DEVOLVE OU NÃO? - Justiça - Notícias
Justiça : DEVOLVE OU NÃO?
Enviado por alexandre em 24/06/2020 08:31:32

MPC quer suspensão de salário de Sérgio Moro após ex-ministro virar colunista

O subprocurador-geral do Ministério Público de Contas, Lucas Rocha Furtado, quer que o Tribunal de Contas da União (TCU) suspenda os salários do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, que está recebendo enquanto cumpre quarentena.

A Comissão de Ética da Presidência da República decidiu no começo do mês proibir que Moro advogue por seis meses. No período em que durar a proibição, Moro seguirá recebendo o salário de R$ 31 mil, pago aos integrantes do primeiro escalão.

Para Furtado, ao ter aceitado trabalhar como colunista de alguns veículos de imprensa, Moro estaria acumulando funções irregularmente.

Em nota, Moro disse que a Comissão de Ética Pública da Presidência o autorizou a trabalhar como colunista.


O advogado criminalista Rodrigo Roca, novo defensor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), teve o aval da ala militar do governo. 

Roca foi apresentado ao senador pela advogada Luciana Pires, que defende o filho 01 do presidente Jair Bolsonaro no processo das rachadinhas. O senador é acusado de receber parte dos salários de funcionários de seu gabinete, quando era deputado na Assembleia Legislativa do Rio. 

Luciana já foi sócia de Roca. Os dois, que são irmãos por parte de pai, fazem parte do grupo Bandeira de Mello, responsável pela defesa de militares em todo o Brasil. Luciana é autora da ação que tenta levar o caso das rachadinhas para o colegiado especial do Tribunal de Justiça (TJ), o que retardaria seu andamento. 

Roca foi, até 2018, advogado do ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral, que está preso por crimes de corrupção. Segundo integrantes do Palácio do Planalto, ele é bem visto entre militares de alta patente e tem bom trânsito na Justiça fluminense. 

O novo advogado de Flávio substitui o criminalista Frederick Wassef, dono da casa em Atibaia (SP) onde Fabrício Queiroz, amigo de Bolsonaro e ex-assessor do senador, foi preso na semana passada. Ontem, Wassef deixou a defesa de Flávio. 

Apesar de ter deixado a defesa de Flávio, Wassef continuará dando muita dor de cabeça ao governo, pois terá que explicar à Justiça como conseguiu escondeu Queiroz em seu sítio em Atibaia por mais de um ano.

Página de impressão amigável Enviar esta história par aum amigo Criar um arquvo PDF do artigo