Política : FIM DA REELEIÇÃO

Senado quer analisar fim da reeleição no executivo

Texto também prevê aumento do mandato de quatro para cinco anos


Plenário do Senado Federal Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Current Time 0:10
Duration 0:21
https://res.cloudinary.com/alrightadtech/video/upload/b_auto:predominant,c_pad,h_203,w_360/Alright_Adtech.jpg");">

De autoria do senador Jorge Kajuru, uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que prevê o fim da reeleição aos cargos de presidente, governador e prefeito deve ser analisada até o fim deste ano no Senado Federal. O projeto tem o apoio do presidente da Casa Legislativa, Rodrigo Pacheco, que considera que a mudança seria “muito importante e muito interessante para o país”.

– Eu tenho certeza de que o Congresso Nacional vai se debruçar sobre essa matéria. Acredito que há certa simpatia e adesão a essa tese do fim da reeleição no Senado Federal. Vejamos, agora, o melhor momento para debater a ideia e construir uma proposta que certamente será muito útil ao país – afirmou Pacheco, segundo informações do R7.

Leia também1 Lula investe em agendas com empresários, mas ataca mercado
2 Arthur Lira dá aval para unir duas PECs e acelerar tramitação
3 FAB intercepta avião de pequeno porte com 663 quilos de cocaína
4 PT nega montagem em foto de ato na BA: 'Erro da panorâmica'
5 Morre Sergio Paulo Rouanet, ex-ministro que deu nome à lei

Se por um lado o texto defende o fim da recondução ao cargo, por outro traz a proposta de aumentar o mandato de quatro para cinco anos. O objetivo das alterações, segundo Kajuru, é trazer “mais equilíbrio às disputas eleitorais”.

– Após outubro, que aprovemos o fim da reeleição para dar mais equilíbrio às disputas eleitorais, reafirmando o princípio da alternância do poder, e prejudicar menos o Brasil. As futuras gerações certamente vão agradecer – assinalou.

Caso aprovada, a medida valeria para 2026.

– O fim da reeleição considero que é uma lógica muito importante e muito interessante para o país. Nos cabe agora escolher o momento para poder fazê-lo, naturalmente, preservando direitos sem que seja casuísta, sem que seja para o alcance de qualquer desses que se apresentam como candidatos neste momento, na próxima gestão, no próximo mandato, na próxima legislatura – explicou Pacheco.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo