Resenha Política - Resenha política-Robson Oliveira - Notícias
« 1 ... 51 52 53 (54) 55 56 57 ... 62 »
Resenha Política : Resenha política-Robson Oliveira
Enviado por alexandre em 12/09/2012 21:07:24

Consolidado
A menos de um mês das eleições municipais o quadro sucessório começa a se configurar na maioria dos municípios. Na capital, por exemplo, é quase pule de dez apostar que o candidato Lindomar Garçon (PV) passará para o segundo turno. Caso não ocorra uma hecatombe, algo improvável nessa altura do jogo.

Imprevisível
O segundo nome para concorrer contra Garçon é uma incógnita, visto que Mauro Nazif (PSB), Mário Português (PPS), Fátima Cleide (PT) e Mariana Carvalho (PSDB) estão emparelhados e vão proporcionar uma disputa acirradíssima até o último minuto.

Apostas
Fátima apostará suas últimas fichas na militância do PT, Português no volume da campanha (Dindin), Mariana com o discurso repetitivo do “novo” e Nazif na franqueza do olho a olho. É imprevisível neste momento apostar qual deles logrará êxito. A briga promete.

‘Cavalo Paraguaio’
Mesmo sendo o melhor entre os postulantes a prefeito de Porto Velho, na opinião deste ‘cabeça-chata’, Mauro Nazif começou a fazer a curva inversa e corre o risco de ficar fora do segundo turno. Não será a primeira vez que o candidato do PSB sai na frente e termina no rabo da fila. Na hipótese da sina se confirmar é melhor Nazif esquecer o projeto de administrar a capital.

Nada de novo
Com um discurso prometendo o “Novo” (sem objetivamente explicar o quê), a candidata tucana Mariana Carvalho se colocou no início da campanha de TV e Rádio entre os principais concorrentes, mas adentrou o mês de setembro sem o mesmo brilho e o discurso começa a dar sinais de exaustão. Não tendo mais nada “novo” pra anunciar ao eleitor, as chances de passar para o segundo turno começam a correr perigo. Reuniu assessores no escritório do empresário Chagas Neto para traçar as estratégias para a reta final.

Inflacionando
O candidato milionário do PPS, Mário Português, está irritando os comitês eleitorais dos concorrentes: o candidato do PPS inflacionou a campanha. Até militantes tradicionais dos partidos estão procurando o candidato milionário para oferecer seus préstimos. A fila de ‘formiguinhas’ é enorme no comitê de Mário Português em busca de uns caraminguás.

Sucumbiu
O candidato a prefeito Mário Sérgio (PMN-PCdoB) sucumbiu depois que o próprio prefeito e amigo Roberto Sobrinho chutou o balde e derramou a água suja escondida nas entranhas da EMDUR.

Aliança
O curioso é que a bem pouco tempo tanto Mário Sérgio quanto Roberto Sobrinho alimentavam nos meios de comunicação uma suposta aliança nas eleições municipais.

Alvo
Após o registro da candidatura de Mário Sérgio, Roberto Sobrinho fez as pazes com a desafeta Fátima Cleide, declarou apoio à petista e entrou na campanha de corpo e alma. Paralelamente, os contratos da EMDUR viraram alvos de investigações pelo MPE. A investigação está circunscrita exatamente na época em que o candidato do PMN presidia a empresa.

Passeio 
O deputado estadual Jesualdo Pires (PSB) tende a sair da campanha como o candidato a prefeito mais votado na história de Ji-Paraná. A campanha está sendo um passeio. Aliás, o PSB está bem postado também em Pimenta Bueno, com a candidatura de Roque.


Indiferença
Quem apostou que o julgamento dos supostos ‘mensaleiros petistas’ iria contaminar as candidaturas do partido Brasil afora perdeu as fichas. Em Rondônia, por exemplo, o PT tem chances reais de vencer em Guajará-Mirim, Jarú, Presidente Médici e Buritis, além de Cacoal e Porto Velho, estas duas últimas com chances bem mais reduzidas.



Fadiga
Nem a presença de Melki Donadon tem abalado a campanha de reeleição do prefeito de Vilhena, Zé Rover. Com uma administração aprovada pela população o atual prefeito está firme em se manter por mais quatro anos no paço municipal da principal cidade do Cone Sul. Os eleitores da região sinalizam que estão cansados de votar num clã tão encalacrado com malfeitos.



Violência
Depois que diminuíram as críticas nas áreas de Saúde e Educação no Estado de Rondônia, eis que emerge mais uma crise para que o governador Confúcio Moura busque as soluções. Desta vez a área de Segurança emite sinais de instabilidade política e administrativa. A violência alcançou números exorbitantes e intolerantes.



Metamorfose
Ninguém entende a lógica política pela qual nosso “Oráculo” se guia para administrar nossa querida Rondônia. Cada colaborador defenestrado é brindado com outra colocação. Exceção apenas para Batista porque o Judiciário impediu a permanência nas funções públicas. Senão...



Competência
O senador “temporário” Tomás Correia (PMDB), nos poucos dias na titularidade do cargo, provou que é um suplente que corresponde ao cargo e tem demonstrado competência nos apartes que costuma fazer no plenário do Senado aos pares. O talento do representante de Rondônia lhe rendeu uma vaga na concorrida Comissão que vai analisar e aprovar o novo Código Penal. A indicação coube ao PSDB, que cedeu a vaga ao PMDB para ser ocupada exclusivamente por Tomás Correia.



Lançamento
Esta coluna recebeu o convite do advogado Andrey Cavalcanti, candidato a presidente da Seccional da OAB-RO, para o lançamento da candidatura no próximo dia 20, às 19 horas, no Bingol Clube. Por motivo de compromissos assumidos anteriormente não poderemos comparecer ao evento, mas a declaração de voto e apoio está confirmada. Desejamos uma campanha limpa e justa, como prega a entidade nas similares.

Resenha Política : Resenha política-Robson Oliveira
Enviado por alexandre em 28/08/2012 11:18:15


Resenha política



Robson Oliveira



 



Fraude



Uma
portaria fraudada e publicada no Diário Oficial do Estado foi
descoberta a tempo de impedir que um grupo colocasse em funcionamento um
suposto esquema de malfeito numa complicada secretaria. Em fase de
investigação, os operadores ocultos estão sendo monitorados e a qualquer
momento o esquema vem à tona.



 



Arrecadador



Ninguém
entende quais os motivos que levam um auditor fiscal a deixar as
funções típicas de arrecadar impostos para assumir um cargo de confiança
numa outra Secretaria de Estado totalmente diferente da origem.
Mistérioooooooooooooo!!!



 



Bicudo



Um
graduado assessor governamental anda dando chiliques nas entranhas do
subterrâneo do palácio Vargas. Além dos fricotes, o rapaz entra em
transe todas as vezes que as ordens não são imediatamente cumpridas. Ele
grita pra quem quiser ouvir que faz e desfaz porque segue orientação
das madrinhas e que defenestrou recentemente um assessor próximo do
governador.



 



Campanha



Nos
dois programas de TV dos candidatos a prefeito da capital nada de novo
foi veiculado pelos mesmos e suas equipes de marketing. A mesmice tem
sido a tônica de cada programa, exceção apenas para os âncoras.



 



Amadorismo



Como
esta coluna havia antecipado meses atrás, agora confirmado, o programa
do Dr. Mauro é um dos mais pesados: textos longos, iluminação precária,
cenário pobre. O formato não agrada, como também não agrada a jovem
utilizada como âncora: voz de adolescente e dicção de má compreensão.



 



Viés



Momentaneamente
líder nas pesquisas, Lindomar Garçon apresentou um programa com boa
iluminação, mas repete a mesma ladainha dos candidatos tradicionais e
veiculou imagens de esgotos a céu aberto. A obviedade das críticas não
justifica sua posição na liderança. A insistir com esse viés tende a
despencar.



 



Noviça



A
tucana Mariana Carvalho explora exaustivamente o slogan de candidata do
“novo”. Pelo programa leva-nos à intuir que o “novo” é uma referência à
idade. Realmente a menina candidata é jovem, bonita e bem articulada
com as palavras. Falta, no entanto, conteúdo NOVO nas propostas que lhe
garanta passar credibilidade. Ao persistir apenas com a ideia de noviça,
passará ao eleitor a impressão de uma candidatura promissora para
eleições futuras.



Degola



O
que mais chama atenção no programa do PPS é que conseguiram desaparecer
com o pescoço do candidato Mário Português. Demonstra a pouca
familiaridade do editor com programas políticos. Aboletaram o Português
numa cadeira que aumentou a circunferência da cabeça e alargou o
avantajado tronco. A opção de colocar o candidato sentado fez com que o
pescoço literalmente sumisse.



 



Derrota



Para
piorar o programa do Português, colocaram no ar o mesmo quadro
utilizado na campanha para governador quando K-Ola respondia perguntas
de populares (contratados). Esse quadro não impediu que K-Ola fosse
derrotado por Confúcio Moura. A salvação do programa fica por conta do
profissionalismo da âncora que é da melhor qualidade.



 



Deficiência




o programa de Zé Augusto, no que pese a boa finalização, também não
inovou e segue a mesma fórmula dos demais. O programa termina expondo a
falta de carisma do candidato. Aliás, uma deficiência preponderante para
quem tenta convencer o eleitor a votar em suas propostas.



 



Pesada



A
petista Fátima Cleide apresentou o programa mais movimentado e também
soube escolher uma boa profissional para ancorá-lo. Bem finalizado,
texto conciso e cenário impecável. Já a experimentada candidata
apresentou-se sem a desenvoltura e a leveza que encantou o eleitor
quando se elegeu a senadora. Fátima, com aparência pesada no vídeo,
 ainda não conseguiu passar ao eleitor firmeza nos propósitos nem nas
propostas.



 



Desistiu?



O
jovem candidato Mário Sérgio (PMN) foi o único que não enviou à
geradora dos programas eleitorais seus programas. Os motivos não foram
explicados, mas nas coxias falam numa possível desistência da
candidatura. Os candidatos a vereadores da sua coligação já desistiram
de pedir votos para o candidato e muitos deles são vistos nos comitês
eleitorais dos concorrentes.



 



Feijão com arroz



Aluísio
Vidal (PSOL), provavelmente o candidato a prefeito mais modesto entre
os concorrentes, conseguiu colocar no ar um programa simples, sem
promessas e com a utopia que caracteriza ideologicamente o partido. No
geral fez o que os marqueteiros denominam de feijão com arroz.



 



Emergentes



Tanto
a candidata petista quanto a tucana têm em comum as roupas com as quais
aparecem na TV. De marcas como "Dudalina" (grife da moda que veste os
emergentes do país), elas usam modelos bem cortados e de cores vivas em
sintonia com a estação do verão amazônico. Destoando do vestuário do
pobre eleitor filmado todo suado nas periferias da cidade para que as
imagens ilustrem os programas das candidatas bem vestidas.



 



Rasgando seda



Depois
de anos afastados e com acusações pessoais mútuas, eis que o processo
eleitoral conseguiu a proeza de selar as pazes entre a candidata do PT
Fátima Cleide com o atual prefeito Roberto Sobrinho. Nas entrevistas
concedidas, a candidata fala loas da administração portovelhense e do
alcaide. Nada do que um resultado positivo nas pesquisas para que
amizades rompidas sejam reatadas. Por enquanto...



 



Folclóricos



Dependendo
apenas da aparição no programa eleitoral gratuito de rádio e TV
dos candidatos à edilidade, dificilmente um deles seria eleito. Aparece
cada figura que ajuda a afastar cada vez mais o eleitor do legislativo.
Para tentar prender a atenção do eleitor faz todo tipo de presepada ou
asneira. Esse folclore afeta cada vez a imagem desbotada do poder ao
qual quer fazer parte. Dar pra contar nos dedos aqueles que tratam a
política com algo sério.  



 



Contencioso



Longe
dos holofotes e distante do eleitor voltou a azedar as relações entre o
Poder Legislativo e o Poder Executivo. Quem conhece os meandros do
contencioso diz que um grupo de deputados, liderados por seu presidente,
ameaça abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para
investigar supostos malfeitos de agentes públicos aboletados em cargos
comissionados no Executivo estadual. Se existe algo concreto que
justifique a ameaça deveriam investigar e denunciar eventuais culpados.
Mas simplesmente ameaçar como forma de pressão leva a concluir que este
contencioso possui motivação distinta das republicanas. E a história se
repete...



 



Xerife



Quem
careditava que com a saída da corregedora do CNJ, Eliana Calmon, as
coisas voltariam como 'dantes' está completamente enganado. No próximo
dia 6, toma posse no cargo de corregedor do CNJ o ministro Francisco
Falcão, em substituição à "xerifa" Calmon . Quem conhece o novo
corregedor garante que ele vai ser tão duro quanto a antecessora.



 



Controle



Aumentam
as articulações, no Congresso Nacional, para a criação de um órgão
destinado a fiscalizar as ações dos Tribunais de Contas dos Estados e
Municípios. O que não vai faltar é trabalho para o novo órgão.



 



Confusão



A Nota
Oficial divulgada pela Reitoria da Universidade Federal de Rondônia
sobre o exame de Vestibular 2013 é mais confusa do que a confusão do
calendário escolar após a greve dos Docentes. No penúltimo parágrafo
assegura que o ingresso dos novos universitários será através do ENEM.
No último, bem diferente da afirmação anterior, leva a dedução extamente
ao contrário: exame de seleção própria. Aguardemos os esclarecimentos.



 



 



Resenha Política : Resenha política-Robson Oliveira
Enviado por alexandre em 21/08/2012 15:33:03

Resenha Política

Robson Oliveira



Estreia

Começaram hoje os programas eleitorais de Rádio de TV. Apesar das críticas, ainda são a melhor ferramenta para empinar (ou derrubar) a campanha de cada candidato. Os programas vão exigir muita habilidade e profissionalismo dos marqueteiros porque a maioria dos candidatos não ajuda muito na estética. Nem no conteúdo.


Mala

Alguns candidatos a vice podem ser o peso negativo de muitos candidatos a prefeitos. Muitos deles são aguardados com expectativa nos programas de TV e Rádio pelos comitês eleitorais concorrentes. Nas rede sociais já fazem sucesso: de forma negativa, claro!


Indiferença

O eleitor da capital tem demonstrado indiferença à campanha, visto que a segunda quinzena é o momento quando tradicionalmente ele (eleitor) começa a definir o voto. As pesquisas que pululam por aí confirmar a assertiva.


Folclore

Já começam a aparecer por aí os candidatos com slogan ou nomes folclóricos: Chico Pinto; Chico Lata; Só na Benção, Corno sim, Corrupto não; Gostosão; Enfim, tem candidato para todos os gostos. Inclusive um bandejeiro...


Ameaçado

Comenta-se nos bastidores que um dos candidatos a prefeito estaria sendo ameaçado por tomar emprestado uma quantia considerável de dinheiro de um agiota para o início da campanha e não ter conseguido pagar as parcelas combinadas. Amedrontado com as ameaças, a família do candidato teria procurado autoridades para pedir socorro.


Caixa 2

Na hipótese dos comentários acima serem confirmados, este deverá ser o primeiro caso de recursos não contabilizados que entraram na campanha ao arrepio da lei. Ademais, a prática da agiotagem é igualmente vedada. Portanto, recursos de campanha oriundos desta fonte são crimes duplamente cometidos.


Posse

Assumiu a Secretaria de Estado dos Esportes Emanuel Neri, indicado pelo PCdoB em substituição a Chicão. A mudança provocou reação do demissionário e de um militante chamado Adaílton Noleto.


Justificativa

O ex-secretário, como de costume aos demissionários, procura um culpado, mas foi dispensado por não corresponder ao cargo, conforme a coluna apurou nos arredores do Palácio. O demissionário deveria saber (no fundo sabe) que nenhum governante exonera um colaborador que corresponde as funções. Exceto quando passa a concorrer com o próprio mandatário. O que não é o caso.


Boquinha

O militante Noleto, que esculhambava o secretário, aproveitou o ensejo para culpar quem nem do partido é filiado e baixou a ripa no governo. O intrigante é que, dois meses atrás, durante uma reunião na sede do Sintero, pediu ajuda a um dirigente do PMDB para arranjar uma boquinha no mesmo governo que hoje critica. Como não foi atendido, esqueceu do fato e plantou seus boatos.


Rumores

Outra área governamental que está provocando insatisfação ao principal inquilino do Palácio Vargas é a Procuradoria Geral do Estado. Isso porque sindicalistas, parlamentares e secretários têm levado ao governador críticas à PGE, em especial a sua adjunta. Rumores sobre mudanças na área ecoam nos corredores palacianos.


IDEB

É fácil intuir os motivos pelos quais o Júlio Olivar foi defenestrado do cargo de Secretário Estadual da Educação, basta verificar os números do IDEB (índice que mensura o desenvolvimento da educação básica) anunciados um dia após a demissão.


Mediocridade

Os números anunciados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica indicam que a educação pública rondoniense caiu quatro pontos percentuais em relação a apuração anterior. Manteve a mesma média, em torno de 3.4, porque o setor privado conseguiu inflar estes percentuais. O problema é que foi substituído por alguém que também não ajudou a melhorar em nada a educação estadual.


Pergunta

Um ano atrás o chefe do executivo estadual anunciou com pompa uma “revolução” no ensino estadual e prometeu escolas em tempo integral. Pergunta: quais e quantas escolas funcionam hoje em tempo integral e seus resultados? Perguntar não ofende!


Autoconfiança

O competente engenheiro Lúcio Mosquini é tão confiante no que promete que marcou dia para a inauguração do Centro Administrativo do Estado. O poblema é que não vai poder adiar senão perde a pecha de competente. E talvez a força com que se mantém na equipe do governador.


Garimpagem

Mais uma vez Rondônia deverá voltar às notícias nacionais de forma negativa. A vez agora é o envolvimento de figuras conhecidas na sociedade com o garimpo ilegal de diamantes. É aguardar para ver.


Escapou

Sem muita esperança numa sentença favorável, o deputado estadual Jaques Testoni foi surpreendido com a absolvição de crime eleitoral pelo Tribunal Eleitoral de Rondônia. Escapou de perder o cargo pelo mérito da defesa. Mas ainda não pode dormir sossegado porque um outro em grau de recurso em Brasília tem lhe tirado o sono. E pode lhe retirar o mandato.


Beija mão

Na próxima segunda-feira, na sede do PMDB da capital, o senador Tomás Correia recebe em audiência os principais filiados da legenda com cargos na administração estadual. Correia assumiu, além do cargo de senador, a presidência interina do partido. Na agenda não consta a pauta, mas o beija mão deve render lamúrias.


Aviso

Aos navegantes: esta coluna não é pautada por provocações, nem alfinetadas. Assina o que escreve sem terceirizar a pena. Quando dá uma barrigada, reconhece o erro e corrige na seguinte. A experiência também tem ajudado a evitar arroubos e equalizar o ego. Além de ser tolerante com os intolerantes.

Resenha Política : Resenha política-Robson Oliveira
Enviado por alexandre em 14/08/2012 16:05:09

Resenha política

Robson Oliveira


Férias

Depois de dez dias nas terras de 'Iracema' e 'Tupã', eis aqui nós com estas maltraçadas linhas. As eleições municipais ainda não empolgaram, mas dá para avaliar o quadro e projetar alguns cenários possíveis.


Isolado

Mesmo com o Governo Federal nas mãos, os petistas terminaram sendo abandonados em várias cidades pelos partidos da base de sustentação no Congresso Nacional por não serem aliados confiáveis. Pelas primeiras pesquisas divulgadas por aí, o PT não aparece entre os favoritos.


Salto alto

São Paulo, Recife, Belo Horizonte, Rio Branco, Porto Velho, Porto Alegre, Salvador, Aracaju, Fortaleza, entre outras, os petistas estão na disputa sem as coligações que ajudaram a ganhar governos e prefeituras nas eleições passadas. Culpa do salto alto e da empáfia que sempre caracterizou alguns caciques do partido. Além da hostilidade com que tratam os aliados após as eleições.


Armário

A oposição à candidatura da petista Fátima Cleide, na capital, insiste em requentar e municipalizar o tema do aborto e união estável entre pessoas do mesmo sexo como forma de criar repulsa do eleitor evangélico contra a candidata. É possível que consiga enganar uma pequena parte do eleitor menos avisado. O problema é que muitos dos críticos, em privado, andam escondidos pelos armários.


Titanic

Ou os estrategistas do comitê eleitoral do candidato a prefeito da capital pelo PPS, Mário Português, estão confiantes com um programa de TV e Rádio impecável e de bom conteúdo para colocar o candidato no segundo turno, ou o Português vai naufragar nas águas do madeira. Um mês de campanha sem a candidatura empolgar nem os 'formiguinhas' contratados.


Estacionado

Mauro Nazif, candidato do PSB, precisa urgentemente colocar a campanha na rua para voltar a subir nas próximas pesquisas. Nome bem conhecido do eleitorado, político ficha limpa e ligado aos movimentos dos trabalhadores públicos anda estacionado em patamares fáceis de serem alcançados por quem vem atrás em curva ascendente. A campanha em si não existe.


Fôlego

Lindomar Garçon, do PV, continua na frente. O problema é manter o fôlego com uma coligação de partidos cartoriais (nanicos) e sem tempo suficiente de TV e Rádio para explicar as propostas. Mais bem postado, especialmente no eleitorado da zona leste (colégio eleitoral denso na capital) começa a ser ameaçado nesta zona pela candidata da atual administração. Vai precisar de muito oxigênio para se desfazer da pecha de 'cavalo paraguaio'.


Escafedeu

Já o candidato do PMN e PCdoB, Mário Sérgio, começa a ser abandonado pelos próprios entusiastas da candidatura. Sem estrutura para oferecer aos candidatos proporcionais da coligação é a primeira vítima do abandono. Ninguém entendeu ainda quais os motivos que levaram do PCdoB entrar na coligação.


Identidade

Os comunistas erraram feio, visto que PT e PSB ofereceram condições mais avantajadas aos candidatos à edilidade do partido para que apoiassem as suas candidaturas. Mesmo assim, capitaneados pelos vereadores Cláudio da Padaria e Elis Regina, optaram em apoiar a candidatura de Mário Sérgio. Ademais, do ponto de vista ideológico não há nenhuma identidade entre os comunistas e o candidato do PMN. Já entre os petistas e socialistas...


Fria

Os dirigentes do PCdoB falam abertamente que entraram numa gelada, inclusive os dois edis. Vencer a incredulidade dos parceiros e a desconfiança dos fornecedores não vai ser um tarefa fácil para o candidato do PMN. Pelo cenário atual a candidatura de Mário Sérgio está fadada a embicar antes de alçar voos.


Demissão

Depois de muita crítica o governador Confúcio Moura abriu os olhos e viu que o senhor Júlio Olivar não reunia as condições técnicas para ocupar a Secretaria de Estado da Educação e resolveu exonerá-lo.


Improvisação

O decreto de demissão de Olivar deverá ser publicado nesta quarta-feira. Depois de muita improvisação e poucos resultados práticos, tudo indica que o governador resolveu se mexer e governar de fato. Atitude que o eleitor sempre esperou do governante. A nomeação do rapaz para pasta caiu como uma bomba assim que foi anunciada. Aliás, reza a lenda que nem Olivar acreditou na improvisação quando foi avisado por Moura, após uma feira de negócios na capital paulista.


Lista

A coluna apurou que outros colaboradores devem seguir o mesmo caminho de Olivar. Alguns já especulados, mas o governador já confidenciou a assessores que a lista de exoneração de secretários após as eleições municipais será extensa. No entanto, nos próximos dias duas outras exonerações serão anunciadas. A coluna espera anunciar em primeira mão. Como sempre faz.


Boquirroto

Não há um local onde junte mais de três pessoas que o chefe do Poder Legislativo deixe de utilizar palavras chulas para fustigar o governador Confúcio Moura. O chefe do Executivo Estadual tem acertadamente evitado de rebater pessoalmente os impropérios e as farpas, o que está correto. Mas é preciso utilizar os meios institucionais que possui, vez por outra, para colocar o boquirroto no devido lugar. Ninguém quer ver autoridades engalfinhadas em briga de rua, mas também não gosta de representação fraca.


Golpe

O desfecho final com que o Governo Federal encerrou a questão da transposição, enganando todos, foi o maior atrevido e desrespeitoso golpe a uma unidade federativa. O troco político tem que ser à altura.


Verdade

A crise envolvendo autoridades e sindicalista em Vilhena ainda vai dar muita confusão. Em Brasília, órgãos de controle já começam a monitorar as ações e condutas dos envolvidos. A coluna ouviu uma autoridade que revelou muitos fatos em 'off' que no momento não podemos publicar. Voltaremos a questão.

Resenha Política : Resenha política-Robson Oliveira
Enviado por alexandre em 31/07/2012 15:08:59

Resenha política

Robson Oliveira


Exonerados

David Chiquilito Erse e Gebrin Santos (este último filho do ex-deputado estadual Haroldo Santos) deixaram os cargos de assessoramento do Governo de Rondônia. Chiquilito pediu para sair e sua exoneração já foi publicada no Diário Oficial do Estado e Gebrin, ainda no cargo, deverá ser exonerado no decorrer da semana.


Defenestração

A princípio o inquilino do palácio Vargas pretendia dispensar os petistas dos cargos de primeiro escalão (Agricultura, Emater e Idaron) após as eleições municipais. Mas, nas coxias palacianas, a pressão para que as exonerações dos 'companheiros' saiam imediatamente é grande. A presença dos petistas no governo estadual está claramente insustentável.


Indiferença

Ao perceberem a decisão do governador em dispensá-los, os petistas passaram a tratar o governo com indiferença e os peemedebistas com hostilidade. Um exemplo claro foram as reuniões marcadas pelos petistas nos cargos para debater sobre a questão climática ignorando a comissão nomeada pelo governador para tratar do assunto.


Cadafalso

Outro que está com os dias contados no cargo é o Secretário de Desenvolvimento (Aliás, a coluna já havia informada do descontentamento do governador), Edson Vicente. Com o encontro de negócios Peru-Rondônia, marcado para acontecer no dia 9, em Porto Velho, o secretário conseguiu uma sobrevida. Para evitar o cadafalso necessitará realizar um evento proveitoso, competente e com resultados positivos concretos. Senão vai desocupar a moita.


Suspeição

Sem causar muito ruído uma equipe governamental analisa com lupa a suspeita de que uma possível 'máfia' vem atuando às escondidas há anos inflando a folha de pagamento estadual para proveito próprio. O assunto é tratado com reserva porque os desdobramentos apontam para crimes ainda mais graves. Um novo escândalo a caminho...


Visibilidade

Na capital as campanhas à prefeito de Fátima Cleide (PT) e Mário Português são as mais visíveis do ponto de vista plástico. Percebe-se o grau de profissionalismo imprimido pelos dois candidatos. E de bom gosto.


Demonizando

É uma besteira descomunal tentar requentar a polêmica sobre a lei que criminaliza a homofobia e colocar em saia justas a candidata a prefeito Fátima Cleide (PT), visto que como senadora defendeu a proposta. A população de Porto Velho precisa cobrar da candidata ações efetivas que melhorem a qualidade de vida do munícipe. E uma posição sobre a atual administração. Os concorrentes (com exceções) insistem em demonizar a ex-senadora e deixam de expor as próprias propostas.


Pitada

Zé Rove, prefeito de Vilhena, vai a disputa pela reeleição com índices altos de aprovação de sua administração. Para se manter na frente dos adversários, o alcaide investiu em projetos de infraestrutura, além de dialogar e abrir espaços aos aliados. Bem diferente da família Donadon que administrou o município por vários anos até ser fragorosamente derrotada pelo próprio Rover nas eleições municipais passadas.


Aposentadoria

Uma péssima notícia para quem sonha entrar no mercado de trabalho e almeja uma aposentadoria com a atual regra: mesmo não tendo apresentado uma proposta concreta, o governo quer passar para 65 e 60 a idade mínima para a aposentadoria dos homens e das mulheres, respectivamente. A ideia é manter o tempo mínimo de contribuição de 35 (homens) e 30 anos (mulheres). A proposta é polêmica e é rejeitada por todas as centrais sindicais.



Sobrevida

A equipe econômica do governo também quer estabelecer uma idade mínima progressiva, que mudaria para 61-66 anos, e assim por diante. Tudo de acordo com o aumento de expectativa de sobrevida da população.



Pensionista

As pensões podem não escapar ilesas da fúria governamental: o governo quer limitar o valor da pensão em decorrência da idade e do número de filhos. Podendo ainda haver carência para sua concessão.


Exorbitação

Virou rotina a gritaria contra a cobrança exorbitante da conta de energia elétrica dos consumidores de Porto Velho. Os órgãos de controle têm que atuar com mais força contra os abusos denunciados já que os dirigentes da empresa se escondem e não dão uma explicação convincente para uma aferição acima da média anteriormente consumida na maioria dos lares.


Injustiçado

O presidente da OAB-RO, Hélio Vieira, em nota divulgada nos principais sites eletrônicos, se julgou injustiçado por informações apressadas sobre uma suposta participação criminosa no 'caso dos precatórios'.


Injustiça

As críticas de Helinho são pertinentes porque não há ainda nenhuma prova cabal de que tenha cometido tais ilegalidades. No entanto, na mesma nota, aponta injustamente como culpado pelas notícias negativas o advogado Andrey Cavalcanti, candidato a sucessão. Para se defender de uma injustiça, Helinho foi injusto. E antecipou a campanha da seccional.


Mensalão

O julgamento do processo do mensalão – que começa depois de amanhã – vai salvar o ibope da redes de TV abertas que perderam o direito de transmissão das Olimpíadas.



Culpados

Ruim para os réus do mensalão que mesmo sem uma sentença judicial já foram antecipadamente condenados pelos editoriais de quase todos os veículos de comunicação. Os observadores apostam que desta vez somente os bagres escapam da condenação. Na hipótese de se confirmarem as apostas, será a primeira vez que a corda não quebrará nas costas dos menos favorecidos.


Ferrovia

Nesta quarta-feira a ferrovia Madeira Mamoré (conhecida como ferrovia do diabo) completa exatos 100 anos. Infelizmente não tem nada a comemorar devido o descaso com que as autoridades estaduais e municipais tratam o complexo histórico. Quem visita a Madeira Mamoré encontra um conjunto arquitetônico abandonado com suas locomotivas paradas ao relento e sem serventia nenhuma. Dinheiro veio para ser investido, mas a forma como foi investido suscita controvérsias.


Ferrovia II

Já o projeto da Ferrovia Norte - Sul - que deveria chegar até Vilhena e foi estendida até o Peru, passando em Porto Velho, por iniciativa da deputada federal Marinha Raupp - começa a sair do papel para se tornar uma realidade. É uma ferrovia que está contemplada no Plano Nacional de Viação e integrará os mercados nacionais aos portos do pacífico. Hoje é conhecida como a Ferrovia 'Transcontinental'. É uma obra que pode reaquecer a economia estadual pós-Usinas.


Sinalização

Os técnicos da AGU e do Ministério do Planejamento continuam irredutíveis em transpor aos quadros da União os servidores estaduais de Rondônia contratados até 1991, alegando falta de sustentação jurídica. Com a pressão da bancada federal começam a sinalizar em transpor imediatamente aqueles casos incontroversos e manter aberta a negociação para encontrar uma solução jurídica para os demais. É uma alternativa interessante porque não fecha questão contra aos contratados até 1991.


Análise

Analisando rigorosamente a PEC da transposição aprovada pelo Congresso Nacional o lastro jurídico para atender todos os servidores até 1991 é frágil. Isso não significa que seja impossível uma interpretação mais elástica e menos rigorosa, visto que na interpretação da lei é preciso levar também em conta outros aspectos: a exemplo dos sociais e sociológicos. Evitando-se, portanto, uma compreensão simplesmente conforme e restritiva.


Cenário

A coluna teve acesso a uma sondagem eleitoral nos principais municípios que dão uma visão inicial e global das campanhas mais consistentes. Como não é registrada no TRE conforme manda a legislação não podemos declinar números, mas baliza os comentários sobre as probabilidades dos candidatos no atual cenário. Ainda é muito cedo para qualquer prognóstico definitivo ou para apostar no sucesso das candidaturas. No entanto, é possível visualizar os cenários mais promissores a partir da leitura dos números qualitativos. O que faremos a partir da próxima coluna (semana que entra).


Favorito

Na coluna passada informamos sobre uma disputa em surdina que começa a ser engendrada pela sucessão da vaga a ser aberta no Tribunal de Contas com a aposentadoria compulsória do Conselheiro José Gomes. Uma fonte palaciana e privilegiada informou a coluna que o candidato favorito do governador Confúcio Moura ao cargo é o Secretário de Estado da Saúde, Gilvan Ramos. Dizem que é um profissional preparado e competente. O problema é que nem sempre estas qualidades foram utilizadas na escolha do ungido. Portanto...


« 1 ... 51 52 53 (54) 55 56 57 ... 62 »