Amor e Sexo - Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto - Notícias
« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 56 »
Amor e Sexo : Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto
Enviado por alexandre em 29/08/2016 23:56:50


Sexo anal dói? Especialistas tiram as dúvidas sobre o assunto



Em pesquisa realizada pelo Datafolha em 2010, 57% das mulheres brasileiras declararam fazem sexo anal. 43% delas não praticam ou omitiram a resposta. Apesar de a maioria se declarar praticante, diversas dúvidas sobre o tema ainda persistem. Veja as respostas a dez perguntas frequentes.

1 - É mais fácil pegar AIDS por sexo anal?
Sim, pois a prática gera microtraumatismos na mucosa retal (revestimento interno) que servem como porta de entrada para o vírus.

2 - Praticantes de sexo anal têm mais chances de desenvolver fissuras ou hemorróidas?
Não. Esses quadros são consequências de mau funcionamento intestinal. Mas atenção: quem já apresenta fissuras ou está no período de inflamação da hemorróida pode sentir bastante dor durante o sexo anal. É melhor evitar.

3 - Mulheres que praticam sexo anal têm mais infecção vaginal?
Nada disso. Se tomar cuidado, não há perigo de desenvolver o problema. A principal recomendação é nunca realizar o sexo vaginal após a penetração anal e nem usar os dedos e acessórios para manipular a vagina depois de ter estimulado o ânus. Ao entrar em contato com a região anal, tanto o pênis como os dedos e brinquedinhos são contaminados com fezes ou secreções fecais. Essas secreções apresentam bactérias que podem causar “estragos” em contato com a vagina ou boca. Além da infecção vaginal, mais problemas podem ocorrer, como infertilidade, infecção da região da bacia e do abdome e até aborto em caso de gravidez.

4 - Sexo anal normalmente estoura a camisinha?
Mito. Isso só acontece se houver algum erro na forma de usá-lo. Para evitar problemas, o preservativo deve ser de boa qualidade e proporcional ao calibre do pênis.

5 - O sexo anal pode desencadear câncer no reto ou de intestino?
Boato dos grandes. Nenhum estudo mostrou a existência dessa possibilidade.

6 - Sexo anal dói muito?
Quando se insinua uma penetração anal os músculos locais se contraem como uma forma de defesa. Haverá dor se o casal não esperar que esses relaxem. Para o relaxamento ocorrer é preciso paciência, cumplicidade, confiança e carinho. Se o desconforto for muito intenso durante a relação o ideal é procurar um especialista.

7 - É muito difícil a mulher ter um orgasmo com sexo anal?
Não, mas é preciso que o casal tenha um maior aprendizado em relação a essa prática sexual. Para isso, nada melhor do que conversar com o parceiro e informar, por exemplo, suas preferências em relação à posição e velocidade de penetração.

8 - Fazer sexo anal com frequência é prejudicial à saúde?
Se for praticado com delicadeza - e respeitando as normas de higiene e utilização de preservativo - não é prejudicial à saúde. O uso da camisinha é indispensável.

9 - É preciso fazer uma lavagem no reto antes de praticar sexo anal?
A higiene externa com água e sabonete é importante. Já a interna - chamada "enema" - é opcional.

10 - Sexo anal muda a atividade intestinal?
Esse ato sexual não interfere no hábito intestinal nem nos movimentos peristálticos (que ocorrem dentro do intestino).

Colaboraram os médicos: Otto Henrique Tôrres Chaves, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia e professor da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, e Celso Marzano, urologista e autor do livro sobre sexo anal "O Prazer Secreto", Editora Éden.

Fonte: Com informações do IG

Cinco formas de ajudar os homens a fazer sexo oral em você



Sim, os boys curtem dar prazer. Mas tem algumas coisinhas que você precisa saber para facilitar o lado deles - e deixar o seu ainda melhor!

1- Não se irrite se ele precisar de uma pausa
Se você estiver sentada em cima dele, dependendo de quanto tempo levar para chegar ao orgasmo, vai chegar aquele momento em que o boy precisará daquela pausa pra respirar. Sim, é meio frustrante ter que retomar a concentração. Mas, em defesa deles, devemos concordar que entre sufocar e adiar o orgasmo da parceira, a segunda opção parece mais interessante.

2- Pelos não são um problema
A maior parte dos caras não se importa se a mulher prefere preservar a floresta. Mas eles também não negam que um jardim aparado facilita as coisas.

3- Instruções são bem vindas
Ainda que o boy saiba qual o caminho da (sua) felicidade, ele não se importa se você indicar alguns atalhos.

4- Seja honesta se não for rolar
Por mais que o cara curta fazer sexo oral em você, chega uma hora que cansa (e as mulheres também passam por isso - quem nunca ficou com dor no maxilar?). Por isso, se sentir que não importa o quanto o boy se esforce, não vai rolar um orgasmo, melhor avisar – pro seu próprio bem, inclusive. Existem muitas outras formas de chegar lá.

5- Fique à vontade
Ver você gozando devido ao desempenho deles é sensacional, mas os caras também gostam de ver tudo o que antecede esse momento: você se tocando, gemendo, falando sacanagem... Enfim, quanto mais soltinha estiver, melhor.

6- Avise quando estiver chegando lá
Só para eles ficarem preparados para receber os apertões, os arranhões, as mordidas...

Fonte: Com informações do M de Mulher
Tópicos


Três posições sexuais orgásticas para fazer em uma noite só



1. Levantada sexy
Deite-se com as costas na cama e peça para o gato se posicionar de frente para você, porém de joelhos. Depois, ele deve levantar suas pernas com uma das mãos até que o seu bumbum esteja em contato com a zona P dele. Desta forma, ele pode iniciar a penetração em um ângulo completamente diferente que ajudará a estimular seu ponto G, além de proporcionar para o boy uma visão privilegiada do seu corpo.



2. O primeiro rodeio
Para esta posição, o gato deve deitar de bruços na cama e deixar as pernas para fora, dobrando o joelho e apoiando os pés no chão. Você deve se posicionar de costas para ele, entrando na posição de cowgirl reversa. Para ter mais segurança, coloque seus joelhos embaixo do corpo do gato. Prazer grantido!



3. Encaixe perfeito
O gato deve estar no chão com as pernas esticadas e você sentar no colo dele, iniciando a penetração. Para aumentar o prazer, sobre seus joelhos, colocando seus pés para trás e peça para o boy inclinar as costas levemente, usando as mãos como apoio. Esta posição permite que ambos façam movimentos e que as terminações nervosas mais sensíveis tanto da sua vagina, quanto do pênis do seu parceiro, sejam estimuladas.





Noite,Orgásticas,Posies,Sexuais,Três




Por sentir dificuldade em descrever como é uma ‘vida sexual normal’, a BBC Future decidiu explicar o que a ciência já descobriu sobre o sexo.

Focando-se nos Estados Unidos, e mesmo sabendo que muitos resultados podem não corresponder à pura verdade – uma vez que a atividade sexual, embora importante para o homem, continua sendo um tabu – a rede de televisão não deixou de tentar compreender como é o sexo dos dias de hoje.

E a primeiro ponto analisado foi a vontade sexual das pessoas. Segundo a publicação, os mais recentes estudos revelam que 0,4% a 3% dos homens simplesmente não pensam em sexo, não se interessam pela atividade sexual. Mesmo que se relacionem, o desejo sexual é quase nulo. A assexualidade existe, mas o receio em revelá-la é ainda muito.

Mas quando há atividade sexual, um estudo da Universidade de Indiana (nos Estados Unidos) revela que 53% das pessoas faz sexo com os seus parceiros de longa data, enquanto apenas 9% o faz com alguém que acaba de conhecer. 2% paga para ter relações e 36% tem sexo com amigos ou no âmbito de relações abertas e sem um compromisso estabelecido.

Segundo o Journal of Sexual Medicine, 50% das pessoas classifica o sexo como uma questão “complicada”. Será pelo tabu? Ou pelo receio das opiniões alheias? A ciência ainda conseguiu saber.

Também nos Estados Unidos, o sexo é praticado entre uma a três vezes por semana (40%). 28% dos inquiridos diz ser sexualmente ativo uma a duas vezes por mês, já 18% não praticou sexo nos últimos 12 meses. A frequência cai com a idade, sendo que apenas 11% com mais de 70 anos faz sexo todas as semanas.

E como se faz sexo? 86% das mulheres prefere a penetração vaginal, tal como 80% dos homens.

Depois de terem conversado com duas mil pessoas (com idades compreendias entre os 18 e os 59 anos), os investigadores norte-americanos concluíram que 67% das mulheres e 80% dos homens fazem sexo oral. Já o sexo anal foi praticado apenas por 3,5% das mulheres e 9% dos homens.

E como a duração é sempre algo que preocupa tanto o homem ou a mulher, a ciência também já descobriu que são as mulheres lésbicas quem tem relações sexuais mais longas, embora pratiquem o ato com menos frequência que os casais heterossexuais ou de dois homens.

Diz uma investigação conjunta entre universidades do Canadá e dos Estados Unidos que o sexo entre duas mulheres dura, em média, entre 30 e 45 minutos. A relação entre homens e casais heterossexuais dura, no máximo, 30 minutos.

Quanto ao orgasmo, a ciência também já desmistificou a teoria que afirma que apenas as mulheres fingem o orgasmo. Um em cada quatro homens também o faz.

Fonte: Com informações do Notícias ao Minuto

Pouco valorizada, zona erógena pode ser chave do clímax feminino



Para atingir o máximo de prazer é preciso dar alguma atenção a algumas zonas do corpo feminino que muitas vezes são negligenciadas ou esquecidas.

Contrariando o mito de que a chave para o prazer da mulher está no clitóris e no ponto G, os sexólogos revelam que é no monte pubiano, ou monte de Vênus (como é conhecido), que deve se focar.

Localizado acima da área labial, esta zona é muitas vezes ignorada durante as preliminares mas esta é uma área muito sensível a passagens suaves ou a toques fortes e deve ser incluída nas preliminares para maximizar as sensações de prazer.

Carícias e massagens conseguem simultaneamente estimular esta zona, o clitóris e os lábios e ainda criam uma tensão que vai deixar a mulher à beira do clímax ainda antes do sexo acontecer.

Amor e Sexo : Você tem evitado sexo com seu parceiro? Entenda por que isso pode estar acontecendo
Enviado por alexandre em 26/08/2016 09:03:11

Você tem evitado sexo com seu parceiro? Entenda por que isso pode estar acontecendo

Talvez seja necessário entender os motivos para conseguir voltar a acender a chama da paixão

A falta de desejo sexual de tempos em tempos é comum em longos relacionamentos e normalmente é contornada sem grandes angústias, mas se a libido anda em baixa por um longo período e tem afetado a relação, talvez seja necessário entender os motivos para conseguir voltar a acender a chama da paixão.

Falta de libido entre mulheres


Fatores físicos e emocionais diversos podem interferir no desejo sexual feminino. O excesso ou a falta de determinados hormônios pode influenciar diretamente a libido da mulher e o acompanhamento de um endocrinologista, que pode receitar medicamentos para equilíbrio hormonal pode ser necessário.

Alguns problemas fisiológicos, como Infecções ou nódulos vaginais, podem causar dores às mulheres fazendo com que o desejo desapareça. Além disso, medicamentos como antidepressivos e anticoncepcionais também podem reduzir a libido feminina.

A falta de vontade de transar ainda pode ocorrer quando a mulher e o parceiro ignoram a importância das preliminares e vão direto para o ato sexual. A troca de carícias e a presença de um clima favorável é essencial para garantir excitação, prazer e, consequentemente, sempre vontade de ir para a cama com a pessoa amada.

A rotina sexual pode acabar com o desejo, mesmo quando o sexo é frequente na relação. Sair do piloto automático e procurar sempre inovar e seduzir é importante para manter acesa a chama da paixão.

Se a mulher negligencia o próprio corpo, comendo mal e deixando de praticar exercícios, pode acabar sofrendo com falta de libido. E não se trata apenas de questões estéticas ou gordurinhas extras, mas sim um cuidado pessoal que garante autoestima e, consequentemente, mais prazer na vida.

De acordo com pesquisa do Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, 65% das mulheres que procuram o ambulatório se queixam de falta de libido e que 23% sofrem com a ausência total de orgasmo, condição chamada de anorgasmia.

Falta de libido entre homens

Apesar de menos comum, os homens também podem passar por um período desinteressados em sexo e os motivos devem ser avaliados para que a relação amorosa não fique comprometida.

Excesso de trabalho e estresse normalmente são as principais causas da diminuição do apetite sexual masculino. Os problemas afetam não somente a cabeça do parceiro, como também seu estado físico, já que o cortisol produzido sob estas condições atrapalha o relaxamento e a libido.

É possível ainda que o homem esteja entediado com o sexo, mas não exatamente com a parceira. Se a relação caiu na rotina, saiba que uma conversa sincera e tentar apimentar a transa podem ser soluções simples para voltar a ter uma rotina sexual ativa.

Nem todas as mulheres compreendem, mas homens se masturbam mesmo quando estão em um relacionamento fixo e com uma parceira que ama. Isso é um fato. E se seu parceiro já se tocou naquele dia, pode ficar menos estimulado a transar com você.

Em alguns casos até mesmo a timidez pode fazer com que ele deixe de te procurar, especialmente se foi rejeitado antes e tem vergonha de pedir por sexo. Se a relação não está satisfatória, com muitas brigas e desconfianças, certamente vai fazer com que ele perca o desejo. Conversar e procurar entender o que está acontecendo pode ajudar a solucionar o problema.

Como aumentar a libido

Embora dependa diretamente da causa, os tratamentos para a falta de desejo geralmente envolvem consultas com ginecologistas e psicólogos. O médico tem a função de eliminar qualquer causa física, enquanto o terapeuta resolve as questões emocionais que podem desencadear o problema.


Fonte: Site Vix

Amor e Sexo : Confira os 12 incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber
Enviado por alexandre em 14/08/2016 12:24:43

Confira os 12 incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber

Aprender algumas técnicas diferentes pode aumentar ainda mais a excitação

A prática do sexo oral é considerada uma das preferidas entre homens e mulheres e normalmente agrada pela simplicidade de movimentos em relação ao prazer que proporciona.

Aprender algumas técnicas diferentes pode aumentar ainda mais a excitação e ajudar a sair da rotina e do piloto automático. Conheça exemplos de incrementos ao sexo oral pouco conhecidos que eles e elas esperam receber:

Dicas para fazer sexo oral na mulher


1. O truque é simples, mas nem todos conhecem. Coloque um travesseiro sob o bumbum da mulher para elevar o quadril e deixar a pélvis mais relaxada e exposta, aumentando o prazer no sexo oral. Deixar a mulher com os joelhos afastados também aumenta a sensibilidade da região.

2. O clitóris deve ser o foco principal do sexo oral, mas é importante prestar atenção e evitar que ele fique sensível demais. Use toda a língua, com diferentes intensidades e movimentos, para explorar cada centímetro do órgão.

3. Uma boa maneira de promover diferente prazer à mulher é praticar uma espécie de beijo de língua na região íntima, movimentando os lábios e não ficar somente com a língua esticada para estimular o clitóris.

4. Deixe a mulher de barriga para baixo para inovar no sexo oral. Em vez da posição clássica, deitada de costas com as pernas abertas, a mulher de bruços pode abrir bem as pernas e receber a língua do parceiro. A posição permite o sexo oral no "sentido contrário", garantindo uma sensação completamente nova.

5. Além de trabalhar bem a língua, lembre-se de usar os dedos para estimular a parceira. Revezar toques dos dedos e boca no clitóris ou penetrar um ou dois dedos na vagina enquanto pratica sexo oral pode deixar garantir grande prazer.

6. Apesar de nem sempre ser aceita por todos os casais, a técnica do beijo grego pode ser extremamente prazerosa para ambos. O beijo grego é basicamente o passeio da língua pelo ânus. Ele pode ser um complemento bastante prazeroso ao sexo oral, já que a região é rica em terminações nervosas e, por isso, uma zona erógena importante.

Dicas para fazer sexo oral no homem

1. Uma maneira simples de excitar o homem e que nem todos sabem é manter o contato visual enquanto pratica o sexo oral. Deixar a vergonha de lado e encarar o parceiro durante as carícias pode aumentar ainda mais o prazer para ambos.

2. Antes de colocar o pênis na boca, beije coxas, umbigos, masturbe o companheiro de leve. Brinque bastante com o membro, atiçando e provocando. Assim, quando tocar os lábios e começar a prática, ele já estará louco de desejo.

3. Uma dica de ouro é lubrificar bastante o pênis do parceiro com sua própria saliva. A sensação de umidade vai garantir muito mais prazer e deixar o homem louco com a carícia.

4. Não ignore as carícias nos testículos, pois a região é bastante sensível e pode garantir muito prazer ao homem quando beijada, lambida e tocada. Evite, no entanto, arranhões ou mesmo mordidinhas de leve, que podem machucar ou deixar o parceiro aflito.

5. Em vez de se preocupar em colocar todo o pênis na boca, realize o sexo oral em conjunto com a masturbação. Revezar as práticas ou mesmo simultaneamente, lábios e mãos, permite descanso e respiro, sem acabar com o prazer da transa.

6. Se sentir que o parceiro se sente confortável, massageie o períneo enquanto pratica o sexo oral. Toques na região entre o saco escrotal e o ânus pode garantir prazer extra ao homem. A técnica do beijo grego também pode ser bastante excitante para eles.

Fonte: Site Vix

Amor e Sexo : Se você faz essas 7 coisas, significa que é um furacão na cama e sabe se satisfazer
Enviado por alexandre em 12/08/2016 09:09:26

Se você faz essas 7 coisas, significa que é um furacão na cama e sabe se satisfazer

Para conhecer de maneira mais clara e prática se você manda bem na hora H

O conceito de “bom de cama” é bastante variável e subjetivo, mas uma coisa é certa: não é preciso ser expert em fantasias sexuais ou conhecer todas as posições do Kama Sutra para conseguir impressionar e deixar claro que você é alguém que gosta de explorar o próprio corpo, que se preocupa tanto com o próprio prazer quanto com o do outro e, assim, mantém uma relação acima da média com o parceiro.



Para conhecer de maneira mais clara e prática se você manda bem na hora H, confira 7 coisas que todo homem ou mulher que sabe se satisfazer e é um verdadeiro furacão na cama costuma fazer até mesmo sem pensar:



Você é bom de cama?


1. Ser espontâneo e passional, perdendo o controle e os sentidos na hora do sexo, faz seu parceiro te ver como um deus na cama, fazendo com que ele fique sempre com vontade de ir além.



2. Apostar em acessórios e brinquedos eróticos para apimentar a relação, sem constrangimento ou medo, é outro sinal de que você está disposto a ter e proporcionar muito prazer no sexo.



3. Um parceiro poderoso na cama sabe que evitar julgamentos e preconceitos, assim como ouvir o outro e dizer exatamente o que quer, é essencial para garantir prazer sem nunca ter medo de colocar em prática as fantasias sexuais.


4. Um amante considerado furacão na cama certamente pensa bastante em sexo fora do quarto. Fantasiar, mesmo quando estiver solteiro, faz parte do processo de erotização e mantém a vitalidade e interesse sexual.


Foto: Reprodução / Internet


5. Saber ter prazer sozinho, praticar constantemente a masturbação e explorar o próprio corpo para entrar em contato com a sexualidade e tirar proveito de todos os momentos eróticos são atitudes típicas de alguém poderoso na cama.



6. Pessoas espontâneas, que não seguem padrões e nem copiam poses, caras e bocas durante a transa não ficam presas a modelos e conseguem, assim, ser originais e atraentes na hora H.



7. Como bom humor também é considerado afrodisíaco, um homem ou mulher que sabe rir de si mesmo e encara o sexo como algo natural e sem culpas certamente é um furacão na cama, já que costuma ficar relaxado e, consequentemente, mais aberto para dar e receber prazer.


Fonte: Bolsa de Mulher

Amor e Sexo : Veja aqui as 6 melhores posições para dar uma rapidinha
Enviado por alexandre em 06/08/2016 11:29:52


Veja aqui as 6 melhores posições para dar uma rapidinha



Nem sempre existe tempo para fazer sexo longo, demorado, com todas as preliminares que o casal tem direito, mas nem por isso a rapidinha deve ser negligenciada. Fazer sexo em dez minutos tem o seu valor, quando não é a rotina do casal, afinal, muitas vezes a vontade é grande e o tempo curto.

Para otimizar a rapidinha, o site Terra listou seis dicas das melhores posições que vão fazer a rapidinha ganhar status de sexo memorável. A única ressalva: uma saia ou vestido são imprescindíveis. Confira!

Em pé
Clássica, nessa posição o homem chega por trás e penetra a parceira. Dica: levante a perna dela e torne a posição ainda melhor!

De frente
Apesar da necessidade de um pouco mais de força, todo o esforço é recomensado na penetração. Ela agarra o pescoço dele, enquanto toda a magia acontece!

De quatro
A posição favorita de muitos casais pela intensidade da penetração, a posição é ótima tanto na rapidinha quanto nas transas mais longas.

Ela deitada de costas
Aqui existe a necessidade de uma mesa ou cama como apoio. Enquanto ela se deita de costas, o homem penetra por trás. Promessa de orgasmos intensos!

Papai-e-mamãe
Clássico, que quando bem feito pode levar o casal às nuvens. Sem exigir muito esforço de nenhum dos dois, o apoio é essencial, mas a vantagem de os dois conseguirem aproveitar é certa!

Sentada em cima de uma mesa
A mulher senta em uma mesa ou bancada e se apoia, enquanto o homem penetra. Para aqueles que querem dar uma diferenciada na rapidinha, essa posição leva os dois à loucura em pouquíssimo tempo!






Não é uma doença: 10 curiosidades sobre o sadomasoquismo



O sadomasoquismo é uma relação baseada no prazer pela dor. A palavra é dividida em duas: sadismo (aquele que sente prazer em proporcionar dor) e masoquismo (aquele que sente prazer em sentir dor). Este fetiche sexual nem sempre - e, na verdade, na grande maioria das vezes - não tem sexo envolvido, apenas a relação dominador-dominado.

O sadomasoquismo não é considerado doença, desde que a prática não seja pré condição para a satisfação sexual, não seja o principal estímulo pessoal nem do casal e nem que cause agressões, traumas e até morte.

Segundo o blog Casal Sem Vergonha, existem três dicas muito importantes para os casais que querem se iniciar no sadomasoquismo: definir uma senha, que será usada para parar tudo o que ambos estiverem fazendo; que um dos parceiros esteja de olhos vendados; e brincar (com cuidado!) com fogo, como cera quente.

O UOL listou dez curiosidades sobre o sadomasoquismo, essenciais para quem quer saber mais sobre o assunto e começar a se iniciar. Confira:

1. No mundo do BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) existem regras muito bem delimitadas, como o uso da senha, e que devem ser seguidas a risca, pois o objetivo não é fazer ninguém se sentir inferiorizado. Com regras e códigos próprios, tudo é feito de maneira consensual.

2. Os praticantes de BDSM fazem um contrato prévio (sim, de papel passado). Os contratos fortalecem as bases SSC (São, Seguro e Consensual) e já delimitam quais os jogos serão feitos, os limites, as roupas, o que é permitido e o que não é e até detalhes como o dia e horário das práticas.

3. O principal objetivo do BDSM é dar e sentir prazer através da dor, e isso não necessariamente inclui sexo, que só acontece de forma consentida. Quando acontece, geralmente funciona num contexto de fantasia.

4. A palavra de segurança é ESSENCIAL e OBRIGATÓRIA nas relações BDSM. Elas servem para sinalizar os níveis de dor ou incômodo e até mesmo se tudo deve ser finalizado ou não. Nas regras BDSM, o dominador deve parar imediatamente tudo o que estiver fazendo caso o dominado diga a palavra pré-determinada.

5. Na vida real, os praticantes de BDSM são bem diferentes. Especialistas dizem, inclusive, que é muito comum executivos poderosos assumirem papeis submissos durante os jogos eróticos.

6. Nem sempre, a dominação implica dor. Por vezes, a dominação é pura e simplesmente dominação, e o dominado quer se sentir submisso, no aspecto psicológico, sem que isso envolva dor. Ainda segundo o UOL, "nem só de palmadas e golpes de chibata vive uma pessoa submissa".

7. Alguns praticantes de BDSM podem adotar a prática 24/7, ou seja: 24 horas por dia, 7 dias por semana. Isso não significa chicotadas em tempo integral, mas que um dos parceiros vai exercer um papel submisso durante o tempo pré-determinado.

8. Não é só um clichê: o couro é o material mais escolhido para as fantasias da prática BDSM, por todo o significado que o material tem. Os dominados normalmente usam capas ou vestidos, botas de cano longo, sapatos de salto alto, e os dominados apenas sungas ou tapa-sexos e andem descalços.

9. Os adeptos do BDSM sabem que a prática requer muitos cuidados e muita responsabilidade. Por isso, é muito importante se informarem a respeito, através de livros, revistas, sites especializados, trocas de ideias em chats ou encontros ao vivo. Tudo para que a prática seja saudável, sã e consensual. É importante aprender como não deixar marcas aparentes, como fazer nós possíveis de serem desatados em poucos movimentos, não atingir regiões consideradas proibidas, como nuca, cabeça e atrás dos joelhos.

10. Quando a prática é realizada com pessoas desconhecidas, é importante manter o anonimato e, por isso, os codinomes são essenciais. Ele também funciona para ajudar o dominante e o dominado a entrar no clima.


4 mitos que precisam ser desconstruídos sobre o pompoarismo



Especializada em uroginecologia e criadora do programa Mulheres Bem Resolvidas, Cátia Damasceno é fisioterapeuta e já ensinou mais de 155 mil mulheres a praticarem a ginástica íntima, também chamada de pompoarismo. Ainda assim, a especialista relata que muitas pessoas olham para esta prática com preconceito ou visões muito simplistas. “A mulher que pratica pompoarismo encontra muitas vantagens, mas para isso é preciso se livrar de alguns pré-conceitos”, explica Cátia, que destaca os quatro mitos do pompoarismo.

Mito 1: Só serve para dar mais prazer ao parceiro
Embora a ideia de proporcionar mais prazer ao marido ou namorado seja o objetivo de algumas mulheres que buscam praticar a ginástica íntima, Cátia explica que o pompoarismo também auxilia no prazer sexual feminino. “No relacionamento, aumentar o próprio prazer sexual é tão ou mais importante que o do parceiro”, conta a especialista, que já recebeu relatos de suas alunas sobre terem o primeiro orgasmo, e até orgasmos múltiplos, após começar a praticar. “Como o exercício fortalece os músculos vaginais, ele promove maior lubrificação na hora do sexo, e aumenta a libido”, destaca.

Mito 2: Só está relacionado à vida sexual
Com todas as vantagens da ginástica íntima, não fica difícil imaginar os benefícios da prática na saúde geral. Cátia conta que o pompoarismo também ajuda, com pouco tempo de prática, a dar mais segurança para as mulheres no sexo. “Ele também previne, recupera e melhora problemas de incontinência urinária, ajuda a reduzir o período de menstruação, e ainda reduz as cólicas menstruais, já que aumenta a irrigação sanguínea do canal vaginal”, ensina a especialista, provando que os mitos do pompoarismo precisam ser derrubados para que mais mulheres consigam melhorar a qualidade de vida.

Mito 3: Exige que seja utilizado o colar tailandês
Outra imagem que muitas pessoas associam ao pompoarismo é ligada ao colar tailandês, um item comum de ser encontrado em sex shops. Cátia explica que uma mulher não precisa, necessariamente, utilizar algum produto para praticar a ginástica íntima, especialmente se o objetivo for apenas voltado à saúde. “Eu nem recomendo o colar tailandês, pois ele pode ser muito difícil e desconfortável”, destaca. A especialista sugere um acessório chamado Ben Wa às mulheres que desejam utilizar algum produto.

Mito 4: É coisa de mulher jovem
Cátia explica que a ginástica íntima pode ser praticada por mulheres de todas as idades. “As vantagens do pompoarismo ajudam muito a melhorar a qualidade de vida de todas as mulheres, independentemente da fase da vida”, reforça Cátia, que ensina que esta prática ajuda a melhorar a eficiência do trabalho de parto, a recuperação pós-parto, bem como a flacidez vaginal. “E como aumenta a libido, o pompoarismo também é excelente para as mulheres que enfrentam problemas com monotonia no casamento”, completa.


Uau! Brasileiras criam banco de bicileta com vibrador acoplado



O mercado erótico está em constante evolução e a todo momento são inventados novos produtos. Os usuários, que gostam de experimentar novidades e assim apimentar suas relações sexuais, querem sempre variar suas fontes de prazer. E assim duas brasileiras inventaram Annie - em homenagem a Annie "Londonderry" Cohen Kopchovsky, conhecida por ser a primeira mulher a dar a volta ao mundo de bicicleta, entre 1894 e 1895 -, um selim vibratório, para que as usuárias de bicicleta possam ter outro tipo de prazer quando pedalam, que não só sentir o vento batendo no rosto e a sensação de liberdade.

O dispositivo, criado por Brunna Rosa (30) e Gabriela Sandoval (41), ainda se encontra em fase de testes, mas já está causando rebuliço no mundo erótico. O selim consiste em uma capa de encaixe para qualquer banco de bicileta normal com uma cápsula vibratória dentro.

Brunna é curadora da FluidLab, uma marca voltada para o prazer sexual feminino. A pegada feminista do projeto é notória, segundo o site Vice. "Trabalhamos com saúde e prazer. Não é só 'como vou segurar meu marido no casamento'", explica. A ideia de se voltar para o público feminino veio após uma viagem por vários lugares do mundo, no qual Brunna visitou diversos sex shops e percebe que lá fora existem muito mais variedades de produtos para homens e mulheres. "Aqui, tudo é muito voltado para o prazer do homem, e esse prazer é construído em cima de uma cultura pornô heteronormativa bem questionável, porque a mulher está sempre numa posição subalterna, submissa, pra dar prazer", detalha.

Ao se unir a Gabriela, dona da marca Mala de Garupa, que produz acessórios para bicicletas, as duas desenvolveram o Annie. "Achei a ideia ótima, super empoderadora para as mulheres. Topei na hora e partimos, então, para estudar o design e o material para a confecção", conta Gabriela. Mas aoo que tudo indica, não são só as mulheres que vão aderir ao Annie. Alguns homens testaram a novidade e disseram que ele pode proporcionar sensações muito boas. "Eles falaram que é muito bom e que faz 'massagem nas bolinhas'", recorda Brunna.

Com valor de R$ 179, Annie funciona com duas pilhas AA e pode ter dois tamanhos de vibradores inseridos: 3 ou 5 cm. A intensidade da vibração é a mesma nos dois tamanhos e ela pode ser ajustada com um controle. Um detalhe importante: a capinha pode ser retirada e lavada.


Sexo consentido fora da relação pode apimentar relacionamentos longos



Para alguns casais, basta uma lingerie sexy e experimentar novas posições e locais para transar para o sexo ganhar ares de primeiros encontros. No entanto, quando esses artifícios não funcionam mais, o jeito é pensar em outras formas de erotizar a relação.

Para quem não tem receio de experimentações, existe um vasto universo fetichista a ser explorado. A seguir, você descobre quatro ideias que podem revolucionar suas práticas, tirando de vez da rotina o relacionamento estável.

1 - Transar com outro casal
A maneira mais fácil de experimentar o suingue é visitar casas nas quais a prática acontece ou baladas liberais. São locais que, à primeira vista, parecem uma boate qualquer, mas escondem nos fundos o chamado “labirinto”. Nesses espaços, pode-se entrar com quem quiser e trancar a porta.

Também há a opção de transar em uma parte aberta, onde os casais podem ser vistos. Uma vez na balada, não é obrigatório transar com outras pessoas. “Você pode se excitar apenas vendo os outros transar, mas entrar em um quartinho e fazer sexo só com o parceiro. Só essa experiência já é um ganho para o casal”, afirma o psicólogo Maurício Amaral de Almeida, que desenvolve estudos na área de sexualidade humana e comunidades fetichistas.

É claro que ambos os envolvidos devem estar com vontade de “suingar”. Além disso, é válido fazer alguns acordos antes de experimentar. Por exemplo, só transar a dois, mas deixar os outros olharem; só a mulher transar com outra mulher, enquanto o par olha ou os dois transarem com outro casal.

Na hora dos combinados, o melhor é ser claro e objetivo, evitando frases vagas como “não faremos nada que seja desconfortável”. Isso porque o que é ruim para um, pode ser bom para o outro.

2 - Deixar o par ter uma transa fora da relação
Nas relações abertas, esse comportamento é comum. “Algumas pessoas entendem que sexo é uma coisa e amor é outra”, afirma a sensual coach Glauciane Lourenço. Assim como nas outras práticas, essa deve ser consentida por ambos. E pressionar o outro até que ele ceda não é consentimento.

Também nesse caso um pacto prévio ajuda a evitar sofrimento. “O mais comum é que um não saiba sobre as aventuras do outro. Um não pergunta, e o outro não diz. Ambos agem de forma que a outra relação não apareça”, diz Maurício Amaral de Almeida.

Por outro lado, há também quem tenha prazer em saber que o par tem relação sexual com outra pessoa, que queira ouvir detalhes da transa. Mas, para saber em qual dos dois grupos você se encaixa, é preciso muita conversa honesta a dois.

3 - Iniciar em BDSM
A sigla representa diferentes práticas e expressões eróticas: Bondage (a arte de amarrar pessoas), Disciplina (técnica de disciplinar ou ser disciplinado), Dominação e submissão (dinâmica de relacionamento em que uma pessoa se submete a outra), Sadismo (prazer em provocar dor a outra pessoa) e Masoquismo (prazer em sentir dor).

“No universo BDSM, as relações são fundamentadas em hierarquia e são de dois tipos apenas: dominador e dominado, possuidor e posse”, explica Gladius Maximus, autor do blog “Diário de um Dominador”.

Para conhecer mais sobre o assunto, vale visitar sites especializados, ler relatos de quem participa dessas relações e até visitar locais em que a comunidade se reúne. Nesses lugares públicos, não há sexo, apenas jogos de poder, mas é possível entender como tudo funciona.

4 - Deixar sua mulher transar com outros homens
O que representa sofrimento para muitos homens, funciona como fonte de excitação para outros. Os chamados “cuckolds” sentem prazer no relacionamento sexual de suas mulheres com outros parceiros.

No Brasil, o fetiche é chamado de “corno manso” –ao digitar a expressão “corno manso fetiche” no Google, é possível ler relatos de muitos homens adeptos da prática.

A forma que essa fantasia será vivenciada depende de cada homem, alguns sentem prazer em assistir ao ato sexual e até desejam participar de alguma forma, enquanto outros preferem apenas ouvir os relatos das aventuras sexuais da mulher.

Mas, para que o fetiche funcione, a parceira precisa ter vontade de transar com outros homens. Geralmente, é na internet que os casais encontram o terceiro elemento para a transa e não são poucos os que viajam para outra cidade a fim de realizar a fantasia em segredo.

Fonte: Com informações do UOL

« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 56 »