Ministério da Justiça realiza 61ª Caravana da Anistia no Rio de Janeiro - Justiça em Foco - Notícias
Justiça em Foco : Ministério da Justiça realiza 61ª Caravana da Anistia no Rio de Janeiro
Enviado por alexandre em 17/08/2012 15:30:51

O Ministério da Justiça realiza, nesta sexta-feira (17), a 61ª Caravana da Anistia, durante a Conferência Internacional Memória Americana Latina em Perspectiva Internacional e Comparada, que acontece no Rio de Janeiro (RJ). A Caravana julgará sete processos de anistia política. Entre eles está o caso dos irmãos Yuri e Alex Xavier Pereira, militantes do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e da Ação Libertadora Nacional (ALN). Eles foram para Cuba em 1968 e retornaram ao Brasil na clandestinidade. Yuri foi assassinado em 1972 em uma emboscada. Ele passou a ser membro efetivo da ALN após a morte de Carlos Marighella, líder e fundador do grupo, que também já recebeu a anistia. Já Alex foi morto em janeiro de 1972 e enterrado com outro nome.

O professor José Grabois, da Secretaria de Educação do antigo estado da Guanabara, também poderá ser anistiado. Ele foi demitido por ter sido detido em 1954 enquanto anunciava a realização de um comício. A família de outro militante do PCD também requereu a anistia. Os familiares de Lincoln Bicalho alegam que ele foi aposentado compulsoriamente em 1968 por causa de suas atividades políticas e por isso, foi preso diversas vezes. O corpo de Lincoln foi encontrado com 15 tiros no dia 13 de março de 1973. Na época, a polícia afirmou que ele tinha reagido às forças de segurança.

Duas mulheres também requererem a anistia. Uma delas é a militante do Partido Revolucionário dos Trabalhadores, Maria Cristina da Costa Lyra. Ela foi presa e torturada em 1970. Além desses casos, também será analisado o pedido de reparação econômica e social de Fernando Augusto de Santa Cruz, membro da Ação Popular Marxista-Leninista e desaparecido. Em 1973, ele se mudou para São Paulo com a família e o filho recém-nascido devido a prisão de vários companheiros da organização. No carnaval de 1974 ele foi ao Rio de Janeiro visitar o irmão e depois disto, nunca mais foi encontrado. A caravana também prestará homenagens a Luiz Carlos Prestes, que comandou a Coluna Prestes e foi líder do PCB por mais de 50 anos, a estilista Zuzu Angel, que teve uma morte misteriosa. Ela era mãe do militante do MR-8 Stuart Angel. Também homenageará o teatrólogo Augusto Boal, fundador do Teatro do Oprimido que alia teatro à ação social, entre outros homenageados.

O Ministério da Justiça realiza, nesta sexta-feira (17), a 61ª Caravana da Anistia, durante a Conferência Internacional Memória Americana Latina em Perspectiva Internacional e Comparada, que acontece no Rio de Janeiro (RJ). A Caravana julgará sete processos de anistia política. Entre eles está o caso dos irmãos Yuri e Alex Xavier Pereira, militantes do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e da Ação Libertadora Nacional (ALN). Eles foram para Cuba em 1968 e retornaram ao Brasil na clandestinidade. Yuri foi assassinado em 1972 em uma emboscada. Ele passou a ser membro efetivo da ALN após a morte de Carlos Marighella, líder e fundador do grupo, que também já recebeu a anistia. Já Alex foi morto em janeiro de 1972 e enterrado com outro nome.

O professor José Grabois, da Secretaria de Educação do antigo estado da Guanabara, também poderá ser anistiado. Ele foi demitido por ter sido detido em 1954 enquanto anunciava a realização de um comício. A família de outro militante do PCD também requereu a anistia. Os familiares de Lincoln Bicalho alegam que ele foi aposentado compulsoriamente em 1968 por causa de suas atividades políticas e por isso, foi preso diversas vezes. O corpo de Lincoln foi encontrado com 15 tiros no dia 13 de março de 1973. Na época, a polícia afirmou que ele tinha reagido às forças de segurança.

Duas mulheres também requererem a anistia. Uma delas é a militante do Partido Revolucionário dos Trabalhadores, Maria Cristina da Costa Lyra. Ela foi presa e torturada em 1970. Além desses casos, também será analisado o pedido de reparação econômica e social de Fernando Augusto de Santa Cruz, membro da Ação Popular Marxista-Leninista e desaparecido. Em 1973, ele se mudou para São Paulo com a família e o filho recém-nascido devido a prisão de vários companheiros da organização. No carnaval de 1974 ele foi ao Rio de Janeiro visitar o irmão e depois disto, nunca mais foi encontrado. A caravana também prestará homenagens a Luiz Carlos Prestes, que comandou a Coluna Prestes e foi líder do PCB por mais de 50 anos, a estilista Zuzu Angel, que teve uma morte misteriosa. Ela era mãe do militante do MR-8 Stuart Angel. Também homenageará o teatrólogo Augusto Boal, fundador do Teatro do Oprimido que alia teatro à ação social, entre outros homenageados.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo