Brasil - A CÉU ABERTO - Notícias
(1) 2 3 4 ... 261 »
Brasil : A CÉU ABERTO
Enviado por alexandre em 23/10/2014 18:32:07


A natureza é o destino de 62% do esgoto do Brasil
As cem maiores cidades do Brasil despejam cerca de 3 mil piscinas olímpicas de esgoto por dia e, segundo o presidente executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, 70% delas não tem 50% do sistema de saneamento instalado e em operação. As informações foram divulgadas na palestra O Brasil das Águas – Saneamento, Mananciais e Oceanos durante a última edição do evento Diálogos Capitais - Inovação e Sustentabilidade, promovido por CartaCapital nesta terça, 21/10. "O saneamento no Brasil parou no século 19", disse o presidente após citar que 100 milhões de brasileiro ainda não têm esgoto tratado. "Os últimos indicadores, datados de 2012, apontam que 62% do esgoto ainda não encontra rede adequada para ser encaminhado a estações de tratamento."
AGENCIA BRASIL

Brasil : CONQUISTA
Enviado por alexandre em 20/10/2014 18:30:00


Theobroma recebe ambulância fruto de emenda parlamentar do deputado Marcelino Tenório
Tão logo acabou o pleito eleitoral 2014, o Deputado Marcelino Tenório retoma as suas

atividades parlamentares em ritmo acelerado, trazendo benefícios à população da região

central do estado.



O município de Theobroma foi beneficiado com a entrega de uma ambulância, adquirida

através de recurso de emenda parlamentar do deputado estadual Marcelino Tenório

(PRP). O veículo, modelo caminhonete Amarok Volkswagen, vem equipado com oxigênio,

maca, colchonete para acompanhante, sinalizador acústico e visual, ar-condicionado na

cabine e no baú, armário para medicamentos, dentre outros acessórios, que vão garantir

mais segurança e conforto para os pacientes.

Na oportunidade, o prefeito do município José Lima da Silva (PDT) parabenizou o

Deputado Marcelino Tenório sobre o seu trabalho na Assembleia Legislativa do Estado.

“Agradeço ao deputado Marcelino (Tenório) que viabilizou a emenda para aquisição desta

ambulância, para atender a nossa população. Isto só vem a somar na saúde pública da

cidade”, pontuou o prefeito que acrescentou - o empenho da equipe da Prefeitura para

que toda documentação estivesse em ordem e possibilitasse a liberação da ambulância.

“Não realizamos nada sozinhos”. A cada dia damos um passo e começamos a perceber o

resultado dos esforços da nossa equipe, e esta conquista agradecemos ao nosso parceiro

Marcelino Tenório que não olha cor partidária e sim olha o bem estar do povo.

O deputado Marcelino Tenório em sua fala ressaltou a importância da união e afirmou

que o seu mandato foi e sempre será direcionado para projetos verdadeiros que visem tão

somente o bem estar do povo de Rondônia e mais uma vez colocou o seu gabinete aberto

para todos independente de cor partidária.

“Tenho prazer em ajudar Theobroma, aqui representado pelo prefeito e amigo Lima,

mas devo destacar que essas conquistas são resultado do trabalho articulado e da

cooperação regional entre prefeitos e vereadores”, afirmou o parlamentar.

Mais ambulâncias

O deputado estadual Marcelino Tenório não para de entregar a população conquistas

do seu trabalho como representante do povo na ALE/RO e anunciou para este dia 20/

10 (segunda-feira) ás 16hs a entrega de uma ambulância no município de Vale do

Paraíso. O veículo é resultado de uma indicação do parlamentar junto a ALE/RO que

foi prontamente atendida e isso vem acrescentar a ajudar que o prefeito Luiz do Hotel

(PTN) vem tendo do deputado estadual Marcelino Tenório.

Outro município que será contemplado com emendas parlamentares do deputado é Jaru,

que receberá neste dia 21/10 (terça-feira) ás 16hs duas ambulâncias que irão reforçar o

setor de saúde da cidade administrada pela prefeita Sônia Cordeiro (PT).
Exibindo DSC_0659.JPG
Exibindo DSC_0651.JPG
Exibindo DSC_0677.JPG
Exibindo DSC_0684.JPG

Fonte: Assessoria

Brasil : DESMATAMENTO
Enviado por alexandre em 20/10/2014 02:07:08


Aumenta o desmatamento em Rondônia em 195%

Desmatamento tem alta na Amazônia em agosto e setembro, diz Imazon

Segundo ONG, aumento foi de 191% no último bimestre em relação a 2013.
Governo não divulgou dados do Deter referentes aos dois últimos meses.

Do G1, em São Paulo

Operação Pequiá percorreu mais de 4 mil km na região do vale do Araguaia, verificando indicativos de desmatamento  (Foto: Hebert Rondon/Ibama)Área desmatada na região de Mato Grosso, localizada por agentes do Ibama em agosto deste ano (Foto: Hebert Rondon/Ibama)
Dados do desmatamento na Amazônia (Foto: G1)

O desmatamento da Amazônia aumentou 191% em agosto e setembro de 2014, em relação ao mesmo bimestre de 2013, segundo levantamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), de Belém. Em termos absolutos, a alta foi de 288 km² para 838 km².

O levantamento é paralelo ao realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que utiliza o sistema Deter. O mecanismo do Inpe analisa a degradação (desmatamento parcial) e o corte raso (desmatamento total) da floresta nos estados que possuem vegetação amazônica (todos os da Região Norte, além de Mato Grosso e parte do Maranhão).

O dado mais recente do Deter foi divulgado em setembro, com números referentes aos meses de junho e julho, e já indicava aumento de 195% no desmate na comparação entre os dois meses de 2013 e 2014. As informações são utilizadas pelo Ministério do Meio Ambiente para controlar a devastação do bioma.

Calendário do desmatamento
Agosto e setembro são os dois primeiros meses do calendário oficial de medição do desmatamento, período que compreende de agosto a julho e está relacionado com as chuvas e atividades agrícolas.

De acordo com reportagem publicada neste domingo (19) no jornal "Folha de S.Paulo", foram monitorados 93% da área florestal na Amazônia Legal. Em 2013, o monitoramento cobriu uma área de 79%. Para fazer as análises, o instituto utiliza o SAD, sistema de alerta de desmatamento e degradação (veja a tabela no site do Imazon).

Procurado, o Ministério do Meio Ambiente informou que não comentaria os números e repassou a atribuição a um órgão ligado ao ministério, o Ibama. À "Folha", o MMA informou que decidiu publicar os novos números do Deter em novembro porque a leitura de dados contaria com imagens de satélite quatro vezes mais precisas, com o programa chamado Novo Deter. O G1 não conseguiu contato com o Ibama até a publicação desta reportagem.

Série histórica do desmatamento na Amazônia (Foto: G1)

Nos estados
Considerando os dois primeiros meses do calendário atual de desmatamento (agosto de 2014 a setembro de 2014), Rondônia lidera o ranking com 31% do total desmatado no período. Em seguida aparece Mato Grosso (26%) e o Pará (18%). Em termos relativos, houve aumento expressivo de 2.699% em Roraima e 939% em Mato Grosso.

Em termos absolutos, Rondônia lidera o ranking do desmatamento acumulado com 260 quilômetros quadrados, seguido pelo Mato Grosso (222 quilômetros quadrados) e Pará (152 quilômetros quadrados).

Em setembro de 2014, segundo o Imazon, o desmatamento concentrou em Rondônia (33%), Pará (23%), seguido pelo Mato Grosso (18%) e Amazonas (12%), com menor ocorrência no Acre (10%), Roraima (4%) e Tocantins (1%).

Degradação florestal
Em setembro de 2014, o SAD registrou 624 quilômetros quadrados de florestas degradadas (florestas intensamente exploradas pela atividade madeireira e/ou queimadas). A maioria (97%) ocorreu no Mato Grosso, seguido por Rondônia (2%) e Pará (1%).

Categoria fundiária
A maioria (59%) do desmatamento ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse, em setembro deste ano. O restante do desmatamento foi registrado em assentamentos de reforma agrária (20%), unidades de conservação (19%) e terras indígenas (2%).

Segundo o SAD, foram 73 quilômetros quadrados de desmatamento nas unidades de conservação em setembro de 2014. No caso das terrasindígenas, foram detectados 8 quilômetros quadrados de desmatamento.

Para calcular a taxa anual do desmatamento por corte raso na Amazônia, o governo federal e o Inpe utilizam o Prodes, que trabalha com imagens de melhor resolução espacial e mostram ainda pequenos desmatamentos. Sua divulgação deve ocorrer até o fim deste ano.

Brasil : A SECA QUE CASTIGA
Enviado por alexandre em 19/10/2014 17:52:29


Estiagem se espalha no país causa prejuízos bilionários

A SACA QUE CASTIGA O BRASIL;ESTIAGEM SE ESPALHA NO PAÍS E CAUSA PREJUÍZO BILIONÁRIO

Há uma regra elementar que se aplica em períodos de secas severas: se a água escassear, a prioridade é o consumo humano. Isso significa que, antes de as torneiras de casa secarem, a água falta na agropecuária, nas indústrias e nos serviços. É o que ocorre hoje em várias partes do Brasil.
A estiagem que compromete importantes bacias hidrográficas pode prejudicar a já combalida economia nacional, simplesmente porque o País não está preparado para lidar com ela. “Diferentemente de outros países, o Brasil não tem mecanismos para aliviar perdas econômicas com a falta de água”, diz Jerson Kelman, especialista no tema, que dirigiu as agências nacionais de Água e de Energia. Prejuízos A seca começou espalhando prejuízos no Nordeste. Segundo a Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês), entidade que monitora eventos climáticos extremos, a região sofreu perdas de R$ 20 bilhões entre 2010 e 2013. No setor de energia, a conta é maior. Só para manter as térmicas ligadas e compensar a falta de água nas hidrelétricas, de 1.º de janeiro de 2011 até 14 de outubro deste ano foram gastos R$ 49,4 bilhões. O cálculo é da consultoria PSR, com dados do Operador Nacional do Sistema. Neste ano, a estiagem se espalha pelo Sudeste. Segundo levantamento da consultoria MB Agro, os produtores de cana-de-açúcar, carro chefe da agricultura paulista, amargam uma perda de 18% na receita.



As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo.

Brasil : NO TOCO
Enviado por alexandre em 19/10/2014 17:30:10


MPF quer profissionais da saúde batendo ponto eletrônico nos postos
O Ministério Público Federal recomendou à Secretaria de Saúde do Estado e à Secretaria de Saúde do Município de Ouro Preto do Oeste, que seja implantando ponto eletrônico para controle de frequência de todos os servidores, médicos e odontólogos vinculados ao Sistema Único de Saúde.
Também deverão ser disponibilizadas as informações sobre os médicos de plantão na unidade. Uma segunda recomendação pede que sejam entregues certidões aos pacientes que não forem atendidos em unidades do SUS, com o motivo da recusa do atendimento.
A intenção, o Núcleo de Combate à Corrupção do MPF, é garantir o direto da população aos serviços de saúde com a criação de mecanismos, como o ponto eletrônico, que inibam irregularidades e tragam transparência aos serviços do SUS.

As recomendações fazem parte de uma ação articulada pelo MPF em todo o Brasil. A instituição definiu como prioritária a meta de acompanhar a gestão do SUS em todo o território nacional e orientou pela expedição das recomendações.
Ponto – De acordo com o documento, as secretarias têm 60 dias para atender as recomendações. Além do ponto eletrônico, deverão ser instalados, nas recepções das unidades do SUS, “quadros que informem ao usuário, de forma clara e objetiva, o nome de todos os médicos e odontólogos em exercício na unidade naquele dia, sua especialidade e o horário de início e de término da jornada de trabalho de cada um deles. O quadro deverá informar também que o registro de frequência dos profissionais estará disponível para consulta de qualquer cidadão”.

Cabe ainda às Secretarias de Saúde do Estado e do Município de Ouro Preto do Oeste disponibilizarem, na internet, o local e horário de atendimento dos médicos e odontólogos que ocupem cargos públicos vinculados, de qualquer modo, ao Sistema Único de Saúde.
Certidão – Uma segunda recomendação pede que seja garantido, a todos os usuários do Sistema SUS não atendidos no serviço de saúde solicitado, o fornecimento de certidão ou documento equivalente, em que conste o motivo da recusa de atendimento, além de nome do usuário, da unidade de saúde, data e hora.

Esta orientação tem o objetivo de garantir o direito à informação dos usuários que quase sempre têm o serviço negado de forma verbal e sem esclarecimento sobre “prazo de agendamento do atendimento solicitado, o tempo de espera para serviços de urgência e emergência, a previsão de contratação da especialidade médica requerida ou sem apresentar justificativas para o indeferimento de exames ou entrega de medicamentos prescritos etc.”.

O documento informa ainda que o descumprimento da recomendação, poderá gerar a adoção das medidas administrativas e judiciais pertinentes por parte do Ministério Público Federal.

Fonte: ouropretoonline.com

(1) 2 3 4 ... 261 »