Policial - OLHO NELES - Notícias
« 1 ... 174 175 176 (177) 178 179 »
Policial : OLHO NELES
Enviado por alexandre em 12/05/2010 12:12:57



5 dos 8 deputados de Rondônia estão na lista dos “fichas sujas” e os três senadores também tem pendências na Justiça

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (terça-feira 11/05) o projeto que impede os políticos “fichas sujas” de se candidatarem.

Agora a bola vai para o Senado e por último chega às mãos do presidente Lula, que tem até o começo de junho para sancionar a coisa para a proibição valer já para as eleições deste ano segundo entendimento da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB.

Enquanto isso, o site ouropretoonline.com foi buscar através de uma pesquisa no site "Excelências" e divulga a lista dos deputados fichas sujas, dando destaque claro os nossos queridos conterrâneos. Gravem os nomes deles e quando forem votar, apertem a tecla “não” para estes falsos cordeiros que tem a alma e algo mais de “lobo mau”. Caso a Lei seja aplicada para as eleições deste ano apenas Marinha Raupp (PMDB), Moreira Mendes (PPS) e Eduardo Valverde (PT) terão direito de disputar a peleja eleitoral.

Natan Donadon (PMDB) responde os seguintes processos: STF inquérito nº. 2494/2007 Crime Eleitoral. STF Recurso Especial nº. 970361/2007 Recorre de condenação em ação civil pública por improbidade administrativa, mantida pelo TJ-RO (Apelação Cível Nº100.001.1999.001345-7), em que foi sentenciado ao ressarcimento de R$ 46.200,00 aos cofres públicos, ao pagamento de multa em igual valor, à perda do cargo público exercido e à suspensão dos direitos políticos por oito anos. O processo se refere às denúncias de desvios na Assembléia Legislativa de Rondônia. STJ Recurso Especial nº. 585379/2003 Mantida a decisão, já confirmada pelo TJ-RO (Apelação Criminal Nº20000020010046313) que o condenou cinco anos e seis meses de prisão, além do pagamento de 130 dias-multa, pelos crimes de peculato e formação de quadrilha. O processo se refere às denúncias de desvios na Assembléia Legislativa de Rondônia. Ao assumir o mandato de deputado federal em 2005 o processo foi remetido ao Supremo Tribunal Federal (STF Ação Penal Nº396/2005).

Anselmo de Jesus (PT) TSE Recurso contra expedição de diploma nº. 670/2007 Compra de votos; processo oriundo do TRE-RO (Recurso Contra Expedição de Diploma Nº19/2006).

Ernandes Amorim (PTB) STF Ação penal nº. 418/2007 Crime de responsabilidade e da lei de licitações, referente ao período em que foi prefeito de Ariquemes. STF Ação penal 475/2007 Réu em ação penal de direito administrativo e público. Concessão de radiodifusão. STF Ação penal nº. 487/2008 Crime da lei de licitações. TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.004005-0 - Réu em ação por improbidade administrativa. O Ministério Público Federal propôs ação que diz respeito a suposto esquema de fraude na Previdência Social. De acordo com a denúncia, certidões do INSS eram fraudadas para regularizar a Construtora Canaã e permitir que a empresa participasse de licitações no município de Ariquemes (RO). TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.004675-0 - É réu por improbidade administrativa em ação civil movida pelo Ministério Público.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.006741-1 - É réu por improbidade administrativa em ação civil movida pelo Ministério Público.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.003882-5 - Ministério Público Federal propôs ação de improbidade administrativa. O deputado é réu junto com sua filha, a deptuada estadual Daniela Amorim.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.006700-7 - Réu por improbidade administrativa e dano ao erário em ação movida pelo Ministério Público. Sua filha, a deputada estadual Daniela Amorim, também é ré no processo.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.006701-0 - Réu por improbidade administrativa e dano ao erário em ação movida pelo Ministério Público. Sua filha, a deputada estadual Daniela Amorim, também é ré no processo.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Processo Nº2009.41.00.006702-4 - Réu por improbidade administrativa e dano ao erário em ação movida pelo Ministério Público. Sua filha, a deputada estadual Daniela Amorim, também é ré no processo.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Ação Civil Pública Nº2008.41.00.006624-1 - Ministério Público Federal propôs ação por dano ao meio-ambiente.
STF Inquérito Nº2807/2009 - Crime contra o meio ambiente e o patrimônio genético.
STF Inquérito Nº2801/2009 - Crime contra o meio ambiente e o patrimônio genético.
TJ-RO Comarca de Ariquemes Processo Nº002.2004.006251-3 - Réu por improbidade administrativa. O Ministério Público propôs ação por suposto vício em licitação, construção e execução de obra urbana no périodo em que exerceu o mandato de prefeito. Como a ação prescreveu foi condenado apenas a ao ressarcimento por dano ao erário que, segunda a juíza, é imprescritível. Sentença: ressarcimento solidário de R$ 569.962,56 à prefeitura de Ariquemes, além de custas e despesas processuais. O parlamentar recorre da decisão por meio de apelação.


Lindomar Garçon (PV) STF Inquérito Nº2598/2007 - Improbidade administrativa quando prefeito de Candeias do Jamari.
STF Inquérito Nº2753/2008 - Indiciado pelo MPF por crime eleitoral.
TRF-1 Seção Judiciária de Rondônia Improbidade Administrativa Nº2009.41.00.000894-2 - É processado por dano ao erário, em ação civil pública movida pelo Ministério Público.

Mauro Nazif (PSB) STF Inquérito Nº2618/2007 - Captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral.

Os três senadores que representa o estado também tem pendências na Justiça
Acir Gurgacz (PDT/RO)
TCU Acórdão 361/2002 - Por irregularidades em convênio firmado entre a prefeitura de Ji-paraná e o extinto Ministério da Integração Regional. O senador não atendeu ao pedido de investigações do TCU na região. Foi multado

Fátima Cleide (PT/RO)
TRE-RO Representação Nº2625/2006 - Multada em R$ 5.320,50 por conduta vedada a agente público, em representação proposta pela coligação "O Trabalho Continua", em virtude de haver realizado uma reunião de campanha no plenário da Câmara Municipal de Alvorada do Oeste.

Valdir Raupp (PMDB/RO)
STF Ação Penal Nº383/2004 - Gestão fraudulenta de instituição financeira.
STF Ação Penal Nº358/2003 - Crime contra a administração pública; peculato.
STF Inquérito Nº2442/2006 - Crime contra a administração pública - desvio de verbas em obras.
STF Inquérito Nº2027/2003 - Crime contra o sistema financeiro nacional.
STF Inquérito Nº1990/2003 - Crime eleitoral, uso de documento falso. Sigiloso.


Autor: Alexandre Araujo ouropretoonline.com

Policial : Mundo Cão
Enviado por alexandre em 09/05/2010 18:07:58



Com relação ao conjunto habitacional Dom Bosco as coisas não estão bem esclarecidas, ou seja, a verdade vem sendo maculada

Coluna Mundo Cão

Traíras em ação

Traíra é um peixe que tem hábito sorrateiro. É um predador. Vive nas águas paradas, nas mais sombrias. As traíras são caçadoras implacáveis e atacam suas vítimas pela cabeça. Estão sempre na espreita. Desleais, mas fáceis de identificação: não mudam nunca seus hábitos e fervilham em ano eleitoral
Político latinha

Diz a lenda que na minha rua latinha árvores, latinha boas condições de trafego, latinha iluminação pública e no meu bairro latinha posto de saúde funcionando, latinha escola enfim estamos diante do “político latinha”.

A violência da propaganda

Violência não é apenas ofender à integridade física, comumente conhecida como “Agressão Física”. É, igualmente, ofender a integridade moral ou psíquica de alguém. Partindo desse conceito, vê-se que é muito mais abrangente o alcance e a interpretação nas condutas humanas tipificadas em nossa legislação penal como crime de Lesão Corporal. Uma das violências que, não raras vezes, tem passado despercebida à percepção das pessoas é a violência da propaganda, estou falando da propaganda sensacionalista que visa confundir, atordoar, aterrorizar e retirar do cidadão menos avisado a capacidade de reação.

Câmara dos requerimentos

Requerimentos e indicações são premissas legitimas do Poder Legislativo. O problema ocorre, entretanto, quando um parlamento de pouca expressão tem nesse tipo de instrumento uma das suas mais repetitivas atuações. Esse é, exatamente, o caso da Câmara de Vereadores de Ouro Preto com a maioria dos seus membros desenvolvendo mandatos sobremodo apagados, quase irrelevantes, o que se tornou uma extensão do Poder Executivo municipal. A permanecer assim, essa legislatura, ao passar, ficará anexada no rol das mais ineficientes da história da Câmara ouropretense – guardadas as exceções. Oxalá o povo, num surto de consciência e dignidade, soubesse dar a resposta em 2012, negando honra a quem não soube honrá-lo.

A Lei diz e daí

Virou moda nos órgãos públicos de Ouro Preto uma folha de sufite pregada na parede com os seguintes dizeres: Art. 331 do Código Penal Brasileiro – CPB “desacatar funcionários públicos no exercício da função ou em razão dela” Pena: detenção de seis meses a dois anos ou multa. Bonito e agora qual a pena para os funcionários que não sabe tratar o cidadão e pensam que são “ O rei da cocada preta”, será que tem algo no CPB penalizando tais atos?

Bancada preguiçosa

A bancada da Assembléia Legislativa do Estado – ALE/RO está mais acomodada do que baiano em feriado prolongado. Matérias importantes estão deixando do ser votadas por pura preguiça dos parlamentares, que são pagos para legislar e não estão comparecendo sequer às sessões ordinárias. Mas ai vai um recado, o ano é eleitoral, o povo está atento e observando com luneta quem realmente está preocupado com o progresso e desenvolvimento de Rondônia acorda!!!

Casas populares I

O município de Ouro Preto do Oeste no último dia primeiro de Maio foram entregues 50 casas populares até tudo bem um fato que no governo Lula foi uma marca pelo menos nas regiões mais desenvolvidas do país. Na região norte certamente o estado do Acre sempre foi mais prestigiado e badalado do que o estado de Rondônia quando o assunto é investimentos do governo federal a culpa é da nossa bancada federal incluindo os senadores e deputados federais que só servem para baixar a cabeça e receber as migalhas que sobram da mesa dos estados.

Casas populares II

Com relação ao conjunto habitacional Dom Bosco as coisas não estão bem esclarecidas, ou seja, a verdade vem sendo maculada e cito como exemplo a questão quando diz que o custo foi ZERO para as famílias que receberam as chaves. Alguém está faltando com a verdade já que temos relatos gravados de moradores que desembolsaram certa quantia em dinheiro para ter direito a casa popular inclusive pessoas recorrendo a empréstimo e outras tiveram que vender algum bem material (moto, TV, armário e etc), portanto vamos buscar ser correto nas ações e não buscar fazer politicagem com o chapéu alheio, ah sim estamos aberto aos devidos questionamentos logicamente dentro da legalidade e feito por pessoas com moral e respaldo.

Ocorrências policial

Estamos sendo questionado qual a razão de não estamos divulgando as noticias policiais da nossa cidade. Em primeiro lugar informo que sempre nos pautamos em dar ampla cobertura dos fatos policiais da nossa cidade e da região, mas por questões meramente pessoais estamos sendo impedidos de divulgamos o que acontece tanto no âmbito da Policia Civil como Militar esperamos que o direito a informação fosse respeitado e desta forma a sociedade tome ciência do profícuo trabalho que a Polícia vem fazendo já que as instituições estão acima de qualquer interesse, ou seja, nós passamos e o legado fica.

Será que pode?

Diz o Código Brasileiro de Trânsito – CBT que a pessoa para adquirir a Carteira Nacional de Habilitação - CNH tem que ter a idade mínima de 18 anos e outros requisitos previstos na Lei logicamente freqüentar uma auto-escola. E agora quando uma pessoa dirige um veiculo sem a CNH a mesma está cometendo uma infração grave isso é o que diz a Lei e agora quando o veiculo é oficial?


Autor: Alexandre Araujo

Fonte: ouropretoonline.com

Policial : Cafeicultura
Enviado por alexandre em 01/05/2010 21:23:05



Técnico da EMATER/RO orienta sobre qualidade e comercialização do café

O técnico da EMATER/RO Benedito Alves com experiência em qualidade e comercialização do café há 40 anos fez uma ampla explanação sobre o tema para que o produtor tenha um ganho real na comercialização e o consumidor possa degustar um produto com qualidade.

A classificação do café é uma fase muito importante no processo da comercialização desse produto. É importante e necessário que o produtor conheça pelo menos um pouco do sistema, para poder avaliar o seu produto.

A determinação da qualidade do café brasileiro compreende duas fases distintas: a classificação por tipos ou defeitos e a classificação pela bebida.

Além desses dois aspectos principais o café pode também ser classificado por: peneira; cor; torração; descrição.

A classificação do café por tipo é feita com base na contagem dos grãos defeituosos ou das impurezas contidos numa amostra de 300g de café beneficiado.

Esta classificação obedece à Tabela Oficial para Classificação, de acordo com a qual cada tipo de café corresponde a um número maior ou menor de defeitos encontrados em sua amostra.

Para conhecer sua qualidade, realiza-se a prova da xícara, pela qual o provador avalia as características de gosto e aroma do café. A classificação da bebida tem dois objetivos fundamentais: conhecer a qualidade do café a ser comercializado e definir as ligas ou blends que valorizem determinados lotes de café.

Benedito explicou que o estado de Rondônia cerca de 98% da produção é do tipo “Conillon” e apenas 2% do tipo “arábica” o que faz as torificadoras importares este último para ter o perfeito equilíbrio no produto que chega até o consumidor.

“Seguramente produzimos um café de qualidade em nosso estado, mas o consumidor deve ficar atento quanto a qualidade do mesmo. E para isso é importante na hora de comprar o produtor nem sempre o mais barato é saudável porque ao invés de saborear um café de qualidade o consumidor vai tomar a chamada água preta”, orientou o técnico Benedito que chegou em Rondônia no ano de 1978 a convite do engenheiro agrônomo Assis Canuto.

Dica para um bom café.

Use sempre água mineral ou filtrada

Não deixe a água ferver. Ele deve estar a, no máximo, 92 graus. Caso contrário, a perda de oxigênio altera a acidez do café. Para saber o ponto certo, é preciso observar se a água está em movimento, mas sem bolhas grandes.

Um pó de boa qualidade é essencial para um café mais saboroso.
E o coador de pano ainda é o mais usado na hora do preparo.

Autor: Alexandre Araujo

Fonte: ouropretoonline.com

Policial : JUSTIÇA
Enviado por alexandre em 28/04/2010 19:49:51



Jovens acusados da morte de “Pipiu” são absolvidos em Júri Popular

Os jovens Douglas de Oliveira e Roberto de Paula ambos com 20 anos de idade foram absolvidos da acusação de serem os autores que ceifou a vida de José Carlos Turetta o popular “Pipiu”.

O crime ocorreu no dia 12 de agosto de 2009 próximo ao Parque de Exposição Agri-show Norte, quando Pipiu pessoa querida por toda sociedade de Ouro Preto do Oeste teve a vida ceifada covardemente por elementos que utilizaram pedaços de paus causando traumatismo craniano e graves lesões por todo o corpo, Pipiu ainda chegou a ser socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros, mas devido ao seu estado grave de saúde veio a óbito no corredor do Hospital João Paulo II em Porto Velho aonde foi levado e jogado a mercê da própria sorte.

Como o crime de morte teve repercussão na sociedade a Polícia Civil logo identificou os supostos autores deste delito, ou seja, os jovens Douglas de Oliveira e Roberto de Paula que a principio confessaram o crime em razão da vitima ter derramado um copo de cerveja na camisa de Douglas de forma acidental.

A Polícia Civil deu o caso como concluído e remeteu o inquérito ao Ministério Público Estadual que ofereceu denúncia contra os acusados com base no Art. 121, inciso II e IV (motivo fútil) do Código Penal Brasileiro – CPB.

As famílias dos acusados sempre alegaram que os verdadeiros autores do crime estavam soltos e passaram a buscar justiça para que a inocência de ambos fosse comprovada.

O advogado José Martins dos Anjos experiente operador do direito criminal tendo como assistente o bacharel Celso Cabral de Souza foram incumbidos da missão de defendê-los no Tribunal do Júri no último dia 20 de abril.

O advogado José Martins levou ao plenário do Júri que os jovens foram obrigados a confessar o crime mediante a força física, fato este que foi confirmado por ambos acusados durante o interrogatório.

A Polícia Civil produziu um inquérito com falhas o que não afirmava de forma clara que os jovens eram de fato os autores do bárbaro crime de morte o que não restou aos jurados por sete votos a voltarem pela absolvição de Douglas e Roberto.

O juiz titular da Vara Criminal Dr. Haruo Mizusaki declarou os réus Douglas de Oliveira e Roberto de Paula Lima absolvidos com fundamentos no Art. 386, inciso VII (o juiz absolverá o ou os réus, mencionando a causa na parte dispositiva, desde que reconheça: não existir prova suficiente para a condenação, incluído pela Lei nº. 11.690, de 2008).

Ao final de quase 12 horas de julgamento o advogado José Martins disse que a Justiça foi feita e que espera que os verdadeiros autores desde crime de morte sejam identificados para que sejam submetidos às Leis do país.

A sociedade agora espera que a Polícia Civil encontre o ou os elementos que tiraram a vida do popular Pipiu, para que este crime não entre na lista dos “esquecidos”.

A reportagem apurou que as famílias dos jovens Douglas e Roberto vão ingressar na Justiça contra o Estado com uma ação de danos morais e financeiros pelos sérios transtornos causados no seio familiar.

Autor: Alexandre Araujo

Fonte: ouropretoonline.com


Policial : A VOLTA
Enviado por alexandre em 27/04/2010 10:45:10



Políticos cassados tentam a redenção nas urnas

Defenestrados de seus mandatos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por uma sorte de crimes que vão de abuso de poder econômico até a compra de votos, quatro políticos tentarão retornar ao palco político durante as eleições de outubro, a maioria na condição de favorito. Cassados no ano passado, os ex-governadores da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB) e do Tocantins Marcelo Miranda (PMDB) sonham em voltar aos holofotes no Senado Federal. Já o ex-governador do Maranhão Jackson Lago (PDT) e o ex-senador Expedito Júnior (PSDB-RO) tentarão um mandato como governador em seus respectivos estados. À exceção de Lago, os políticos com histórico recente de cassação lideram as pesquisas.

Os quatro políticos perderam os mandatos por decisões do TSE devido a irregularidades durante as eleições de 2006. Por determinação da Justiça, três deles tiveram de entregar os cargos para os adversários diretos nas eleições de 2006. Jackson Lago passou o bastão da chefia do Executivo maranhense para a então senadora Roseana Sarney (PMDB). Cunha Lima abriu as portas do Palácio da Redenção para José Maranhão (PMDB) e Expedito Júnior deixou a cadeira no Senado para Acir Gurgacz (PDT). Apenas Marcelo Miranda não teve o desgosto de ver o cargo cair nos braços do principal adversário. A Justiça decidiu que, como Miranda havia vencido o pleito no primeiro turno, o novo governador de Tocantins deveria ser eleito pela Assembleia Legislativa em eleição indireta.

O escolhido acabou sendo um aliado do ex-governador, o então deputado estadual Carlos Gaguim (PMDB). Agora candidato à reeleição, Gaguim deve formar uma chapa puro-sangue em Tocantins, com Miranda para o Senado e o atual senador peemedebista Leomar Quintanilha, candidato à reeleição. Os maiores adversários do ex-governador vêm da oposição ao governo federal, aglutinados em torno do PSDB. A aliança tucana terá o deputado federal Eduardo Gomes (PSDB) e o senador João Ribeiro (PR) candidatos ao Senado. Wilson Siqueira Campos (PSDB), algoz de Miranda no processo julgado pelo TSE, disputará a chefia do Executivo de Tocantins.

Outro ex-governador que escolheu o Senado como palco da “ressurreição política” é o tucano Cássio Cunha Lima. Como havia sido reeleito em 2006, a Justiça proíbe uma nova candidatura ao governo. E um ano depois de perder o mandato, Cunha Lima é o franco favorito para ocupar uma das cadeiras em disputa nas eleições de outubro. A última pesquisa encomendada pela Consul/Correio da Paraíba na semana passada mostra o ex-governador com 48,7% das intenções de voto. O segundo colocado é o atual senador Efraim Moraes (DEM), com 32,77%, seguido por Vital Filho (PMDB), com 19,22%. Na Paraíba, os tucanos tentarão ganhar cargos no governo apoiando o ex-prefeito de João Pessoa Ricardo Coutinho (PSB). O atual governador, José Maranhão (PMDB), concorrerá à reeleição.

Contragolpe
Cassado em abril do ano passado pelo TSE, o ex-governador do Maranhão Jackson Lago preparou um contragolpe para retornar ao cargo — ele se diz vítima de um complô. A estratégia é conquistar novamente nas urnas o direito de governar o estado, impondo uma humilhação à família Sarney. O pedetista é nome forte no interior, mas tem pela frente pelo menos uma grande batalha para ter chances de vencer a atual governadora, Roseana Sarney, candidata à reeleição. A cotação de Lago está ligada à capacidade de o ex-governador atrair o apoio do PSDB. “É um dever que me foi imposto pelo ‘golpe judiciário’. Fui cassado e tenho que ouvir o povo. Saber o que eles acham”, disse Lago. Levantamentos informais colocam o ex-governador com mais de 20% das intenções de voto para o governo do Maranhão, atrás de Roseana.

Em Rondônia, o ex-senador Expedito Júnior (PSDB) pretende alçar voos mais altos. Vai disputar em outubro o governo do estado, na condição de favorito. Ainda não há pesquisas oficiais, mas levantamentos internos do partido apontam o tucano com 36% das intenções de voto, à frente dos principais concorrentes: João Cahulla (PPS), Confúcio Moura (PMDB) e Eduardo Valverde (PT). O presidente do diretório estadual do PSDB em Rondônia, Hamilton Casara, avalia que a cassação não afetou negativamente a imagem de Expedito perante a população. “Grande parte dos eleitores sabe que ele teve um desempenho parlamentar significativo. Ele é um líder e tem visitado de três a quatro municípios por dia”, afirma Casara.

Tentativa de homicídio
O ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima pode não ser o único do clã a voltar aos mandatos políticos nas eleições de outubro. O patriarca da família, Ronaldo Cunha Lima (PSDB), estuda ser suplente na chapa à reeleição do atual senador
Efraim Moraes (DEM-PB). Ex-governador do estado, Ronaldo renunciou ao mandato de deputado federal em 2007 para escapar de um processo por tentativa de homicídio contra o adversário político Tarcísio Buriti, em dezembro de 1993. Uma semana antes de o caso ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o patriarca dos Cunha Lima abriu mão do mandato e, consequentemente, do foro privilegiado. A manobra livrou o ex-deputado de uma condenação. De volta à primeira
instância, o caso prescreverá sem julgamento.

Para saber mais
Instâncias julgadoras

Os quatro políticos cassados por irregularidades nas eleições de 2006 só perderam os mandatos depois da condenação definitiva pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nos casos dos tucanos Cássio Cunha Lima e Expedito Júnior, os processos foram abertos pelos ministérios públicos estaduais e, por isso, tiveram um primeiro julgamento em primeira instância pelos respectivos tribunais regionais eleitorais (TREs).

Já os governadores Marcelo Miranda (PMDB) e Jackson Lago (PDT) foram denunciados pelos partidos rivais e, por isso, acabaram julgados diretamente pelo TSE. Os dois tentaram, inclusive, reverter a decisão, solicitando julgamentos prévios pelos TREs. Como foram julgados apenas por crimes eleitorais, a pena aplicada foi a perda imediata do mandato e a inelegibilidade por três anos, contados a partir da data da eleição, em outubro de 2006. Estão todos elegíveis para o pleito deste ano.

Correio Braziliense

ouropretoonline.com

« 1 ... 174 175 176 (177) 178 179 »