Irmão de Bolsonaro sobe em palanque do PT e PSB contra Doria - Regionais - Notícias
Regionais : Irmão de Bolsonaro sobe em palanque do PT e PSB contra Doria
Enviado por alexandre em 15/09/2020 08:57:37


Renato Bolsonaro, um os irmãos do presidente eleito, conversou com simpatizantes na Granja do Torto

Por Lauro Jardim/O Globo

Irmão de Jair Bolsonaro, Renato Bolsonaro (de camisa verde na foto) participou no fim de semana da convenção do PSB que lançou Vavá Cordeiro à Prefeitura de Cajati, no Vale da Ribeira (SP).

O apoio de Renato mostra como a política pode surpreender. E nem está se falando pelo fato de Vavá ter sido cassado em agosto pela Câmara dos Vereadores.

Mas por que sua candidatura tem também o decidido apoio oficial do PT.

Na cidade, João Doria apoia o pastor José Valdir, que comanda a chapa do PSDB e tem PSD, DEM, MDB e PSL como aliados.

Candidatura de Vavá Cordeiro

Entre as instituições religiosas que constam como devedoras ativas da União na lista da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), a Igreja Internacional da Graça de Deus aparece como a terceira maior inadimplente. Fundada em 1980, é comandada pelo Missionário R. R. Soares, pai do deputado federal David Soares (DEM-SP), autor da emenda que dá perdão tributário a esse tipo de instituição – e que foi parcialmente vetada por Bolsonaro.

Toda a dívida do CNPJ da Igreja com a União, de R$ 37,8 milhões, está vinculada a contribuições previdenciárias, que deixarão definitivamente de ser cobradas de entidades religiosas a partir desta segunda-feira (14), com a sanção da nova lei.

O débito da Internacional da Graça de Deus só é inferior aos R$ 91,4 milhões devidos pela Igreja Mundial do Poder de Deus, do apóstolo Valdomiro Santiago, e pela Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial, que possui R$ 99,2 milhões em dívidas. Outras empresas ligadas a R.R. Soares, como gravadoras, shopping e redes de televisão, não possuem registros na dívida ativa da PGFN.

David apresentou a proposta de perdão tributário em uma emenda a um projeto sobre uso de recursos economizados no pagamento de precatórios no combate à covid-19. Segundo a justificativa dada por ele, as entidades religiosas têm sido alvo de autuações oriundas de interpretações equivocadas da legislação, sem levar em consideração posteriores modificações do ordenamento jurídico.

“Tais autuações acabam por praticamente inviabilizar a continuidade dos relevantes serviços prestados por tais entidades”, escreveu o parlamentar, para quem a medida traria uma menor judicialização do tema.

O parlamentar tentou ampliar ainda mais os benefícios às igrejas no mesmo projeto de lei: outra emenda dele buscava zerar o Imposto de Renda de valores enviados por igrejas ao exterior a título de “doação” das organizações religiosas. O deputado não apontou critérios para o que seria considerado doação neste caso (leia aqui).

Apesar de o presidente ter vetado parcialmente o trecho relativo a débitos de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), as contribuições previdenciárias, como as da Igreja Internacional, foram mantidas por Bolsonaro, e já estão presentes na Lei 14.057, sancionada ontem (14).

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo