VAI VETAR - Política - Notícias
Política : VAI VETAR
Enviado por alexandre em 21/07/2021 09:16:56

"Em respeito ao povo brasileiro vetarei o Fundão Eleitoral", diz Bolsonaro

Na noite desta terça-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para confirmar irá vetar o novo Fundo Eleitoral. Ele destacou que sua decisão foi tomada em respeito ao povo brasileiro.

Na publicação, o chefe do Executivo afirmou ainda que seu governo defende “acima de tudo, a harmonia entre os Poderes, bem como a sua autonomia”.

Leia também1 Kassio Nunes vai relatar no STF ação contra aumento do 'fundão'
2 Bolsonaro diz que irá vetar o novo Fundo Eleitoral
3 Mourão sobre fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões: "Eu vetaria"
4 Bolsonaro critica fundão de R$ 5,7 bilhões: "Agora cai pra mim"
5 Brasil é o país que mais gasta com partidos, aponta estudo

– Defendemos, acima de tudo, a harmonia entre os Poderes, bem como a sua autonomia. É partindo deste princípio que jogamos, desde o início, dentro das quatro linhas da Constituição Federal. Dito isso, em respeito ao povo brasileiro, vetarei o aumento do fundão eleitoral – declarou.

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou, na última quinta-feira (15), que a verba destinada ao fundo eleitoral passe de R$ 2 bilhões para mais de R$ 5,7 bilhões, representando um aumento de quase 200% em relação às eleições de 2018. A previsão está incluída no texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022, que determina as metas e prioridades para os gastos do governo no ano que vem.

Publicação de Bolsonaro Foto: Reprodução

Bolsonaro: “Duas CoronaVac, talquinho no bumbum e reinfectado”

Presidente debochou de segundo teste positivo de João Doria para a Covid-19



Presidente Jair Bolsonaro debochou de reinfecção de João Doria Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro debochou nesta terça-feira (20) sobre o quadro de reinfecção por Covid-19 do governador de São Paulo João Doria. Bolsonaro lembrou que o tucano já está completamente imunizado com a CoronaVac e se orgulha de obedecer às medidas de restrição.

– Olha aí o governador de São Paulo. Vive aí, ditando regras de cumprimentar com o cotovelinho, [usar] máscara, [pôr] talquinho Pom Pom no bumbum, [tomar] duas [doses de] CoronaVac, e foi reinfectado. Eu sempre falei que tínhamos que tratar a questão do desemprego e do vírus com a mesma responsabilidade. Porrada em cima de mim o tempo todo. Não errei nenhuma [vez] – alegou.

Leia também1 Padre solta o verbo em missa: "Esquerdistas são anticristãos!"
2 Bolsonaro cumprimenta Pedro Castillo, novo presidente do Peru
3 Kassio Nunes vai relatar no STF ação contra aumento do 'fundão'
4 CPI: Bolsonaro diz que relatório de Calheiros "é pra jogar no lixo”
5 Miranda pede para remarcar depoimento à PF sobre Covaxin

O presidente lembrou ainda que o estado de São Paulo foi um dos que adotou as medidas mais restritivas contra a pandemia.

– Agora, o bem maior que nós temos é a liberdade. Olha o que fizeram na pandemia. Covardia. Toque de recolher, lockdown, fechar comércio. Lá, em SP, soldar portas de metal. Que ignorância, covardia! “Ah, eu tô defendendo a vida do povo”. Tá é defendendo os seus interesses, pô! Agora fechou, tirou emprego de muita gente, e o povo ficou sem nada. Se não é o auxílio emergencial, que criticam até hoje… – acrescentou.

Bolsonaro aproveitou também para anunciar o aumento do valor do Bolsa Família para cerca de R$ 300 no fim do ano.

– Quem sabe qual é média do Bolsa Família? R$190. O auxílio emergencial começou com R$ 600. Está R$ 250 agora. Diminui porque a gente não tem como se endividar mais. Agora salvou o Pronampe, auxílio emergencial. Estamos acertando pelo menos 50% de reajuste para o Bolsa Família para novembro e dezembro, e tem gente que quer a volta desse cara que arrebentou com o Brasil – disparou, fazendo referência a Lula.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo