Gilmar nega pedido de Crivella para não se justificar à Justiça - Justiça em Foco - Notícias
Justiça em Foco : Gilmar nega pedido de Crivella para não se justificar à Justiça
Enviado por alexandre em 28/09/2021 09:00:37

Defesa do ex-prefeito do Rio de Janeiro queria que ele não tivesse que prestar informações periódicas à Justiça


Ex-prefeito do Rio, Marcelo Crivella Foto: Reprodução

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou um pedido apresentado pelo ex-prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, para evitar ter que comparecer periodicamente à Justiça de modo a informar suas atividades. A defesa de Crivella havia apresentado o pedido para que o ex-prefeito pudesse assumir o embaixador do Brasil na África do Sul.

Em agosto, Gilmar havia devolvido o passaporte do ex-prefeito e devolveu o passaporte do ex-prefeito mas determinou que ele prestasse contas à Justiça. Ao pedir que a medida fosse suspensa, os advogados do ex-prefeito afirmaram que sua ida para a África do Sul iria impedir que a determinação fosse cumprida. Eles ainda ressaltaram que o político estava colaborando com o processo.

Leia também1 Sidney Magal defende Sérgio Reis: 'Correto, bom de coração'
2 STF aplica 'insignificância' a posse de 1,8 g de maconha
3 Esposa de Daniel Silveira faz revelação: "Agentes da PF me pediram desculpas"
4 Eduardo B. chama de 'bobo' quem acreditou em gabinete do ódio
5 Web resgata vídeo de Cármen Lúcia em evento sobre maconha

Ao negar o pedido, Gilmar Mendes apontou que “tanto o comparecimento periódico em juízo quanto a proibição de manter contato com os investigados, nesse caso, visam a preservar a integridade e a celeridade da fase instrutória”.

Em 22 de dezembro de 2020, a nove dias do fim de seu mandato, Crivella acabou sendo preso preventivamente e solto no dia seguinte, acusado de ser o líder de uma organização criminosa que tinha como foco “aliciar empresários para participação em esquemas de corrupção”. No início de agosto, porém, o Ministério Público pediu o arquivamento desse processo por falta de provas.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo