Não há uma liderança forte no campo de centro-direita - Mais Notícias - Notícias
Mais Notícias : Não há uma liderança forte no campo de centro-direita
Enviado por alexandre em 09/02/2018 10:09:33

Não há uma liderança forte no campo de centro-direita

Postado por Magno Martins

Baixa expectativa de poder

Blog do Kennedy

A proximidade das eleições e a falta de um candidato governista forte dificultam a aprovação dessa agenda alternativa à reforma da Previdência. A campanha eleitoral tira de deputados e senadores o desejo de votar medidas que possam desagradar aos eleitores. Sem um candidato governista de peso, é baixa a expectativa de poder das atuais forças que comandam o país.

Os três nomes mais falados no campo governista, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), estão com dificuldade para viabilizar suas pretensões ao Palácio do Planalto. Não há uma liderança forte nesse campo de centro-direita.

Sem expectativa de poder, deputados e senadores ficam mais resistentes a propostas desses três pré-candidatos. Por exemplo: na campanha eleitoral, haverá críticas da oposição à reforma trabalhista e a promessa de um novo presidente do campo de centro-esquerda e esquerda de mudar pontos aprovados pelo atual governo. Será difícil um candidato se eleger pregando reforma da Previdência e medidas impopulares.

A situação de Temer, que chegou ao cargo porque era vice, permitiu ao presidente abraçar uma agenda impopular. Mas uma agenda parecida com a da atual administração não será competitiva na eleição. Basta ver os índices de impopularidade do governo.

Na campanha eleitoral, todo o trabalho reformista do governo Temer estará em xeque e poderá ser revertido por um novo presidente, a depender de quem venha a ser o escolhido.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo