Mais Notícias - Agripino foi sócio de empreiteira da Lava Jato - Notícias
(1) 2 3 4 ... 1842 »
Mais Notícias : Agripino foi sócio de empreiteira da Lava Jato
Enviado por alexandre em 02/03/2015 11:30:19

Agripino foi sócio de empreiteira da Lava Jato

 Na declaração de bens apresentada à Justiça federal em 2002, o senador José Agripino Maia (DEM-RN) era sócio da Empresa Industrial Técnica (EIT). A empreiteira é investigada na Operação Lava Jato. A Petrobras até incluiu a empresa entre as "impedidas de contratar" enquanto procede as investigações.

Agripino só foi candidato nos últimos tempos em 2002 e 2010, já que o mandato de senador dura oito anos e ele não disputou nenhuma eleição no meio do mandato. Da declaração de 2002 constava um vasto patrimônio em imóveis, veículos, aplicações financeiras e participações em empresas, incluindo a referida empreiteira e uma concessionária de pedágios. Em 2010, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele declarou não possuir nenhum bem. Nem veículo próprio, nem apartamento de morada, e nem mesmo saldo bancário.

Poderia ter transferido os bens para o filho, mas a declaração de seu filho, deputado federal Felipe Maia (DEM-RN) ao TSE em 2010, também não mostra nenhum bem, com patrimônio zero. Felipe disputou as eleições de 2014 e seu patrimônio que havia sumido voltou a aparecer, totalizando mais de R$ 15 milhões, saindo da condição de deputado mais pobre em 2010, se considerarmos os bens declarados, para o deputado mais rico do Rio Grande do Norte nas eleições de 2014.

Em 20 de dezembro de 2013, a Polícia Federal iniciou investigação para comprovar se Agripino favoreceu a EIT em obras públicas no Rio Grande do Norte.

A revista Istoé publicou em 2013 uma matéria sobre investigação da Polícia Federal baseado em denúncia de que o senador José Agripino, presidente nacional do DEM, teria utilizado sua influência para fazer o Executivo estadual favorecer a EIT com contratos milionários, e citou as obras do Contorno de Mossoró como uma das fontes de renda pública para a empresa. Porém, essa não é a única obra de mobilidade nas mãos da empresa, que teve Agripino como sócio (segundo a revista). A EIT também é responsável pela construção do acesso do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Rio Grande do Norte, a vencedora do certame licitatório para a construção dos acessos foi a Queiroz Galvão. No entanto, ela desistiu da obra, fazendo com que a segunda colocada na licitação, EIT, assumisse a responsabilidade da entrega, mesmo com o fato de o contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal ter sido assinado no dia 1º de abril, quando já não havia mais os 24 meses necessários para a execução da obra. Restavam apenas 11 meses.

Segundo o DER, nessa situação, a segunda colocada de pronto aceitou a proposta. A ordem de serviço foi assinada em 6 de abril, mas a obra só começou de fato em agosto. Até novembro, haviam sido executados o desmatamento e a terraplanagem da área. Ainda deve ter início a construção da base e do asfalto dos acessos.

O “tráfico de influência”, praticado pelo presidente nacional do partido, é mais um item para uma série de suspeitas de irregularidades eleitorais que teriam a governadora Rosalba Ciarlini como personagem. Além desta, a própria IstoÉ mostra o “desengavetamento” de uma investigação sobre caixa 2 na campanha eleitoral de 2006. Isso, sem contar com a recente condenação de Rosalba por usar a máquina pública estadual para favorecer a candidatura da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina. (Helena Sthephanowitz - Rede Brasil Atual)

Leia aqui nowww.redebrasilatual.com.bra matéria na íntegra.

Mais Notícias : Uruguai: Dilma em supermercado compra leite
Enviado por alexandre em 02/03/2015 11:29:06

Uruguai: Dilma em supermercado compra leite

A presidente Dilma Rousseff aproveitou sua visita ao Uruguai, onde presenciou a posse do novo presidente, Tabare Vazquez, para fazer compras num supermercado local em Montevidéu. Na tarde do ultimo sábado, Dilma foi ao supermercado Devoto, no bairro de Malvín, área nobre da capital. Ela comprou alguns produtos básicos como leite, segundo informou o jornal “El Pais”.

Horas antes, a presidente havia participado da inauguração de um parque eólico próximo da cidade de Colônia de Sacramento, a 150 quilômetros de Montevidéu, último ato oficial do então presidente José Mujica. Dilma foi de helicóptero para a capital do país, chegando mais de três horas antes dos jornalistas brasileiros, que cobriram o evento e retornaram num ônibus fretado pelo Itamaraty. Neste espaço de tempo, Dilma aproveitou para dar uma volta, sem a presença da imprensa brasileira.

O passeio da presidente não foi informado pelo governo brasileiro. A notícia foi divulgada pelo “El Pais”, que obteve uma foto de Dilma no supermercado graças a pessoas que viram a presidente, a fotografaram e publicaram a foto em redes sociais. Segundo o jornal uruguaio, a própria presidente estimulou as pessoas a postarem suas fotos.(De O Globo)


MEC deve 250 milhões ao xodó de Dilma

Menina dos olhos de Dilma Rousseff na campanha, o célebre Pronatec é motivo de dor de cabeça para Robson Andrade, o presidente da CNI.

Andrade anda reclamando pelos cantos do governo — e motivos não lhe faltam: o Ministério da Educação está inadimplente em 250 milhões de reais com o Senai, que é parceiro do governo no programa.

Andrade tem circulado em alguns gabinetes de ministros cobrando a fatura. O máximo que conseguiu foi ouvir que neste mês seria pago o vermelho de 2014.

Em relação aos meses de janeiro e fevereiro — um total de mais 140 milhões de reais —, nem um real lhe foi prometido.


Culto: maioria no Brasil é conservadora diz Cunha

Dilma e Cunha se tratam com frieza no Rio

Da Folha Online – Fabio Brisola

A cerimônia de comemoração dos 450 anos do Rio promovida neste domingo (1) no Palácio da Cidade, na zona sul carioca, reuniu no mesmo palco a presidente Dilma Rousseff e o parlamentar Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Há um mês, Cunha impôs uma derrota política ao governo ao vencer a disputa para a presidência da Câmara dos Deputados.

Convidado a subir ao palco durante um momento da celebração, Cunha posou para fotos ao lado de Dilma, do prefeito Eduardo Paes (PMDB-RJ) e do governador Luiz Fernando Pezão.

Diante do público, prevaleceu um tratamento frio de parte a parte. Dilma não dirigiu a palavra ao congressista, que também adotou postura semelhante.

Com outros convidados, como o vice-governador Francisco Dornelles, a presidente chegou a trocar abraços durante o cumprimento oficial. Quando Pezão agradeceu a presença de Cunha, Dilma deu três aplausos pouco entusiasmados. Em seu discurso, no entanto, a presidente mencionou a presença de Cunha, que esboçou um sorriso e inclinou levemente a cabeça em agradecimento.

Da Folha de S.Paulo – Lucas Vettorazzo

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse no domingo (1º), em encontro com evangélicos no Rio, que a sociedade "pensa como nós" e que é preciso "deixar que a maioria seja exercida, e não a minoria".

No templo da igreja Vitória em Cristo, com capacidade para 6.000 pessoas, o peemedebista usou o termo "minoria" para referir-se a uma manifestação de cem ativistas de direitos gays que protestaram contra ele em São Paulo.

O deputado disse que órgãos de imprensa dão cobertura maior aos ativistas gays, porque "acham que a minha presença lá [como presidente da Câmara] significa a presença do conservadorismo".

"Mas não sou eu que não vou deixar a pauta progressista andar, não sou eu que sou conservador", disse. "A maioria da sociedade pensa conforme nós pensamos. É só deixar que a maioria seja exercida, e não a minoria."

Cunha afirmou que buscará "independência e harmonia" do Legislativo com os demais poderes. Ele, no entanto, salientou que tentará mostrar "aquilo que o evangelho exerce" e lutará para que os princípios evangélicos sejam "levantados e defendidos".

"É dessa forma que vamos enfrentar. Temos disposição, sim, e não vamos tergiversar com as nossas posições nunca. Sempre estaremos lá para, acima de tudo, que nossos princípios sejam levantados e defendidos. E é isso que nós vamos fazer", disse.

Mais Notícias : Lula começa reaproximação entre PT e PMDB
Enviado por alexandre em 02/03/2015 11:26:24

Lula começa reaproximação entre PT e PMDB

Em meio à crise entre PT e PMDB que se espalhou pelos Estados e coloca em risco a governabilidade da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou um processo de pacificação com o principal partido da base aliada. A relação entre petistas e peemedebistas já dá sinais de reaproximação no Rio e em São Paulo. No entanto, em Pernambuco, Bahia, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Piauí, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul o discurso ainda é de enfrentamento, com reflexos no Congresso, tornando a tarefa de Lula mais árdua. Em Pernambuco , à revelia da aliança nacional entre o PT e o PMDB, a bancada peemedebista exerce forte oposição ao PT. Somente o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), tem interlocução com Michel Temer e assume a posição de aliado. . Em Minas Gerais, a aliança também começa a apresentar desgaste.

Os petistas temem pelo PMDB no comando da Câmara dos Deputados e do Senado e o movimento pelo impeachment de Dilma lançado pela oposição. Sob pressão da Executiva Nacional, o PT fluminense foi em busca da reaproximação, e o presidente regional, Washington Quaquá, se reuniu com o presidente do PMDB fluminense, Jorge Picciani, na última quinta-feira.


Manobra do PMDB, faz CPI focar só era petista

Da Folha de S.Paulo – Andréia Sadi

O PMDB da Câmara dos Deputados articulou uma estratégia nos bastidores com o presidente da CPI da Petrobras para isolar o PT na nova comissão e limitar os trabalhos de investigação aos governos Lula e Dilma (2005-2015), como quer a oposição. Partido aliado quer barrar tentativa governista de incluir gestão FHC na apuração.

A operação do partido com Hugo Motta (PMDB-PB), eleito presidente da CPI na semana passada, visa desidratar os planos do relator da comissão, Luiz Sérgio (PT-RJ), de investigar desvios na estatal desde o período do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Sérgio vai apresentar seu calendário de atuação na próxima quinta, mas, na semana passada, afirmou que seria importante levar a investigação para o período de FHC.

Os relator se baseia no depoimento do ex-gerente Pedro Barusco que, em sua delação premiada, afirmou à Polícia Federal que começou a receber propina entre 1997 e 1998, da empresa holandesa SBM Offshore.

Barusco também relatou que o esquema da Petrobras rendera ao PT entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões entre 2003 e 2013.


Contramanifestação petista vai às ruas

O PT prepara uma manifestação – ou melhor, uma espécie de contramanifestação – para o dia 13 de março, dois dias antes do movimento que promete ir às ruas pelo impeachment de Dilma Rousseff.

A informação é de Lauro Jardim na sua coluna do jornal O Globo.

Por enquanto o partido programa passeatas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Mas outras cidades também poderão entrar nos planos dos petistas

Pelo menos oficialmente, o governo Dilma quer distância dessa manifestação.

Não é só Lula que tem reclamado de Dilma Rousseff.

 Dilma detestou e comentou com alguns interlocutores a ida de Lula, na terça-feira passada, a um ato “em defesa da Petrobras”.


Dilma, o governo e a lista Janot

Ricardo Melo – Folha de S.Paulo

O suspense que cerca a lista Janot remete imediatamente ao filme "Inside Job" ("Trabalho Interno", na tradução brasileira).

Para quem não conhece, o documentário de 2010 mostra sem meios-tons como foi conduzida a crise econômica que mergulhou o mundo num atoleiro (alô, "The Economist"!) do qual ele não saiu até agora. Meia dúzia de bilionários, junto com o governo americano, decidem quem vai quebrar (e depois se levantar, claro), quem vai se salvar e como apagar as digitais da lambança criada pela especulação sem fim do capital financeiro.

Esqueça as manchetes de jornais, sites e programas de rádio e TV. A lista Janot vem sendo objeto de negociações nervosas, tensas, à luz do dia ou na calada da noite. Motivo? Simples: se explorada às últimas consequências, a papelada vai escancarar a relação promíscua entre o empresariado nacional (e internacional) e o poder público doméstico, seja qual for o partido de plantão.

Só isso explica tanto segredo. Os vazamentos chancelados pelo juiz Sergio Moro não passam de aperitivo selecionado. Qualquer bacharel recém-formado, sem precisar de condecorações da Escola Superior de Guerra, é capaz de impugnar a investigação. Como fizeram com a Castelo de Areia ou com a Satiagraha. Depende de quem vai julgar...

O cidadão, entre atônito e curioso, assiste a um enredo de novela estendida conforme os índices de audiência. Os elementos se renovam diariamente: invasão da casa do procurador, ameaças de morte, encontros furtivos com advogados, Ministério Público contra AGU, CGU. Angu não falta. O grande mistério é a receita a ser vendida ao público.


Mais Notícias : Governistas e oposicionistas medem força na rua
Enviado por alexandre em 02/03/2015 11:23:13

Governistas e oposicionistas medem força na rua

Com a sustentação do segmento da população indignado com o escândalo Petrobras, a oposição fala grosso e estimula protestos de rua contra o governo Dilma. Um deles está sendo convocado nas redes sociais para o dia 15 de março e tem como bandeira o impeachment da presidente.

Os petistas não pretendem assistir a essa mobilização sem reagir. Por isso, decidiram engrossar a manifestação que a CUT está promovendo dois dias antes, em 13 de março, em defesa da democracia e da Petrobras. O de São Paulo terá a presença do ex-presidente Lula. Os manifestantes não vão se encontrar nas ruas do país, mas não deixarão de se enfrentar. (Ilimar Franco – O Globo)


Lei dos Caminhoneiros sancionada hoje sem vetos

A presidente Dilma Rousseff vai sancionar nesta segunda-feira, dia 2, sem vetos, a nova Lei dos Caminhoneiros. Por meio de nota, o Palácio do Planalto informou que a decisão foi tomada diante da liberação de quase todas as rodovias federais e da redução das manifestações de caminhoneiros.

A nova lei assegura aos profissionais isenção de pagamento de pedágio para eixo suspenso de caminhões vazios, perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos dois anos e ampliação de pontos de parada para descanso e repouso. Além disso, a nota informa que o governo vai negociar com o Congresso prorrogação por 12 meses das parcelas de financiamentos de caminhões adquiridos pelos programas ProCaminhoneiro e Finame do BNDES.

Antes do anúncio da Presidência no fim da noite de ontem, Ivar Schmidt, do Comando Nacional de Transporte, um dos líderes da categoria, diz que o governo não atendeu a reivindicações do grupo de caminhoneiros que decidiu manter o bloqueio das estradas, mesmo após o primeiro acordo fechado na semana passada.

Schmidt, que afirma controlar bloqueios nas estradas federais e estaduais em sete estados do país, disse que apresentou ao governo uma pauta com sete reivindicações, sendo uma das principais a criação do preço mínimo do frete.(De O Globo)

Mais Notícias : CPI: membros violam Código de Ética da Câmara
Enviado por alexandre em 02/03/2015 11:21:54

CPI: membros violam Código de Ética da Câmara

"É deixar o vampiro cuidar do banco de sangue", afirmou o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ). A frase expressa o descontentamento do parlamentar com a indicação dos integrantes da CPI da Petrobras, criada na quarta-feira para apurar os desmandos na companhia. Ao menos 15 dos 27 membros da comissão se elegeram com a ajuda de doações de empresas pela operação Lava Jato.

Hugo Motta (PMDB-PB), presidente da CPI, teve 60% de sua campanha financiada pela Andrade Gutierrez e pela Odebrecht (454.000 reais), enquanto que o relator, Luiz Sérgio (PT-RJ), recebeu 40% de sua verba de campanha das construtoras Queiroz Galvão, UTC, OAS e Toyo Setal (962.000 reais). Todas suspeitas de pagamento de propina e formação de cartel.

O Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara considera quebra de decoro que um deputado “relate matéria submetida à apreciação da Câmara, de interesse específico de pessoa física ou jurídica que tenha contribuído para o financiamento de sua campanha eleitoral”.

A violação, em tese,  é passível de ser punida com a perda do mandato. No entanto, fontes ligadas à Câmara afirmam que o Código é "letra morta", e que sua aplicação é cumprida apenas quando há interesse político. Ou seja, apesar do próprio regimento da Câmara, a criação da CPI com integrantes que não cumprem o que está escrito é consensual.  (Do El País - Gil Alessi)

Lei mais clicando aí:  Integrantes da CPI da Petrobras violam Código de Ética da Câmara

(1) 2 3 4 ... 1842 »