PRIORIDADE - Justiça - Notícias
Justiça : PRIORIDADE
Enviado por alexandre em 19/07/2017 21:02:24


Orçamento da Lava Jato está 'garantidíssimo', diz Janot
'É prioridade da procuradoria na minha gestão', afirmou

"O que eu posso dizer que foi destinado para a Lava Jato para 2018 é mais do que em 2017."

O procurador­-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta quarta­feira (19), durante evento em Washington, que o orçamento da Lava Jato para 2018 está "garantidíssimo" e negou que haverá redução do valor destinado à operação. "É prioridade da procuradoria na minha gestão", afirmou.

Em ofício com 40 questões sobre a proposta orçamentária para o ano que vem, que prevê deficit, a futura substituta de Janot, Raquel Dodge, diz que a força-­tarefa da Lava Jato solicitou R$ 1,65 milhão e que foi apresentada uma proposta de somente R$ 522,7 mil.

"Qual a razão dessa redução para a força-­tarefa da Lava Jato?", questionou Dodge, no documento. "O orçamento da Lava Jato não foi reduzido", afirmou Janot à Folha de S.Paulo. "O que eu posso dizer que foi destinado para a Lava Jato para 2018 é mais do que em 2017."

Janot, que deixa o cargo em setembro, disse não ter se ofendido com o questionamento da sucessora. Ele diz, ainda, acreditar que a nomeação de Dodge se trata de estratégia do presidente Michel Temer para dar espaço a uma voz dissonante à do atual procurador. "Ela tem acesso à proposta orçamentária porque ela tem que votar. Na próxima terça-feira (25), ela estará lá na sessão do conselho votando, e ela vai poder dizer 'voto ou não voto, concordo ou não concordo', e dar as razões dela", disse.
Operação Lava Jato é 'imparável', diz ministro da Justiça
Há dois dias, Janot havia atendido ao mesmo evento


"O que tiver que ser feito, será feito", afirmou o ministro da Justiça sobre a Operação Lava Jato. (Foto: Adalberto Carvalho/CGU)

A Operação Lava Jato representa um ganho para a nossa sociedade e é imparável, afirmou o ministro da Justiça, Torquato Jardim, nesta quarta­-feira (19), durante palestra num evento promovido, em Washington, pelo Brazil Institute.

"O que tiver que ser feito, de acordo com a Constituição e as leis, será feito. Seja pelo Ministério Público, pela Polícia Federal, pelo Ministério da Justiça", disse ele, que é crítico dos métodos da operação.

Na mesma conferência, há dois dias, o procurador­-geral da República, Rodrigo Janot, declarou não ter pressa para apresentar nova denúncia contra o presidente Michel Temer. Torquato descartou a possibilidade de a viagem dele ter sido planejada como uma "resposta" do governo a Janot. "Foi tudo coincidência", disse à Folha de S.Paulo. "Eu e ele temos muitos amigos em comum", reiterou o ministro.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo