Regionais - IMAGENS FORTES! Assaltante morto por segurança do Banco do Brasil em Iranduba era ex-policial militar - Notícias
(1) 2 3 4 ... 12059 »
Regionais : IMAGENS FORTES! Assaltante morto por segurança do Banco do Brasil em Iranduba era ex-policial militar
Enviado por alexandre em 16/10/2017 21:27:09


O assaltante Francisco Ricardo, que morreu na troca de tiros com um segurança da Agência do Banco do Brasil no município de Iranduba, na manhã desta segunda-feira, 16, era ex-policial militar.


Segundo informações, ele serviu no Comando de Ações Táticas Especiais (Cate), no Comando de Operações Especiais (COE) e por último foi lotado na 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Policiais militares que trabalharam com o ex-PM comentaram nos grupos de Whatsapp que Francisco Ricardo sempre foi problemático e que entrou na Policia Militar em 2011 e foi expulso quatro anos depois.

Francisco Ricardo teve uma passagem negra pela PM


Um oficial da PM chegou a informar que Francisco Ricardo foi expulso da corporação depois que foi descoberto pela Corregedoria que ele roubava armas e munição e repassava para criminosos fazerem assaltos e dividirem com ele o lucro dos roubos.



ATENÇÃO! IMAGENS FORTES!



Regionais : Ladrão deixa bilhete com crítica após furtar ONG
Enviado por alexandre em 16/10/2017 21:14:41

Ladrão deixa bilhete com crítica após furtar ONG

G1

Um ladrão deixou um bilhete inusitado após furtar o computador do Instituto de Pesquisa e Educação Ambiental Planeta Terra, em Itapeva (SP). No bilhete, ele faz críticas à administração municipal. "Este foi mais um jeito de roubar o povo itapevense. Num local imenso grande dinheiro investido pra depois ficar assim: largado. Que droga de cidade!"

O local é mantido pela ONG Planeta Terra e pela prefeitura. De acordo com um dos responsáveis pela ONG, Paulo Roberto Saponga, o furto foi descoberto no sábado (14), quando funcionário foi até o local para alimentar um animal e constatou que a porta da sala estava arrombada.

No interior do imóvel, ele verificou que o computador doado pela Câmara Municipal, com vários arquivos da instituição, havia sido furtado. No lugar havia apenas o bilhete com as críticas.

A suspeita é que o crime tenha acontecido no feriado e que o ladrão tenha pulado um alambrado para entrar no local.

Em um tom de indignação, Paulo relatou em sua rede social o furto do computador. "Senhor vagabundo, o local não está abandonado, está fechado nos feriados e fins de semana por falta de funcionários, e isso não lhe dá o direito de pular alambrado, arrombar a porta do quiosque e roubar o único bem de valor do Instituto Planeta Terra, o nosso computador, que tem todos a documentos, ofícios."

O instituto ocupa uma área de quase 40 mil metros quadrados, onde são realizados eventos e palestras ambientais.

No post o responsável falou que a ONG desenvolve um trabalho com crianças e jovens "para que não sejam iguais a você", referindo-se ao ladrão. E destacou a "petulância" do criminoso em deixar o bilhete com "lição de moral": "Esse é o Brasil e seus brasileiros".

A ONG espera a doação de outro computador para continuar o trabalho na cidade.

O caso foi registrado na delegacia e será investigado pela polícia. Nenhum suspeito foi preso.

Regionais : Em circular, PM de RO proíbe policiais de chamar indígenas de “índio” e LGBTs devem optar por gênero em BO
Enviado por alexandre em 16/10/2017 21:09:03


A Polícia Militar de Rondônia encaminhou circular a todos os quartéis e policiais para que eles passem a adotar novas posturas de abordagem em ocorrências policiais. As orientações foram dadas pelo Ministério Público, atendendo a pedido de representantes de minorias indígenas, LGBTs e movimentos sociais.

Expedida no último dia 11, a circular estabelece critérios em relação às abordagens, tais como não usar termos pejorativamente, evitando adjetivos como “índio”, ou baseados em origem étnica como ofensas.

Também fica proibido aos policiais a interrupção de eventos religiosos, deixando para adotar quaisquer medidas após o encerramento das atividades. A circular também estabelece que os policiais devem abster-se de informar de maneira discriminatória a orientação sexual dos envolvidos em ocorrências e a orientação deve ser informada apenas quando se tratar de crimes homofóbicos. Durante as abordagens, os policiais também devem questionar como a pessoa abordada quer ser identificada em relação a seu gênero.

Em caso de revista à transexuais, deve ser respeitado o gênero optado pela pessoa, ou seja, se ela se declarar do sexo feminino, uma policial mulher deve fazer a revista não importando se isso vá prejudicar ou atrasar a diligência.

Os policiais também estão proibidos de ler em voz alta o nome constante na carteira de identidade da travesti, lésbicas, gays ou transexuais. É considerado ato humilhante e constrangedor. Os policiais devem trata-lo pelo “nome social”.

Também fica proibido aos policiais coibir manifestações de carinho (beijos, mãos dadas) em locais públicos de casais homoafetivos, mesmo que eles sejam chamados por alguém que se sinta incomodado. À exceção são delitos, mas a circular observa que “fato libidinoso é diferente de manifestação de afeto”.

Travestis, assim como mulheres transexuais devem ser detidas em separado de homens visando protege-las de agressões homofóbicas.

painel político

Regionais : Filhos de Cassol são condenados a reparar área ambiental destruída
Enviado por alexandre em 16/10/2017 21:00:00


Leia mais em http://rondoniadinamica.com.br/arquivo/noticia13496.shtml#ixzz4viMPp9VH
© 2007-2017 Todos os direitos reservados a RONDONIA DINAMICA COMERCIO E SERVICOS DE INFORMATICA LTDA

O juiz de Direito Alencar das Neves Brilhante, da 1ª Vara Cível de Alta Floresta do Oeste, condenou os filhos do ex-governador e atual senador da República Ivo Cassol (PP). Ivo Júnior Cassol, Juliana Mezzomo Cassol Malheiros e Karine Cassol foram sentenciados à obrigação de recuperar área ambiental, por conta do desmatamento ilegal de 352 hectares de floresta nativa em propriedade pertencente ao trio.

Os irmãos também estão obrigados a apresentar Plano de Recuperação da Área Degradada (PRAD), referente ao perímetro destruído, devendo encaminhar o plano ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) para aprovação no prazo de 60 dias.

“Considerando que os requeridos já enviaram o PRAD para o IBAMA, [terão de] comprovar a aprovação pelo órgão ambiental. Considerando o grande lapso de tempo entre a apresentação do PRAD até a presente data, os requeridos deverão comprovar que o referido PRAD foi ou está sendo executado”, asseverou Brilhante.

Cabe recurso da decisão.

Na ação civil pública, o Ministério Público (MP/RO) afirmou, em síntese, que Ivo Cassol fora autuado equivocadamente pelo IBAMA em virtude do desmatamento ilegal e sem licença do órgão competente dos 352 hectares de floresta nativa.

Entretanto, conforme documento encaminhado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), os responsáveis pela área desmatada são efetivamente os filhos do congressista.

A denúncia apresentada aponta que no dia 27 de setembro de 2008, uma equipe do IBAMA deslocou-se para atividade de monitoramento com aeronave em áreas da Bacia Hidrográfica do Rio Mequéns, ocasião em que constataram a ilegalidade apontada.

Citados, os Cassol apresentaram contestação, requerendo a improcedência da ação em razão da recomposição da vegetação das áreas objeto do litígio, juntando documentos.

Após análise aprofundada dos autos, pontuou o magistrado:

“Atento ao presente caso, o Ministério Público requereu a condenação dos requeridos na obrigação de fazer consistente na apresentação de PRAD, e na obrigação de recompor a área destruída. Nestes termos, verifico que a condenação em reparar o dano e custear toda a recomposição da área alcança o objeto da Lei ambiental”, concluiu.

Autor / Fonte: Rondoniadinamica

Brasil : MACHÃO
Enviado por alexandre em 16/10/2017 01:33:24


Estudo aponta machismo como preconceito mais praticado pelos brasileiros

Uma pesquisa aponta que os comentários ofensivos, mesmo que sejam feitos sem a intenção de afrontar, continuam senfo reproduzidos diariamente pelos brasileiros. Os dados do estudo, realizado pela cerveja Skol junto ao IBOPE Inteligência, contou com a participação de brasileiros de todas as partes do país e mostram que 83% dos entrevistados se consideram não preconceitusosos, mesmo que 72% já tenham feito algum comentário ofensivo. Ou seja,7 em cada 10 brasileiros. A pesquisa se baseou em quatro tipos de preconceito mascarados: machismo, LGBTfobia, estético e racial. Foram feitas perguntas diretas sobre como cada indivídio se enxerga, e se as pessoas já ouviram ou disseram determinadas frases como "Mulher tem que se dar ao respeito”, “Pode ser gay, mas não precisa beijar em público”, “Não sou preconceituoso, até tenho um amigo negro”, “Ele (a) é bonito, mas é gordinho (a) ”, entre outras.De acordo com o site da revista Marie Claire, foi constatado que todas as formas de preconceitos estão presentes no cotidiano do brasileiro, podendo ser praticado ou presenciado. O machismo aparece em 99% dos brasileiros ouvidos. 61% já fizeram algum comentário machista, mesmo que não reconheçam o preconceito. A LGBTfobia foi citada como principal preconceito entre os brasileiros que se declaram preconceituosos, com 29%. 45% dos brasileiros conseguem perceber o preconceito em frases ditas ou ouvidas no dia a dia, mas metade delas não reage ao ouvir esse tipo de comentário. Quando a reação existe, as mulheres são maioria e correspondem a 60%, já os homens detectam menos os comentários preconceituosos e correspondem a 57%. (BN)

(1) 2 3 4 ... 12059 »