Educação Em Foco - Adaptação na Educação Infantil. - Notícias
« 1 2 (3) 4 5 »
Educação Em Foco : Adaptação na Educação Infantil.
Enviado por alexandre em 28/02/2015 19:15:15

 Adaptação na Educação Infantil.

 

Neste início de um novo ano letivo, muitos pais, por diversos motivos, precisam colocar os filhos em creches logo nos primeiros meses de idade. Outros optam por deixá-los com familiares ou babás. O certo é que, mais cedo ou mais tarde, acaba por chegar o dia em que os pequenos ingressam na escola.

Quanto mais nova a criança, mais fácil e rápida é a sua adaptação. Os bebês não têm perfeita noção daquilo que os rodeia e conseguem se acostumar com mais facilidade a outras pessoas que não são de seu convívio. Ao contrário dos pais que, por sua vez, ao separarem-se dos filhos ainda bebês, passam por um processo doloroso de adaptação.

Mas quando as crianças vão para a Educação Infantil aos três ou quatro anos, é de se esperar delas alguma reação negativa. Estudos comprovam que a rejeição a um novo ambiente é mais comum nas crianças com mais de 18 meses, pois elas têm maior memorização, percepção da realidade que as cercam e apego às pessoas de sua convivência. Deixar, pela primeira vez, um filho aos cuidados de pessoas desconhecidas é uma experiência difícil. E sabemos que, quanto menor a criança, maior a angústia dos pais. Apesar do sofrimento, é possível enfrentar esse período tão complicado. Veja algumas dicas:

 

• Escolha com cuidado - É importante que os pais sintam-se seguros, pois a confiança de que fizeram a melhor escolha será transmitida para seu filho. Antes de matriculá-lo, conheça mais de uma escola. Assim é mais fácil decidir.

• Mostre a escola para seu filho - Em caso de adaptação com bebês, deixe o pequeno sentado para que ele enxergue os demais à sua volta. Deitado, ele só verá o teto, o que torna mais demorado a adaptação ao novo ambiente e aos novos estímulos. Com as crianças acima de um ano, passeie pela escola e mostre que aquele ambiente será seguro e divertido.

• Participe - Se possível, deixe seu filho acostumar-se com a escola gradativamente. Uma sugestão é que no primeiro dia ele fique somente duas horas e aí vá aumentando o tempo dia após dia.

• Sempre diga a verdade - Não deixe a criança na escola dizendo que vai ao banheiro e já volta. No dia seguinte seu filho não acreditará em você.

• Cuidado com o que diz - Seu filho é esperto, mas nem por isso ele entende frases no sentido figurado. Portanto, ainda que esteja nervosa, policie-se para não dizer coisas como: “Você só me dá trabalho” ou “Você faz isso para me irritar”. Esse tipo de acusação leva a criança a se sentir culpada e, com o tempo, pode abalar sua autoestima.

• Mantenha a calma - Durante adaptação, as crianças apresentam comportamentos diferentes. Algumas choram; outras não. Como as crianças pequenas têm pouca ou nenhuma fala, o choro pode ser um protesto, uma forma de manifestar desejo de continuar no colo da mãe. Isso, no entanto, não significa que ela não vá se divertir na escola.

Lembre-se: Todos nós sobrevivemos à separação e ela é inevitável ao longo da vida. Frente a ela, só podemos nos agarrar à certeza de que, no caso da escola, é algo passageiro e o reencontro entre pais e filhos virá no final do dia.

 

Luiz Carlos Polini

Colaborador ouropretoonline

Graduado em Geografia e História

Especialista em Educação e Gestão Ambiental.

 

Educação Em Foco : Feira de intercâmbio traz ao Brasil universidades de 30 países
Enviado por alexandre em 23/02/2015 23:06:41

Feira de intercâmbio traz ao Brasil universidades de 30 países


A Feira de Intercâmbio EDUEXPO, marcada para ocorrer no Rio de Janeiro no dia 10 de março, trará ao Brasil universidades de mais de 30 países. Destacam-se as instituições dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Suíça. A participação no evento é totalmente gratuita e exige inscrição pelo site www.eduexpos.edufindme.com. Interessados poderão conhecer detalhes de graduações na Universidade do Alabama em Birmingham, que oferece o melhor curso de neurociência dos EUA, e na Universidade Full Sail, que figura como um dos principais centros de ensino de arte em todo o mundo. Outras instituições de renome, como universidade de Ohio e Universidade de California San Diego, também estarão presentes na EDUEXPO. Vale destacar que a Alemanha apresentará mais de 500 tipos de formações. A Holanda engrossa o número com mais de 200 opções de ensino. Já a Suíça terá como diferencial um programa de aulas para quem busca formação em hotelaria (área em que o país é referência). Durante a feira também serão apresentados programas que incluem escolas de idiomas e de nível médio, além de cursos técnicos, graduação, pós, mestrado e MBA (Master of Business Administration). A EDUEXPO é considerada a maior feira de intercâmbio cultural do mundo. Os visitantes poderão conversar com diretores e representantes das principais instituições de ensino de diferentes países e também com as melhores agências de intercâmbio do Brasil.

Educação Em Foco : A luta pelo direito à educação de meninas no Paquistão.
Enviado por alexandre em 23/02/2015 10:39:53

A luta pelo direito à educação de meninas no Paquistão.

 

Quero citar nesta matéria uma incondicional luta que há três anos o mundo conheceu através da história da jovem paquistanesa Malala Yousafzai em defesa ao direito à educação de mulheres em seu país, o Paquistão continente Asiático. Ela foi baleada na cabeça aos 15 anos por defender a educação feminina. Aos 17 anos, é a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel.

 Desde o início de sua adolescência, ela se mobilizava na defesa do direito de garotas a freqüentarem a escola. Por sua atuação, Malala sofria ameaças e finalmente foi alvo de uma tentativa de assassinato pelo grupo extremista Talibã em 2012.

A luta pelo direito de meninas estudarem vêm de um grave contexto no Paquistão. O país é um dos três que têm mais de um milhão de garotas em idade escolar fora da escola, com cerca de três milhões de meninas com seu direito à educação violado. Elas representam 56% das crianças fora da escola, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) de 2012.

Como reflexo do baixo acesso à educação, o país têm 6,7 milhões jovens mulheres de 15 a 24 anos analfabetas. Se entre os homens adultos apenas 67% da população sabe ler e escrever, para mulheres, a taxa cai para 42%.

Fundação

A jovem Malala criou uma Fundação que leva seu nome para apoiar a inclusão e permanência de meninas na escola ao redor do globo. Recentemente, o fundo assinou um acordo de cooperação prática com a Unesco e o presidente do Paquistão para atuar diretamente no país.

No entanto, o ativismo de Malala tem outro contexto: a sua própria família. O pai da garota, Ziauddin Yousafzai, é dono da escola que ela frequenta. Na instituição, são aceitos e educados igualmente meninas e meninos. Em palestra, Yousafzai fala que, em sua a escola, a educação serve à emancipação. Assim, explica ele, quebra dois paradigmas da sociedade patriarcal paquistanesa. “Eu ensinei minhas alunas a desaprenderem a lição da obediência. Eu ensinei meus alunos a desaprenderem a lição da denominada pseudo-honra”, relata.

Yousafzai conta rindo como foi impactado pela visibilidade que Malala ganhou mundialmente. “Antes disso, ela era minha filha, mas agora sou o pai dela”, revelando como agora é visto pelas pessoas. Devido ao protagonismo da jovem, que recebeu o prêmio Nobel da Paz em 2014, ele constantemente é questionado sobre como foi a criação dela, que possibilitou que ela se tornasse tão corajosa. “E eu digo: ‘Não me perguntem o que eu fiz. Perguntem-me o que eu não fiz. Eu não cortei suas asas, foi só isso’.” Que este exemplo sirva de referência para muitos(as) que ignoram a importância da educação.

 

Luiz Carlos Polini

Colaborador do ouropretoonline

Graduado em Geografia e História

Especialista em Educação e Gestão Ambiental.

 

 

Educação Em Foco : Juiz determina 'toque de estudo' em Conceição da Feira para diminuir evasão escolar
Enviado por alexandre em 21/02/2015 21:20:53

Juiz determina 'toque de estudo' em Conceição da Feira para diminuir evasão escolar



 
Juiz determina 'toque de estudo' em Conceição da Feira para diminuir evasão escolar
Foto: Reprodução
Estudantes de Conceição da Feira, na região de Feira de Santana, que forem flagrados "matando" aula serão conduzidos ao Conselho Tutelar. A medida austera, intitulada de "Toque de Estudo", passa a valer a partir de 2 de março. Segundo determinação do juiz José Brandão Neto, que já instituiu a obrigatoriedade do hino nacional em Santo Estevão, os pais dos alunos faltosos responderão a processos e podem ser multados pela Justiça. A justificativa para a medida é que há na cidade muitas crianças e adolescentes matriculados que não frequentam regularmente as escolas locais. O juiz diz ainda que 80% a 90% das portarias que publica servem para fazer o cumprimento da lei. A portaria, publicada nesta quinta-feira (19), também veta celulares nas escolas, proíbe visita a lan house no horário escolar, e prevê a execução de hino nacional uma vez por semana. Para enfrentar a situação, o magistrado conta com a fiscalização de conselheiros tutelares, agentes de proteção à infância e policiais, que terão autorização para verificar qualquer suspeita de evasão escolar em Conceição da Feira. Pais de jovens analfabetos também podem ser multados pela portaria do juiz. 

Educação Em Foco : Juventude e a participação na sociedade
Enviado por alexandre em 20/02/2015 18:44:25

A

 

Inicialmente, gostaria de destacar que toda a avaliação é feita a partir de uma comparação. Neste caso, essa comparação poderia ser feita em duas direções. Uma delas em relação a outras faixas etárias e a outra em relação à juventude de épocas passadas. Em relação à primeira dimensão, me parece que o comportamento político da juventude não seja diferente do de outras faixas etárias. Os que avaliam como baixa a participação política da juventude atual não podem afirmar que seja diferente da participação política de outras faixas. Existem parcelas da população passivas (e entre elas há jovens e também adultos), assim como existem parcelas da população com alta taxa de participação política, e entre elas podemos igualmente identificar jovens e adultos. Logo, ima comparação entre faixas etárias não nos leva a concluir que seja baixa a participação política da juventude. Agora, em relação à outra dimensão, a comparação entre juventudes de epocas diferentes, podemos constatar diferenças que aparentemente levem algumas pessoas a afirmações do tipo “a juventude atual não está com nada”, “antigamente os jovens tinham maior consciência e atuação política”. E aqui, novamente, devemos analisar a questão por partes. Jovens alienados e passivos sempre existiram ao lado de jovens conscientizados e ativos politicamente. Deve-se reconhecer que a proporção entre essas duas categorias muda com o tempo, tem épocas em que a proporção de jovens ativos se amplia e em outras épocas diminui. Mas esse aumento ou diminuição é uma expressão da sociedade como um todo e não de uma determinada faixa etária. Se numa época a parcela de jovens cresce e se torna mais intensa, é porque esse mesmo fenômeno se manifesta na sociedade como um todo. O comportamento juvenil expressa as tendências gerais da sociedade como um todo. A grande diferença está nos meios de que dispõem os jovens para desenvolver sua consciência crítica ou para manifestar sua postura política. Aí, sim, registramos mudanças radicais em relação a outras épocas. Atualmente, os jovens têm acesso aos meios de comunicação que permitem ampliar a velocidade e a abrangência da transmissão de ideias, o que oferece facilidade nunca antes disponível para a expressão política da juventude. A minha resposta pode parecer otimista e tenho plena consciência de que ela é. Os jovens da atualidade não são diferentes dos jovens de outras épocas, aceitam ou rechaçam valores, assumem ou não atitudes políticas com a mesma postura dos jovens do passado, a diferença não está no grau e sim na forma. Não muda o caminho, muda a forma de caminhar.  

Luiz Carlos Polini

Colaborador do ouropretoonline

Graduado  em Geografia e História

Especialista em Educação e Gestão Ambiental.

« 1 2 (3) 4 5 »