Coluna Da Lara - O amore o tempo - Notícias
« 1 2 (3) 4 5 6 ... 18 »
Coluna Da Lara : O amore o tempo
Enviado por alexandre em 31/10/2016 02:40:59

O amore o tempo
Jacó trabalhou sete anos por Raquel, mas lhe pareceram poucos dias, pelo tanto que a amava.
Gênesis 29:20
Ao postular a teoria da relatividade, Einstein disse que todo movimento é relativo e depende do referencial. Partindo dessa ideia, muitos saíramdo domínio da física e do movimento retilíneo uniforme e passaram a aplicar a relatividade a tudo: filosofias, conceitos e estilos de vida. Para o cristão, nem tudo é relativo. Existem verdades absolutas que se aplicam a qualquer pessoa, época e lugar.
Se há um fator realmente relativo é o tempo. Por mais que um dia tenha 24 horas, cada hora tenha 60 minutos, algumas situações nos fazem sentir como se o tempo passasse mais vagarosamente, já em outros casos, prece que o tempo voa! A Bíblia nos conta do amor tão grande de um homem por uma mulher que sete anos - 2555 dias, 61320 horas, 3679200 minutos – se passaram como se fossem poucos dias. A espera de Jacó por Raquel foi prazerosa.
Éassim que Deus espera por você. O amor que Ele sente é tão grande que o tempo nem parece passar. O Senhor olha para sua vida a cada instante e fica sonhando com o dia em que morarão juntos por toda a eternidade. Enquanto isso, Jesus prepara uma cidade linda e planeja a festa de recepção para você, Seu filho tão querido.
Como tem passado seu tempo de espera pela volta de Jesus? Rápido demais, como quem está envolvido em uma atividade que ama? Ou os minutos se arrastam nos momentos de culto e comunhão com Deus? Peça ajuda divina para amar a presençado Senhor, para que o tempo que resta até o céu passe como se fosse poucos dias, sejam eles literais ou não.
(Cecília E. Nascimento, 2016)
Princesa do Senhor

Coluna Da Lara : COLUNA DA LARA
Enviado por alexandre em 21/10/2016 23:55:06

Coluna Da Lara : Para não afundar (Parte 3)
Enviado por alexandre em 15/10/2016 22:46:59

Para não afundar (Parte 3)
“Então os eu estavam no barco adoraram-no, dizendo: Verdadeiramente Tu és Filho de Deus.”
Mateus 14:33
Na semana passada refletimos que precisamos ir ao encontro de Jesus, renunciando tudo o que nos impede de chegar até Ele. Necessitamos valorizar mais a presença do Pai e clamar pelo Seu nome em oração. Enquanto isso, esgotam-se nossas forças, nossos recursos e nossa autoconfiança, assim, somos desafiados a crer somente nEle, e, essa é o diferencial, Jesus é o que precisamos!
Pedro desceu, mas 11 discípulos continuaram a bordo. Todos queriam o Mestre, mas não estavam dispostos a correr grandes riscos para se aproximarem dEle. As maiores experiências com Feus estão reservadas para aqueles que são mais ousados. Isto não significa fazer qualquer loucura, mas apenas atender à Palavra de Deus, saindo da zona de conforto e indo além dos limites. Pedro ouviu a voz do Mestre dizendo: “Vem”. Sobre a palavra de Jesus, Pedro depositou sua fé. Além de crer, ele também agiu. Temos então: Palavra, fé e ação. O resultado é o milagre.
Aos olhos humanos a ação de Pedro era um suicídio, perda total, o fim. Contudo, aquele ato de fé era o início de uma jornada extraordinária. Jesus não arrancou Pedro do barco. Ele precisou demonstrar o exercício de sua própria vontade ao descer e caminhar. Era uma questão de escolha, decisão e iniciativa. Da mesma forma, Jesus continua chamando a muitos para uma vida sobrenatural, para andar sobre as águas.
Pedro andou, ali aconteceu o imprevisível, improvável e impossível. Pedro encontrou segurança e firmeza em meio à instabilidade. Se você crê em Jesus, o impossível pode acontecer. Contudo, é preciso colocar o pé na água.
O fator determinante é uma Palavra de Jesus ao nosso favor. Se cremos na Palavra de Deus e agirmos de acordo com ela, em obediência, o sobrenatural acontece. Essa situação só será resolvida depois que os propósitos de Deus forem concretizados na sua vida, pois Ele quer transformar sua existência. Não se importe com as circunstância, se importe em buscar a presença do Senhor, confia nEle, e, o mais Ele fará!

Princesa do Senhor

Coluna Da Lara : Para não afundar (Parte 2)
Enviado por alexandre em 07/10/2016 21:39:55

Para não afundar (Parte 2)
“Respondeu-lhe Pedro: Senhor! Se és Tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas”
Mateus 14:28
No meio do mar revolto, os discípulos perderam o controle da embarcação, que era arremessada pelas ondas de um lado para o outro. Porém, na quarta vigília da noite, depois das 3 horas da madrugada, Jesus foi até eles. O Mestre não os abandonou. Vemos a manifestação da misericórdia divina. Todavia, eles podem ter questionado: por que Jesus demorou tanto? Por que tive que passar por esta situação?
A nossa ideia de tempo é diferente da ideia que Deus tem. Afinal, Ele vive na eternidade e nós vivemos na ansiedade. Queremos tudo imediatamente, Esperar é um sacrifício para o homem moderno. Muitas vezes, Deus não nos socorre imediatamente porque Ele tem um propósito nisso! É o tempo necessário para valorizarmos mais a Sua presença, clamando pelo Seu nome em oração. Enquanto isso, esgotam-se nossas forças, nossos recursos e nossa auto-confiança. Somos desafiados a crer somente nEle.
Jesus vem ao encontro daqueles que estão no meio da tempestade, perdidos, amedrontados ou até desesperados. Muitos momentos da vida se parecem com aquela situação dos discípulos. Na tormenta de cada um, é preciso erguer os olhos e ver Jesus. Ele é nossa única esperança. Cristo vinha andando sobre o mar, pisando sobre aquilo que os discípulos temiam. Ele é soberano, domina sobre todas as coisas e supera todas as nossas expectativas. Os discípulos O viram, mas não O reconheceram. Jesus então lhes disse: “Tende bom ânimo, Sou eu. Não temais.” (Mt 14:27). O Senhor chegou para consolá-los e resolver o problema!
Pedro, o mais atirado do grupo, disse a Cristo: “Senhor, se és Tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas” (Mt 14:28). E Ele lhe disse: “Vem” (Mt 14:29). Jesus veio até nós, mas nós também precisamos ir até Ele, ou seja, Ele nos socorre, mas nós precisamos crere aceitar Sua ajuda. Não vamos esperar que Ele resolva tudo sem o nosso conhecimento ou sem a nossa participação. Pedro precisou sair do barco e caminhar até Cristo. Apesar de toda a complexidade da situação, os discípulos ainda confiavam no barco. Precisavam confiar apenas em Jesus. O barco éaquele último recurso terreno quenos impede de caminhar com o Senhor. Precisamos descer, renunciando àquilo que nos prende.

Princesa do Senhor

Coluna Da Lara : Para não afundar (Parte 1)
Enviado por alexandre em 02/10/2016 00:10:32

Para não afundar (Parte 1)
“Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me!”
Mateus 14:30
Quando Jesus mandou Pedro andar sobre as águas e ele afundou, Jesus disse que ele era um homem de pouca fé! O quefoi que saiu errado, já que ele estava convicto o suficiente para descer do barco em pleno mar, sem pensar duas vezes? De repente, Pedro desviou o olhar da direção onde estava Jesus, a única certeza que ele tinha de estar seguro. Sabe, é exatamente isso que tem acontecido com muitas pessoas nos dias atuais, tirar os olhos de Jesus nos leva para o fundo!
Andar sobre as águas é humanamente impossível, mas Pedro usou a fé, confiou em Jesus, só que ele parou de pensar e agir pela fé e afundou. É como se ele tivesse pensado: “Ei, eu tô andando por cima da água, isso é impossível”, a dúvida superou a fé e destacou a naturalidade e as limitações. Podemos comparar os ventos e as ondas como as adversidades de hoje, que tentam nos distrair. Jesus disse: “Homem de pequena fé, por que duvidaste?”
Quando lemos esse texto, parece que nos passa uma cena de um filme do que aconteceu naquele momento. Jesus mandou que seus discípulos fossem adiante dEle para o outro ladoo do Mar da Galiléia.Então. o Mestre despediu a multidão e foi ao monte orar (Mateus 14:22). À princípio, esta não seria uma situação complicada, já alguns dos 12 eram pescadores e sabiam navegar muito bem. Além disso, a visibilidade era boa, poiso dia ainda estava claro. Certamente poderiam atravessar o mar sem que Jesus estivesse com eles.
O início da viagem parece ter sido tranquilo. Contudo otempo passou e a tarde chegou. Começou uma ventania e omarcomeçou a ficar bravo. A noite caiu e eles não terminaram a travessia. Já estavam no meio do mar, mas o vento contrário não os deixava avançar.
Viram-se em apuros, em perigo, correndo o risco de naufrágio. Naquele estado de insegurança eles vêem um homem caminhado por sobre o mar. A primeira reação foram gritos de que era um fantasma. Em meio a agitação Jesus fala para eles não ficarem com medo. Pedro quando vê que era Jesus lhe fala que se realmente era o Senhor, que também o fizesse andar por cima das águas para encontra-lo.
Nós temos tantos alvos, propósitos, objetivos. Queremos chegar a algum lugar, alcançar a concretização dos nossos sonhos e projetos. No primeiro momento, pensamos que conseguiremos sozinhos. Afinal, somos fortes, capazes e experientes. Sabemos aonde vamos. Conhecemos a rota, os remos, as marés e as velas. Entretanto, o tempo passa e a tempestade vem. A noite chega e os ventos se tornam contrários. Os impedimentos se multiplicam e muitas forças querem nos impelir na contramão. Quando procuramos a ajuda dos nossos amigos, vemos que todos estão no mesmo barco e com dificuldades.

« 1 2 (3) 4 5 6 ... 18 »