TESTE CHINÊS DA SESAU PARA COVID19 CRIA PÂNICO EM RONDÔNIA - Regionais - Notícias
Regionais : TESTE CHINÊS DA SESAU PARA COVID19 CRIA PÂNICO EM RONDÔNIA
Enviado por alexandre em 29/06/2020 09:09:59

O Estado contabiliza mais de 400 vítimas fatais do COVID19 e convive com inúmeros problemas graves no setor da saúde pública no Estado, entre esses, a falta de atendimento clínico, disponibilização do kit medicamentos com cloraquina, azitromicina, anticoagulante, logo nos primeiros dias dos sintomas, como forma de evitar o agravamento clínico do COVID19.

Mas, o governo do estado de Rondônia, através da secretaria da saúde, importou 100 mil kits da China, cujos insumos de testes, em vários países, foram devolvidos por serem "batizados" como positivo, numa amostragem de 20%.

Aqui em Rondônia, as denúncias mundo afora se repete com os testes chineses do COVID19 e os municípios estão desesperados, pois trazem duplo problema de saúde pública.

CABIXI: Família diagnosticada com COVID-19 após teste rápido refaz exames em laboratório particular e constata que nunca foram contaminados

Exames foram refeitos em laboratório particular

Por FÁBIO CAMILO

Em vídeo, o produtor rural Adilson Carvalho Nunes expressou sua revolta referente a uma situação ocorrida com sua família."Sempre fiquei com um pé atrás sobre esse resultado. Pagamos para ela fazer exame particular e em momento nenhum ela teve covid-19. Posso provar", disse.

Ele chamou de irresponsabilidade a ação de representantes do hospital pela divulgação do caso que foi feito "com tanta rapidez".

Garante que sua família ficou constrangida e exigiu que a prefeitura retire seus nomes da lista de "curados", já que nunca foram contaminados pelo vírus."O hospital, antes de divulgar, deveria ter feito o reteste para ter uma comprovação garantida. Mas não foi o que fizeram. Acho que a intenção era constranger a gente porque ficamos constrangidos com toda essa história. O que aconteceu foi uma irresponsabilidade tanto do hospital quanto dos médicos", reclamou.

Adilson disse ainda que "se a gente tivesse contraído esse vírus, a forma como eles tratam, a gente morre porque batia o psicológico". E finalizou: "Então, só para deixar bem claro: não tivemos contato com o vírus".

A reportagem também entrou em contato com Francieli Fagundes, filha de seu Adilson, que apesar de não ter sido diagnosticada no primeiro teste, também manifestou sua revolta nas redes sociais. Confira o desabafo:

"PALHAÇADA! É a palavra certa pra definir o que passou e o que está acontecendo até o momento. No dia 03 desse mês, minha família testou positivo para covid-19 (teste rápido), ficaram de quarentena e tomaram a medicação indicada para tratamento (TIVERAM QUE COMPRAR, O MUNICÍPIO NÃO DISPONIBILIZOU A CLOROQUINA, FALTA DE DINHEIRO NÃO É). Durante o período de quarenta foi feito o pedido de reteste, para a secretária de saúde, para esclarecer dúvidas, já que não estavam apresentando nenhum sintoma do vírus. O que fizeram? NEGARAM.
No começo de tudo, disseram que minha irmã teria contraído o vírus de um policial de Rolim de Moura, que veio em missão para Cabixi. O policial apresentou mal estar e fez o teste rápido, resultando em positivo, logo em seguida fez mais dois exames que deram negativo, ou seja, ele não tinha covid-19. Mas até esse ponto, já tinham falado o que sabiam e o que não era verdade. Sobre os comentários que começaram a circular, que não foram dos melhores, principalmente os que saíram da boca da secretária de saúde do município, onde ela dizia com toda convicção que minha irmã teria contraído o vírus do policial e passado para os meus pais. Em seguida a secretária pediu desculpas para o policial, coisa que ainda não aconteceu com minha família, até hoje nenhum pedido de desculpas, pela falta de ética da mesma. O que ela fez? Parou de responder, visualizava as mensagens e áudios e simplesmente não respondia.
Outro caso intrigante foi o monitoramento que fizeram com os CASOS CONFIRMADOS, não durou nenhuma semana após a confirmação dos casos, e já não se via nenhuma mensagem da central de combate ao covid-19 do município, nem pra perguntar se estava bem… No dia 17 de julho mandaram mensagem dizendo que já estavam liberados e que poderia voltar a rotina, porém, não fizeram se quer um teste para ter certeza. Descaso não é?
Como minha família tinha dúvida se realmente estavam com o vírus, e como já tinham feito o pedido de reteste, porém, negado, fizeram o exame em um laboratório particular para esclarecer as dúvidas, e a surpresa foi, minha irmã nunca teve o vírus. E agora fica a pergunta né, porque não quiseram fazer o reteste? Será que estavam com medo de algo? Ou será que esses testes são burlados? Porque não fizeram o monitoramento que deveria ser feito? (porque pelos vídeos que postavam, estava fazendo o máximo né. Tudo mentira).
Isso serve para que as pessoas pensem bem antes de falar qualquer coisa. Se tivessem feito o reteste, como foi pedido, talvez não teria todo esse transtorno.
Será que agora o município vai arcar com pelo menos metade dos gastos que tivemos e que estamos tendo agora? Com o psicólogico que fica totalmente abalado.
Então pessoal, minha família nunca teve covid-19. E esperamos que zerem a quantia de casos positivos no município de Cabixi.
Estou fazendo essa postagem, para que sirva de alerta para outras famílias, para não passarem o que minha família passou. Descaso, preconceito, falta de ética da parte de alguns profissionais da saúde, entre outras coisas."
Até mais e cuidem-se!

Teste feito pela Secretaria de Saúde
Exame realizado no laboratório particular

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo