Vereador mata prefeito de cidade mineira com tiro no coração após levar chicotada: ‘Fui obrigado a me defender’ - Regionais - Notícias
Regionais : Vereador mata prefeito de cidade mineira com tiro no coração após levar chicotada: ‘Fui obrigado a me defender’
Enviado por alexandre em 13/07/2019 21:47:56

Vereador mata prefeito a tiros por causa de porteira em lote

Desavença antiga entre Marquinho do Depósito (PSDC) e Hélio Pinto de Carvalho (PSDB) terminou em morte, em Naque, no Vale do Aço


Vereador mata prefeito de cidade mineira com tiro no coração após levar chicotada: ‘Fui obrigado a me defender’


Um briga entre prefeito e vereador de uma cidade mineira com 6 mil habitantes no Vale do Rio Doce terminou em assassinato neste sábado (13). O motivo da desavença foi a compra de um lote no município de Naque, que fica a cerca de 40km de Ipatinga.

A briga ocorreu por volta das 8h30 deste sábado, quando o vereador Marcos Alves de Lima, 56 anos, conhecido como Marquinho do Depósito (PSC), encontrou com o prefeito Hélio Pinto de Carvalho, 55, o Hélio da Fazendinha (PSDB), em um terreno.

Segundo a PM, o vereador tinha comprado nesta semana um lote na região e o prefeito divergiu com ele ao mandar uma máquina da administração municipal jogar terra na área. Os dois, então, começaram uma discussão sobre os limites do terreno.

“Simplesmente, estava em cima do animal [cavalo], ele puxou a vara, quase que eu caí. E começou a me dar varada, chicotada. Eu desci do animal, acho que na quarta ou quinta, eu falei: ‘Hélio, estou armado, não faça isso que eu vou ter que atirar em você'”, relatou Marquinho ao Diário do Aço (veja o vídeo abaixo).

Marquinho afirmou que, com receio do prefeito estar armado, sacou a arma, um revólver 38, e atirou no desafeto. “Fiquei com medo porque ele anda armado também e é perigoso. Toda ação tem uma reação, então fui obrigado a me defender depois de tomar tanta ‘cepada'”, afirmou.

Perguntado sobre quantos tiros disparou, o assassino respondeu “o que revólver tinha eu mandei”. O vereador, assassino confesso, admitiu que tinha divergências políticas com Helinho. “Depois que morre é santo. O que está de maracutaia desse prefeito na cidade…”.

A perícia identificou sete perfurações no corpo do prefeito, inclusive no coração dele. Ele chegou a ser socorrido por uma testemunha e, perto de um posto de saúde da cidade, foi levado por uma ambulância ao Hospital de Ipatinga, onde morreu logo após dar entrada.

Marquinho, por sua vez, fugiu a cavalo, parou um conhecido que dirigia um Fiat Uno e pediu para ser levado à residência. De lá, pegou o carro e fugiu para Governador Valadares, onde foi preso pela Polícia Militar. Ele chegou a esconder a arma em uma mata, mas entregou aos militares.





O prefeito de Naque – cidade de 6,9 mil habitantes, no Vale do Aço –  Hélio Pinto de Carvalho (PSDB), de 55 anos, conhecido como “Hélio da Fazendinha”,  foi morto a tiros  na manhã deste sábado. O suspeito do assassinato é o vereador e comerciante no município Marcos Alves de Lima (PSDC), o "Marquinho do Depósito". 


Marquinho deixou o local do crime, mas foi preso ainda nesta manhã pela Policia Militar após montagem de cerco na região.

Hélio da Fazendinha chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu ao dar entrada no Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, também no Vale do Aço, a 50 quilômetros de Naque.

Chicote e revólver


De acordo com as primeiras informações, o prefeito e o vereador já teriam desavenças antigas. Na manhã deste sábado, se encontraram junto a um local onde Marquinho do Depósito comprou terreno para implantar loteamento ao lado de área da prefeitura.

Segundo testemunhas, o vereador estava instalando uma porteira na entrada do terreno do loteamento, local em que funcionários da prefeitura teriam jogado entulho. 

Por causa disso, começou a discussão entre Hélio da Fazendinha e Marquinhos. O prefeito teria atingido o vereador com um chicote. Foi aí que Marquinho do Depósito informou que estava armado. 

A confusão continuou e, ainda de acordo com o relato dos moradores, o vereador sacou um revólver e atingiu o chefe do executivo local com quatro disparos. Logo em seguida, Marquinhos deixou o local em uma caminhonete Ford Ranger.

A Policia Militar de Ipatinga iniciou as buscas na região. Às 11h30, a assessoria do  comando do 14º Batalhão da Policia Militar (BPM) de Ipatinga anunciou que Marcos Alves de Lima foi preso quando tentava fugir em uma estrada vicinal em direção a Governador Valadares. A arma do crime foi apreendida.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo