Policial - PILANTRAS - Notícias
(1) 2 3 4 ... 169 »
Policial : PILANTRAS
Enviado por alexandre em 27/05/2020 10:02:50

Fraudes vão de empresários a pessoas que residem no exterior

Em meio a pagamentos que já passam de 53 milhões de pessoas, o governo federal intensifica investigações para identificar fraudes no recebimento do auxílio emergencial, benefício de R$ 600 pago pelo governo a informais e desempregados de baixa renda.

Segundo o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário (foto), as apurações em andamento estão cruzando a base de dados do benefício com outras à disposição do governo federal.

Entre alguns exemplos dados por Rosário em fala à imprensa nesta terça-feira (26), estão sócios de empresas com funcionários registrados (74 mil pessoas), proprietários de veículos com valor de mercado acima de R$ 60 mil e de embarcações. Também estão no radar cerca de 86 mil pessoas que doaram mais de R$ 10 mil para campanhas eleitorais em 2018 e pessoas com domicílio fiscal no exterior.

Não necessariamente os CPFs cadastrados significam que estas pessoas cometeram fraude. Segundo Rosário, a investigação agora passa a analisar a origem dos cadastros, a partir dos IPs (código de acesso à internet) e de informações dos telefones celulares.

Há a preocupação de que fraudadores possam utilizar documentos de terceiros para inscrições fraudulentas. Outra linha de trabalho é a de presos, cadastrados para receber o benefício apesar de terem o sustento assegurado no sistema prisional.



A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal vai tomar medidas judiciais contra a entidade que representa os policiais federais devido à acusação de que teria fornecido informações privilegiadas à deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

A cada dia, desde a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça, o clima fica mais tenso dentro da Polícia Federal.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) rebateu no início da noite nota da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) que aponta suposta estreita relação da deputada Carla Zambelli com os delegados.

“Irresponsável”

Segundo a Fenapef, a deputada poderia ter tido informações privilegiadas sobre operações.

A entidade destaca ainda que “no momento em que a Polícia Federal é colocada involuntariamente no centro do debate político, nada mais danoso para o órgão do que a utilização desse ambiente para se criar instabilidades por rixas classistas que nada colaboram com a defesa da instituição”.

Veja a íntegra da nota da ADPF:

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), que há 43 anos representa os delegados da Polícia Federal e tem um histórico de defesa ética e séria da instituição, repudia veementemente a irresponsável nota da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), em razão das graves e infundadas ilações sobre possível vazamento de informações de investigações por parte desta Associação.

No momento em que a Polícia Federal é colocada involuntariamente no centro do debate político, nada mais danoso para o órgão do que a utilização desse ambiente para se criar instabilidades por rixas classistas que nada colaboram com a defesa da instituição. Continue lendo

Policial : A VOLTA DA PF
Enviado por alexandre em 26/05/2020 08:54:19


Sem Moro a PF volta a realizar as operações
Sem Moro, Federal volta a agir

Em entrevista ao Frente a Frente de ontem, o vice-líder do Governo no Senado, Francisco Rodrigues (DEM-RR), admitiu que a Polícia Federal vem seguindo uma nova orientação depois da saída do ex-ministro Sérgio Moro e da mudança do seu comando, em Brasília. “Perceba que as operações, que haviam sido suspensas, estão voltando”, disse, citando em seguida o seu próprio Estado, Roraima, como objeto de ação, além dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso.

Coincidência ou não, o fato é que Fortaleza amanheceu, ontem, cercada de policiais federais. Ali, a Federal constatou que respiradores comprados pela Prefeitura e o Instituto Doutor José Frota (IJF) para tratamento de pacientes com a Covid-19 custaram cerca de R$ 234 mil, valor até quatro vezes mais caro do que o adquirido por outras instituições e prefeituras brasileiras, segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU), que deflagraram a Operação Dispneia , junto com a PF, para investigar o caso.

O mesmo equipamento foi comprado em outras cidades do País por R$ 60 mil, para o enfrentamento da pandemia. Já o estado do Ceará pagou R$ 117 mil por um respirador, ou seja, metade do preço contratado pelas autoridades de Fortaleza. Dois contratos de dispensa de licitação realizados para compra de 150 respiradores são objeto da operação da Polícia Federal. A suspeita é de que o prejuízo aos cofres públicos pode chegar ao valor de R$ 25,4 milhões.

O contrato foi assinado em 30 de abril entre Prefeitura e uma empresa de São Paulo, prevendo o recebimento dos ventiladores pulmonares até o dia 4 de maio. O prazo curto seria a justificativa para a cobrança do valor acima de mercado. No entanto, a empresa contratada pediu flexibilização do prazo até dia 15 de maio, mas os equipamentos nunca foram entregues.

O pagamento de cerca de R$ 25 milhões pelo material feito antecipadamente pela Prefeitura, sem exigência de garantia, é uma das irregularidades investigadas. A PF afirma que a empresa não tinha condições de fornecer os respiradores, com “duvidosa capacidade técnica e financeira” e capital social que não permite comprar sequer um equipamento. Além disso, a empresa já respondia a uma investigação em Rondônia por não fornecer testes rápidos contratados naquele estado.

Fim do engessamento – Na live pelo Instagram deste blog, terça-feira passada, o presidente Bolsonaro foi abordado sobre o engessamento da Polícia Federal e insinuou que o responsável teria sido o ex-ministro Sérgio Moro. “Quem tiver fazendo coisa errada que se cuide”, alertou. No caso de Pernambuco, Bolsonaro admitiu mudanças no comando da Polícia Federal, mas com a ressalva de que o isso caberia ao novo diretor-geral e que não iria interferir. “O presidente se elegeu para combater a corrupção e não deixar roubar”, disse o senador Francisco Rodrigues quando indagado sobre a operação de ontem na capital cearense.

Bola da vez – Não há ainda conformação, mas Recife deve ser a próxima etapa da operação Dispneia, da Polícia Federal, que investiga superfaturamento em contratos para compras de equipamentos de proteção hospitalar para uso dos profissionais de saúde na rede do SUS, o Sistema Único de Saúde. As suspeitas recaem na compra também de respiradores como se deu em Fortaleza. Na sexta-feira passada, a Polícia Federal fez uma “visita surpresa” à Prefeitura do Recife, que comprou 500 respiradores, pela bagatela de R$ 11,5 milhões, a uma empresa MEI – Microempreendedor Individual – com limite de faturamento de apenas R$ 81 mil. O que impressiona é o ramo da empresa contratada, além do espaço em que funciona. A empresa era um pet shop de bairro, começou a funcionar em outubro de 2019.

Irregularidades – “Nós tivemos acesso à fábrica dessa empresa. Com todo respeito, parece uma oficina mecânica. A população vai se assustar quando tiver acesso às fotos”, relata o procurador do MT de Contas do Estado, Cristiano Pimentel. Autor do pedido de investigação ao TCE, Pimentel levantou outra grave irregularidade: um impasse envolvendo a fornecedora e a Justiça de São Paulo em 2015. “Esta empresa, em 2015, foi declarada pela Justiça Federal de São Paulo como lugar incerto e não sabido. Ou seja, ela estava sumida da Justiça alguns anos atrás e hoje está vendendo respiradores para a Prefeitura do Recife”, disse.

Empresa fajuta – No caso de Fortaleza, a PF afirma que a empresa não tinha condições de fornecer os respiradores, com “duvidosa capacidade técnica e financeira” e capital social que não permite comprar sequer um equipamento. Além disso, a empresa já respondia a uma investigação em Rondônia por não fornecer testes rápidos contratados naquele Estado. Com o descumprimento do prazo, a Prefeitura de Fortaleza cancelou um dos contratos, oficialmente, com publicação no Diário Oficial do Município. Porém, o dinheiro ainda consta nas contas da empresa, de acordo com a PF. Com isso, a investigação segue para identificar se há conluio entre as empresas e favorecimento de personagens públicos.

CURTAS

ATRASO – A demora do presidente Bolsonaro em sancionar a lei que autoriza o repasse direto da ajuda de R$ 60 bilhões para Estados e municípios enfrentarem os efeitos da covid-19 deixou prefeitos de todo o País em estado de alerta. Entidades municipalistas afirmam que pode haver atrasos nos pagamentos dos salários de maio dos servidores. As cidades têm sofrido com a queda na arrecadação e contam com o auxílio federal para recuperar seus caixas. Bolsonaro tem até amanhã para sancionar a proposta – que já está em sua mesa há quase 20 dias. Para o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, o atraso tem impactos diretos na economia local. Ele lembra que os profissionais da Saúde também poderão ser atingidos.

ALERTA MUNICIPAL – Segundo Aroldi, o Ministério da Economia informou que, a partir da sanção, pode-se demorar cerca de sete dias para os valores chegarem aos cofres dos municípios. Assim, os salários correm o risco de ficar para depois do quinto dia útil de junho. Torneira secou. As duas entidades destacam que, mesmo com a recomposição de receitas que caíram e a ajuda do governo federal, os municípios deverão enfrentar ainda mais dificuldades a partir do segundo semestre. “Até agosto vamos sobreviver, mas, depois, não há nenhuma ajuda prevista”, afirmou Aroldi.

DANIEL SILENCIA – A Academia Pernambucana de Medicina (APM) lançou, ontem, um manifesto em que pede às autoridades que sejam estabelecidas medidas imediatas ainda mais duras de isolamento social na pandemia da Covid-19. Segundo o presidente da entidade, o neurocirurgião Hildo Azevedo, esse mecanismo é o mais eficiente para a redução dos danos aos sistemas de saúde e para salvar mais vidas no combate à doença causada pelo novo coronavírus. “O foco desse manifesto é enfatizar o maior isolamento social possível. Se não fizermos isso, o nosso sistema de saúde irá colapsar. Não só para atender os doentes da Covid-19, mas também o Sistema Único de Saúde (SUS), que tem responsabilidade em Pernambuco de tratar 80% da população. Temos que continuar nessa luta do isolamento social”, afirmou o presidente da APM, em entrevista à repórter Beatriz Castro, da TV-Globo.

Perguntar não ofende: Quando Governo e oposições vão deixar as indiferenças de lado para salvar o povo da morte da Covid?




Policial : O CRIME
Enviado por alexandre em 17/05/2020 23:58:00

Crime organizado aproveita "oportunidades" criadas pela COVID-19

Tráfico de suprimentos médicos, desenvolvimento de crimes cibernéticos, assistência social para fortalecer o controle territorial: a COVID-19 se tornou “uma janela de oportunidades” para o crime organizado na América Latina – afirmaram especialistas em um fórum convocado pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

 

Desde meados de março, quando o surto do novo coronavírus foi declarado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os países se concentraram em atender a crise econômica e de saúde.

 

As medidas para evitar contágios, como fechamentos de fronteiras e confinamento da população, potencializaram as multinacionais do crime, longe de dissuadi-las.

 

Veja também

 

Após criticar Bolsonaro, revista diz que atuação de Trump é 'incoerente'

 

Holanda orienta que solteiros encontrem parceiros sexuais fixos durante quarentena

 

“O crime organizado encontrou mais do que um desafio. Encontrou uma janela de oportunidades para se projetar”, afirmou na sexta-feira o diretor do Departamento de Crime Organizado Transnacional da OEA, Gastón Schulmeister.

A emergência “revalidou” estes grupos, disse ele, ao alertar sobre o “perigo de permeabilidade social, especialmente em um cenário de crise econômica”.

 

 Deslegitimação “alarmante” do Estado 

 

A “tendência mais alarmante” é a capacidade das organizações criminais transnacionais (TOC, em inglês) de preencherem as lacunas de um Estado ausente, substituindo-o como “um ator legítimo e prestador de serviços”, destacou o presidente da consultoria americana IBI Consultants, Douglas Farah.

 

No México, os cartéis distribuem comida e medicamentos; e, em Honduras, as gangues organizam campanhas de desinfecção de veículos para proteger da COVID-19 nos territórios sob seu controle, exemplificou.

 

Embora o poder nesses grupos ainda seja muito masculino, na última década uma mudança começou a ser observada no papel da mulher, por herdar o negócio de seus maridos, ou dos pais, ou por entrar no tráfico de drogas.

 

Schulmeister destacou “a visão de que não se deve pensar nas mulheres apenas como vítimas do crime organizado, mas também como vitimizadoras”. Ao mesmo tempo, pediu para que pensem nelas como “agentes de mudança, em papéis de policiais, ou investigadoras”.

 

 Ouro ilegal e máscaras 

 

Com as forças de segurança dos países concentradas na vigilância interna, o controle das fronteiras diminuiu, impulsionando outros negócios ilícitos, como o tráfico de ouro.

 

“Vemos uma enorme quantidade de ouro saindo da Venezuela, de Nicarágua”, afirmou Farah, que comparou a mineração ilegal “em grande escala” nestes países com um “sangramento”.

 

 

A Venezuela é o “foco regional” de onde sai o ouro para Brasil, Guiana e Colômbia, completou. No contexto de sua “adaptabilidade” à pandemia e de sua capacidade de aproveitar todas as “brechas no sistema”, as TOCs também apostaram em “diversificar” seus produtos, como remédios e vacinas para o coronavírus e o contrabando de máscaras. 

 

Istoé

Policial : BARBIE DO CV
Enviado por alexandre em 15/05/2020 14:59:37

Beldade do pó é presa com 11 kg de maconha na BR 364

Um trabalho de investigação dos policiais civis da Delegacia de Combate ao Narcotráfico (DENARC) resultou na prisão de Verena Santos Lima, 22 anos, e na apreensão de 11 kg de maconha na manhã desta sexta-feira (15). A prisão aconteceu na BR-364, nas proximidades da Cidade do Povo, em Rio Branco. A apresentação do entorpecente aconteceu em coletiva na Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) no bairro Cadeia Velha.

De acordo com o delegado coordenador da DENARC, Karlesso Nespoli, a polícia recebeu uma denúncia anônima de a mulher, que trabalha como mula do tráfico, (quem transporta substância entorpecente para organizações criminosas mediante o pagamento) estaria em um táxi transitando na BR-364. O táxi foi abordado pelos agentes da Denarc e em uma revista no carro, foi encontrado na bagagem da mulher os 11 kg de maconha. O Taxista que estava vindo de Cuiabá (MT) e informou ao delegado que não sabia que Verena transportava o entorpecente, que a pegou em Mato Grosso como uma cliente qualquer.

“Foi mais um trabalho brilhante dos investigadores da DENARC, que vem agindo dia e noite pra fazer essas apreensões e investigar os criminosos que tem trazido drogas para o nosso estado. Recebemos as informações e conseguimos identificar a pessoa que vinha com essa droga. Uma jovem que estava no táxi e após abordagem encontramos o entorpecente em sua bolsa. Ela será autuada em flagrante pelo crime de tráfico de drogas majorado por envolvimento de outro estado da federação e agora está a disposição da justiça”, concluiu Karlesso Nepoli.

Diante do fatos foi dada voz de prisão e a mula do tráfico, que é membra de uma organização criminosa, foi encaminhada à Delegacia especializada e está a disposição da justiça.

Segundo o delegado, Verena é acreana e foi buscar a droga no estado de Mato Grosso a mando de uma organização criminosa. A droga apreendida deu um prejuízo de aproximadamente R$ 45 mil a facção.


ac24horas

Policial : O PICARETA
Enviado por alexandre em 08/05/2020 23:19:27

MP investiga Valdemiro Santiago que vende semente mágica prometendo curar o Covid-19

Famoso por atitudes controversas, o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Reino de Deus, está vendendo uma semente mágica como a cura da Covid-19. O "grão ungido" pode ser comprado pelos fiéis pela bagatela de R$ 1 mil. O vídeo já está sendo investigado pelo Ministério Público (MP), informa o jornal O Dia. A venda do produto pode ser classificada como o crime de estelionato.

De acordo com a Procuradoria da República de São Paulo "o vídeo está sob análise". Ainda de acordo com o órgão, cabe à esfera estadual apurar a responsabilidade civil do pastor no caso. Já o MP paulistano afirmou que as imagens já estão sob análise de um promotor.

O POVO optou por não disponibilizar as imagens do vídeo por considerar o risco de má fé entre os envolvidos no caso. Até o momento, segundo todos os órgãos de saúde do mundo, não existe cura para o coronavírus, que é combatido pelo próprio corpo até o vírus se tornar indetectável.

Valdemiro diz que o fiel irá investir no "propósito da semente ser tua benção". No vídeo, o pastor apresenta um suposto laudo médico de um paciente curado da Covid-19 após plantar a o grão. "Vou fazer o propósito de R$ 1 mil para cada um. E muitos que estão me assistindo também vão fazer de R$ 1 mil. Outros vão fazer de R$ 500. De acordo com sua semeadeira", diz o pastor.

Não é divulgado de qual planta específica é a semente, mas o líder da Igreja Mundial afirma que o slogan do propósito estará estampado na planta ao florescer.

Valdemiro fala do potencial da semente:"gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (...) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta... É a semente 'sê tu uma bênção'. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito 'Sê tu uma benção'."

O pastor rebate no vídeo a possibilidade de fraude ao anunciar o preço da semente "Mas isso é enganar? Você que tá enganado". A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que ainda não há vacina, cura ou medicamentos que protejam ou possam ser utilizados no tratamento de Covid-19.

Com informações do Correio via Rede Nordeste

(1) 2 3 4 ... 169 »