Saúde prevê 300 milhões de doses para 2022 e deve excluir Coronavac em campanha - Mais Notícias - Notícias
Mais Notícias : Saúde prevê 300 milhões de doses para 2022 e deve excluir Coronavac em campanha
Enviado por alexandre em 08/10/2021 09:45:09

O Ministério da Saúde prevê utilizar em torno de 300 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em 2022. A CNN apurou que a pasta deve orientar a população a tomar apenas uma dose de reforço no ano que vem, com exceção dos idosos acima de 60 anos e imunossuprimidos, que precisarão tomar dose de reforço a cada seis meses.

Peça central de uma das principais disputas políticas durante a pandemia da Covid-19 no país, a vacina chinesa Coronavac não deve entrar no cronograma do Ministério da Saúde para a campanha de vacinação de 2022.

De acordo com relatos feitos à CNN, a pasta comandada por Marcelo Queiroga está na reta final do planejamento de compra de imunizantes e o produzido pela Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, não está previsto na relação.

A CNN apurou que a Saúde aguarda o resultado de um estudo encomendado pelo próprio ministério a respeito da aplicação de uma terceira dose em pessoas imunizadas com a Coronavac. Os resultados preliminares da pesquisa, feita em parceria com a Universidade de Oxford, mostram que a imunidade daqueles que tomaram a vacina chinesa cai significativamente seis meses após a aplicação da segunda dose.

A avaliação interna do ministério é a de que os imunizantes que não apresentem alto índice de efetividade não entrarão no rol do plano de vacinação do próximo ano. Técnicos dizem que a pasta está avaliando o custo-benefício de cada vacina antes de fechar novos contratos.

Também pesa o fato de a Coronavac não ter o registro definitivo na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A avaliação dentro do ministério é a de que o Butantan tem demorado a fazer o pedido à agência reguladora. Desde quando começou a ser aplicada, a Coronavac continua apenas com autorização para uso emergencial, diferentemente da Pfizer e da AstraZeneca, que já obtiveram o registro final.

Ainda de acordo com as fontes ouvidas pela CNN, os dois imunizantes devem ser os mais utilizados na vacinação contra a Covid em 2022.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo