Policial - PF EM AÇÃO - Notícias
« 1 2 (3) 4 5 6 ... 177 »
Policial : PF EM AÇÃO
Enviado por alexandre em 19/08/2020 01:43:48

Em dois anos, PF apreende 11 toneladas de cocaína

Cocaína era transportada por meios aéreos, rodoviários e marítimos, segundo PF — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Desde as investigações até a deflagração da Operação Além Mar nesta terça-feira (18), a Polícia Federal (PF) apreendeu cerca de 11 toneladas de cocaína. Ao todo, quatro organizações criminosas participavam do esquema, que envolvia transporte da droga por meios rodoviários, aéreos e marítimos.

Antes da deflagração, nesta terça (18), as investigações policiais levaram a prisões de envolvidos e apreensões de drogas nos municípios de Canapi (AL), Barueri (SP) e nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e no porto de Rotterdam, na Holanda.

Ao longo de 2019, 104,5 toneladas de cocaína foram interceptados por agentes da PF em todo o país, somando diferentes ações e grupos criminosos.

Até às 11h, 90 dos 139 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Dos 50 mandados de prisão, 27 foram cumpridos até o mesmo horário.

Com mandados da 4ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco, a PF também apreendeu, até às 11h, 46 veículos, três embarcações e oito aeronaves. Os aviões e helicópteros estavam nos estados de São Paulo, Pará, Pernambuco e no Distrito Federal. Até o mesmo horário, policiais federais haviam apreendido R$ 314.867,00 em espécie. O valor é a soma de quantias apreendidas em vários estados.

Criminosos trocaram aviões por helicópteros

A primeira fase de atuação dos grupos criminosos ocorria com o transporte de cocaína pela fronteira entre Brasil e Paraguai, nas cidades de Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero, por meio de helicópteros.

“Diferentemente de outros esquemas de tráfico, que utilizam aviões privados e se submetem a toda a fiscalização do espaço aéreo brasileiro, a organização partiu para o uso de helicópteros, que são menos suscetíveis a esse sistema de fiscalização, mas tem menos autonomia do que os aviões”, disse a delegada federal responsável pelas investigações, Adriana Vasconcelos. Continue lendo


Justiça determinou sequestro de helicópteros dentro de operação da PF contra tráfico de drogas — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Justiça Federal em Pernambuco determinou, nesta terça-feira (18), o sequestro de sete aviões, cinco helicópteros, 42 caminhões e 35 imóveis urbanos e rurais ligados aos investigados por uma operação da Polícia Federal contra o tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Também foi ordenado o bloqueio judicial do valor de R$100 milhões.

A Operação Além-Mar cumpre 139 mandados de busca e apreensão e outros 50 de prisão, sendo 20 preventivas e outras 30 temporárias, em 12 estados e no Distrito Federal. A PF apontou que, mesmo diante da pandemia de Covid-19, o esquema criminoso não foi interrompido, tendo sido apreendidos entre os meses de março e julho mais de 1,5 tonelada de cocaína.  

Caminhões foram apreendidos pela Polícia Federal em megaoperação contra tráfico de drogas nesta terça-feira (18) — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Uma equipe da PF foi vista na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, nesta manhã. Além de Pernambuco, são cumpridos mandados em Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Para, Paraíba, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.

A PF investiga quatro organizações criminosas que atuavam para exportar toneladas de drogas para a Europa via portos brasileiros, especialmente através Porto de Natal.

Uma delas era sediada na cidade de São Paulo e é acusada de trazer cocaína para o Brasil através da fronteira com o Paraguai, levando por transporte aéreo até o estado. Outra, que atuava a partir de Campinas, recebia a droga internalizada no território nacional para distribuição interna e exportação para Cabo Verde e Europa.

Um dos bens que teve o sequestro determinado pela Justiça Federal em megaoperação da Polícia Federal foi uma fazenda — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A terceira quadrilha, segundo a Polícia Federal, era estabelecida no Recife e formada por empresários do setor de transporte de cargas, funcionários e motoristas de caminhão. Esse grupo criminoso era responsável pela logística de transporte rodoviário da droga e o armazenamento de carga até o momento de sua ocultação nos contêineres.

A quarta organização criminosa, estabelecida na região do Braz, na cidade de São Paulo, era uma espécie de banco paralelo, segundo a PF. A investigação aponta que ela disponibilizava uma rede de contas bancárias titularizadas por empresas fantasma, de fachada ou em nome de “laranjas”, para movimentação de recursos de origem ilícita. Continue lendo

Policial : EM RISCO
Enviado por alexandre em 17/08/2020 08:49:25

Governo não cria vagas para pericia a associação vê investigação em perigo

Responsável pela elaboração de provas em investigações, a perícia criminal federal enfrenta déficit de servidores. Uma situação que tende a se agravar e preocupa a Associação dos Peritos Criminais Federais (APCF), que representa a categoria. A carreira não está contemplada na relação das 2 mil vagas que serão abertas em concurso da Polícia Federal, anunciadas no último dia 31 pelo ministro da Justiça, André Mendonça.

Segundo o presidente da APCF, Marcos Camargo, o governo federal estuda a edição de uma medida provisória para criar 200 novos cargos para a carreira. A MP está sob avaliação do Ministério da Economia, que estuda seu impacto orçamentário. O número cogitado, ressalta o presidente da APCF, não resolverá todos os problemas, mas poderá ao menos amenizar as dificuldades enfrentadas pela categoria.

“Hoje a gente tem cerca de mil e cem peritos na ativa e em torno de nove mil pendências para resolver. Existe um déficit de peritos e de outras categorias da PF. Mas se vão fazer um concurso necessário, é um problema não repor os peritos. Vai ampliar a distorção e refletir na produção de provas, que é fundamental para a elucidação de crime e o combate à impunidade”, disse Camargo.

Só com a criação das 200 vagas, será possível incluir as vagas para peritos em concurso público. “Essas 200 vagas nos ajudariam bastante. Se chamarem mais mil delegados, vão precisar ainda mais de peritos. Se aumenta a situação da investigação, cresce também a necessidade de produção de provas”, observa o presidente da associação. Continue lendo

Policial : FALTA DE SEXO
Enviado por alexandre em 13/08/2020 08:53:51

Mulher é presa após marido se suicidar por falta de sexo

Uma mulher, de 32 anos, foi presa em Ahmedabad (Gujarat, Índia) após o marido se suicidar alegando sofrer com a “falta de sexo” em casa.


A prisão foi feita após a sogra, identificada como Mjuli, apresentar queixa à polícia local, contou o “Times of India”. Segundo ela, o filho, Surendrasinh, não dormia mais com a esposa, Geeta Parmar, com a qual estava casado havia quase dois anos.

Na queixa, Muli alega que a nora não cumpria as atribuições de esposa, o que levou o filho ao suicídio. Geeta foi acusada de “contribuir para o suicídio do marido”, ocorrido em 27 de julho.

“Uma vez, entrei no quarto de meu filho e descobri que ele e a minha nora estavam dormindo em camas diferentes. Quando perguntei a meu filho sobre isso, ele me disse que eles não tinham relações, pois Geeta havia feito um voto de que não dormiria com seu marido”, declarou Muli.

Dias antes do suicídio, Geeta deixou a casa onde vivia com Surendrasinh e foi morar com os pais.


EXTRA

Policial : POLÍCIA PENAL
Enviado por alexandre em 11/08/2020 15:02:47

Onda de ataques a Policiais Penais é registrada em Rondônia

Uma possível onda de ataques aos policiais penais está sendo registrada no Cone Sul do estado de Rondônia, sendo que da noite de domingo, 09, até às 13 horas desta segunda-feira, 10 de Agosto, três ataques à tiros foram registrados em Vilhena e Colorado do Oeste.

Na noite de domingo, 09, o policial penal André Borges Mendes, 32 anos, foi friamente executado com três tiros pelas costas, no pátio de um posto localizado na Avenida Major Amarante, no Centro de Vilhena/RO, ocasião em que um rapaz de 27 anos, que estava ao lado do Policial, também foi baleado na perna e uma garota de 17 anos acabou atingida de raspão no pé, no momento em que André tentou reagir a ação e efetuou disparos.

Após André ser morto, sua arma desapareceu do local do crime, o que indica que alguém tenha furtado a arma de fogo após a execução do Policial Penal. André atuava no presídio Cone Sul.

Passadas algumas horas da morte de André Borges, outro atentado a tiros, na casa de dois irmãos, que também são Policiais Penais, foi registrada na cidade de Vilhena/RO.

Os Policiais, que são irmãos, alegaram que um deles atua no presídio de Colorado do Oeste e o outro na Colônia Penal de  Vilhena, e que ao chegarem em casa, constataram que os vidros da porta blindex havia sido destruído por disparos de arma de fogo.

Equipes da Polícia Militar foram acionadas e isolaram a área para perícia da Polícia Técnico-Científica (POLITEC), que encontrou seis fragmentos de munição de calibre 38.

Ataque em Colorado do Oeste

Já no início da tarde desta segunda-feira, 10 de Agosto, outro ataque a tiros foi registrado na casa de outro Policial Penal, na cidade de Colorado do Oeste, onde disparos atingiram a casa do servidor.

A Polícia Militar daquela cidade isola a área para perícia da Polícia Técnico-Científica (POLITEC) e as equipes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil já estão no encalço dos criminosos, investigando os fatos para saber se os ataques tem alguma ligação, para que os infratores sejam identificados e presos.

 

Com informações: Rota Policial News/Edição: Rondoniaemqap

Policial : SÓ SOBE
Enviado por alexandre em 10/08/2020 09:23:31

Lei Maria da Penha completa 14 anos com violência doméstica em alta

Há 14 anos, em 7 de agosto de 2006, foi sancionada a Lei Maria da Penha, que tinha como objetivo criar mecanismos para reprimir a violência doméstica contra as mulheres e realmente punir os agressores. A lei foi batizada em homenagem à farmacêutica e ativista Maria da Penha Maia Fernandes, que foi vítima de agressão e tentativa de homicídio por parte de seu marido da época. Uma das tentativas a deixou paraplégica.

No entanto, apesar de a lei ter sido considerada a terceira melhor lei de combate à violência doméstica do mundo, a implementação dela não teve tanto efeito quanto foi projetada para ter. O Brasil continua sendo o quinto País com mais casos de feminicídio no mundo. Na pandemia, essa situação está ainda pior.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, no mês de abril, primeiro mês da quarentena, a quantidade de denúncias de violência contra a mulher recebidas pelo número 180 teve alta de 40% em relação ao mesmo período de 2019. Esse número já tinha subido em março, mês em que teve início o isolamento social em sua última semana, com um avanço de quase 18%.

Já os casos de feminicídio tiveram alta de 22% durante a quarentena, segundo informações divulgadas em junho pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.


Entenda o que diz a Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha, junto com a Lei do Feminicídio, é um principal pilar do combate à violência contra a mulher e o assassinato por motivos de gênero no Brasil. No entanto, a maioria da população ainda não sabe algumas informações cruciais da legislação.

Um exemplo são os tipos de violência que podem ser enquadrados nessa lei, que inclui, além da violência física, a violência psicológica, sexual, patrimonial e moral. Além disso, não são apenas cônjuges ou homens, como namorados e maridos, que podem ser punidos pela Lei Maria da Penha, mas sim qualquer pessoa que cometer agressões contra a mulher em situações de violência doméstica e familiar.

Veja abaixo mais detalhes sobre como funciona a legislação e em que situações ela pode ser usada.


Falta de políticas públicas contribui para o feminicídio, diz Maria da Penha

A ativista Maria da Penha, que dá nome à de lei de combate à violência doméstica contra mulheres, concedeu uma entrevista à Capitu em 2019, justamente falando sobre os problemas que levaram a uma implementação pouco efetiva da legislação.

Segundo ela, as falhas no sistema de apoio criado pela legislação, assim como a queda dos recursos destinados ao combate à violência doméstica, são fatores que ajudam a explicar o aumento dos números de agressões e feminicídios no País. "Os feminicídios acontecem quando não existe a política pública, quando a mulher tem medo de denunciar."

ativista também destaca a importância da educação no combate à violência, que também está prevista na Lei Maria da Penha. "Eu acho que ainda falta investir muito em educação, pois qualquer cultura só se desconstrói através dela."

Mulheres da iniciativa privada tomam atitude com startups de combate à violência

Mesmo com dificuldades para conseguir recursos e convencer investidores a financiarem projetos que visam combater a violência contra a mulher, empreendedoras têm se esforçado cada vez mais para ajudar as vítimas de agressão e tentativas de feminicídio.

Startups de aplicativos como Nina, Mete a Colher e Sobre a Tina nasceram justamente com o intuito de combater a violência por motivos de gênero. Essas iniciativas buscam implementar alguns dos mecanismos previstos na Lei Maria da Penha, como a rede de apoio a mulheres vítimas de violência e um modo facilitado de denunciar e pedir ajuda.


TERRA

« 1 2 (3) 4 5 6 ... 177 »