Mais Notícias - Odebrecht teme que morte de Zavascki atrase delação - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 2781 »
Mais Notícias : Odebrecht teme que morte de Zavascki atrase delação
Enviado por alexandre em 20/01/2017 09:32:57

Odebrecht teme que morte de Zavascki atrase delação
Postado por Magno Martins

Folha de S.Paulo – Bela Megale e Wálter Nunes

A morte do ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), causou grande preocupação entre executivos e advogados da Odebrecht. Além do atraso na homologação dos acordos de delação premiada e leniência (delação da pessoa jurídica), que seria feita por Zavascki, relator da Java Jato, a empresa está apreensiva, por exemplo, com a possibilidade de um ministro nomeado pelo presidente Michel Temer ser o novo relator. Assim que souberam do acidente que vitimou Teori, dirigentes da empreiteira passaram a pesquisar a jurisprudência em torno da sucessão de uma relatoria como essa.

Como aliados do governo Temer, incluindo o próprio presidente, são citados na delação, a Odebrecht teme que um relator nomeado pelo peemedebista possa intervir a favor do governo, chegando até a vetar a homologação. Só na delação de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, o nome de Temer aparece 43 vezes.

Caso a homologação não aconteça, o acordo passa a não ter validade.

Em dezembro, a Odebrecht assinou acordos com a Procuradoria-Geral da República e a força-tarefa da Lava Jato Curitiba em que apresentou cerca de 900 fatos criminosos envolvendo nomes como o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, o secretário de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco (PMDB-RJ), os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, tucanos como Geraldo Alckmin, José Serra e Aécio Neves, e parlamentares, entre eles Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR).

A morte de Zavascki já afetou o andamento das negociações da Odebrecht, iniciadas em março de 2016.

Após a confirmação do acidente de avião, a PGR entrou em contato com a empreiteira e suspendeu as audiências de homologação com os 77 delatores que começariam na sexta-feira (20) e se estenderiam por uma semana.

Nessas audiências, os executivos confirmariam a um juiz auxiliar de Zavascki que fizeram colaborações por livre e espontânea vontade.

Essas reuniões seriam o último passo antes da homologação, que estava prevista para fevereiro. Havia a expectativa de que, neste período, Zavascki tornaria público o conteúdo delatado pela empreiteira.

Outra consequência da morte do ministro é o atraso do início do cumprimento de penas dos executivos da Odebrecht acertadas nos acordos de delação, que passam a vigorar depois da homologação feita pelo STF.

Herdeiro e ex-presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, vai cumprir dez anos, sendo dois e meio em regime fechado – como está preso desde 2015, ele deve sair da cadeia dezembro.

A frente investigativa também perderá celeridade, pois é somente após a validação do acordo pelo juiz relator do caso que os investigadores poderão usar os depoimentos da Odebrecht para pedir a abertura de um inquérito contra os citados.

Mais Notícias : Temer pensou, ou pensa nele para o lugar de Teori?
Enviado por alexandre em 20/01/2017 09:32:11

Temer pensou, ou pensa nele para o lugar de Teori?
Postado por Magno Martins

Quando Temer decidiu tornar Alexandre de Moraes chefe da Advocacia-Geral da União — antes de nomeá-lo seu ministro da Justiça –, lembrou a alguns aliados que a carreira era uma espécie de caminho natural para uma vaga no Supremo. A informação é de Natuza Nery, na sua coluna Painel da Folha de S.Paulo desta sexta-feira. E detalhou mais a colunista:

Ministros da Esplanada defendem sua indicação. Auxiliares do presidente dizem, no entanto, que o turbilhão político em que se meteu, principalmente com a crise dos presídios, dificulta sua escolha.

Caso prevaleça o entendimento de que o ministro indicado por Temer herdará a relatoria da Lava Jato, há no governo quem defenda que o Senado realize uma sessão extraordinária para sabatiná-lo no recesso.

Assim que começaram as especulações sobre a sucessão, passou a circular em grupos de WhatsApp de advogados da Lava Jato a decisão de 2009 em que Gilmar Mendes, então presidente do STF, redistribuiu os casos relatados por Menezes Direito, morto naquele ano.

Parte desses defensores aposta que a previsão de urgência para réus presos será usada pela ministra Cármen Lúcia, presidente da corte, para adotar agilidade na redistribuição de todas as ações da Lava Jato.

Na avaliação de advogados que atuam na operação, o atraso no processo deve estimular vazamentos das delações, prestes a se tornarem públicas.

O Planalto trabalha com a perspectiva de que, com o cancelamento das audiências previstas para a próxima semana, a homologação dos acordos de colaboração da Odebrecht já não ocorra em fevereiro.

Mais Notícias : Sociedade exige investigação
Enviado por alexandre em 20/01/2017 09:31:20

Sociedade exige investigação

Desconfiada com o mundo dos escândalos e das espertezas reinante no País, a sociedade brasileira está atônita com o desastre aéreo que tirou a vida do relator da Lala Jato, ministro Teori Zavascki. E exige apuração rigorosa sobre as causas da queda do avião. Felizmente, o Ministério Público Federal de Angra dos Reis abriu, ontem mesmo, inquérito para investigar. A investigação foi aberta pela procuradora da República Cristina Nascimento de Melo, que terá uma enorme responsabilidade pela frente.

A Polícia Federal também vai trabalhar, paralelamente, em cima do caso. O inquérito está sob a responsabilidade do delegado chefe da PF em Angra, Adriano Antonio Soares. O policial aguardava, ainda ontem, a chegada em Angra de um grupo da PF de Brasília, especializado em acidentes aéreos.

Um suporte da polícia marítima também será recebido, a partir de hoje. As condições meteorológicas atrapalharam a navegação no local do acidente. O presidente da Transparência Internacional, José Carlos Ugaz, postou no Twitter que a entidade demanda "imediata investigação" do acidente que matou Zavascki. Em um post no Facebook, o delegado da Polícia Federal Márcio Anselmo também comentou a morte do ministro. Anselmo atua na força-tarefa da PF, que investiga os crimes descobertos na Lava Jato.

No texto, ele citou a iminência da homologação das delações dos executivos da Odebrecht. "Sem palavras para expressar o que estou sentindo. O ministro Teori lavou a alma do STF à frente da LJ, surpreendeu a todos pelo extremo zelo com que suportou todo esse período conturbado. Agora, na véspera da homologação da colaboração premiada da Odebrecht, esse "acidente" deve ser investigado a fundo. Sinceramente, se essa notícia se confirmar, e o prenúncio do fim de uma era!", disse.

Logo após a postagem viralizar nas redes sociais, o delegado modificou o texto e deixou publicada apenas a primeira frase. Ele não explicou o motivo para ter alterado a versão. Embora o poder Judiciário estivesse em recesso, o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki vinha despachando normalmente desde o início deste mês e estava prestes a homologar as delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato.

APREENSÃO– Donald Trump vai assumir a Presidência dos Estados Unidos, hoje, com uma taxa de aprovação de apenas 40%, a menor entre os presidentes recentes e 44 pontos percentuais abaixo de Barack Obama, segundo pesquisa feita pela CNN/ORC. Após um período de transição tumultuado, o índice de aprovação de Trump ficou mais de 20 pontos abaixo do que os de seus três predecessores mais recentes. Obama tomou posse em 2009 com 84% de aprovação, 67% aprovavam Bill Clinton no fim de dezembro de 1992 e 61% aprovavam a transição de George W. Bush logo antes de ele tomar posse, em janeiro de 2001. Segundo a pesquisa, 53% dos americanos disseram que os comunicados e as ações de Trump desde o dia da eleição os deixaram menos confiantes em sua habilidade de conduzir a presidência.

Amigos não duram para sempre– Os passarinhos que cantam ao redor das árvores que sombreiam a Assembleia Legislativa andam entoando uma nova sonoridade. Traduzida para o bom português, revela que foi para as cucuias a dobradinha entre o presidente da Casa, Guilherme Uchoa (PDT), com o deputado federal Marinaldo Rosendo (PSB). O canto tem ainda a interpretação de que Uchoa pode até não apoiar João Campos, herdeiro político de Eduardo Campos, que disputará um mandato federal, mas lançar o seu filho Júnior Uchoa.

Perplexidade– O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, em primeira instância, disse que fiou perplexo com a morte do ministro Teori Zavascki. "Tive notícias do falecimento do ministro Teori Zavascki em acidente aéreo. Estou perplexo. Minhas condolências à família. O Ministro Teori Zavascki foi um grande magistrado e um herói brasileiro, exemplo para todos os juízes, promotores e advogados deste país. Sem ele, não teria havido Operação Lava Jato. Espero que seu legado de serenidade, seriedade e firmeza na aplicação da lei, independentemente dos interesses envolvidos, ainda que poderosos, não seja esquecido", afirmou.

Mundo abalado– A notícia da morte de Teori repercutiu no mundo inteiro. Foi manchete do site do jornal argentino “El Clarín”, que afirmou que "foi um trágico acidente", destacando que Teori “investigava o caso Odebrecht, um escândalo de corrupção na política brasileira”. O espanhol “El País” lembrou a importância do juiz nas investigações da Lava Jato e afirmou que “todos os olhos políticos do país estavam próximos nos passos deste magistrado”. Assim como o “El País”, o jornal francês “Le Figaro” afirmou que o magistrado era um “juiz-chave” nas investigações dos casos de corrupção da Petrobras.

Catando votos - Candidato de oposição à Presidência da Câmara dos Deputados, o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), faz campanha, hoje, no Recife, onde almoça com a bancada federal, mas antes faz uma visita de cortesia ao governador Paulo Câmara. O encontro com os deputados está marcado no restaurante Tapa de Cuadril (Boa Viagem). Entre as propostas defendidas pelo parlamentar se destacam o resgate da força e do protagonismo da Câmara, com ênfase na independência do Poder Legislativo. Para tornar mais democráticas as indicações de relatores das propostas em análise na Câmara, o líder do PTB pretende abrir espaços a todos os deputados por meio de rodízio. A eleição está marcada para o próximo dia 2.

CURTAS

TEMPO – O aeroporto de Paraty tem uma pista de pouso de cerca de 700 metros, onde pousam apenas aeronaves de pequeno porte, como era o caso do King Air. Por se tratar de aeroporto que opera só visualmente, não há carta de aproximação nem boletim de informações meteorológicas --o que significa que, ao decolar do Campo de Marte, em São Paulo, às 13h01, o comandante Osmar Rodrigues não tinha como saber como estaria o tempo em Paraty no momento da aterrissagem.

TESTEMUNHA– "Não fez barulho, não fez nada, só senti um cheiro forte de gasolina. Logo que o avião caiu, já estavam fazendo o resgate, e uma pessoa que estava dentro do avião estava viva pedindo socorro. As pessoas tentaram socorrer, mas não deu tempo de salvar a mocinha que estava dentro desesperada pedindo ajuda". A declaração é de Rosália Ramos Lima, dona de uma pousada na Ilha Rasa, próximo onde ocorreu o acidente.

Perguntar não ofende: Falha técnica, humana ou sabotagem?

Mais Notícias : Hotel de morto em acidente seria local de propina
Enviado por alexandre em 20/01/2017 09:30:38

Hotel de morto em acidente seria local de propina
Postado por Magno Martins



Uma delação do dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, revela que o hotel do amigo do ministro Teori Zavascki - também morto no acidente de avião da quinta-feira (19) - seria usado como ponto de encontro de políticos investigados.

Em depoimento, Pessoa disse ter se reunido com o presidente do Senado, Renan Calheiros, no Hotel Emiliano, do empresário Carlos Alberto Filgueiras. O peemedebista estaria hospedado no local para negociar doação à campanha do filho dele ao governo de Alagoas.

As informações são da coluna Painel, do site do jornal Folha de S. Paulo, desta sexta-feira (20).

O ex-ministro José Dirceu também seria próximo de Filgueiras, e chegou a viajar diversas vezes no avião que caiu no litoral do Rio de Janeiro.

Mais Notícias : Internautas resgatam áudios de Jucá citando Teori
Enviado por alexandre em 20/01/2017 09:29:55

Internautas resgatam áudios de Jucá citando Teori
Postado por Magno Martins

A morte do ministro do Supremo Tribunal Federal e relator da Lava Jato Teori Zavascki, ocorrida nesta quinta-feira (19) após o avião em que ele estava cair no mar de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro, deixou o Brasil agitado.

No Twitter, internautas diziam não acreditar em acidente e levantaram a hipótese de conspiração. Tanto é que uma notícia de maio de 2016 em que Teori é citado foi resgatada na web.

A Folha divulgou em março do ano passado um áudio gravado a partir de uma conversa entre o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. No diálogo, a dupla falava que uma "mudança" no governo federal poderia “estancar a sangria” da Operação Lava Jato, na qual os dois eram investigados. A conversa aconteceu antes do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Relembre na transcrição abaixo o trecho onde Teori é citado na conversa:

JUCÁ - Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem 'ó, só tem condições de (inaudível) sem ela (Dilma). Enquanto ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca'. Entendeu? Então... Estou conversando com os generais, comandantes militares. Está tudo tranquilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não sei o quê, para não perturbar.

MACHADO - Eu acho o seguinte, a saída (para Dilma) é ou licença ou renúncia. A licença é mais suave. O Michel forma um governo de união nacional, faz um grande acordo, protege o Lula, protege todo mundo. Esse país volta à calma, ninguém aguenta mais. Essa cagada desses procuradores de São Paulo ajudou muito. (referência possível ao pedido de prisão de Lula pelo Ministério Público de SP e à condução coercitiva ele para depor no caso da Lava jato)

JUCÁ - Os caras fizeram para poder inviabilizar ele de ir para um ministério. Agora vira obstrução da Justiça, não está deixando o cara, entendeu? Foi um ato violento...

MACHADO -...E burro (...) Tem que ter uma paz, um...

JUCÁ - Eu acho que tem que ter um pacto.

(...)

MACHADO - Um caminho é buscar alguém que tem ligação com o Teori (Zavascki, relator da Lava Jato), mas parece que não tem ninguém.

JUCÁ - Não tem. É um cara fechado, foi ela (Dilma) que botou, um cara... Burocrata da... Ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

« 1 (2) 3 4 5 ... 2781 »