Mais Notícias - “Tem algum nordestino ofendido aí?, provoca Bolsonaro - Notícias
« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 ... 3723 »
Mais Notícias : “Tem algum nordestino ofendido aí?, provoca Bolsonaro
Enviado por alexandre em 22/07/2019 08:52:34

“Tem algum nordestino ofendido aí?, provoca Bolsonaro

Ao sair de um restaurante, neste domingo, em Brasília, Jair Bolsonaro voltou a brincar com apoiadores e simpatizantes que o aguardavam na porta do estabelecimento.

O presidente falou mais uma vez sobre as críticas que recebeu após os comentários de ontem a respeito dos governadores do Nordeste.

“Eu critiquei dois governadores. Três segundos, no pé de ouvido. Três segundos”, disse.

Questionado se não considerava as declarações ofensivas, Bolsonaro afirmou:

“Ai, meu Deus do céu. Quem ficou ofendido? Não, não. Se eu tenho um problema com o Sul, ninguém fala. Região Sul, Centro-Oeste, Norte… Vocês mesmos, da mídia, ficam querendo separar o Nordeste do Brasil. O Nordeste é Brasil, é a minha terra, eu ando em qualquer lugar do território brasileiro.”

Antes de sair, Bolsonaro perguntou diretamente aos simpatizantes que o cercavam: “Tem algum nordestino ofendido aí?”.

As pessoas responderam que não.

Bolsonaro, então, continuou:

“Atenção, imprensa, tem algum nordestino ofendido comigo aí? O problema é que eu falei que o pior governador do Nordeste é o Flávio Dino [do Maranhão]. O pessoal está brigando dizendo que não é, que tem outros piores que ele lá.”  (O Antagonista)



Briga fomentada: Brasil x Bahia; presidente, PT no meio

Após ataque a governadores do NE, ato com Bolsonaro na BA é inflado com rivais do PT

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

Festa estranha - Em momento de tensão com o eleitorado do Nordeste, em razão das críticas flagradas na última sexta (19), o presidente Jair Bolsonaro pretende usar ato na Bahia, na próxima terça (23), para virar o jogo em território inimigo.

No fim de semana, o Planalto decidiu dobrar o número de convidados da inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista –originalmente uma festa fechada para 300 pessoas. Além disso, escalou rivais do governador Rui Costa (PT) para discursar no evento.

Partiu de Rui Costa a iniciativa de rever a lista. Ele havia identificado a presença maciça de críticos e queixou-se ao Planalto. Mas enquanto o número total espichou para 600 convidados, a cota do governador petista subiu apenas de 70 para 100 nomes. Proporcionalmente, a presença de seus apoiadores encolheu.

Meu quintal

O desconforto é tamanho que aliados de Rui Costa passaram a defender publicamente neste domingo (21) ele não vá à cerimônia. Apoiadores dizem, porém, que 1) ele sugeriu a festa e 2) o aeroporto é um feito politicamente relevante.


Coluna desta segunda na Folha

Bolsonaro também ataca Câmara

O ataque do presidente aos governadores do Nordeste foi geral, mas no específico não se restringiu aos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e da Paraíba, João Azevêdo (PSB). Bolsonaro citou também o governador Paulo Câmara (PSB), sugerindo que usa o Bolsa Família para manipular o eleitorado pernambucano.

“O Nordeste foi muito utilizado contra mim na campanha, dizendo que eu ia acabar com o Bolsa Família. Eu dei o 13º para o Bolsa Família. O governador de Pernambuco, há poucos meses, anunciou que deu o 13º, enquanto esse projeto morreu no Senado por um relator do PT. Então, a verdade liberta a gente”, afirmou.

Flávio Dino reagiu imediatamente. Pelas redes sociais, declarou: “Seja ao Maranhão ou qualquer outro Estado, o presidente não pode perseguir um ente da Federação. Trata-se de orientação administrativa gravemente ilegal”. Bolsonaro perdeu o controle da língua. Devia se espelhar no velho ditado: “Quem fala demais, dá bom dia a cavalo”.

Bolsa estadual – Em abril, Paulo Câmara lançou o 13º do Bolsa Família, no Centro de Convenções. O valor pago vai além de qualquer ação da União, segundo o secretário Sileno Guedes (Desenvolvimento Social). “Nunca houve uma mudança nesse sentido. Ainda no final do ano passado, enviamos à Assembleia uma autorização para que o Governo pudesse implantar o programa”, explicou.

Curta e dura – Os artistas nordestinos também reagiram à pisada de bola do presidente, que chamou a região de Paraíba. A cantora Alcione Marrom, maranhense brava, declarou: “Não votei no senhor e não me arrependo, mas não sou burra de torcer contra o Brasil. Agora, meu avô sempre dizia: “Quem quer respeito se dá respeito, e o senhor não está dando respeito ao Nordeste”.

Investigação – O vice-líder do PCdoB na Câmara, Márcio Jerry (MA), anunciou que pedirá à Procuradoria-Geral da República que investigue o presidente Jair Bolsonaro (PSL) por declarações agressivas e desrespeitosas aos governadores do Nordeste, especialmente o do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Em carta a Bolsonaro, os governadores cobraram esclarecimentos.

Será? – Postagem que varreu as redes sociais, ontem, anunciava nova greve dos caminhoneiros a partir de hoje em todo País. O recado foi dado por um grupo de caminhoneiros numa gravação na BR-101. Mas a população ignorou. Não houve correria aos postos.

Corajoso – Depois de fazer uma declaração de guerra aos governadores do Nordeste, o presidente pisa, amanhã, em solo baiano, para cumprir agenda em Vitória da Conquista. Pela reação dos nordestinos nas redes sociais, corre o risco de ser xingado e enfrentar protestos.

SAI CANDIDATO – Contra a vontade do prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), a quem ajudou a eleger, o ex-prefeito Totonho Valadares (PSB) se movimenta para disputar a Prefeitura. Fez, sábado passado, em sua casa-fazenda, uma grande boca-livre de aniversário.

Perguntar não ofende: Vitória da Conquista, onde tem agenda presidencial amanhã, vai receber Bolsonaro com uma chuva de ovos depois das agressões dele ao Nordeste?

Mais Notícias : Bolsonaro e Bruna: "Auxílio-moradia para comer gente"
Enviado por alexandre em 19/07/2019 09:44:37

Bolsonaro e Bruna: "Auxílio-moradia para comer gente"

Após fala sobre filme de Bruna Surfistinha, internautas relembram que Bolsonaro usava auxílio-moradia ‘pra comer gente’

Mateus Camilo - Folha de S.Paulo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (18) que pretende transferir a Ancine (Agência Nacional do Cinema) do Rio de Janeiro para Brasília e criticou o patrocínio federal a produções audiovisuais que, segundo ele, fazem “ativismo”.

Em cerimônia em comemoração aos 200 dias do atual governo, ele disse que não pode admitir que dinheiro público seja destinado a filmes como o da Bruna Surfistinha, em referência à produção do diretor Marcus Baldini e que teve a atriz Deborah Secco como protagonista.

“Agora pouco, o [ministro da Cidadania] Osmar Terra e eu fomos para um canto e nos acertamos. Não posso admitir que, com dinheiro público, se façam filmes como o da Bruna Surfistinha. Não dá. Ele apresentou propostas sobre a Ancine, para trazer para Brasilia. Não somos contra essa ou aquela opção, mas o ativismo não podemos permitir em respeito às famílias. É uma coisa que mudou com a chegada do governo”, disse.

No entanto, muitos internautas estão relembrando uma fala de Bolsonaro de janeiro de 2018 à Folha, quando o jornal noticiou que ele recebia auxílio-moradia da Câmara, mesmo tendo imóvel próprio em Brasília.

Questionado se usou o dinheiro do benefício para comprar seu apartamento, ele respondeu: “Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio-moradia eu usava pra comer gente”.



Bruna Surfistinha: autores “por aqui” com Bolsonaro

Produtores que trabalharam em “Bruna Surfistinha” ficaram indignados com declaração de Jair Bolsonaro desta quinta.

O presidente disse que não usaria dinheiro da Ancine para fazer este filme, que relata a vida de uma menina de classe média que deixou os pais adotivos e se tornou prostituta.

Quem trabalhou na película lembra que ela gerou centenas de emprego, e que a série, gravada após o filme, foi uma das mais vistas na América Latina —e está na quarta temporada.

“Bruna Surfistinha” teve mais de 2 milhões de espectadores, a segunda maior bilheteria de 2011.  (Daniela Lima – FSP)

Mais Notícias : Caixa posta vídeo da Globo que ironiza Bolsonaro
Enviado por alexandre em 17/07/2019 08:58:23

Caixa posta vídeo da Globo que ironiza Bolsonaro

 E apaga em seguida

Banco apura o fato e promete medidas cabíveis; vídeo reproduzido nas redes sociais da instituição satiriza a indicação de Eduardo a embaixada nos EUA

VEJA - da Redação

Caixa Econômica Federal postou em sua conta oficial no Twitter uma esquete de humor do Fantástico, da TV Globo, que satiriza a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) à embaixada dos Estados Unidos.

O post foi apagado logo em seguida. O banco informou que a responsabilidade é da prestadora de serviço de comunicação e está apurando o fato. O post foi feito na noite de segunda-feira 15. Apesar de a Caixa ter apagado a publicação, alguns usuários registraram o ocorrido.

O texto publicado pelo banco era: “A Caixa Mais Brasil esteve no Rio de Janeiro para conhecer projetos apoiados pelo banco como o empreendimento imobiliário Ilha Pura, a Orquestra Sinfônica de Mulheres do Rio de Janeiro e o novo abastecimento de água na Baixada Fluminense. Assista o vídeo!”, publicou a conta da Caixa.



Coluna desta quarta na Folha

Aberta porteira do 2º escalão

Com seis meses de gestão, Bolsonaro só vai começar a ratear os cargos do segundo escalão nos próximos dias. Estava aguardando a aprovação da reforma da Previdência para testar a lealdade da sua base de sustentação. No Nordeste, os postos mais cobiçados passarão pelo crivo do Centrão, movimento que agrega os partidos conservadores.

O critério que se especula ainda não é compreensível: os apadrinhados passarão pelo crivo das bancadas e não apenas por uma mão protetora. Os deputados de olhos arregalados vão se entender depois de tanto tempo indicando aliados com o aval apenas do presidente?

Estatais como Chesf, Banco do Nordeste e Hemobrás ainda estão sendo tocadas por executivos da era Temer, alguns com diretores nomeados por Dilma. O presidente costuma recorrer ao chavão de que não pratica o toma lá dá cá para governar. Com essas nomeações, seu discurso, mais uma vez, tende a virar letra morta.

Fugindo do diabo – As mudanças nas regras de aposentadoria estão levando muitos servidores federais a antecipar o uso do pijama. Um exemplo claro disso é a representação do Dnocs em Pernambuco: dos 66 funcionários de carreira do órgão, apenas 17 continuam batendo o ponto no trabalho. Se isso ocorre em Pernambuco, imagine em Brasília, paraíso da burocracia federal?

Dupla rebeldia – O deputado Felipe Carreras torceu o nariz para o Conselho de Ética do PSB, que abriu processo de punição dos 11 parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência. Disse que não vai apresentar defesa nenhuma no prazo de dez dias determinado pelo regimento interno do partido para casos dessa natureza. Está forçando a sua expulsão?

Olho no olho – Em seus Instagram, Felipe Carreras falou, pela primeira vez, sobre o bombardeio do presidente do PSB, Carlos Siqueira, que o xingou de traidor e revelou ter dado a ele na campanha R$ 1,3 milhão do partido. “Não vou devolver as agressões públicas. A ele (Siqueira), falei olho no olho sobre minha decisão de votar a favor, um dia antes da votação”, disse.

Fim do ICMS – Tramita na Câmara uma PEC do líder do MDB, Baleia Rossi (SP), que acaba com os três tributos federais – IPI, PIS e Cofins – e extingue o ICMS, estadual, e o ISS, municipal. No lugar deles seria criado o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência dos três poderes.

Venda – Adolfo da Modinha entrou no ramo da comunicação em Caruaru, comprando o canal de rádio AM do grupo de Luis Lacerda, sogro do deputado Tony Gel (MDB). A família se desfez, segundo ele, porque já tem um canal FM e a AM vendida vai virar FM. “Iríamos ficar com duas FMs”, alega.

BICUDOS – Não convidem para uma mesma mesa o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e o presidente da Compesa, Roberto Tavares. Não conseguem falar a mesma língua faz tempo, apesar de já terem entrado em campo os mais competentes bombeiros do alto escalão socialista.

Perguntar não ofende: Se nenhum dos 11 parlamentares rebeldes apresentar defesa no Conselho de Ética, como sugere Felipe Carreras, que procedimento o PSB tomará?

Mais Notícias : Deboche ao filho de Bolsonaro como embaixador
Enviado por alexandre em 16/07/2019 08:28:02

Portal Terra

Globo voltou a debochar do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no “Fantástico”. Neste domingo (14), o assunto alvo da vez foi a intenção do presidente de nomear um de seus filhos para ser embaixador dos Estados Unidos.

O programa, então, fez uma paródia da música “Mamãe, Eu Quero” para brincar com o caso, que deu o que falar nas redes sociais na semana passada. Na versão “Papai, Eu Quero”, um cantor simula a voz caricata de Jair Bolsonaro e coloca o filho dele, Eduardo, pedindo as embaixadas da Holanda, da França e, por fim, dos EUA.

“Papai eu quero uma embaixada/Escolhe uma que o papai vai ver se tem”, diz o refrão da marchinha. “Eu quero a embaixada da Holanda/Lá na Holanda você não fica bem/Por que papai?/A seleção da Holanda é laranja, e seu irmão vai querer ir pra lá também”, acrescenta a música.

Antes de mostrar a paródia, o “Isso a Globo Não Mostra” iniciou com a entrevista concedida por Eduardo Bolsonaro em que ele diz que tem os requisitos necessários para ocupar o cargo.

O deputado federal, então, afirmou que fez intercâmbio nos Estados Unidos e “fritou hambúrguer no frio do Maine”.



Temendo derrota, Bolsonaro sonda senadores

...antes de confirmar indicação de Eduardo

Presidente demonstra incômodo com possibilidade de Casa rejeitar o nome de filho para embaixada

Folha de S.Paulo

O presidente Jair Bolsonaro iniciou nos bastidores movimento para avaliar as chances de aprovação pelo Senado da indicação de seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para o posto de embaixador nos EUA.

Interlocutores do presidente têm feito sondagens junto a senadores que integram a Comissão de Relações Exteriores (CRE), responsável por autorizar a nomeação de um indicado pelo Poder Executivo à função diplomática.

Segundo assessores, Bolsonaro está determinado a oficializar a indicação, mas, em conversas reservadas, demonstrou incômodo com a possibilidade de rejeição, o que representaria uma derrota pessoal por se tratar de seu filho.

Os sinais iniciais emitidos pelos senadores preocupam. Um primeiro placar esboçado por emissários de Bolsonaro aponta que o parlamentar teria hoje o apoio de apenas 8 dos 17 integrantes da comissão.

A previsão de um placar apertado no colegiado já leva auxiliares presidenciais a considerarem fundamental uma ação reforçada junto ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Mesmo que o governo sofra uma derrota na comissão, por exemplo, o cenário adverso pode ser revertido no plenário (basta maioria simples para aprovação).

Aliados de Alcolumbre afirmam que, embora não tenha não gostado da indicação, ele não pretende trabalhar contra o filho do presidente.

Mais Notícias : Legal ou não? Eduardo não é sobrinho de nenhum papa
Enviado por alexandre em 15/07/2019 08:35:20

Legal ou não? Eduardo não é sobrinho de nenhum papa

Coluna de Carlos Brickmann

Nomear o filho para a Embaixada mais importante do país, sem que seja do quadro diplomático, é legal ou não? Um ministro do Supremo já disse que é inconstitucional, por configurar nepotismo (abaixo, uma decisão do STF sobre o tema). Mas já existe parecer da CGU, Controladoria Geral da União, a favor. Este colunista tem certeza de que não se trata de nepotismo: a palavra vem de nepote (em italiano, sobrinho) e se refere ao hábito papal de nomear sobrinhos para altos cargos na hierarquia.

Portanto, no caso brasileiro isso não se aplica: Eduardo Bolsonaro não é sobrinho de nenhum papa.

Súmula 13 do STF: “A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o 3º grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica, investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta, em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição" (...).

O CGU acha que não.



Sobre garoto em Washington: “É legal, mas não moral”

A indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada dos EUA balançou o apoio de grupos de direita ao governo.

Para o Movimento Brasil Conservador, é um tiro no pé que “levantaria uma enxurrada de críticas desgastantes e desnecessárias”.

“É legal, mas não é moral. Esperávamos indicações técnicas, como as dos ministérios”, afirma Adelaide Oliveira, do Vem Pra Rua. Por esta posição, o grupo foi atacado nas redes. O MBL se mantém em silêncio.

 

TIROTEIO

NORONHA: Da deputada Marília Arraes (PT-PE) após Bolsonaro afirmar que a cobrança é um roubo praticado pelo governo federal e que irá revê-la:

Acabar com a taxa paga por turistas para visitar Fernando de Noronha é um crime contra a natureza do Brasil

« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 ... 3723 »