Painel Político - Painel Político Alan Alex - Notícias
« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 179 »
Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 24/10/2018 22:34:13

Desgaste

A falta de sintonia entre a classe política e o eleitor no processo eleitoral deste ano ficou evidente em Rondônia, principalmente nos cargos legislativos. A assembleia legislativa teve uma renovação de 50%, a bancada federal quase toda. Mesmo assim, deputados e senadores, quando alertados sobre mudanças no comportamento dos eleitores, seguiram com os mesmos erros e táticas, deu no que deu. A maioria fica desempregada em 2019.
Desafios

A nova bancada terá alguns desafios grandes pela frente. Atualmente o Estado tem uma série de assuntos inacabados junto à União. Transposição, Beron e recursos para investimentos em todos os setores são alguns dos ítens da pauta. Na semana passada, Daniel Pereira, junto com a representação do Estado em Brasília conseguiu manobrar para garantir recursos e quitar as folhas de pagamento de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro. Precatórios que deveriam ser pagos terão que esperar, assim como alguns fornecedores. A prioridade é quitar salários.
Salvação

Da bancada, composta por 8 deputados federais e 3 senadores, a partir de 2019 podemos ter certeza da atuação combativa de três deputados, Léo Moraes, Expedito Netto e Jaqueline Cassol. Já no Senado, poderemos contar com certeza com Marcos Rogério, que apesar de algumas polêmicas, sempre se mostrou firme em suas posições e defende o Estado. Gurgacz vai estar fragilizado, se seguir no mandato, e caso seja cassado, seu suplente, o advogado Gilberto Piselo nunca foi testado politicamente. E Confúcio Moura, todos conhecem e é ele o principal responsável pelo caos financeiro que se encontra Rondônia.
Jaqueline?

É. Apesar de ser estreante no Congresso, Jaqueline Cassol ocupou cargos complicados na estrutura do Estado, foi diretora do Detran, é advogada e sempre teve posição marcante acerca dos temas que estarão em pauta a partir de 2019. Sabe se impor quando necessário e passa longe do deslumbramento que costuma cercar os novatos. Léo Moraes, por sua vez já provou que consegue atuar em várias frentes ao mesmo tempo. Expedito Netto que conquistou seu próprio espaço como protagonista em diversos momentos tumultuados, como as reformas atrapalhadas do governo Temer. E Marcos Rogério, que como deputado honrou o mandato, conseguindo projeção nacional positiva e que certamente no Senado vai conseguir ser firme nas questões que Rondônia precisa.
Os demais

Silvia Cristina e Coronel Chrisóstomo terão que mostrar para que foram eleitos. Mauro Nazif…bem, é Mauro Nazif. Lúcio Mosquini passou o primeiro mandato em “adaptação” e pode ser que no segundo mostre resultado e Mariana Carvalho, bem, vai depender da agenda…
Transposição

Apenas uma parte dos servidores que tinha direito à transposição já conseguiram ingressar nos quadros da União. Existem uma série de discussões a respeito do período 1987/1991. O ponto é que, Rondônia virou Estado em 1981 e até 1991 a União mantinha as despesas. Ocorre que a União quer transpor apenas quem ingressou até 1987, um ano antes da promulgação da Constituição, mas o correto seria até 1991, ano em que o Estado assumiu as despesas. Roraima e Amapá conseguiram, mas o Estado ficou fora e a atual bancada não conseguiu resolver o problema, conforme havia alertado Ivo Cassol quando assumiu o senado, há oito anos. A nova bancada (leia-se Léo, Jaqueline, Netto e Marcos Rogério), acompanhada de quem mais se interessar pelo tema, deverá convencer o novo governo a assumir esse pessoal, e incorpora-los a União. É um processo complicado, ainda mais levando em conta o atual fluxo de caixa…
Beron

A União quer cobrar uma dívida que é impagável, e mesmo assim o Estado sangra mensalmente. O Beron tinha uma dívida de pouco mais de R$ 24 milhões e sofreu uma intervenção do Banco Central, que indicou uma nova diretoria. Sob essa gestão, a dívida chegou a mais de R$ 100 milhões e atualmente, levando em consideração o ritmo atual de juros, multas e acréscimos sobre as parcelas que são pagas, o montante pode chegar a R$ 19 bilhões. A bancada terá que negociar com a Secretaria Nacional do Tesouro, com Banco Central e Advocacia Geral, além do Supremo Tribunal Federal, para tentar extinguir essa dívida, que nunca foi do Estado, foi causada pela própria União.
Investimentos

O próximo governo, independente de ser Haddad ou Bolsonaro, terá que lidar com a quebradeira dos Estado, e Rondônia está na fila. O Estado precisa de investimentos em todas as áreas, mas alguns pontos são extremamente sensíveis, como saúde e educação. Atualmente três obras estão paralisadas em Rondônia, o hospital de Guajará-Mirim, de Ariquemes e o Heuro, em Porto Velho. Além disso, é preciso construir um novo pronto socorro, o João Paulo II está defasado desde sempre. Porto Velho continua sem saneamento assim como os demais municípios e a bancada ainda vai se deparar com outro ponto, a privatização da Caerd e da Eletrobrás Rondônia. A primeira vem sendo gerida por um servidor de carreira que conseguiu amenizar todo o estrago que tinha sido feito por Confúcio e sua turma. A segunda foi vendida, mas a empresa que comprou desacelerou após o Senado suspender a venda de distribuidoras Brasil afora. A questão deverá ser retomada pelo Congresso em 2019.
Com esse cenário

Entraremos o próximo ano, e a bancada terá papel fundamental em todo o processo. O novo governador, seja ele Expedito ou Marcos Rocha, terá que ter habilidade para conduzir todas essas negociações e principalmente, unir a bancada em prol desses temas, que se arrastam há tempos.
Debates

E nesta quinta-feira,25, a TV Rondônia promove o debate entre os candidatos Expedito Júnior (PSDB) e Marcos Rocha (PSL). Este será o terceiro confronto entre eles neste segundo turno. A previsão é que ocorra após a novela da faixa das 21 horas. Na sexta, 26, os candidatos se enfrentam novamente e pela última vez, na TV Allamanda (SBT) a partir das 12h20min com previsão de encerrar às 14 horas.
Estudo aponta que pessoas altas têm risco maior de desenvolver câncer

Pessoas altas têm um risco maior de desenvolver câncer, em parte porque elas têm mais células para que a doença se espalhe, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira. Pesquisadores nos Estados Unidos analisaram a população em três continentes e descobriram que o risco de câncer em homens e mulheres é 10% maior para cada 10 cm de altura. O câncer se desenvolve quando o controle normal pelo corpo das células deixa de funcionar, abrindo caminho para o desenvolvimento de células cancerígenas que se manifestam como tumores. O estudo, publicado na revista “Proceedings of Royal Society B”, sugere que o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer é mais provável em pessoas altas, simplesmente porque eles têm mais células e, portanto, maior probabilidade que essas células se tornem cancerosas. Acredita-se que alguns mamíferos, como elefantes e girafas, cujos corpos têm mais células do que animais menores, desenvolveram defesas adicionais contra o câncer. Mas não há evidências de que isso funcione da mesma maneira em indivíduos como seres humanos. A altura média varia por região, mas nos Estados Unidos, a média para os homens é de 176 cm e para as mulheres de 162 cm. Os pesquisadores já estabeleceram que pessoas altas têm um risco maior de câncer em geral. Mas o estudo de Nunney sobre populações nos Estados Unidos, Europa e Coreia do Sul mostra que esse é provavelmente o caso porque elas têm mais células onde algo pode acontecer. Em particular, pessoas de maior estatura têm um risco maior de desenvolver melanoma porque têm uma proporção maior de células e simplesmente mais pele do que pessoas de estatura média. No entanto, o risco de câncer de estômago, bucal ou cervical em mulheres parece não estar relacionado à altura.

Painel Político : Painel Político
Enviado por alexandre em 21/10/2018 13:28:19

Trapalhadas partidárias

O PSL de Rondônia está envolto em uma série de problemas que foram causados pela executiva do partido nos últimos meses. Uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) tramita na justiça eleitoral após denúncia do Ministério Público Eleitoral, investiga a candidatura de mulheres que não estavam filiadas ao partido, portanto a chapa, incluindo partidos coligados, pode sofrer com a perda de mandatos. O caso está tramitando no TSE.
Arrogância do “temente”

O debate entre os candidatos Expedito Júnior e Marcos Rocha realizado pela SIC TV nesta sexta-feira foi cansativo, mas mostrou que Marcos Rocha, candidato do PSL, vestiu a camisa do “já ganhou”. Passou o debate quase todo olhando seu telefone, trocou Iperon pelo Beron e tratava todas as perguntas com desdém incrível para quem se propõe a administrar um Estado. Rocha está deixando transparecer uma arrogância que não condiz com o discurso de quem se diz “cristão temente a Deus”.
Esse comportamento

É abominável. Arrogância e prepotência não combinam com um Estado onde todos, de uma forma ou de outra, vieram para ter uma vida melhor, começando de baixo, e com muito esforço e trabalho conseguem se manter. Ao final do debate que vinha sendo marcado pela cordialidade e apresentação de propostas, Marcos Rocha ainda inventou uma mentira sobre dívidas do candidato Expedito Júnior, o que foi confirmado pela produção que concedeu direito de resposta. Lamentável esse comportamento.
Paixões à parte

Em que pese o fato de Rocha estar no segundo impulsionado apenas e tão somente pela candidatura de Jair Bolsonaro, ele (Rocha) deveria ter mais preparo. Mostrou ainda que não tem propostas claras para resolver os problemas do Estado e os eleitores de Bolsonaro precisam atentar que vivem em Rondônia, e os nossos problemas nunca foram resolvidos pelo governo federal, independente de cores partidárias. Uma reflexão sincera é válida nessa altura do campeonato, e isso vale para os eleitores dos dois candidatos.
Entre os eleitores

Já tem muita gente que era “Rocha desde criancinha” que começou a olhar o candidato com olhos mais atentos, principalmente pelo fato dele estar se tornando inacessível. Se nem foi eleito e já está assim…
Crescendo

O nome do deputado estadual Alex Redano está crescendo como uma opção viável para presidir a Assembleia Legislativa, sucedendo Maurão de Carvalho. Redano, que já presidiu a Câmara de Vereadores de Ariquemes já conta com apoio de alguns deputados. Mas o que vem ajudando mesmo Redano é que os parlamentares não estão gostando do “já ganhei” de Lebrão, que se colocou como “próximo presidente”, e já estaria “intimidando” alguns colegas, dizendo coisas do tipo, “já tenho maioria, se não vier comigo, já sabe”.
Pois é

Outros possíveis candidatos seriam Jean Oliveira e Laerte Gomes, mas o clima está mais para Redano, que é considerado “moderado” por todos. Pelo jeito, a sucessão de Maurão não será assim tão tranquila quanto vinha se imaginando. Lebrão já disse que “tem apoio de Marcos Rocha” para ser presidente, mas a última vez que um governador se meteu nessa eleição, Valter Araújo venceu.
Os prejuízos do consumo de carne processada

A carne processada é uma carne que foi preservado através do processo de curação, salteamento, defumação, desidratação ou colocada em latas; como por exemplo, salsichas, salame, bacon, presunto, carne curada e salteada, enlatada, defumada e ressecada. A carne processada tem sido constantemente relacionada com efeitos danosos à saúde. É possível que essas relações sejam parcialmente devido ao fato de pessoas que comem carne processda tendem a realizarem outras coisas que não estão associadas com uma saúde boa. No entanto, estudos continuam encontrando relações entre o consumo de carne processada e várias doenças crônicas. Os compostos N-nitrosos como a nitrosamina são creditados como as substâncias responsáveis pelos efeitos adversos do consumo da carne processada. A defumação é um dos métodos mais antigos de preservação da carne e, normalmente usa uma combinação de salteamento ou de desidratação levando a formação de várias substâncias potencialmente deletérias. Entre elas incluem os hidrocarbonos aromáticos policíclicos (PAHs). Vários estudos associam os PAHs com o desenvolvimento de câncer. As aminas heterocíclicas (HCAs) são uma classe de compostos químicos formados quando a carne ou peixe são cozinhados sob altas temperaturas e, o seu consumo excessivo pode causar câncer. O consumo excessivo de sal pode ter um papel na hipertensão e na doença cardíaca, especialmente naqueles que tem uma condição chamada de hipertensão sensitiva ao sal. Além disso, vários estudos observacionais indicam que dietas com muito sal podem aumentar o risco de câncer de estômago, pois podem elevar o crescimento da bactéria H.pilory, uma das grandes responsáveis por esse tipo de câncer.

Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 17/10/2018 21:55:51

Já está lá

O senador Acir Gurgacz vai dividir pavilhão com o ex-senador Luiz Estevão, na Papuda, em Brasília. Gurgacz ficará em cela individual, e poderá sair para trabalhar. Ele cumprirá pena de 4 anos e 6 meses, em regime semiaberto, por determinação do ministro Alexandre de Moraes.
A caminho

Já o deputado federal Nilton Capixaba (PTB) também já se prepara para seguir o mesmo caminho. Ele teve os recursos negados pelo ministro Gilmar Mendes e nos próximos dias deve estar saindo seu mandado de prisão. No caso de Capixaba, a condenação é de 6 anos e 10 meses, em regime fechado.
Movimentação

O deputado estadual Lebrão (MDB), reeleito no último dia 7, vem se mobilizando para suceder Maurão de Carvalho na presidência da Assembleia a partir de fevereiro de 2019, quando assume a nova legislatura. L ebrão já teria apoio declarado de alguns parlamentares. O deputado já fechou acordo com o candidato ao governo Marcos Rocha (PSL) que disputa o segundo turno com Expedito Júnior (PSDB). O problema é que alguns deputados andam conversando sobre outro nome, não querem a Assembleia andando de mãos dadas com o novo mandatário do Estado, “a última experiência não foi nada boa” disse à coluna um dos deputados que articula para acabar com as pretensões de Lebrão.
O deputado

Já circula como se já tivesse sido eleito, inclusive vem sendo chamado de “presidente” por alguns de seus pares. Lebrão está a caminho do 4º mandato no parlamento. Ele assumiu a primeira vez janeiro de 2009, com a saída de Alex Testoni. Foi reeleito em 2010, 2014 e 2018.
Olha essa

Uma usuária do Twitter sem pesar as consequências do fala (escreve), resolveu chamar o candidato ao governo pelo PSDB, Expedito Júnior de “ladrão”. Segundo ela, Expedito estaria “devendo” a seu pai, R$ 100 mil em função de uma dívida de campanha que estava sendo tratada judicialmente. O jurídico da campanha acionou o Tribunal Regional Eleitoral, informando que se tratava de postagem difamatória e sem nenhum fundamento, tendo em vista que o débito já havia sido saldado em um acordo judicial feito entre as partes. No primeiro momento, a juíza Jaqueline Conesuque, talvez sem informação suficiente sobre o caso, indeferiu a liminar para retirada da postagem afirmando que “não haviam elementos comprobatórios do pagamento, tampouco a postagem era ofensiva”.
Pois bem

A defesa de Expedito recorreu à própria magistrada, mostrando que o pagamento estava registrado no processo que havia tramitado no Tribunal de Justiça, e que o fato de alguém ter dívidas, não quer dizer que a pessoa é um “ladrão” ou que possa ser chamado de tal. A magistrada então se retratou publicamente em nova decisão quanto ao indeferimento da anterior e estabeleceu prazo de 8 horas para retirada da postagem do Twitter.
Porém

A moça ainda está sendo processada civil e criminalmente. Ou seja, independente do resultado eleitoral, ela terá muita dor de cabeça ainda pela frente, e vai ter que gastar dinheiro com advogado. As pessoas ainda não entenderam que internet não é terra de ninguém, e que a jurisprudência está avançando rápido no sentido de punir os que saem por ai falando qualquer coisa. Isso vale também para aqueles “comentaristas” que ficam escrevendo ofensas ou fazendo acusações irresponsáveis sobre pessoas e/ou instituições.
20 anos de propina

Segundo a Polícia Federal, há pelo menos duas décadas que o presidente Michel Temer recebe propinas no Porto de Santos, desde a época em que era deputado federal por São Paulo. Segundo o relatório da PF divulgado nesta quarta-feira, foram identificados repasses de R$ 5,6 milhões para Temer entre 2000 e 2014 e outros R$ 17 milhões em propina para o MDB. Temer e seu ex-assessor Rocha Loures, que está preso (em sua casa, uma mansão no Lago Sul em Brasília), são apontados como núcleo político e administrativo da organização. Se a PGR denunciar Temer ao STF, a Câmara dos Deputados terá de autorizar o prosseguimento do processo.
OAB se prepara para eleições

Estão abertas, e encerram no dia 22, segunda-feira, as inscrições de chapas para disputar o comando da OAB pelos próximos 3 anos. Por enquanto, dois grupos já declararam que estarão na disputa, o de Elton Assis e Maracélia Lima. E parece que serão apenas esses os candidatos. A eleição acontece no dia 19 de novembro e as chapas não podem optar pelos números 13 ou 17.
Gravidez diminui sintomas da esclerose múltipla

As taxas de recaída da esclerose múltipla (EM) têm uma redução de 70% nos últimos três meses de gestação, revelou um estudo publicado pela Sociedade Americana de Neuroterapia Experimental. Isso acontece devido à imunomodulação da mãe durante o período. Neste período, seu corpo passa a ter um controle natural das reações imunológicas justamente para proteger o feto em desenvolvimento. A Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM) lembra que esta é uma doença crônica e para a qual ainda não existe cura. Ela pode causar diversos sintomas, incluindo perda da visão, dor, fadiga e comprometimento da coordenação motora. Sua gravidade e duração variam. Algumas pessoas podem passar quase a vida inteira sem apresentar sinais, enquanto outras sofrem mais. No Brasil, em torno de 35 mil indivíduos são afetados pela doença.

Painel Político : Coluna – De Michel Temer a Valdir Raupp, Sérgio Moro e Curitiba os aguardam de “celas abertas”
Enviado por alexandre em 17/10/2018 00:03:58

Na mira da Lava Jato

A partir de 1º de fevereiro o senador Valdir Raupp não poderá contar mais com a segurança do foro privilegiado, e com isso, todos os inquéritos e processos oriundos da Operação Lava Jato serão deslocados para 1º grau, que tem como juiz prevento Sérgio Moro, de Curitiba. A expectativa é que logo nas primeiras horas do dia 1 de fevereiro, a Polícia Federal saia para cumprir mandados de prisão por todo o país, já que além de Raupp, mais de 40 políticos citados e envolvidos em escândalos de corrupção, sejam “convocados” a prestarem esclarecimentos. E os casos mais avançados, já serão julgados.
Olha essa

Agentes penitenciários declararam apoio à candidatura de Expedito Júnior ao governo. Marcos Rocha, que foi secretário de Justiça entre os anos de 2014 a 2018 está disputando com Expedito. Se ele não tem apoio por parte dos próprios agentes, é porque tem algo errado nessa conversa. Nesta terça-feira circulou um relatório do Tribunal de Contas de aponta Rocha como responsável direto por um rombo de mais de R$ 30 milhões no almoxarifado da Sejus. O caso foi descoberto através de uma auditoria do TCE. Quem tiver curiosidade para ler o documento, é só CLICAR AQUI. (Na movimentação processual foi apresentada defesa no mês passado, mas os argumentos não convenceram).
E nesta terça-feira

A justiça eleitoral manteve um comercial da coligação de Expedito Júnior que mostra Marcos Rocha obtendo apoio de Confúcio Moura e Acir Gurgacz. A peça, de 30 segundos que está no ar, mostra Neodi Carlos, ex-deputado, afirmando que Rocha “tem total apoio dele (Neodi) e Acir Gurgacz”. Também mostra o ex-governador Confúcio Moura falando sobre apoiar Marcos Rocha “que foi seu secretário”. Marcos Rocha havia ingressado na justiça pedindo a retirada da peça, mas a juíza Úrsula Gonçalves negou.
Em seu despacho

A magistrada afirmou, “É de conhecimento público que o Coronel Marcos Rocha exerceu nos últimos anos cargos de natureza política durante a gestão do então Governador Confúcio Moura, pertencente ao MDB. O último cargo exercido foi o de Secretário de Justiça, do qual só foi exonerado para fins de atendimento às regras de desincompatibilização previstas na LC nº 64/92. Quanto ao apoio de Acir Gurgacz à sua candidatura também não há o questionar, pois o próprio Coronel Marcos Rocha, acompanhado de seu candidato a Vice-Governador Zé Jodan, está ao lado de Neodi Carlos Francisco de Oliveira, que nestas eleições compunha a chapa com o Senador na disputa pelo governo estadual, quando este lhe manifesta apoio.” A juíza apenas observou, e mandou adequar, que faltou a identificação da coligação de Expedito na peça, e indeferiu o pedido do PSL. A defesa de Expedito Júnior foi feita pelo escritório Rochilmer, Nogueira e Vasconcelos.
Falando em MDB

O ex-secretário de Saúde Williamens Pimentel, que foi candidato a deputado estadual pela legenda e não foi eleito, está fazendo campanha forte por Marcos Rocha em Porto Velho. Ele conta com sua nomeação para secretário de saúde de um eventual governo do coronel. Típico do MDB, fisiologismo puro.
Bloqueado

A Polícia Federal pediu que o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo, bloqueie os bens do presidente Michel Temer, investigado no chamado “inquérito dos portos”. Temer é outro que terá sérios problemas com a justiça após perder o foro, em 1 de janeiro de 2019. Vai fazer companhia à Lula e Cunha, em Curitiba. CLIQUE AQUI para ver o relatório da Polícia Federal.
Fim do impasse

O senador Acir Gurgacz deixou o hospital de sua família em Cascavel (PR), onde estava internado após ter mandado de prisão expedido pelo Supremo nesta terça-feira e se apresentou à Polícia Federal, em Foz do Iguaçu para dar início ao cumprimento da pena em regime semi-aberto de 4 anos e 6 meses em Brasília. Com isso, encerra-se a terceira batalha que ele perdeu este ano. A primeira foi a condenação, em fevereiro, a segunda o indeferimento do registro de candidatura ao governo e essa última.
Porém

Gurgacz terá pela frente a última, e decisiva, que é a manutenção de seu mandato no Senado Federal pelos próximos quatro anos. A decisão do Supremo determina a perda dos direitos políticos, e consequentemente de qualquer cargo público que esteja exercendo. A decisão da Mesa é soberana, mas o processo não deve demorar, já que parte dos senadores que compõe a Mesa, entre eles o presidente Eunício Oliveira, não foram reeleitos, e devem querer evitar conflitos com o STF no futuro próximo. A probabilidade de Acir perder o cargo é real, e bem grande. Percentualmente, diria, 98%.
Imunoterapia, a nova esperança no tratamento contra o câncer que salva vidas

Em 2011, Georget Luc, 62 anos, foi diagnosticado com um câncer na base da língua. Ele fez quimioterapia, mas, três anos mais tarde, o tumor se espalhou. Os médicos descobriram uma metástase no pulmão e deram poucas esperanças de vida para ele. “Eu estava praticamente condenado”, diz o francês. Em 2016, seu oncologista propôs que ele tentasse um novo tratamento: a imunoterapia. Desde então, o francês toma injeções quinzenais, que contém os chamados anticorpos monoclonais, proteínas produzidas pelo sistema imunológico, fabricadas em laboratório a partir do clone de uma célula. Elas têm a capacidade de identificar e neutralizar substâncias estrangeiras como vírus, bactérias e células cancerígenas. A proteína se fixa na molécula e possibilita sua eliminação pelo sistema imunológico. Foi graças a essa terapia proposta a Georget que hoje seu câncer entrou em remissão – quando os médicos consideram que o paciente esta no caminho da cura. Em dezembro ele acaba seu tratamento, que terá durado dois anos. A aposta deu certo. Tão certo que o francês conta que, durante todo esse tempo, continuou trabalhando e não sentiu sintomas que o impedissem de continuar levando uma vida normal. Ele teve sorte. Como a Medicina não é uma ciência exata, a imunoterapia nem sempre funciona e depende do organismo de cada paciente. O oncologista Christophe Le Tourneau, do Instituto francês Curie, lembra que as pesquisas sobre Imunoterapia, e o papel do sistema imunológico no mecanismo do câncer, começaram há mais de um século. O que é recente, diz, e levou ao prêmio Nobel, é a identificação das proteínas capazes de frear as defesas do sistema autoimune contra a multiplicação das células malignas. Isso levou ao surgimento dos novos tratamentos que ajudam o sistema imunológico a lutar contra o câncer e trazem esperança de sobrevida e de cura aos pacientes. Outros métodos estão sendo pesquisados, explica o oncologista francês. Um deles consiste em retirar os glóbulos brancos do paciente e modifica-los geneticamente para que sejam capazes de destruir as células cancerígenas. A estratégia terapêutica, diz Le Tourneau, deu bons resultados em algumas leucemias infantis, mas não em cânceres chamados “sólidos”, como do intestino ou pulmão, por exemplo. O desenvolvimento de vacinas para atacar as células do tumor também estão em curso, mas os resultados ainda não são satisfatórios.

Painel Político : Painel Político Alan Alex
Enviado por alexandre em 27/09/2018 09:05:29

Deu ruim geral

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou o recurso do senador Acir Gurgacz, na Ação Penal 935 em que ele foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão e determinou o imediato cumprimento da pena. O problema é que esse julgamento veio na pior hora para Gurgacz e seu grupo político. Candidato ao governo do Estado, com registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ele também tenta um recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para conseguir seu registro. A estratégia de Gurgacz era conseguir essa liminar no TSE antes que o STF julgasse esse recurso. Os embargos deveriam ter sido apreciados na terça-feira da semana passada, mas atendendo a um pedido dos advogados do senador foi retirado da pauta. Nesta terça, 25, a Primeira Turma julgou e rejeitou o recurso. Como a pena será cumprida em regime semiaberto, o parlamentar pode obter autorização para sair durante o dia, tendo que se recolher no período noturno. Com a decisão, o pedetista fica inelegível.
E agora?

Acir Gurgacz segue, em tese, na campanha, mas dificilmente conseguirá obter a liminar de registro no TSE. Como as urnas já foram lacradas, e ele de fato não consiga essa decisão, seus votos não serão computados. Além disso ele dará início a uma outra batalha, a de se manter no cargo após as eleições pelos próximos quatro anos. A assessoria de Gurgacz emitiu nota dizendo que “segue firme” e “vai recorrer” mas faz parte do roteiro (íntegra da nota no final da coluna). Certo mesmo é que, apesar de aparecer entre os três primeiros colocados nas sondagens, a intenção de voto tende a decrescer. E pior, como já esgotou o prazo para troca de candidatos, não tem como substituí-lo, portanto seu grupo fica “órfão” da principal candidatura.
Naufrágio

Acir Gurgacz se dizia esperançoso nos recursos apresentados, e afirmava que “não cometeu nenhum crime”, alegando que “o empréstimo foi pago ao BASA” e que se tratava de um negócio privado “na época eu nem ocupava cargo público”. O problema é que essa tese nunca convenceu ninguém, a não ser ele próprio. O mais grave nunca foi o desvio de finalidade do empréstimo, e sim a falsificação de notas fiscais apresentadas ao banco na prestação de contas. Porém, sua insistência nessa linha de defesa, e o “acreditar nisso” se transformou em um enorme navio que flutuava com um imenso furo no casco. E agora entrou água.
Pior para a tripulação

Muitos “marujos” embarcaram nessa viagem, alguns acreditavam no capitão, outros estavam no navio e passaram a viagem toda tentando convencê-lo a adotar um “plano b”. Ele sempre rejeitou essa idéia e até com certa razão, afinal, quem iria segui-lo se nem ele próprio tivesse confiança? Os maiores prejudicados agora são os candidatos ao senado pela coligação, que vão tentar remar mais um pouco.
Dividindo o bolo

Com a derrocada de Gurgacz, o eleitor do PDT tende a pulverizar. Muitos devem migrar seus votos para candidaturas como de Pimenta de Rondônia e Vinicius Miguel e alguns outros para Maurão e Expedito Júnior. De qualquer forma o nome de Acir estará na urna, que foi confirmado pelo TSE na última segunda-feira. Mas seus votos não deverão ser contabilizados.
Estacionados

Impressiona como os números que surgem em sondagens de intenção de votos estão parecidos, com pequenas variações, mas mantendo a mesma ordem e dentro da margem de erro. Isso falando nas candidaturas majoritárias em Rondônia.
Azedando

A Folha de São Paulo descobriu que em 2011 o deputado federal Jair Bolsonaro teria ameaçado de morte sua ex-mulher, que chegou a pedir asilo na Noruega. O caso é mais um capítulo envolvendo o presidenciável e as mulheres e deve ampliar mais um pouco sua rejeição no eleitorado feminino. Ele é praticamente uma unanimidade em rejeição entre as mulheres e analistas avaliam que elas e o eleitor do nordeste vão atrapalhar, e muito, a eleição dele.
Compartilhar o bocal do narguilé pode transmitir hepatite C e tuberculose

“Doenças como bronquite, enfisema pulmonar, limitam a vida desse indivíduo do ponto de vista que ele terá dificuldades para tarefas simples, da vida diária”. Aldo Miranda, mestre em fisioterapia respiratória, está falando do narguilé, moda entre jovens, mas que não deve ser considerado apenas um hobby. A Organização Mundial da Saúde estima que uma sessão, com média de 20 a 80 minutos, equivale a exposição tóxica de cem cigarros. O narguilé é uma espécie de cachimbo oriental. O fumo é aquecido com carvão e a fumaça gerada ali desce para um reservatório de água, depois é puxada por uma mangueira. Como no cigarro, fumantes passivos também estão expostos ao risco. Entre as consequências mais graves do uso do narguilé está o câncer. Segundo Inca (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa é que, a cada ano no país, passe de 30 mil o número de casos novos de câncer de pulmão. Mais além dos problemas pulmonares, compartilhar o bocal do narguilé ainda pode transmitir doenças como herpes, hepatite C e tuberculose.
NOTA À IMPRENSA – ACIR GURGACZ

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) considera surpreendente a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a Ação Penal 935, porque representa clara violação do amplo direito de defesa, pois é uma decisão que SUPRIME INSTÂNCIA, QUEIMANDO ETAPAS E DIREITOS garantidos pela lei.

Além disso, NÃO CONSIDERA OS RECURSOS APRESENTADOS PELA DEFESA, como foi alertado pelo Ministro Marco Aurélio Mello durante o julgamento.

Os advogados do senador vão atacar imediatamente essa decisão, por meio de RECURSO DE AGRAVO, que está previsto no Regimento Interno do STF, pois consideram que, estranhamente, o relator pautou apenas a apreciação dos embargos de declaração do Ministério Público e NÃO FEZ O MESMO COM OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO E OS EMBARGOS INFRINGENTES APRESENTADOS PELA DEFESA DO SENADOR, avançando sobre tema que não estava sequer em pauta.

O senador considera lamentável a possibilidade de que uma decisão da Suprema Corte possa ter VIÉS POLÍTICO, como parece, pois é candidato ao governo de Rondônia.

Gurgacz continua acreditando na Justiça e na revisão dessa decisão da primeira turma no pleno da Suprema Corte, a quem vai recorrer.

O senador Acir Gurgacz mantém a agenda de sua candidatura ao Governo de Rondônia, confiando que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fará a verdadeira justiça e dará à população de Rondônia o direito de escolher o seu governador com serenidade e sem interferências indevidas de outros tipos de forças políticas.

Assessoria de Imprensa

« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 179 »