Saúde - FRESQUINHO - Notícias
« 1 ... 153 154 155 (156) 157 158 159 ... 171 »
Saúde : FRESQUINHO
Enviado por alexandre em 07/04/2012 22:12:42



Fabiana não sentiu falta de sexo, mas confessa brincadeira íntima

Ficar sem sexo não foi o maior desafio de Fabiana no "BBB 12". Mas como ninguém é de ferro, a ex-BBB contou, durante o ensaio para o Paparazzo, que fez uma brincadeira íntima com espuma de barbear mentolada no período em que esteve confinada. "Lembro que Kelly estava do meu lado e falei: 'Ai, que fresquinho!' Acho que foi no meu período de ovulação", disse ela, aos risos.


E já que tocamos no assunto, Fabiana garante ser uma mulher de atitude também na cama. "Gosto de dominar. Quando quero seduzir meu marido, prefiro lingerie branca ou preta. Também curto usar gel massageador", revelou.


Com 36 anos, um filho de seis, e um corpão de dar inveja a muita meninnha de 20, ela revelou estar aberta a propostas para posar nua para revistas masculinas, e contou já ter ganhado até o aval do marido. Mas, para nossa decepção, ela garantiu que a proposta concreta ainda não aconteceu. E olha que ela já pensou até no que fazer com o cachê.


"Vou investir na minha casa. Quero conforto para minha família. Também vou me dedicar à educação do Igor (filho dela) e oferecer a ele tudo o que eu não tive. Mais para frente, quero viajar com todo mundo para a Disney".











FONTE 180GRAUS

Saúde : MANDE IN BOLÍVIA
Enviado por alexandre em 03/04/2012 18:13:43



Dezessete países se manifestam contra a revalidação automática de diplomas de Medicina


A adoção de critérios rigorosos e transparentes para validação de diplomas de Medicina obtidos em países estrangeiros, a formulação de políticas públicas que favoreçam a fixação de médicos em zonas de difícil provimento, o aumento de investimentos na assistência em saúde, o combate à violência contra os profissionais da saúde e a definição de medidas de acesso equânime à assistência farmacêutica. Estes são alguns dos pontos da Declaração de Florianópolis, documento aprovado por representantes de 17 países da América Latina, Caribe e Península Ibérica, que durante os dias 28 a 30 de março, participaram do V Fórum Ibero-americano de Entidades Médicas (Fiem), realizado em Florianópolis (SC).

O documento será encaminhado formalmente ao Governo brasileiro pelas entidades médicas brasileiras. “É importante que os gestores saibam que nossas preocupações são compartilhadas e apoiadas pela comunidade médica internacional. Acreditamos que, por meio do diálogo, poderemos encontrar as soluções aguardadas pelos médicos e pela sociedade”, afirmou o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto Luiz d’Avila, anfitrião das delegações. Para ele, a Declaração de Florianópolis reforça a preocupação da classe médica com o futuro da Medicina, a qualidade da assistência em saúde e a vida dos cidadãos nos países signatários.

Ao aprovar a Declaração, após três dias de debates, as entidades médicas das 17 nações participantes do Fiem entenderam ser fundamental o seu posicionamento conjunto ante aos desafios do setor, que afetam milhões de pessoas. Entre os problemas citados constam: a falta crônica de financiamento à saúde, os abusos éticos cometidos por tomadores de decisão e a ausência de políticas públicas em nível governamental. As entidades também exigiram dos diferentes Governos o apoio a medidas que integram o documento aprovado como forma de garantir às comunidades atenção em saúde segundo critérios de qualidade técnica, eficácia de resultados e segurança plena aos pacientes.

Subsídios para o debate - Durante o V Fiem, expositores de diferentes nações apresentaram dados que mostraram as problemáticas nacionais acerca dos temas constantes da programação do Fórum. Os subsídios estimularam os debates – em plenários e em grupos de discussão – em busca de diagnósticos e respostas para as dificuldades. São as conclusões deste trabalho que integram a Declaração de Florianópolis. Para os participantes, as questões polêmicas não podem ser ignoradas pelos profissionais, pela sociedade e, principalmente, pelos gestores das distintas esferas.

Segundo o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Florentino de Araújo Cardoso Filho, “é de grande relevância que o Brasil e os demais países irmãos no FIEM discutam a capacitação dos médicos na região, tanto na graduação quanto na pós-graduação; assim como analisem, juntos, a situação do mercado de trabalho e suas perspectivas. Deste modo, poderemos vislumbrar um futuro cada vez melhor para os médicos e a saúde da população”.

Esta também é a percepção do presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Cid Célio Jayme Carvalhaes, para quem o encontro em Florianópolis ajudou a entender também os dilemas que afetam o trabalho médico. “Com a crise da Espanha e em Portugal, com as dificuldades das Américas, temos dificuldade muito grande em termos de condições de trabalho, que é, em geral, precarizado”. Ele relata ainda que “na maioria dos países nos temos dificuldades materiais importantes de instalações, insumos e medicamentos, respeitadas as peculiaridades de cada um dos países”.

Conheça as principais conclusões que integram a Declaração de Florianópolis. Para acessar a íntegra do documento, clique aqui:

VALIDAÇÃO DE DIPLOMAS ESTRANGEIROS:

- As entidades médicas devem integrar as comissões de reconhecimento de diplomas, cujo processo deve acontecer em ambiente que garanta sua publicidade e transparência.

- O reconhecimento e a validação dos diplomas estrangeiros devem ocorrer somente após analise curricular e documental e realização de exames (teóricos, práticos, cognitivos, deontológicos e linguísticos) pelos candidatos, em marcos similares aos previstos pelos projetos Revalida (Brasil), Mir (Espanha) e Eunacom (Chile), considerados referências pelo rigor na seleção dos candidatos.

MIGRAÇÃO MÉDICA

- O monitoramento dos fluxos de migração médica, com controle de entrada e saída de profissionais entre os países, deve ser implementada, possibilitando o exercício da Medicina apenas aos candidatos que, mesmo após validação de seus títulos, estejam inscritos nas entidades médicas reguladoras dos países.

- A organização de um registro único de médicos com a contribuição dos países que compõem o Fiem (com dados pessoais, titulação, histórico ético-profissional, formação) deve ser operacionalizada.

TRABALHO E EDUCAÇÃO MÉDICOS

- As entidades médicas devem participar dos processos de regulação do trabalho médico, cabendo-lhes colaborar com a formulação de diagnósticos das necessidades a partir da análise de dados gerais e específicos da população médica, incluindo a oferta de vagas e de cursos de medicina, entre outros.

- Políticas públicas voltadas ao fortalecimento e à valorização do trabalho médico devem ser adotadas pelos governos nacionais para assegurar aos profissionais condições que permitam exercer plenamente a Medicina com autonomia, sem interferência de pressões econômicas e políticas e comprometido com o paciente.

- A oferta de acesso aos profissionais à educação médica continuada, à remuneração adequada, às condições de trabalho e de aposentadoria que tornem possível a prática da Medicina mesmo em áreas de difícil provimento deve ser implementada pelos países. A definição de uma carreira funcional específica dentro do Estado para os médicos aparece como única saída para a cobertura dos chamados vazios assistenciais, permitindo a fixação dos médicos em todas as regiões, estendendo às comunidades os benefícios de uma assistência de qualidade.

VIOLÊNCIA CONTRA OS PROFISSIONAIS

- A violência contra os médicos é um problema generalizado e em crescimento que afeta especialmente a determinados serviços, como os de emergência, e aos médicos mais jovens. Considera-se imprescindível prevenir e controlar estas situações com o apoio governamental e policial.



ACESSO A MEDICAMENTOS

- A política de medicamentos deve ser uma prioridade de nossos governos, sem que esteja submetida a interesses privados ou de mercado, assegurando ao pacientes tanto seu uso racional como o acesso aos insumos essenciais.

- As entidades médicas consideram imprescindível a exigência de novas políticas internacionais pelas quais os países ricos garantam ao resto da população mundial o acesso e a distribuição de medicamentos essenciais em condições suportáveis para suas economias.

- Os interesses de mercado que condicionam definitivamente a investigação biomecânica e o comportamento da indústria farmacêutica e de tecnologias em saúde devem estar submetidos aos interesses da saúde e à sustentabilidade e à manutenção dos sistemas nacionais de saúde universais, equânimes e solidários em todos os nossos países.

- As entidades médicas devem intervir efetivamente e prestar contas em grupos de trabalho ou estruturas públicas, que permitam a tomada de decisões sobre avaliação, habilitação, registro, financiamento e monitoramento do uso de medicamentos e de novas tecnologias em saúde.

- Os médicos devem estar dispostos a declarar seus conflitos de interesse quando intervenham ou participem em estudos de investigação, realizem publicações, formação ou informações relacionados a quaisquer aspectos que afetem o exercício da profissão médica. Nossas organizações médicas devem estar dispostas a introduzir e exigir uma nova cultura de comportamento médico que incorpore a declaração de conflitos de interesse em suas referências curriculares.


Autor: CFM

Saúde : MORENA BBB12
Enviado por alexandre em 02/04/2012 10:36:40



Kelly exibe as curvas perfeitas no Paparazzo e abre jogo sobre sexo

Se no "BBB" ela era quietinha, no ensaio para o Paparazzo Kelly chegou com tudo. A ex-BBB, que posou no Portobello Resort, na Costa Verde do Rio, ficou seminua e fotografou no mar, no mangue, no rio e (ufa!) ao lado de bichos como camelo e zebra. “As fotos ficaram lindas, estou encantada. Nunca fiz um ensaio na vida, estou muito feliz”, disse.

Kelly nasceu em Minas Gerais, mas mora em São Paulo e também já viveu em Salvador. O porquê de tantas mudanças? “Tudo em busca de sonhos”, contou a morena. A ex-BBB começou a cursar faculdade de Biologia, mas não conseguiu terminar e agora cursa Gestão Comercial. Mas o que ela quer mesmo é ser apresentadora ou atriz. “Gosto do contato com o público, de conhecer pessoas e de receber o carinho delas. Vou estudar para ser apresentadora e atriz.”

Muito ligada à família, Kelly tem 13 irmãos. O maior sonho de sua vida é ser mãe. “Tudo o que mais quero é casar e ter dois filhos. O marido e o pai dos meus filhos eu já encontrei. Agora falta concretizar esse sonho”, disse ela, referindo-se ao namorado, o advogado Fernando David.

PRIMEIRA VEZ AOS 18 ANOS

Ao falar em namoro, Kelly abriu o jogo sobre sexo. “Perdi minha virgindade aos 18 anos com meu primeiro namorado. Sexo para mim é muito importante, mas tem que ter amor e carinho junto. Gosto de pegada na cama, mas também acho essencial ter preliminares, pois é uma forma de carinho. Dentro da casa senti muita falta, mas não fiz nada para amenizar a carência por causa das câmeras”, contou.
A ex-BBB, de 29 anos, nunca foi a um sex shop. “Acho importante usar artifícios para sair da rotina no sexo, mas não curto brinquedinhos e nem fantasias de sex shop. Prefiro usar uma lingerie sensual, fazer um jantar à luz de velas e beber bastante vinho. Com esses truques, a noite de amor se torna inesquecível."



Outro "truque" de Kelly é manter o corpão que Deus lhe deu e que a musculação torneou - ela malha desde os 16 anos. “Muita gente me pergunta como faço para ter a coxa grande e a barriga sarada. É simples: treinos de musculação e dieta. Sempre gostei de atividade física e me dedico. Gosto de treinar, de correr, e faço isso por prazer. Prezo pela vida saudável”, contou. A cor dourada e o cabelo liso e negro, Kelly garante que são genética. “Sou descendente de negra com índio e pego cor muito rápido. Meu cabelo é virgem e nunca usei tintura.”.

















Fonte 180 graus

Saúde : CAOS NA SAÚDE
Enviado por alexandre em 01/04/2012 11:34:24



Nova reportagem do Jornal Nacional mostra que caos continua no João Paulo I


O Jornal Nacional, da TV Globo, mostrou na noite de ontem, que nada mudou no Hospital João Paulo II, em Porto Velho, após a reportagem a primeira reportagem do “JN no AR”, no início de 2011.

O cenário é o mesmo, depois da posse do governador Confúcio Moura (PMDB), no dia 1 de janeiro de 2011, e do anúncio do mutirão de cirurgia. Pacientes continuam deitados no chão, e nos corredores da unidade de saúde, aguardando por cirurgia. O Hospital conta com 150 leitos, mas existem 260 pacientes passando por tratamento no local. Na última segunda-feira, o Tudorondonia mostrou vídeo onde um paciente aparece deitado no chão com a boca cheia de larva.

Nesta sexta-feira o Promotor de Justiça do Estado, Hildon Chaves, esteve no local e exigiu que o Governo celeridade nas ações para amenizar sofrimento da população.

De acordo com funcionário, um aparelho de tomografia está danificado há mais de um ano. O Jornal Nacional apurou que o pagamento para aquisição de próteses foi suspensos pela Secretaria de Estado da Saúde, o que acabou superlotando o hospital.

O secretário-adjunto de Saúde, Orlando Ramires, garantiu que dentro de 10 dias inicia a retomada das cirurgias. Ele anunciou, ainda, que novos leitos serão oferecidos por meio de uma parceria com dois hospitais particulares.


Autor: Marcelo Freire

Saúde : FISICULTURISTA
Enviado por alexandre em 28/03/2012 09:49:02



EVA ANDRESSA: Quem foi que disse que fisiculturista só tem músculos?

Quando falam de mulheres fisiculturistas, logo vem a mente aquelas figuras fortes, com músculos definidos, que perderam a sensualidade. Mas Eva Andressa, 27, passa longe do clichê.

A curitibana é uma pessoa influente nas redes sociais, com mais de 79 mil fãs em sua página oficial do Facebook. A fama veio em 2009, quando sagrou-se campeã brasileira de fisiculturismo. Depois, uma entrevista no programa do Jô Soares, no ano seguinte, alavancou sua carreira de modelo.

Eva faz musculação há nove anos e começou para ficar com um corpo definido. “Sempre fui magrinha, e na minha adolescência isso me incomodava. Sempre admirei mulheres com o corpo definido. Foi aí que resolvi começar a fazer musculação”, conta.

Ao perceber que seu corpo respondia bem às séries de exercícios, decidiu tentar a sorte em uma competição de fisiculturismo, em 2004.

“Desde a primeira competição, eu já percebi que aquilo me fazia feliz e que era aquilo que eu queria fazer por muito tempo. O fisiculturismo exige muita disciplina e determinação 24h por dia, por isso decidi me dedicar 100% para o esporte”, explicou.

Com tanta malhação, o esperado era que seu corpo ficasse bem definido, mas que acabasse perdendo as curvas. Mas Eva conseguiu se sobressair e manteve a silhueta sensual sem fazer nada fora do comum, segundo ela.

“Acho que isso é de cada pessoa. Eu sempre fui super vaidosa e isso não mudou com a musculação. Pelo contrário, hoje me sinto bem com minha auto-estima e talvez isso faz transparecer a sensualidade”, destaca.

“Muitas mulheres perdem a noção do que é um corpo sarado. Na busca de um corpo perfeito, acabam exagerando, e o que era para ser bonito, acaba ficando feio e masculinizado. Na minha opinião, a mulher tem que saber dosar, não pode perder a feminilidade, se não acaba todo o charme”, afirmou.

Ao ser questionada se toparia fazer um ensaio sensual com nudez, Eva não foge do páreo.

“Tudo depende de propostas (risos), mas faria sem problemas, até mesmo porque que eu saiba nunca uma mulher desse esporte posou nua, seria o máximo! E eu adoro ser fotografada”. E já até sabemos qual parte vai ficar mais evidente nas fotografias: as pernas.

Afinal de contas, quem melhor do que ela mesma para dizer qual seu atributo mais bonito?

CONFIRA AS FOTOS DA MUSA:











Do Club Alfa

« 1 ... 153 154 155 (156) 157 158 159 ... 171 »