Aras diz que ‘tem tido conversas’ sobre ser indicado ao STF - Justiça em Foco - Notícias
Justiça em Foco : Aras diz que ‘tem tido conversas’ sobre ser indicado ao STF
Enviado por alexandre em 18/10/2021 15:35:19

PGR disse que seria "uma grande honra"

Procurador-geral da República, Augusto Aras Foto: Agência Senado/Pedro França

O procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, disse que “tem tido conversas” sobre a possibilidade de ocupar o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-advogado-geral da União, André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para a cadeira, já espera pela sabatina da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) há mais de 3 meses.

Leia também1 MPF investiga ministra Damares por gastar abaixo do orçamento
2 Aziz admite atritos com Renan: "Não, não está tudo bem"
3 Médicas transexuais criticam tratamento infantil de gênero
4 Governo chinês quer doutrinar jornalistas ao Partido Comunista
5 Eduardo diz que viagem a Dubai foi paga com recursos próprios

– Eu admito que a conversa sempre ocorra, inclusive nos encontros fortuitos ou não, nos jantares ou encontros em um corredor, em uma seção. Todavia, eu não me candidatei a ministro do Supremo. Estou em um cargo de procurador da República […] se, em algum momento da minha vida, eu for distinguido pelo presidente da República com a indicação, será uma grande honra – disse Aras à Band News, acrescentando que não recebeu o convite de Bolsonaro.

Aras também ponderou que o posto que ocupa atualmente é “extremamente conflituoso” com o de ministro e disse que “quem quer ser ministro do Supremo não pode ser PGR, e vice-versa”. Mas a nomeação do procurador é defendida por parlamentares críticos à indicação de Mendonça.

O PGR comentou ainda a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público, responsável pela fiscalização de promotores e procuradores. Ele considerou a proposta “inaceitável” e afirmou que assumiu um compromisso com as entidades e que irá recorrer ao Judiciário caso a proposta seja aprovada pelo Congresso.

Se aprovada, a Emenda permitirá que o Congresso indique o corregedor do Conselho e anule trabalhos de procuradores.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo