Maurão, Acir e Daniel disputam governo, austeridade na PM e o TC da fusão - Regionais - Notícias
Regionais : Maurão, Acir e Daniel disputam governo, austeridade na PM e o TC da fusão
Enviado por alexandre em 11/01/2017 18:35:55

2018 – Na coluna de ontem (10) um dos assuntos predominantes foi a sucessão estadual nas eleições de 2018. A provável opção do governador Confúcio Moura (PMDB) de disputar uma das duas vagas ao Senado e se filiar ao PSB foi um deles. O outro a disposição do vice-governador Daniel Pereira (PSB), que assumirá o comando do Estado caso Confúcio opte pela eleição ao Senado em disputar o governo. O quadro atual é esse e a opção de Daniel tem legalidade.

2018 II – Há mais dois nomes, ambos em condições de assumir o governo do Estado a partir de 2019: o presidente da Assembleia Legislativa (Ale), Maurão de Carvalho (PMDB-Andreazza) e o senador e presidente do diretório regional do PDT, Acir Gurgacz. Ambos não escondem de ninguém que pretendem comandar o Estado, após as eleições gerais (presidente da República, governadores, duas das três vagas ao Senado, Câmara Federal e Assembleias Legislativas).

2018 III – Maurão que era uma das lideranças do PP antes das eleições de 2014, partido presidido no Estado pelo senador Ivo Cassol era o nome certo para disputar o governo do Estado. Cassol, que tinha prometido a vaga para Maurão, inclusive convidando-o, lançou sua irmã Jaqueline como candidata. Um golpe que inclusive levou Maurão a deixar o partido e atender convite do PMDB, com a promessa de apoio para as eleições de 2018 à sucessão de Confúcio. A expectativa é que o convite seja mantido.

2018 IV – O outro nome é do senador Acir Gurgacz, que desde sua primeira participação na política, quando se elegeu prefeito de Ji-Paraná em 2000, mas renunciou em 2002 para disputar o governo do Estado, sem sucesso. Em 2006 Acir perdeu as eleições ao Senado para Expedito Júnior (PPS), mas assumiu em 2009 com a cassação de Neto por compra de votos. Acir se reelegeu em 2014 e agora se prepara para disputar o governo do Estado em 2018. Como o mandato é de oito anos, caso seja derrotado ainda terá mais quatro anos no Senado, com direito a mais uma reeleição.

Exemplo – Correta e oportuna a atitude do titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), de Porto Velho, Zenildo de Souza Santos em cortar os aluguéis de escolas onde funcionam extensões com valores superiores a R$ 6 milhões por ano nos próximos 24 meses. Outra meta é reduzir em 50 % o quadro de servidores comissionados na sede e promover o retorno de aproximadamente 300 servidores que estão na secretaria para as escolas evitando o muito praticado “desvio de funções”. Espera-se a mesma ação nas demais secretarias, autarquias e departamentos, porque os abusos são comuns e prejudicam o bom servidor, seja comissionado ou efetivo.

Respigo

No Paraná o Tribunal de Contas (TC) do Estado está propondo a fusão de municípios com população inferior a 5 mil habitantes. O Estado tem 96 dos 399 municípios nessas condições +++ Na tarde de hoje (11) o presidente do TC-PR, Ivan Bonilha apresentará detalhes do estudo em entrevista coletiva à imprensa. Boa pauta para o TC de Rondônia, Estado que pretende ampliar os municípios +++ O presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho, Maurício Carvalho (PSDB) iniciará reformas no prédio do Legislativo Municipal. Impressionante como se reforma com constância as acomodações do Parlamento Mirim da capital +++ Funciona mais ou menos como igrejas e templos religiosos. As obras nunca terminam +++ Nas igrejas e templos o dízimo; no Poder Público o dinheiro do povo. Como dizia meu saudoso Pai: “pólvora alheira, chumbo grosso”.

WALDIR COSTA/RONDONIADINAMICA

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo