Ao deixar MPF, Deltan recebeu R$ 191 mil de férias não tiradas - Regionais - Notícias
Regionais : Ao deixar MPF, Deltan recebeu R$ 191 mil de férias não tiradas
Enviado por alexandre em 22/01/2022 01:09:00

Ex-procurador afirmou ter acumulado férias por "exigências do trabalho na Operação Lava Jato"

Deltan Dallagnol Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Deltan Dallagnol, ex-chefe da operação Lava Jato, recebeu, no mês de dezembro, uma indenização de R$ 191 mil por parte do Ministério Público Federal (MPF) em razão de férias das quais não havia usufruído na época em que atuava na força-tarefa.

Procurado pela Folha de S. Paulo, o ex-procurador afirmou que precisou acumular férias devido às “exigências do trabalho na Operação”, em Curitiba.

Leia também1 "A próxima pandemia vai ser mais mortal", prevê Bill Gates
2 Mãe de Bolsonaro morreu após 2 paradas cardiorrespiratórias
3 Maia irá coordenar programa de governo de Doria para eleições
4 Moro: 'Gilmar Mendes erra muito e Lula deveria estar preso'
5 Cesar Maia, pai de Rodrigo Maia, é internado com Covid-19

– Férias não gozadas devem ser, por força de lei, indenizadas – destacou Dallagnol.

Funcionários do MPF possuem direito a 60 dias de férias ao ano. Em 2021, Deltan tirou 50 dias divididos em cinco partes para, de acordo com ele, evitar períodos longos de distanciamento do trabalho.

O ex-procurador deixou definitivamente o MPF no último dia 4 de novembro a fim de ingressar na política por meio do partido Podemos. À frente da Lava Jato, ele recebia um salário bruto de R$ 34 mil e atualmente tem remuneração de R$ 15 mil mensais, atuando como vice-presidente estadual do partido.

– Ao sair do Ministério Público, abri mão de um salário maior, da estabilidade e da aposentadoria para seguir servindo a sociedade onde acredito que minha contribuição pode ser maior hoje em dia: o ambiente político – disse Deltan.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo