Política - VAIADO - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 754 »
Política : VAIADO
Enviado por alexandre em 19/06/2018 17:27:33

Ciro Gomes é vaiado e deixa evento para prefeitos de Minas Gerais

Após ser interrompido pela organização do debate de pré-candidatos à Presidência, político se recusou a responder pergunta e abandonou palco

O pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), foi vaiado durante a realização do 35º Congresso Mineiro de Municípios, voltado para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores das cidades mineiras, realizado no Mineirão. Após fazer suas considerações iniciais e ser interrompido pela organização, o pedetista se recusou a responder uma nova pergunta e abandonou o evento.

Antes de subir ao palco, Ciro chegou a ser aplaudido por parte da plateia. No entanto, o clima mudou após ser interrompido quando respondia a uma pergunta. O pedetista foi questionado sobre repasses da União e como melhorar a arrecadação dos municípios. Em sua resposta o presidenciável defendeu a instauração de uma reforma tributária.


“Eu estava falando sobre isso, ele (mestre de cerimônias) sequer ouviu e faz a mesma pergunta que estava falando e ele interrompeu. Então está respondido”, disse o pré-candidato, o que provocou vaias na plateia.

O pedetista afirmou que não tinha sido avisado de que teria apenas cinco minutos para responder as questões, mas de que teria trinta minutos para falar. Ele ainda tentou justificar e voltar a falar, mas ficou irritado com a reação do público.

Ciro chegou a ser aplaudido ao questionar sobre a presença do outro pré-candidato a presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, e afirmou querer governar o país para restaurar a autoridade.

No entanto, o pré-candidato se recusou a fazer as considerações finais e deixou o palco antes da hora prevista. O presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, pediu educação para o público e disse que o pedetista tinha o direito a fazer as reclamações sobre a organização do evento.

O debate, realizado também com outros pré-candidatos à Presidência, tinha como regra a definição de tempo limite para todos os que falavam ao palco. Os presidenciáveis tinham cinco minutos para fazer uma introdução, depois respondiam a duas perguntas, com cinco minutos de resposta para cada questão, e, em seguida, mais cinco minutos para as considerações finais. Alvaro Dias (Podemos), que antecedeu a apresentação de Ciro, chegou a ter o microfone cortado quando excedeu o tempo.

Lacerda
Ao subir para o palco do Congresso, Ciro Gomes chegou acompanhado do pré-candidato ao governo de Minas Gerais, Marcio Lacerda (PSB). Cotado para ser o vice de Ciro, o ex-prefeito de Belo Horizonte foi saudado pelo pedetista como “futuro governador de Minas Gerais”.

O deputado federal, Reginaldo Lopes (PT), foi o escolhido pelo partido para ler uma carta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência, mesmo condenado em segunda instância e preso na Lava Jato. Após fazer críticas ao atual governo federal e dizer que a dívidas dos municípios foi provocada pela assinatura da PEC do Tetos dos Gastos, Lopes foi também vaiado por grande parte da plateia, ao fim de seu breve discurso.

Política : OLHO VIVO
Enviado por alexandre em 16/06/2018 23:24:55

Ministro quer candidaturas fichas sujas barradas

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga afirmou nesta sexta-feira, 15, que a Corte deve barrar de ofício – ou seja, sem contestação prévia – o registro de candidaturas de condenados em segunda instância, considerados "fichas sujas". Gonzaga não citou especificamente o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mas disse que “não se pode brincar com o país” quando se trata de postulantes à Presidência.

“Quem decide qual cargo almeja é o candidato e não a Justiça Eleitoral. Quando se almeja um cargo de Presidente da República, não se pode brincar com o país. Não podemos fazer com que milhões de brasileiros se dirijam à urna eletrônica para votar nulo. Não contem comigo para isso”, declarou em debate durante o VI Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, em Curitiba.

Depois, em entrevista à imprensa, Gonzaga reafirmou que esta não é apenas sua posição como deve ser a dos demais ministros do TSE. “Chegando à mesa de todos os ministros, que são muito responsáveis [deve ser barrada a candidatura]”, disse. O magistrado afirmou ainda que a jurisprudência o TSE é da mesma posição. “No momento em que o candidato traz para o TSE uma certidão criminal positivada, ou seja, uma prova da sua inelegibilidade, isso já tem jurisprudência de 50 anos, eu posso indeferir o registro de candidatura de ofício”, apontou.

Adotando tal posição, numa eventual tentativa de registro de candidatura de Lula, o TSE impediria o petista de participar da campanha eleitoral, fazer propaganda na TV e no rádio e participar de debates.


Política : NÃO FUI EU
Enviado por alexandre em 16/06/2018 23:21:23

Temer dirá na TV que herdou "batata quente" do PT

Coluna do Estadão – Andreza Matais

"Uma ponte para tirar o País da lama e levar para um local legal”

No momento em que o presidente Michel Temer enfrenta seu pior índice de rejeição (82%), o governo fará um contra-ataque nas redes sociais para dizer que está tentando resolver problemas que herdou dos governos do PT. Em dez vídeos de um minuto e meio, que começam a ser divulgados na segunda-feira, atores contratados pela equipe digital do Planalto dizem que Temer assumiu “a batata quente” e que “na economia não existe solução mágica”. “Temer se colocou como uma ponte para tirar o País da lama e levar para um local legal”, diz uma atriz.

Num dos vídeos, a que a Coluna teve acesso, um ator frisa que “Temer encontrou o Brasil com índices de um país em guerra”. E compara: “É como se o presidente estivesse reformando a casa com a pessoa morando dentro”.

A greve dos caminhoneiros é um dos assuntos abordados na nova campanha do governo. Vai mostrar que os motoristas não tinham reivindicações atendidas desde 1998, quando fizeram uma grande paralisação.

Um dos vídeos previstos no roteiro era para dizer que a PF tem liberdade para atuar. A gravação, porém, foi suspensa. Desde que assumiu, Temer já substituiu duas vezes o diretor-geral da instituição.

Política : PRESO POLÍTICO
Enviado por alexandre em 15/06/2018 10:36:58

Gilmar Mendes diz que liderança de Lula nas pesquisas eleitorais é o ‘enigma da Lava Jato’
O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse nesta quinta-feira (14) que a operação Lava Jato “produziu um enigma” com a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas de intenções de voto ao Planalto, mesmo que ele esteja preso.

“Isso é um milagre da Lava Jato, talvez também é um enigma que ela produziu”, disse ao jornalista Roberto D’Ávila, na GloboNews, em programa exibido na noite desta quinta.

Ex-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar afirmou que a situação do petista provoca uma confusão na disputa eleitoral. “Eu disse até outro dia para jornalistas portugueses que o diabo nos preparou um coquetel com toda essa confusão.”

Na avaliação do ministro, é necessário “decifrar o enigma” que mantém Lula à frente nas pesquisas ao mesmo tempo que a população pede por candidato sem máculas da corrupção.

“Poucos políticos candidatos a presidente, o líder da pesquisa com 30% de apoio e algo irredutível, apesar de todas as revelações, informações e até de um certo massacre midiático. E quando se pergunta o que as pessoas querem, elas respondem que não querem candidato envolvido com corrupção. Não obstante, eles apontam o ex-presidente Lula. Então, esse é um enigma que nós precisamos decifrar”, comentou.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada no dia 10 de junho, Lula lidera a corrida eleitoral com 30% das intenções de voto. De acordo com o instituto, mais de um terço dos eleitores se dizem sem opção ao analisar cenários em que o petista fica fora do páreo.

Gilmar assumiu que desaprovava o governo Lula. “Talvez tenha sido uma das poucas vozes do universo brasileiro como um todo que criticou fortemente o governo do PT e que criticou o presidente Lula. Teve um momento que ele foi canonizado, com mais de 82% de aprovação. Não obstante, eu apontava os seus desvios”, disse.

Gilmar defende habeas corpus no Rio
Gilmar Mendes defendeu “razões concretas” para efetuar prisões preventivas, ao ser questionado se atuava de maneira “liberal” por ter concedido uma série de habeas corpus de investigados na Lava Jato no Rio.

Em 30 dias, o ministro revogou 21 prisões decretadas pelo juiz Marcelo Bretas. Gilmar argumentou que os acusados devem ficar em liberdade, pois os crimes aconteceram anos antes das investigações, sem violência física.

Na entrevista desta quinta, o ministro justificou que as prisões não podem ser fundamentadas “genericamente”. Segundo ele, há “exigências muito estritas” para o decreto da prisão preventiva. “É necessário que de fato se tragam razões concretas. Fatos de 2011 não valem para justificar”, pontuou.

Gilmar exemplificou que situações como destruição de provas, ameaça à testemunha e tentativa de fuga seriam elementos concretos para o decreto da prisão preventiva ou provisória.

Fonte: UOL

Política : NEM FEDE E NEM CHEIRA
Enviado por alexandre em 14/06/2018 09:37:53

Marina bota gosto ruim em tudo, dizem aliados

Coluna do Estadão – Andreza Matais

Integrantes do movimento Agora! interessados em ajudar na campanha de Marina Silva (Rede) ao Planalto relatam a aliados que se cansaram de sugerir apoio e que tudo é encarado como “muito” complicado pela candidata.

Já os tucanos que defendem uma candidatura única de centro vão procurar o ex-presidente Fernando Henrique para tentar convencê-lo a fazer um manifesto público em defesa do nome do ex-ministro Nelson Jobim (MDB).

Se FHC topar, quem está agindo nos bastidores promete sair da sombra e defender publicamente a substituição de Geraldo Alckmin por Jobim.

O ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, não consegue dizer a Guilherme Afif que não quer tê-lo como candidato ao Planalto. A dificuldade está no passado. Kassab surgiu na política pelas mãos de Afif.

A terceira vez de Marina



Bernardo Mello Franco – Folha de S.Paulo

Marina Silva disputará sua terceira eleição presidencial pelo terceiro partido diferente. Desta vez, ela não conseguiu fechar nenhuma aliança e corre o risco de ficar com apenas 12 segundos na TV. Mesmo assim, tem demonstrado fôlego para lutar por uma vaga no segundo turno.

De acordo com o Datafolha, a ex-senadora mantém 15% das intenções de voto nos cenários sem Lula. Só está atrás de Jair Bolsonaro, que lidera com 19%. Nas simulações de segundo turno, as posições se invertem. Marina vence o ex-capitão com folga, por 42% a 32%. Ela também aparece bem à frente no confronto direto com Ciro Gomes e Geraldo Alckmin.

A pesquisa animou a turma que vê a ambientalista como um bote salva-vidas em caso de naufrágio do tucano. A opção Marina tem simpatia declarada do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas também empolga empresários e investidores desiludidos com o candidato do PSDB.

Na Era FH, Marina usava a tribuna do Senado para atacar os bancos, criticar as privatizações e pregar o calote da dívida externa. Ela chegou a votar contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. Em 2010, beijou a cruz do mercado ao concorrer ao Planalto pelo PV. Para sacramentar a guinada, escalou um empresário como vice e entregou o caixa de campanha a um ex-presidente do Citibank.

Os dois colaboradores se afastaram, mas Marina não desistiu da guinada liberal. Agora ela tenta reforçar suas credenciais com a ajuda de economistas como André Lara Resende e Eduardo Giannetti da Fonseca.

Apesar do flerte com o andar de cima, Marina exibe desempenho melhor entre eleitores mais propensos a votar no PT. Segundo o Datafolha, ela supera Bolsonaro entre os mais pobres (17% a 13%) e menos escolarizados (16% a 11%). No grupo dos mais ricos, despenca para a quinta posição, com apenas 3%.

Com Lula na cadeia, a ex-senadora larga na frente na disputa pelo seu espólio político. Mas esta transferência pode ser barrada durante a campanha, quando o eleitor for lembrado de seu apoio a Aécio Neves, ao impeachment de Dilma Rousseff e à prisão do ex-presidente.


« 1 (2) 3 4 5 ... 754 »