Mais Notícias - Lava Jato ataca manobra para ferir de morte a operação - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 2924 »
Mais Notícias : Lava Jato ataca manobra para ferir de morte a operação
Enviado por alexandre em 23/05/2017 08:33:06

Lava Jato ataca manobra para ferir de morte a operação

Postado por Magno Martins

Investigadores falam em 'apodrecimento do sistema político-partidário' e criticam 'manobras para ferir de morte' a operação

Veja Online - João Pedroso de Campos

No dia em que denunciaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso da reforma no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato se disseram “estarrecidos” com as revelações das delações premiadas da JBS, que colocaram o governo do presidente Michel Temer (PMDB) em uma crise sem precedentes.

“A denúncia é mais um efeito da corrupção espraiada em todo o espectro do sistema político. Os últimos acontecimentos, aliás, levam a Força Tarefa da Lava Jato a manifestar seu estarrecimento diante da gravidade dos crimes que se tornaram públicos”, afirmam os procuradores, por meio de nota.

A equipe coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol fala em “evidências de crimes” praticados por Temer, pelo senador afastado Aécio Neves (MG) e “mais de mil e oitocentos políticos”, além de criticar “manobras para ferir de morte a Lava Jato”.

Os procuradores atacam, sem citá-lo, o empenho de Aécio na aprovação da lei que prevê punição a abuso de autoridade por membros do Judiciário e do Ministério Público Federal, assunto de uma conversa gravada entre o tucano e o empresário Joesley Batista, na qual o senador chama de “merda” as dez medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público Federal.

“Depois de três anos do início das investigações, vê-se que líderes políticos continuam a tramar no escuro a sua anistia, a colocação de amarras nas investigações e a cooptação de agentes públicos, ao mesmo tempo em que ficam livres para desviar o dinheiro dos brasileiros em tempos de crise, utilizando como escudo sua imunidade contra prisão e o foro privilegiado”, diz a força-tarefa da Lava Jato.

Mais Notícias : Temer mobiliza aliados para se sustentar no cargo
Enviado por alexandre em 23/05/2017 08:32:06

Temer mobiliza aliados para se sustentar no cargo


Com o acordo tácito de que terá o suporte do PSDB e do DEM até, ao menos, o desfecho de seu julgamento do TSE, em junho, o presidente Michel Temer trabalha agora para conter a construção de uma alternativa viável para substituí-lo no Planalto. A insegurança sobre o que viria com uma possível queda favorece sua permanência no posto. O governo jura ter o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), citado pela base aliada e partidos como o PT como uma opção.

Caberia a Rodrigo Maia conduzir o processo de uma eleição indireta. Nesse cenário, aliados do deputado reconhecem que ele teria dois fatores a seu favor: já estaria no comando do país e ainda poderia negociar a cadeira de presidente da Câmara para angariar apoio.

O deputado é tratado como aliado de primeira hora pela equipe do presidente. Um frequentador dos jantares na residência oficial da Câmara ressalta, porém, que o governo não tira o olho dele: sempre envia um ministro para acompanhar as conversas. (Painel - Folha de S.Paulo)

Mais Notícias : Lula estimula aliados a debater eleições diretas
Enviado por alexandre em 23/05/2017 08:31:23

Lula estimula aliados a debater eleições diretas



Na série de reuniões que comandou em seu instituto nesta segunda (22), Lula estimulou o PT a ampliar o debate sobre eleições diretas. Há a constatação de que, se a proposta for vista como uma bandeira da sigla, ela não vai prosperar.

O ex-presidente disse que, sem gente nas ruas, será difícil fazer o debate sobre novas eleições presidenciais avançar. Ainda indicou que o PT não deve estimular uma solução pela eleição indireta, via preferida por siglas como o PSDB.

Em privado, tucanos admitem que a melhor saída para a crise seria a cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE. Dizem que, dessa maneira, o presidente sairia por um “caminho constitucional”, abrindo espaço para “uma transição ajuizada”, garantindo “o andamento das reformas”. (Painel - Folha de S.Paulo)

Mais Notícias : A entrevista do presidente
Enviado por alexandre em 23/05/2017 08:30:40

A entrevista do presidente

Postado por Magno Martins

Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo

Investigado por suspeita de corrupção, organização criminosa e obstrução à Justiça, Michel Temer quer convencer os brasileiros de que é vítima de uma conspiração motivada por "interesses subterrâneos". Ele repetiu a cantilena na entrevista publicada nesta segunda pela Folha.

O presidente disse coisas que fariam corar a Velhinha de Taubaté, a personagem do escritor Luis Fernando Verissimo que acreditava em todas as lorotas dos políticos.

Temer alegou ter recebido Joesley Batista à noite, sem registro na agenda oficial, para discutir os efeitos da Carne Fraca. Isso só seria possível se o empresário fosse dublê de vidente. O encontro do Jaburu aconteceu dez dias antes da operação da PF.

O presidente disse que "nem sabia" que Joesley era alvo de investigações. Na data da conversa, nenhum leitor de jornais poderia ignorar que o empresário era suspeito de provocar desfalques em fundos de pensão, no FI-FGTS e no BNDES.

Temer foi questionado sobre Rodrigo Rocha Loures, que foi filmado correndo na rua com uma mala de dinheiro. Respondeu que o deputado é uma pessoa de "muito boa índole".

Apesar de contestar a integridade do áudio, o presidente confirmou os principais trechos da gravação. "Não é prevaricação se o sr. ouve um empresário na sua casa relatando crimes?", indagaram os repórteres. "Você sabe que não?", devolveu.

Diante de tantas negativas, o jornal perguntou a Temer qual seria, afinal, a sua culpa no episódio. "Ingenuidade. Fui ingênuo", respondeu.

A Velhinha de Taubaté ficou famosa como a última brasileira que confiava no governo. Morreu em 2005, quando assistia ao noticiário do mensalão. Na época, Temer exercia o quinto mandato de deputado.

Mais Notícias : Temer evita aliados discutindo nomes para seu lugar
Enviado por alexandre em 23/05/2017 08:29:56

Temer evita aliados discutindo nomes para seu lugar

Postado por Magno Martins

Helena Chagas - Blog Os Divergentes

Não se derruba um presidente da República sem que as forças políticas tenham se acertado antes em torno de quem vai ficar em seu lugar – quem e para fazer o quê. É justamente essa articulação, que os políticos da base governistas começam a fazer pelos cantos, mas de forma ainda incipiente, que o presidente Michel Temer quer evitar. Sabe que, quando houver um consenso mínimo em torno de um nome para ser eleito indiretamente pelo Congresso, está perdido.

A sorte de Michel, por enquanto, é que isso ainda não aconteceu. Mas até quando? O Planalto melou, por exemplo, a reunião que estava marcada para este domingo à tarde entre as cúpulas do PSDB, comandado agora por Tasso Jereissati, e do DEM, por José Agripino. Constrangeu os dois convidando-os para o encontro à noite no Alvorada. Da mesma forma, tentou carimbar como aliados outros parlamentares da base que, em outras reuniões para discutir o futuro com seus pares, poderiam passar como conspiradores.

A estratégia de Michel é segurar a possível debandada até quarta-feira, dia em que o STF julgará seu pedido de suspensão do inquérito recém-aberto no STF. Até lá, haverá pressão máxima também sobre os ministros para reunir os seis votos necessários para isso. E até lá os tucanos, os democratas e outros aliados vão manter a compostura e evitar vazamentos públicos da discussão de nomes.

Apesar dos cuidados redobrados dos aliados para não ferir Temer, é evidente que a discussão corre solta nos bastidores, e os personagens mais citados têm sido Carmem Lucia, Rodrigo Maia, Tasso Jereissati, Henrique Meirelles e Nelson Jobim, cada um com seus prós e contras.

Como quem vai votar são os parlamentares, muita gente acha que a presidente do STF tem pouca chance. Nessa linha, cresce Rodrigo Maia, mas ele pode ser abatido por estar sendo investigado na Lava Jato. Tasso tem o respeito geral, mas como tucano pode não unir o PMDB, cuja perda será grande. Meirelles é o sonho de consumo das forças que querem sinalizar a manutenção da agenda econômica. Mas até pouco tempo atrás trabalhava no grupo J&F. Resta o peemedebista e ex-integrante das cúpulas dos três poderes Nélson Jobim. Ele pode ser o cara.

« 1 (2) 3 4 5 ... 2924 »