Amor e Sexo - Mulher quebra pênis de homem durante ato - Notícias
« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 65 »
Amor e Sexo : Mulher quebra pênis de homem durante ato
Enviado por alexandre em 11/10/2018 09:21:31

Mulher quebra pênis de homem durante ato

UOL

Analista de marketing Tábata Rodrigues, de 26 anos, foi de uma noite quente ao final trágico: ela “quebrou” o pênis do parceiro durante o sexo. “Tinha acabado de terminar um namoro de quatro anos e estava animada com a solteirice. Dei uns beijos num colega de trabalho e decidimos ir para o motel depois do expediente”, diz.

“Estávamos muito ansiosos, aquela coisa de ser proibido, com medo de alguém descobrir por termos escolhido um motel na rua da empresa. Chegamos, rolou uma pegação incrível e ele pediu que eu ficasse por cima. Comecei a cavalgar com velocidade e empolgação e, de repente, ouvi um “creck”. A primeira coisa que pensei foi que a cama tinha quebrado. Foi quando ele começou a gritar desesperadamente”, conta Tábata.

A paulistana afirma que ficou tão nervosa que teve crises de riso. “Enquanto isso, o menino corria de um lado para o outro gritando de dor. O pênis dele ficou inchado, roxo, ele sentia muita dor, mas não queria ir para o hospital. Desesperada, liguei para uma amiga que é enfermeira e ela explicou que, para termos ideia do que realmente tinha acontecido, o pênis precisava ficar mole. Então, coloquei uma toalha encharcada com água gelada em cima. O vergão ficou mais aparente”.

Seguindo o conselho da amiga, a jovem passou pomada anti-inflamatória no pênis do parceiro. Contudo, de acordo com o urologista e especialista em medicina reprodutiva da Genics César Marinelli, não há outra opção senão correr para o hospital no momento em que ocorre a fratura peniana.

“Quando um dos corpos cavernosos se rompe, a dor é gigante, o pênis incha e pode ficar roxo. O tecido funciona como se tivesse sido fraturado, quebrado, apesar de não haver osso. O único tratamento recomendado é o cirúrgico, porque, mesmo que o homem faça uso de analgésicos e anti-inflamatórios, se não houver a correção do problema, é possível que ele evolua para um quadro de impotência”, explica.

Foi o que aconteceu com Jorge*, de 33 anos, durante a pegação com a namorada ainda na adolescência. “A gente estava esbaforido no sexo, aquela coisa de jovem afobado, sabe? Ela estava por cima, subindo e descendo, quando senti o estalo e a maior dor da minha vida. Eu gritei e chorei. Ela começou a chorar, não sabia o que fazer. Meu pênis ficou roxo e muito inchado, então corremos para o hospital, de táxi”, relembra o empresário.

“Durante o percurso, eu pensei que fosse morrer. Quase desmaiei, suava muito. O taxista ficou desesperado junto com a gente. Chegamos no hospital, que ficava a 40 minutos de casa, em 15. Fui operado na hora”, diz.

A recuperação envolveu a ausência de ereções por dois meses. “Até hoje, tenho bastante cuidado na hora de transar. Evito tirar o pênis totalmente durante as repetidas penetrações se a velocidade estiver alta. Sabia que o sexo até ficou melhor?”.

A psicóloga e terapeuta sexual Paula Napolitano recomenda que, para evitar fraturas penianas, o ideal é fazer como Jorge. “O acidente pode acontecer quando, durante a penetração, o pênis sai totalmente da vagina ou do ânus. Se o movimento de vaivém estiver rápido, as chances de o pênis 'errar o buraco' e atingir a pelve aumentam”.

Segundo Paula, as posições mais propícias para a fratura peniana são a cavalgada (mulher sentada sobre o homem) e “de quatro”. “Quando você transa mais coladinho, de conchinha, por exemplo, há menos possibilidades de fratura, já que o pênis não sai por completo da vagina”.

Amor e Sexo : Refrigerante faz mal para o pênis e afeta o sexo, revela estudo
Enviado por alexandre em 08/09/2018 01:07:54

Obesidade, prejuízo da saúde bucal e efeitos nocivos na pele são apenas alguns dos mais conhecidos malefícios gerados pelo consumo excessivo de refrigerante. A bebida rica em calorias vazias ainda pode trazer problemas sexuais para os homens, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Copenhague e recentemente publicada no site “Your Tango”.

De acordo com os pesquisadores, homens considerados viciados em refrigerantes, ou seja, que bebem mais de um litro da bebida por dia, além de terem maior propensão a disfunção erétil ainda tem reduzidas em 30% as suas contagens de esperma.

O estudo foi realizado com quase 3 mil homens e descobriu que os que consumiam refrigerante em excesso mostravam uma contagem média de espermatozoides de 35 milhões por mililitro, contra os 56 milhões apresentados pelos rapazes que não abusavam da bebida. Apesar de a quantidade de 35 milhões de espermatozoides ser considerada normal, o trabalho indica que o “vício” pode aumentar os riscos eventuais de infertilidade.

Amor e Sexo : Cientistas sugerem frequência com que se deve ter relações sexuais
Enviado por alexandre em 03/09/2018 09:56:50

Cientistas sugerem frequência com que se deve ter relações sexuais
Afinal, quantas vezes é o ideal? Uma nova pesquisa recomenda o número ‘correto’.

Manter uma vida sexual ativa e regular faz bem à saúde, sugere um estudo chinês. De acordo com alguns cientistas, os homens devem ter relações sexuais entre duas e quatro vezes por semana de modo a reduzirem o risco de aparecimento de câncer de próstata.



Ainda assim, a pesquisa alertou que o número de parceiros deve ser limitado e que os participantes que mantinham um maior número de casos estavam também mais propensos a sofrerem com a doença.



Uma equipa de investigadores na Universidade de Sichuan, na China, observou a correlação entre o sexo e a probabilidade de desenvolvimento de câncer de próstata.


Após terem analisado dados relativos a 55,490 homens a partir de 22 estudos diferentes, apuraram que o risco de aparecimento de tumores tendia a decrescer à medida que a frequência sexual aumentava.


Aparentemente ser íntimo com alguém, entre duas a quatro vezes por semana é o nível ideal e mais benéfico para a saúde.


Os participantes que mantinham esse tipo de atividade apresentavam uma probabilidade menor, de 10%, de virem a sofrer daquela doença, comparado a outros indivíduos.


O líder da pesquisa, o médico e professor Jian Zhongyu, disse: “Homens com menos parceiros sexuais, que tiveram o primeiro relacionamento sexual após os 20 anos e que mantêm uma ejaculação moderada e frequente estão menos predispostos a virem a sofrer de câncer de próstata”.







Notícias ao Minuto

Amor e Sexo : Maioria dos homens mente sobre número de parceiras sexuais que já teve
Enviado por alexandre em 31/07/2018 00:40:36

Um novo estudo britânico sugere que os homens estão mais propensos a exagerarem sobre o seu número de conquistas, de modo a parecerem mais másculos. Enquanto isso, as mulheres continuam desvalorizando o número de parceiros que tiveram, por medo de julgamento.





Os indivíduos do sexo masculino tendem, em média, a afirmar que estiveram sexualmente com cerca de 14 mulheres, enquanto que as mulheres tendem a dizer que foram para a cama com não mais de sete homens.


Todavia, um grupo de pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, sugere que ambos os gêneros estão mentindo – e que a verdadeira média de conquistas de cada sexo está entre esses dois números.


Os acadêmicos avaliam que os homens estão mais predispostos a exagerar para parecerem mais machos. Aliás, um em cada 100 ‘Romeus’ envolvidos naquele estudo garantiu que já tinha tido relações sexuais com mais de 110 parceiras.


Ao invés, as mulheres tendem a reduzir o seu número real por receio de serem consideradas promíscuas. Julgam também mais quando o assunto são casos de uma noite e traições. As mais ‘liberais' admitiram ter estado intimamente com 50 homens.


A professora catedrática Kristin Mitchell, que analisou a história e atitudes sexuais de 15,162 indivíduos, de idades compreendidas entre 16 e 74 anos, disse: “Persiste uma pressão contínua e que já deveria ter sido ultrapassada para que os homens sejam mais sexualmente ativos e para as mulheres serem vistas como castas”.


“Estas normas de gênero e aquilo que é considerado, mesmo que inconscientemente, expectável pela sociedade, influenciam as respostas que as pessoas dão – os homens exageram e as mulheres subestimam”, acrescentou.


E concluiu: “O número médio de parceiros para ambos os sexos está de fato entre os sete e os 14”.





Notícias ao Minuto

Amor e Sexo : OMS reconhece vício em sexo como transtorno mental
Enviado por alexandre em 18/07/2018 00:21:35

O vício em sexo foi, pela primeira vez de forma oficial, considerado uma doença mental pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A inclusão desta condição na lista de doenças aprovadas pela OMS chega semanas após o vício em vídeo games ter sido reconhecido como um problema patológico também.



A médica Valerie Voon, membro do Colégio Real de Psiquiatria britânico, afirmou, em declarações para o The Independent, que cerca de dois a quatro por cento da população mundial sofre deste transtorno.



“É um tipo de comportamento que tende a ser escondido, já que é visto como vergonhoso”, comenta.


“A inclusão do vício em sexo à lista de doenças psicológicas oficialmente reconhecidas pela OMS é um excelente passo para quem sofre deste problema, já que os indivíduos podem ter assim a certeza e a confirmação que a patologia é real e que podem procurar ajuda médica”, finaliza.


A lista publicada pela OMS descreve a desordem de comportamento sexual compulsivo como um “padrão persistente de falha no controleo de impulsos repetitivos e intensos de cunho sexual ou um impulso que resulta em atitudes sexuais repetitivas”.


Os sintomas incluem o fato do sexo se tornar o “foco central” na vida dessas pessoas, em detrimento e negligenciando a saúde, cuidados ou interesses pessoais e quaisquer responsabilidades.


Para ser considerado de fato um problema, esse tipo de comportamento deve ocorrer por um período mínimo de seis meses e provocar distúrbios e sofrimento na vida pessoal do individuo, inclusive na vida dos que o rodeiam.





Notícias ao Minuto

« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 65 »