Painel Político - Painel político por Alan Alex - Notícias
« 1 ... 168 169 170 (171) 172 173 174 175 »
Painel Político : Painel político por Alan Alex
Enviado por alexandre em 30/05/2011 19:15:34

Abrindo
Na Operação Saúde da Polícia Federal foi detectado um amplo esquema envolvendo diversas empresas que, segundo denúncia da Controladoria Geral da União, fraudavam licitações em todo o País. A empresa mais citada foi a Sulmedi, mas outras faziam parte do esquema. As empresas aliadas “disputavam” as licitações e a combinada para vencer jogava o preço bem baixo, enquanto as demais davam “suporte” colocando os preços bem acima, exatamente para que a outra vencesse.
Personagens
Entre as empresas envolvidas, quase todas do Rio Grande do Sul, a Diprolmedi se destaca por ter feito inúmeros negócios com prefeituras em Rondônia. Essa empresa pertence ao irmão do deputado estadual Adelino Follador, Adriano Francisco Follador, que chegou a ser preso durante a deflagração da operação Saúde.
Caso concreto
Em um pregão, realizado em 2009 no município de Rolim de Moura, “disputavam” a Diprolmedi e a Sulmed. A Sulmedi apresentou um lance no dia 10/12/2009 no valor de R$ 900.000. No mesmo dia, logo em seguida, a Diprolmedi apresentou lance de R$ 0,98 e logo em seguida de R$ 0,92, vencendo o certame. Uma terceira empresa, J. Médica Distribuidora de Materiais Hospitalares Ltda, apresentou lance de R$ 1,00 e ficou fora, assim como a Sulmedi.
Repetição
Essa tática se repete em diversas outras licitações pelo Estado. Todas em prefeituras pequenas, vendas pequenas, mas constantes e com diferenças gigantescas entre os lances apresentados pelas empresas. Em Ariquemes, tanto a Diprolmedi quanto a Sulmedi atuavam juntas em diversas vendas. Para se ter uma idéia, em 18 de outubro de 2010, a prefeitura de Ariquemes publicou edital de retificação que dizia o seguinte: “ a prefeitura de Ariquemes por meio de seu gerente do sistema de registro de preços, torna público, que nos realinhamentos de preços publicados no Diário Oficial dos Municípios do dia 15 de outubro de 2010, onde se lê interessada Sulmedi, leia-se Diprolmedi” (edital resumido).
Claro
Que essas empresas também atuaram nos demais municípios da grande Ariquemes, como Cacaulândia, onde o deputado Adelino Follador foi prefeito. Tanto Sulmedi quanto Diprolmedi venderam para o município. E vendas altas. Em um processo licitatório, a Sulmedi efetuou venda no valor de R$ 42.617,00, enquanto a Diprolmedi vendeu, no mesmo processo, R$ 4. 544,06. Elas também venderam para Primavera de Rondônia, Rolim de Moura, Mirante da Serra e muitas outras prefeituras.
Relações
Todos os detalhes da Operação Saúde estão detalhados em um relatório da Polícia Federal feito pela delegada federal Gabriela Madrid Aquino Trolle que foi encaminhado ao juiz federal Luiz Carlos Cervi da Vara Federal de Erechin (RS). Nesse relatório aparecem os nomes de todos os que tiveram as prisões preventivas decretadas, incluindo o irmão do deputado Adelino Follador. No mesmo documento, a delegada explica que “existem relações entre as empresas Diprolmedi e Angeomed, já que Alberto Follador Neto, também irmão de Adelino, é sócio na Diprolmedi e Dispromed. Também aparece como sócio da Angeomed, Ângelo Follador Sobrinho.
Acusações
Adriano Francisco Follador foi identificado pela Polícia Federal como o “chefe da organização criminosa” e é acusado de Formação de quadrilha, corrupção ativa, fraude a licitações e fraude trabalhista. Todos os acusados estão respondendo em liberdade. A PF agora está estudando os documentos apreendidos e certamente novas relações devem surgir. As empresas vendiam para diversos municípios do País e em Rondônia atuavam livremente há vários anos.
Mistério
Foi registrada uma ocorrência na semana passada de furto de computadores da Secretaria de Estado da Saúde. Os equipamentos teriam informações sigilosas da secretaria. O boletim foi feito pelo diretor do Hospital de Base.
Vetado
A confusão na defensoria pública está instalada. Em função do veto sofrido por José de Oliveira, que teve 30 dos 43 votos do órgão, pela Assembleia Legislativa, o clima está tenso. Os deputados não recuam no veto e por lá já disseram que a nomeação não passa de forma alguma. O governo já havia nomeado Oliveira, “desnomeou” e agora o impasse está formado. A lei diz que ele deve assumir, mas se for “na marra”, as coisas devem ficar bem complicadas lá pelas bandas do órgão.
Improbidade
Os deputados alegam que o defensor está respondendo ação por improbidade e por isso estaria impedido. Oliveira foi eleito prometendo um realinhamento salarial e pagamento de auxílio moradia para os defensores. Pelas promessas de campanha, cada defensor ganharia salário de aproximadamente R$ 30 mil, mais o auxílio. Mas melhorias de atendimento ao público, não teve nenhuma promessa.
Resolvido
Maurão de Carvalho não perde mais o cargo. Após a validação dos votos de Ernandes Amorim e Kaká Mendonça a situação do deputado ficou confortável e ele já pode respirar aliviado.
Repercussão
O assassinato do líder do MCC, Adelino Barros repercutiu no fim de semana nos principais noticiosos do mundo. CNN, ABC News, El Mundo, Le Figaro, destacaram a morte do agricultor ocorrida na semana passada em Vista Alegre do Abunã. Nesta segunda-feira o atirador se entregou às autoridades e deverá responder em liberdade. Acho que ele não esperava tamanha repercussão e certamente deve estar pressionando o mandante para fazer um “realinhamento” no preço da morte de Dinho, como era conhecido. O resultado imediato dessa covardia vai ser a intensificação de operações federais contra madeireiros na região amazônica.
Demora
Interessante as atitudes tardias do governo. Após a morte de três lideranças rurais, duas no Pará e uma em Rondônia, que vinham há anos sendo ameaçadas de morte, agora Brasília avisou que “vai dar proteção imediata a ambientalistas ameaçados”.
Raízes
Falando em ambientalistas, a ONG Raiz Nativa, que é responsável pela manutenção das mudas plantadas na estrada do Aeroporto e para isso ganhou mais de R$ 500 mil, até hoje não se manifestou sobre o caso. Não se vê na cidade nenhum tipo de melhoria, o que se vê é exatamente o contrário, a derrubada de árvores. Ninguém fala nada e a vida segue.
Vai ficar
A Câmara de Vereadores deve manter no cargo Chico Caçula, vereador condenado por manter relações sexuais com uma menina de 13 anos. Interessante que nenhuma das vereadoras se manifestou sobre o caso publicamente. É como se o crime de Caçula fosse a coisa mais normal do mundo. Realmente a impunidade cerca o Brasil. E é uma impunidade perigosa, pois encoraja outros a cometerem o mesmo crime.
Mulheres e cafeína
Que a cafeína era uma das vilãs da fertilidade já era sabido, mas um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Nevada (EUA), publicada no "British Journal of Pharmacology", mostrou que a cafeína reduz a atividade muscular das trompas de Falópio, que carregam os óvulos dos ovários femininos para o útero, daí a dificuldade. - Nossos experimentos foram feitos em camundongos, mas esta descoberta explica por que a cafeína reduz as chances de gravidez - diz o professor Sean Ward, um dos autores do estudo. Ao estudar as trompas dos camundongos, os pesquisadores descobriram que a cafeína impede a ação das células marcapasso na parede das trompas. Estas células coordenam as contrações do tubo e, quando inibidas, interrompem o deslocamento dos ovos pelas trompas. - Um melhor entendimento do modo de funcionamento das trompas pode ajudar os médicos a tratarem inflamações pélvicas e doenças sexualmente transmissíveis com mais sucesso - diz Ward.
Contatos
Contatos com a coluna podem ser feitos pelo alan.alex@gmail.compainelpolitico@hotmail.comwww.painelpolitico.com - @painelpolitico – telefones 3225-7495 e 9248-8911.

Painel Político : Painel político
Enviado por alexandre em 27/05/2011 17:52:58

Desautorizando
José Gomes de Melo, presidente do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia, enviou dois ofícios a Superintendência Estadual de Licitações, determinando que a mesma prossiga o processo licitatório considerado irregular pelo relator das contas do Tribunal, conselheiro Paulo Curi, alegando que o mesmo “não é parte legítima para proferir decisão monocrática” nesta questão e, ao final, solicita do Superintendente o imediato prosseguimento da licitação.
Claro
Que o presidente está equivocado e para comprovar isso, o conselheiro Paulo Curi produziu um relatório detalhado da atual situação que se encontra o Tribunal de Contas, que a cada dia faz jus a seu apelido “tribunal faz-de-contas”. E olha que a situação relatada no processo 1846/TCER-2011 é bem mais grave e danosa aos cofres públicos do que se podia imaginar. Vamos ver.
Explicando
Um pregão presencial de interesse do município de Pimenteiras para compra de combustíveis foi deflagrada. Foram detectadas irregularidades no procedimento e o corpo técnico do TCE recomendou a suspensão do certame. A viagem do processo de Vilhena a Porto Velho demorou cinco dias. Na mesma regional, foi analisado um pregão eletrônico do município de Chupinguaia. Entre Vilhena e Porto Velho, esse processo levou 20 dias para chegar. Se o secretário tivesse saído da cidade com o processo embaixo do braço teria levado menos tempo para análise e decisão. Essa demora vem deixando os prefeitos loucos, porque as regionais na verdade, apenas burocratizam ainda mais um processo já moroso e complicado.
Tem mais
Os custos das regionais são exorbitantes e desnecessários. Melhor seria o Tribunal de Contas construir uma sede moderna e funcional em Porto Velho e montar apenas postos de atendimento nos municípios, se houver necessidade. Mas o mais grave ainda está por vir.
Suspensão
Paulo Curi havia determinado, em decisão monocrática, a suspensão das obras da regional de Ji-Paraná. E fez isso amparado em profundo conhecimento técnico. O valor estimado da obra é de R$ 1. 773.685,48. Curi apontou as seguintes irregularidades para dar prosseguimento a licitação: carência crônica de pessoal em todos os setores do Tribunal de Contas; Ausência de sistema eletrônico de comunicação entre a sede e as regionais; Desprezo injustificado às alternativas menos onerosas, como a locação de imóveis; Probabilidade de futuras mudanças na estrutura física do prédio; Manifestação contrária do Comitê Técnico. Mas isso é apenas o resumo.
Aluguel
O conselheiro Paulo Curi afirmou em seu relatório que “o valor total da obra, não atualizado – sem considerar os prováveis termos aditivos, que ocorreram nas demais secretarias regionais – corresponde a, aproximadamente, 50 anos de alugueres mensais (levando em conta um aluguel de R$ 3 mil)”. Ou seja, ainda que numa análise superficial, a Administração poderia realizar contrato de locação cujo custo anual poderia ser, generosamente, estimado em 2% do valor total da obra.
Servidores
Em seu relatório o conselheiro mostra um dado interessante, a defasagem de pessoal no corpo técnico do Tribunal. No último concurso, realizado em 2007, dos 219 aprovados e convocados, 67 desistiram, 1 foi desclassificado, 36 foram empossados mas já exonerados e somente 115 se encontram hoje em atividade no TCE. Mas, dos 115 somente 58 são ocupantes de cargos da atividade fim (Técnicos e Agentes de Controle Externo). Entretanto, desses 58, somente 44 estão lotados na estrutura do Controle Externo (SGCE) e, para especificar ainda mais o trajeto percorrido por esses servidores, somente 29 estão desempenhando suas funções nas seis Diretorias Técnicas de Controle Externo. E olha que de Tribunal de Contas Paulo Curi entende como poucos. O conselheiro é funcionário de carreira daquela Corte e os servidores mais antigos costumam dizer que “Curi cresceu dentro do TCE”.
Crise
Atualmente o Tribunal está rachado. Parte dos conselheiros, Edílson Silva, Euller Potiguara, Wilber Coimbra e o próprio Paulo Curi defendem uma mudança radical nos rumos da administração. José Gomes tem o respaldo de Chico Paraíba e Valdivino Crispin. Nos corredores da Corte já se começam a ouvir palavras como impeachment e atos de improbidade. A crise está próxima. Todos esses problemas, e muitos outros como condições de trabalho insalubres e desmandos do atual presidente estão detalhados no relatório de Paulo Curi que está disponível para download no fim da coluna.
Pastinha
O ex-deputado estadual e responsável por protagonizar um episódio envolvendo um assessor que falsificava documentos e outros rolos, Edson Gazoni, anda exercendo forte pressão para conseguir contratos junto ao Detran para sua “empresa de pasta” e de amigos. Ele vem forçando um contrato para reformar o prédio do Ciretran em Porto Velho, porque descobriu que o Detran está com dinheiro disponível em caixa. A reforma é necessária, mas daí a deixar que Gazoni tome conta, é problema. Seu “parceiro na empreita” é um sujeito conhecido como Trajano. Resta saber se vão deixar a raposa tomar conta do galinheiro. Gazoni responde a uma série de ações na justiça que vão de abuso de poder econômico a desvios de recursos da Assembleia, no período em que foi deputado.
Candidatura de risco
Uma reunião da cúpula do PMDB realizada na última quinta-feira foi cogitada a possibilidade de lançar a candidatura de Marinha Raupp para a prefeitura de Porto Velho. Mas durou pouco essa indicação. Os próprios caciques lembraram que a deputada navega em um oceano cor-de-rosa e uma candidatura ao Executivo é sempre um risco, já que os adversários costumam puxar a sujeito que está embaixo dos tapetes. Daí optaram pelo nome do deputado Zequinha Araújo e já saíram delegando tarefas para dar o “start” nos trabalhos. Mas a turma parece que esqueceu de um vídeo que vira e mexe ressurge na internet onde aparece o Zequinha, então vereador, saltitando ao comemorar o recebimento de uma pequena fortuna nas dependências da Câmara. Esqueceram ainda que Paulo Moraes, que foi presidente da Câmara, tem muitas histórias para contar sobre Zequinha.
Esquenta
O relatório da Polícia Federal sobre a Operação Saúde revelou que a família de um deputado estadual de Rondônia é proprietária de uma das empresas investigadas. O irmão do parlamentar foi preso, mas seus bens, assim como dos demais sócios foram indisponibilizados pela justiça. Na segunda-feira traremos novidades sobre o caso. Só para constar, a empresa também vendeu para a prefeitura de Ariquemes, e teve inclusive realinhamento de preços em 2010. Curioso é que foi publicado um edital de realinhamento corrigindo o nome das empresas e a confusão era exatamente com a Sulmed, principal envolvida no esquema.
À venda
O hotel Pakaas Palafitas Lodge, de Guajará-Mirim está à venda na internet por preço não revelado. O anúncio está no site americano Luxury Real Estate e descreve o hotel como “propriedade exótica e com 250 acres de floresta amazônica”. O Pakaas pertence ao ex-presidente do Beron, Paulo Saldanha e fica situado há 16 quilômetros da cidade. Conta com 28 chalés suspensos, heliporto, salão de convenções e possui uma vista espetacular do encontro das águas dos rios Mamoré e Pacaás.
“Pede para sair”
“Mesmo recorrendo à condenação, o fato nesse presente momento é que o vereador é condenado por crime de estupro, por esse fato acredito que ele deve ficar afastado do seu cargo até a sua situação ser julgada em ultima instância”. A frase é do presidente da Assembleia Legislativa, Valter Araújo sobre a condenação do vereador Chico Caçula na semana passada por ter mantido relações sexuais com uma menor de 13 anos. O presidente lembrou que Caçula foi seu suplente, mas que essa é uma situação inadmissível, “não dá para ter uma pessoa envolvida com esse tipo de crime representando a comunidade na Câmara e tenho certeza que a população pensa da mesma forma”, acrescentou.
Obesidade “bacteriana”
Ganhar peso não depende apenas do equilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas e a energia gasta com atividades físicas ou da herança genética. Essa equação pode contemplar pelo menos mais três variáveis, como o tipo de bactéria que a pessoa tem em sua flora intestinal, o grau de exposição a substâncias tóxicas e a quantidade de cálcio que ela ingere, de acordo com pesquisadores brasileiros que ontem se reuniram para debater o assunto. O tema foi discutido no simpósio Causas não clássicas da Obesidade, durante o 15º Congresso Brasileiro de Obesidade e Síndrome Metabólica, em São Paulo. Os cientistas investigam como essas bactérias interferem na gordura corporal. Uma das possibilidades é a de que alguns tipos de bactérias, mais frequentes no trato intestinal dos gordinhos, extraiam a energia dos alimentos e a repassem para o organismo do indivíduo, induzindo ao ganho de peso. Enquanto isso, outras bactérias, mais comuns no intestino dos magros, extraem e consomem essa energia, o que favorece a manutenção de um corpo esbelto. O objetivo das pesquisas é criar um tratamento para a obesidade com base no mecanismo de atuação das bactérias intestinais. A obesidade tem sido alvo cada vez mais frequente de investigações científicas. E não é por acaso: os homens acima do peso, por exemplo, já são maioria no País e também na cidade de São Paulo, segundo o Ministério da Saúde. Além disso, 15% da população da cidade está obesa.
Contatos
Contatos com a coluna podem ser feitos pelo alan.alex@gmail.compainelpolitico@hotmail.comwww.painelpolitico.com - @painelpolitico – telefones 3225-7495 e 9248-8911.

Painel Político : Painel político por Alan Alex
Enviado por alexandre em 23/05/2011 18:11:21

Holofotes

Mais uma vez o Tribunal de Contas de Rondônia é iluminado pelos holofotes da mídia nacional de forma negativa. Levantamento feito pelo jornal O Globo do último domingo aponta quatro conselheiros com problemas na justiça. Francisco Carvalho da Silva (Chico Paraíba), Edílson Silva, José Gomes e Valdivino Crispin, sendo que os dois últimos são presidente e vice-presidente daquela Corte respectivamente.

Problemas

Crispin é acusado de ser fantasma na Universidade Federal de Rondônia, onde leciona para o curso de economia. De acordo com denúncia do Ministério Público Federal, seu filho era quem ministrava as aulas no lugar do pai. Edílson Silva ficou nacionalmente conhecido ao ser preso pela Polícia Federal na Operação Dominó, acusado de tráfico de influência. Francisco Carvalho da Silva responde a ações no STJ devido ao seu status e José Gomes sofreu ação por improbidade e crime de responsabilidade. Todos têm um álibi para suas respectivas acusações.

Mas

O principal requisito exigido pela Constituição Federal para que um cidadão ocupe um cargo dessa envergadura é exatamente a conduta ilibada, ou seja, não podem restar dúvidas sobre seu caráter, sua honestidade e sua retidão. Infelizmente não é o que ocorre em Rondônia. Pelo simples fato de ter sido preso, Edílson Silva não poderia voltar a ocupar esse posto. Pelos crimes dos quais são acusados, os demais conselheiros também não. Não se trata aqui de puritanismo ou um linchamento moral. Trata-se de bom senso, de ter estofo moral para poder julgar gestores públicos, sem que os mesmos não falem pelas costas, “quem ele pensa que é para falar de mim?”. E é assim que pensa a maioria dos que são julgados pelo Tribunal de Contas.

Responsabilidade

Teoricamente o Tribunal de Contas deveria inspecionar, fiscalizar e punir os maus gestores que ignoram os preceitos da economicidade, transparência e zelo com a coisa pública. Mas o próprio Tribunal incorre em erros similares e quem julga o Tribunal? Está em andamento na Corte a implantação das regionais do TCE, obras que não respeitam o princípio da economicidade, uma vez que não passam de “gabinetes de protocolo”, segundo denúncia dos sindicatos dos auditores e servidores do Tribunal. Em Ji-Paraná as obras da regional foram paralisadas por determinação do próprio TCE, que encontrou irregularidades no projeto. Falta uma fiscalização efetiva sobre o Tribunal.

Faz de contas

O trocadilho “Tribunal de faz-de-contas” tão comum entre os prefeitos ao se referirem sobre a Corte poderia ser engraçado, não fosse trágico. Ter um órgão fiscalizador achincalhado e sem moral alguma entre seus servidores e ao público em geral, é lamentável e reflete a insatisfação da população. Aliado a isso, temos o fato das decisões do Tribunal não serem definitivas nem se transformam em punições efetivas. Até mesmo a reprovação de contas de prefeitos pode ser ignorada pelas câmaras. Um caso em voga é o do senador Acir Gurgacz, que teve suas contas como prefeito reprovadas pelo TCE e a câmara de Ji-Paraná ainda não votou, mas já dá indicativos de que vai ignorar a recomendação da Corte e aprovar as contas do senador.

Fechando

Não vamos nem entrar em detalhes sobre os imóveis do presidente José Gomes, que são alugados para o poder público, denúncias de nepotismo cruzado, contrato de empresa irregular e outras dezenas de situações vexatórias que rodeiam o Tribunal de Contas de Rondônia. O mais curioso de toda essa história é o fato dos conselheiros, ao tomarem posse, acreditarem piamente que seus passados são apagados. Tudo bem que o TCE se recusa a dar satisfação à sociedade, mas a sociedade não cansa de cobrar do TCE. E um dia a casa cai.

Falta ação

Confúcio Moura anda dando sinais de insatisfação com seu escolhido para administrar a educação, Jorge Elarrat. No último domingo o governador afirmou que está cansado da mesmice que tomou conta do setor. Em outras palavras ele pede ação, resultados, o que está longe de acontecer, pela velocidade que essa carruagem vai sendo conduzida. Para o governador será necessários cerca de R$ 300 milhões para reformar a ampliar as 412 escolas da rede estadual de ensino.

Privatizar

E Confúcio anunciou que vai privatizar as escolas através das Parcerias Público-Privadas (PPPs). Não sabemos se isso será bom ou ruim, mas se dá dinheiro para alguém, certamente não será bom para o povão. Não conseguimos enxergar uma forma de uma empresa ganhar dinheiro sem sacrificar principalmente os que dispõem de poucos recursos. O governador com essa postura vai trilhando um caminho perigoso que pode não ter volta. Claro que o setor privado sempre vai optar pelas melhores escolas e as mais carentes vão continuar como estão. Ou piores.

Criminosos

A reportagem do programa Fantástico da Rede Globo, exibido no último domingo mostrou como operava o esquema desbaratado pela Polícia Federal na chamada Operação Saúde, que consistia em fraudar licitações para a compra de medicamentos da chamada Farmácia Básica do governo federal. Entre todos os casos, o de Porto Velho foi considerado o mais grave. Porém, pior que assistir o depoimento de uma dona de casa que teve parte do pé amputado por complicações decorrentes do diabetes, agravado pela falta de remédios, foi ver o secretário de saúde do município Williames Pimentel falar que “de uma cesta de 80 produtos faltar um não é grave” foi o cúmulo do absurdo.

Corda bamba

Pimentel, que chegou a ser detido pela Polícia Federal em uma outra operação da Polícia Federal, voltou ao cargo por vontade do prefeito Roberto Sobrinho. É pública e notória a estreita relação do secretário com o casal Valdir e Marinha Raupp (senador e deputada federal) e ele sempre ocupou cargos por indicações políticas. Não considerar grave um incidente desta natureza é no mínimo uma leviandade. A dona de casa, conforme mostra a reportagem teve parte do pé amputado e isso ocorreu em função da falta de um medicamento, que deveria ter sido comprado pela prefeitura e não foi. Ou se foi, poderia estar vencido. A prefeitura de Porto Velho tem obrigação de adotar medidas saneadoras na saúde municipal, sob pena do prefeito responder por crime de responsabilidade.

Na ativa

Após voltar à Câmara Municipal, o vereador Jaime Gazola deu início a uma série de atividades para recuperar o tempo perdido. Nesta semana ele estará na comunidade da Cachoeira do Teotônio junto com representantes da Ceron para tentar resolver o problema dos altos valores das contas de energia que vem sendo registrados naquela localidade, onde a maioria dos moradores é cadastrada no Bolsa-Família, o que lhes garante o pagamento da tarifa social de consumo. Ele também já conseguiu, junto à prefeitura, o asfaltamento das ruas Jacy-Paraná e Marechal Deodoro no bairro Areal, em Porto Velho. A comunidade vinha pedindo esse asfalto há pelo menos 20 anos.

Alerta

O Fundo Mundial de Pesquisa do Câncer (WCRF, na sigla em inglês) divulgou um alerta nesta segunda-feira para que as pessoas limitem o consumo de carnes bovina, suína e de cordeiro, além de evitar carnes processadas como presuntos e salames. Isto porque estas carnes aumentariam o risco de câncer de intestino, segundo reportagem do jornal "The Guardian". Pesquisadores do Imperial College London, coordenados por Teresa Norat, estudaram 263 pesquisas anteriores sobre dieta, peso e atividades físicas relacionadas ao câncer de intestino e um painel independente de especialistas revisou as conclusões. "Para carnes vermelhas e processadas, descobertas de dez novos estudos foram acrescentados aos 14 analisados no relatório de 2007. Há sérias evidências de que estas carnes aumentam a incidência de câncer no intestino," diz o relatório. "A recomendação é para que as pessoas limitem o consumo a 500g (peso da carne cozida) de carne vermelha por semana - o equivalente a cinco ou seis porções médias de rosbife, carne de porco ou cordeiro - e evitem carnes processadas". Já leite, alho e suplementos alimentares à base de cálcio provavelmente reduziriam os riscos de câncer, segundo os especialistas. O relatório de 850 páginas é "o mais impositivo relatório já feito sobre os riscos de câncer no intestino", segundo os especialistas. O professor Alan Jackson, da Southampton University e membro do WCRF, escreveu que "a mensagem clara do relatório é que as carnes vermelhas e processadas aumentam os riscos de câncer de intestino e que as pessoas que querem reduzir esta possibilidade devem considerar diminuir o consumo".

Contatos

Contatos com a coluna podem ser feitos pelo alan.alex@gmail.compainelpolitico@hotmail.comwww.painelpolitico.com - @painelpolitico – telefones 3225-7495 e 9248-8911.

Painel Político : Painel político por Alan Alex
Enviado por alexandre em 19/05/2011 23:15:09

Disputa



Desde que anunciou seu secretariado, Confúcio Moura vem tendo problemas para conter as brigas entre adjuntos e titulares. A última ocorreu na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social – SEDES, cujo titular é Edson Luiz Vicente e o adjunto é Allan França. Uma reunião foi marcada esta semana entre Edson e os demais assessores e França não foi comunicado. No meio da reunião Allan França entrou e questionou os motivos de não ter sido convocado. Recebeu como resposta, “a partir de agora eu reúno e decido, depois aviso o que você tem que fazer. Agora por favor se retire que nós aqui precisamos trabalhar”. Claro que o tempo fechou e a notícia foi bater no ouvido de Confúcio.



Ninho



Quem anda por lá, diz que o local é um ninho de ex-assessores de Cassol. Por lá, o nome de Confúcio nem é citado, a turma chama ele de “intruso”.



Pesado



Esta semana, no mesmo avião com destino à Brasília estavam Ivo Cassol e Acir Gurgacz. Na sala de embarque do aeroporto de Porto Velho Cassol encontrou Claudir da Mata, presidenta do Sintero, a quem o senador acusou em entrevistas de ter “se vendido para o governo”. Ivo ficou encarando Claudir para ver se ela “puxava conversa” e ela só desviou o olhar e baixou a cabeça. O clima durante o vôo foi pesado.



Convocação



O governo chamou nesta quinta-feira um grupo de aprovados no concurso da Secretaria de Justiça. Mas apenas médicos e pessoal administrativo, os novos agentes ainda não. Resta saber se a convocação virá logo a seguir ou o Palácio vai aguardar o desfecho do movimento grevista da categoria que surge no horizonte.



Transposição



Novamente a bancada segue unida para cobrar da União o desfecho da transposição, que agora, ao que tudo indica, falta muito pouco para virar realidade. Vale lembrar que não fosse pelo esforço concentrado dos sindicatos, a coisa ainda estaria engavetada. Também é bom destacar o empenho da bancada federal, que com raras exceções, se empenhou e muito para que ocorresse a transposição.



Papo furado



E nesse assunto, quem ganha disparado em desculpas esfarrapadas é o ex-senador Odacir Soares, que teve o displante de dizer aos sindicalistas que na sua época, a transposição “foi trocada pela BR 364”. Na ocasião em que Roraima e Amapá fizeram sua transposição de servidores, a bancada rondoniense foi completamente omissa, seja por falta de informação ou mesmo por falta de interesse. Mas dizer que foi “uma troca” é de lascar.



Reconhecimento



É preciso reconhecer que a ex-senadora Fátima Cleide teve um papel fundamental nesse processo. Foi ela quem primeiro encampou a ideia e correu atrás. A matéria foi votada primeiro no Senado e depois seguiu para a Câmara, onde em um esforço concentrado de toda a bancada, foi votada. Depois voltou ao Senado devido a modificações e aí a matéria já estava sendo disputada por todos os politicos de Rondônia. Vale destacar que o ex-senador Expedito Júnior também foi fundamental nesse processo.



Luta



Expedito estava na iminência de perder o mandato de senador e mesmo assim não mediu esforços para levar a matéria à discussão e posterior aprovação no Senado. Grande articulista ṕolítico e com carisma de poucos, Expedito conseguiu unir grande parte do Senado no assunto e culminou com a aprovação. Se Fátima Cleide é a mãe da transposição, Expedito certamente é o pai.



Agora



Resta aos servidores que optarem pela transposição, terem consciência da luta que foi a aprovação dessa Emenda Constitucional no Congresso e não se deixem levar por oportunistas de plantão nem por advogados metidos a espertos e comecem a criar um imbróglio jurídico em cima da matéria. O texto aprovado é claro, não deixa margem à dúvidas nem a interpretações. Foi um resgate histórico por parte de sindicalistas e politicos rondonienses e quem ganhou com isso foram os servidores públicos e o Estado, que passa a economizar uma verdadeira fortuna, que poderá ser revertida em investimentos sociais.



Perdas



Rondônia perde mensalmente milhões de reais em função da dívida do extinto Beron, uma privatização mal-feita durante a administração de Valdir Raupp que gerou um prejuízo enorme. A bancada federal deveria se unir para resolver essa situação de uma vez por todas. É inadmissível que o Estado tenha que arcar com prejuízos causados por gestores incompetentes. Essa dívida precisa ser revista, urgentemente.



Adiou



Para a semana que vem a saída de Carla Ito do cargo de secretária-adjunta da Secretaria de Estado de Administração. Na reunião desta quinta-feira ficou definido que é melhor aguardar algumas questões políticas que estão em andamento.



Voltou



Voz corrente entre os líderes de partidos em Brasília que o câncer da presidenta Dilma Roussef voltou com força total. Michel Temer aposta que ela não dura um ano e meio. Nos bastidores comenta-se que estão abafando a notícia, despistando com informações sobre pneumonia. Na verdade, a presidenta está em pleno tratamento oncológico. Vamos aguardar o desenrolar. A cúpula peemedebista não consegue conter a ansiedade.



Viagra e a surdez



O Viagra e outras drogas similares para impotência já foram ligados a centenas de casos de surdez súbita no mundo todo. Após uma série de reclamações de americanos com problemas auditivos, médicos começaram a alertar sobre possíveis danos provocados pelos remédios à audição dos usuários. Especialistas dos hospitais Charing Cross, Stoke Mandeville e Royal Marsden, no Reino Unido, estavam tão preocupados com as reivindicações que exigiram uma investigação oficial em três continentes. A informação foi publicada nesta quinta-feira no site do jornal britânico "The Telegraph". Usuários na América, Ásia e Austrália foram questionados se sofreram perda auditiva logo após tomar as pílulas. Quarenta e sete casos de suspeita de perda auditiva neurossensorial --uma rápida perda de audição em um ou ambos os ouvidos-- foram relacionadas ao Viagra e aos medicamentos Cialis e Levitra, sendo oito no Reino Unido. No entanto, outras 223 notificações feitas nos EUA foram ignoradas devido à falta de detalhes. A média de idade dos homens atingidos foi de 57 anos, embora dois dos envolvidos tinham apenas 37, segundo o estudo. No entanto, a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde, fiscalizadora de drogas do Reino Unido, disse que as queixas de perda auditiva vinculadas ao Viagra eram "extremamente raras". Um porta-voz acrescentou que relatórios de uma reação adversa a um medicamento não provam que ele é o responsável. A pesquisa foi publicada na revista "The Laryngoscope".



Contatos



Contatos com a coluna podem ser feitos pelo alan.alex@gmail.compainelpolitico@hotmail.comwww.painelpolitico.com - @painelpolitico – telefones 3225-7495 e 9248-8911.

Painel Político : Painel político por Alan Alex
Enviado por alexandre em 19/05/2011 09:19:14

Caindo



A secretária-adjunta da Secretaria de Administração do Estado, Carla Ito pode ser exonerada nesta quinta-feira. O Conselho Político do governador vai se reunir durante a tarde para tratar dessa situação. Ela e a titular da pasta, Vera Lúcia Paixão não se entendem há tempos e esse pode ser o motivo.



Corrupção



Nesta quarta-feira aconteceu no Teatro Banzeiros em Porto Velho o fórum Rondônia Conta Corrupção, organizado pelo Ministério Público Federal (MPF). A abertura contou com a presença do governador Confúcio Moura e do prefeito da Capital, além de outras autoridades. Mas, apesar da boa vontade, a impressão que fica é a de que se “chove no molhado”. Entre os palestrantes da manhã estava o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho e ele abriu sua fala com uma frase que reflete o que parece que só o MPF ainda não percebeu, “o que favorece a corrupção é a falta de punição dos acusados”. Certíssimo o vereador Eduardo.



Causas



Uma das principais causas da liberdade dos acusados são as falhas cometidas durante o inquérito policial e a infinidade de recursos existentes no Poder Judiciário. Casos como o do Comendador Arcanjo, preso no Mato Grosso após mandar matar, segundo acusações do MPF, mais de dez desafetos, são raros e demonstram como demora para que providências sejam tomadas. Todos em Mato Grosso sabiam que ele era bandido, que mantinha relações promíscuas com os poderes constituídos e mesmo assim, foi preciso o assassinato do jornalista Sávio Brandão, em plena luz do dia, para que o criminoso fosse preso.



Por aqui



Não são poucos os casos de autoridades e ex-autoridades envolvidas em escândalos, enriquecimento ilícito, relações promíscuas, troca de favores e ameaças, que por vezes são concretizadas. Muita gente sabe de muita coisa, mas se recusa a denunciar por um fato bastante simples, o Estado não garante a segurança dos denunciantes. Sem contar que, se algo acontecer com quem faz a denúncia, o responsável dificilmente será punido. Um caso claro de impunidade contra denunciante foi o assassinato do radialista Marinaldo de Souza pelo irmão do governador Confúcio Moura, Nóbel Moura, que não ficou um dia sequer preso.



Por isso



Ficar debatendo em fóruns sobre “alternativas” não é solução. É preciso sim instaurar inquéritos com o mínimo possível de falhas, é preciso que os tribunais de contas, tanto da União quanto dos estados, deixem de ter conselheiros indicados politicamente e que os ministérios públicos tenham independência financeira para que possam investigar e responsabilizar maus gestores. É preciso que o mais pobre do país saiba que realmente, perante a lei, todos são iguais. Enquanto isso não acontecer, ficar organizando esse tipo de evento, é desperdiçar dinheiro público.



Ingenuidade

Difícil acreditar na “nota da esclarecimento” emitida pela Associação dos Familiares dos Praças da Polícia Militar do Estado de Rondônia afirmando que “até o momento a associação não tomou conhecimento de nenhuma lista da qual foi citada pelo jornalista em sua coluna” (no caso se referem a coluna do dia 16, onde informamos que o governo tem uma lista com 63 nomes de policiais que devem ser expulsos).



E mais



A ASSFAPOM disse ainda que “caso o fato fosse verídico a entidade já teria acionado seu departamento jurídico para verificar as medidas legais a serem tomadas”. Pois bem, vamos então esclarecer aos ilustres dubles de sindicalistas que listas dessa espécie não são oficiais, tampouco são encaminhadas via ofício, daí o nome “lista negra”. A lista existe e circula apenas e tão somente entre as pessoas que interessa ao governo.



Acreditar



Que “tudo será esquecido” e que “todos serão perdoados” chega a ser utópico, para não usar adjetivo pior. Quem viu o vídeo da negociação envolvendo sindicalistas (esses sim profissionais) da CUT com a direção da Santo Antônio Energia negociando a demissão de trabalhadores que ousaram criar uma chapa adversária para tentar tomar o sindicato do grupo atual, sabe que nos bastidores a coisa muda de figura. Portanto, é questão de tempo para que todos os policiais identificados durante as manifestações, estejam com a situação complicada junto ao Comando Geral.



Jurídico



Quanto ao jurídico do sindicato, vale ressaltar que por se tratar de uma questão política e de uma “lista negra”, dificilmente alguém vai conseguir obter judicialmente tal “documento”. O que vai acontecer é que a coisa vai ficar engavetada, graças a divulgação pela coluna, por um bom tempo. Mas não se enganem, Confúcio Moura ainda tem três anos e meio de governo pela frente. Depois me digam se a coluna tem ou não razão. Mas quando ficar comprovado, também vamos querer a publicação de uma nota, dizendo exatamente isso, “ele avisou”!



Atentado



Ainda falando sobre combate à corrupção, o jornalista Danny Bueno, que denunciou as negociatas envolvendo sindicalistas e a direção da Santo Antônio Energia, teve o vidro de seu carro quebrado na madrugada de terça-feira. Foi registrado um boletim de ocorrências informando o atentado e ameaças, segundo ele, feitas pelo ex-presidente da CUT e atual secretário municipal de transportes, Itamar Ferreira. Nesta quarta-feira, o atentado foi matéria no jornal O Estadão de São Paulo.



Precariedade



Esse atentado reflete exatamente o que dizíamos nas primeiras notas desta coluna, a dificuldade em que os denunciantes tem em manter as acusações. No caso específico de Bueno, ele possui videos, documentos e fotos que comprovam exatamente o que ele diz. Por aqui nem MPF nem MP se deram ao trabalho sequer de saber do que se trata. Parlamentares federais que estiveram em Rondônia na semana passada levaram para Brasília cópias dos videos feitos por Danny Bueno a mando de, na época, seus patrões. Se algo acontecer a ele ou a seus familiares, quem será punido?



Concursos públicos



Recentemente a coluna abordou o drama dos aprovados em concursos públicos de Rondônia, que aguardam às vezes, anos para serem convocados. Dessa vez são os aprovados no concurso da Polícia Civil que buscam a convocação. Eles até criaram um site (www.aprovadospcro.com) para manter atualizados os demais concursados. De acordo com eles, há cerca de 4 meses que eles tentam sensibilizar a SESDEC para que sejam chamados, e a resposta que obtiveram foi que “a segurança está caminhando bem e que, apesar da defasagem de cargos, eles (governo) prefere realizar um novo concurso à convocar os aprovados no certame realizado pelo governo anterior, com vigência até janeiro de 2013.



Mas



Em contato com o governador, receberam a informação que ele “iria ver um modo de viabilizar a convocação dos aprovados. De qualquer forma, nada aconteceu e eles continuam na incerteza. Reuniram-se com parlamentares, onde obtiveram apoio, mas o chamamento depende apenas do governo. Resta saber de que forma Confúcio Moura vai conduzir essa situação.



Suspeita de golpe



Um servidor público identificou uma situação estranha nas contas telefônicas de algumas secretarias do município de Guajará-Mirim. Segundo ele, uma empresa chamada “Editora Atlanta” entra em contato telefônico com as secretarias dos municípios e muitas vezes, após um breve diálogo consegue obter informações simples como o nome do titular da pasta e outros dados relevantes. Depois disso, a secretaria é cadastrada em um sistema de anúncios virtual e a conta é vinculada à conta telefônica e passa a ser debitada mensalmente, sem nenhum tipo de contato assinado ou licitação. Praticamente todos os administradores estão caindo neste golpe, porque poucos são os que verificam as contas telefônicas. Bom ficar atento.



Alerta



Levantamento produzido pela Secretaria da Saúde de São Paulo mostra que, somente no ano passado, 1.231 crianças menores de 12 anos foram internadas por intoxicação no Estado. Esse índice aponta que a cada dia, três crianças são internadas por esse motivo.

Segundo o estudo, houve 406 casos de ingestão de medicamentos por crianças em 2010, representando 32,98% das internações de crianças por intoxicação. Desse grupo de ocorrência, os remédios de ação antiepiléptica compõem 21,67% dos casos, seguido dos psicotrópicos (11,82%) e dos antibióticos (11,08%).

Substâncias tóxicas e/ou venenosas provocaram 714 casos, representando 58% do fluxo de internações infantis por intoxicação. Entre os principais agentes tóxicos está o contato com animais peçonhentos (32,63%) e substâncias corrosivas (9,38%).

Também foram registrados 111 casos de internações relacionadas à intoxicação alimentar, o que representa 9,02% das ocorrências.



Contatos



Contatos com a coluna podem ser feitos pelo alan.alex@gmail.compainelpolitico@hotmail.comwww.painelpolitico.com - @painelpolitico – telefones 3225-7495 e 9248-8911.


« 1 ... 168 169 170 (171) 172 173 174 175 »