Brasil - SEM CONTROLE - Notícias
« 1 2 (3) 4 5 6 ... 373 »
Brasil : SEM CONTROLE
Enviado por alexandre em 13/05/2017 21:51:41


Pente-fino em auxílio-doença economiza R$ 1,9 bilhões
Trabalho para identificar fraudes pode reduzir gasto com o benefício em até R$ 10 bilhões anuais

Das pessoas que passam pela perícia, 84% tiveram o benefício cancelado e apenas 2% pediram revisão da decisão (Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr)

O pente-fino nos benefícios de auxílio-doença já renderam uma economia anual de R$ 1,9 bilhão, de acordo com os números mais recentes do resultado das perícias que estão sendo feitas pela força-tarefa do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Para o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, o benefício de auxílio-doença “estava fora de controle”.

Segundo ele, 84% das pessoas que passam pela perícia tiveram o benefício cancelado e apenas 2% pediram revisão da decisão. “Isso significa que admitiram que estavam recebendo indevidamente”, disse.

O ministro informou que os resultados até agora indicam que a perícia nos auxílios-doença pode garantir uma economia de mais de R$ 10 bilhões por ano quando todo o trabalho de fiscalização estiver completo. A expectativa inicial era de que o pente-fino garantisse uma redução de gastos de no máximo R$ 8 bilhões. A checagem atingirá 1,7 milhão de pessoas em todo o País.

As fraudes encontradas surpreendem. Osmar Terra contou que foi encontrado caso de mulher que obteve o auxílio por gravidez de risco que ainda recebia o benefício cinco anos depois. Outro caso descoberto mostrou uma pessoa que quebrou perna e recebia o benefício há 12 anos, mesmo depois de a fratura ter sido corrigida.

BPC

O próximo benefício que passará pelo crivo dos peritos é o Benefício de Prestação Continuada (BPC), concedido a pessoas com deficiência ou idosos de baixa renda. Esse é o benefício de assistência social do governo federal que mais consome recursos. Custa por ano R$ 50 bilhões e contempla 4,43 milhões de pessoas que recebem, cada uma, um salário mínimo.

O ministro informou que o Ministério do Desenvolvimento vai fazer um trabalho de capacitação para permitir que deficientes que usam cadeira de roda, por exemplo, tenham condições de arrumar um emprego e possam no futuro deixar o programa de assistencial.

Segundo o ministro, o governo deve editar uma medida provisória alterando a regra de acesso dos deficientes ao BPC. Hoje, têm direito ao benefício famílias com renda de um quarto do salário mínimo per capita. A ideia é alterar para meio salário mínimo per capita, o que pode aumentar o número de beneficiários.

Segundo Terra, alterar o critério para ter direito ao BPC vai diminuir o número de pessoas que entram na Justiça para requerem o benefício. O governo, no entanto, espera aprimorar a concessão do benefício para atender apenas a pessoas com deficiência grave e famílias realmente de baixa renda.

Para o ministro, as mudanças no BPC que estão sendo encaminhada na proposta de reforma da Previdência vão continuar protegendo os mais pobres. A idade mínima para os idosos receberem o benefício pode subir de 65 anos para 68 anos caso o texto atual da reforma seja aprovado na Câmara. Para os deficientes, não há exigência de idade mínima. “Mas quem é que diz que vai prejudicar? É a oposição que está dizendo ninguém mais vai ter BPC.”

A proposta original do governo desvinculava o BPC do salário mínimo. O relator da proposta, no entanto, retirou essa possibilidade, com o apoio do ministro Terra. “Quem recebe o BPC são os mais vulneráveis”, defendeu. (AE)

Brasil : LEGALIZAÇÃO
Enviado por alexandre em 12/05/2017 15:22:44


Estado americano pode legalizar maconha sem voto popular
Uruguai vende erva a R$ 4; Governo espera enfraquecer tráfico no país vizinho

Agência reguladora de Vermont deve preparar plano de impostos até o fim de setembro
Enquanto a sucessão de gafes do presidente norte-americano Donald Trump atraíram a atenção do mundo todo para Washington esta semana, legisladores do estado norte-americano de Vermont se uniram para aprovar projeto de lei que legalizaria a posse de maconha pra uso recreativo. A proposta segue para a mesa do governador republicano Phil Scott. O estado deve ser o primeiro a dispensar o voto popular para legitimar o consumo da substância.

Se o dirigente decidir aprovar o projeto de lei, a erva recreativa estará disponível para venda até julho de 2018. Uma agência reguladora do estado seria então encarregada de preparar um plano de impostos até próximo verão norte-americano, que ocorre de junho a setembro.

Os hermanos também...
Cerca de 7 mil pessoas se registraram para cultivar maconha em casa, no Uruguai. Autoridades do país vizinho afirmam que as farmácias serão as principais fontes de acesso à droga -- que deve ser vendida a preço equivalente a R$ 4 por grama, a partir de julho. A medida deve enfraquecer o tráfico na região. O processo de legalização da maconha começou com o então presidente Pepe Mujica, em 2013.

Brasil : O FUTURO
Enviado por alexandre em 10/05/2017 23:33:19


Carro voador existe e já está à venda

Se o transito estiver muito pesado e você tiver pressa, basta procurar uma pequena pista para aeronaves e fugir do engarrafamento alçando voo. Claro, isso só é possível se você estiver a bordo de um Aeromobil, o primeiro carro do mundo legalmente habilitado para rodar nas ruas e também ganhar o espaço aéreo.

Além da carteira de habilitação, o motorista precisa ter uma licença de piloto. Para ser dono de um dos primeiros 500 modelos de carro voador construídos pela empresa eslovaca Aeromobil é preciso investir 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 4,3 milhões). Praticamente, o preço de uma boa Ferrari. A fabricante Aeromobil está fazendo reservas do veículo que parece ter saído dos filmes de ficção científica ou livros de espionagem.

O carro voador está sendo desenvolvido desde 2010. Em 2014, a versão 3.0 finalmente ganhou os céus e recebeu homologação para voar.

Brasil : REGISTRO
Enviado por alexandre em 10/05/2017 19:21:37


MP PERMITE REGISTRO DE CRIANÇAS NAS CIDADES ONDE OS PAIS RESIDEM
A Medida Provisória 776/2017 publicada nesta quinta-feira (27) no Diário Oficial da União (DOU) vai beneficiar milhares de famílias e regiões brasileiras que ficaram décadas sem registrar nascimentos. A partir de agora, os pais poderão escolher entre registrar o local de sua residência ou o local de nascimento da criança. O texto, assinado pelo Presidente da República, Michel Temer, altera a Lei nº 6.015/73, que dispõe sobre os registros civis públicos.

“Até então, por força de lei, os pais eram obrigados a registrar os filhos na cidade de nascimento, ou seja, nos municípios que contam com maternidades. Agora, eles também podem optar por registrar as crianças na cidade onde a família mora, o que não era permitido”, explicou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Com a iniciativa, além de beneficiar o lado emocional e estimativo das pessoas, o Governo Federal poderá controlar melhor as natalidades, os dados de epidemiologia e mapear todos os municípios brasileiros para desenvolvimento de ações e políticas públicas, facilitando o trabalho de acompanhamento por parte dos profissionais que atuam pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, além de beneficiar as famílias, inciativa atende a um pedido antigo dos municípios que não tem maternidades e, a partir de agora, poderão registrar nativos de sua localidade. A Medida Provisória já tem validade e, a partir desta quinta-feira, os cartórios estão autorizados a receber e registrar as crianças nas cidade onde os pais residem.

Agência Saúde

Brasil : MEIO AMBIENTE
Enviado por alexandre em 09/05/2017 20:49:07


Mar do Caribe já invadiu a Amazônia duas vezes: havia até tubarões e camarões por lá
Como o fóssil de um dente de tubarão pode parar no meio da Amazônia? Segundo estudo publicado na revista
Como o fóssil de um dente de tubarão pode parar no meio da Amazônia? Segundo estudo publicado na revista especializada Science Advances, isto é resultado de uma invasão do oceano Atlântico, na região do Mar do Caribe, no que hoje entendemos por Floresta Amazônica.

A ocupação do Mar do Caribe em terras amazônicas teria acontecido duas vezes ao longo do período Mioceno, que vai de 23 milhões a 5 milhões de anos atrás. De acordo com o artigo produzido pelo Instituto de Pesquisa Tropical Smithsonian, com sede no Panamá, as invasões ocorreram há 18 milhões e a 14 milhões de anos, e cada uma não teria durado mais que um milhão de anos.
Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o geólogo colombiano Carlos Jaramillo, líder da pesquisa, explicou a descoberta. “Os registros de pólen, coletados em poços perfurados para a extração de petróleo no leste da Colômbia e em afloramentos do Mioceno no noroeste da Amazônia brasileira, mostram claramente dois eventos curtos nos quais o Mar do Caribe inundou aquilo que corresponde hoje ao noroeste da Bacia Amazônica”.

O que foi encontrado de mar na Amazônia?

O estudo se baseou na face norte da Amazônia, principalmente na porção de floresta que já é território colombiano. Foram analisadas amostras coletadas no município de Benjamin Constant, no Amazonas, e na região de Saltarin, na Colômbia. Ao todo, mais de 50 mil grãos de pólen, de mais de 900 tipos, foram extraídos de camadas subterrâneas de terra.

Em uma dessas camadas mais profundas, foram encontrados traços de esporos marinhos em meio à grande quantidade de pólen. Traços de carbonáceos típicos de moluscos de meio marinho chegaram a aparecer entre 101 e 96 metros de profundidade.
Contudo, os fósseis mais impressionantes foram encontrados muito mais para dentro do solo amazônico. Um dente de tubarão cuja espécie é de habitat marinho, embora tolere baixos níveis de salinidade, foi localizado a 630 metros abaixo da superfície. E um fóssil de um crustáceo semelhante a um camarão estava a 636 metros para dentro da terra.

Como isso foi possível?

Na atual Amazônia, 80% do território é ocupado por florestas consideradas secas, ou seja, sobre solo cuja inundação é rara, e os 20% restantes são, de fato, de áreas tomadas por superfície alagada, como os rios. Em relação aos milhões de anos de formação da floresta, os cientistas debatem se houve ou não alagamento da planície amazônica. Há três hipóteses mais consideradas:

A existência de um mar continental raso, que teria coberto a América do Sul da Amazônia ao Uruguai. A incidência de um mega lago amazônico durante um período. A transposição de rios de água doce, mas bastante carregados de água do mar, sobre a planície.
O artigo demonstra que houve dois intervalos sísmicos rastreados na Bacia de Llanos, na Colômbia, que levaram águas marinhas até mais ao sul da Amazônia, na Bacia Amazonas/Solimões, chegando até onde hoje é sul do Amazonas e Acre.

O estudo apresenta os períodos que isso aconteceu com precisão, afirmando que em outros períodos do Mioceno a água não alcançou esta região. “Os geólogos discordam sobre as origens dos sedimentos existentes nesta área, mas neste estudo nós fornecemos claras evidências de que eles têm origem marinha - e os eventos de inundação foram bastante breves”, afirmou Jaramillo ao Estadão.

Vix.com

« 1 2 (3) 4 5 6 ... 373 »