« 1 (2) 3 4 5 ... 733 »

Brasil : 4 alimentos gostosos para comer sem culpa

Bateu fome? 4 alimentos gostosos para comer sem culpa

Foto: Reprodução

Alimentos gostosos para comer sem culpa e sem maiores preocupações - principalmente no que diz respeito a engordar ou não - são o sonho de qualquer pessoa que pretende perder alguns quilinhos. Mas, inicialmente, é preciso lembrar que, para conseguir eliminar o excesso de gordura corporal, é preciso permanecer em déficit calórico.

 

Isso significa que você precisa consumir menos energia do que se gasta. O problema é que parar de comer nunca será uma opção e qualquer ingrediente que você ingerir terá calorias. A saída, portanto, é apostar em atividades físicas e comidas com poucas calorias. E engana-se quem pensa que é necessário sofrer. É possível sim encontrar alimentos gostosos para comer sem culpa.

 

É o que defende a nutricionista Andrea Takayama, que nos ajudou a elaborar um ranking de alimentos gostosos para comer sem culpa. Confira:

 

Veja também

 

Saúde de atleta: aprenda a conciliar exercícios à alimentação

 

Cochilar durante o dia pode ter ligação com pressão alta e risco de derrame, diz estudo

PASTA DE AMENDOIM

 

"Já faz muito sucesso no mundo fitness, isso porque é natural e fornece dose extra de energia e boas calorias, auxiliando também na construção e manutenção muscular. Ela possui em sua composição gorduras saudáveis para o organismo, além de conter minerais como magnésio, ferro e zinco, bem como antioxidantes, vitaminas do complexo B, vitamina E e proteína", revela a nutricionista. Mas, não vale exagerar. Apesar de ser muito saudável, a pasta de amendoim é considerada um alimento calórico.

 

CHIA

 

"Essa semente é fonte natural de ácidos graxos, ômega-3, fibras e proteínas, além de outros componentes nutricionais importantes, como os antioxidantes. É ideal para o enriquecimento de outras preparações, pois tem um alto valor nutricional e não compromete o sabor dos alimentos. Uma receita que conquista todo mundo é o pudim de chia, preparado com algum leite vegetal, por exemplo, vira uma ótima opção de sobremesa saudável", conta Andrea.

 

AVEIA

 

A aveia é um cereal e fornece aporte energético e nutricional equilibrado, por conter em sua composição aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas e sais minerais indispensáveis ao organismo humano e, principalmente, fibras alimentares. A ingestão de 3 g/dia de fibra solúvel, na forma de farelo ou de cereal, está associada à diminuição significativa da concentração de colesterol total e LDL-colesterol plasmático, reduzindo os riscos para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares", diz a especialista.

 


 

BANANA

 

"E não podia faltar ela! A fruta tropical mais consumida no mundo e quarto produto alimentar nesse ranking. Super nutritiva e acessível à maioria da população, com safra o ano inteiro. Bem docinha, é fácil de agradar o paladar até mesmo de uma criança. Cada banana contém apenas cerca de 105 calorias, sendo composta, em sua maioria, por água e carboidratos. Contém pouca proteína e quase nenhuma gordura. Rica em fibras, fonte de potássio, ajuda a regular a pressão arterial e é rica em vitaminas do complexo B e C. Contém triptofano que atua na produção de serotonina, que ajuda a relaxar e manter o bom humor", finaliza Andrea. 

 

Fonte: Portal Terra

LEIA MAIS

Brasil : Violência patrimonial restringe independência feminina

Agosto lilás: Violência patrimonial restringe independência feminina

Foto: Reprodução

Em celebração aos 16 anos da Lei Maria da Penha, o mês de agosto é conhecido como o mês da luta contra a violência doméstica. A lei, que foi criada em 7 de agosto de 2006, estabelece 46 artigos que buscam proteger a integridade física e psicológica da mulher.

 

Entre as formas de violência doméstica descritas na legislação federal, uma das menos conhecidas e debatidas pelos brasileiros é a violência patrimonial.

 

O artigo 7 da Lei Maria da Penha define a violência patrimonial como “qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades”.

 

Veja também

 

Os benefícios do carvão ativado para a pele

 

Menstruação: entenda como o ciclo pode impactar no seu humor e tenha uma rotina mais leve

 

Na maioria dos casos, as vítimas são mulheres que não têm fonte fixa de renda e dependem de parceiros para sobreviver. "Diversos motivos podem prender uma mulher nessa armadilha, como a dependência financeira e o medo de prejudicar os filhos. Porém, a questão emocional tende a pesar mais’’, afirma Lana Castelões, advogada de família da Albuquerque Advogados.

 

De acordo com a especialista, esse tipo de violência ainda é pouco denunciada no país. "A violência patrimonial é comum, porém subnotificada, tendo em vista que, na maioria dos casos, as vítimas desconhecem a possibilidade de registrar a ocorrência’’.

 

Para a advogada, as vítimas não têm conhecimento das medidas legais que podem guiar a situação. Desde 2015, a falta de pagamento de pensão também se enquadra na lei. "Muitas pessoas não sabem que esse crime se encaixa quando um responsável legal, que tem recursos financeiros, deixar de pagar pensão alimentícia para a mulher’’.

 

DESIGUALDADE

 

A desigualdade de gênero é um fator predominante nesse crime. As demandas de casa e o cuidado com os filhos geralmente restringem as mulheres na posição de ‘dona de casa’. Sem a chance de trabalharem ou conquistarem a independência financeira, essas vítimas passam a depender financeiramente e emocionalmente dos parceiros.

 

DF registra 11 casos de violência patrimonial contra mulheres por dia

 

A pesquisadora Clara Fagundes reflete que, nos últimos anos, as mulheres ganharam mais espaço no mercado, mas ainda não existe liberdade para o gênero. ‘’Mulheres ainda são impedidas de buscar a independência financeira, seja por regras religiosas ou políticas que prejudicam a ascensão materna no mercado, seja por relações familiares abusivas ou crenças machistas’’.

 

A profissional afirma que a falta de representatividade, a dissociação do feminino à ideia de liderança, a priorização do amor romântico, a sobrecarga feminina com os trabalhos domésticos e a ideia sexista de que existem trabalhos de homem e de mulher são os principais fatores que afastam as mulheres dessa liberdade.

 

"A cultura patriarcal também impacta as mulheres de forma individual. A falta de confiança é um obstáculo para muitas na busca pela sua independência. Esse fenômeno pode ser chamado de “síndrome da impostora” e leva mulheres a questionarem sua capacidade todos os dias, em casa ou no trabalho’’.

 

Para Fagundes, a falta de oportunidades no mercado pressiona mulheres a continuarem em relações abusivas e degradantes. "Mulheres com poder de decisão sobre a própria vida costumam ser também independentes financeiramente’’, declara.

 

Por mais que não existam dados nacionais sobre a violência patrimonial, o Dossiê da Mulher, produzido no Rio de Janeiro, conseguiu datificar as problemáticas em torno desse crime. De acordo com a análise, que é realizada anualmente no estado carioca, 79,3% dos casos dessa violência foram praticados dentro de casa.

 

Entre os tipos de crime, 50,4% foram de dano, 41,8% foram violação de domicílio e 8,8% foram de roubo de documentos.

 

Conheça os tipos de violência que afetam milhares de mulheres diariamente –

Fotos: Reprodução

 

Uma das mulheres que tiveram de lidar com a violência patrimonial foi a vendedora C.I*. O crime aconteceu sem que ela percebesse: ‘’Eu tinha um relacionamento há 6 anos e era casada há 3 anos. Um dia, eu saí para trabalhar e, quando retornei, ele tinha vendido todas as minhas coisas’’, diz. “Ele sumiu com tudo, só estavam minhas roupas por lá’’.

 

O parceiro, na época, chegou a deixar os filhos de C.I* passarem fome. Depois dessa situação, ela percebeu que precisava terminar a relação. ‘’Foi aí que eu dei um basta em tudo’’.

 


 

Para a matriarca, é necessário muita força e coragem para conseguir ser independente. ‘’Seja forte e corajosa para dar um basta. Pode parecer o fim, pode parecer que nada mais tem faz sentido e que a dor nunca vai passar. Com o tempo, eu juro que a dor vai embora’’, finaliza. 

 

Fonte: iG

LEIA MAIS

Brasil : Vantagens do uso da beterraba como pré-treino

Nutricionista explica vantagens do uso da beterraba como pré-treino

Foto: Reprodução

Os benefícios da beterraba não se limitam ao seu sabor único. Além de ir bem em diferentes pratos, o vegetal é rico em diversos nutrientes, como vitaminas A, B e C e minerais como sódio, potássio e zinco. Elementos fundamentais para a saúde e o bem-estar do organismo.

 

Por isso, com a ajuda nutricionista Edvânia Soares, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, separamos os cinco principais benefícios da beterraba. Confira:

 

Veja também

 

Nutricionista revela 8 maneiras de reduzir a distensão abdominal

 

Nutricionista ensina como ganhar massa muscular com dieta vegana

 

BENEFÍCIOS DA BETERRABA

 

1- Otimiza o treino:

Para aqueles que gostam de treinar, a ingestão frequente do suco de beterraba é uma ótima opção para potencializar o treino físico. Consumir o alimento no formato de bebida é ainda mais benéfico nesse caso, pois todos os nutrientes continuam presentes, ao contrário do cozimento. O legume é rico em nitrato, que é precursor do óxido nítrico, substância que permite com que os atletas tenham mais força durante os treinos e tenham redução da fadiga muscular, melhorando a performance das práticas esportivas. Mas lembre-se, o ideal é o consumo no pré-treino.

 

2- Reduz a pressão arterial:

O vegetal é rico em nitratos naturais, ideais para uma boa vasodilatação dos vasos sanguíneos. Ou seja, um dos benefícios da beterraba é a redução da pressão arterial, melhorando o fluxo sanguíneo de todo corpo. Essa vantagem também impacta positivamente nas atividades físicas, já que, com a melhor circulação do sangue, os nutrientes chegam com mais facilidades aos músculos.

 

3- Aliada da pele:

Sabemos da importância de cuidar da pele. E a beterraba é um potente aliado nesse cuidado, já que conta com o betacaroteno, que melhora a melanina, elevando a hidratação e estimulando o bronzeado.

 

4- Fortalece a imunidade:

Rico em vitamina A, C e em zinco, ao ser consumido com consistência, o alimento colabora com o sistema imunológico, pois essas substâncias aumentam o fluxo de células de defesa, protegendo o corpo de possíveis infecções.

 


5- Combate o envelhecimento precoce:

Se você deseja retardar os sinais aparentes de envelhecimento, os benefícios da beterraba estão aí para isso. O vegetal possui componentes de combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células do organismo. Isso porque ele conta com as vitaminas A e C, além do nitrato, que, unidos, criam uma ação antioxidante. 

 

Fonte: Sport Life

LEIA MAIS

Brasil : Prevenir diabetes andar por 2 minutos

Uma revisão de pesquisas feita por cientistas irlandeses indicou que fazer caminhadas rápidas após as refeições pode auxiliar na prevenção da diabetes tipo 2. Segundo os pesquisadores, é entre 60 e 90 minutos depois de comer que os níveis de açúcar no sangue estão no pico, e andar por pelo menos dois minutos nesse período seria suficiente para diminuir a concentração da glicose.

 

A explicação seria que o exercício faz os músculos usarem o açúcar disponível no sangue para produzir energia. Os pesquisadores da Universidade de Limerick, na Irlanda, indicam que o ideal é andar por 15 minutos, mas mesmo dois a cinco minutos de caminhada já apresentariam benefícios.

 

“Essa quantidade de tempo é mais prática durante o dia. Afinal, as pessoas não vão se levantar e caminhar em uma esteira ou correr no escritório onde trabalham, mas podem sair para pegar um café ou dar alguns passos no corredor”, afirma o autor principal do levantamento, Aidan Buffey, ao Daily Mail.

 

As conclusões foram obtidas após a análise de sete artigos que comparavam os efeitos de ficar sentado, de pé ou caminhando para a saúde do coração. Os níveis de insulina e de açúcar no sangue dos voluntários também foram estudados.

 

Em cinco das pesquisas analisadas, nenhum dos participantes tinha pré-diabetes ou diabetes. Nas outras duas, algumas pessoas tinham a doença. Os voluntários deveriam ficar de pé ou caminhar de dois a cinco minutos a cada meia hora, ao longo do dia.

 

Em todos os casos, o resultado foi que mesmo as caminhadas curtas são suficientes para melhorar os níveis de açúcar no sangue, comparadas a manter-se sentado. Participantes que andaram tiveram seus níveis de açúcar no sangue gradualmente reduzidos após atingirem o pico.

 

Até a oscilação mais sutil do açúcar no sangue é importante para pacientes com diabetes, e também é associada ao desenvolvimento da diabetes tipo 2.

 

 

Ficar de pé também ajudou a diminuir os níveis de açúcar no sangue — porém, o melhor resultado foi em pessoas que caminharam, já que a ação requer mais integração ativa dos músculos.

 

Fonte: Metrópoles

LEIA MAIS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Brasil : 11 alimentos que podem amenizar a cólica menstrual

Sofrer com a cólica menstrual todos os meses é algo comum para muitas mulheres. Felizmente, existem diversos medicamentos e técnicas naturais que podem aliviar esse desconforto e proporcionar uma menstruação mais tranquila.

 

À “Glamour”, de onde são as informações, a ginecologista e obstetra Stephanie McClellan explica: “Cólicas são o resultado do rompimento normal do revestimento uterino durante sua menstruação”. Mas isso não significa que o processo não seja extremamente doloroso.

 

Pensando nisso, aqui estão 11 alimentos que podem te ajudar a amenizar os incômodos desse período — e que podem beneficiar sua dieta.

 

Veja também

 

ENDOMETRIOSE: entenda o que é a doença de Anitta, seus sintomas e tratamentos

 

Vida sexual: novo estudo mostra como as mulheres conseguem ter prazer com o sexo anal

 

11 ALIMENTOS QUE PODEM AMENIZAR A CÓLICA MENSTRUAL

 

1 — Gengibre

De acordo com a nutricionista Lisa C. Andrews, um pequeno estudo já comprovou que mulheres que bebiam chá de gengibre nos primeiros dias da menstruação tinham cólicas abdominais reduzidas.

 

2 — Linhaça e chia

Os ácidos graxos ômega 3 presentes nas sementes podem ter efeito anti-inflamatório e ajudar na redução da dor. Segundo a nutricionista Lindsay Malone, há evidências, inclusive, de que adicionar linhaça à sua dieta pode até mesmo diminuir a duração de seu período menstrual.

 

3 — Peixes

Peixes oleosos, como salmão e atum, também possuem um rico suplemento de ômega 3.

 

4 — Nozes

Segundo a Mayo Clinic, o magnésio tem sido usado em diversos estudos e pode, potencialmente, reduzir as dores da cólica menstrual. Nozes e sementes são ótimas fontes desse suplemento.

 

5 — Folhas verdes

Assim como as nozes, as folhas verdes também estão lotadas de magnésio para sua saúde.

 

6 — Abacate

Os abacates, além de deliciosos, também são fonte de magnésio.

 

7 — Tofu

Rica em magnésio, essa proteína vegetal pode ser uma ótima opção para vegetarianas e veganas.

 

8 — Cúrcuma

Muitas vezes, a dor que acompanha seu período menstrual é causada por inflamações. Nesse sentido, as propriedades anti-inflamatórias da cúrcuma podem ajudar. Versátil, o tempero pode ser adicionado ao arroz, aos ovos, carnes, saladas e muito mais.

 

9 — Feijão

O portal explica que alimentos ricos em tiamina — vitamina do complexo B — podem ajudar a amenizar dores. É o caso do feijão: meia xícara de feijão preto cozido pode proporcionar até 27% de sua ingestão diária recomendada (IDR) de tiamina, segundo a “WebMD”.

 

10 — Arroz integral

No combate à cólica, o arroz integral pode ser seu melhor amigo, já que é rico em magnésio e também em tiamina.

 

11 — Cereais integrais

Os cereais são uma fonte ainda melhor de tiamina. Isso porque, segundo Stephanie, cozinhar alimentos ricos em tiamina pode reduzir a quantidade disponível da vitamina neles.

 


 

ALIMENTOS QUE VOCÊ DEVE EVITAR DURANTE A MENSTRUAÇÃO

 

“Evite alimentos que possam contribuir para a inflamação ou causar distúrbios gastrointestinais, como açúcar, álcool, refrigerante e frituras”, recomenda Lindsay. E a lista é ainda maior para quem sofre com intolerância à lactose, pois derivados de leite também devem ser evitados.

 

Fonte: Istoé

LEIA MAIS

« 1 (2) 3 4 5 ... 733 »