O FILME - Brasil - Notícias
Brasil : O FILME
Enviado por alexandre em 12/03/2018 18:48:16


Imagens de fotógrafa cuiabana fazem parte de filme nacional sobre violência obstétrica
As imagens da gravidez e do parto de Lurdes Soares, registradas pela doula e fotógrafa de Cuiabá Elis Freitas, fazem parte do filme ‘O Renascimento do Parto 2’, que tem estreia programada para o dia 10 de maio em todo o Brasil. O documentário, que teve sua primeira parte lançada em 2013, fala desta vez sobre violência obstétrica. Nascida em Rondônia, Elis Freitas é farmacêutica e mora há cerca de cinco anos em Cuiabá. Em 2010, quando teve um parto domiciliar de seu segundo filho, decidiu fazer curso de doula e apoiar a causa. Depois dessa experiência, ela conheceu o parto humanizado.

Lurdes Soares, mais conhecida como ‘Lulu’, teve seu primeiro filho em 2015, de forma natural. Em entrevista ao site ‘Mães de Peito’, ela contou que foi mais difícil achar um médico que apoiasse sua escolha do que parir. Lurdes foi atropelada por um caminhão quando tinha sete anos de idade, e os médicos tiveram que amputar suas duas pernas.

Parto de Lulu:

“Ele [o diretor] me pediu especificamente o parto da Lulu”, contou Elis ao Olhar Conceito. “Porque foi realmente de quebrar muitos paradigmas pela condição física dela. Depois ele abriu o leque pra mais gente, abriu o chamado pra mais tipos de parto, e me pediu pra mandar outros partos pra ele, pélvico, gemelar...”.

Uma das fotos de Elis, que retrata Lulu grávida, em sua cadeira de rodas, e fazendo um símbolo de força, foi escolhida inclusive para ser o cartaz do documentário. Segundo a assessoria do filme, ainda não há certeza se ele vai ser exibido em Cuiabá, visto que a primeira parte não passou por aqui. No entanto, ele ficará disponível, depois, nas plataformas digitais.

O Renascimento do Parto

Com direção e roteiro de Eduardo Chauvet, ‘O Renascimento do Parto 2’ traz depoimentos de mães, ativistas, médicos e outros profissionais da saúde, e tem na violência obstétrica o seu fio condutor, além de apontar para experiências bem-sucedidas de parto normal praticados tanto no Brasil como no exterior.

O primeiro filme, feito em 2013, nasceu para falar sobre os dados que impressionavam sobre as cesarianas no Brasil. O país era o campeão mundial de cirurgias cesarianas no setor privado. Na época, mais de 55% das grávidas brasileiras passavam pelo procedimento cirúrgico, e esse número saltava para mais de 90% dos nascimentos na rede privada de saúde. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que a porcentagem de cesarianas não ultrapasse 15% do total de nascimentos.

O primeiro longa foi feito sem nenhum recurso público ou privado. De forma independente, bateu o recorde brasileiro de crowdfunding ao arrecadar mais de R$ 140 mil, dinheiro utilizado para garantir a exibição no circuito comercial.

“O Renascimento do Parto” terminou 2013 como o segundo documentário mais assistido nos cinemas do país. Em 22 semanas em cartaz, o filme passou por 50 cidades e foi selecionado para festivais dentro e fora do Brasil. Neste ano, coincidindo com o lançamento de “O Renascimento do Parto 2” no circuito exibidor de cinemas, o longa também será lançado nas plataformas de vídeo sob demanda pela Vitrine Filmes.

Além de “O Renascimento do Parto 2”, já está garantido o lançamento de “O Renascimento do Parto 3” nos cinemas em setembro de 2018, fechando assim a trilogia.

O Renascimento do Parto 2 será lançado em 2018 nos cinemas do Brasil e percorrerá, inicialmente, o circuito exibidor comercial de cinema com a mesma distribuidora do Renascimento do Parto 1, a Espaço Filmes, que também é o 3º maior exibidor de cinema no Brasil com 110 salas próprias.

O Renascimento do Parto 2 e 3 serão, logo em seguida, distribuídos em multiplataformas digitais como Netflix, VOD, iTunes Brasil e Mundo, Canal Brasil da Globosat e outras janelas pela Vitrine Filmes. Os DVDs, como no filme 1, serão distribuídos pela Bretz Filmes.

Haverá distribuição gratuita de 200 DVDs para bibliotecas públicas, escolas, instituições de ensino superior, centros culturais, cineclubes, e entidades do terceiro setor, dentro e fora do Brasil. Outras 300 cópias serão prensadas para distribuição específica. Cem cópias serão disponibilizadas sob demanda, através de contatos da proponente. Outras 200 cópias serão oferecidas às pessoas e instituições que, de alguma forma, contribuírem para a realização do filme.

“O Renascimento do Parto 2” ganhou edital de apoio na modalidade finalização e lançamento do Fundo de Apoio a Cultura da Secretaria de Estado de Cultura do Governo do Distrito Federal.

Veja o trailer do Renascimento do Parto 1:


http://www.olhardireto.com.br/conceito/noticias/exibir.asp?id=15030&noticia=imagens-de-fotografa-cuiabana-fazem-parte-de-filme-nacional-sobre-violencia-obstetrica

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo