COMPORTAMENTO - Brasil - Notícias
Brasil : COMPORTAMENTO
Enviado por alexandre em 14/06/2017 01:34:52


Que tipo de pornografia as pessoas mais buscam? Um breve histórico
De 2007 a 2017, os fetiches (esquisitos, inusitados e até criminosos) que fizeram os sites pornôs bombarem.
Por Felipe Germano
O que você vestia há 10 anos? Um coletinho? Um topete? Uma franjona? Legal. E no que você pensava quando não estava vestindo nada? O site pornô PornHub sabe, e avisa: em algo totalmente diferente do que você pensa hoje. A afirmação não é à toa. A página fez um levantamento dos seus vídeos e temas mais acessados na última década e entregou ao site americano The Cut. O resultado foi um apanhado anual da moda-pornô-outono-verão-primavera-inverno, que – spoiler – muda ano a ano.

Abaixo você confere quais foram as tendências da última década.
2007: O ano da MILF

MILF é a sigla em inglês para “Mães com quem eu gostaria de transar”. A categoria bomba até hoje (no levantamento histórico, o tema figura na segunda colocação entre os vídeos mais procurados de todos os tempos), mas o apogeu mesmo rolou há exatos 10 anos atrás. Em 2007 o termo ficou em primeiro lugar, alavancando também “Mature” (Madura).
2008: O orgasmo feminino

Squirt é a misteriosa ejaculação feminina. Não à toa, a tradução ao pé da letra seria algo como “esguicho”, ou “jato”. Em 2008, o squirt foi a grande novidade do ano. O termo teve o terceiro maior crescimento nas buscas daquele ano, e o quinto lugar foi uma variante que procurava exatamente a mesma coisa: squirting (“esguichando” em português).
2009: O ano dos amadores

Esqueça os vídeos de alta qualidade, com atores, atrizes, diretores e iluminação profissional. Em 2009, o que bombou na rede foram os vídeos amadores. Não por acaso, foi nesse ano que o site lançou o Community, uma espécie de fórum, que facilitou o número de envios de vídeo.

Isso, claro, abriu a porta para todo um submundo do crime. Ter mais vídeos amadores não necessariamente significa ter mais vídeos amadores consensuais. O Pornhub começou a ser inundado de vídeos de pessoas que não queriam ser expostas na internet. O tema “Revenge Porn” (usado justamente para expor pessoas na internet) é frequentemente usado no site. O problema, que persiste até hoje, só começou a ter uma solução 6 anos depois, em 2015, quando a empresa lançou uma plataforma que combate vídeos postados sem a permissão dos participantes.
2010: O prazer (nem tão) solitário

“Massage” era o termo utilizado para classificar gravações em que mulheres eram masturbadas e, em 2010, a palavra entrou pela primeira vez no top 10 das buscas do site.
2011: O ano da bunda

Em 2011, o mundo procurou o que o Brasil já valoriza há anos. O termo mais procurado foi “bunda”. Não confunda com “anal”, esse sempre foi muito buscado. O termo disparou de repente – nunca havia tido um número expressivo de buscas.
2012: O ano dos desenhos animados

Desenhos populares como Simpsons e Mansão Foster foram transformados em animações eróticas. “Cartoon”, que nunca tinha sequer aparecido no top 10 termos mais procurados, acabou dominando as buscas. Na verdade, o tema abocanhou o primeiro e o segundo lugar, com “Cartoon” e “Paródia”, respectivamente no topo.
2013: Sem proteção

A palavra mais procurada em 2013 foi Creampie (“Torta de creme”, em português), o nome dado a vídeos que mostram o finzinho da ejaculação masculina. Tem outro problemão aí. O termo é usado para provar que não se usou camisinha no filme, glamorizando a falta de proteção, e também pressionando atrizes e atores a participarem de cenas em que ficam expostos a DSTs.
2014: O ano da Belle Knox

Belle tomou os noticiários americanos. Uma menina que afirmou estar fazendo pornô para bancar seus estudos na Universidade de Duke – uma das mais respeitadas instituições dos EUA. A história, que havia começado no anonimato, acabou expondo não só a jovem como explodindo seus vídeos. Belle Knox virou uma voz na mídia para contar o que acontecia nos bastidores da indústria pornô – dos abusos que rolam na frente e atrás das câmeras à hipocrisia dos que a julgavam, mas continuavam assistindo-a.
2015: O ano das madrastas

No meio da década, o tema mais procurado foi o referente à madrastas. No mesmo ano, as “irmãdrastas”, as chamadas “stepsisters” (filhas dos novos cônjuges dos pais), também ficaram em 7º lugar na lista dos mais buscados. Mais um fetiche… esquisito.
2016: Ano das lésbicas

“Scisoring” (algo como “tesourando”) foi o campeão do ano passado. A palavra que descreve uma posição sexual praticada por lésbicas vinha crescendo desde 2014, mas atingiu seu ápice em 2016.
2017: O ano do Hentai

Parecido com os Cartoons, Hentai são desenhos eróticos – só que japoneses. A categoria se apoiou em versões pornôs de jogos de videogame, como Overwatch (cujo título, aliás, acabou figurando no nº6 das palavras mais buscadas).

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo