeitos alucinógenos — e as queimava como parte dos rituais mortuários, como uma espécie de auxílio na aceitação da morte.


A pesquisa surgiu como resultado do teste de alguns resíduos encontrados em um cemitério nas remotas montanhas Pamir. "Esses indícios foram escavados por uma equipe arqueológica chinesa. Em seguida, fizemos uma parceria com o grupo para investigar essas descobertas detalhadamente usando métodos químicos de ponta", conta à reportagem Nicole Boivin, diretora do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, na Alemanha, e uma das autoras do estudo.


Os queimadores foram recuperados de túmulos de 2,5 mil anos de idade. A equipe de Brown usou um método chamado cromatografia espectrometria gasosa de massa para isolar e identificar compostos preservados nos utensílios. Para a surpresa do grupo, a assinatura química dos compostos isolados correspondia exatamente à assinatura química da cannabis. Além disso, indicava um nível mais elevado de THC do que o normalmente encontrado em plantas de cannabis selvagens. 


As descobertas corroboram evidências anteriores da presença da planta em enterros realizados mais ao norte, na região de Xinjiang, na China, e nas Montanhas Altai, na Rússia. "Nossos dados apoiam a ideia de que as plantas de cannabis foram usadas, pela primeira vez, por seus compostos psicoativos nas regiões montanhosas do leste da Ásia Central, se espalhando para outras regiões do mundo", frisa Brown. "Nossa pesquisa demonstra que, já no primeiro milênio a.C., variedades mais altas de THC estavam sendo usadas pelas pessoas."


Os investigadores também destacaram que esqueletos recuperados no local, situado no oeste da China moderna, têm características que se assemelham às dos povos contemporâneos mais a oeste da Ásia Central. Objetos encontrados nas tumbas também parecem ligar essa população a povos mais a oeste. Além disso, estudos de isótopos estáveis sobre os ossos humanos do cemitério mostram que nem todas as pessoas enterradas no local cresceram na região. 


Para os cientistas, esses dados se encaixam com a noção de que as montanhas de alta altitude da Ásia Central e Oriental desempenharam um papel fundamental nas primeiras trocas transasiáticas. "De fato, a região de Pamir, hoje tão remota, pode ter se assentado sobre uma importante e antiga rota comercial da antiga rota da seda, que foi, em certos momentos, o único vetor mais importante para a disseminação cultural no mundo antigo", observa a cientista. "Nosso estudo implica que o consumo de cannabis estava entre as tradições culturais que se espalharam ao longo dessas rotas de troca", frisa Robert Spengler, arqueobotânico do instituto alemão e também autor do estudo.


Xamanismo


Para os cientistas alemães, ainda não está claro se as pessoas enterradas em Jirzankal cultivaram cannabis ativamente ou simplesmente procuravam plantas produtoras de THC. Embora a cannabis moderna seja usada principalmente para fins recreativos ou médicos, ela pode ter tido utilidades diferentes no passado. As evidências encontradas nesse cemitério sugerem que os povos antigos queimavam a erva em rituais mortuários, por exemplo. 


Os corpos eram enterrados em tumbas sobre as quais eram criadas montes circulares, com anéis de pedra e padrões listrados, usando rochas pretas e brancas. “Vemos evidências desse uso em contextos mais ritualizados. É difícil dizer exatamente por que a cannabis foi usada em rituais funerários, mas ela pode ter ajudado as pessoas a ponderarem ou a compreenderem a morte ou a realizarem certas transformações xamanísticas, por exemplo”, cogita a autora. 


Yimin Yang, pesquisador da Universidade da Academia Chinesa de Ciências em Pequim, chama a atenção para possíveis desdobramentos da pesquisa alemã. "Esse estudo do antigo uso de maconha nos ajuda a entender as primeiras práticas culturais humanas e fala sobre a consciência humana intuitiva dos fitoquímicos naturais das plantas. Análises como essa abrem uma janela única para entendermos detalhes sobre a exploração de plantas antigas e a comunicação cultural daquela época", opina, em comunicado. 


A autora do estudo adianta que seu grupo de pesquisa pretende refinar ainda mais os métodos de análise para que seja possível rastrear o desenvolvimento e a disseminação do uso de drogas e estimulantes no passado. "Queremos entender como as drogas foram disseminadas ao longo das antigas rotas comerciais e como elas transformaram as sociedades que entraram em contato com elas. Isso inclui tudo, desde cannabis e ópio até estimulantes diários, como chá, café e nicotina", conta Brown. "As perspectivas modernas sobre a cannabis variam tremendamente entre culturas, mas é claro que a planta tem uma longa história de uso humano, medicinal, ritual e recreacional ao longo de incontáveis milênios", complementa Spengler.


"Ela (a cannabis) pode ter ajudado as pessoas a ponderarem ou a compreenderem a morte ou a realizarem certas transformações xamanísticas", Nicole Boivin, diretora do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana e uma das autoras do estudo.


Substância


"Essa é uma pesquisa interessante e que, agora, faz parte de um grupo de muitos estudos que tenta entender a relação dos humanos com a cannabis, vista como algo com origem pré-histórica pela maioria das investigações já realizadas. Trabalhos anteriores que abordaram a origem da agricultura humana e dados também da própria China, de colônias mais antigas, já revelaram o cultivo dessa planta no passado, mas ainda não se sabia sobre o uso como substância psicoativa. Sabíamos da sua utilização como fibra, na construção de arco e flecha, de redes e para reforçar utensílios de cerâmica, por exemplo. Esses dados novos reforçam também uma suspeita antiga sobre o surgimento da cannabis junto com o xamanismo, que está relacionado ao surgimento da medicina na história. Sendo assim, esse poder psicoativo pode ter sido explorado no surgimento de interferências na saúde", Renato Malcher Lopes, professor de ciências fisiológicas da Universidade de Brasília (UnB).

 

DP

Brasil : CONCURSEIROS
Enviado por alexandre em 13/06/2019 09:48:38

Depoimento do PRF Manoel aprovado nos concursos da PF e PRF

Candidato, toda sua luta pela aprovação vale a pena. Siga sempre em frente!! Leia o depoimento do hoje PRF Manoel, que acreditou no sonho, traçou um objetivo e foi aprovado no Concurso PF e Concurso PRF!!

Junho/2018 e para sempre no Saga Policial

Depoimento PRF Manoel:

“Em fevereiro de 2012 eu estava colando grau, era mais um na imensidão dos recém formados. E aí veio a questão: e agora? Resolvi então entrar na disputa acirrada do mundo dos concursos. Estabilidade e salários acima da média de mercado foram fatores que me levaram a optar por esse caminho.

Tinha acabado de passar em um processo seletivo do Sebrae, o que me garantiu um contrato de trabalho de 2 anos e com um bom salário para um recém formado. Pensei o seguinte: “Meu contrato finda em 2 anos, então esse é o prazo que tenho para passar em algum concurso”.

Fiz um estudo preliminar de cargos, rotina de cada um e o que mais eu me identificava em cada um deles. Resultado disso, “vou ser policial, é isso que eu quero!”

“Vou ser policial, é isso que eu quero!”

Defini minha meta, então passei a mirar nos concursos PF e PRF.

Mas aí veio o maior problema: como começar? Por onde começar? Como estudar pra concurso?

Eu nunca havia estudado para concurso, passei a graduação preso ao mundo acadêmico, nem cogitava concursos nessa época. Conversei com vários concurseiros e a impressão que tive foi que concurso era algo muito difícil, quase impossível, que você tem que contar com a sorte!

Aí vem a primeira lição que aprendi no mundo dos concursos: poupe seus ouvidos, filtre o máximo, não entre em pânico com falácias de terroristas.

“Poupe seus ouvidos, filtre o máximo, não entre em pânico com falácias de terroristas.”

Muitas pessoas acham que contando inverdades, alimentando boatos, farão você desistir. Eles acham que você é concorrente deles, quando na verdade nosso maior concorrente somos nós mesmos.

Bom…após esse terror inicial, continuei na luta introdutória no mundo dos concursos. Tudo era novo, matérias novas etc. Cometi vários erros, que acho que todos cometem no início: comprei material errado, me matriculei em cursos “fracos”, estudei por métodos errados, me cerquei de pessoas com focos diferentes.

Embora tenha perdido tempo e dinheiro, passar por isso foi necessário para encontrar meu caminho e reorientar meus estudos. Aí vem a segunda lição que aprendi: cerque-se de pessoas que buscam os mesmos objetivos, que tem o mesmo foco.

“Cerque-se de pessoas que buscam os mesmos objetivos, que tem o mesmo foco.”

Nessa jornada você encontra muitos terroristas, mas também encontra pessoas fascinantes, muitas delas se tornarão amigos para uma vida inteira.

Decidi então me cercar de gente com o mesmo foco, das pessoas que conheci em cursos presenciais e online, isso resultou na criação de um grupo de estudo online, com regras rígidas e bem definidas, com distribuição de tarefas diárias para cada membro. O nome de batismo do grupo era “Dúvidas de Concurso”, quem não participava com frequência das atividades era excluído, só queríamos quem estivesse no mesmo ritmo.

Ao mesmo tempo acabei conhecendo o livro do Alexandre Meireles, onde ele fala sobre métodos de estudo e organização de cronogramas. Isso foi revolucionário para meus estudos, pois corrigi vários erros no meu modo de estudar, conseguir impor um ritmo de estudos melhor, com mais qualidade e seguindo um cronograma.

Finalmente eu começava a me encontrar no mundo dos concursos. Estava com pessoas focadas, seguindo um método de estudos correto e entendendo o “modus operandis” de um concurso policial.

No nosso grupo de estudos todos estavam focados nos concursos da PF e PRF. Mas não negligenciávamos os demais concursos policiais. Todos os concursos da área policial que fossem realizados pela banca CESPE, nós buscávamos as provas, até mesmo fazíamos a inscrição, objetivando uma preparação de fato para os concursos que mais queríamos: PF e PRF.

“Deixar para treinar para o TAF após o resultado do concurso é um erro fatal.”

É importante lembrar que dentro da nossa rotina de estudos, também havia espaço para uma rotina de treinos físicos. Deixar para treinar para o TAF após o resultado do concurso é um erro fatal. Concurseiro da área policial tem obrigação de já vir treinando ao mesmo tempo que estuda. Além de já está se preparando para os testes, é muito bom para aliviar a tensão e o stress do dia a dia de estudos.

Eu sempre fazia uma atividade física de segunda a sábado, entre corrida e natação. Nos dias de corrida aproveitava também para fazer barras, saltar etc. Uma ou duas vezes por mês eu reunia os amigos da minha cidade que estavam no grupo de estudos e realizávamos um simulado do TAF para ter uma noção da nossa preparação.

Até aí tudo caminhava aparentemente bem, mas eu ainda não me sentia 100% preparado. Achava que faltava algo para dar um “up” na preparação.

Em um determinado dia, lendo depoimentos de aprovados no concurso de Agente da PF de 2012, me deparei com um depoimento do APF Facco no site sagapolicial.com

Lá ele falava de um grupo de simulados que foi um divisor de aguas na sua preparação, esse grupo era o Missão Papa Fox ( projetosmissao.com.br ).

De fato, embora eu estivesse resolvendo bastante exercícios e provas do CESPE, eu ainda não havia feito simulados voltados para as provas da PF e PRF. Decidi então correr atrás desse grupo e fazer parte dele.

Para minha sorte consegui entrar no grupo, na época os simulados eram apenas para a PF, ainda não havia para a PRF. Hoje para a sorte de todos já existe o Missão PF e PRF.

Recebi então o primeiro simulado, fui fazer confiante, já que estava estudando por um método de estudos adequado e estava em um bom ritmo de estudos.

Para minha surpresa, não me saí tão bem quanto eu esperava. O que foi muito bom. Após receber o boletim das provas, vi quais matérias eu estava bem e quais eu precisava melhorar.

Passei então após esse simulado a reorientar meus estudos. Diminuí a carga horaria daquelas disciplinas que estava bem e aumentei aquelas que estava ruim. Ao passo que fui resolvendo mais e mais simulados, os resultados foram aparecendo, minhas notas foram melhorando e foram se mantendo em uma constante.

“Ao passo que fui resolvendo mais e mais simulados, os resultados foram aparecendo, minhas notas foram melhorando e foram se mantendo em uma constante.”

A minha rotina de estudos era baseada em exercícios, após a fase que dominei o edital, passei a estudar 3 disciplinas por dia, dedicando 80% do tempo para resolução de exercícios e os 20% para teoria, buscando sanar as dúvidas em questões que ainda batia na trave.

Minha rotina na época era trabalhar pela manhã, estudar pela tarde, treinar ao final do dia, voltar para casa e estudar novamente. Isso de segunda a sábado. Deixava o domingo para descansar a mente.

O engraçado disso tudo é que embora o domingo fosse de descanso, eu passava o dia pensando em exercícios kkkkk, você passa a respirar o concurso, o que eu acho fundamental. Lógico que cada um tem seu método e que dá certo, mas esse é um relato do meu.

“Você passa a respirar o concurso, o que eu acho fundamental.”

Já chegava no final de 2012 desde o início do primeiro passo rumo à aprovação e os boatos sobre um concurso para PF e PRF começavam a rolar. A ansiedade começou a bater e a hora da verdade estava chegando. Nesse caminho muita coisa mudou: fiquei em off da vida social, deixei de sair com os amigos para shows, churrasco, cervejinha fds etc. Mas precisava realmente disso? Bom…essa resposta é bem particular.

Eu tinha um objetivo e tinha prazo para alcança-lo, que era até o termino do meu contrato. Mas eu sabia que tudo isso era passageiro e que cada esforço valeria a pena. Os amigos nem sempre entendem, mas cada um sabe da sua necessidade e a minha era urgente. Quando eu passasse tudo ficaria bem hehehe.

2013 chegou, com o boato de abertura do edital, o ritmo de estudos e treinos ficaram mais intensos. Os simulados do Missão estavam cada vez mais dinâmicos e atualizados, o que nos deixava mais aptos para o combate.

“Os simulados do Missão estavam cada vez mais dinâmicos e atualizados, o que nos deixava mais aptos para o combate.”

Chegou então o grande dia, saiu o edital da PF e logo em seguida saiu o edital da PRF.

Com as novidades que o edital sempre traz, é necessário fazer aquele ajuste nos estudos, incluir o que não tinha e deletar o que saiu. Como eu já havia estudado o último edital de cabo a rabo, o novo edital não me trouxe prejuízos.

O Missão Papa Fox logo ajustou o conteúdo, a luta agora se tornava cada vez mais real.

Logo em seguida uma liminar na justiça travou o concurso devido a uma questão dos PNEs. Muita gente ficou desesperada, eu me mantive tranquilo, afinal com essa trava eu teria mais tempo ainda para estudar.

O concurso logo foi retomado, o dia da prova se aproximava e a ansiedade aumentava. Na véspera da prova muita gente diz para não estudar e relaxar, mas eu não consegui kkkkkk estudei até o último minuto, antes mesmo de entrar na prova estava lendo o código de ética do servidor, o que me rendeu 2 questões na prova, pois assim que abri, vi logo duas questões do que eu tinha acabado de estudar kkkk. E aí? Qual a impressão da prova?

“Na véspera da prova muita gente diz para não estudar e relaxar, mas eu estudei até o último minuto.”

Bom…graças a Deus quase tudo que eu estudei estava lá, resolvi a prova exatamente como eu resolvi os simulados do missão. Abri a prova dei uma olhada rápida e fui ver as questões discursivas. Após ver o tema da discursiva voltei para resolver as questões, iniciei seguindo a mesma ordem dos simulados, após acabar a objetiva fiz a discursiva, voltei e dei uma olhada na objetiva e entreguei.

Ao sair da prova você encontra com a galera para comentar. A galera estava muito nervosa, assustada com a discursiva e com a objetiva, tinha gente chorando, gente triste etc.  Eu pensei comigo mesmo, “ou eu estou muito ferrado e errei tudo ou me dei bem”, porque eu tinha achado a prova bem dentro do que estudei.

Na semana seguinte veio a prova da PRF, quando abri a prova só faltei chorar de alegria, tudo que estudei estava lá, a discursiva era bastante parecida com a da PF.

Fiz a mesma coisa, seguindo o mesmo roteiro dos simulados. Ao sair da prova aquela mesma história, gente chorando, horrorizada etc. Eu fui logo embora torcendo para que tudo desse certo. Agora era aguardar os gabaritos preliminares.

Quem estuda para concurso do CESPE sabe que gabarito preliminar é igual a pré-infarto. Quase fiquei maluco, questões já marteladas pela banca com gabarito alterado e você fica desesperado. Recurso neles!!!

“O CESPE antes de ser um centro de seleção era um centro de terrorismo, pois essa banca sabe aterrorizar.”

Após o recurso vem a fase de aguardar os resultados. O CESPE é aquele padrão, antes de ser um centro de seleção, era um centro de terrorismo, pois essa banca sabe aterrorizar.

Chega o dia o resultado, o cara passa o dia dando F5 no notebook, nada do resultado. Quando dá 23:59 do dia, a banca lança um comunicado de adiantamento do resultado PQP 😠😠😠😠 É para ficar maluco, certeza que é uma etapa off do teste psicológico.

Enquanto o resultado não sai, não existe vida, você fica pensando 24 horas APENAS nisso, você sonha com o gabarito oficial, sonha com seu nome no DOU.

Esse concurso PF foi uma verdadeira novela mexicana. A banca adiou o resultado duas vezes. O concurseiro já estava na base do tarja preta. Após o adiantamento, no dia provável de sair o resultado, eu resolvi não cair em mais uma pegadinha.

Sinceramente achei que iria adiar mais uma vez. Resolvi dormir. Acordei as 6 da manhã com meu telefone tocando, Felipe, um amigo, me ligava dizendo “parabénsssas FDP você passsouuu porra” (amigo de verdade fala assim).

“Parabénsssas FDP você passsouuu porra” (amigo de verdade fala assim).

Eu fiquei sem reação, não sabia se acreditava, se xingava ele pela brincadeira sem graça, se chorava, se olhava o DOU.

Resolvi olhar o DOU. Quando abri e vi meu nome lá PQP, chorei parecendo criança, o resultado de todo o esforço estava ali, a certeza de que seu concorrente é você estava ali, a certeza que Deus abençoa estava ali.

Gritei tanto que em segundos todos os vizinhos do prédio já sabiam kkkkk.

Comecei a procurar o nome dos meus amigos do grupo de estudos no DOU, pqp o nome de todos estava lá, alegria maior impossível. Acho que nunca esquecerei desse dia.

Semana depois saiu o resultado da PRF e lá estava meu nome de novo dentre os aprovados. Gritei, chorei, agradeci a Deus. Estava me sentindo a pessoa mais abençoada do mundo. E os meus amigos do grupo de estudo? Estavam lá, aprovados tb hahahaha brocamos!

Em nenhum momento eu achei que não seria aprovado. Soberba? De forma alguma. Eu acreditei no meu sonho, fiz tudo que podia para que ele se concretizasse e acho que – acreditar sempre que daria certo – fez tudo conspirar a favor.

“Eu acreditei no meu sonho, fiz tudo que podia para que ele se concretizasse e acho que – acreditar sempre que daria certo – fez tudo conspirar a favor.”

Nunca, mas nunca deixe de acreditar nos seus objetivos. Jamais deixem que digam que você não pode. Vi muita gente rir quando falei que ia estudar até passar para ser PF/PRF. As dificuldades foram enormes, mas a vontade de vencer era maior que tudo!!!

Graças a Deus estou aqui hoje, como Policial Rodoviário Federal, para mostrar que você também pode e que não há dificuldade maior do que a sua vontade de vencer!

Sucesso a cada um de vocês, PRF Manoel.”

Se todo dia a gente luta, #vamospertencer

Brasil : GELADA
Enviado por alexandre em 09/06/2019 23:55:35

Saiba como é viver  na cidade mais fria do mundo

Imagine acordar e sair de casa se deparando com temperaturas abaixo de -50°C? Não parece muito convidativo, né? Então, quando for reclamar do friozinho que faz no Brasil durante o inverno, melhor lembrar de Oymyakon, cidade da Rússia eleita o lugar habitado mais frio do planeta!


Parece surreal, mas os seus residentes estão acostumados com esse tempo implacável que faz congelar até os cílios! Oymyakon tem uma população de cerca de 500 pessoas. No auge do inverno, um dia pode durar apenas algumas horas. Um recorde? A localidade já registrou a inacreditável temperatura mínima de -71.2ºC! Apesar do frio de trincar os dentes, os cidadãos que lá vivem arranjam maneiras de se divertir...


No Instagram, é possível encontrar fotografias curiosas dos moradores. Uma dessas impressionantes imagens foi captada por Petr Chugunov, fotógrafo de Yakutsk, que registrou uma bailarina nas ruas cobertas de neve. "Realmente fotografei a bailarina quando estavam temperaturas de -41ºC e não usei Photoshop", explicou Chugunov ao The Siberian Times.


Já pensou em se transformar em um picolé humano? Ironicamente, Oymyakon tem atraído o interesse de turistas de todo o mundo por ser um destino fora do comum e também pela oportunidade de testarem os próprios limites diante de temperaturas tão baixas. 


Notícias ao Minuto

(1) 2 3 4 ... 504 »