Regionais - Raupp e presidente do Incra entregam título fundiário, Carlos Magno pré-candidato a vice de Cassol, Prêmio Fiero de Jornalismo entregue hoje - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 6678 »
Regionais : Raupp e presidente do Incra entregam título fundiário, Carlos Magno pré-candidato a vice de Cassol, Prêmio Fiero de Jornalismo entregue hoje
Enviado por alexandre em 19/09/2017 18:39:55

Regularização – Um dos problemas que atrasa o desenvolvimento de Rondônia é a questão fundiária. Propriedades rurais e urbanas carecem de regularização. Nos dias 21, 22, e 23 deste mês o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), que tem defendido a regularização urbana e rural no Senado estará com o presidente do Incra, Leonardo Góes Silva e membros do Terra Legal entregando títulos de propriedades em Porto Velho, Machadinho do Oeste, Buritis, Candeias do Jamari e Guajará-Mirim. Raupp está propondo parceria do governo do Estado e governo federal para a realização de um mutirão para a regularização fundiária no Estado.

Governador – O projeto político futuro do senador Ivo Cassol (PP-RO) é mesmo voltar a governar Rondônia. Mesmo inelegível para as eleições do próximo ano, Cassol acredita que terá condições legais para disputar o governo do Estado e já teria até o pré-candidato a vice: o seu fiel escudeiro o ex-deputado federal Carlos Magno que já se prontificou a caminhar junto com o amigo em 2018. Caso realmente Cassol seja candidato e Magno de vice, cai por terra a procura (de Cassol) por um vice de Porto Velho.

Tecnologia – O jornalista de Ouro Preto do Oeste, Alexandre Araújo diz que o ponto eletrônico não funcionou na administração municipal na gestão do ex-prefeito Alex Testoni, que comandou o município em dois mandatos seguidos. O ponto eletrônico está sendo aplicado em Porto Velho, pelo prefeito Hildon Chaves (PSDB) desde o início da semana. Como estamos na era eletrônica a expectativa é que o sistema funcione, pois a celeridade nos atos, mesmo na administração pública é uma questão de mais dias, menos dias.

Fiero – Na noite de hoje (19) a Federação das Indústrias de Rondônia-Fiero apresenta os ganhadores do Prêmio Paulo Queiroz de Jornalismo em sua primeira edição e entrega as premiações. O assessor de Comunicação da Fiero, jornalista Carlos Araújo, que organizou a premiação está convidando os profissionais da área para a solenidade às 19h no Maison Madeira, Bairro São João Bosco, na capital.

Pesquisa – O assunto do momento na área política são as pesquisas eleitorais. Os partidos políticos de maior expressão, lógico os com maior poder de caixa estão acionando os profissionais da área para saber a opinião da população. A partir de amanhã (20) um instituto de credibilidade e que marcou ponto favorável nas eleições de 2016 em Rondônia estará percorrendo o Estado consultando a população. Na primeira quinzena de outubro o partido terá em mãos um mapa sobre quem é quem na política do Estado.

Respigo

A região de Nova Mamoré-Buritis é uma das mais violentas do Estado. As polícias Civil e Militar realizaram a Operação Águia no último final de semana onde foram apreendidas armas de fogo e 800 munições de diversos calibres +++ Se operações idênticas fossem realizadas com constância no campo e nas cidades certamente teríamos redução significativa da violência e da criminalidade +++ Os funcionários da Câmara de Vereadores de Colorado do Oeste estão com o sorriso de orelha a orelha. Os “nobres pares” aprovaram esta semana o aumento do vale alimentação de R$ 300 para R$ 500 +++ Num país onde o salário mínimo é inferior a R$ 1 mil um vale alimentação de R$ 500 é uma grana considerável. É bem provável, que os vereadores também aprovarão o mesmo índice de aumento a eles +++ Na reunião da Comissão de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, realizada hoje (19) pela manhã, o presidente, deputado Geraldo da Rondônia (PSC-Ariquemes) lamentou a ausência do Superintendente de Desenvolvimento do Estado (Suder), Basílio Leandro. Nem mesmo o adjunto, Pedro Teixeira compareceu, mas foram convocados para a reunião da próxima semana.

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Regionais : Corpo de Bombeiros captura cobra caninana na casa do ex-deputado federal Carlos Magno
Enviado por alexandre em 19/09/2017 09:57:33


Corpo de Bombeiros captura cobra caninana na casa do ex-deputado federal Carlos Magno
Uma cobra caninana, com aproximadamente 1 metro de comprimento, foi encontrada dentro do quarto de uma residência localizada em uma área de morro na divisa com o loteamento Colina Park no município de Ouro Preto do Oeste. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o resgate foi realizado na residência do ex-deputado federal Carlos Magno, a espécie não é venenosa e após sua captura foi solta no seu habitar natural.
Os militares do Corpo de Bombeiros acredita que o réptil pode ter saído para caçar comida e entrado na residência que fica próximo a uma mata fechada. Os militares advertem que ferir ou matar animais é considerado crime ambiental. Em caso de localizar qualquer bicho, o recomendado é acionar um órgão ambiental ou o Corpo de Bombeiros para fazerem a captura.

A espécie

A cobra caninana é dotada de belezas e um jeito próprio de agir e, também, em sua aparência. Sua aparição é comum em locais como América do Sul e América Central, pode também ser conhecida como cainana, arabóia, jacaninã, cobra-tigre, entre outros nomes atribuídos a ela.
Em questão de aparência, é uma cobra imensa, que pode chegar a medir até os quatro metros de comprimento, mas a maioria das cobras caninanas mede em torno de dois metros e meio de comprimento. Suas cores geralmente são tonalidades de amarelo e preto.
Apesar de seu jeito particular de defender-se das ameaças, achatando a sua cabeça bruscamente ao irritar-se, ela não oferece perigo algum, é considerada uma cobra mansa, que geralmente esquiva-se ao perceber a aproximação de algum ser, com sua agilidade e rapidez. Além destas características, a cobra caninana não possui veneno algum, sendo inofensiva para humanos e outros seres, a não ser um arranhão ou outro machucado insignificante.

Costuma habitar rios e lagos, e apesar de abrigarem-se em meio à arbustos e árvores, são normalmente encontradas no solo para realizar a caça de seu alimento, que baseia-se em roedores, onde são utilizadas em plantios, aves ou lagartos de pequeno porte.
Como esta cobra não é venenosa e trás benefícios à agricultura com seus hábitos alimentícios, ela pode ser facilmente domesticada, o que contribui para isto é que ela é uma espécie calma e amigável.

Sobre como ocorre a reprodução de uma cobra caninana, normalmente, os filhotes são concebidos no começo da estação chuvosa, pois a fêmea coloca seus ovos, que são em torno de quinze a dezoito, com nascimento previsto para esta época do ano.

A cobra caninana, como já dito, não faz nenhum mal a ninguém, trazendo até benefícios para jardineiros e agricultores, sendo uma espécie diferenciada por sua mansidão e pela possibilidade de domesticação, então não há nenhum risco caso uma pessoa depare-se com uma cobra desta espécie, é somente não assustar-se com seu tamanho e seu jeito de agir, consequentemente, quando está irritada.

Fonte: ouropretoonline.com

Regionais : Mobilização em rede social busca custear tratamento de doença rara em jovem ouropretense
Enviado por alexandre em 19/09/2017 09:18:22


Uma campanha solidária promovida nas redes sociais por amigos e familiares de Francisco Luan, de 27 anos, busca angariar recursos para custear o tratamento experimental de uma doença rara no jovem ouropretense que só é realizada na cidade de Bangkok, Tailândia.

Luan foi diagnosticado aos 24 anos com ataxia spinocerebelar tipo 7 (SCA7), doença neurodegenerativa que se manifesta com a perda de coordenação motora, disartria, reflexos mais lentos e degeneração da retina, levando à perda da visão. A enfermidade, infelizmente, tirou a oportunidade de o jovem trabalhar, estudar, além de ter criado inúmeros obstáculos e dificuldades em seu dia a dia.

Por não possuir cura e tampouco tratamento no Brasil, os familiares e amigos de Luan resolveram promover uma campanha solidária através das redes sociais com o intuito de arrecadar dinheiro para custear o tratamento experimental por meio de células-tronco, que têm a possibilidade de regenerar tecidos nervosos, resultando em melhor qualidade de vida ao paciente.

A família de Luan informou que ficou sabendo de um tratamento por meio de células-tronco que é realizado em um hospital na cidade de Bangkok, na Tailândia. Esse hospital é parceiro da empresa especialista em pesquisas com células-tronco Beike Biotechnology. Ao obterem essas informações, entraram em contato com a empresa e enviaram toda a documentação e exames para tentarem ir até a Tailândia submeterem o jovem a esse tratamento. (www.tratamentocomcelulastronco.com).

Como ajudar!
Além do depósito em conta, as pessoas podem contribuir doando roupas, calçados e objetos para serem vendidos nos bazares beneficentes. O valor angariado servirá para custear as passagens, compra de medicamentos, despesas pessoais e clínicas. Luan precisará retornar várias vezes à Tailândia.

Dados bancários
Nome: Francisco Luan Araújo Lima
CPF: 322.220.958-83
Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 3114
Operação: 013
Conta Poupança: 23966-6

Telefone de contato: (69) 99251-4377

Regionais : PACIENTE INTERNADO NO JOÃO PAULO II É PRESO APÓS FURTAR CELULAR DE ACOMPANHANTE
Enviado por alexandre em 19/09/2017 09:16:48


Porto Velho, RO – Pouco tempo após ter sido submetido à cirurgia, o paciente identificado como Tarcísio de S. da S., de 29 anos, foi preso após furtar o aparelho celular da acompanhante de outro paciente. O fato aconteceu em determinada área do Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, localizado na Avenida Campo Sales, Bairro Nova Floresta, zona sul da cidade.

A testemunha viu quando Tarcísio se aproveitou de um momento de distração da vítima e se apossou do aparelho celular. Em seguida, o paciente foi até o banheiro e escondeu o objeto. A vítima foi informada e buscou o celular, que estava escondido dentro de um cesto de lixo. A polícia militar foi acionada e ao saber que havia sido descoberto, Tarcísio tentou, a todo custo, sair do hospital, vindo inclusive a pedir alta às enfermeiras.

Ao ser indagado sobre o crime de furto, o paciente negou e mais, não quis revelar seus dados aos policiais, sendo necessário obter as informações na ficha de cadastro. Ele recebeu voz de prisão e ficou sob a guarda de agentes penitenciários que ficam na escolta de presos no João Paulo II.

Fonte: NewsRondônia

Regionais : Rio Guaporé: uma joia do turismo rondoniense
Enviado por alexandre em 19/09/2017 09:11:34


Rio Guaporé: uma joia do turismo rondoniense
O Web Jornal Rondôniavip percorreu 1.250 quilômetros do rio, entre Guajará-Mirim e Pimenteiras durante 15 dias de viagem de barco e comprovou vocação para pesca esportiva. Reportagem especial de Felipe Corona, com fotos de Beethoven Delano/Cineamazônia.
Rio Guaporé: uma joia do turismo rondoniense

O Rondôniavip embarcou em uma grande aventura com a equipe do Cineamazônia Itinerante, que percorreu 14 cidades, durante 15 dias de viagem pelos Rios Mamoré e Guaporé, entre Guajará-Mirim e Pimenteiras. A viagem começou no dia 29 de agosto e terminou em 12 de setembro e percorreu 1.250 quilômetros na fronteira natural entre Brasil e Bolívia.

No primeiro trecho da saga ficou a expectativa para chegar logo a San Lorenzo (Bolívia) e Surpresa, distrito pertencente a Guajará-Mirim. Logo após a cidadezinha, vem o belo encontro das águas entre os Rios Mamoré e Guaporé.

Logo após esse ponto, aportamos na vila quilombola Forte Príncipe da Beira, que abriga a construção história terminada em 1776 pelos portugueses e utilizada para defender o território contra a tentativa do domínio espanhol. Hoje, o lugar recebe visitantes de várias partes do estado, interessados em conhecer um pouco da história rondoniense. Alguns grupos de escolas também fazem excursões até o forte para conhecê-lo e respirar cultura.

CLIQUE AQUI E VEJA TODAS AS FOTOS DESTA REPORTAGEM
http://jornalrondoniavip.com.br/noticia/geral/rio-guapore-uma-joia-do-turismo-rondoniense/guajara-mirim/


Pouquinho adiante, seguindo pelo rio e separadas por apenas 30 quilômetros, vem uma das principais cidades do Rio Guaporé: Costa Marques, com mais de 15 mil habitantes. Ela é o ponto principal de partida ou chegada para quem quer fazer uma das principais atividades da região, a pesca esportiva, cuja alta temporada acontece entre os meses de junho a novembro, que também é o período o verão amazônico. “Normalmente, vem gente de todo o Brasil, especialmente, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Goiás e Brasília. Raramente tem grupos organizados de Rondônia viajam conosco, mas semana passada, ficamos 10 dias no rio com uma turma de Guajará-Mirim. Eles viajam despreocupados conosco e percorremos o trecho entre Guajará e Costa Marques”, afirmou João Torres, comandante de um barco que navega há vários anos pelas águas dos Rios Mamoré e Guaporé.

Ele explica ao Rondôniavip que existem verdadeiros “consórcios” organizados voltados para pesca esportiva em todo o país, que planejam a vinda durante um ano e sempre estão no Rio Guaporé. “Por exemplo, tem um grupo chamado Pesca dos Forgados, que é uns 30 homens de Goiás e Minas. Eles contam com três coordenadores que fazem o levantamento da despesa da viagem. A média do gasto por pessoa, com alimentação e bebida, ficou em 1.500 reais. A pessoa pode optar em pagar em uma parcela só ou dividir em cinco de 300 reais. Fica bacana e o cara só se preocupa com a vara de pescar e a passagem de avião até Porto Velho ou Ji-Paraná. Daí, eles vêm de táxi ou ônibus até Costa Marques e embarcam com a gente. Está tudo incluso nesse valor. Eles só precisam se mexer se a cerveja acabar”, disse Torres, aos risos.

Nessa época, o nível do Guaporé está muito baixo. Ainda há a fumaça provocada pelas queimadas, comum nas fazendas de criação de gado que estão na região do vale. Não foi raro o barco Canuto, que transportou o Cineamazônia Itinerante e o Rondôniavip, encalhar. Em outras duas oportunidades, por segurança, a embarcação não navegou a noite, por conta da falta de visibilidade do curso d’água, que também têm muitos bancos de areias e pedrais.


Belezas e dificuldades

Definitivamente, um dos pores-do-sol mais lindos de Rondônia está no Rio Guaporé. A lua cheia também fica incrível junto com o céu super estrelado nesta época de pouquíssimas nuvens no céu. Mas, tanta beleza tem o seu preço: em várias vilas, os atores principais não são as populações, e sim, as mutucas e piuns, bichinhos minúsculos, cuja picada é doída e coça bastante, criando pequenos hematomas vermelhos ou rosados.

Muitas vezes, nem um bom repelente dá conta de parar a sanha “picadora” desses pequenos vampiros, que nos colocam a fazer uma verdadeira coreografia com as mãos e pés. Um dos piores locais é no entorno do Forte Príncipe da Beira. À noite, nossa permanência só foi possível após o Exército jogar ao vento óleo diesel com uma máquina de fumacê, que espantou as nuvens com milhões de bichinhos.

Quem percorre estas paragens, até se acostuma com esses “pequenos” incômodos. “Tem gente que vem todos os anos ou pra quem pode a gente já avisa: pra ficar sossegado, só usando calça, camisa de mangas longas e botas. O repelente vai nas poucas partes que vão descobertas. Muitas vezes não funciona, pois até na beira dos olhos, os piuns picam. Mas, acho que paisagem compensa, pois muita gente reclama no começo. Depois que saem daqui, só falam bem”, disse Ivanildo Ferreira, um piloto de voadeira que nasceu praticamente dentro do Rio Guaporé.

Acesso e acomodações

O acesso é difícil para as pequenas comunidades, como o Quilombo de Santo Antônio, aonde só se chega com rabeta (canoa de madeira com motor de 5Hp), barco ou voadeira. Já o Quilombo de Pedras Negras, além de contar com uma confortável pousada com 10 quartos, ainda tem a facilidade de uma pista de pouso, disponível para quem tem condições de alugar um avião, fora o belo rio.

Com isso, as opções mais fáceis para chegada, partida e acomodações ficam em Costa Marques, Porto Rolim, Pimenteiras ou Cabixi. A primeira conta com linhas regulares de ônibus intermunicipais, táxis-lotação (que partem de Cacoal ou Ji-Paraná) e a BR-429. As outras três, têm estradas de acesso em boas condições de tráfego.

Para facilitar a vida de alguns, ainda há barcos, chalanas ou iates, como um que encontramos em pleno feriado de Sete de Setembro, com toda a estrutura para a comodidade dos hóspedes: salão climatizado para refeições, camarotes com ar-condicionado, banheiros, churrasqueira e várias voadeiras para aqueles que querem pescar em locais mais sossegados.

Costa Marques tem opções de pousadas e hotéis, junto com Porto Rolim, que conta com uma pista para pouso de aviões de pequeno porte. Pimenteiras também tem algumas opções de pousadas, mas simples, sem muito luxo. “Em Porto Rolim soube de uma pousada que a Ana Maria Braga vai lá todos os anos pescar. Ela vai de avião e aterrissa lá mesmo. Passa três, quatro dias só na tranquilidade, desligada do mundo”, afirmou Reinaldo Miranda, outro piloto de voadeira que também transporta pescadores e turistas pelo Guaporé.

Falando em se desconectar do mundo, se você é viciado em internet e redes sociais, prepare-se: na maioria das pequenas comunidades não há nenhuma possibilidade de ligação com a rede mundial de computadores ou até mesmo, sinal de telefone fixo ou celular. Isso só é possível em alguns municípios, como Costa Marques, Porto Rolim, Pimenteiras e Cabixi, por exemplo.

Apoio

Para alguns, falta mais divulgação e apoio de poderes públicos e até da iniciativa privada, que não investe mais em acomodações mais preparadas. “Raramente ouço alguém dizer que viu alguma matéria ou propaganda na televisão, jornal ou internet. Sempre é alguém que veio, gostou e comentou com os amigos e a família. Todos os anos, uma ou outra produtora de São Paulo entra em contato comigo para fazer filmagens da natureza. Não sei como conseguem meu telefone, mas me ligam. Também é difícil alguém que trabalha em algum governo ou prefeitura chegar com a gente e perguntar se a gente precisa de algum apoio ou ajuda. Quem está nisso é porque gosta muito e tem condições de continuar. Se você quiser entrar, tem que ter força de vontade e algum dinheiro, pois as distâncias encarecem muito os preços dos produtos”, destacou João Torres.

O Rondôniavip comprovou isso na prática. Uma caixinha com 12 latas de cerveja, de uma marca mais popular, que em Porto Velho pode custar 25 reais, em uma das comunidades ao longo do Rio Guaporé não sai por menos de 50 reais. Isso tudo por conta das dificuldades e opções de transporte. “Uma vez por mês, pego meu barco e vou até Costa Marques fazer compras. São quatro horas de voadeira e compro tudo que sai bastante: cerveja, refrigerante, açúcar, óleo, feijão, arroz e outras coisinhas. Gasto muito, então, tenho que repassar o preço. Se tivesse barcos que subissem e descessem o rio sempre, ficava mais fácil e barato pra todo mundo”, apontou Edivaldo Figueira, dono de um pequeno mercadinho próximo no Quilombo de Pedras Negras.

Mesmo com essas dificuldades, seja uma viagem mais curta ou longa, para passeio ou pesca esportiva, a viagem pelo Guaporé sempre vale a pena. Seja pelo pôr-do-sol ou pela noite enluarada e estrelada. Falta somente os próprios rondonienses descobrirem esse tesouro que está bem no quintal de casa, pois paulistas, mineiros, goianos, paranaenses e brasilienses gostam muito e voltam sempre.

FONTE RONDONIAVIP

« 1 (2) 3 4 5 ... 6678 »