Mais Notícias - Tiros de chumbinho - Notícias
« 1 2 (3) 4 5 6 ... 10773 »
Mais Notícias : Tiros de chumbinho
Enviado por alexandre em 18/01/2017 09:59:58

Tiros de chumbinho
Postado por Magno Martins

Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo

Escalar militares para inspecionar presídios equivale a enfrentar o crime organizado empunhando uma espingarda de chumbinho. É o que diz Walter Maierovitch, desembargador aposentado e ex-secretário nacional Antidrogas.

O professor assistiu com ceticismo ao anúncio feito nesta terça (17) pelo porta-voz do presidente Michel Temer. "Mais uma vez, estão fazendo uso político das Forças Armadas diante de uma situação de descontrole. Já vimos isso acontecer antes, nos governos Lula e FHC", critica.

Para Maierovitch, a medida não conterá a barbárie nas cadeias. Ele diverge da ideia de usar as tropas como força auxiliar das polícias estaduais, "que não conseguiram fazer nada para conter a crise". "Isso é populismo. O que o governo pretende, botar soldados de fuzil ao lado dos carcereiros?", questiona.

Especialista no estudo de máfias, o professor recebeu com igual descrença o Plano Nacional de Segurança Pública, anunciado pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Ele diz ter visto pouca substância e muita pirotecnia no pacote.

"O que o plano pode fazer diante de presídios superlotados de pequenos traficantes? Estão botando esparadrapo em fratura exposta. Parece que o ministro só está lá para fazer autopromoção", ironiza.

Na opinião de Maierovitch, o governo deveria encampar ideias mais ousadas, como descriminalizar o uso de drogas e reservar as cadeias para criminosos de alta periculosidade. Ele diz que os últimos presidentes não tiveram coragem de enfrentar o debate quando estavam no poder. "E parece que o Temer amarela a cada dia", acrescenta.

O professor também não se animou com as declarações da presidente do Supremo, Cármen Lúcia. "Tenho respeito pela ministra, que quer fazer um recenseamento dos presídios. Ótimo, mas o que isso vai adiantar? Quanto tempo vai demorar? As cadeias estão lotadas porque a Justiça não funciona", afirma.

Forças Armadas nos presídios: governo paga para ver
Postado por Magno Martins

O Planalto reconhece que há risco na ação das Forças Armadas nos presídios, mas prefere pagar para ver. O governo, sustenta um ministro, é de “ordem e progresso”. “Se não resolver isso, nada mais anda”, diz. Para o governo, uma das vantagens de os militares fazerem as revistas é a distância entre eles e os presos. Com agentes próximos, diz, a chance de conluio com os detentos é maior.

Secretário de Segurança Pública do governo FHC, José Vicente da Silva Filho diz que a ideia é uma “temeridade”. “As Forças não são preparadas para esse tipo de operação. A crise prisional pode virar política.”

Na frente internacional, o governo vai abrir postos avançados em países na rota do tráfico, como Cabo Verde, para aprimorar a atividade de inteligência.

No dia 31,o comando de Defesa, Justiça, Itamaraty e GSI (Segurança Institucional) farão reunião com autoridades colombianas sobre o tráfico internacional.

O governo identificou que uma das causas do conflito entre PCC e Família do Norte é a disputa pelo controle da rota dos centros produtores no Peru e na Colômbia aos mercados consumidores na África e na Europa. (Painel - Natuza Nery - FSP)

Mais Notícias : Plano e recursos: governadores cobram, Temer cancela
Enviado por alexandre em 18/01/2017 09:58:34

Plano e recursos: governadores cobram, Temer cancela
Postado por Magno Martins



Secretários estaduais de segurança para o ministro Moraes, da Justiça: 'De onde virá o dinheiro?'

O Globo - Renata Mariz

O governo desistiu da ideia de anunciar os primeiros acordos de cooperação do Plano Nacional de Segurança, que seriam assinados nesta quarta-feira em uma cerimônia no Palácio do Planalto com a presença de governadores. A decisão ocorreu após a reunião preparatória com secretários de Justiça, Administração Penitenciária e Segurança no Ministério da Justiça, em que houve cobranças explícitas de recursos permanentes para a área e detalhamento da política.

No lugar de receber todos os governadores para acelerar o que fosse possível, numa demonstração de que o plano é mais do que uma carta de boas intenções do governo, o presidente Michel Temer atenderá chefes do Poder Executivo das regiões Norte e Centro-Oeste (Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre, Pará, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), que pediram uma audiência. Segundo o Planalto, Temer considera melhor fazer encontros com grupos menores de governadores com situação penitenciária semelhante. O governo informou que, a pedido de vários governadores, houve a alteração no formato da reunião.

A adesão dos estados ao plano está ameaçada. Eles cobram do governo a criação de uma fonte vinculada de recursos para o setor, a exemplo do que ocorre na área da Educação e Saúde. Esse foi o ponto central da reunião dos secretários estaduais de Segurança Pública, Justiça e Administração Penitenciária nesta terça-feira com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Mais Notícias : Do fim do mundo: delação Odebrecht avança no recesso
Enviado por alexandre em 18/01/2017 09:57:49

Do fim do mundo: delação Odebrecht avança no recesso
Postado por Magno Martins

Folha de S.Paulo – Bela Megale e Letícia Casado

A delação premiada da Odebrecht vai avançar durante o recesso do STF (Supremo Tribunal Federal), que termina no fim de janeiro, com o início das audiências dos 77 delatores para confirmar que concordaram em colaborar com a Lava Jato. As reuniões estão previstas para ocorrer entre esta sexta (20) e o dia 27.

A delação da Odebrecht é uma das mais aguardadas da Lava Jato. São citados nomes do governo de Michel Temer, incluindo o próprio presidente, os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) e o ministro de Relações Exteriores, José Serra (PSDB), além de deputados e senadores.

Todos participarão desta etapa, incluindo o ex-presidente do grupo Marcelo Odebrecht, preso desde junho de 2015 em Curitiba, e seu pai, Emílio, presidente do conselho administrativo.

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, deve delegar a tarefa de ouvir os delatores a um dos dois juízes de seu gabinete que o auxiliam no caso: Márcio Schiefler Fontes ou Paulo Marcos de Farias. Um terceiro juiz, Hugo Sinvaldo Silva da Gama Filho, também trabalha no gabinete do ministro.

Zavascki é o responsável pela homologação, ou seja, a validação dos acordos que mencionam pessoas com foro privilegiado. A expectativa é que isso ocorra em fevereiro.



Nova delação da Camargo deve levar Lava Jato a SP


O Estado de S.Paulo - Fabio Serapião, Beatriz Bulla e Fábio Fabrini

O recall da delação de executivos da empreiteira Camargo Corrêa deve levar a Operação Lava Jato a fazer uma devassa em contratos de obras municipais e estaduais em São Paulo. A necessidade de a construtora refazer seu acordo é um efeito colateral da delação de 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht, que mencionaram casos de corrupção em contratos de outras empresas e não foram citados anteriormente.

No caso da Camargo, fontes ligadas à negociação do recall consideram que a Lava Jato pretende resgatar suspeitas de corrupção apuradas pela Operação Castelo de Areia, de 2009, que havia identificado indícios de irregularidades em pelos menos 12 obras paulistas. A operação foi invalidada pela Justiça.

Relatórios da Castelo de Areia já apontavam indícios de pagamentos indevidos no Rodoanel, no túnel da Avenida Jornalista Roberto Marinho e na expansão do metrô. Havia suspeitas também em contratos com a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), de Campinas, e com a prefeitura de Jundiaí. Foram levantados indícios ainda em obras dos metrôs de Fortaleza, Salvador e Rio.

Mais Notícias : Jornal investe US$ 5 milhões na cobertura de Trump
Enviado por alexandre em 18/01/2017 09:56:46

Jornal investe US$ 5 milhões na cobertura de Trump
Postado por Magno Martins

O "New York Times" anunciou, ao divulgar nesta terça (17) um estudo estratégico sobre o futuro do jornal, que separou US$ 5 milhões (cerca de R$ 16 milhões) adicionais para a cobertura do governo de Donald Trump, que toma posse como presidente americano nesta sexta-feira (20). "Nossos leitores têm vindo até nós em quantidades recordes porque sabem que somos uma das poucas organizações de informação com poder e força moral para cobrir todos os aspectos dessa mudança histórica no poder americano", escreveram em nota o editor-executivo, Dean Baquet, e o secretário de Redação Joe Kahn.

A cobertura "de forma agressiva, justa e implacável" será prioritária —daí os US$ 5 milhões, que vão permitir retratar "com ainda mais ambição a era Trump, em Washington, Nova York, o país e o mundo", em áreas como impostos, imigração, educação e clima. O projeto é "cobrir Trump e a nova ordem global", ou seja, além do governo, será "também sobre a estabilidade da ordem global que prevaleceu desde a Segunda Guerra Mundial e sobre o lugar dos Estados Unidos nesse mundo".

Baquet e Kahn admitem, por outro lado, que serão feitos novos cortes no jornal. "Nada pode disfarçar o fato de que a mudança contínua do impresso para o digital exige uma Redação um pouco menor e mais focada", afirma a nota. "Haverá cortes de orçamento este ano. Apresentaremos os detalhes nas próximas semanas e meses. Não podemos fingir que estamos imunes às pressões financeiras, mas vemos este momento como um reposicionamento necessário da Redação do 'NYT', não como um rebaixamento."

O "plano de ação" de Baquet e de Kahn prevê desde já a redução nos níveis hierárquicos da Redação, com menos editores, a separação da edição dedicada ao impresso e a contratação de mais 12 jornalistas para vídeo, arte e interação. Parte das ações anunciadas tem relação direta com o estudo estratégico também divulgado nesta terça-feira, intitulado "Jornalismo que se destaca".

Foi elaborado ao longo de um ano por um grupo de sete jornalistas encabeçado por David Leonhardt, colunista do "NYT". O estudo diz que o jornal se adaptou ao ambiente digital, com "inovação significativa nos últimos dois anos", mas "o ritmo tem que ser acelerado". Entre as recomendações, reportagens mais visuais e com maior participação dos leitores.

Regionais : PORTO VELHO A CUSCO NO PERU DE CARRO OU ÔNIBUS
Enviado por alexandre em 18/01/2017 00:59:58


PORTO VELHO A CUSCO DE CARRO OU ÔNIBUS
Falaaaaa Galera, Feliz 2017!!!!! Começamos o ano mostrando o quão fácil é ir de Porto Velho a Cusco – Peru, seja de carro ou ônibus. É uma viagem incrível a um custo relativamente baixo, não dá para perder a oportunidade de conhecer Cusco e Visitar uma das maravilhas do mundo Machu Picchu.
De Porto Velho a Cusco de Ônibus.
Quem deseja ir conhecer Cusco uma das cidades mais belas do mundo e patrimônio cultural da humanidade já pode preparar as malas, pois é muito simples e o custo da viagem é muito baixo. Há duas possibilidades para os viajantes saírem de PVH e irem até Cusco de ônibus. Então vamos a elas...
1 – Para quem deseja ir de Porto Velho a Cusco direto existe uma empresa chamada Expresso Õrmeno que faz o trajeto, é possível comprar a passagem em um guichê na rodoviária de Porto Velho (é possível partir também de Rio Branco – AC), além disso é possível ir direto a Lima também. Os valores das passagens são os seguintes:
PVH – Cusco = R$ 335,00; PVH – Lima = R$ 450,00. *saídas as sextas-feiras 21h00
RB – Cusco = R$ 222,00 e RB – Lima = R$ 332,00. *saídas aos sábados as 06h00
Notas: 1 - o trajeto original que a empresa faz é São Paulo – Lima; 2 – O ônibus faz paradas “pontuais” em Porto Velho e Rio Branco, apenas para pegar passageiros, alimentação ou alguma emergência; 3 – Os horários das saídas podem variar, sendo que os horários descritos acima são os estimados em que o ônibus passa na cidade; 4 – valores de novembro de 2016.
2 – Outra forma de ir é fazendo uma viagem “por partes”, todos os dias saem ônibus de Porto Velho a Rio Branco no Acre (assim como táxis), após chegar em Rio Branco há duas possibilidades, você pode pegar o ônibus que vai de Rio Branco a Assis Brasil (esse ônibus normalmente vai lotado e só sai uma vez por dia) ou ir de táxi. Após chegar em Assis Brasil você deve passar na PF e dar saída do país, feito isso do outro lado da fronteira está a primeira cidade peruana Iñapari de lá saem quase que o tempo todo vans que levam até Puerto Maldonado, chegando em Puerto Maldonado é possível pegar na rodoviária o ônibus para Cusco, várias empresas fazem o trajeto Puerto Maldonado – Cusco, porém os ônibus de todas as empresas só saem no fim da tarde e início da noite (sendo que por volta das 20h00 à rodoviária de Puerto fecha). Os preços para se fazer esse trajeto de ônibus são:
Porto Velho – Rio Branco = R$ 102,00; Rio Branco – Assis Brasil = R$ 54,00; Iñapari (Assis) – Puerto Maldonado = 35 soles; Puerto Mald. – Cusco = de 50 a 90 soles.
Fazendo a viagem “por partes” é possível economizar alguns reais, porém cabe verificar se essa diferença vale a pena. Contudo, esse trajeto é mais simples do que parece e para quem não gosta de ficar muito tempo dentro de um ônibus é essa parece ser a melhor opção devido as paradas e a liberdade de horários. Por fim, a principal diferença é que só é possível ir direto uma vez por semana, já fazendo a viagem “por partes” é possível ir qualquer dia.

De Porto Velho a Cusco de Carro

Muitas pessoas têm se aventurado a ir de Porto Velho a Cusco de carro isso se deu em função da construção da Estrada do Pacífico que começou a funcionar plenamente em 2010. A construção da estrada contribuiu muito para o aumento do número de turistas brasileiros que visitam o Peru todos os anos, em especial a cidade de Cusco indo através da Rodovia. A viagem de carro é deslumbrante e indescritível, todas as pessoas que têm a oportunidade de fazer essa viagem não se arrependem. Como ir então de Porto Velho a Cusco de Carro? É bem simples e vamos descobrir isso agora de forma que você possa chamar os amigos, familiares e montar um roteiro seguro e cheio de aventura.
O trajeto de Porto Velho a Cusco tem aproximadamente 1500 km, passando por algumas cidades do Acre e do Peru. Para facilitar vamos dividir o trajeto em partes.

1ª De Porto Velho a Rio Branco são aproximadamente 500 km indo pela BR 364, é bom destacar que a BR nesse trecho não é duplicada o que exige um pouco de cautela do motorista, além disso é preciso atravessar a balsa na “ponta do abunã” que pode demorar alguns minutos ou até horas dependendo do fluxo de veículos (já está em construção uma ponte nesse trecho);
2ª De Rio Branco a Assis Brasil são aproximadamente 330 km, o grande problema nesse trecho são os buracos e a má conservação da rodovia BR 317, a estrada também não é duplicada juntando isso aos muitos buracos a viagem acaba demorando um pouco mais nesse trajeto.
3ª De Assis Brasil a Puerto Maldonado são aproximadamente 230 km, ao adentrar no lado peruana você já vai notar a diferença, a estrada é muito bem conservada e sinalizada o que facilita a vida do motorista, porém é preciso ter atenção na pista com animais, principalmente vacas que ficam nos arredores da rodovia, uma curiosidade é que são mais de 150 lombadas nesse trajeto o que vai limitar bastante a velocidade.
4ª A última parte da viagem é o trajeto Puerto Maldonado a Cusco que têm aproximadamente 460 km de distância, essa sem dúvida é a parte mais bonita da viagem e também a que exige mais cautela, pois o trajeto inteiro é subida, você aos poucos vai saindo do clima da floresta amazônica e vai adentrando ao clima dos andes. Nesse trajeto a velocidade não passa de 50km por hora em média, pois o carro não corre mais (e nem deve) em função das muitas curvas e da subida. É o trajeto mais demorado de toda a viagem, faça-o com muita calma!!!
Algumas dicas importantes e essenciais para fazer a viagem de carro com segurança.
1 – Faça uma revisão no carro antes de ir (em especial rodas e freios), a revisão é um item indispensável para garantir uma viagem segura e sem imprevistos;
2 – O veículo precisa estar no nome de um dos ocupantes, o veículo NÃO SAI DO PAÍS se não for de um dos ocupantes. Caso seja um veículo alugado se ater a todos os documentos necessários para que ele possa sair do país;
3 – É preciso dar saída do Brasil no posto da PF em Assis Brasil e dar entrada na imigração (e polícia) peruana em Inãpari;
4 – Não é necessário passaporte para ingressar no Peru, o RG já é documento suficiente, porém é preciso que ele não tenha sido emitido há muito tempo e que a foto seja atual; HABILITAÇÃO NÃO É DOCUMENTO VÁLIDO.
5 – Já em Puerto Maldonado se possível tome o chá da coca ou compre algumas folhas da coca, pois ajudam muito em relação ao chamado “mal da altitude”, o chá em especial é fantástico para diminuir/eliminar os sintomas da altitude (dor de cabeça, enjoo e outros). Há também os remédios que você compra em qualquer farmácia;
6 – Procure sair de manhã cedo de Puerto Maldonado para Cusco evitando assim encarar a parte da viagem durante a noite, pois os riscos aumentam muito. Se possível NUNCA tente ir de Porto Velho à Cusco sem fazer no mínimo uma parada para descanso, de preferência durma em Puerto e saia de lá cedo para Cusco.
Parece que não faltou nada, então arrume as malas e viaje!!!!! Viajar é tudo de bom.




« 1 2 (3) 4 5 6 ... 10773 »