Amor e Sexo - Sexo faz bem para as mulheres idosas. Já para os homens… não - Notícias
« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 56 »
Amor e Sexo : Sexo faz bem para as mulheres idosas. Já para os homens… não
Enviado por alexandre em 07/09/2016 13:16:55


Sexo faz bem para as mulheres idosas. Já para os homens… não




Fazer sexo frequentemente faz bem à saúde? Depende. De acordo com um estudo publicado nesta terça-feira no periódico científico Journal of Health and Social Behavior, a prática sexual rotineira pode trazer benefícios para as mulheres da terceira idade, mas, ela está relacionada ao aumento do risco de problemas cardiovasculares entre os homens da mesma faixa etária.

“Essas descobertas desafiam a suposição generalizada de que o sexo traz benefícios para a saúde uniformes para todos”, disse Hui Liu, professora de Sociologia na Universidade Estadual de Michigan, nos EUA, e coautora do estudo.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores analisaram dados de 2.204 pessoas participantes de uma pesquisa nacional realizada nos Estados Unidos, com idade entre 57 e 85 anos no início do estudo em 2005. Cinco anos depois os voluntários foram avaliados novamente para fatores de risco, como hipertensão, aumento da frequência cardíaca, elevação dos níveis da proteína C-reativa – e problemas de saúde, como infarto, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral – cardiovasculares.

Os resultados mostraram que homens idosos que praticavam sexo ao menos uma vez por semana corriam risco duas vezes maior de sofrer de problemas cardiovasculares do que aqueles sexualmente inativos. Nos homens que consideravam o sexo com suas parceiras extremamente prazeroso e satisfatório, esse risco era ainda maior.

Para as mulheres, por outro lado, o cenário foi oposto. As participantes que achavam o sexo extremamente prazeroso e satisfatório apresentaram menos riscos de desenvolver hipertensão, em relação àquelas que não praticavam sexo com frequência.

Para os autores, uma possível explicação para o aumento do risco entre os homens é o aumento da dificuldade para se obter prazer sexual, o que exigiria mais do organismo desses participantes. “Como homens de idade têm mais dificuldades para alcançar o orgasmo do que os jovens, eles devem exercer um grau maior de exaustão e criar mais estresse ao sistema cardiovascular para alcançar o clímax”, explica Hui.

Os níveis de testosterona e o uso de medicações para melhorar as funções sexuais também podem exercer um papel nessa tendência. “Apesar de as evidências científicas ainda serem escassas, é provável que as medicações sexuais ou suplementos tenham efeitos negativos sobre a saúde cardiovascular dos idosos”, disse a autora.

Já no caso das mulheres, a explicação pode estar em estudos anteriores que sugeriram que relacionamentos fortes e profundos são uma importante fonte de apoio emocional e social, o que pode reduzir o stress e promover o bem estar psicológico, que se traduz em melhor saúde cardiovascular.


Confira aqui quatro mandamentos para ser poderosa na cama



Deixe o medo de dominar na hora do sexo de lado e mostre o seu lado poderosa para o gato.

1. (Re)conheça o corpo do gato
Apesar de algumas zonas erógenas serem universais, existem muitos outros pontos sensíveis espalhados pelo seu corpo e o do boy. Essas áreas podem ser um pouco ignoradas se vocês não tomarem um tempo para conhecê-las, então, por que não ir em uma expedição para descobrir como dar ainda mais prazer para o gato? Você pode começar a explorá-lo tanto com as mãos quanto com a boca. Mas não se esqueça de uma coisa: a recíproca é verdadeira e o boy deve descobrir os seus pontos sensíveis também.

2. Tente novas posições
Se vocês sempre estão sempre transando com as posições clássicas (papai-mamãe, cachorrinho e cowgirl) as coisas podem esfriar muito rapidamente. Existem tantas possibilidades divertidas — e prazerosas — para vocês se divertirem na cama. Podem ser aquelas que estimulem o ponto G, ou as que tenham os seios como foco e até com alguns objetos que você tem em casa que podem ajudar a chegar ao orgasmo.

3. Sexo é ciência
Quando você entende como funciona o seu corpo, fica muito mais fácil deixar mitos, medos e tabus no criado-mudo na hora do sexo. Mantenha-se informada para não ter receio de testar algo novo na cama e cair na mesmice toda vez que forem transar. Se deu vontade de, por exemplo, fazer sexo anal, é muito importante compreender as implicações de que tentar essa modalidade tem para garantir o prazer máximo.

4. Saiba balancear
Ser poderosa não é a mesma coisa que ser controladora. Seja equilibrada na vontade de dominar para não acabar com transando de forma completamente mecânica e esquecer de aproveitar todos os orgasmos que estão por vir.


6 segredos das pessoas que fazem mais sexo, segundo a ciência



O sexo é um parte bem importante das relações amorosas, e os estudos comprovam que quanto mais feliz o casal está com a sua vida sexual, mais feliz estará com a sua relação.

Mas com rotinas tão atarefadas, no trabalho e em casa, para muitos casais é quase um milagre conseguirem ter tempo para fazer sexo. Mas como algumas pessoas conseguem fazer do sexo uma prioridade? O que é que elas têm a mais do que as que não conseguem tempo para isso?

Tendo em conta vários estudos sobre o tema, o Huffington Post listou seis segredos das pessoas que fazem sexo regularmente:

1. São descontraídas. Um estudo publicado na revista Research in Personality concluiu que os jovens casais cujas mulheres tem uma personalidade mais descontraída, afável ou que gostam de agradar aos outros tendem a fazer sexo com mais frequência do que outros casais.

2. Descansam. Um pequeno estudo publicado no The Journal of Sexual Medicine concluiu que umas horas extra de sono correspondem a níveis de desejo sexual mais altos em mulheres estudantes.

3. Dizem “Eu te amo” durante o sexo. A intimidade emocional pode acender a intimidade física. Um estudo publicado no Journal of Sex Research descobriu que 75% dos homens sexualmente satisfeitos e 74% das mulheres sexualmente satisfeitas disseram que os seus parceiros disseram o “eu te amo” durante o encontro sexual mais recente.

4. Experimentam coisas novas. Também no Journal of Sex Research um estudo concluiu que experimentar coisas novas na cama deixava os casais mais felizes. Um bom motivo para experimentar com mais frequência.

5. Praticam exercício físico. Vários estudos comprovam que a atividade física pode aumentar a libido, especialmente nos homens.

6. Não fazem sexo por obrigação. O sexo deve ser algo prazeroso e não apenas mais uma tarefa ou obrigação na sua lista. Investigadores da Carnegie Mellon University descobriram que quando os casais fazem sexo por obrigação ficam menos felizes e tendem a ter sexo de pouca qualidade. O melhor é fazer quando se tem vontade, não porque precisa fazer.



Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

Ménage à trois: uma fantasia sexual que exige alguns cuidados



O sexo a três, ou ménage à trois, é uma fantasia sexual bastante comum. A prática pode acontecer tanto com duas mulheres e um homem, quanto com dois homens e uma mulher. As duas formas são capazes de levar prazer para todos os envolvidos, mas também é importante se interar sobre o assunto antes de tomar uma decisão.

Antes de qualquer coisa, é importante abrir o jogo, sem qualquer receio. Segundo mulheres adeptas à prática do ménage, você deve conversar com seu pareiro sobre tudo que envolve o sexo a três: vontades, dúvidas e medo. Se seu parceiro aceitou numa boa, é hora de se preparar para encarar a fantasia.

Segundo a sexóloga Margareth dos Reis, caso um casal opte pela por fazer sexo a três, é muito importante que ambos tenham carinho e muita confiança um com o outro. "Caso contrário, pode gerar desentendimentos futuros entre o casal". A especialista acredita que é uma fantasia que pode, sim, dar certo, mas é importante ficar atento a alguns detalhes que podem fazer toda diferença lá na frente.

Considerações e sentimentos
O casal precisa lembrar sempre que, apesar de envolver outra pessoa, a prática do ménage vai envolver seu sentimentos, do seu companheiro e de uma terceira pessoa, que pode ou não ser um conhecido dos dois. "É importante que ambos tenham consideração pelos sentimentos do outro, até que seja possível se sentirem confortáveis para experimentar a fantasia na prática", alerta Margareth.

A fantasia pode não ser satisfatório para os três
Quando uma pessoa resolve adotar a ideia do sexo a três, ela pensa no prazer. Mas na prática, as coisas podem não ser como se imagina. "Estamos falando, então, de um procedimento que pode não se sustentar de maneira satisfatória para todos os envolvidos apenas pela insistência de um lado para que aconteça tudo do seu jeito. As possíveis consequências da experiência são de difícil previsão, mesmo com toda a atenção nos detalhes que podem ou não favorecer uma fantasia sexual", explica Margareth.

Pode dar muito certo
O sexo a três é uma fantasia que pode dar muito certo se o casal estiver em perfeita sintonia durante a relação. "Quando o casal pondera junto todas as frentes que são capazes de enfrentar para poder assumir as possíveis implicações futuras com espírito de cumplicidade, pode-se chegar a um consenso sobre essa prática com maturidade e o resultado pode dar certo", afirma a sexóloga.

Na prática
Ao Delas, um empresário paulista que preferiu não se identificar contou sua experiência com o sexo a três. Segundo ele, a primeira experiência foi um sucesso. Ele lembra que convidou uma amiga da esposa para participar da transa e todos saíram satisfeitos. Entretanto, a segunda vez rendeu problemas ao casal.

O empresário diz que estava em uma festa e uma garota começou a paquerar a mulher dele. "Tínhamos bebido muito, os três, e fomos para casa juntos. Chegando lá fomos para a cama. Minha mulher saiu do quarto, e quando voltou me viu transando com a outra menina", detalha. A esposa não gostou da cena e acabou brigando com o empresário. Ele afirma que nunca mais praticou sexo a três.

Para evitar problemas, vale retomar as dicas de Margareth e sempre conversar e deixar tudo as claras com o parceiro sobre o que está disposto a fazer na menáge e de que forma.

(Com iG/Delas/Amor e Sexo)

Fonte: Com informações do iG


Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto



Em pesquisa realizada pelo Datafolha em 2010, 57% das mulheres brasileiras declararam fazem sexo anal. 43% delas não praticam ou omitiram a resposta. Apesar de a maioria se declarar praticante, diversas dúvidas sobre o tema ainda persistem. Veja as respostas a dez perguntas frequentes.

1 - É mais fácil pegar AIDS por sexo anal?
Sim, pois a prática gera microtraumatismos na mucosa retal (revestimento interno) que servem como porta de entrada para o vírus.

2 - Praticantes de sexo anal têm mais chances de desenvolver fissuras ou hemorróidas?
Não. Esses quadros são consequências de mau funcionamento intestinal. Mas atenção: quem já apresenta fissuras ou está no período de inflamação da hemorróida pode sentir bastante dor durante o sexo anal. É melhor evitar.

3 - Mulheres que praticam sexo anal têm mais infecção vaginal?
Nada disso. Se tomar cuidado, não há perigo de desenvolver o problema. A principal recomendação é nunca realizar o sexo vaginal após a penetração anal e nem usar os dedos e acessórios para manipular a vagina depois de ter estimulado o ânus. Ao entrar em contato com a região anal, tanto o pênis como os dedos e brinquedinhos são contaminados com fezes ou secreções fecais. Essas secreções apresentam bactérias que podem causar “estragos” em contato com a vagina ou boca. Além da infecção vaginal, mais problemas podem ocorrer, como infertilidade, infecção da região da bacia e do abdome e até aborto em caso de gravidez.

4 - Sexo anal normalmente estoura a camisinha?
Mito. Isso só acontece se houver algum erro na forma de usá-lo. Para evitar problemas, o preservativo deve ser de boa qualidade e proporcional ao calibre do pênis.

5 - O sexo anal pode desencadear câncer no reto ou de intestino?
Boato dos grandes. Nenhum estudo mostrou a existência dessa possibilidade.

6 - Sexo anal dói muito?
Quando se insinua uma penetração anal os músculos locais se contraem como uma forma de defesa. Haverá dor se o casal não esperar que esses relaxem. Para o relaxamento ocorrer é preciso paciência, cumplicidade, confiança e carinho. Se o desconforto for muito intenso durante a relação o ideal é procurar um especialista.

7 - É muito difícil a mulher ter um orgasmo com sexo anal?
Não, mas é preciso que o casal tenha um maior aprendizado em relação a essa prática sexual. Para isso, nada melhor do que conversar com o parceiro e informar, por exemplo, suas preferências em relação à posição e velocidade de penetração.

8 - Fazer sexo anal com frequência é prejudicial à saúde?
Se for praticado com delicadeza - e respeitando as normas de higiene e utilização de preservativo - não é prejudicial à saúde. O uso da camisinha é indispensável.

9 - É preciso fazer uma lavagem no reto antes de praticar sexo anal?
A higiene externa com água e sabonete é importante. Já a interna - chamada "enema" - é opcional.

10 - Sexo anal muda a atividade intestinal?
Esse ato sexual não interfere no hábito intestinal nem nos movimentos peristálticos (que ocorrem dentro do intestino).

Colaboraram os médicos: Otto Henrique Tôrres Chaves, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia e professor da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, e Celso Marzano, urologista e autor do livro sobre sexo anal "O Prazer Secreto", Editora Éden.

Fonte: Com informações do IG

Amor e Sexo : 6 dicas de como recuperar a vida sexual após a chegada do 1º filho
Enviado por alexandre em 30/08/2016 00:00:50


6 dicas de como recuperar a vida sexual após a chegada do 1º filho

A ideia de que a vida sexual jamais será a mesma após a chegada do primeiro filho é ainda muito comum na grande maioria dos casais e especialmente entre as mulheres. Muitos casais acabam colocando o prazer e o desejo em segundo plano, deixando apagar a chama e a intensidade da relação.

Mas isto é um erro e quem o diz é Samantha Evans, antiga enfermeira e agora especialista em sexo. Ao site Healthista, Evans revela o quão importante é a mulher olhar para o seu corpo depois do parto e aceitá-lo, pois só assim será capaz de se sentir confiante e amada – sim, os homens continuam a achar a sua mulher linda, mas muitas vezes, e até mesmo por pressão da sociedade, na cabeça das mulheres o pensamento é totalmente o contrário.

O sexo após a chegada do primeiro filho não tem que ser uma dor de cabeça e existem formas muito fáceis de as mulheres voltarem a querer aventura debaixo dos lençóis, mesmo naqueles dias em que descansaram pouco.

Confira as melhores dicas, segundo Samantha Evans:

1 – Falar com o parceiro. É conversando que a gente se entende e o sexo jamais deve ser um tabu entre os casais. Esta conversa pode acontecer antes e depois do filho nascer.

2 – Levar o tempo que for necessário. A mulher deve sentir-se física e mentalmente pronta para voltar a fazer sexo. Mas quem diz a mulher, diz também o homem, uma vez que a chegada de um filho também o afeta emocionalmente.

3 – Relaxar. Quanto mais tensa a mulher estiver, maior é a probabilidade do sexo pós-parto ser dolorosa.

4 – Tentar algo novo. Como diz a especialista, ser pai e ser mãe é uma tarefa altamente cansativa e, por isso, esperar pelo momento de ir para a cama para fazer sexo pode ser um erro, uma vez que o cansaço falará mais alto. Aproveitar todos os momentos possíveis para namorar é o ideal.

5 – Ter imaginação. O casal deve tentar encontrar formas criativas de fazer sexo, seja com ou sem recurso a brinquedinhos.

6 – Lubrificar sempre. A secura vaginal é uma das consequências comuns do parto e, por isso, a mulher deve procurar um lubrificador que seja adequado à sua vagina.

Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

Ciência explica casais em que um é bonito e o outro não




Você já namorou alguém que era muito mais ou muito menos atraente do que você? Ou conhece casais que não "combinam" em termos de beleza?

Um grupo de investigadores da Universidade de Northwestern e da Universidade do Texas dizem ter descoberto por que alguns casais têm diferentes níveis de atratividade.

Depois de estudarem informação de 167 casais – 67 namorados e 100 casados – concluíram que os parceiros que começam uma relação amorosa pouco depois de se conhecerem tendem a ter níveis semelhantes de beleza.

Já os que se juntam depois de se conhecerem há algum tempo têm níveis diferentes de beleza.

Lucy Hunt, cientista que liderou a pesquisa, explicou ao jornal Mirror que “os resultados indicam que as perceções de beleza em relação a um parceiro amoroso podem mudar com o tempo, à medida em que as pessoas se vão conhecendo melhor antes de começarem a namorar”.

Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

Massagem vaginal é nova moda nos Estados Unidos e Europa



A quem confiaria as suas partes mais íntimas além do seu ginecologista e a pessoa com quem divide a cama? Possivelmente com mais ninguém, mas a verdade é que nos Estados Unidos e no Reino Unido, começa a ser cada vez mais uma tendência para as mulheres pagarem para recebem “massagens vaginais” feitas por “profissionais”.

Tal como explica um artigo da Women’s Health, que entrevistou Isis Phoenix, uma “profissional” na matéria, cada massagem pode custar até 300 dólares (R$ 1.080) e são feitas usando vapores e plantas medicinais na parte exterior da vagina. A verdade é que há cada vez mais mulheres procurando este tipo de tratamento nos dois países.

Quem oferece este tipo de serviços promete benefícios para a mente e para o corpo, tal como o aliviar de sensações como a ansiedade, a baixa auto-estima , a sensibilidade vaginal e, acima de tudo, “mais e melhores orgasmos”.

Katie Travis, do centro ‘Massage Her’, explicou também que estes tratamentos “reduzem os riscos dos diferentes tipos de câncer habitualmente associados às mulheres”. Ao britânico Metro.uk, a massagista diz que faz seus tratamentos com recurso a velas e incenso, além do tato.

Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

25% dos britânicos interrompem sexo para olhar o celular. E você?



Uma pesquisa feita com dois mil britânicos descobriu que 25% dos entrevistados interrompia o ato sexual para olhar para o celular.

O estudo realizado pela O2, empresa britânica do ramo das telecomunicações, descobriu ainda que 27% dos entrevistados já enviaram mensagens 'picantes' à pessoa errada acidentalmente.

Destes, 5% enviaram essas mensagens ao pai ou à mãe, 6% a um ex-namorado e 11% a um colega do trabalho.

Segundo informações do jornal Mirror, 6% dos entrevistados admitiram preferir enviar mensagens de teor sexual a fazer sexo.

Amor e Sexo : Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto
Enviado por alexandre em 29/08/2016 23:56:50


Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto



Em pesquisa realizada pelo Datafolha em 2010, 57% das mulheres brasileiras declararam fazem sexo anal. 43% delas não praticam ou omitiram a resposta. Apesar de a maioria se declarar praticante, diversas dúvidas sobre o tema ainda persistem. Veja as respostas a dez perguntas frequentes.

1 - É mais fácil pegar AIDS por sexo anal?
Sim, pois a prática gera microtraumatismos na mucosa retal (revestimento interno) que servem como porta de entrada para o vírus.

2 - Praticantes de sexo anal têm mais chances de desenvolver fissuras ou hemorróidas?
Não. Esses quadros são consequências de mau funcionamento intestinal. Mas atenção: quem já apresenta fissuras ou está no período de inflamação da hemorróida pode sentir bastante dor durante o sexo anal. É melhor evitar.

3 - Mulheres que praticam sexo anal têm mais infecção vaginal?
Nada disso. Se tomar cuidado, não há perigo de desenvolver o problema. A principal recomendação é nunca realizar o sexo vaginal após a penetração anal e nem usar os dedos e acessórios para manipular a vagina depois de ter estimulado o ânus. Ao entrar em contato com a região anal, tanto o pênis como os dedos e brinquedinhos são contaminados com fezes ou secreções fecais. Essas secreções apresentam bactérias que podem causar “estragos” em contato com a vagina ou boca. Além da infecção vaginal, mais problemas podem ocorrer, como infertilidade, infecção da região da bacia e do abdome e até aborto em caso de gravidez.

4 - Sexo anal normalmente estoura a camisinha?
Mito. Isso só acontece se houver algum erro na forma de usá-lo. Para evitar problemas, o preservativo deve ser de boa qualidade e proporcional ao calibre do pênis.

5 - O sexo anal pode desencadear câncer no reto ou de intestino?
Boato dos grandes. Nenhum estudo mostrou a existência dessa possibilidade.

6 - Sexo anal dói muito?
Quando se insinua uma penetração anal os músculos locais se contraem como uma forma de defesa. Haverá dor se o casal não esperar que esses relaxem. Para o relaxamento ocorrer é preciso paciência, cumplicidade, confiança e carinho. Se o desconforto for muito intenso durante a relação o ideal é procurar um especialista.

7 - É muito difícil a mulher ter um orgasmo com sexo anal?
Não, mas é preciso que o casal tenha um maior aprendizado em relação a essa prática sexual. Para isso, nada melhor do que conversar com o parceiro e informar, por exemplo, suas preferências em relação à posição e velocidade de penetração.

8 - Fazer sexo anal com frequência é prejudicial à saúde?
Se for praticado com delicadeza - e respeitando as normas de higiene e utilização de preservativo - não é prejudicial à saúde. O uso da camisinha é indispensável.

9 - É preciso fazer uma lavagem no reto antes de praticar sexo anal?
A higiene externa com água e sabonete é importante. Já a interna - chamada "enema" - é opcional.

10 - Sexo anal muda a atividade intestinal?
Esse ato sexual não interfere no hábito intestinal nem nos movimentos peristálticos (que ocorrem dentro do intestino).

Colaboraram os médicos: Otto Henrique Tôrres Chaves, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia e professor da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, e Celso Marzano, urologista e autor do livro sobre sexo anal "O Prazer Secreto", Editora Éden.

Fonte: Com informações do IG

Cinco formas de ajudar os homens a fazer sexo oral em você



Sim, os boys curtem dar prazer. Mas tem algumas coisinhas que você precisa saber para facilitar o lado deles - e deixar o seu ainda melhor!

1- Não se irrite se ele precisar de uma pausa
Se você estiver sentada em cima dele, dependendo de quanto tempo levar para chegar ao orgasmo, vai chegar aquele momento em que o boy precisará daquela pausa pra respirar. Sim, é meio frustrante ter que retomar a concentração. Mas, em defesa deles, devemos concordar que entre sufocar e adiar o orgasmo da parceira, a segunda opção parece mais interessante.

2- Pelos não são um problema
A maior parte dos caras não se importa se a mulher prefere preservar a floresta. Mas eles também não negam que um jardim aparado facilita as coisas.

3- Instruções são bem vindas
Ainda que o boy saiba qual o caminho da (sua) felicidade, ele não se importa se você indicar alguns atalhos.

4- Seja honesta se não for rolar
Por mais que o cara curta fazer sexo oral em você, chega uma hora que cansa (e as mulheres também passam por isso - quem nunca ficou com dor no maxilar?). Por isso, se sentir que não importa o quanto o boy se esforce, não vai rolar um orgasmo, melhor avisar – pro seu próprio bem, inclusive. Existem muitas outras formas de chegar lá.

5- Fique à vontade
Ver você gozando devido ao desempenho deles é sensacional, mas os caras também gostam de ver tudo o que antecede esse momento: você se tocando, gemendo, falando sacanagem... Enfim, quanto mais soltinha estiver, melhor.

6- Avise quando estiver chegando lá
Só para eles ficarem preparados para receber os apertões, os arranhões, as mordidas...

Fonte: Com informações do M de Mulher
Tópicos


Três posições sexuais orgásticas para fazer em uma noite só



1. Levantada sexy
Deite-se com as costas na cama e peça para o gato se posicionar de frente para você, porém de joelhos. Depois, ele deve levantar suas pernas com uma das mãos até que o seu bumbum esteja em contato com a zona P dele. Desta forma, ele pode iniciar a penetração em um ângulo completamente diferente que ajudará a estimular seu ponto G, além de proporcionar para o boy uma visão privilegiada do seu corpo.



2. O primeiro rodeio
Para esta posição, o gato deve deitar de bruços na cama e deixar as pernas para fora, dobrando o joelho e apoiando os pés no chão. Você deve se posicionar de costas para ele, entrando na posição de cowgirl reversa. Para ter mais segurança, coloque seus joelhos embaixo do corpo do gato. Prazer grantido!



3. Encaixe perfeito
O gato deve estar no chão com as pernas esticadas e você sentar no colo dele, iniciando a penetração. Para aumentar o prazer, sobre seus joelhos, colocando seus pés para trás e peça para o boy inclinar as costas levemente, usando as mãos como apoio. Esta posição permite que ambos façam movimentos e que as terminações nervosas mais sensíveis tanto da sua vagina, quanto do pênis do seu parceiro, sejam estimuladas.





Noite,Orgásticas,Posies,Sexuais,Três




Por sentir dificuldade em descrever como é uma ‘vida sexual normal’, a BBC Future decidiu explicar o que a ciência já descobriu sobre o sexo.

Focando-se nos Estados Unidos, e mesmo sabendo que muitos resultados podem não corresponder à pura verdade – uma vez que a atividade sexual, embora importante para o homem, continua sendo um tabu – a rede de televisão não deixou de tentar compreender como é o sexo dos dias de hoje.

E a primeiro ponto analisado foi a vontade sexual das pessoas. Segundo a publicação, os mais recentes estudos revelam que 0,4% a 3% dos homens simplesmente não pensam em sexo, não se interessam pela atividade sexual. Mesmo que se relacionem, o desejo sexual é quase nulo. A assexualidade existe, mas o receio em revelá-la é ainda muito.

Mas quando há atividade sexual, um estudo da Universidade de Indiana (nos Estados Unidos) revela que 53% das pessoas faz sexo com os seus parceiros de longa data, enquanto apenas 9% o faz com alguém que acaba de conhecer. 2% paga para ter relações e 36% tem sexo com amigos ou no âmbito de relações abertas e sem um compromisso estabelecido.

Segundo o Journal of Sexual Medicine, 50% das pessoas classifica o sexo como uma questão “complicada”. Será pelo tabu? Ou pelo receio das opiniões alheias? A ciência ainda conseguiu saber.

Também nos Estados Unidos, o sexo é praticado entre uma a três vezes por semana (40%). 28% dos inquiridos diz ser sexualmente ativo uma a duas vezes por mês, já 18% não praticou sexo nos últimos 12 meses. A frequência cai com a idade, sendo que apenas 11% com mais de 70 anos faz sexo todas as semanas.

E como se faz sexo? 86% das mulheres prefere a penetração vaginal, tal como 80% dos homens.

Depois de terem conversado com duas mil pessoas (com idades compreendias entre os 18 e os 59 anos), os investigadores norte-americanos concluíram que 67% das mulheres e 80% dos homens fazem sexo oral. Já o sexo anal foi praticado apenas por 3,5% das mulheres e 9% dos homens.

E como a duração é sempre algo que preocupa tanto o homem ou a mulher, a ciência também já descobriu que são as mulheres lésbicas quem tem relações sexuais mais longas, embora pratiquem o ato com menos frequência que os casais heterossexuais ou de dois homens.

Diz uma investigação conjunta entre universidades do Canadá e dos Estados Unidos que o sexo entre duas mulheres dura, em média, entre 30 e 45 minutos. A relação entre homens e casais heterossexuais dura, no máximo, 30 minutos.

Quanto ao orgasmo, a ciência também já desmistificou a teoria que afirma que apenas as mulheres fingem o orgasmo. Um em cada quatro homens também o faz.

Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

Pouco valorizada, zona erógena pode ser chave do clímax feminino



Para atingir o máximo de prazer é preciso dar alguma atenção a algumas zonas do corpo feminino que muitas vezes são negligenciadas ou esquecidas.

Contrariando o mito de que a chave para o prazer da mulher está no clitóris e no ponto G, os sexólogos revelam que é no monte pubiano, ou monte de Vênus (como é conhecido), que deve se focar.

Localizado acima da área labial, esta zona é muitas vezes ignorada durante as preliminares mas esta é uma área muito sensível a passagens suaves ou a toques fortes e deve ser incluída nas preliminares para maximizar as sensações de prazer.

Carícias e massagens conseguem simultaneamente estimular esta zona, o clitóris e os lábios e ainda criam uma tensão que vai deixar a mulher à beira do clímax ainda antes do sexo acontecer.

Amor e Sexo : Você tem evitado sexo com seu parceiro? Entenda por que isso pode estar acontecendo
Enviado por alexandre em 26/08/2016 09:03:11

Você tem evitado sexo com seu parceiro? Entenda por que isso pode estar acontecendo

Talvez seja necessário entender os motivos para conseguir voltar a acender a chama da paixão

A falta de desejo sexual de tempos em tempos é comum em longos relacionamentos e normalmente é contornada sem grandes angústias, mas se a libido anda em baixa por um longo período e tem afetado a relação, talvez seja necessário entender os motivos para conseguir voltar a acender a chama da paixão.

Falta de libido entre mulheres


Fatores físicos e emocionais diversos podem interferir no desejo sexual feminino. O excesso ou a falta de determinados hormônios pode influenciar diretamente a libido da mulher e o acompanhamento de um endocrinologista, que pode receitar medicamentos para equilíbrio hormonal pode ser necessário.

Alguns problemas fisiológicos, como Infecções ou nódulos vaginais, podem causar dores às mulheres fazendo com que o desejo desapareça. Além disso, medicamentos como antidepressivos e anticoncepcionais também podem reduzir a libido feminina.

A falta de vontade de transar ainda pode ocorrer quando a mulher e o parceiro ignoram a importância das preliminares e vão direto para o ato sexual. A troca de carícias e a presença de um clima favorável é essencial para garantir excitação, prazer e, consequentemente, sempre vontade de ir para a cama com a pessoa amada.

A rotina sexual pode acabar com o desejo, mesmo quando o sexo é frequente na relação. Sair do piloto automático e procurar sempre inovar e seduzir é importante para manter acesa a chama da paixão.

Se a mulher negligencia o próprio corpo, comendo mal e deixando de praticar exercícios, pode acabar sofrendo com falta de libido. E não se trata apenas de questões estéticas ou gordurinhas extras, mas sim um cuidado pessoal que garante autoestima e, consequentemente, mais prazer na vida.

De acordo com pesquisa do Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, 65% das mulheres que procuram o ambulatório se queixam de falta de libido e que 23% sofrem com a ausência total de orgasmo, condição chamada de anorgasmia.

Falta de libido entre homens

Apesar de menos comum, os homens também podem passar por um período desinteressados em sexo e os motivos devem ser avaliados para que a relação amorosa não fique comprometida.

Excesso de trabalho e estresse normalmente são as principais causas da diminuição do apetite sexual masculino. Os problemas afetam não somente a cabeça do parceiro, como também seu estado físico, já que o cortisol produzido sob estas condições atrapalha o relaxamento e a libido.

É possível ainda que o homem esteja entediado com o sexo, mas não exatamente com a parceira. Se a relação caiu na rotina, saiba que uma conversa sincera e tentar apimentar a transa podem ser soluções simples para voltar a ter uma rotina sexual ativa.

Nem todas as mulheres compreendem, mas homens se masturbam mesmo quando estão em um relacionamento fixo e com uma parceira que ama. Isso é um fato. E se seu parceiro já se tocou naquele dia, pode ficar menos estimulado a transar com você.

Em alguns casos até mesmo a timidez pode fazer com que ele deixe de te procurar, especialmente se foi rejeitado antes e tem vergonha de pedir por sexo. Se a relação não está satisfatória, com muitas brigas e desconfianças, certamente vai fazer com que ele perca o desejo. Conversar e procurar entender o que está acontecendo pode ajudar a solucionar o problema.

Como aumentar a libido

Embora dependa diretamente da causa, os tratamentos para a falta de desejo geralmente envolvem consultas com ginecologistas e psicólogos. O médico tem a função de eliminar qualquer causa física, enquanto o terapeuta resolve as questões emocionais que podem desencadear o problema.


Fonte: Site Vix

Amor e Sexo : Confira os 12 incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber
Enviado por alexandre em 14/08/2016 12:24:43

Confira os 12 incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber

Aprender algumas técnicas diferentes pode aumentar ainda mais a excitação

A prática do sexo oral é considerada uma das preferidas entre homens e mulheres e normalmente agrada pela simplicidade de movimentos em relação ao prazer que proporciona.

Aprender algumas técnicas diferentes pode aumentar ainda mais a excitação e ajudar a sair da rotina e do piloto automático. Conheça exemplos de incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber:

Dicas para fazer sexo oral na mulher


1. O truque é simples, mas nem todos conhecem. Coloque um travesseiro sob o bumbum da mulher para elevar o quadril e deixar a pélvis mais relaxada e exposta, aumentando o prazer no sexo oral. Deixar a mulher com os joelhos afastados também aumenta a sensibilidade da região.

2. O clitóris deve ser o foco principal do sexo oral, mas é importante prestar atenção e evitar que ele fique sensível demais. Use toda a língua, com diferentes intensidades e movimentos, para explorar cada centímetro do órgão.

3. Uma boa maneira de promover diferente prazer à mulher é praticar uma espécie de beijo de língua na região íntima, movimentando os lábios e não ficar somente com a língua esticada para estimular o clitóris.

4. Deixe a mulher de barriga para baixo para inovar no sexo oral. Em vez da posição clássica, deitada de costas com as pernas abertas, a mulher de bruços pode abrir bem as pernas e receber a língua do parceiro. A posição permite o sexo oral no "sentido contrário", garantindo uma sensação completamente nova.

5. Além de trabalhar bem a língua, lembre-se de usar os dedos para estimular a parceira. Revezar toques dos dedos e boca no clitóris ou penetrar um ou dois dedos na vagina enquanto pratica sexo oral pode deixar garantir grande prazer.

6. Apesar de nem sempre ser aceita por todos os casais, a técnica do beijo grego pode ser extremamente prazerosa para ambos. O beijo grego é basicamente o passeio da língua pelo ânus. Ele pode ser um complemento bastante prazeroso ao sexo oral, já que a região é rica em terminações nervosas e, por isso, uma zona erógena importante.

Dicas para fazer sexo oral no homem

1. Uma maneira simples de excitar o homem e que nem todos sabem é manter o contato visual enquanto pratica o sexo oral. Deixar a vergonha de lado e encarar o parceiro durante as carícias pode aumentar ainda mais o prazer para ambos.

2. Antes de colocar o pênis na boca, beije coxas, umbigos, masturbe o companheiro de leve. Brinque bastante com o membro, atiçando e provocando. Assim, quando tocar os lábios e começar a prática, ele já estará louco de desejo.

3. Uma dica de ouro é lubrificar bastante o pênis do parceiro com sua própria saliva. A sensação de umidade vai garantir muito mais prazer e deixar o homem louco com a carícia.

4. Não ignore as carícias nos testículos, pois a região é bastante sensível e pode garantir muito prazer ao homem quando beijada, lambida e tocada. Evite, no entanto, arranhões ou mesmo mordidinhas de leve, que podem machucar ou deixar o parceiro aflito.

5. Em vez de se preocupar em colocar todo o pênis na boca, realize o sexo oral em conjunto com a masturbação. Revezar as práticas ou mesmo simultaneamente, lábios e mãos, permite descanso e respiro, sem acabar com o prazer da transa.

6. Se sentir que o parceiro se sente confortável, massageie o períneo enquanto pratica o sexo oral. Toques na região entre o saco escrotal e o ânus pode garantir prazer extra ao homem. A técnica do beijo grego também pode ser bastante excitante para eles.

Fonte: Site Vix

« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 56 »