Policial - DEVOLUÇÕES - Notícias
(1) 2 3 4 ... 151 »
Policial : DEVOLUÇÕES
Enviado por alexandre em 14/10/2018 17:44:25

Lava Jato tenta reaver R$ 54,9 bilhões

Mas devoluções somam somente R$ 2,5 bilhões.

Por Josias de Souza

A força-tarefa de Curitiba atualizou na última sexta-feira (12) a soma dos pedidos de ressarcimento feitos em processos judiciais da Lava Jato. Incluindo-se as ações penais (R$ 39,97 bilhões) e as ações por improbidade administrativa (R$ 14,93 bilhões), reivindica-se a devolução de R$ 54,9 bilhões em verbas roubadas do Estado. Eloquente, a cifra corresponde a tudo o que o BNDES pretende investir em projetos de infra-estrutura até o final de 2019. Entretanto, a verba efetivamente devolvida aos cofres públicos em quatro anos e meio de Lava Jato soma, por ora, pouco mais de R$ 2,5 bilhões —ou 4,5% do total requisitado.

Desde 2014, quando foi às ruas, a Lava Jato corroeu a Presidência de Dilma Rousseff, passou na chave o projeto presidencial de Lula e está perto de acertar as contas com Michel Temer. A operação também trancafiou a nata da oligarquia política e empresarial. Gente que estava escondida atrás da imunidade parlamentar foi surrada nas urnas de domingo passado, despencando na primeira instância Judiciário. Não se via tamanha movimentação nos salões do poder e nas cadeias desde a chegada das caravelas.

Quebraram-se paradigmas também na recuperação da verba roubada. Antes da Lava Jato, os pedidos de reparação rodavam na casa dos milhões. Depois, passaram a ser computados em bilhões. Mas o resultado, quando confrontado com o tamanho da pilhagem, não chega a entusiasmar. Graças aos acordos de delação premiada, os procuradores de Curitiba conseguiram obter de criminosos: confissões, provas e compromissos de devolver algo como R$ 12,3 bilhões. O problema é que o dinheiro roubado à vista será devolvido a prazo.

Há parcelamentos de até duas décadas. Daí a disparidade entre os valores solicitados e o montante ressarcido até o momento. A coisa se complica ainda mais nos casos em que a devolução depende não de acordos de colaboração, mas do desfecho de batalhas judiciais. Ouvido pelo blog, um dos procuradores da força-tarefa de Curitiba resumiu o drama:

“É um milagre termos no Brasil esse ressarcimento de pouco mais de R$ 2,5 bilhões. A Lava Jato é uma árvore frondosa crescendo no deserto. A regra no país era não recuperar nada. Antes da Lava Jato, todo o dinheiro repatriado somava menos de R$ 45 milhões. Mesmo depois, houve apenas um outro caso envolvendo repatriação de cerca de R$ 70 milhões. Desconheço qualquer outro caso que envolva recuperação superior a R$ 100 milhões. ”

O procurador acrescentou: “Nas ações penais e de improbidade, o dinheiro só será recuperado no final do processo, quando tudo transitar em julgado. Ou seja: no Dia de São Nunca. É muito comum que esses processos durem mais de dez anos. O réu tem que ter muito azar e a sociedade tem que ter muita sorte para conseguir a recuperação. Pedidos de ressarcimento viraram piada no Brasil. Quando se esgotam as possibilidades de recurso, o réu já se desfez de todo o patrimônio.”

“A gente tenta obter bloqueios cautelares”, prosseguiu o procurador. “Mas se você vai bloquear recursos de uma empreiteira, elas trabalham alavancadas. A indústria, a fábrica, todos os fornecedores já têm uma, duas ou três hipotecas. O Estado entra em quarto lugar na fila. Não pode bloquear capital de giro, porque mata a empresa e gera desemprego. Quando conseguimos bloquear o patrimônio dos réus, pessoas físicas, o bloqueio permanece até o final do processo. Um dia, se os crimes não prescreverem, a gente conseguirá recuperar.”

Como se vê, mesmo nos casos submetidos aos novos padrões de investigação e julgamento, o dinheiro surrupiado do Estado continua sendo como pasta de dente que sai do tubo. Colocar de volta não é tarefa simples. A encrenca não se restringe a Curitiba. No Rio de Janeiro, a Lava Jato pleiteia ressarcimentos de R$ 2,3 bilhões. A Receita Federal já aplicou a empresas e pessoas enroladas no petrolão autuações fiscais de R$ 17,1 bilhões. Só nesses três guichês, o Estado tenta receber notáveis R$ 74,3 bilhões.

Policial : DIGA NÃO
Enviado por alexandre em 04/10/2018 19:48:05

Vítimas de violência doméstica terão prioridade em exame no IML

Por Agência Brasil* Brasília

Vítimas de violência doméstica ou familiar poderão, a partir de agora, ser atendidas com prioridade ao realizar exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal (IML). O direito ao atendimento prioritário, que se estende a mulheres, crianças, adolescentes, pessoas com deficiência e idosos, foi autorizado com a sanção da Lei nº 13.721/2018, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (3).

De autoria do deputado federal Sandes Júnior (PP-GO), a nova lei foi pensada, inicialmente, como forma de garantir um acolhimento mais humanizado a mulheres vítimas de violência de gênero, reforçando a aplicabilidade da Lei Maria da Penha. Após modificações durante a tramitação no Congresso Nacional, o texto final acabou incluindo outros grupos populacionais considerados vulneráveis.

De acordo com o Código de Processo Penal (Decreto-Lei 3.689/1941), atualizado com a lei agora sancionada, o exame de corpo de delito deve ser feito por um perito oficial, portador de diploma de curso superior. Na ausência de um profissional com esse perfil, a orientação é de que duas pessoas idôneas, portadoras de diploma de curso superior preferencialmente na área específica, dentre as que tiverem habilitação técnica relacionada com a natureza do exame, realizem o procedimento.

A vítima tem direito de realizar o exame em qualquer dia e a qualquer hora. A legislação prevê que o laudo contendo o resultado da perícia deve ser emitido em, no máximo, dez dias, prazo que pode ser prorrogado mediante justificativa do perito responsável.

Policial : BOPE EM AÇÃO
Enviado por alexandre em 21/09/2018 00:01:33


Bope começa funcionar em Porto Velho e vai atuar em operações de inteligência e especiais

A antiga Companhia de Operações Especiais (COE) de Porto Velho foi transformada em Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope). A cerimônia de instalação aconteceu na manhã desta quarta-feira (19). O comandante é o capitão Paulo Henrique da Silva Barbosa.

Segundo a polícia, ele recebeu um treinamento na Espanha e já participou de duas reintegrações de posse sem nenhum conflito entre policiais e invasores. “É com muita satisfação que assumo o posto de capitão para que a gente possa desenvolver um bom trabalho em prol da população. A gente trabalha na prevenção de crimes primeiramente e, alguns casos da turbação da ordem, nós estamos preparados para atuar também sempre com o objetivo de revolvê-los pacificamente”, diz o capitão.

Atuação do batalhão, explica o capitão, ocorrerá em duas vertentes através de operações de inteligência e especiais. O Bope conta com um grupo de atiradores, esquadrão de bombas que está mobilizado com um efetivo maior, uma unidade de intervenção tática que vai atuar em ocorrência de resgate de reféns e uma de operação de resgate rural com. No total a corporação conta com o efetivo de 30 policiais com a previsão de capacitar mais 30.

O Secretário de Segurança Pública, coronel Ronimar Jobim, diz que está previsto para acontecer dar início em 2019 o curso de operações especiais para preparar e capacitar novos policiais para aumentar o efetivo do Bope que irá atuar em situação de crise em todo o Estado. “Hoje nós assinamos um ato para dar início ao curso e até abril do ano que vem nós queremos começar o curso para aumentar o número de policiais para trabalhar em prol da nossa população e trazer mais segurança”, finaliza.

Estiveram presentes na cerimônia o governador Daniel Pereira, secretário da Sesdec coronel Ronimar Jobim e o comandante geral da PM coronel Mauro Ronaldo.

FONTE: RONDONIAGORA.COM

Policial : CRIMINOSOS
Enviado por alexandre em 12/09/2018 07:46:43

7 pequenas coisas que os criminosos observam quando vão atacar
Os criminosos estão sempre nos observando e pensando em como vão nos abordar.

Os brasileiros estão cansados de tanta violência. Em 2016, por exemplo, o Brasil teve em média um roubo ou furto de veículo por minuto. Já em 2017, a cidade de São Paulo teve 530 furtos por dia, o número maior desde 2013. Na cidade que vocês moram não deve ser diferente, certo? Os criminosos estão sempre nos observando e pensando em como vão nos abordar.


Tendo isso em mente, nós resolvemos fazer essa matéria com algumas coisas que os criminosos observam antes de agir. São pequenos detalhes, coisas que nós não percebemos, mas que para eles podem fazer toda a diferença na hora de tentar cometer um crime. Então, caros leitores, confiram agora a nossa matéria com as 7 pequenas coisas que os criminosos observam quando vão atacar:


1 - Nossa rotina


Se você perceber alguém observando sua casa e seus movimentos com uma frequência alta, fique sabendo que você pode estar correndo um grande perigo. Eles querem saber que hora saímos e que hora chegamos em casa para ter uma noção do melhor momento para atacar. Uma boa dica é mudar seus horários de vez em quando e não deixar que estranhos fiquem sabendo da sua rotina.


2 - A segurança de uma casa


Vamos supor que ser ladrão seja uma profissão. Qual seria o melhor alvo para um ladrão "trabalhar"? Claramente eles querem roubar as casas mais fáceis de se entrar. Portanto, residências que têm cães e sistemas de segurança costumam ser um alvo ignorado pelos bandidos. Eles querem fazer o menor esforço possível e, claramente, se livrar do sistema de alarmes ou mesmo de um cão são fatores que dificultam seu "trabalho".


3 - Casas iluminadas x casas não iluminadas

Se você vê uma casa com as luzes acesas, com certeza vai pensar que tem gente lá dentro, certo? Já uma casa com todas as luzes apagadas, indica que a residência possivelmente está sozinha ou que os moradores estão dormindo. Essa é uma tática usada por muitos criminosos. Eles observam o lugar por um certo tempo, quando têm a certeza que a casa está vazia, eles atacam. Por isso, o indicado é sair e sempre deixar algumas luzes acesas. Algumas pessoas ainda gostam de deixar a televisão ligada, o que dá impressão de que realmente há gente na casa.


4 - Ostentação


Os criminosos mais espertos, digamos assim, gostam de observar o padrão de vida das pessoas para saber se vale a pena ou não roubá-las. Pessoas que gostam de ostentação e de mostrar para outros indivíduos que têm muito dinheiro, são alvos fáceis dos bandidos. Evitar expor que você tem dinheiro pode ser uma boa forma de não ser alvo fácil de criminosos.


5 - Redes sociais

Hoje em dia as pessoas postam nas redes sociais tudo o que fazem. Postam fotos do que estão comendo, de coisas que compraram e de lugares incríveis aonde vão. Mas o grande erro é fazer publicações quando estão viajando. Criminosos também têm redes sociais e eles podem facilmente te observar para saber quando você estará fora. Principalmente em feriados prolongados. Por isso, evite postar coisas em suas redes sociais que indicam que você está fora de casa. Se for o caso, poste apenas depois de ter retornado para sua residência.


6 - "Saidinha de banco"

A famosa "saidinha de banco" se baseia em assalto ou furto à pessoas que, depois de sacar dinheiro no banco, são abordadas por criminosos. É sempre bom ficar atento com as pessoas que te cercam no banco e principalmente as que ficam de olho em que entre e sai das agências. A dica é sempre evitar sair com grandes quantias.


7 - Fique de olho em sinais na porta da sua casa

Fique esperto com panfletos e marcas estranhas na porta da sua casa. Muitos bandidos marcam casas para indicar que o lugar é de fácil acesso. Algumas marcas indicam que a casa tem muito objetos de valor ou mesmo que os moradores estão ausentes.

Fatos Desconhecidos

Policial : O APOIO
Enviado por alexandre em 09/09/2018 19:37:32

Preocupe-se: a Lava Jato é quase "já era"

Carlos Brickmann

O apoio popular à Operação Lava Jato vem diminuindo – lentamente, mas diminui. A informação é de uma pesquisa do instituto multinacional Ipsos, realizada entre 1º e 11 de agosto. Embora o apoio às investigações se mantenha altíssimo 86%, cai desde junho de 2017, quando era de 96%. E a desconfiança aumenta: antes, 74% acreditavam que a Lava Jato investigava todos os partidos. Hoje, o número caiu para 46%.

Uma informação relacionada, obtida na mesma pesquisa: 30% dos eleitores votariam num candidato envolvido em escândalos de corrupção, “desde que fosse um bom presidente”. Boa parte desses eleitores apoia com entusiasmo a Lava Jato e acha que o combate à corrupção tem de ir até onde for possível, mas não se opõe ao “rouba mas faz”.

Gostou de um candidato e gostaria de saber mais sobre ele? Quer falar mal do candidato de algum amigo? Seus problemas acabaram: ligue no link www.tchauqueridos.net e entrará no site Tchau, Queridos. Basta escolher o Estado e o nome da pessoa que aparecerá tudo sobre ela, votos, processos, etc. Não é perfeito – afinal, um site que consiga cobrir todos os envolvidos em corrupção deve exigir supercomputadores – mas é útil e bem divertido.


(1) 2 3 4 ... 151 »