Mais Notícias - Adotou sobrenome Bolsonaro; cria o disca corrupção. - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 3696 »
Mais Notícias : Adotou sobrenome Bolsonaro; cria o disca corrupção.
Enviado por alexandre em 11/02/2019 09:44:27

Adotou sobrenome Bolsonaro; cria o disca corrupção.

O deputado federal Helio Lopes, que adotou o nome de Helio Bolsonaro (PSL-RJ), quer criar um disque corrupção.

“Seria uma linha direta onde a população poderá ligar e denunciar de forma anônima todo e qualquer tipo de corrupção”, diz ele.

Esse foi seu primeiro projeto de lei. Lopes sugere que seja adotado o número 171.  (Mônica Bergamo – FSP)




Racha: as centrais e a luta contra a reforma da Previdência

A luta contra a reforma da Previdência tem causado apreensão entre dirigentes sindicais.

Há um temor de que as principais centrais do país se dividam entre as que representam servidores públicos e as que reúnem empregados do setor privado.

A divergência de interesses, avaliam os sindicalistas, pode rachar e enfraquecer o movimento contra as mudanças na aposentadoria.

As centrais convocaram um ato unificado para o dia 20. Parte dos dirigentes já conta com possibilidade de divisão neste primeiro grande encontro. (FSP)



Petistas nas ruas: oposição ao governo e liberdade a Lula

O PT vai retomar caravanas pelo país para tentar dar força à oposição ao governo Jair Bolsonaro e ampliar a campanha pela liberdade do ex-presidente Lula. O debate da reforma da Previdência é prioridade. As viagens serão conduzidas por Fernando Haddad, que desembarca no Ceará no fim de semana.

Dirigentes petistas dizem que o partido precisa voltar a mobilizar o país. Para isso, é necessário retomar as conversas não só com sua base, mas também com os 47 milhões de eleitores que votaram em Haddad no segundo turno da disputa presidencial.

O formato das caravanas de Haddad será diferente do das conduzidas por Lula em 2017. A ideia é que, além de comandar atos públicos, o ex-prefeito de São Paulo participe de eventos fechados e dê entrevistas para a imprensa local. (Painel – Folha)


Mais Notícias : O pior é que Moro acredita que vai dar certo, diz Reale Jr.
Enviado por alexandre em 08/02/2019 09:08:02

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

O encontro do ministro Sergio Moro, da Justiça,  com advogados do Iasp (Instituto dos Advogados de SP), na quinta (7), foi amistoso. A defesa que ele fez de seu projeto anticrime, porém, não convenceu a todos: as propostas sofreram duras críticas de conselheiros da entidade.

“Ele só pensou na profilaxia: antecipar a ida das pessoas para a prisão e retardar a saída. Isso não vai resolver absolutamente nada”, diz Miguel Reale Jr., professor de direito penal, autor do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e conselheiro do Iasp.

Reale Jr., que dividiu a mesa com Moro diz que afirmou ao ministro da Justiça que a impunidade não está na lei nem no sistema judiciário.

Ele acha que, por isso, o endurecimento de penas não intimidará os criminosos. Reale Jr. define o projeto de Moro como “ilusão penal”. “O pior é que ele [Moro] acredita que vai dar certo.”



Mourão recebe CUT e dá motivo para novas críticas

“Vamos aguardar o que é esta questão da pneumonia"

Persona non grata da ala olavista dos seguidores de Jair Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão teve um encontro nesta quinta-feira, 7, que deve servir de munição para novas críticas. Mourão esteve reunido com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Wagner Freitas, e com outros sindicalistas em seu gabinete para assegurar que a reforma da Previdência “não vai retirar direito adquirido de ninguém”.

“Conversei com eles para desmistificar um pouco a questão da Previdência, de que quem tem direito não vai perder esse direito”, afirmou Mourão Questionado se não era “incomum” receber adversários tão ferrenhos do presidente Bolsonaro, Mourão disse que assim é a democracia.

 “Vamos aguardar o que é esta questão da pneumonia. O dado que temos aí ainda é incipiente e é normal de acontecer quando a pessoa fica muito tempo deitada. Ambiente de hospital tem esses problemas. Vamos aguardar”, afirmou Mourão, ao explicar que não falou com o presidente Bolsonaro porque “ele não está falando”. 

 

(Estadão – BR 18)



Cid discorda do irmão: não quer briga com petistas

O senador Cid Gomes (PDT-CE) fechou a semana no Congresso atuando na direção oposta à do irmão.

Ciro, atirou nesta quinta (7), bradou em uma reunião da UNE que está solto enquanto Lula permanece preso.

Um dia antes, Cid falou com petistas, em Brasília, no sentido de uma reaproximação.  (Painel)

Mais Notícias : Lula: liberdade remota
Enviado por alexandre em 07/02/2019 09:24:51

A condenação de Lula reforçou a certeza de que dificilmente o ex-presidente será libertado nos próximos anos. A esperança agora recai sobre a possibilidade de uma prisão domiciliar. 

A possibilidade de que Lula seja transferido para o sistema prisional do Paraná depois da segunda condenação criminal assustou pessoas ligadas ao petista. 

Advogados dele, no entanto, duvidam que a transferência possa ocorrer já que o ex-presidente ainda não foi sentenciado definitivamente em nenhum processo. 

Lembram ainda que outros ex-mandatários brasileiros jamais foram colocados em prisões comuns.  (Mônica Bergamo – FSP)



Governadores com Moro, lamentos e pedidos de recursos

O ministro da Justiça lançou o pacote anticrime na segunda

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

A reunião entre o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, e os governadores na segunda-feira (4), para a apresentação de seu projeto anticrime, virou em determinado momento uma sessão de lamentos e reclamações por mais recursos.

Enquanto o ministro vendia seu peixe, pelo menos cinco dos governadores presentes, segundo relatos, pediam que Moro ajudasse a viabilizar a liberação de recursos do fundo penitenciário, destinado aos presídios, e do fundo de segurança.

O raciocínio de alguns governadores é o de que não adianta endurecer o cumprimento de penas se não há recursos para construir ou ampliar presídios, hoje superlotados.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM-GO), propôs que seja criado um acordo de cooperação para facilitar o envio direto de reforço policial aos estados que enfrentam situações como a do Ceará, com ataques recentes de organizações criminosas.



Segunda condenação de Lula surpreendeu seus aliados

Apesar de esperada, a segunda condenação do ex-presidente Lula chegou mais cedo do que os petistas imaginavam.

defesa avalia duas possibilidades de recurso: embargos de declaração ou apelação direto ao TRF-4.

Aliados do ex-presidente dizem que a sentença deixa claro que a juíza Gabriela Hardt correu para poder assinar a nova condenação.

Além de, com base no nome e no apelido, tratar Leo Pinheiro como duas pessoas diferentes, ela comete erros de digitação. Escreveu, por exemplo, “inverosímel” (sic).  (Folha)

Mais Notícias : Ministro do Turismo demitido por Bolsonaro
Enviado por alexandre em 06/02/2019 09:27:49

Ministro do Turismo demitido por Bolsonaro

Esquema com desvio de verba com candidatos laranjas nas últimas eleições

Depois de ser acusado de liderar um esquema de corrupção com candidaturas laranjas em Minas Gerais e ser diretamente pressionado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, Marcelo Álvaro Antônio foi exonerado da chefia do ministério do Turismo. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União na madrugada desta quarta-feira (6). Ele toma agora posse como deputado federal na Câmara (não havia feito isso até então).

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo relembra o caso: "após indicação do PSL de Minas Gerais, presidido à época por Álvaro Antônio, o comando nacional do partido do presidente Jair Bolsonaro repassou R$ 279 mil a quatro candidatas. O valor representa o percentual mínimo exigido pela Justiça Eleitoral (30%) para destinação do fundo eleitoral a candidatas mulheres.

Dos R$ 279 mil repassados, ao menos R$ 85 mil foram parar oficialmente na conta de quatro empresas que são de assessores, parentes ou sócios de assessores de Álvaro Antônio."

E acrescenta: "apesar de figurar entre os 20 candidatos do PSL no país que mais receberam dinheiro público, essas quatro mulheres tiveram desempenho insignificante. Juntas, receberam pouco mais de 2.000 votos, em um indicativo de candidaturas de fachada, em que há simulação de alguns atos reais de campanha, mas não empenho efetivo na busca de votos."  (BR 247)



Novo presidente do Senado quer derrubar o poder do MDB na casa

Davi Alcolumbre (DEM-AP) pediu um estudo dos cargos comissionados do Senado.

Sob o argumento de enxugar a estrutura, começará a reduzir o poder do MDB, uma espécie de máquina de fazer nomeações, na Casa.

O Senado tem quase 3.000 cargos comissionados, mas Alcolumbre, o presidente, só tem controle direto sobre cerca de 200 deles, diz um técnico.

Renan Calheiros (MDB-AL) terá as duas denúncias apresentadas pela PGR contra ele por corrupção passiva e lavagem de dinheiro analisadas pela Segunda Turma do STF. Caberá ao colegiado decidir se coloca o emedebista no banco dos réus.   (Coluna do Estadão)

Mais Notícias : Senado pode investigar Renan por ataque sexista
Enviado por alexandre em 05/02/2019 10:37:07

Senado pode investigar Renan por ataque sexista

Alagoano usou Twitter para disparar contra correligionária Simone Tebet e a jornalista

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

O novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou a colegas que o corregedor geral do Senado, Roberto Rocha (PSDB-MA), está “à disposição” para tomar providências contra Renan Calheiros (MDB-AL) por causa de agressões sexistas dirigidas por ele a uma jornalista e à família da senadora Simone Tebet (MDB-MS).

Elas foram feitas no domingo (3), por meio do Twitter, um dia depois de Calheiros perder a eleição para a presidência do Senado. Com a violenta reação dos internautas, o senador apagou o post.

 A corregedoria só pode atuar caso algum senador faça uma denúncia contra Calheiros, o que não havia ocorrido até a segunda (4).

“Foi a maior hecatombe de todo o processo [eleitoral]”, diz o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), corregedor da Casa. “Nunca vi nada igual. É tão grave que merece ser examinado.”

Simone Tebet preferiu não responder aos ataques. A jornalista Dora Kramer, também atingida, postou nas redes sociais: “Agradeço as manifestações, mas não vou responder. O que ele [Calheiros] diz fala por ele”.


Bancada da bala reage: policiais sem debater nova Previdência

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

Num aperitivo das resistências à reforma da Previdência que podem brotar na base do governo, o presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Capitão Augusto (PR-SP), avisa que vai pedir audiência com o ministro Paulo Guedes (Economia). Ele diz que os 21 policiais e bombeiros eleitos para a Câmara se sentiram alijados das tratativas e não gostaram do que vem sendo aventado, como a inserção de suas categorias nas normas que vão passar a reger as Forças Armadas.

Capitão Augusto lembra que seu grupo vota sempre fechado e diz que policiais militares e bombeiros têm carreiras muito diferentes das de integrantes das Forças. Segundo ele, ninguém “deu procuração” para que negociassem por eles.

Os policiais e bombeiros não querem regra de transição e defendem que o aumento da contribuição por tempo de serviço de 30 para 35 anos só valha para quem ingressar nas corporações após a reforma.

« 1 (2) 3 4 5 ... 3696 »