Justiça - Cotidiano - Notícias
« 1 ... 148 149 150 (151) 152 153 154 ... 159 »
Justiça : Cotidiano
Enviado por alexandre em 08/08/2010 18:22:30



Mau caráter: uma espécie que se prolifera como erva daninha, vamos exterminá-lo

Meus amigos daqui e de alhures, hoje vou falar do mau caráter. Ele, o mau caráter, é um sujeito macio, matreiro, cheio de boas maneiras, na maioria das vezes cortês, incapaz de dar um não, de contestar o oponente, falso que só Judas, porém no seu interior é doente, fedorento, venenoso, safado, covarde, fulera, uma cobra venenosa perde feio para ele.

Conheço poucos que se enquadram nessa categoria. Mas os poucos que conheço são o bastante para constatar uma coisa: se metade da terra fosse ocupada por gente dessa espécie, o mundo já teria acabado, seria veneno demais para caber no depósito mundial.

Esse povo é tão ruim que onde pisa não nasce mato, onde caga não fica marca, onde cospe o chão empena, onde senta contamina o ambiente com o vírus mais daninho que pode existir, que é exatamente o vírus da safadeza, da sem vergonhice, da corrupção e do nepotismo.

Tenho sido vítima de alguns maus caráter ao longo da minha existência. A todos eles tenho enfrentado com altivez, pois não os temo. Levo alguma desvantagem, porque enquanto eu luto de peito aberto, sem esconder-me nem camuflar-me, eles agem nas caladas, nas horas noturnas, nos conchavos, nos segredos.

Tramam suas covardias, suas infâmias, suas investidas soturnas no maior dos silêncios, deixando o mínimo de pistas para as suas vítimas. E quando desmascarados, negam, usam o sorriso amarelo da falsidade, a cara de santo de oratório, o jeito dengoso das prostitutas.

Tenho particularmente identificados uns três desses espécimes venenosas, de ambos os sexos. Estou estudando uma forma de dar-lhes um castigo.

Tenho que estudar, pois com gente desse tipo não se pode lidar na maciota. É pra pegar e lascar em banda. Eles sabem do que falo. E aviso que podem me esperar. O que é bom tá guardado.

Alexandre Araujo

Justiça : Profissão
Enviado por alexandre em 05/08/2010 01:27:21



O povo está conformado com migalhas. Não adianta garantir educação, saúde e segurança de qualidade. Basta oferecer o trivial

Meu primo quer deixar a enxada, para entrar para a política


O meu primo/irmão José Roberto Araujo do alto da sua sabedoria me liga, para comunicar que, a partir de agora, nunca mais pegará na enxada nem que Deus garanta que durante dez anos, ininterruptos, não faltará chuva lá em Campina Grande- Paraíba cidade que nos viu nascer e crescer.

Tá decepcionado com quê? Indaguei e de pronto Zé Roberto me respondeu: decepcionado que nada! Agora vou ser político, vou começar como “cabo eleitoral” e na próxima serei candidato.
Diante da novidade voltei a interpelar ao mais sábio da família o por quê dessa sua decisão e se ele já havia combinado com Neide, a sua mulher, a respeito da novidade.

Novamente me responde: só que agora um pouco mais exaltado e diz: ora primo vocês que vivem ai em Rondônia, usufruindo do bom e do melhor, morando no “beiço d'água”, pensa que nós também não têm direito de ter um vida boa, acentuou bem pausadamente.

-Vou ser político nem que para isso tenha que procurar até mesmo um terreiro de macumba, o candomblé, tia Maculé, pai Vicente Mariano ou mesmo Zumbi dos Palmares, falou exaltado dinovo.

Que quer isso Zé Roberto? Você sabe o bem que te quero e o que for bom pra você será ótima pra mim. Vamos em frente, diga logo o que você deseja desse seu primo saudoso e não me faça cerimônia, ressaltei, tentando acalmá-lo.

Daí em diante Zé Roberto começou a fazer conjecturas, a detalhar os seus problemas, para enfim confirmar que não mudará de idéia e que a partir de agora vai ser político e dos bons, pois, já está com a idade um pouco avançada, não pode mais perder tempo e que precisa conquistar algo na vida, aquilo que a velha enxada não lhe proporcionou.

Tá bom Zé Roberto, conte comigo pra o que der e vier, inclusive com o meu voto, tentei encurtar a conversa, mas, como todo repórter é curioso, cai na besteira de dizer que vida de político também não é fácil, tem muita responsabilidade, compromissos dos mais diversos e coisa e tal.

-Mas ganha dinheiro e muito! Bradou do outro lado da linha, já acrescentando que se não fosse uma “profissão” boa ninguém brigava, se esgoelava, falseava e mentia o suficiente para chegar ao poder.

Tentei indagar se ele queria ser político apenas com esse objetivo: o de se locupletar às custas do eleitor. Franco como sempre, ressaltou: oxente! E todos não agem dessa forma, por quê eu seria diferente? Falou como se já estivesse com o mandato garantido e com a caneta na mão.

Para por fim à conversa, já que era tarde, a conta do telefone aumentava Zé Roberto sempre liga à cobrar – tentei dar a última cartada e indaguei: me diz uma coisa primo, você já tem alguma plataforma de campanha?

-Sim! E não me venha com sermão, pois, inicialmente, vou garantir aos meus eleitores que quando chegar ao poder vou agir com firmeza e determinação na defesa do loteamento de cargos. Vou exigir apenas como credencial para ser nomeado no governo a carteirinha política. Nada de concurso, pois concursado não vota cabresteado, sempre pensa que conquistou o cargo por mérito próprio, não deve favor a ninguém.

Mas, primo, isso é corrupção, tentei persuadi-lo. Corrupção que nada, são os ossos da profissão, me disse com aquela arrogância só vista depois da eleição. E, sem me deixar falar, foi logo acrescentando: E tem mais, viu primo? Esse negócio de mediocridade é conversa fiada, o Estado foi feito para ser locupletado, o resto é papo de frade sem paróquia. Entendeu?..

Já não conhecia mais o meu preclaro Zé Roberto, o primo mais simples e mais querido da família. Ele estava diferente, cheio de apelação. Cheguei a pensar que ele havia surtado, mas curioso indaguei: Desembucha primo e me diz de uma vez por todas, quais são as suas verdadeiras pretensões?

-Olha primo, todos nós sabemos que o Estado está parado. Não existe uma idéia nova, uma proposta nova. O Estado está conformado com a mediocridade. Então! Fica fácil, né?
Irônico e se fazendo de besta, diz:
O eleitor hoje em dia é fácil de enganar, viu primo?
Como assim?

Do alto da sua até então desconhecida empáfia vai logo dizendo: primo velho – ele tem a mania de nos chamar de velho - você parece que estudou para ser otário, pois não notou ainda que a aparência, o embrulho, vale mais do que o conteúdo.

E acrescenta: o povo está conformado com migalhas. Não adianta garantir educação, saúde e segurança de qualidade. Basta oferecer o trivial para cair na gandaia. Não ver o exemplo de Lula? Passou todo o tempo dando “esmola” em vez de trabalho e bastou isso para se transformar no líder mais popular que já se viu nessa terra de Santa Cruz.

Em seguida disparou: vou fazer como Lula. Vou implantar uma ditadura populista, vou montar uma república sindical, através do aparelhamento do poder. E mesmo que tenha que demitir no futuro vou continuar nomeando até a "mueca" e as folhas no Diário Oficial não agüentar mais.

Você vai ver!. Ai me fez lembrar o festival de nomeações que ocorreu aqui em Rondônia nos últimos meses com pessoas sem as mínimas condições profissionais, mas com belos atributos físicos tipo “mulher melão” ou quem sabe “mulher 24 horas”.

E confidenciou: Não vou deixar de fora ninguém, nem mesmo a parentada de juízes e desembargadores, filhos e protegidos de deputados, de prefeitos e, principalmente, aqueles que me dêem retorno, através de voto nas urnas. O erário é pra essas coisas mesmo. Pra que serve imposto?

Ele mesmo responde: é para se gastar como se gosta e com quem quer. Né? (Zé Roberto adora esse né)
Não tá indo longe, Zé Roberto? Perolei!

Longe que nada! E vou mais além: Vou fazer um governo totalmente populista, puramente populista. E foi logo dando a receita: devagarzinho vou cerceando o espaço de todo mundo até ficar apenas só o espaço do poder.

Daí em diante vai ser fácil. Acredita?
Não agüentando mais, mesmo temendo perder a amizade do primo querido, comunico que não adianta ele se esforçar para galgar essa posição, pois já existe dono, já existe ocupante. Que ele está atrasado no tempo.

Tá chegando tarde. Pois já chegou alguém na sua frente e abocanhou esse espaço com muita maestria. E como abocanhou!..
Espantado balbucia: decepcionante, primo, decepcionante, você acaba de cortar o meu barato, o meu mais novo plano de vida. Bradou o meu aguerrido primo/irmão Zé Roberto, já um pouco rouco, apenas para garantir que nunca mais me ligava para falar de um sonho seu.


Alexandre Araujo

Justiça : Só fala
Enviado por alexandre em 03/08/2010 10:57:16



Falta de fiscalização da prefeitura faz aumentar as queimadas no loteamento Colina Park

Uma semana após um grande incêndio ter destruído uma área equivalente a quatro campos de futebol um novo sinistro foi constatado no loteamento Colina Park localizado em Ouro Preto do Oeste.

Desta feita o incêndio na vegetação foi provocado pela ação do homem e provavelmente pelo dono do lote em que foi constatado o sinistro que destruiu uma grande área verde.

De acordo com relatos de pessoas que não quiseram ter os seus nomes divulgados, os incêndios que vem ocorrendo no loteamento Colina Park vem sendo praticados pelos próprios donos dos lotes que primeiro aplica o veneno e posteriormente colocam fogo para a área ficar limpa e desta forma ser erguida as construções em alvenaria.

Como não existe qualquer tipo de fiscalização por parte das autoridades os incêndios tende a aumentar o que vem provocando uma serie de transtornos para os moradores que tem residências próximas ao loteamento.

Em entrevista a uma estação de rádio local o prefeito do município Alex Testoni (PTN) disse que iria determinar rigor quanto a fiscalização das queimadas urbanas, fato este que ficou apenas na fala já que a realidade é completamente diferente do que a teoria.

“Caso a prefeitura tenha interesse em punir quem vem colocando fogo nas áreas é só vir no loteamento nos finais de tarde, horário que sempre ocorre este tipo de crime ambiental. Mas a verdade é que tudo é bonito no papel e na fala de quem deveria coibir este tipo de ação criminosa contra o ecossistema”, disse um morador que preferiu não se identificar.

A reportagem tentou um contato junto ao departamento que cuida da questão ambiental no município, mas na prefeitura ninguém quis falar com a imprensa sobre o assunto, extra-oficialmente o município tem apenas um fiscal concursado para cuidar do meio ambiente.


Autor: Alexandre Araujo

Fonte: ouropretoonline.com

Justiça : Assassinato
Enviado por alexandre em 01/08/2010 12:04:40



Morre com faca cravada no coração e assassino diz que mataria de novo

Homicídio

Por volta das 3h00 desta madrugada Barone Silva de Oliveira 19 anos, desferiu dois golpes de faca do tipo “peixeira”, no tórax e abdômen de Genilson Augusto da Silva de 27 anos de frente o Bailão Pioneiro.

Segundo relatos do assassino que já foi preso, ele e alguns colegas bebiam em um determinado posto de combustíveis, quando Genilson e alguns colegas deram de implicar com ele. Desta feita Barone foi até sua casa na Avenida Nações Unidas no bairro Vista Alegre para buscar uma faca.

Ao encontrar Genilson em um bar próximo ao Bailão, tirou satisfações e na sequência, sem que houvesse qualquer reação por parte da vítima e chance de defesa, desferiu dois golpes de faca sendo o primeiro no abdômen e o segundo na altura do peito – lado direito – deixando a arma do crime cravada no peito da vítima.
Genilson Augusto da Silva de 27 morreu no local e o homicida foi preso menos de uma hora depois frente ao Posto Pit Stop. Ele confessou o crime e em nenhum momento mostrou arrependimento.

Vias de fato

Madrugada de muito trabalho para a Polícia Militar de Espigão, de acordo com informações da PM, as ocorrências começaram muito cedo no sábado e se estenderam pela madrugada. O BOP 0591/10 registrado como lesão corporal foi o mais leve das três principais ocorrências da noite.

Segundo informações colhidas com os PMS, o centro de operações solicitou que uma guarnição fosse verificar um desentendimento entre primos na no bairro Caixa D’água com endereço na rua da Matriz/Itaporanga. Chegando ao local foi colhido informações junto a testemunhas que os primos haviam brigado e houve por parte de um deles, Tiago Gabrech Moreira – Agente – ameaças com uma faca a vítima identificada como sendo Vanderson Kempim Gabrech, que segundo relatos dos parentes, atirou um capacete em Tiago quando o avistou com a faca. A PM como sempre controlou a situação e tomou as medidas necessárias.

Tentativa de homicídio

O BOP 0592/10 – narra uma tentativa de homicídio na linha 05 km 26, próximo ao Bar do Senhor Antônio. O agente foi identificado como sendo Gilson de Tal.

A vítima que segundo relatado no Boletim de Ocorrência Policial tomou 4 facadas foi identificada como sendo Wilson Luiz Long Junior de 28 anos. A vítima ficou internado na Unidade Mista de Saúde de Espigão em estado de saúde estável.

No histórico do BOP, testemunhas relataram que o homem chegou todo ensanguentado no referido local e ninguém o conhece bem. Ele e um colega de trabalho se desentenderam e aconteceu a tentativa de homicídio.

Os relatos do homem dão conta de que o agente Gilson de Tal discutia com uma mulher, momento em que ele – vitima – se aproximou para saber o que estava acontecendo. Segundo Wilson Luiz, Gilson o atacou e desferiu os golpes. Agente e vítima são funcionários da empresa Peres e Martins responsável pela construção de uma farinheira no local. Ninguém foi preso ainda.

Essas informações nos foram repassadas pela PM de Espigão que vem desenvolvendo um excelente trabalho de combate a criminalidade. Aos PMS Elizândra, Nobre, Ronaldo e Éderson nossos agradecimentos pelas informações e nossos parabéns pelo excelente trabalho de socorro a vítima de 4 facadas na linha 5 km 26.

Os policiais tiveram de trazer o homem dentro de uma viatura da PM – um gol – já que não conseguiram ambulância para socorrê-lo.

Fonte: PM de Espigão

Autor: Dpto Jornalismo Sociedade Espigão


Justiça : Meio Ambiente
Enviado por alexandre em 29/07/2010 11:17:52



Reserva federal do INPA em Ouro Preto sofre com o descaso das autoridades

O município de Ouro Preto do Oeste é cercado por duas reservas florestais que estão localizadas no perímetro urbano da cidade a do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e a Chico Mendes em ambas o quadro é um só, ou seja, o descaso das autoridades em mante-la preservadas.


No entanto a reserva biológica do INPA com 138 hectares é que vem sendo mais degrada pela ação do homem principalmente de caçadores amadores que sem ter qualquer tipo de fiscalização aproveitam para matar os animais silvestres que habitam o local que é rico em fauna e flora, além da ação dos caçadores a reserva sofre com as invasões de casas em sua grande maioria de alvenaria e uma cerâmica que estão instalados em sua encosta sendo que nesta época do ano pico do verão amazônico ocorrem incêndios em sua vegetação.



A reserva biológica do INPA era de responsabilidade da prefeitura municipal até o ano 1984 quando por intermédio do então vice-prefeito Gabriel Ferreira Lima (que depois se tornou importante funcionário do Banco Mundial) a Câmara repassou aos cuidados do INPA a reserva biológica sem que o município recebesse nada de compensação por isso.


Atualmente o INPA mantém apenas um guarda parque para fazer toda fiscalização o que facilita a degradação da área. A prefeitura de Ouro Preto enviou documento ao Inpa pedindo a transferência da área da reserva biológica para o município. Em resposta, o Instituto fez a contraproposta de repassar a reserva ao município, mas não transferi-la, somente a responsabilidade de zelar e fazer a manutenção e proteção da floresta urbana. Praticamente impossível a administração assumir a responsabilidade de uma área como a do Inpa, considerando que sequer a prefeitura consegue manter a área do Parque Chico Mendes, que vem sendo degradada ao longo dos anos.


Segundo um morador que não quis se identificar é comum todas as noites caçadores dispararem tiros contra animais que habitam a reserva como pacas, capivaras e porcos do mato.


“Dentro da reserva tem muitas nascentes de água é onde os caçadores armam suas esperas para matar os animais e geralmente fazem churrascos regado a bebida alcoólica e tudo isso as autoridades tem conhecimento a realidade é que a omissão é muita em relação a preservação da reserva tudo é bonito no papel”, denúncia o morador que espera uma ação por parte do Ministério Público Federal –MPE e Polícia Federal para coibir a degradação da reserva.


A reportagem enviou um e-mail para a diretoria do INPA com sede na cidade Manaus – AM para que o órgão se pronuncie a respeito do assunto, mas não foi enviado resposta.


Autor: Alexandre Araujo


Fonte: ouropretoonline.com

« 1 ... 148 149 150 (151) 152 153 154 ... 159 »