Justiça : RESPEITARÁ!

Acredito que Bolsonaro aceitaria eventual derrota, diz Gilmar Mendes

O ministro Gilmar Mendes, do STF, disse, nesta terça-feira (2/8), acreditar que Jair Bolsonaro respeitará o resultado das urnas em outubro. Mendes afirmou também que não existe nas Forças Armadas intenção de partir para uma aventura golpista.

 

“Acho que sim [Bolsonaro aceitará o resultado eleitoral]. Me parece que é um pouco mais a explicação para um momento eleitoral delicado que está vivendo. Se é a melhor forma de explicar, aí já é outra questão”, disse Gilmar Mendes em entrevista ao Boletim Metrópoles 2ª Edição, apresentado pela jornalista Larissa Alvarenga.

 

Para Mendes, esse comportamento de ameaça às eleições, repetido por Bolsonaro em público, é reflexo de discursos iliberais mundo afora. O ministro avaliou que no Brasil há uma imitação desajeitada dessa estratégia.

 

Veja também

 

Senado fará 'esforço concentrado' só após as eleições, diz Pacheco

 

Eleições: Tribunal Superior Eleitoral fecha acordo com mais um observador internacional

 

“Faz parte um pouco desse discurso de grupos que se organizaram em alguns lugares do mundo, a chamada democracia iliberal. Aqui, até de uma maneira um pouco canhestra, tentamos mimetizar isso, sem muita elaboração ou talento. Ficamos um pouco numa versão pastelão desse modelo”.

 

O decano do STF disse também não ver entre os militares uma disposição de apoiar algum ato golpista.

 

“Não me parece que haja clima nem no plano internacional nem no nacional para esse tipo de aventura ou investida”, afirmou. Sobre a postura do Supremo frente a ameaças antidemocráticas, o ministro acrescentou: “As nossas armas são aquelas que estão nas leis”.

 

Mendes ainda saiu em defesa do sistema eleitoral e elogiou um notório desafeto de Jair Bolsonaro: o ministro Alexandre de Moraes, que a partir do dia 16 presidirá o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Bolsonaro costuma ofender Moraes e mentir sobre a urna eletrônica em discursos. No Sete de Setembro do ano passado, ameaçou não cumprir decisões do Supremo. Depois, recuou.

 

 

“O ministro Moraes cumpriu uma função importante no inquérito das fake news, dos atos antidemocráticos. O inquérito contribuiu para um certo controle naquele quadro de descontrole. É uma pessoa firme, conhece bem o direito, mas também é um homem do diálogo, o que é fundamental no TSE”.

 

Fonte: Metrópoles

LEIA MAIS

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo